You are on page 1of 12
Então e eles ?  Mauritânia  Trabalhador escravo Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4
Então e eles ?
 Mauritânia
 Trabalhador escravo
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
 Trabalho infantil  O trabalho infantil é interdito pela norma, apenas com as excepções
 Trabalho infantil
 O trabalho infantil é interdito pela
norma, apenas com as excepções
contempladas na convenção 138 e
na recomendação 146 da OIT.
Requisitos são estabelecidos quanto
a idade mínima (15), horas de
trabalho, jovens trabalhadores
(aqueles com menos de 18 anos),
frequência escolar, condições
escolares e auxílio a crianças.
 Figura 1: Índia – trabalho infantil
(construção)
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Será assim tão difícil (nós humanos) conseguirmos oferecer uma vida sem fome, sem sofrimento, sem

Será assim tão difícil (nós humanos) conseguirmos oferecer uma vida sem fome, sem

sofrimento, sem mágoa, sem tristeza e com um pouco de dignidade, aos nossos filhos?, ou será que preferimos viver sob uma mentira como o artigo 5º, que fala de proibição á escravatura e sobre maus tratos desumanos cruéis ou degradantes, mas

no fundo essa proibição é meramente fictícia.

Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010

Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Por favor Parem com os maus tratos! Não há dúvida que os compêndios de história
Por favor
Parem com os maus tratos!
Não há dúvida que os compêndios de história registaram que, no primitivo
direito romano o pai dispunha de absoluto poder disciplinar em relação ao filho,
nele incluído até o de matá-lo, de transferi-lo a outrem ou mesmo entregá-lo
como indemnização, venda, doação ou penhoro poder de punição doméstica,
além de não observar qualquer regra de proporcionalidade e contraditório, era
absoluto, não respondendo o pater famílias pelos castigos e excessos impostos
não só aos filhos, como à mulher e aos escravos.
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
Com a evolução da civilização e a partir do cristianismo, tal poder – que se
Com a evolução da civilização e a partir do cristianismo, tal poder – que se
situava na órbita do exercício regular de direito - foi se abrandando com
exigência de moderação, passando a ser punidos seus excessos quando deles
resultassem lesões corporais graves ou morte.
Hoje o pátrio poder é encarado como complexo de deveres em relação aos
pais, instituído no interesse dos filhos e da família, havendo denominação até de
pátrio-dever. Logo é difícil percebermos, como acontecem ainda estas
atrocidades.
embora no caminho certo; ainda nos falta tanto para que nos respeitemos a
nos próprios enquanto ser humanos.
Inadmissível
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010
http://cache.boston.com/resize/bonzai- fba/Globe_Photo/2008/12/07/1228706513_3159/539w.jpg
http://cache.boston.com/resize/bonzai-
fba/Globe_Photo/2008/12/07/1228706513_3159/539w.jpg
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4
http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://
http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/_
http://3.bp.blogspot.com/_
http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://lawanddisorder.org/wp-
content/uploads/2007/03/Guantanamo.jpg&imgrefurl=http://jangada-de-
phttp://www.google.pt/imgres?imgurl=http://www.curado.com/sa8000pt/Ima
ge9.jpg&imgrefurl=http://www.curado.comedra.blogspot.com/2008
http://2.bp.blogspot.com/
http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://www.curado.c
om/sa8000pt/Image9.jpg&imgrefurl=http://www.curado.co
m/sa8000pt/sa8000pt.html&usg=
HJ1UahwNxgUpaa
HTTP://WWW.MTE.GOV.BR/SISTEMAS/SGC/ARQUIVOS/IMAGEM/TRABALHO_ESCRAVO JPG
http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://www.curado.com/sa8000pt/Im
age9.jpg&imgrefurl=http://www.curado.com
Elaborado por: Carlos Barradas CP DR4 29/04/2010