You are on page 1of 2

Aluno(a

):
/

Série: 2º Ano – Ensino Médio

/

N.:

Data:
Professor (a): Sérgio Rêgo

Disciplina:

Responder usando caneta esferográfica preta ou azul;
 Preencher o cabeçalho com nome completo legível;
As questões, que exigem cálculos, terão suas respostas validadas somente com eles;
Não é permitido o uso de calculadora sem a prévia autorização do(a) professor(a);
As questões rasuradas serão invalidadas;
Não utilizar corretivo.
LEMBRANDO: O USO DE APARELHOS ELETROELETRÔNICOS
NÃO É PERMITIDO.

NOTA

Y
Atividade
de


Revisão

1. (UFPB) A Revolução Francesa teve numerosos
desdobramentos, possibilitando transformações políticas no
Estado e na sociedade em vários países. Considerando os
impactos sociais e políticos da Revolução Francesa, identifique
as afirmativas corretas:
1) O fim do Absolutismo e a instauração de Monarquias e
Repúblicas constitucionais, especialmente na Europa.
2) O fim da propriedade privada, como resultado direto dos
ideais inscritos na Declaração dos Direitos do Homem e do
Cidadão, de clara inspiração socialista.
4) Uma base político-ideológica, a partir do jacobinismo, para
os modernos movimentos de origem popular de contestação à
ordem burguesa.
8) O fim da servidão e a afirmação da igualdade jurídica entre
todos os cidadãos, independente da sua origem social.
16) O fortalecimento do domínio ideológico da Igreja,
especialmente sobre o ensino, e a consolidação da sua
hegemonia nas questões de Estado.
2. (Cesgranrio) Durante a Revolução Francesa, a radicalização,
típica da "Época da Convenção" (1792-5), caracteriza-se pela:
a) Promulgação da "Declaração Universal dos Direitos do
Homem";
b) aprovação da "constituição civil do clero" por Luiz XVI;
c) instituição de um regime político e social de caráter
democrático - o Diretório;
d) criação de tribunais revolucionários e a abolição dos direitos
senhoriais;
e) pacificação da Europa, a partir da paz entre a França e a
Inglaterra.
3. (Enem) Algumas transformações que antecederam a
Revolução Francesa podem ser exemplificadas pela mudança de
significado da palavra "restaurante". Desde o final da Idade
Média, a palavra 'restaurant' designava caldos ricos, com carne
de aves e de boi, legumes, raízes e ervas. Em 1765 surgiu, em
Paris, um local onde se vendiam esses caldos, usados para
restaurar as forças dos trabalhadores. Nos anos que precederam
a Revolução, em 1789, multiplicaram-se diversos 'restaurateurs',
que serviam pratos requintados, descritos em páginas
emolduradas e servidos não mais em mesas coletivas e mal
cuidadas, mas individuais e com toalhas limpas. Com a

Revolução, cozinheiros da corte e da nobreza perderam seus
patrões, refugiados no exterior ou guilhotinados, e abriram seus
restaurantes por conta própria. Apenas em 1835, o Dicionário da
Academia Francesa oficializou a utilização da palavra
restaurante com o sentido atual.
A mudança do significado da palavra restaurante ilustra
a) a ascensão das classes populares aos mesmos padrões de vida
da burguesia e da nobreza.
b) a apropriação e a transformação, pela burguesia, de hábitos
populares e dos valores da nobreza.
c) a incorporação e a transformação, pela nobreza, dos ideais e
da visão de mundo da burguesia.
d) a consolidação das práticas coletivas e dos ideais
revolucionários, cujas origens remontam à Idade Média.
e) a institucionalização, pela nobreza, de práticas coletivas e de
uma visão de mundo igualitária.
4. Leia o texto a seguir:
A guerra caracterizou e deu visibilidade ao processo de
independência na América. Não há como duvidar dessa
premissa. Primeiro, a elite criolla descobriu a possibilidade de
utilizar a guerra como um elemento de união interna e, segundo,
percebeu que poderia usar sua experiência como um meio capaz
de encaminhar a América rumo ao Ocidente. Ambos os
processos ocorreram numa sequência com objetivo de garantir a
ordem frente aos conflitos étnicos e políticos, bem como de
estabelecer uma imagem da América que fosse confiável e
promissora, tanto interna quanto externamente. Nem mesmo no
fim da vida, Simón Bolívar desistiu de encarar a força – e,
portanto, a guerra que lhe dava expressão – como meio
importante para a produção de acontecimentos políticos
favoráveis. (FREDRIGO, Fabiana de Souza. “As guerras de
independência, as práticas sociais e o código de elite na América
do século XIX: leituras da correspondência bolivariana”. Varia
hist., Belo Horizonte, v. 23, n. 38, Dec. 2007. p. 311).
De acordo como o texto, Simón Bolivar estava preocupado em
construir uma imagem da América liberta que fosse bem vista
aos olhos europeus e aos olhos dos próprios americanos. Essa
preocupação refletia:
a) Uma estratégia política orientada pela própria coroa
espanhola.

que se simpatizavam com as ideias de Bolívar. b) O Poder Moderador conferia ao Imperador a proeminência sobre os demais Poderes.b) A adequação ao projeto moderno de nações politicamente emancipadas e aptas ao progresso. já que no Brasil a guerrilha foi o modelo de combate adotado no processo de independência. A concretização da emancipação política do Brasil. Nas lutas conhecidas como Guerras da Independência e no reconhecimento externo da Independência. e) papel do exército. 6. Pedro I. d) carisma do líder. o Brasil foi auxiliado pelo(a): a) França b) Espanha c) Itália d) Estados Unidos e) Inglaterra . proposta de José Bonifácio. no caso brasileiro. d) Um projeto articulado junto com o Brasil. e) Uma estratégia política inspirada no “Destino Manifesto”. e) A introdução do sufrágio universal permitiu a participação política das camadas populares. 7. haja vista que o Brasil. por influência liberal. já que. enquanto no Brasil adotou-se o modelo monárquico. foi uma das principais razões da oposição ao Imperador D. o exército precisou impedir que Portugal retomasse o Brasil como sua colônia. Assinale a opção que relaciona corretamente os preceitos da Constituição Imperial com as características da sociedade brasileira: a) A autonomia das antigas Capitanias atendia aos interesses das oligarquias agrárias. c) modelo econômico. b) modelo de guerra adotado. Uma das diferenças essenciais entre a Independência da América Espanhola e a Independência Brasileira está no: a) modelo político adotado. provocando rebeliões em várias partes do país. já que Bolívar também exercia forte influência entre os políticos brasileiros. em 1822. culminando com o fechamento da Assembléia Constituinte. d) A abolição progressiva da escravidão. mas com o objetivo inverso. levando a política colonial ao colapso. haja vista que na América Hispânica predominou o modelo republicano. ao contrário da América Espanhola. em torno do projeto constitucional. assegurou ampla liberdade religiosa. sofreu um grave transtorno na produção agrícola. c) Um projeto de articulação política com os Estados Unidos da América. foi seguida de divergências entre os diversos setores da sociedade. 5. c) A abolição do Padroado. já que Bolívar tinha menos impacto na consciência da população do que Dom Pedro I.