You are on page 1of 23

POLÍTICA NACIONAL

DE HUMANIZAÇÃO
HUMANIZASUS
NATHALIA NERIS ❤

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS

POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH)
 Durante os quase 30 anos do SUS, enfrentou-se muitos
desafios, e frente a estes, nasceu a necessidade de
inflexionar a sua política a fim de melhorar a assistência ao
usuário;
 Notou-se que há uma grande lacuna na acessibilidade dos
usuários aos serviços de saúde, visto que o Brasil é um
pais de uma grandes desigualdades;

 Outro ponto importante levantando pelo MS é a
desvalorização e baixo investimento num processo de
educação permanente dos trabalhadores de saúde,
expressiva precarização das relações de trabalho, pouca
participação na gestão de serviços e fraco vínculo com
usuários;

 A 11ª CNS (2000) teve como um dos temas: Humanizar o SUS. e é preciso dar visibilidade a esse SUS. tornou-se necessário modificações no modelo de atenção que na visão do Ministério da Saúde. os quais têm sido enunciados com muita força por trabalhadores e usuários.  PNH reconhece que há um SUS que dá certo. onde a PNH nasceu com o propósito de afirmar que o próprio SUS já possui acúmulos para enfrentar seus desafios e problemas. não é possível sem modificações no modelo de gestão do SUS.POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH)  Logo. . mas que existem desafios e problemas e que é necessário superá-los.

produzindo mudanças nos modos de gerir e cuidar  A PNH estimula a comunicação entre gestores. .  A humanização deve caminhar para se construir como vertente orgânica do Sistema Único de Saúde. trabalho e afeto que muitas vezes produzem atitudes e práticas desumanizadoras que inibem a autonomia e a corresponsabilidade dos profissionais de saúde em seu trabalho e dos usuários no cuidado de si. entre as diversas unidades e serviços de saúde. Como política ela deve traduzir princípios e modos de operar no conjunto das relações entre profissionais e usuários.POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH)  Lançada em 2003. a Política Nacional de Humanização (PNH) busca colocar em prática os princípio do SUS no cotidiano dos serviços de saúde. entre os diferentes profissionais. entre as instâncias que constituem o SUS. trabalhadores e usuários para construir processos coletivos de enfretamento de relações de poder.

a Humanização deve ser vista como Política de Estado e não como programa e isso implica: • Traduzir os princípios do SUS em modos de operar dos diferentes equipamentos e sujeitos da rede de saúde. • Construir trocas solidárias e comprometidas com a dupla tarefa de produção de saúde e produção de sujeitos. trabalhadores da saúde e usuários. • Oferecer um eixo articulador das práticas em saúde. • Contagiar por atitudes e ações humanizadoras a rede do SUS. incluindo gestores. . destacando o aspecto subjetivo nelas presente.POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH)  Desta forma.

 E todas as demais políticas deverão de articular através desse eixo. . sua história de vida.POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH)  Construir essa política exige que o SUS seja tomado em sua perspectiva de rede.  Nessa rede estão gestores de saúde. com uma rede de construção permanente de laços onde cada sujeito possui sua especificidade. mas também são sujeitos de coletivos. profissionais e usuários conectados e em plena construção.

TRABALHO E AFETO PRODUTORAS DE PRÁTICAS DESUMANIZADAS .POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO (PNH) NÃO SE TRATA DE HUMANIZAR O HUMANO NÃO SE TRATA DE HUMANIZAR O HUMANO. MAS ENFRENTAR E LIDAR COM RELAÇÕES DE PODER.

 Aumento do grau de co-responsabilidade na produção de saúde e de sujeitos  Estabelecimento de vínculos solidários e de participação coletiva no processo de gestão .PRINCÍPIOS  Valorização dos diferentes sujeitos implicados no processo de produção de saúde: usuários.  Fomento da autonomia e do protagonismo desses sujeitos. trabalhadores e gestores.PNH .

valorizando os trabalhadores e as relações sociais no trabalho.  Compromisso com a ambiência. melhoria condições de trabalho e de atendimento.PNH . das .PRINCÍPIOS  Identificação das dimensões de necessidades sociais. a produção de saúde e o próprio processo de trabalho em saúde. coletivas e subjetivas de saúde. tendo como foco as necessidades dos cidadãos.  Mudança nos modelos de atenção e gestão.

 3. Os usuários do SUS saberão quem são os profissionais que cuidam de sua saúde e os serviços de saúde se responsabilizarão por sua referência territorial. .Com a implementação da PNH da Atenção e da gestão do SUS. Redução de filas e o tempo de espera com ampliação do acesso e atendimento acolhedor. As unidades de saúde garantirão gestão participativa aos trabalhadores e usuários.  4. resolutivo e baseado em critérios de risco. o acompanhamento de pessoas de sua rede social e os direitos do código dos usuários do SUS. trabalha-se para consolidar quatro marcas específicas:  1. assim como educação permanente aos trabalhadores.  2. As unidades de saúde garantirão informações aos usuário.

A implementação da PNH pressupõe a atuação em vários eixos que objetivam a institucionalização. difusão desta estratégia e principalmente a apropriação de seus resultados pela sociedade. Isso de dá através da INCLUSÃO TRIPARTITE DIFERENTES SUJEITOS – ESPAÇOS COLETIVOS / RODAS COLETIVOS – FOMENTO DE REDES E MOVIMENTO S SOCIAIS PERTURBAÇÃO QUE AS INCLUSÕES PRODUZEM – GESTÃO DE CONFLITOS .

