You are on page 1of 96
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF -- CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004 Fortaleza, Fortaleza, CE, 16 CE, 16 de de
ABORLABORL--CCFCCF --
CongressoCongresso BrasileiroBrasileiro 20042004
Fortaleza,
Fortaleza,
CE, 16
CE, 16
de de
novembro de 2004
novembro de 2004
CE, 16 CE, 16 de de novembro de 2004 novembro de 2004 Comentários Comentários ao Relatório
CE, 16 CE, 16 de de novembro de 2004 novembro de 2004 Comentários Comentários ao Relatório
CE, 16 CE, 16 de de novembro de 2004 novembro de 2004 Comentários Comentários ao Relatório
CE, 16 CE, 16 de de novembro de 2004 novembro de 2004 Comentários Comentários ao Relatório
Comentários Comentários ao Relatório do ao Relatório do Consenso Nacional Consenso Nacional sobre Voz
Comentários
Comentários
ao Relatório do
ao Relatório do
Consenso Nacional
Consenso Nacional
sobre Voz Profissional
sobre Voz Profissional
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat
Coordenador:
Coordenador:
Marcos
Marcos
SarvatSarvat
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação
Coordenador: Coordenador: Marcos Marcos SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação

sarvat@centroin.com.brsarvat@centroin.com.br

SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e
SarvatSarvat sarvat@centroin.com.br sarvat@centroin.com.br Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e

Associação Brasileira

de Otorrinolaringologia e

e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico
e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico

ABORLABORL--CCFCCF

Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -
Brasileira de Otorrinolaringologia e ABORL ABORL - - CCF CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - -

CirurgiaCirurgia CérvicoCérvico--FacialFacial

CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia
CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia
CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia
CCF Cirurgia Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia

de de

Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia
Cirurgia Cérvico Cérvico - - Facial Facial de de - - Academia Brasileira Academia Brasileira Laringologia

--

Academia Brasileira

Academia Brasileira

Laringologia e Voz -- ABLVABLV

Laringologia e Voz

Associação Nacional de

Associação Nacional de Medicina do Trabalho

Medicina do Trabalho -- ANAMTANAMT

e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
e Voz Associação Nacional de Associação Nacional de Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho - -
Consenso Nacional sobre Consenso Nacional sobre Voz Profissional Voz Profissional Voz e Trabalho: uma questão
Consenso Nacional sobre
Consenso Nacional sobre
Voz Profissional
Voz Profissional
Voz e Trabalho: uma questão de saúde e direito do trabalhador
Voz e Trabalho: uma questão de saúde e direito do trabalhador
Rio de Janeiro RJ, 13
Rio de Janeiro RJ, 13
e 14 de agosto de 2004
e 14 de agosto de 2004
Centro de Convenções
Centro de Convenções
do
do
Hotel Glória
Hotel Glória
EntidadesEntidades promotoraspromotoras
Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia CérvicoCérvico--FacialFacial -- ABORLABORL--CCFCCF
Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia
Comitês de Otorrinolaringologia Ocupacional
Comitês de Otorrinolaringologia Ocupacional
e de Laringe e Voz Profissionalrofissional
e de Laringe e Voz P
Academia Brasileira de Laringologia e Voz -- ABLVABLV
Academia Brasileira de
Laringologia e Voz
Associação Nacional de Medicina do
Associação Nacional de Medicina do
Trabalho -- ANAMTANAMT
Trabalho
Conselho Regional de Medicina do Estado
Conselho Regional de Medicina do Estado
do Rio de Janeiro -- CREMERJCREMERJ
do Rio de Janeiro
Câmaras Técnicas de Otorrinolaringologia, Medicina do Trabalho e PeríciasPerícias MédicasMédicas
Câmaras Técnicas de Otorrinolaringologia, Medicina do Trabalho e
Sociedade Médica do Estado do
Sociedade Médica do Estado do
Rio de Janeiro -- SOMERJSOMERJ
Rio de Janeiro
Sociedade de Otorrinolaringologia do Estado
Sociedade de Otorrinolaringologia
do Estado
do Rio de Janeiro -- SORLSORL--RJRJ
do Rio de Janeiro
Associação Brasileira de Medicina do
Associação Brasileira de Medicina do
Trabalho -- ABMTABMT--RJRJ
Trabalho
Instituto Brasileiro dos Médicos Peritos Judiciais -- IBRAMEPIBRAMEP
Instituto Brasileiro dos Médicos Peritos Judiciais
Sociedade Paulista de Medicina do Trabalho -- SPMTSPMT
Sociedade Paulista de Medicina do Trabalho
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e

Voz

Voz

 

e e Trabalho

Trabalho

 
 
Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e perda de
Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e perda de
Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e perda de

disfonia e perda de

disfonia e perda

    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade

de

    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade
    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade
    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade
    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade

capacidade laborativalaborativa))

capacidade

e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
A abordagem A abordagem deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser
A abordagem
A abordagem
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,,
deve ser
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
coordenada, coordenada, integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada,
coordenada,
coordenada,
integrada
integrada
e hierarquizada,
e hierarquizada,
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
ee todos os profissionais são importantes todos os profissionais são importantes
ee todos os profissionais são importantes
todos
os profissionais são importantes
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
são importantes todos os profissionais são importantes IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença ocupacional == NÃONÃO doença ocupacional Laringopatias
IMPORTANTE:IMPORTANTE:
DisfoniaDisfonia como
como
doença ocupacional == NÃONÃO
doença ocupacional
Laringopatias
Laringopatias
relacionadas
relacionadas
ao trabalho = SIM
ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e
Voz Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e

Voz

Voz

 

e e Trabalho

Trabalho

 
 
Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e perda de
Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e perda de
Voz   e e Trabalho Trabalho     disfonia e perda de disfonia e perda de

disfonia e perda de

disfonia e perda

    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade

de

    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade
    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade
    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade
    disfonia e perda de disfonia e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade

capacidade laborativalaborativa))

capacidade

e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
e perda de capacidade laborativa laborativa ) ) capacidade A abordagem A abordagem deve ser
A abordagem A abordagem deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser
A abordagem
A abordagem
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,,
deve ser
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
deve ser multiprofissionalmultiprofissional,, deve ser coordenada, coordenada, integrada integrada e
coordenada, coordenada, integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada,
coordenada,
coordenada,
integrada
integrada
e hierarquizada,
e hierarquizada,
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
integrada integrada e hierarquizada, e hierarquizada, ee todos os profissionais são importantes todos os
ee todos os profissionais são importantes todos os profissionais são importantes
ee todos os profissionais são importantes
todos
os profissionais são importantes
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais
são importantes todos os profissionais são importantes e o trabalhador e/ou e/ou paciente paciente mais mais

e o trabalhador e/oue/ou pacientepaciente maismais aindaainda !!

