You are on page 1of 3

Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 3

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 3a

O tempo é sagrado.
(Texto: Gn 2:1~3)

1. Introdução.

No que será que as pessoas se apegam mais? Com certeza, serão em coisas palpáveis,
físicas, objetos, lugares, em fim, ao espaço e ao que ocupa o espaço. Mas será que
damos importância ao tempo?

O tempo é algo que está totalmente fora do nosso controle. Quanto ao espaço, podemos
mudá-lo, adaptá-lo, preenchê-lo, esvaziá-lo. Porém o tempo está absolutamente fora do
domínio de nossas faculdades físicas, mentais e até espirituais. Somente Deus, que é o
criador de todas as coisas e anterior ao próprio tempo, é que tem o seu controle.

É muito interessante notar que Deus faz o espaço e o preencheu com todas as suas
criações, descritas em Gn 1. O homem também foi criado fisicamente e feito para
habitar em um espaço determinado. Porém, no começo do capítulo 2 de Gênesis vemos
que Deus "abençoa" e "santifica" um dia.

O sábado, ou tB;v', é um dos conceitos mais importantes da bíblia, que nós, como
cristãos, nos esquecemos de atentar, uma vez que isso pode parecer querer ser
"sabatista". Pelo contrário, saber o significado do sábado e seu propósito divino nos
ajudarão a pensar na limitação do homem e no controle absoluto de Deus sobre todas as
coisas.

A grande lição que esses três versículos nos mostram é que o tempo é sagrado. Não é
que temos hoje de cumprir o dia se sábado: Jesus já cumpriu toda a Lei. Temos sim que
prestar atenção no significado desse dia dentro do texto aplicando-o em nossas vidas.
Para Abraham Heschel, "o significado do schabat é, antes, o de celebrar o tempo, e não
espaço"b.

Será que descansamos em Deus? Será que paramos por um instante de fazermos as
nossas coisas para contemplar a beleza de Deus? Essa é a questão desse texto.

2. O texto (Gn 2:1~3)


1
Assim foram concluídos os céus e a terra, e tudo o que neles há.
2
No sétimo dia Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia
descansouc. 3 Abençoou Deus o sétimo dia e o santificoud, porque nele descansou de
toda a obra que realizara na criação.

a
Pregado no MEP dia 19 de dezembro de 2009.
b
HESCHEL, Abraham Joshua. O Schabat, seu significado para o homem moderno. Elos, São Paulo, 2000, pág. 22
c
2.2 Hebraico tB;v' que pode significar "descansar", não no sentido de exaustão, e também de "cessar". Assim
podemos ver também como Deus cessando de criar.
d
2.3 Hebraico vDEqi na forma piel indica "Fazer algo santo", "distinguir algo". Literalmente, Deus fez o sábado um dia
diferente. Porém, dentro do contexto da lei, há a sacralização desse dia como sendo um dia dedicado ao Senhor. Esse
dia pertence a Deus, cf. NET Bible.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 3

3. Exposição do texto.

1. Deus descansou no sétimo dia.

Tudo foi concluído: "Assim foram concluídos os céus e a terra, e tudo o que neles há"
(Gn 2:1). Todo o universo estava exatamente do jeito que Deus queria. Ao concluir toda
a obra da sua criação em seis dias, no sétimo Deus descansou: "No sétimo dia Deus já
havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou" (Gn 2:2).

Mas essa declaração pode parecer-nos um tanto quanto estranha: como Deus pode
descansar, se partirmos do pressuposto que Ele é Todo-Poderoso? Como um Deus pode
descansar?

A raiz tbv do qual vem o verbo "descansar" podem assumir dois significados. O
primeiro é o de descanso. Mas não se trata de um descanso devido ao cansaço ou à
exaustão. Mas é um descanso de contemplação, ou seja, Deus, após o fim de toda a obra
de criação a contempla. Outro sentido que essa raiz tbv pode trazer é o de "cessar",
uma vez que poderia estar relacionado com o substantivo tB'v;.

A meu ver, a conexão desses dois sentidos pode ser positiva: Deus cessa a sua obra de
criação e a contempla. O ato de contemplar foi esquecido em nossos dias. Queremos
sentir e não ver. Estamos vivendo na era da supremacia do tato em relação à visão.
Porém, no nosso relacionamento com Deus, o tato tem pouca relevância comparada ao
"ver", na bíblia. A palavra dá muita ênfase, e.g., em ver a hw"hy> dAbK. do que a sentir.

Descanso de contemplação: Deus olha para a sua criação e a contempla. Ele a


contempla porque a criação reflete a Sua glória (Sl 19). Assim, devemos nós também
contemplar, em descanso, a maravilha de Deus, também expressa na sua criação.