.  O trabalho em rede com equipes multiprofissionais. estadual e municipal). com atuação transdisciplinar. entre as diferentes instâncias de efetivação das políticas públicas de saúde (instâncias da gestão e da atenção).  O resgate dos fundamentos básicos que norteiam as práticas de saúde no SUS.A HUMANIZAÇÃO DO SUS OPERACIONALIZA-SE COM:  A construção de diferentes espaços de encontros entre sujeitos. trabalhadores e usuários desta rede. reconhecendo os gestores. trabalhadores e usuários como sujeitos ativos e protagonistas das ações de saúde. participativas e protagonistas do SUS.  O pacto entre os diferentes níveis de gestão do SUS (federal. assim como entre gestores.  A construção de redes solidárias e interativas.  A identificação das necessidades.  A troca e a construção de saberes. desejos e interesses dos diferentes sujeitos do campo da saúde.

ORIENTAÇÕES ÉTICO-POLÍTICAS  Acolhimento  Co-gestão – gestão democrática  Clínica ampliada  Valorização do trabalho e do trabalhador  Defesa dos direitos dos usuários .DIRETRIZES .

de Novos modos de gerir e cuidar .Diretrizes estabelecem rumos para criação/experimentação de dispositivos DIRETRIZES ORIENTAÇÕES ÉTICOPOLÍTICAS Arranjos de trabalho que alterem a dinâmica da organização do trabalho DISPOSITIVOS Construção de novas realidade institucionais.

. grupos focais e pesquisas de satisfação. ouvidorias.  Contratos de Gestão.  Sistemas de Escuta qualificada para usuários e trabalhadores da saúde: gerência de “porta aberta”.  Colegiados de Gestão.  Equipes de Referência e de Apoio Matricial.DISPOSITIVOS  Acolhimento com classificação de risco.  Projeto Terapêutico Singular e Projeto de Saúde Coletiva.  Projetos de Construção Coletiva da Ambiência.

 Programa de Formação em Saúde Comunidade Ampliada de Pesquisa.DISPOSITIVOS  Projeto “Acolhendo os familiares/rede social participante”: Visita Aberta.  Grupo de Trabalho de Humanização . Direito de Acompanhante e envolvimento no Projeto Terapêutico. e Trabalho e  Programas de Qualidade de Vida e Saúde para os Trabalhadores da Saúde.

Política e modo de operar transversais.  Caráter de abertura para que outras experiências e propostas agreguem. projetos e iniciativas de humanização e a partir daí propor diretrizes.  Afirmar a humanização como eixo norteador das práticas em saúde. traçar objetivos e definir estratégias de ação. – construir coletivo nas diversas  Mapear programas. equidade e integralidade da atenção á saúde).A GESTÃO DA POLÍTICA DE HUMANIZAÇÃO  Gestão horizontal instâncias do SUS. .  Qualificar e reafirmar os princípios do SUS (universalidade.

MODO DE GESTÃO  Combinar a atuação descentralizada dos diversos atores que constituem o SUS. com a articulação e coordenação necessárias à construção de sinergia e acúmulo de experiências. ao mesmo tempo que contribui para o fortalecimento da ação das Secretarias Estaduais e Municipais .  Cabe ao Núcleo Técnico de Coordenação do PNH articular a atuação das áreas do MS.

SECRETARIAS ESTADUAIS DE SAÚDE Gestor estadual Grupos Técnicos de Humanização dos Serviços MINISTÉRIO DA SAÚDE Áreas/ coordenações Programas específicos MODO DE GESTÃO NÚCLEO Coordenação técnico política Grupo de apoio técnico Consultores regionais SECRETARIAS ESTADUAIS DE SAÚDE Gestor estadual Grupos Técnicos de Humanização dos Serviços .

pactuação e difusão da PNH.  Criar estratégias de Construção da PNH. a especificidade da política de humanização – ofertar conteúdos e metodologias a serem trabalhadas sobre indicadores.  Deve garantir estrategicamente. integração. .COORDENAÇÃO DA PNH  Papel articulador – deve-se dirigir a facilitar e integrar processos e ações das demais áreas. estabelecer linhas de implantação. deve-se assumir como núcleo específico voltado para política de humanização.

COORDENAÇÃO DA PNH ESTRATÉGIAS DE CONSTRUÇÃO DA PNH:  Cooperar e articular estratégias da PNH com Estados e municípios. pólos de educação permanente.  Coordenar grupos de Consultores Regionais da PNH que trabalharão com as SES. hospitais e outros equipamentos que desenvolvem ações de humanização.  Operar como apoio matricial para as áreas. . SMS. coordenações e programas do MS no que for com eles contratualizados. Propor integração as estratégias de ação que constituem o campo da humanização.  Criar e incentivar mecanismos de divulgação e avaliação da PNH.

 Propor tecnologias de gestão do processo de trabalho em saúde.  Elaborar e Viabilizar materiais técnicos e de divulgação .  Criar e facilitar espaços de troca de produções de conhecimento.COORDENAÇÃO DA PNH ESTRATÉGIAS DE CONSTRUÇÃO DA PNH:  Construir metodologia de trabalho para implantação de projetos de humanização nos diversos âmbitos da rede SUS.  Fortalecer e ampliar a Rede Nacional de Humanização.

Acesso em 23 de maio de 2016 SECRETARIA DE SAÚDE DE SANTA CATARINA. Acesso em: 23 maio 2016.REFERÊNCIAS ________BRASIL. 2003. Rede HumanizaSUS – Rede de Colaboração para a humanização da gestão e da atenção no SUS.Marco conceitual e Diretrizes Políticas.sc. Ministério da Saúde.gov.br/. Política Nacional de Humanização da Atenção e da Gestão do SUS. Março de 2004. Disponível em: http://www.net/.saude. Florianópolis. Documento da Política Nacional de Humanização . Disponível em http://www.redehumanizasus. BRASIL. .