e o trabalhador

paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
paciente mais mais ainda ainda ! ! e o trabalhador IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença
IMPORTANTE:IMPORTANTE: DisfoniaDisfonia como como doença ocupacional == NÃONÃO doença ocupacional Laringopatias
IMPORTANTE:IMPORTANTE:
DisfoniaDisfonia como
como
doença ocupacional == NÃONÃO
doença ocupacional
Laringopatias
Laringopatias
relacionadas
relacionadas
ao trabalho = SIM
ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
doença ocupacional Laringopatias Laringopatias relacionadas relacionadas ao trabalho = SIM ao trabalho = SIM
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ObjetivosObjetivos OO termotermo
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ObjetivosObjetivos
OO termotermo "Consenso""Consenso" deve
deve
ser entendido como
ser entendido como
“aplicação
“aplicação em comum
em comum
do bom senso”,,
do bom senso”
que fundamentalmente inclui
que fundamentalmente inclui
conceitos, entendimentos, opiniões, hábitos e condutas
conceitos, entendimentos, opiniões, hábitos e condutas
adotadas na prática da
adotadas na prática da
assistência médica,
assistência médica,
e estas não devem se
e estas não devem se
ater ao extremo rigor que caracteriza uma
ater ao extremo rigor que caracteriza uma
“evidência científica”, o que arriscaria paralisar ou impedir quee
“evidência científica”, o que arriscaria paralisar ou impedir qu
sejam listadas, elaboradas e definidas normas, sugestões e
sejam listadas, elaboradas e definidas normas, sugestões e
orientações gerais, mais ou
orientações gerais,
mais ou
menos
menos
transitórias ou definitivas, e
transitórias ou definitivas, e
portanto passíveis
portanto passíveis
de reformulação a todo e qualquer tempo,
de reformulação a todo e qualquer tempo,
conforme venha a
conforme venha a
determinar
determinar
a Evolução da Ciência Médica.
a Evolução da Ciência Médica.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta Carta do Rio do Rio e seus Anexos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta
Carta
do Rio
do Rio e seus Anexos
e seus Anexos
ANEXOANEXO 11 –– Das atribuições
Das atribuições
e competências
e competências
ANEXOANEXO 22 –– Das necessidades dos profissionais da voz
Das necessidades dos profissionais da voz
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências científicas
evidências científicas
ANEXOANEXO 44 –– Das enfermidades e condições clínicas
Das enfermidades
e condições clínicas
ANEXOANEXO 55 –– Dos riscos ambientais,
Dos riscos ambientais,
individuais e questionários
individuais e questionários
ANEXOANEXO 66 –– Dos levantamentos a
Dos levantamentos a
respeito das laringopatias
respeito das laringopatias
ANEXOANEXO 77 –– Do conjunto de
Do conjunto de
elementos para relatórios
elementos para relatórios
ANEXOANEXO 88 –– Da proposta de
Da proposta de
reformulação das normas técnicas
reformulação das normas técnicas
ANEXOANEXO 99 –– Da proposta legislativa federal
Da proposta legislativa federal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta Carta do Rio do Rio As Entidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta
Carta
do Rio
do Rio
As Entidades supracitadas, por seus representantes oficiais no 3ºº Consenso
As Entidades supracitadas, por seus representantes oficiais no 3
Consenso
Nacional sobre Voz Profissional, realizado
Nacional sobre Voz Profissional, realizado
nos dias 13 e 14 de agosto de 2004
nos dias 13 e 14 de a gosto de 2004
na cidade do Rio de Janeiro, sob
na cidade do Rio de Janeiro, sob
o lema
o lema
Voz e Trabalho: uma questão
Voz e Trabalho: uma ques tão de
de
saúde e direito do trabalhador, considerandoconsiderando
saúde e direito do trabalhador,
1.
1.
Que as enfermidades
Que as enfermidades
relacionadas ao aparelho fonador, decorrentesentes
relacionadas ao aparelho fonador, decorr
ou prejudiciais ao trabalho têm
ou prejudiciais ao trabalho têm
importante impacto social, econômico,mico,
importante impacto social, econô
profissional
profissional
e
e
pessoal,
pessoal,
representando
representando
prejuízo
prejuízo
estimado
estimado
superior
superior
a a
duzentosduzentos milhõesmilhões dede reaisreais ao ano*,
ao ano*,
em nosso País;
em nosso País;
2.2.
QueQue oo
emprego de
emprego de
pequena
pequena
parte dessa quantia em medidas
parte dessa quantia em medidas
educativas,
educativas,
preventivas
preventivas
e e
curativas
curativas
reduziria esse custo de forma
reduziria
esse
custo
de
forma
significativa;significativa;
Carta do Rio Carta do Rio Considerando Considerando 3.3. AA necessidadenecessidade dede intervenção
Carta do Rio
Carta do Rio
Considerando
Considerando
3.3.
AA necessidadenecessidade dede
intervenção multidisciplinar e multiprofissionalmultiprofissional
intervenção multidisciplinar e
nana
preservação da saúde vocal da população, principalmente nos gruposos
preservação da saúde vocal da população, principalmente nos grup
onde o uso da voz tem direta relação
onde o uso da voz tem direta relação
com seu desempenho e/oue/ou aptidãoaptidão
com seu desempenho
aoao trabalho;trabalho;
4.4.
AA necessidadenecessidade dede normatizaçãonormatização das condutas médicas técnico--científicascientíficas
das condutas médicas técnico
no
no
diagnóstico e na terapêutica das
diagnóstico e na terapêutica das
laringopatias que possam resultar,ultar,
laringopatias que possam res
entre outros sinais e sintomas,
entre outros sinais e sintomas,
em disfonias relacionadas ao trabalho;balho;
em disfonias relacionadas ao tra
5.5.
AA importânciaimportância dede estimular a
estimular a
formação técnica e definir as respectivas
formação técnica e definir as respectivas
competênciascompetências
dosdos
profissionaisprofissionais
diretamente
diretamente
atuantes
atuantes
na
na
prevenção,
prevenção,
diagnóstico,
diagnóstico, tratamento,
tratamento,
capacitação
capacitação
e
e
aperfeiçoamento
aperfeiçoamento
dos
dos
trabalhadores que usam e
trabalhadores que usam e
dependem
dependem
da voz;
da voz;
6.6.
A
A
necessidade
necessidade
dos
dos
profissionais
profissionais
legalmente aptos e qualificados
legalmente aptos e qualificados
assumirem seu papel
assumirem seu papel
nas questões
nas
questões trabalhistas e de justiça , na condição
trabalhistas e de justiça, na condição
dede peritosperitos ee assistentesassistentes--técnicos;técnicos;
Carta do Carta do Rio Rio Considerando Considerando 7.7. AA necessidade necessidade dos dos profissionais
Carta do
Carta do Rio
Rio
Considerando
Considerando
7.7.
AA
necessidade
necessidade
dos
dos
profissionais
profissionais
legalmente
legalmente
aptos
aptos
e
e
qualificados
qualificados
assumirem seu papel
assumirem seu papel
nas questões
nas
questões trabalhistastrabalhistas ee dede justiça,justiça, nana condiçãocondição
dede peritosperitos ee assistentesassistentes--técnicos;técnicos;
8.8.
AA
necessidadenecessidade dede ampliar
ampliar
a equipe multiprofissionalmultiprofissional que avalia e atende
a equipe
que avalia e atende
o
o indivíduo que depende da voz
indivíduo que depende da
voz
para sua atividade ocupacional e
para sua atividade ocupacional e
verifica seu ambiente
verifica seu ambiente
e e
condições
condições
de
de
trabalho, de modo a ser compostaposta
trabalho, de modo a ser com
idealmente por médicos
idealmente por médicos
do do
trabalho, médicos otorrinolaringologistas,tas,
trabalho, médicos otorrinolaringologis
médicos peritos, fonoaudiólogos, engenheiros de segurança (
médicos peritos, fonoaudiólogos, engenheiros de segurança
(
);
);
9.9.
AA
necessidadenecessidade
dede
sensibilizar
sensibilizar
governantes
governantes
de
de
todos
todos
os
os
níveis,
níveis,
legisladores, administradores
legisladores, administradores
públicos e privados, empresários e
públicos e privados, empresários e
osos
próprios trabalhadores,
próprios trabalhadores, quanto às conseqüências do não investime
quanto às conseqüências do não investimentonto
em condições adequadas de trabalho
em condições adequadas de trabalho
para os profissionais que utilizamlizam aa
para os profissionais que uti
voz profissional, e no
voz profissional, e no
que tange, também, à importância de examess
que tange, também, à importância de exame
preventivos, educação, capacitação e aperfeiçoamento vocal e tratamentotamento
preventivos, educação, capacitação e aperfeiçoamento vocal e tra
precoceprecoce dede eventuaiseventuais problemas,problemas,
Carta do Carta do Rio Rio DECIDEM, CONCLUEM DECIDEM, CONCLUEM E E RECOMENDAM: RECOMENDAM: 1.1.
Carta do
Carta do Rio
Rio
DECIDEM, CONCLUEM
DECIDEM, CONCLUEM
E
E
RECOMENDAM:
RECOMENDAM:
1.1. EstabelecerEstabelecer
definição
definição
de
de
Voz
Voz
Profissional
Profissional
como
como
sendo
sendo
a
a
forma
forma
de de
comunicação oral utilizada por indivíduos que dela dependem para suasua
comunicação oral utilizada por indivíduos que dela dependem para
atividadeatividade ocupacional;ocupacional;
2.2. EstabelecerEstabelecer
definição
definição
de
de
disfonia
disfonia
como
como
sendo
sendo
toda
toda
e
e
qualquer
qualquer
dificuldade ou alteração na emissão natural da voz., caracterizando um
dificuldade ou alteração na emissão
natural da voz., caracteriza ndo um
distúrbio que limita
distúrbio que limita
a a
comunicação oral e pode repercutir de formama
comunicação oral e pode repercutir de for
significativa no uso profissional da voz;
significativa no uso profissional da voz;
3.3. EstabelecerEstabelecer
definição
definição
de
de
Deficiente
Deficiente
Vocal
Vocal
como sendo a pessoa que
como sendo a pessoa que
apresenta
apresenta
incapacidade
incapacidade
de de
desenvolver
desenvolver
a
a
função
função
fonatória
fonatória
na na
comunicação verbal, em caráter permanente e irreversível;
comunicação verbal, em caráter permanente e irreversível;
4.4. EstabelecerEstabelecer definição
definição
de Laringopatia
de Laringopatia
como representando o quadro
como representando o quadro
de de
sinais e sintomas (ou síndrome)
sinais e sintomas (ou síndrome)
resultante do conjunto de quaisqueruer
resultante do conjunto de quaisq
alterações,alterações, disfunçõesdisfunções
e/oue/ou enfermidades laríngeas, do aparelho fonador
enfermidades laríngeas, do aparelho fonador
ou de quaisquer outros
ou de quaisquer outros
sistemas orgânicos que possam repercutir na voz
sistemas orgânicos que possam repercutir na voz
e na fala ou sejam causadas pelo mau
e na fala ou sejam causadas pelo mau
uso ou abuso da voz;
uso ou abuso da voz;
Carta do Carta do Rio Rio DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: 5.5.
Carta do
Carta do Rio
Rio
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
5.5.
Estabelecer definição
Estabelecer definição
de
de
LaringopatiaLaringopatia RelacionadaRelacionada aoao TrabalhoTrabalho comocomo
sendo o conjunto de sinais,
sendo o conjunto de sinais,
sintomas, disfunções e enfermidades dodo
sintomas, disfunções e enfermidades
aparelho fonador, que possam
aparelho fonador, que possam
ter ter
origem no uso inadequado da voz ouou
origem no uso inadequado da voz
outra sobrecarga ao
outra sobrecarga ao
aparelho fonador, em decorrência da atividadee
aparelho fonador, em decorrência da atividad
laborativalaborativa e/oue/ou
ambiente
ambiente
de de
trabalho, ou refletir em sua função e nas
trabalho, ou refletir em sua função e nas
condições
condições
de
de
uso
uso
da
da
voz
voz
no
no
trabalho,
trabalho,
em
em
termos
termos
de
de
qualidade,
qualidade,
estabilidadeestabilidade ee resistência;resistência;
6.6.
EstabelecerEstabelecer
definição
definição
de
de
portador
portador
de
de
Laringopatia
Laringopatia
Relacionada
Relacionada
ao
ao
TrabalhoTrabalho
como
como
sendo
sendo
um
um
trabalhador
trabalhador
que,
que,
tendo
tendo
seu
seu
diagnóstico
diagnóstico
médicomédico--ocupacional firmado,
ocupacional firmado,
necessita ter acesso à assistência médica e
necessita ter acesso à assistência médica e
cuidados especiais, recebendo
cuidados especiais, recebendo
tratamento específico que vise o retornoetorno
tratamento específico que vise o r
ao pleno uso profissional da voz;
ao pleno uso profissional da voz;
7.7.
Não utilizar a expressão “disfonia ocupacional” e propor sua exclusãolusão
Não utilizar a expressão “disfonia ocupacional” e propor sua exc
como “doença ocupacional” ou
como “doença ocupacional” ou
“decorrente do trabalho”, porpor
“decorrente
do
trabalho”,
representar apenas um
representar apenas um
dos muitos sintomas que podem compor uma
dos muitos sintomas que podem compor uma
síndrome de Laringopatia Relacionada ao Trabalho, devendo como talal
síndrome de Laringopatia Relacionada ao Trabalho, devendo como
t
ser considerada pelo
ser considerada pelo
médico
médico
em sua
em sua
elaboração diagnóstica e definiçãonição
elaboração diagnóstica e defi
da da conduta conduta terapêutica, terapêutica,
médico--ocupacionalocupacional médico ouou médicomédico--pericial;pericial;
Carta do Carta do Rio Rio DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: 8.8.
Carta do
Carta do Rio
Rio
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
8.8. AssinalarAssinalar queque multicausalidademulticausalidade ee concausalidadeconcausalidade
podem ocorrer nas
podem ocorrer nas
laringopatias em geral,
laringopatias em geral,
reforçando que o ambiente de trabalho e
reforçando que o ambiente de trabalho e o nexo
o nexo
causal devem ser investigados e
causal devem ser investigados e
que
que
a
a
relação entre doença clínicaca ee
relação entre doença clíni
doença
doença
relacionada
relacionada
ao
ao
trabalho
trabalho
depende
depende
de
de
avaliação
avaliação
médica
médica
multidisciplinarmultidisciplinar ee multiprofissionalmultiprofissional;;
9.9. ProporPropor mudanças conceituais
mudanças conceituais
nas relações de trabalho com os indivíduos
nas relações de trabalho com os indivíduos
que utilizam a voz
que utilizam a voz
profissional,
profissional,
no
no
sentido de serem submetidos
sentido de serem submetidos
aa
exames médicos ocupacionais específicos (admissional, periódico,
exames médicos ocupacionais específicos (admissional, periódico,
dede
retorno ao trabalho, de
retorno ao trabalho, de
mudança de função e demissional) que atendamndam
mudança de função e demissional) que ate
às necessidades de suas
às necessidades de suas
atividades, nas ações educativas e de prevenção,evenção,
atividades, nas ações educativas e de pr
