You are on page 1of 6

Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 11

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 11a

Nem sempre o que parece bom é bom.


(Texto: Gn 13:1~13)

1. Introdução.

Já aconteceu com você em escolher alguma coisa que parecia boa, mas depois que você
escolheu percebeu que havia se metido em uma tremenda enrascada? Você já foi traído
pela atraência de alguma coisa? Podemos pensar que algo é bom à vista, mas nem
sempre ele pode ser bom de fato. É isso o que aconteceu na história que vamos meditar
hoje.

Abrão e Ló saíram do Egito e foram para o Neguebe. Eles saíram muito mais ricos do
que haviam entrado no Egito. Um certo dia, os pastores de Abrão brigaram com os
pastores de Ló por mais espaço mas pastagens. A quantidade dos animais dos dois era
muita e já aquela terra não podia mais suportar que os dois ficassem juntos. Aliás nem
os seus servos estavam agüentando aquela situação.

O temor de Abrão era que um caso envolvendo seus empregados e os empregados de


seu sobrinho destruísse o vinculo familiar de afeto que provavelmente os dois tinham.
Por isso Abrão propõe algo muito estranho: ele oferece a primazia em poder escolher
para onde Ló iria com os seus rebanhos, servos e família. Se fôssemos ver pela nossa
cultura, os mais velhos teriam preferência na escolha, mas Abrão foi generoso a ponto
de deixar deu sobrinho escolher primeiro o lugar para onde ele desejaria ir.

Ló escolheu o lugar que para ele era o "Jardim do Éden". Porém, a escolha dele foi
pautada na beleza visual e aparente. Isso foi um aspecto crucial para a desgraça de Ló e
de sua família que será retratado mais tarde na cidade de Sodoma e Gomorra. Abrão por
sua vez, vai para o lado oposto daquele escolhido por seu sobrinho. Porém, o mais
interessante é que Deus abençoa cada vez mais Abrão. Embora ele tivesse indo para um
lugar teoricamente pior do que a terra que Ló escolhera, a bênção de Deus estava com
Abrão e não com Ló. Por que isso?

Abrão e Ló nos ensinam sobre duas maneiras de encararmos os desafios de nossa vida.
Duas posições opostas, duas terras opostas, duas pessoas no meio de uma encruzilhada.
O que pautou a decisão final de Ló e de Abrão? Afinal, qual o peso de uma decisão mal
tomada em nossas vidas e como devemos tomar as decisões certas, que possam nos
trazer bênção?

Dizem que a vida adulta é resumida em "decisões". Decisões que podem mudar
completamente o rumo de nossas vidas. Hoje, você que está sentado aí no banco
escutando essa mensagem, que decisões você tem a tomar? Como você deve tomar
essas decisões? Será que é pelo que vemos e julgamos ser bom ou há mais uma aspecto
a ser considerado na minha decisão? É sobre isso que meditaremos um pouco essa tarde.
Que o Espírito Santo nos ensine a tomarmos as decisões corretas que com certeza virão
a todos nós.

a
Pregado no MEP dia 11 de abril de 2010.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


1
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 11

2. O texto (Gn 13:1~13)


1
Saiu, pois, Abrão do Egito e foi para o Neguebe, com sua mulher e com tudo o
que possuía, e Ló foi com ele. 2 Abrão tinha enriquecido muito, tanto em gado como em
prata e ouro.
3
Ele partiu do Neguebe em direção a Betel, indo de um lugar a outro, até que
chegou ao lugar entre Betel e Ai onde já havia armado acampamento anteriormente 4 e
onde, pela primeira vez, tinha construído um altar. Ali Abrão invocou o nome do
SENHOR.
5
Ló, que acompanhava Abrão, também possuía rebanhos e tendas. 6 E não
podiam morar os dois juntos na mesma região, porque possuíam tantos bens que a terra
não podia sustentá-los. 7 Por isso surgiu uma desavença entre os pastores dos rebanhos
de Abrão e os de Ló. Nessa época os cananeus e os ferezeus habitavam aquela terra.
8
Então Abrão disse a Ló: “Não haja desavença entre mim e você, ou entre os seus
pastores e os meus; afinal somos irmãos! 9 Aí está a terra inteira diante de você. Vamos
separar-nos. Se você for para a esquerda, irei para a direita; se for para a direita, irei
para a esquerda”.
10
Olhou então Ló e viu todo o vale do Jordão, todo ele bem irrigado, até Zoar; era
como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito. Isto se deu antes de o SENHOR
destruir Sodoma e Gomorra. 11 Ló escolheu todo o vale do Jordão e partiu em direção ao
leste. Assim os dois se separaram: 12 Abrão ficou na terra de Canaã, mas Ló mudou seu
acampamento para um lugar próximo a Sodoma, entre as cidades do vale. 13 Ora, os
homens de Sodoma eram extremamente perversos e pecadores contra o SENHOR.