2. Deus abençoou e santificou o sétimo dia.

"Abençoou Deus o sétimo dia e o santificoue" (Gn 2:3ª). É a terceira vez que Deus
abençoa em Gênesis: em Gn 1:22 Deus abençoa os animais, em Gn 1:28, Deus abençoa
o homem, e finalmente em Gn 2:3 Deus abençoa o tempo. Que mudança repentina! O
mais fascinante é que Deus não somente abençoa como também santifica o tempo. É a
primeira vez que Deus santifica algo na Bíblia.

De acordo com Heschel, "De fato, é uma ocasião única aquela em que a notável
palavra cadosh é usada pela primeira vez: no Livro do Gênese, ao final da história da
criação. Quão extremamente significativo é o fato de ela ser aplicado ao tempo. (...)
Não há referência no relato da criação a nenhum objeto no espaço que teria sido
dotado com a qualidade de santidade"f

"Santificar" vem da paralvra vd<qo que significa "separar". Quer dizer que Deus torna um
dia mais especial que os outros. Por quê? "porque nele descansou de toda a obra que
realizara na criação" (Gn 2:3b). O sábado é santo por causa de Deus em primeiro lugar.

e
2.3 Hebraico vDEqi na forma piel indica "Fazer algo santo", "distinguir algo". Literalmente, Deus fez o sábado um dia
diferente. Porém, dentro do contexto da lei, há a sacralização desse dia como sendo um dia dedicado ao Senhor. Esse
dia pertence a Deus, cf. NET Bible.
f
HESCHEL, Abraham Joshua. O Schabat, seu significado para o homem moderno. Elos, São Paulo, 2000, pág. 20

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 3

O dia não é santo per se, como entende o judaísmo. O sábado é santo por causa de
Deus!

Em segundo lugar, a santificação de um dia, de um tempo, em detrimento de todas as


coisas criações, indica que a nossa vida não pode ser circunscrita à apenas coisas
tangíveis e alcançáveis por nós. Há uma dimensão muito maior que não podemos
alcançar que denuncia a nossa eterna limitação diante de um Deus soberano. O tempo
revela, em parte, a grandeza de Deus!

3. Deus mostra a sua soberania em nossas vidas pela santificação do tempo.

Qual é a relevância do sábado em nossas vidas? Podemos pensar que nenhuma, uma vez
que, somos cristãos e não "guardamos" o sábado, celebramos no domingo. O sábado
não teria mais importância porque seria algo ultrapassado da Lei. Porém, não podemos
nos esquecer da sua maior lição para toda a humanidade: a soberania de Deus!

Por que o sábado continua sendo importante, pelo menos no seu sentido e aplicação
para as nossas vidas? Porque sem a noção de sábado, o homem passa a se sentir
independente de Deus. O homem passa a ser insaciável e sem limite. Imagine
trabalharmos sete dias por semana, de segunda a segunda, sem nenhum dia para não
fazermos nada, sem nenhum dia que podemos dedicá-lo a Deus em adoração. Com
certeza pensaremos que todo o nosso sucesso, toda a nossa vida depende do nosso
esforço e trabalho.

Porém, quando paramos um dia para dedicá-lo a Deus, abrimos mão de trabalhar,
dependendo e confiando que Deus, naquele dia, irá nos sustentar. O sábado é a
declaração de que Deus é soberano sobre todas as coisas e que cuida de nós.

Nas palavras de Heschel, "Como seria um mundo sem o schabat? Seria um mundo que
conheceria somente a si mesmo, ou um Deus distorcido como uma coisa, ou o abismo a
separar Ele do mundo; um mundo sem a visão de uma janela na eternidade que se abre
no tempo"g.

O tempo indica eternidade. Quando Deus santificou o dia do sábado, Ele estava nos
apontando para uma realidade muito maior do que o mundo que vivemos.

Conclusão

Deus parou a contemplo a sua obra no sétimo dia. Ele santificou e abençoou esse dia
afim de que pudesse significar a todos nós que Ele está no controle soberanos de todas
as coisas e que a nossa esperança não deve estar nas coisas passageiras do mundo, mas
na eternidade que o tempo expressa.

É verdade que mais para frente, o sábado escravizou o homem ao ponto de Jesus dizer:
"O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Assim,
pois, o Filho do homem é Senhor até mesmo do sábado" (Mc 2:27,28). Assim o dia não
é a finalidade em si mesmo, mas o final de tudo é que Deus seja glorificado. Contemple
e descanse em Deus!

g
HESCHEL, Abraham Joshua. O Schabat, seu significado para o homem moderno. Elos, São Paulo, 2000, pág. 29

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com