na adaptação dos postos
na adaptação dos postos
de de
trabalho
trabalho
e
e
atividades de trabalho e paraara
atividades de trabalho e p
evitar sobrecarga do aparelho
evitar sobrecarga do aparelho
fonador;
fonador;
10.10. Considerar que a legislação vigente sobre aptidão e inaptidão vocal para
Considerar que a legislação vigente sobre aptidão e inaptidão vo cal para
o trabalho é ainda insuficiente
o trabalho é ainda insuficiente
e imprecisa, em especial quanto ao setor
e imprecisa , em especial quanto ao setor
público, confundindo
público, confundindo
conceitos tais como voz, fala, aparelho fonadorador ee
conceitos tais como voz, fala, aparelho fon
palavra, devendo ser
palavra, devendo ser
adequada ao nível atual de conhecimento sobrere oo
adequada ao nível atual de conhecimento sob
tema (Decreto 3.048/99,
tema (Decreto 3.048/99,
Quadro nº
Quadro nº 3 do Anexo III);
3 do Anexo III);
Carta do Rio Carta do Rio DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: 11.11.
Carta do Rio
Carta do Rio
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
11.11. ReforçarReforçar queque
uma
uma
pessoa
pessoa
pode
pode
apresentar “voz
apresentar “voz
adaptada”
adaptada”
ao
ao
uso
uso
habitual, independentemente
habitual, independentemente
de qualidades, conceitos ou julgamentostos
de qualidades, conceitos ou julgamen
anatômicosanatômicos ouou estéticos,estéticos,
e pode estar
e pode estar
apta ao uso profissional da voz,
apta ao uso profissional da voz,
podendo, conforme o
podendo, conforme o
caso, estar indicada a análise de riscos, correção
caso, estar indicada a análise de riscos, co rreção do
do
ambiente e das condições de trabalho;
ambiente e das condições de trabalho;
12.12. AlertarAlertar queque oo
acesso ao
acesso ao
atendimentoatendimento
médico, para a imprescindível
médico, para a imprescindível
investigação e conclusão
investigação e conclusão
diagnóstica,
diagnóstica , e, conforme o caso, às demais
e, conforme o caso, às demais
avaliações auxiliares
avaliações auxiliares
e complementares, deve ser garantido a todos
e
complementares, deve ser garantido a tod os
os os
indivíduos que usam a voz profissionalmente;
indivíduos que usam a voz profissionalmente;
13.13. Recomendar que seja
Recomendar que seja
considerada a
considerada a
periodicidade da realização dos
periodicidade da realização dos
examesexames médicomédico--ocupacionais
ocupacionais
para os trabalhadores
para os
trabalhadores
que utilizam a voz
que utilizam a voz
profissional, explicitados em anexo, em especial para aqueles que atuam
profissional, explicitados em anexo, em especial para aqueles qu e atuam
emem condiçõescondições maismais adversas;adversas;
14.14. ApontarApontar aa
incoerência
incoerência
do rigor
do rigor
da
da
atual exigência de “normalidade
atual exigência de “normalidade
laríngea” em exames
laríngea” em exames
admissionais e
admissionais e
o contraste com a conceituação
o contraste com a conceituaçã o
de de
aptidão e exigências nos demais exames médicos
aptidão e exigências nos demais exames médicos ocupacionais ao longo
ocupacionais ao longo
da da atividade atividade laborativa; laborativa;
Carta do Rio Carta do Rio DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM: 15.15.
Carta do Rio
Carta do Rio
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
DECIDEM, CONCLUEM E RECOMENDAM:
15.15. Recomendar
Recomendar
que,
que,
a
a
critério
critério
médico,
médico,
trabalhadores
trabalhadores
portadores
portadores
de
de
laringopatiaslaringopatias e/oue/ou
alterações
alterações
vocais
vocais
leves não sejam considerados,
leves não sejam considerados,
a
a
priori, inaptos ao desempenho
priori, inaptos ao desempenho
de de
cargos
cargos
que demandem uso da voz,
que demandem uso da voz,
devendo, quando possível, serem
devendo, quando possível, serem
avaliados em ambiente de trabalhoo
avaliados em ambiente de trabalh
e/oue/ou fora dele quanto a seu desempenho vocal e profissional;
fora dele quanto
a seu desempenho vocal e profissional;
16.16. ProporPropor aa ampliação dos
ampliação dos
serviços e
serviços e
programas de educação,
programas de educação , tratamento,
tratamento,
capacitação e aperfeiçoamento
capacitação e aperfeiçoamento
vocal, facilitando o acesso e estimulando a a
vocal, facilitando o acesso e esti mulando
adesão dos indivíduos
adesão dos indivíduos
que
que
utilizam voz profissional a estas iniciativas;iativas;
utilizam voz profissional a estas inic
17.17. Intensificar a busca, o aperfeiçoamento e a aplicação de
Intensificar a busca, o aperfeiçoamento e a aplicação de
recursos em
recursos em
pesquisaspesquisas
que
que
favoreçam
favoreçam
a a
melhor
melhor
compreensão
compreensão
das
das
laringopatias
laringopatias
relacionadasrelacionadas aoao trabalho;trabalho;
18.18. Enviar a presente Carta e os Anexos pertinentes, às entidades públicas
Enviar a presente Carta e os Anexos pertinentes, às entidades pú blicas
e
e
às representativas de empregadores e
às representativas de empregadores e
de trabalhadores que utilizam voz
de trabalhadores que utilizam voz
profissional, para que
profissional, para que
estejam
estejam
informados e participem ativamentee dodo
informados e participem ativament
levantamento e da solução dos
levantamento e da solução dos
problemas decorrentes da incapacidadeade
problemas decorrentes da incapacid
ou afastamento por laringopatias relacionadas ao trabalho;
ou afastamento por laringopatias relacionadas ao trabalho;
Carta Carta do do Rio Rio DECIDEM,DECIDEM, CONCLUEMCONCLUEM EE RECOMENDAM:RECOMENDAM: 19.19. SolicitarSolicitar aoao
Carta
Carta
do do
Rio
Rio
DECIDEM,DECIDEM, CONCLUEMCONCLUEM EE RECOMENDAM:RECOMENDAM:
19.19. SolicitarSolicitar aoao
Ministério
Ministério
da
da
Saúde
Saúde
a
a
abertura
abertura
da
da
Lista
Lista
das
das
Doenças
Doenças
RelacionadasRelacionadas aoao TrabalhoTrabalho para,
para,
com o
com o
apoio das Entidades promotoras
apoio das Entidades promotoras
do
do
Consenso,
Consenso,
incluir
incluir
item
item
específico
específico
referente
referente
às
às
Laringopatias
Laringopatias
RelacionadasRelacionadas aoao Trabalho;Trabalho;
20.20. Estreitar
Estreitar
contatos
contatos
e
e
colaboração
colaboração
com
com
os
os
diversos
diversos
órgãos
órgãos
do
do
Poder
Poder
Executivo, em especial do
Executivo, em especial do
Ministério
Ministério
da Saúde, do Trabalho e Emprego e
da Saúde, do Trabalho e Emp rego e
da
da
Previdência
Previdência
e
e
Assistência
Assistência
Social,
Social ,
responsáveis
responsáveis
pela
pela
saúde
saúde
do
do
trabalhador,
trabalhador,
no
no
sentido
sentido
de
de
que
que
as
as
deliberações
deliberações
deste
deste
fórum
fórum
sejam
sejam
consideradas na elaboração e
consideradas na elaboração e
reformulação de políticas, portarias
reformulação de políticas, portaria s e e
normas
normas
que
que
favoreçam
favoreçam
uma
uma
efetiva
efetiva
redução
redução
da
da
incidência
incidência
das
das
laringopatias relacionadas ao trabalho;
laringopatias relacionadas ao trabalho;
21.21. Propor em anexo, na forma de LegislaçãoLegislação FederalFederal, , a criação do Programa
Propor em anexo, na forma de
a criação do Programa
Nacional de Saúde Vocal,
Nacional de Saúde Vocal,
de
de caráter preventivo, curativo e reabi
caráter preventivo, curativo e reabilitador;litador;
22.22. ConsiderarConsiderar
comocomo
sugestões
sugestões
de
de
condutas
condutas
médico--administrativas,administrativas,
médico
diretrizes e recomendações
diretrizes e recomendações
gerais o conteúdo dos diversos relatóriosrios
gerais o conteúdo dos diversos relató
anexosanexos, , considerados permanentemente
considerados permanentemente
sujeitos a serem reformulados
sujeitos a serem reformulados
ou ou atualizados atualizados pelo pelo conjunto conjunto das das
entidades entidades promotoras. promotoras.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta do Rio –– e seus Anexos Carta do
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta do Rio –– e seus Anexos
Carta do Rio
e seus Anexos
ANEXOANEXO 11 –– Das atribuições e competências
Das atribuições e competências
ANEXOANEXO 22 –– Das necessidades
Das necessidades
dos profissionais da voz
dos profissionais da voz
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e evidências científicas
e evidências científicas
ANEXOANEXO 44 –– Das enfermidades e
Das enfermidades e
condições clínicas
condições clínicas
ANEXOANEXO 55 –– Dos riscos ambientais, individuais e questionários
Dos riscos ambientais, individuais e questionários
ANEXOANEXO 66 –– Dos levantamentos a
Dos levantamentos a
respeito das laringopatias
respeito das laringopatias
ANEXOANEXO 77 –– Do conjunto de elementos para relatórios
Do conjunto de elementos para relatórios
ANEXOANEXO 88 –– Da proposta de reformulação das normas técnicas
Da proposta de reformulação das normas técnicas
ANEXOANEXO 99 –– Da proposta legislativa federal
Da proposta legislativa federal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Das 1. Das Atribuições e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
1. Das
1. Das
Atribuições e
Atribuições e
competências
competências
OO médicomédico
que cuida da voz é o especialista em OtorrinolaringologiaOtorrinolaringologia (ORL),(ORL), ee
que
cuida
da voz
é
o
especialista em
auxilia os médicos do trabalho
auxilia os médicos do trabalho
e e
os
os
médicos
médicos
peritos nas questões
peritos nas questões
técnicas, judiciais e
técnicas, judiciais e
trabalhistastrabalhistas relacionadasrelacionadas aoao
aparelho fonador, digestóriodigestório ee
aparelho fonador,
respiratório alto e cervical
respiratório alto e cervical
anterior. O médico ORL diagnostica
anterior. O médico ORL diagnostica
e trata das enfermidades, doenças e disfunções das
e trata das enfermidades, doe nças e disfunções das
viasvias aerodigestivasaerodigestivas superioressuperiores –– garganta (faringe
garganta (faringe
e e
laringe), nariz e ouvidos –– que afetem
laringe), nariz e ouvidos
que afetem
voz, deglutição, respiração alta,
voz, deglutição, respiração alta,
audição e
audição e
equilíbrio; requisita e avalia exames, conclui e
equilíbrio; requisi ta e avalia exames, conclui e
define diagnóstico e conduta, emite
define diagnóstico e conduta, emite parecer, atesta
parecer, atesta
, indica ou prescreve cuidados, repouso,
, indica ou p rescreve cuidados, repouso,
terapias, medicamentos e a realização
terapias, medicamentos e a realização
de procedimentos ou cirurgias.ias.
de procedimentos ou cirurg
AoAo médicomédico dodo trabalhotrabalho
cabe analisar e interpretar os efeitos das condições
cabe analisar e interpretar os efeitos das condições
de de
trabalho e do ambiente sobre a pessoa
trabalho e do ambiente sobre a pessoa
do trabalhador, caracterizar
do trabalhador, caracteriz ar a aptidão para o
a aptidão para o
trabalho, o nexo causal e a incapacidade laborativa e dar solução
trabalho, o nexo causal e a incapacidade laborativa e dar soluçã o aos problemas
aos problemas
de de
saúde/doençasaúde/doença dosdos trabalhadores.trabalhadores.
AoAo médicomédico peritoperito
cabe formular laudo pericial mediante designação do juiz nas
cabe formular laudo pericial mediante designação do juiz nas
perícias judiciais e nas demandas
perícias judiciais e nas demandas
administrativas do
administrativas do MPAS e MTE.
MPAS e MTE.
Supremo Tribunal Federal,
Supremo Tribunal Federal,
Representaçãosentação 1.0561.056--22 DF,DF, julgadajulgada emem 4/5/834/5/83
Repre
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Das 1. Das Atribuições e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
1. Das
1. Das
Atribuições e
Atribuições e
competências
competências
AtençãoAtenção::
Lei alguma de profissão paramédicaparamédica lhes dá (até hoje) o direito de
Lei alguma de profissão
lhes dá (até hoje) o direito de
concluirconcluir diagnóstico, requisitar
diagnóstico, requisitar
exames, indicar terapêutica, prescrever
exames, indicar terapêutica, prescrever
medicamentos, realizar
medicamentos, realizar
cirurgias, emitir atestado de saúde ou doença,ença,
cirurgias, emitir atestado de saúde ou do
dar prognóstico, internar,
dar prognóstico, internar,
dar dar
alta,
alta,
definir capacidade e incapacidade,
definir capacidade e incapacidade,
aptidãoaptidão ee inaptidão,inaptidão, etc.,etc., etc.etc.
ExceçõesExceções::
-- diagnósticodiagnóstico psicológico:
psicológico:
mas não existe “doença psicológica” –– sósó psiquiátrica
mas não existe “doença psicológica”
psiquiátrica
-- nutricionistas avaliam estado
nutricionistas avaliam estado
nutricional:
nutricional:
mas aproveitam
mas aproveitam
para
para avaliar
avaliar doenças
doenças
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Das 1. Das Atribuições e Atribuições e
NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Das 1. Das Atribuições e Atribuições e
NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Das 1. Das Atribuições e Atribuições e
NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Das 1. Das Atribuições e Atribuições e
1. Das 1. Das Atribuições e Atribuições e competências competências
1. Das
1. Das
Atribuições e
Atribuições e
competências
competências
OO fonoaudiólogofonoaudiólogo é o profissional é o profissional de de nível universitário que trabalha com
OO fonoaudiólogofonoaudiólogo é o profissional
é o profissional
de de
nível universitário que trabalha com a
nível universitário que trabalha com a
comunicação humana em vários
comunicação humana em vários aspectos,
aspectos,
incluindo orientação preventiva, avaliação,
incluindo orientação prev entiva, avaliação,
aperfeiçoamento
aperfeiçoamento
e
e
terapia
terapia
reabilitadora
reabilitadora
da
da
voz
voz
e
e
da
da
fala;
fala;
quando
quando
legalmentelegalmente
habilitado, obtém o título de especialista
habilitado, obtém o título de especialista
em voz
em voz
no campo da Fonoaudiologia.noaudiologia.
no campo da Fo
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
A Lei 6965/81 define precisamente seus limites de atuação OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor
OO professorprofessor dede CantoCanto ou ou instrutor de técnica vocal é o profissional que orienta
OO professorprofessor dede CantoCanto ou
ou
instrutor de técnica vocal é o profissional que orienta
instrutor de técnica vocal é o profissional que orienta
e desenvolve a voz cantada, nos