3. Exposição do texto.

1. A situação de Abrão apos ter saído do Egito.

"Saiu, pois, Abrão do Egito e foi para o Neguebe, com sua mulher e com tudo o que
possuía, e Ló foi com ele. Abrão tinha enriquecido muito, tanto em gado como em prata
e ouro. " (vs. 1,2).

Vimos que Abrão saiu ainda mais rico do Egito. Essa riqueza se resumia em gado e
dinheiro. Eram as coisas mais preciosas daquela época. Embora Ló não seja citado no
relato anterior do Egito, provavelmente Ló estava junto com Abrão. A história de Ló se
torna importante por causa da seqüência narrativa que se inicia nesse capítulo, que
culminará na queda de Sodoma e Gomorra e do incesto de Ló com suas duas filhas.

O cenário da história é o Neguebe, região desértica do sul de Canaã, que durante a


primeira idade do bronze (a partir de 3.300 a.C.) recebeu teve mais pessoas
estabelecidas do que em suas regiões adjacentesb. Somente com Abrão o assentamento
nessa região é citada.

2. Melhores decisões vem com um relacionamento estreito com Deus.

"Ele partiu do Neguebe em direção a Betel, indo de um lugar a outro, até que chegou
ao lugar entre Betel e Ai onde já havia armado acampamento anteriormente e onde,

b
Cf. WBC, pág. 295.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


2
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 11

pela primeira vez, tinha construído um altar. Ali Abrão invocou o nome do SENHOR."
(vs. 3, 4)

Abrão e os seus chegam ao mesmo lugar de onde haviam saído rumo ao Egito. Agora,
eles estavam onde Deus planejava que eles estivessem, na Terra Prometida, que embora
com seca e dificuldade, era a terra que o Senhor lhes havia dado. Aquele era o lugar em
que Abrão havia construído, pela primeira vez na terra de Canaã, uma altar de adoração
a Deus.

Era lá um lugar que trazia uma recordação da graça de Deus à memória de Abrão. Ali,
ele poderia sentir e confirmar que Deus havia feito uma promessa. Pela pressa, Abrão
fora para o Egito, mas passado esse deslize, novamente Abrão voltou para o mesmo
lugar, meio que para começar novamente a sua história com Deus. Vemos que nesse
mesmo lugar, "Abrão invocou o nome do Senhor" (v. 4). É muito interessante notar que
no Egito Abrão não tem a preocupação de buscar a Deus, pelo menos o texto não nos
diz se ele fez isso. Mas lá, onde Abrão tinha certeza da aprovação de Deus, ele adorou-
O.

Abrão era uma pessoa que tinha um estreito relacionamento com Deus. Naqueles
momentos em que Abrão não O buscava, eram justamente os momentos em que ele
fazia as suas maiores besteiras. Temos um princípio muito importante aqui: para você
tomar as decisões certas, você deve ter um estreito relacionamento com Deus, Aquele
que é o seu maior Conselheiro.

O Senhor Jesus nos ensinou que o Espírito Santo seria o "outro Conselheiro": "Mas o
Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as
coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse." (Jo 15:26). O Espírito Santo nos
ajuda a tomarmos as melhores decisões. Essas decisões serão sempre de acordo com o
coração de Jesus. Ter um relacionamento próximo e diário com Ele nos faz sempre
trilhar pelo melhor caminho e escolher pela melhor opção.