e desenvolve a voz cantada, nos seus aspectos artísticos e técni cos. Ajuda pessoas de
seus aspectos artísticos e técnicos. Ajuda pessoas
de
todas as idades a desenvolverem
todas as idades a desenvolverem
de
de forma mais
forma mais
rápida e segura o
rápida e segura o seu potencial de
seu potencial
de
voz, seja de forma individual ou coletiva (Canto
voz, seja de forma individual ou coletiva (Canto
Coral), no canto popular ou lírico,
Coral), no cant o popular ou lírico,
buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de cada gênero ou estilo
buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
musical.musical.
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ou estilo buscando adequar o cantor às particularidades e exigências de ca da gênero ou estilo
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional DoenDoençças Ocupacionais as Ocupacionais
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
DoenDoençças Ocupacionais
as Ocupacionais
–– atribuiatribuiçõçõeses mméédicasdicas
O que cada campo de atividade
O que cada campo de atividade
analisa, investiga, define, determina e/oue/ou informainforma
analisa, investiga, define, determina
NaNa ClClíínicanica
NoNo TrabalhoTrabalho
NaNa PrevidPrevidêênciancia
(por(por ex.,mex.,méédicodico ORL)ORL)
(m(méédico do
dico do
Trabalho)
Trabalho)
(m(méédicodico perito)perito)
DiagnDiagnóósticostico
Nexo
Nexo causal
causal
NexoNexo ttéécnicocnico
Apto ou
Apto ou
inapto
inapto
GrauGrau dede riscorisco
IncapacitaIncapacitaçãçãoo para
para
a funçãçãoo
a fun
------
InformaInforma
temportemporáária ou
ria ou
permanente
permanente
AfastamentoAfastamento temportemporááriorio ––
atatéé 1515 diasdias
Aguarda
Aguarda
alta cl
alta
cl íínicanica
AuxAuxííliolio doendoenççaa
ApApóóss 1515 diasdias
AfastamentoAfastamento definitivodefinitivo
ReadaptaReadaptaçãçãoo
InformaInforma estadoestado clclííniconico
Recomenda troca de funçãçãoo
Recomenda troca de fun
ReabilitaReabilitaçãçãoo
SetorSetor dada PrevidPrevidêênciancia
SeqSeqüüelaselas
DescreveDescreve--asas ee instruiinstrui
EstabilidadeEstabilidade
Garantida se a
Garantida se a
doençça for de
doen
a for de
AuxAuxííliolio acidenteacidente
EmEm havendohavendo seqseqüüelaselas porpor
origemorigem ocupacionalocupacional
doendoenççaa ocupacionalocupacional
EmEm havendohavendo seqseqüüelaselas porpor origemorigem ocupacionalocupacional doendoenççaa ocupacionalocupacional
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta Carta do Rio e seus Anexos do Rio e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta
Carta
do Rio e seus Anexos
do Rio e seus Anexos
ANEXOANEXO 11 –– Das atribuições
Das atribuições
e competências
e competências
ANEXOANEXO 22 –– Das necessidades
Das necessidades
dos
dos
profissionais da voz
profissionais da voz
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências científicas
evidências científicas
ANEXOANEXO 44 –– Das enfermidades e condições clínicas
Das enfermidades
e condições clínicas
ANEXOANEXO 55 –– Dos riscos ambientais,
Dos riscos ambientais,
individuais e questionários
individuais e questionários
ANEXOANEXO 66 –– Dos levantamentos a
Dos levantamentos a
respeito das laringopatias
respeito das laringopatias
ANEXOANEXO 77 –– Do conjunto de
Do conjunto de
elementos para relatórios
elementos para relatórios
ANEXOANEXO 88 –– Da proposta de
Da proposta de
reformulação das normas técnicas
reformulação das normas técnicas
ANEXOANEXO 99 –– Da proposta legislativa federal
Da proposta legislativa federal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades dos profissionais da voz
Principais necessidades dos profissionais da voz
-- diferenciando voz
diferenciando voz
cantada e falada
cantada e falada
Protocolo de Caracterização do profissional da voz
Protocolo de Caracterização do profissional da voz
Na relação entre
Na relação entre
os atributos vocais em sentido amplo e
os atributos vocais em sentido amplo e
atividade profissional é
atividade profissional é
necessário levar em consideração os
necessário levar em consideração os
parâmetrosparâmetros
Demanda, Requinte, Repercussão e Limitação.
Demanda, Requinte, Repercussão e Limitação.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades dos profissionais da voz
Principais necessidades dos profissionais da voz
-- diferenciando voz
diferenciando voz
cantada e falada
cantada e falada
Protocolo de Caracterização do profissional da voz
Protocolo de Caracterização do profissional da voz
Na relação entre
Na relação entre
os atributos vocais em sentido amplo e
os atributos vocais em sentido amplo e
DemandaDemanda –– A demanda tem relação com o adequado emprego
A demanda tem relação com o adequado emprego
atividade profissional é
atividade profissional é
necessário levar em consideração os
necessário levar em consideração os
da voz e com as condições do
da voz e com as condições do
ambiente e da organização do
ambiente e da organização do
parâmetrosparâmetros
Demanda, Requinte, Repercussão e Limitação.
Demanda, Requinte, Repercussão e Limitação.
trabalho onde a voz é utilizada.
trabalho onde a voz é utilizada.
O emprego da voz deve
O emprego da voz deve
ser caracterizado pelo tempo e intensidade
ser caracterizado pelo tempo e intensidade
de uso vocal no
de uso vocal no
desempenho da atividade
desempenho da atividade
profissional. As
profissional. As condições do ambiente d e trabalho devem ser
condições do ambiente de
trabalho devem ser
caracterizadascaracterizadas pelapela situaçãosituação
dede salubridadesalubridade
ambiental,ambiental, meiosmeios dede apoioapoio àà comunicaçãocomunicação
verbal disponibilizados e grau de solicitação proveniente da organização dos processos de
verbal disponibilizados e grau de solicitação proveniente da org anização dos processos de
trabalho.trabalho.
RequinteRequinte –– O requinte se
O requinte se
refere
refere
às necessidades de habilitação
às necessidades de habilitação
vocal e de controle sobre a
vocal e de controle sobre a
voz necessárias para desempenhar
voz necessárias para desempenhar
a a
atividadeatividade profissional.profissional.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades dos profissionais da voz
Principais necessidades dos profissionais da voz
-- diferenciando voz
diferenciando voz
cantada e falada
cantada e falada
Protocolo de Caracterização do profissional da voz
Protocolo de Caracterização do profissional da voz
RepercussãoRepercussão
Na relação entre
Na relação entre
––
Representa
Representa
os atributos vocais em sentido amplo e
os atributos vocais em sentido amplo e
o
o
papel
papel
da
da
voz
voz
no
no
sucesso
sucesso
e e
qualidade
qualidade
atividade profissional é
atividade profissional é
do
do
desempenho
desempenho
necessário levar em consideração os o
necessário levar em consideração os o
profissional,
profissional,
determinando
determinando
diferencial
diferencial
parâmetrosparâmetros
profissional
profissional
Demanda, Requinte, Repercussão e Limitação.
Demanda, Requinte, Repercussão e Limitação.
do trabalhador. Significa o grau de
do trabalhador. Significa o grau de
impacto que a voz
impacto que a voz
(ou
(ou
sua alteração) poderia trazer ao resultado
sua alteração) poderia trazer ao resultado
dada atividadeatividade profissional.profissional.
LimitaçãoLimitação –– RefereRefere--se
se à relação entre a alteração da voz (ou da
à relação entre a alteração da voz (ou da
função
função
do
do
sistema
sistema
fonatório)
fonatório)
e
e
as
as
exigências
exigências
do
do
seu
seu
uso
uso
profissional. Representa diversos
profissional. Representa diversos
graus entre a eufonia (uso da
graus entre a eufonia (uso da
voz em sua plenitude) e a
voz em sua plenitude) e a
deficiência vocal (total incapacidade
deficiência vocal (total incapacidade
para o uso profissional da
para o uso profissional da
voz).
voz).
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades dos profissionais da voz
Principais necessidades dos profissionais da voz
--
diferenciando voz
diferenciando voz cantada e falada
cantada e falada
Características da VOZ FALADA e
Características da VOZ FALADA e
CANTADA em termos de:
CANTADA em termos de:
1.1. RespiraçãoRespiração
2.2. FonaçãoFonação
3.
3.
Ressonância
Ressonância e projeção de voz
e projeção de voz
4.
4.
Qualidade vocal
Qualidade
vocal
5.
5.
Articulação dos sons da fala
Articulação
dos sons da fala
6.6.
PausasPausas
7.
7.
Velocidade
Velocidade e ritmo
e ritmo
8.8.
PosturaPostura
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades dos profissionais da voz --
Principais necessidades dos profissionais da voz
diferenciando voz
diferenciando voz
cantada e falada
cantada e falada
EXIGÊNCIAS e NECESSIDADES
EXIGÊNCIAS e NECESSIDADES
do paciente--usuáriousuário dede
do paciente
VOZVOZ FALADAFALADA profissional:profissional:
1. Ter conhecimentos da fisiologia (mecanismos e funções) da
1. Ter conhecimentos da fisiologia (mecanismos e funções) da
voz e cuidados com o aparelho
voz e cuidados com o aparelho
fonador.
fonador.
2.2. ConscientizaçãoConscientização profissional.profissional.
3. Evitar abuso e mau
3. Evitar abuso e mau
uso
uso
vocalvocal nono trabalhotrabalho ee principalmente
principalmente
nasnas atividadesatividades extraprofissionaisextraprofissionais
4.
4.
Atendimento
Atendimento
médico
médico
e e
fonoaudiológico
fonoaudiológico
diferenciados
diferenciados
considerando a voz como instrumento de trabalho.
considerando a voz como instrumento de trabalho.
5.
5.
Evitar
Evitar
condições
condições
adversas:
adversas:
ambiente
ambiente
refrigerado,
refrigerado,
poeira,
poeira,
ácaro, mofo, acústica inadequada,
ácaro, mofo, acústica inadequada,
competição sonora, pressões
competição sonora, pressões
psicológicas, falta de
psicológicas, falta de
hidratação adequada.
hidratação adequada.
(
(
)
)
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 22 –– Principais necessidades dos profissionais da voz --
Principais necessidades dos profissionais da voz
diferenciando voz cantada e falada
diferenciando voz cantada e falada
EXIGÊNCIAS e NECESSIDADES do paciente--usuáriousuário dede
EXIGÊNCIAS e NECESSIDADES
do paciente
VOZVOZ CANTADACANTADA profissionalprofissional
1. Ter conhecimento
1. Ter conhecimento
da fisiologia
da fisiologia
da voz e cuidados especiais
da voz e cuidados especiais
parapara oo canto.canto.
2.2. Musicalidade.Musicalidade.
3.3. PercepçãoPercepção auditiva.auditiva.
4.4. Afinação.Afinação.
5.5. ExtensãoExtensão vocal.vocal.
6.6. ConscientizaçãoConscientização profissional.profissional.
7.7. CoordenaçãoCoordenação pneumopneumo--fonofono--articulatóriaarticulatória
(
)(
)
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta do Carta do Rio e Rio e seus
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta do
Carta do
Rio e
Rio e
seus Anexos
seus Anexos
ANEXOANEXO 11 –– Das atribuições
Das atribuições
e competências
e competências
ANEXOANEXO 22 –– Das necessidades dos profissionais da voz
Das necessidades dos profissionais da voz
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e evidências científicas
e evidências científicas
ANEXOANEXO 44 –– Das enfermidades e condições clínicas
Das enfermidades
e condições clínicas
ANEXOANEXO 55 –– Dos riscos ambientais,
Dos riscos ambientais,
individuais e questionários
individuais e questionários
ANEXOANEXO 66 –– Dos levantamentos a
Dos levantamentos a
respeito das laringopatias
respeito das laringopatias
ANEXOANEXO 77 –– Do conjunto de
Do conjunto de
elementos para relatórios
elementos para relatórios
ANEXOANEXO 88 –– Da proposta de
Da proposta de
reformulação das normas técnicas
reformulação das normas técnicas
ANEXOANEXO 99 –– Da proposta legislativa federal
Da proposta legislativa federal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e evidências científicas
Dos conceitos e
evidências científicas
Considerações
Considerações
prévias sobre a
prévias sobre a
Medicina Baseada em Evidências (MBE)
Medicina Baseada em Evidências (MBE)
Nem sempre as condutas clínicas aparentemente adequadas são de
Nem sempre as condutas clínicas aparentemente adequadas são de
eficácia comprovada, e
eficácia comprovada, e
elas
elas
devem ser
devem ser
questionadas à luz das melhoreshores
questionadas à luz das mel
evidências disponíveis
evidências disponíveis
no momento, referendadas, de preferência, pelapela
no momento, referendadas, de preferência,
pesquisapesquisa clínicaclínica dede qualidade.qualidade.
Os fundamentos na MBE
Os fundamentos na MBE são basicamente a crítica ao conhecimento
são basicamente a crítica ao conhecimento ee aa
valorização do melhor
valorização do melhor
disponível a
disponível a
ser oferecido ao paciente, segundogundo
ser oferecido ao paciente, se
preceitos alicerçados em pesquisas consistentes, de preferência
preceitos alicerçados em
pesquisas consistentes, de preferência
pesquisas clínicas, sendo
pesquisas clínicas, sendo
essas evidências graduadas pelo
essas
evidências graduadas pelo
delineamentodelineamento dada pesquisa.pesquisa.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e evidências científicas
Dos conceitos e evidências científicas
Considerações prévias sobre a
Considerações prévias sobre a
Medicina
Medicina
Baseada em Evidências (MBE)
Baseada em Evidências (MBE)
TiposTipos dede Evidência:Evidência:
IaIa -- metameta--análise ou estudos controlados
análise ou estudos controlados randomizadosrandomizados;;
IbIb -- pelo menos 1 estudo
pelo menos 1 estudo
randomizado controlado;
randomizado controlado;
IIaIIa -- estudo bem controlado sem randomizaçãorandomização;;
estudo bem controlado sem
IIbIIb -- um estudo bem desenhado
um estudo bem desenhado
quase
quase
experimental;
experimental;
IIIIII -- estudo descritivos, tais
estudo descritivos, tais como estudos comparativos, estudos de
como estudos comparativos, estudos de
correlaçãocorrelação ouou casos;casos;
IVIV -- relatos de comitês, opinião ou
relatos de comitês, opinião ou
experiência clínica
experiência clínica
de respeitadas autoridades
de respeitadas autoridades
= Consenso
= Consenso
clínica experiência clínica de respeitadas autoridades de respeitadas autoridades = Consenso = Consenso
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e evidências científicas
e
evidências científicas
1.1. OO queque éé vozvoz
Sob o ponto de vista fisiológico, a voz humana pode ser definida como o som
Sob o ponto de vista fisiológico, a voz humana pode ser definida como o som
produzido pela passagem do
produzido pela passagem do
ar ar
pelas pregas vocais
pelas pregas vocais
e modificado nasnas
e modificado
cavidades de ressonância e
cavidades de ressonância e
estruturas articulatórias.
estruturas articulatórias.
2.2. SobreSobre vozvoz normalnormal
Não existe uma definição aceitável
Não existe uma definição aceitável
de voz normal, por falta de padrões
de voz
normal, por falta de p adrões ou
ou
limites definidos, e, portanto, o conceito mais correto é o de voz
limites definidos, e, portanto, o conceito mais correto é o de v oz adaptada,
adaptada,
ou
ou
seja,
seja,
em
em
que
que
a
a
pessoa
pessoa
(ou
(ou
trabalhador)
trabalhador)
demonstra
demonstra
estabilidade
estabilidade
ee
resistênciaresistência aoao usouso específico,
específico, laborativolaborativo e/oue/ou social, que habitualmente faz
social, que habitualmente faz
dada voz.voz.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências
evidências
científicas
científicas
6. Conceito de disfonia. Graus de
6. Conceito de disfonia. Graus de
intensidade e limitação vocal
intensidade e limitação vocal
ÉÉ oo principalprincipal sintomasintoma
de distúrbio da comunicação oral, no qual a voz
de distúrbio da
comunicação oral, no qual a voz
produzida não consegue,
produzida não consegue,
apresenta dificuldades ou limitações em cumprircumprir
apresenta dificuldades ou limitações em
seu papel básico de transmissão
seu papel básico de transmissão
da da
mensagem verbal e emocional doo
mensagem verbal e emocional d
indivíduo.indivíduo.
Uma
Uma
disfonia
disfonia
representa
representa
toda
toda
e
e
qualquer
qualquer
dificuldade
dificuldade
ou
ou
alteração
alteração
nana
emissão natural da voz.
emissão natural da voz.
Portanto, toda
Portanto, toda disfonia é uma limitação
disfonia é uma limitação vocal,vocal,
podendo ser classificada em
podendo ser classificada em
um dos quatro
um dos quatro
graus de intensidade:
graus de intensidade:
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e evidências
Dos conceitos e evidências
científicas
científicas
6. Conceito de disfonia. Graus de intensidade e limitação vocal
6. Conceito de disfonia. Graus de intensidade e limitação vocal
GrauGrau leveleve --
disfonia eventual ou
disfonia eventual ou
quase
quase
imperceptível, e o trabalhador
imperceptível, e o trabalhador
consegue
consegue
desempenhar
desempenhar
suas
suas
atividades
atividades
vocais habituais com mínima
vocais habituais com mínima
dificuldade, rara fadiga, e sem interrupções;
dificuldade, rara fadiga, e sem interrupções;
GrauGrau moderadomoderado --
disfonia
disfonia
percebida continuamente, a voz é audível, com
percebida continuamente, a voz é audível, com
oscilações, e o trabalhador consegue desempenhar suas atividades vocaisvocais
oscilações, e o trabalhador consegue desempenhar suas atividades
habituais, com percepção
habituais, com percepção
(por
(por
si si
próprio e/oue/ou
próprio
por ouvintes) de esforço,
por ouvintes) de esforço,
falhas, fadiga eventual a freqüente e
falhas, fadiga eventual a freqüente e necessidade de interrupçõe
necessidade de interrupções;s;
GrauGrau
intensointenso
--
disfonia
disfonia
constante,
constante,
a a
voz
voz
torna--se
torna se
pouco
pouco
audível,
audível,
e
e
o
o
trabalhador não consegue desempenhar
trabalhador não consegue desempenhar
suas atividades, ou o faz com grande
suas atividades, ou o faz c om grande
esforço, intensa fadiga e com grandes interrupções.
esforço, intensa fadiga e com grandes interrupções.
GrauGrau extremoextremo ouou afoniaafonia –– é é
a a
“quase ausência” ou “total ausência” de voz, a a
“quase ausência” ou “total ausência” de voz,
vozvoz tornatorna--se inaudível, exigindo escrita
se inaudível, exigindo escrita ou
ou
mímica para que a pessoa se façaça
mímica para que a pessoa se fa
entender e o trabalhador não consegue desempenhar suas atividades.s.
entender e o trabalhador não consegue desempenhar suas atividade
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências
evidências
científicas
científicas
7.7. TiposTipos dede disfoniasdisfonias
FuncionaisFuncionais (ou primárias):
(ou primárias):
quando
quando
o uso da voz é a causa da disfonia;
o uso da voz é a causa da disfonia;
-- Comportamentais: uso incorreto
Comportamentais: uso incorreto
da
da
voz
voz
uso abusivo da voz
uso abusivo da voz
psicogênicaspsicogênicas
-- Inadaptações:Inadaptações: funcionaisfuncionais
orgânicasorgânicas
OrgânicoOrgânico--funcionais:funcionais:
quando
quando
o
o
uso
uso
da
da
voz
voz
gera
gera
lesões
lesões
nas
nas
estruturas
estruturas
envolvidasenvolvidas nana produçãoprodução vocal;vocal;
OrgânicasOrgânicas (ou secundárias):
(ou secundárias):
quando a
quando a
voz
voz
apenas reflete uma alteração cujaa
apenas reflete uma alteração cuj
causa independe da produção vocal
causa independe da produção vocal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e evidências científicas
Dos conceitos e evidências científicas
8.8. LaringopatiaLaringopatia
Representa
Representa
o
o
quadro
quadro
de sinais
de sinais
e e
sintomas (ou síndrome) resultado dodo
sintomas (ou síndrome) resultado
conjunto de quaisquer alterações, disfunções e/oue/ou
conjunto de quaisquer alterações, disfunções
enfermidades laríngeas,
enfermidades laríngeas,
do aparelho fonador ou de quaisquer outros
do aparelho fonador ou de quaisquer outros
sistemas orgânicos que possam
sistemas orgânicos qu e possam
repercutirrepercutir nana vozvoz e/oue/ou na fala, ou sejam causadas pelo mau uso ou abuso da
na fala, ou sejam causadas pelo mau uso ou abuso da
voz.voz.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e evidências científicas
e
evidências científicas
10. Laringopatia Relacionada ao Trabalho.
10. Laringopatia Relacionada ao Trabalho.
CaracterizaCaracteriza--se
se como sendo
como sendo
o
o
conjunto de sinais, sintomas, disfunções
conjunto de sinais, sintomas, disfunções
e e
enfermidades
enfermidades
do
do
aparelho
aparelho
fonador,
fonador,
que
que
possam
possam
ter
ter
origem
origem
no
no
uso
uso
inadequado da voz, relacionadas
inadequado da voz, relacionadas
ao tipo de atividade e/oue/ou
ao tipo
de atividade
na exposição
na exposição
ambiental, ou refletir em
ambiental, ou refletir em
sua
sua
função
função
e nas condições de uso da voz
e
nas condições de uso da v oz no
no
trabalho, em termos de qualidade,
trabalho, em termos de qualidade,
estabilidade e resistência, sem prejuízo de
estabilidade e resistência, se m prejuízo de
considerarconsiderar--se que enfermidades de
se que enfermidades de
diversos
diversos
outros sistemas orgânicos podem
outros sistemas orgânicos podem
repercutirrepercutir nono aparelhoaparelho fonador.fonador.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências
evidências
científicas
científicas
Os principais sinais e sintomas das laringopatias são
Os principais sinais e sintomas das laringopatias são
(ou podem ser decorrentes de):
(ou podem ser decorrentes de):
-- Sensação ou observação de
Sensação ou observação de
esforço fonatório;
esforço fonatório;
--
Alterações pulmonares
Alterações pulmonares
e e
estridor respiratório (ruído inspiratórioio e/oue/ou
estridor respiratório (ruído inspiratór
expiratório);expiratório);
--
Dificuldade respiratória
Dificuldade respiratória
(perda
(perda
de de
fôlego em repouso ou associada
fôlego em repouso ou associa da
a a
esforçosesforços e/oue/ou àà fala);fala);
-- AlteraçõesAlterações nasossinusaisnasossinusais
(por
(por
ex. ex.
obstrução nasal);
obstrução nasal);
--
DistúrbiosDistúrbios
ressonantaisressonantais
ou
ou
articulatórios
articulatórios
(voz
(voz
nasalada,
nasalada,
abafada,
abafada,
fala
fala
enrolada);enrolada);
--
Pigarro (necessidade de limpar
Pigarro (necessidade de limpar
a garganta, sensação de muco ou algoalgo
a garganta, sensação de muco ou
preso);preso);
-- Tosse (freqüente, diurna ou noturna);
Tosse (freqüente, diurna ou noturna);
-- Azia, plenitude ou eructação
Azia, plenitude ou eructação
(intolerância ou sensibilidade a determinadoseterminados
(intolerância ou sensibilidade a d
alimentos, hábitos ou posturas);
alimentos, hábitos ou posturas);
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Cont.Cont. -- OdinofagiaOdinofagia (dor(dor
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Cont.Cont.
-- OdinofagiaOdinofagia (dor(dor e/oue/ou
ardência
ardência
faríngea
faríngea
ou
ou
cervical,
cervical,
á
á
deglutição
deglutição
ou
ou
espontânea);espontânea);
-- Disfagia (dificuldade ou incômodo para engolir);
Disfagia (dificuldade ou incômodo para engolir);
-- Disfonia (rouquidão, aspereza ou
Disfonia (rouquidão, aspereza ou soprosidade na voz);
soprosidade na voz);
-- Fadiga vocal (ou cansaço
Fadiga vocal (ou cansaço
precoce);
precoce);
-- Oscilação vocal e episódios
Oscilação vocal e episódios
de afonia (falhas ou perda de voz);
de afonia (falhas ou perda de voz);
-- Mudanças de registro (voz
Mudanças de registro (voz
tornou--se mais
tornou
se mais
grave ou aguda do que antes);
grave ou aguda do que antes);
-- Limitações de extensão (redução de alcance de graves e/oue/ou agudos);agudos);
Limitações de extensão (redução de alcance de graves
-- Alterações, desconforto ou
Alterações, desconforto ou
dor no
dor no
pescoço.
pescoço.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências
evidências
científicas
científicas
11.11.
Conceituação de normalidade,
Conceituação de normalidade,
adaptação, aptidão e alteração vocal.l.
adaptação, aptidão e alteração voca
Frisa que o termo “disfonia ocupacional” é inadequado e deve ser abolidoabolido
Frisa que o termo “disfonia ocupacional” é inadequado e deve ser
poispois sese refererefere aa umum meromero sintomasintoma, ,
um dos
um dos diversos que caracterizam as
diversos que caracterizam as
laringopatias.laringopatias.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e e
evidências científicas
evidências científicas
12.12. DeficienteDeficiente vocal.vocal.
DefineDefine--sese comocomo deficientedeficiente vocalvocal a pessoa que apresenta incapacidade de
a pessoa que apresenta incapacidade de
desenvolver a função fonatória
desenvolver a função fonatória
(inclui voz, fala e linguagem) na
(inclui voz, fala e linguagem) na
comunicação verbal, em caráter permanente e irreversível.
comunicação verbal, em caráter permanente e
irreversível.
PorPor conseguinte,conseguinte, Deficiência
Deficiência
Vocal é
Vocal é
a incapacidade de desenvolver a
a incapacidade de desenvolver a
função fonatória na comunicação verbal, que
função fonatória na comunicação
verbal, que
acomete uma pessoa emm
acomete uma pessoa e
carátercaráter permanentepermanente ee irreversível.irreversível.
13. Abuso vocal e mau uso da voz.
13. Abuso vocal e mau uso da voz.
SãoSão comportamentoscomportamentos vocaisvocais negativosnegativos
AbusoAbuso vocalvocal é quando o uso da voz ultrapassa os limites saudáveis, mesmo
é quando o uso
da voz ultrapassa os limites saudáveis, mesmo
comcom aa utilização de uma boa técnica vocal.
utilização de uma boa técnica vocal.
MauMau usouso vocalvocal é caracterizado por desvios de padrões corretos da emissão.
é caracterizado por desvios de
padrões corretos da emissão.
Ambos podem levar ao surgimento súbito
Ambos podem levar ao surgimento súbito
ou gradual de sinais e/oue/ou sintomas
ou gradual de sinais
sintomas
e e
de efeitos danosos ao aparelho fonador.
de efeitos danosos ao aparelho fonador.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e e
evidências científicas
evidências científicas
15. Recomendações para a avaliação do trabalhador com uso de voz profissional.profissional.
15. Recomendações para a avaliação do trabalhador com uso de voz
Todos
Todos
os
os
profissionais
profissionais
da
da
voz,
voz,
quando
quando
submetidos
submetidos
a
a
exames
exames
médico--
médico
ocupacionais
ocupacionais
devem,
devem,
a
a
critério
critério
médico,
médico,
ser
ser
encaminhados
encaminhados
à
à
consultata
consul
otorrinolaringológica, podendo ser solicitados outros exames e avaliaçõesvaliações
otorrinolaringológica, podendo ser solicitados outros exames e a
complementares, conforme as necessidades de cada caso.
complementares, conforme as necessidades de cada caso.
Os médicos peritos que atuem em causas
Os médicos peritos que atuem
em causas
que
que
envolvam pacientes disfônicos
envolvam pacientes di sfônicos ou
ou
com
com
laringopatias,
laringopatias,
devem
devem
se se
basear
basear
em
em
relatório
relatório
e
e
parecer
parecer
médico
médico
(otorrinolaringológico e
(otorrinolaringológico e
outros)
outros)
e avaliação de fonoaudiólogos e demaisdemais
e avaliação de fonoaudiólogos e
profissionais comprovadamente experientes em voz profissional.
profissionais comprovadamente experientes em voz profissional.
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos conceitos e e evidências científicas evidências científicas 16. 16.
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos e
e
evidências científicas
evidências científicas
16.
16.
Considerações
Considerações
sobre
sobre
Medicina
Medicina
(Laringologia)
(Laringologia)
Psicossomática
Psicossomática
e e
Placebo. Ansiedade e Transtorno Ansioso. Sintomas:
Placebo. Ansiedade e Transtorno Ansioso. Sintomas:
1.
1.
tremores ou
tremores ou
sensação de
sensação de fraqueza
fraqueza
2.
2.
tensão ou
tensão ou
dor muscular
dor muscular
3.3. inquietaçãoinquietação
4.
4.
fadiga fácil
fadiga fácil
5.
5.
falta de ar ou sensação de fôlego curto
falta de ar ou sensação de fôlego curto
6.
6.
palpitações
palpitações
7.
7.
sudorese,
sudorese,
mãos frias
mãos frias
e
e
úmidas
úmidas
8.8. bocaboca secaseca
9.
9.
vertigens e tonturas
vertigens
e tonturas
10.
10.
náuseas e diarréia
náuseas e diarréia
11.
11.
rubor ou
rubor ou calafrios
calafrios
12.
12.
polaciúria (aumento de
polaciúria (aumento de número de micções)
número de micções)
13. bolo na garganta
13. bolo na garganta
14.
14.
impaciência
impaciência
15.
15.
resposta
resposta
exagerada
exagerada
à
à
surpresa
surpresa
16.
16.
dificuldade de concentração
dificuldade de concentração / memorização
/ memorização
17.
17.
dificuldade em conciliar e
dificuldade em conciliar e
manter o sono
manter o sono
18.
18.
irritabilidade
irritabilidade
e dificuldade em conciliar e manter o sono manter o sono 18. 18. irritabilidade irritabilidade Efeito