Diante de uma decisão a ser tomada, o quanto você coloca a sua vida diante de Deus? O
problema é que todos nós, na ânsia de resolver tudo logo, nem se quer pensamos em
Deus e fazemos logo do nosso jeito. Porém, Deus tem o seu tempo de agir. Vale muito a
pena escorar por esse timing, que embora seja lento para nós em alguns momentos, é a
melhor opção sempre! Mas tarde, o próprio Abrão, que teve uma comunhão tão próxima
com Deus, num deslize, cometeria o mesmo erro que seu sobrinho cometera.

3. Melhores decisões vem quando você pensa no outro.

"Ló, que acompanhava Abrão, também possuía rebanhos e tendas. E não podiam morar
os dois juntos na mesma região, porque possuíam tantos bens que a terra não podia
sustentá-los. Por isso surgiu uma desavença entre os pastores dos rebanhos de Abrão e
os de Ló. Nessa época os cananeus e os ferezeus habitavam aquela terra" (vs. 5~7)

Tudo ia muito bem até que surgiu um grande confusão. Naquela época, Abrão e Ló
eram semi-nômades que dependiam de terras para alimentar o seu gado. E a gota-da-
água, foi que os pastores de Abrão e Ló se desentenderam. Um clima pesado se abateu
sobre todos deixando o coração de Abrão muito preocupado. A terra onde eles estavam

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


3
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 11

já não podia comportar tantos animais em um só lugar. O que piorava a situação é que
alem da família de Abrão, os cananeus e os fereseus também dividiam o mesmo espaço.

Muita gente e pouco espaço, confusão na certa. O no texto hebraico, a expressão usada é
"a terra não podia suportá-los lado a lado"c.

"Então Abrão disse a Ló: “Não haja desavença entre mim e você, ou entre os seus
pastores e os meus; afinal somos irmãos! 9 Aí está a terra inteira diante de você. Vamos
separar-nos. Se você for para a esquerda, irei para a direita; se for para a direita, irei
para a esquerda”. " (vs. 8,9).

Abrão deu o primeiro passo. Ele não quis saber de quem era a culpa ou quem havia
começado o incidente. Ele simplesmente quis resolver aquela situação. Às vezes a
melhor decisão começa a ser tomada a partir da sua atitude em relação ao problema.
Diante de um grande desafio, não adianta ficar de longe admirando preocupado com a
situação. Da mesma maneira que Abrão tomou a dianteira, às vezes, nós devemos dar o
primeiro passo em direção resolução e solução de nossos desafios.

A decisão de Abrão já estava tomada: eles deveria se separar. Para um não atrapalhar
mais o outro, cada um deveria tomar caminhos opostos. A atitude que Abrão tomou
impressiona pela sua generosidade. Ele que era o tio e líder daquele clã. Mas Abrão dá
uma chance de ouro para Ló decidir primeiro para onde ele gostaria de ir.

Sempre as nossas decisões e atitudes atingirão alguém. Pode ser que até nem
conheçamos essa pessoa. Mas nossas decisões nunca terminam em nós mesmos. Outro
princípio precioso de Abrão é que devemos sempre pensar na outra parte, na outra
pessoa, para tomarmos as melhores decisões. Abrão não foi, de maneira nenhuma,
egoísta, mas sim generoso. Lógico que aquilo era uma perda para o próprio Abrão. Mas
o seu caráter importava mais do que o seu conforto.

4. As piores decisões vem quando você só pensa em você.

"Olhou então Ló e viu todo o vale do Jordão, todo ele bem irrigado, até Zoar; era como
o jardim do SENHOR, como a terra do Egito. Isto se deu antes de o SENHOR destruir
Sodoma e Gomorra. Ló escolheu todo o vale do Jordão e partiu em direção ao leste.
Assim os dois se separaram: Abrão ficou na terra de Canaã, mas Ló mudou seu
acampamento para um lugar próximo a Sodoma, entre as cidades do vale. " (vs. 10~12).

A chance foi dada e Ló não perdeu tempo. Ele olhou para o vale do Jordão. Todo vale
de um rio que se prese é muito fértil. Essa fertilidade é revelada na expressão: "era
como o jardim do Senhor" (vr. 10), ou seja, o Jardim do Éden. É lógico que Ló iria
escolher aquele lugar tão cheio de vida. Aquela região era a garantia do sustento e da
prosperidade da famíla de Ló.