EfeitoEfeito

16. 16. Considerações Considerações sobre sobre
16.
16.
Considerações
Considerações
sobre
sobre
e
e
16. 16. Considerações Considerações sobre sobre e Psicossomática Psicossomática e e ANEXOANEXO 33 ––
16. 16. Considerações Considerações sobre sobre e Psicossomática Psicossomática e e ANEXOANEXO 33 ––
Psicossomática Psicossomática e e
Psicossomática
Psicossomática
e
e
sobre sobre e Psicossomática Psicossomática e e ANEXOANEXO 33 –– Dos Dos conceitos conceitos e

ANEXOANEXO 33 –– Dos Dos conceitos conceitos e

evidências evidências científicas científicas

Medicina

Medicina

(Laringologia)

(Laringologia)

EfeitoEfeito

Placebo. Ansiedade e Transtorno Ansioso.

Placebo. Ansiedade e Transtorno Ansioso.

ExpressõesExpressões psicopsico--laringolaringo--somáticassomáticas::

ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos conceitos e e evidências científicas evidências científicas isso ficou
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos e
e
evidências científicas
evidências científicas
isso ficou
isso ficou preso na minha garganta
preso na minha garganta
minha voz
minha voz ficou presa, travada
ficou presa, travada
16.
16.
Considerações
Considerações
sobre
sobre
Medicina
Medicina
(Laringologia)
(Laringologia)
Psicossomática
Psicossomática
e
e
senti
senti
um bolo
um bolo
Placebo. Ansiedade e
Placebo. Ansiedade e Transtorno Ansioso.
Transtorno Ansioso.
essa não desceu
essa não desceu
aquilo ficou entalado
aquilo ficou entalado
ExpressõesExpressões psicopsico--laringolaringo--somáticassomáticas::
ainda estou engasgado com isso
ainda estou engasgado com isso
não consegui engolir essa
não consegui engolir essa
aquilo ficou atravessado na minha garganta
aquilo ficou atravessado na minha garganta
vão ter que me engolir
vão ter que me engolir
engoliengoli oo desaforodesaforo
engoli em seco
engoli em seco
estou na maior secura por isso
estou na maior secura por isso
senti
senti
o coração na garganta ou na boca
o coração na garganta ou na boca
fiquei sem
fiquei sem
voz voz
/sem ar/mudoar/mudo comcom taltal cenacena
/sem
vomiteivomitei dede ódio/raivaódio/raiva
ainda estou digerindo / ruminando esse fato
ainda estou digerindo / ruminando esse fato
fiquei com
fiquei com um
um
/ /
um aperto na garganta
um aperto na garganta
fiqueifiquei angustiadoangustiado
estou no maior aperto
estou no maior aperto
estou por aqui
estou por aqui
com
com
essa situação
essa situação
estou afogado
estou afogado
de
de
serviço
serviço
desafogueidesafoguei--me logo
me
logo
estou no maior sufoco
estou no maior sufoco
estouestou amargurado”amargurado”
logo me logo estou no maior sufoco estou no maior sufoco estouestou amargurado”amargurado” Efeito Efeito

EfeitoEfeito

ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos Dos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e e
evidências científicas
evidências científicas
17.17. EvidênciasEvidências científicascientíficas reconhecidasreconhecidas
AA automedicaçãoautomedicação
de uma forma geral
de uma forma geral
está
está absolutamente contra
absolutamente contra--indicada,indicada,
sendo importante o conhecimento de eventuais produtos, fitoterápicosfitoterápicos ouou
sendo importante o conhecimento de eventuais produtos,
remédios que estejam em uso, pois podem apresentar ação sinérgicaa e/oue/ou
remédios que estejam em uso, pois podem apresentar ação sinérgic
adversa com medicamentos prescritos pelo medico.
adversa com medicamentos prescritos pelo medico.
A) Em termos de conduta profilática para a saúde vocal, indica--se:se:
A) Em termos de conduta profilática para
a saúde vocal, indica
1.
1.
Seguir avaliações e cuidados
Seguir avaliações e cuidados clínicos gerais
clínicos gerais
regulares;
regulares;
2.
2.
Identificar
Identificar
e
e
respeitar
respeitar
predisposições,
predisposições,
sensibilidades,
sensibilidades,
alergias
alerg ias
e
e
limites
limites
individuais;individuais;
3.
3.
Alternar atividade e repouso de forma adequada; priorizar sono
Alternar atividade e repouso de forma adequada; priorizar son o regular
regular
e e
satisfatório;satisfatório;
4.
4.
Alimentação regular, evitando
Alimentação regular, evitando
jejum prolongado ou abusos alimentares, em
jejum prolongado ou abusos alim entares, em
especialespecial antesantes dede dormir;dormir;
5.
5.
Evitar excesso de tensão, stress
Evitar excesso de tensão, stress
e estado
e estado
crônico de ansiedade;e;
crônico de ansiedad
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 6.6. Evitar abuso de bebidas alcoólicas,
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
6.6. Evitar abuso de bebidas alcoólicas, tranqüilizantes e/oue/ou estimulantes;estimulantes;
Evitar abuso de bebidas alcoólicas, tranqüilizantes
7.7. Prevenir e tratar do refluxo, evitando
Prevenir e tratar do refluxo, evitando
alimentos ácidos, gordurosos
alimentos ácidos, gorduro sos que
que
causemcausem aziaazia ouou mámá digestão;digestão;
8.8. Não forçar a voz, evitando
Não forçar a voz, evitando
gritar
gritar
ou cochichar; manter o volume normal da
ou cochichar; manter o volume normal da
voz e articular bem as palavras;
voz e articular bem as palavras;
9.9. Evitar
Evitar
o
o
uso
uso
intensivo
intensivo
da
da
voz
voz
em
em
ambientes
ambientes
ruidosos,
ruidosos,
que
que
geram
geram
competiçãocompetição sonorasonora (
);(
);
10.10. Evitar durante o uso profissional
Evitar durante o uso profissional
da voz
da voz
ar seco, úmido, vento, frio, calor,
ar seco, úmido, vento, frio, calor,
mofo, poeira, odores, vapores, substâncias voláteis ou quaisquer agentes de
mofo, poeira, odores, vapores, substâncias voláteis ou quaisquer agentes de
poluição que podem exigir maior esforço muscular e/oue/ou
poluição que podem exigir maior esforço muscular
respiratório na
respiratório na
emissãoemissão
vocalvocal
e/oue/ou
afetar
afetar
a a
integridade
integridade
mucoepitelialmucoepitelial
das
das
vias
vias
aerodigestivas superiores (
aerodigestivas superiores (
);
);
11.11. Buscar sempre o conforto ao cantar, sem
Buscar sempre o conforto ao cantar, sem
esforço na garganta;
esforço na garganta;
12.12. Não
Não
fumar
fumar
nem
nem
utilizar
utilizar
drogas
drogas
como
como
maconha,
maconha,
cocaína
cocaína
e
e
demais
demais
psicotrópicospsicotrópicos ilegais;ilegais;
13.13. Evitar obesidade e manter atividade física
Evitar obesidade e manter
atividade física
aeróbica regular;
aeróbica regular;
14.14. ManterManter--sese hidratado;hidratado;
15.15. Seguir técnicas de treinamento, aquecimento e desaquecimento vocais;ais;
Seguir técnicas de treinamento, aquecimento e desaquecimento voc
16.16. Participar de Programas
Participar de Programas
de esclarecimento das funções e disfunçõeses vocaisvocais
de esclarecimento das funções e disfunçõ
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Existem, Existem, conforme conforme o o
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Existem,
Existem,
conforme
conforme
o
o
diagnóstico,
diagnóstico,
evidências
evidências
científicas
científicas
comprobatórias
comproba tórias dos
dos
benefíciosbenefícios causadoscausados por:por:
a.
a.
Repouso vocal absoluto ou
Repouso vocal absoluto ou
relativo;
relativo;
b.
b.
Antiinflamatórios;
Antiinflamatórios;
c. Antibióticos;
c. Antibióticos;
d.
d.
Antifúngicos;
An
tifúngicos;
e.e. Analgésicos;Analgésicos;
f.f. CorticosteróidesCorticosteróides; ;
g.
g.
Descongestionantes;
Descongestionantes;
h.h. MucolíticosMucolíticos; ;
i. Inalações e nebulizaçõesnebulizações;;
i.
Inalações e
j.
j.
Bloqueadores de bomba de próton;
Bloqueadores de bomba de próton;
k.
k.
Antiácidos;
Antiácidos;
l.l. PrócinéticosPrócinéticos; ;
m. Cuidados posturaisposturais e e dietéticos;
m. Cuidados
dietéticos;
n.n. ToxinaToxina botulínica;botulínica;
o.o. CirurgiasCirurgias taistais comocomo adenotonsilectomiasadenotonsilectomias,, rinosseptoplastiasrinosseptoplastias,, turbinectomiasturbinectomias,,
faringopalatoplastiasfaringopalatoplastias,, microcirurgiasmicrocirurgias
da
da
laringe, tiroplastiastiroplastias,, laringectomiaslaringectomias,,
laringe,
laringotraqueoplastiaslaringotraqueoplastias;;
p.
p.
Radioterapia e quimioterapia antianti--neoplásicaneoplásica;;
Radioterapia e quimioterapia
q. Orientação vocal preventiva,
q. Orientação vocal preventiva,
instrução
instrução
sobre técnica vocal, fonoterapiaonoterapia ee
sobre técnica vocal, f
emprego de recursos de amplificação
emprego de recursos de amplificação
sonora.
sonora.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Existem evidências científicas Existem
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Existem evidências científicas
Existem evidências científicas
comprobatórias dos malefíciosmalefícios causadoscausados porpor::
comprobatórias dos
a.a. AbusoAbuso vocal;vocal;
b.b. FumoFumo (tabagismo);(tabagismo);
c.c. AbusoAbuso dede álcoolálcool ((etilismoetilismo--alcoolismoalcoolismo););
d.d. RefluxoRefluxo laringolaringo--faríngeofaríngeo;;
e.
e.
Efeitos
Efeitos
colaterais
colaterais
de
de
vários
vários
medicamentos
medicamentos
(por
(por
ex.,
ex.,
uso
uso
prolongado
prolo ngado
de de
corticosteróidescorticosteróides inalatóriosinalatórios) e e
)
substâncias de uso popular.
substâncias de uso popular.
f.
f.
Exposição a produtos químicos
Exposição a produtos químicos
e irritantes
e irritantes
das vias aéreas.
das vias aéreas.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Quanto às evidências científicas Quanto
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Quanto às evidências científicas
Quanto às evidências científicas
comprobatóriascomprobatórias
dos benefícios ou malefícios
dos benefícios ou malefícios
causadoscausados por:por:
a.a.
balasbalas mentoladasmentoladas –– Não há estudos científicos a respeito.
Não há estudos científicos a respeito.
b.b.
cristaiscristais dede gengibregengibre –– Não há trabalhos relacionando sua ação nos problemas
Não há trabalhos relacionando sua ação nos problemas
dada laringelaringe ouou dada voz.voz.
c.c.
mastigarmastigar cravocravo –– Não há estudos científicos a respeito.
Não há estudos científicos a respeito.
d.d.
gargarejosgargarejos comcom vinagrevinagre e e
similares
similares
–– Não
Não há trabalhos relacionando sua ação
há trabalhos relacionando sua ação
nos problemas da laringe
nos problemas da laringe
ou da voz.
ou da voz.
e.e.
própolisprópolis ee melmel –– Não há
Não há
trabalhos
trabalhos
relacionando sua ação nos problemas
relacionando sua ação nos problemas
da da
laringe ou da voz. Não há
laringe ou da voz. Não há
evidência científica mostrando a sua efetividadefetividade
evidência científica mostrando a sua e
clínicaclínica nasnas viasvias aeroaero--digestivasdigestivas superiores.superiores.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Quanto às evidências científicas Quanto
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Quanto às evidências científicas
Quanto às evidências científicas
comprobatóriascomprobatórias
dos benefícios ou malefícios
dos benefícios ou malefícios
causadoscausados por:por:
f.f.
romãromã –– Não há trabalhos relacionando
Não há trabalhos
relacionando sua
sua
ação nos problemas da laringe ouou
ação nos problemas da laringe
da voz. Pode ter ação antimicrobiana e antifúngica.
da voz. Pode ter ação antimicrobiana e antifúngica.
g.g.
leiteleite ee derivadosderivados –– Não há trabalhos relacionando sua ação na laringe ou
Não há trabalhos relacionando sua ação na laringe ou
na na
voz.voz.
h.h.
maçãmaçã –– Não há trabalhos relacionando
Não há trabalhos relacionando
sua
sua
ação nos problemas da laringe ouou
ação nos problemas da laringe
da voz. Tem ação adstringente e daria
da voz. Tem ação adstringente e daria
fluidez ao muco faringofaringo--laríngeolaríngeo
fluidez ao muco
i.i.
cafeínacafeína
––
AcreditaAcredita--se
se
que
que
a a
cafeína
cafeína
possa
possa
ter
ter
uma
uma
ação
ação
diurética,
diurética,
comprometendo a qualidade da voz por
comprometendo a qualidade da voz por
interferir na lubrificação dasdas pregaspregas
interferir na lubrificação
vocais.vocais.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 18. 18. Estimativa Estimativa de de
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
18.
18.
Estimativa
Estimativa
de
de
período
período
médio
médio
de de
evolução,
evolução,
tratamento,
tratamento,
redução
reduçã o
ou
ou
afastamento de uso profissional da
afastamento de uso profissional da voz
voz
Alerta:Alerta: TrataTrata--se de mera
se de mera
referência de graduação
referência de graduação
a.a.
Laringites virais agudas leves
Laringites virais agudas leves
–– 1 a a
1
5 dias;
5 dias;
b.b.
Laringites virais agudas moderadas –– 5 a
Laringites virais agudas moderadas
5 a
10 dias;
10 dias;
c.c.
Laringites bacterianas agudas
Laringites bacterianas agudas
leves –– 5 a 10 dias;
leves
5 a
10 dias;
d.d.
Laringites bacterianas agudas
Laringites bacterianas agudas
moderadas –– 1010 aa 2020 dias;dias;
moderadas
e.e.
Hematoma de prega vocal –– 10 a 20 dias;
Hematoma de prega vocal
10 a 20 dias;
f.f.
Nódulos, pólipos e cistos
Nódulos, pólipos e cistos
vocais pequenos
vocais pequenos
–– 3030 aa 4545 dias;dias;
g.g.
Nódulos, pólipos e cistos
Nódulos, pólipos e cistos
vocais moderados –– 4545 aa 9090 dias;dias;
vocais moderados
h.h.
Paralisias e lesões maiores ou
Paralisias e lesões maiores ou
processos mais intensos –– indefinidoindefinido
processos mais intensos
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 19. Definição de uso intenso da voz 19.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
19. Definição de uso intenso da voz
19. Definição de uso intenso da voz
TrataTrata--se do uso da voz de forma mais
se do uso da voz de forma mais
contínua
contínua
e intensa, comum na atividade
e
intensa, comum na ativ idade
de de
professores,
professores,
vendedores
vendedores
ambulantes,
ambulantes,
operadores
operadores
de
de
tele--atendimento,atendimento,
tele
telefonistas, cantores e locutores, entre
telefonistas, cantores e locutores, entre outros, em período superior a 6 (seis)
outros, em período superior a 6 (seis)
horashoras aoao diadia, , ou, mesmo em tempo inferior, em ambientes ou situações mais
ou, mesmo em tempo inferior, em ambientes ou situações mais
exigentes, seja por exposição a ruído, como em salas de aula sem isolamentoisolamento
exigentes, seja por exposição a ruído, como em salas de aula sem
acústico
acústico
e
e
em
em
vias
vias
públicas
públicas
que
que
gerem
gerem
competição
competição
sonora
sonora
e/oue/ou
sobsob
exposição a fatores ambientais
exposição a fatores ambientais
como ar
como ar seco, úmido, vento, frio,
seco, úmido, vento, frio, calor,calor,
poeira, mofo, odores, vapores, substâncias voláteis ou quaisquer agentes
poeira, mofo, odores, vapores, substâncias voláteis ou quaisquer agentes
de de
poluição que possam exigir
poluição que possam exigir
maior esforço muscular e/oue/ou
maior esforço muscular
respiratório
respiratório
na na
emissãoemissão
vocalvocal
e/oue/ou
afetar
afetar
a a
integridade
integridade
mucoepitelialmucoepitelial
dasdas
viasvias
aeroaero--
digestivasdigestivas superiores.superiores.
20.20.
MulticausalidadeMulticausalidade ee concausalidadeconcausalidade
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 21. Classificação de risco clínico de
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
21. Classificação de risco clínico de desenvolvimento de laringopatiaopatia
21. Classificação de risco clínico de desenvolvimento de laring
Alerta:Alerta: OO “objetivo“objetivo--padrão” em termos de controle de ocorrência de acidentes de trab
padrão” em termos de controle de ocorrência de acidentes de trabalhoalho ee seqüelas por
seqüelas por
exposição a fatores químicos e
exposição a fatores químicos e
riscos ambientais é atingir--se
riscos ambientais é atingir se RISCO ZERO. Entretanto, em se
RISCO ZERO. Entretanto, em se
tratando de laringopatias relacionadas ao
tratando de laringopatias relacionadas ao
trabalho,
trabalho,
inexiste a possibilidade
inexiste a p ossibilidade de risco zero e é
de risco zero e
é
considerada inviável a implantação
considerada inviável a implantação
de
de
um controle médico--ocupacional preventivo “perfeito”, que
um controle médico ocupacional preventivo “perfeito”, que
detecte todas as alterações e torne desnecessários
detecte todas as alterações e torne desnecessários
eventuais tratamentos, licenças ou afastamentos.
eventuais tra tamentos, licenças ou afastamentos.
1.1. RiscoRisco inerenteinerente (risco “menor” de desenvolver laringopatia) -- ex: profissionais
(risco “menor” de desenvolver laringopatia)
ex: profissionais
liberais;liberais;
2.2. BaixoBaixo riscorisco
(maior probabilidade)
(maior probabilidade)
--
ex: ex:
professores em meio expediente, em
professores em meio expediente, em
adequadasadequadas condiçõescondições ambientais;ambientais;
3.3. RiscoRisco moderadomoderado --
ex: professores
ex: professores em tempo integral
em tempo integral e/oue/ou inadequadasinadequadas
condiçõescondições ambientais;ambientais;
4.4.
AltoAlto riscorisco -- ex: profissionais que exercem atividades que envolvem constante
ex: profissionais que exercem
atividades que envolvem constante
abuso, gritos ou uso da voz em
abuso, gritos ou uso da voz em
ambiente excessivamente ruidoso e/oue/ou
ambiente excessivamente ruidoso
poluído.poluído.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 22. Tipos básicos de profissionais da voz
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
22. Tipos básicos de profissionais da voz comumente submetidos a usouso intensivointensivo
22. Tipos básicos de profissionais da voz comumente submetidos a
dada vozvoz ((risco clínico moderado e alto
risco clínico moderado e alto):):
a.a.
UsoUso intenso,intenso, constante e
constante e
prolongado,
prolongado,
sem grande exigência de qualidade --
sem grande exigência de qualidade
professores,
professores,
advogados,
advogados,
políticos,
políticos,
operadores
operadores
de
de
tele--atendimento,atendimento,
tele
atendentes, telefonistas, comerciários, alguns profissionais liberais;erais;
atendentes, telefonistas, comerciários,
alguns profissionais lib
b.b.
UsoUso intenso,intenso,
não constante
não constante
nem
nem prolongado, com grande exigência
prolongado, com grande exigência
de de
qualidadequalidade --
cantores,
cantores,
professores
professores
de
de
canto,
canto,
regentes
regentes
de
de
corais,
corais,
atores,
atores,
locutores, alguns profissionais liberais;
locutores, alguns profissionais liberais;
c.c.