Ló escolheu o leste, indo para o vale do Jordão, próximo à Sodoma. Já Abrão vai no
zentido oposto ficando na terra de Canaã. Ló escolheu uma região que é o limite, ou seja,
a fronteira, da terra prometida. Ele escolheu estar quase que fora da terra que Deus
havia prometido a Abrão. Ló estava se colocando à margem da promessa de Deus. A

c
Cf. NET Bible.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


4
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 11

escolha de Ló revela que ele não se importava muito com Deus e a Promessa, mas sim,
com os seus próprios interesses e seu conformo momentâneo.

O último princípio que o texto nos ensina com relação à decisão é que sempre que
tomamos decisões tendo como base nosso egoísmo, acabamos escolhendo o caminho
errado. Alem, de ser um lugar fora do âmbito da promessa de Deus, ao ir para lá Ló
sabia que naquela região habitavam pessoas totalmente alheias e distantes de Deus:
"Ora, os homens de Sodoma eram extremamente perversos e pecadores contra o
SENHOR. " (v. 13). Como que alguém pode escolher ir para um lugar desse tipo?

O egoísmo nos cega. A generosidade nos faz entender o coração de Deus. A diferença
fundamental entre a decisão correta e a decisão errada está pautada na nossa motivação
interior. O que nos leva a tomar certo tipo de decisão? É isso que devemos pensar
sempre! Se a nossa vida sempre estiver de acordo com a vontade de Deus, não teremos
tantos problemas de escolhas erradas. Mas se nosso coração já está longe Dele, as
nossas decisões fatalmente serão pautados baseados em mim próprio e em meus
interesses.

Conclusão: A recompensa pela decisão correta.

"Disse o SENHOR a Abrão, depois que Ló separou-se dele: “De onde você está,
olhe para o norte, para o sul, para o leste e para o oeste: toda a terra que você está
vendo darei a você e à sua descendência para sempre. Tornarei a sua descendência tão
numerosa como o pó da terra. Se for possível contar o pó da terra, também se poderá
contar a sua descendência. Percorra esta terra de alto a baixo, de um lado a outro,
porque eu a darei a você”.
Então Abrão mudou seu acampamento e passou a viver próximo aos carvalhos de
Manre, em Hebrom, onde construiu um altar dedicado ao SENHOR. " (vs. 14~18)

Temos a impressão ao ler até aqui que Abrão saiu no prejuízo nessa história. Mas
aconteceu justamente o contrario. Deus apareceu a Abrão logo depois disso e reafirmou
a promessa que Ele fizera anteriormente. Ló havia escolhido o leste. Mas Deus prometa
a Abrão que para todos os lados, todos os pontos cardinais que ele pudesse olhar, Deus
havia dado a ele. E da mesma maneira que fizera, Deus promete uma descendência
numerosa, associando a quantidade dessa descendência às areias do chão.

Dali, Abrão vai para um outro lugar, próximo ao Carvalho de Manre. Novamente, Deus
pauta a decisão de Abrão. Ao chegar em Hebron, Abrão novamente se lembra e celebra
a Deus com um altar.

Nem sempre o que parece ser bom é bom. Quando Deus não está no negócio, nem
aquilo que parece ser o paraíso é a melhor opção. Ló escolheu o lado errado, sabendo
que era uma terra limítrofe da terra estabelecida por Deus, e o que é mais grave,
sabendo que era infestada por pecadores. Mas esses fatores não incomodaram Ló.
Somente seu conformo e perspectiva de mais riqueza haviam já cegado seu
entendimento.

Decisão! Que todas as suas escolhas sejam feitas tendo como base um relacionamento
próximo, íntimo com Deus. Coloque diante dele todos os seus desafios em oração.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


5
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 11

Paulo nos ensina o seguinte: "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém,
sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com
ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso
coração e a vossa mente em Cristo Jesus." (Fl 4:6,7 ARA).

Deus é o fator principal de uma boa decisão!

Que Deus nos ajude sempre a escolhermos sempre o melhor caminho e tomar a melhor
decisão! Amem.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


6