Uso em múltiplas funções combinadas ou
Uso em múltiplas funções combinadas ou
eventuais, amadores sem preparo
eventuais, amadores sem preparo
-- cantores que são professores, profissionais liberais que são cantores, uso
cantores que são professores, profissionais liberais que são ca ntores, uso
de de
voz falada e cantada, uso
voz falada e cantada, uso
social intenso de
social intenso de
voz (falada), etc.
voz (falada), etc.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 25. Conceituação de gravidade das
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
25. Conceituação de gravidade das intercorrências clínicas:
25. Conceituação de gravidade das intercorrências clínicas:
LevesLeves –– que tenham exigido tratamento e/oue/ou
que tenham exigido tratamento
afastamentoafastamento dede atéaté 1010 (dez)(dez) dias;dias;
ModeradasModeradas –– que tenham gerado
que tenham gerado
tratamento
tratamento
e/oue/ou afastamento de 10
afastamento de 10 (dez) a
(dez) a
30
30
(trinta)(trinta) dias;dias;
IntensasIntensas –– que tenham gerado
que tenham gerado tratamento
tratamento e/oue/ou afastamento superior a 30 (trinta)
afastamento superior a 30 (trinta)
diasdias ouou cirurgia;cirurgia;
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 26. Critérios gerais de acompanhamento e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
26. Critérios gerais de acompanhamento e alta:
26. Critérios gerais de acompanhamento e alta:
OsOs trabalhadorestrabalhadores
que utilizam a voz profissionalmente, após intercorrênciasintercorrências
que utilizam a voz profissionalmente, após
consideradasconsideradas levesleves, , devem
devem
ser ser
avaliados
avaliados
e
e
acompanhados
acompanhados
por
por
médico
médico
otorrinolaringologista de forma
otorrinolaringologista de forma
regular,
regular,
por
por
período mínimo de 3 (três)
período mínimo de 3 (três)
meses.meses.
Os trabalhadores de risco clínico baixo
Os trabalhadores de risco clínico baixo
ou
ou
moderado,
moderado,
após intercorrências
após intercorrências
consideradas moderadas
consideradas moderadas
ou intensas,
ou intensas ,
devem ser avaliados e acompanhados
devem ser avaliados e acompanhados
por médico otorrinolaringologista
por médico otorrinolaringologista
de forma regular, por período mínimo
de forma regular, por período mínimo
de de
66
(seis)(seis) mesesmeses
OsOs
trabalhadorestrabalhadores
dede
risco
risco
clínico
clínico
alto,
alto, após intercorrências consideradas
após
intercorrências
consideradas
moderadasmoderadas ouou intensas,intensas,
devem ser avaliados e acompanhados por médico
devem ser avaliados e acompanhados por médico
otorrinolaringologista
otorrinolaringologista
de
de
forma
forma
regular,
regular,
ao
ao
menos
menos
trimestral
trimestral
ou
ou
semestralmente,semestralmente, por período mínimo de 12 (doze) meses
por período mínimo de 12 (doze) meses
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta Carta do Rio e seus Anexos do Rio e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta
Carta
do Rio e seus Anexos
do Rio e seus Anexos
ANEXOANEXO 11 –– Das atribuições
Das atribuições
e competências
e competências
ANEXOANEXO 22 –– Das necessidades dos profissionais da voz
Das necessidades dos profissionais da voz
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos e
Dos conceitos e
evidências científicas
evidências científicas
ANEXOANEXO 44 –– Das enfermidades
Das enfermidades e
e condições clínicas
condições clínicas
ANEXOANEXO 55 –– Dos riscos ambientais,
Dos riscos ambientais,
individuais e questionários
individuais e questionários
ANEXOANEXO 66 –– Dos levantamentos a
Dos levantamentos a
respeito das laringopatias
respeito das laringopatias
ANEXOANEXO 77 –– Do conjunto de
Do conjunto de
elementos para relatórios
elementos para relatórios
ANEXOANEXO 88 –– Da proposta de
Da proposta de
reformulação das normas técnicas
reformulação das normas técnicas
ANEXOANEXO 99 –– Da proposta legislativa federal
Da proposta legislativa federal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional AA -- ENFERMIDADES ENFERMIDADES ORGÂNICAS
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
AA -- ENFERMIDADES
ENFERMIDADES
ORGÂNICAS
ORGÂNICAS
II –– ENFERMIDADESENFERMIDADES LARÍNGEAS:LARÍNGEAS:
II--11 -- Inflamatórias:Inflamatórias:
11
-- Nódulo vocal (ou lesões nodulares, ditas ”reacionais”);
Nódulo vocal (ou lesões nodulares,
ditas ”reacionais”);
22
-- Pólipo;Pólipo;
33 -- Cisto de retenção;
Cisto de retenção;
4 -- PseudocistoPseudocisto;;
4
55
-- EdemaEdema dede ReinkeReinke
66 -- GranulomaGranuloma de contato (ou posterior);
de contato (ou posterior);
77
-- CorditeCordite inespecíficainespecífica; ;
8 -- Leucoplasias;Leucoplasias;
8
99
-- Espessamento ou formação nodular;
Espessamento ou formação nodular;
1010
-- Escara (cicatriz ou fibrose);
Escara (cicatriz ou fibrose);
11
11
--
HemorragiaHemorragia subepitelialsubepitelial;;
1212
-- LaringiteLaringite posteriorposterior ((hiperemiahiperemia, , edema ou redundância de mucosa de área posterior ––
edema ou redundância de mucosa de área posterior
aritenoideaaritenoidea,, interinter--aritenoideaaritenoidea e/oue/ou cricoideacricoidea););
1212
-- Laringite crônica difusa ou localizada;
Laringite crônica difusa ou localizada;
1313
-- Laringite aguda infecciosa;
Laringite aguda infecciosa;
14 -- EversãoEversão de
14
de ventrículo (abaulamento, cisto);
ventrículo (abaulamento, cisto);
1515
-- Outras.Outras.
II--22 –– Manifestações ORL
Manifestações ORL de refluxo
de refluxo
gastroesofágicogastroesofágico
II--33 -- Alterações estruturais
Alterações estruturais
mínimas (AEM)
mínimas (AEM)
II--44 -- DoençasDoenças tumoraistumorais,, granulomatosasgranulomatosas ee nãonão--granulomatosasgranulomatosas
II --55 -- ParesiasParesias e paralisias laríngeas
e paralisias laríngeas
periféricas
periféricas
II--66 -- Outras enfermidades laríngeas
Outras enfermidades laríngeas
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional IIII -- OUTRAS DOENÇAS
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
IIII -- OUTRAS DOENÇAS OTORRINOLARINGOLÓGICAS:
OUTRAS DOENÇAS OTORRINOLARINGOLÓGICAS:
11
-- Infecções das vias aerodigestivas superiores;
Infecções das vias aerodigestivas superiores;
22
-- Tumores das vias aerodigestivas superiores;
Tumores das vias aerodigestivas superiores;
33
-- Alterações estruturais das fossas nasais
Alterações estruturais
das fossas nasais
ou do cavum (desvios dee septo,septo,
ou do cavum (desvios d
imperfuraçãoimperfuração coanalcoanal, , hipertrofia de
hipertrofia de
adenóides);
adenóides);
44
-- Anormalidades do esfíncter velo--faríngeofaríngeo (fissura(fissura submucosa,submucosa, fissurafissura
Anormalidades do esfíncter velo
palatina);palatina);
55
-- Hipertrofia de tonsilas
Hipertrofia de tonsilas
palatinas (amígdalas);
palatinas (amígdalas);
66
-- RinossinusitesRinossinusites agudas;agudas;
77
-- RinossinusitesRinossinusites crônicas;crônicas;
88
-- Perdas auditivas: a)
Perdas auditivas: a)
temporárias; b) permanentes.
temporárias; b) permanentes.
99
-- outrasoutras
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional IIIIII -- DOENÇAS DE OUTROS DOENÇAS DE
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
IIIIII -- DOENÇAS DE OUTROS
DOENÇAS DE OUTROS
SISTEMAS:
SISTEMAS:
11
-- Sistema endócrino (pp
Sistema endócrino (pp
alterações de hormônios tireoideanostireoideanos ee sexuais);sexuais);
alterações de hormônios
22
-- Do colágeno (reumáticas,
Do colágeno (reumáticas, como artrite
como artrite reumatóidereumatóide,, lupuslupus eritematosoeritematoso
sistêmico,sistêmico, síndromesíndrome dede SjöegrenSjöegren,, etc);etc);
33
-- Do sistema imunológico (auto--imunes e por deficiências);
Do sistema imunológico (auto
imunes e por deficiências);
44
-- AtópicasAtópicas (alergias);(alergias);
55
-- Do sistema cardiovascular (como hipertensão arterial, cor pulmonalepulmonale,,
Do sistema cardiovascular (como hipertensão arterial, cor
malformações vasculares e
malformações vasculares e
alterações cardíacas que comprometam a funçãofunção
alterações cardíacas que comprometam a
respiratóriarespiratória e/oue/ou diretamente
diretamente
os nervos laríngeos);
os nervos laríngeos);
66
-- Do aparelho respiratório
Do aparelho respiratório
(como enfisema pulmonar, bronquite crônica,nica,
(como enfisema pulmonar, bronquite crô
bronquiectasiasbronquiectasias, , paralisia do nervo frênico);
paralisia do nervo
frênico);
77
-- DigestóriasDigestórias (como refluxo laringolaringo--faríngeofaríngeo););
(como refluxo
88
–– Neurológicas:Neurológicas:
a)
a)
Distonias focais laríngeas
Distonias focais laríngeas
(disfonia
(disfonia
espasmódica ou espástica);ica);
espasmódica ou espást
b)b) ParalisiasParalisias suprasupra e/oue/ou pseudobulbarespseudobulbares;;
c)c) DisfoniaDisfonia atáxicaatáxica; ;
d) Tremor essencial (e outros tremores);
d) Tremor
essencial (e outros tremores);
e)e) MiasteniaMiastenia grave;
grave;
f)
f)
Esclerose múltipla;
Esclerose
múltipla;
g)
g)
Doença de Parkinson; h) Outras.
Doença de Parkinson;
h)
Outras.
99 -- Doenças psiquiátricas
Doenças psiquiátricas
e distúrbios psíquicos de uma forma geral;;
e distúrbios psíquicos de uma forma geral
1010
-- Simulação;Simulação;
1111
-- Dependências de:
Dependências de:
a) Álcool;
a) Álcool;
b) Drogas;
b) Drogas;
c) Tabaco;
c) Tabaco;
d) Outras.utras.
d) O
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional BB -- DISTÚRBIOS OU CONDIÇÕES FUNCIONAIS
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
BB -- DISTÚRBIOS OU CONDIÇÕES FUNCIONAIS
DISTÚRBIOS OU CONDIÇÕES FUNCIONAIS
1.1. FadigaFadiga geralgeral ouou sistêmica;sistêmica;
2.2. SíndromeSíndrome dada tensãotensão--músculomúsculo--esquelética;esquelética;
3.3. PuberfoniaPuberfonia (inclui
(inclui
os distúrbios da muda vocal);
os distúrbios da muda vocal);
4.4. PresbifoniaPresbifonia (inclui
(inclui distúrbios
distúrbios idiopáticosidiopáticos relacionadosrelacionados aoao
envelhecimento, arqueamentos
envelhecimento, arqueamentos de bordas livres de pregas v
de bordas livres de pregas vocaisocais
ee síndromessíndromes atróficasatróficas,, inespecíficasinespecíficas
ouou localizadas);localizadas);
5.
5.
Inadaptações vocais;
Inadaptações vocais;
6.6.
DisfoniasDisfonias psicogênicaspsicogênicas
7.
7.
Movimento paradoxal
Movimento paradoxal
de pregas vocais
de pregas vocais
8.8.
MauMau usouso e/oue/ou abuso vocal,
abuso vocal,
por:
por:
a)
a)
Tensão aumentada;
Tensão aumentada;
b) Ataque brusco;
b) Ataque brusco;
c)
c)
Posição de laringe elevada;
Posição de laringe elevada;
d) Constrição ânteroântero--posteriorposterior;;
d) Constrição
e)
e)
Constrição medial;
Constrição medial;
f) Tom de fala inapropriado;;
f) Tom de fala inapropriado
g)
g)
Fonação vestibular;
Fonação vestibular;
h) Uso excessivo da voz;
h) Uso excessivo da voz;
i)
i)
Intensidade abusiva (falar alto ou gritar em excesso)o)
Intensidade abusiva (falar alto ou gritar em excess
j)
j)
Emissão persistente em tom basal (“vocal fryfry”);”);
Emissão persistente em
tom basal (“vocal
k)
k)
Falta de variabilidade de freqüência (monotonalmonotonal););
Falta de variabilidade de freqüência (
9.9.
OutrasOutras
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional Carta Carta do Rio e seus Anexos do Rio e
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
Carta
Carta
do Rio e seus Anexos
do Rio e seus Anexos
ANEXOANEXO 11 –– Das atribuições e competências
Das atribuições e competências
ANEXOANEXO 22 –– Das necessidades
Das necessidades
dos
dos
profissionais da voz
profissionais da voz
ANEXOANEXO 33 –– Dos conceitos
Dos conceitos
e evidências científicas
e evidências científicas
ANEXOANEXO 44 –– Das enfermidades e condições clínicas
Das enfermidades
e condições clínicas
ANEXOANEXO 55 –– Dos riscos ambientais, individuais e questionários
Dos riscos ambientais, individuais e questionários
ANEXOANEXO 66 –– Dos levantamentos a respeito das laringopatias
Dos levantamentos a respeito das laringopatias
ANEXOANEXO 77 –– Do conjunto
Do conjunto de elementos para relatórios
de elementos para relatórios
ANEXOANEXO 88 –– Da proposta de reformulação das normas técnicas
Da proposta de reformulação das normas técnicas
ANEXOANEXO 99 –– Da proposta legislativa federal
Da proposta legislativa federal
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 1. Riscos ambientais e condições 1.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
1. Riscos ambientais e condições
1. Riscos ambientais e condições
em postos de trabalho, que podemm
em postos de trabalho, que pode
interferir na produção
interferir na produção vocal.
vocal. Agentes:Agentes:
QuímicosQuímicos –– inalação de poeiras, fumos, névoas, gases, substâncias voláteis,,
inalação de poeiras, fumos, névoas, gases, substâncias voláteis
compostas ou produtos químicos
compostas ou produtos químicos
em em
geral;
geral;
BiológicosBiológicos –– exposição a
exposição a
vírus, bactérias, fungos e bacilos;
vírus, bactérias, fungos e bacilos;
ErgonômicosErgonômicos –– tempo de uso vocal diário, período de uso (noturno e
tempo de uso vocal diário, período de uso (noturno e
diurno) e múltiplos períodos, uso
diurno) e múltiplos períodos, uso
contínuo, uso repetitivo, intensidade de
contínuo, uso repetitivo, inte nsidade de
uso, esforço físico no desempenho funcional, levantamento e transportesporte
uso, esforço físico no desempenho funcional, levantamento e tran
manual de peso, exigência
manual de peso, exigência
posturalpostural, , controle de produtividade, imposição
controle de produtividade, imposição
de ritmos de trabalho, exposição
de ritmos de trabalho, exposição
a situações causadoras de estresse;sse;
a situações causadoras de estre
FísicosFísicos –– condições de acústica, temperatura, umidade, movimento do ar
condições de acústica, temperatura, umidade, movimento do ar
(ventilação) e pressão no posto de trabalho.
(ventilação) e pressão no posto de trabalho.
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional 2. Condições e hábitos pessoais de risco
ConsensoConsenso NacionalNacional sobresobre VozVoz ProfissionalProfissional
2. Condições e hábitos pessoais de risco para a atividade vocal
2. Condições e hábitos pessoais de risco para a atividade vocal
a.a. SerSer portadorportador dede enfermidadesenfermidades
que repercutam de forma moderada
que repercutam de forma moderada
ou ou
intensaintensa nono aparelhoaparelho fonador;fonador;
b.b. NãoNão seguirseguir avaliaçõesavaliações e cuidados clínicos gerais regulares;
e cuidados clínicos gerais regulares;
c.c. NãoNão serser capazcapaz dede identificaridentificar
e respeitar predisposições, sensibilidades,
e respeitar predisposições, sensibilidades,
alergias e limites individuais;
alergias e limites individuais;
d. Não alternar atividade
d. Não alternar atividade
e repouso
e
repouso
de
de
forma adequada; não obter sonosono
forma adequada; não obter
regular e satisfatório, sofrer
regular e satisfatório, sofrer
de fadiga ou estafa;
de fadiga ou estafa;
e.e.
Não
Não
seguir alimentação regular,
seguir alimentação regular ,
sofrer jejum
sofrer jejum
prolongado ou abusos
prolongado ou abusos
alimentares, em especial antes
alimentares, em especial antes
de dormir;
de dormir;
f.f. SofrerSofrer excessoexcesso dede tensãotensão, , estresse
estresse
e estado crônico de ansiedade;
e estado crônico de ansiedade;
g.g. AbusarAbusar dede bebidasbebidas alcoólicasalcoólicas, , tranqüilizantes e/oue/ou estimulantes;estimulantes;
tranqüilizantes
h.h.
NãoNão
prevenirprevenir
e/oue/ou
tratar
tratar
do
do
refluxo,
refluxo ,
evitando
evitando
alimentos
alimentos
ácidos,
ácidos,
gordurosos que causem azia ou má digestão;
gordurosos que causem azia ou má digestão;
i.i. ForçarForçar aa vozvoz, , gritar ou
gritar ou
cochichar; não
cochichar; não
manter o volume normal da voz e