A Obsessão

"É o domínio que alguns espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. Definição de Obsessão Nunca é praticado senão por espíritos inferiores que procuram dominar" (Livro dos Médiuns, Cap. 23 item 237). "É a acção persistente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais." (O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. 25, item

Allan Kardec, através dos seus estudos classificou a obsessão por seus estágios, sendo que por isso mesmo, não tem um carácter definitivo, servindo apenas como parâmetro para estudo, uma vez que a obsessão é muito variada em seus aspectos, sendo difícil estabelecer onde uma fase começa e termina a outra. SIMPLES - É a influência subtil na atitude do espírito, encarnado ou desencarnado. FASCINAÇÃO - É a acção directa de um espírito sobre o pensamento de outro. SUBJUGAÇÃO - É a paralisação através da acção mental, que um espírito determina sobre a vontade de outro.

CLASSIFICAÇÃO DA OBSESSÃO

A Obsessão pode ser de:
Encarnado para encarnado Desencarnado para desencarnado Encarnado para desencarnado Desencarnado para encarnado Auto – Obsessão

Factores que levam à Obsessão
O que predispõe um espírito (encarnado ou desencarnado) à Obsessão, são as imperfeições morais. •Na medida que o espírito se aperfeiçoa moralmente, ele não se predispõe à obsessão.

Quando podemos reconhecer a Obsessão • Quando sentimos ideias
torturantes a se fixar. • Quando sentimos forças interferindo no processo mental. • Quando se verifica a vontade sendo dominada. • Quando se experimenta inquietação constante. • Quando se sinta desequilíbrio espiritual.

Causas provocadoras da Obsessão
Ideias profundamente negativas Depressão / Desânimo Revolta / Irritação / Cólera Vícios / Fumo / Tóxicos / Álcool Medo Desregramento sexual Maledicência Ciúme Avareza/Egoísmo Ociosidade Remorso

Obsessão como evitá-la?
(Conheça a ti mesmo) Sócrates (o grande filósofo grego) leu no Templo de Delfos a seguinte frase: "Homem, conhece-te a ti mesmo". Somente com o estudo de nós próprios é que saberemos se é o nosso pensamento ou se é o pensamento de outrém que nos influência. É claro que nem sempre conseguimos perceber, mas sempre poderemos saber se agimos dentro daquilo que aprendemos da Lei do Cristo ou se agimos fora dela. E se estivermos agir fora da moral cristã, não importa se nosso pensamento é erróneo ou não. Cabe a nós combatê-lo. Paulo de Tarso diz: "Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convém”. Alerta-nos através dessas palavras que tudo podemos fazer com o nosso livre arbítrio, mas nem tudo que fazemos se reverterá em nosso proveito espiritual.

A Desobsessão

A Desobsessão
No sentido amplo da palavra significa o acto de curar alguém da obsessão. A cura espírita da obsessão baseia-se na conscientização do enfermo e do espírito agressor, posto que o paciente, é o agente da própria cura. Para isso a Doutrina propõe: O esclarecimento através do estudo. Renovação interior por intermédio da acção do pensamento e da vontade.

O Tratamento da Obsessão
A grande maioria das vezes, o tratamento não se resume em apenas um "remédio", necessário se faz não só o esclarecimento do obsessor, seja no plano espiritual, ou numa reunião mediúnica, como também toda sorte de recursos que facilite a sua mudança de vibração e pensamento, que não permita a influenciação directa e constante sobre ele nesse caso, entra a oração, o estudo, a reflexão sobre os próprios actos, a mudança de atitudes, pois não basta retirar o obsessor, mas evitar que ele volte novamente, enchendo a nossa “ Casa Mental “ com pensamentos e atitudes positivas.

Conscientização Deve-se conscientizar o paciente da situação de enfermo em que se encontra, para que, com sua força de vontade, possa ajudar-se na cura. Nenhum tratamento surtirá efeito se não contar com a vontade de quem precisa dele. Reeducação É preciso orientar o assistido sobre a necessidade de melhoria de sua conduta na vida diária. Que se esforce para evitar os vícios mais grosseiros e que procure controlar suas más tendências. Sem essa mudança de postura e de visão, dificilmente ficará livre das más influências, que predispõem aos processos obsessivos. Evangelização Enfatizar sempre ao enfermo a necessidade de observar os ensinos morais do Evangelho de Jesus, roteiro seguro para libertação dos males do Espírito. Orientar a necessidade da frequência regular à casa espírita, até que sua enfermidade seja curada ou esteja sob controle. Estimular o hábito da prece, o mais poderoso auxílio no tratamento de obsedados.

Intercâmbio espiritual Orientar moralmente o Espírito obsessor nas reuniões mediúnicas, evocando-o em médiuns preparados para esta tarefa, aconselhando-o a seguir outro caminho que não o da vingança, da mentira ou dos prazeres inferiores. Fluido terapia Submeter o paciente portador da obsessão a um tratamento fluídico energético, através do passe espírita. São momentos em que as energias perdidas pela acção da enfermidade espiritual, poderão ser repostas e o obsediado, ficando livre dos fluidos malsãos de que estava impregnado, poderá pensar e tomar decisões com maior liberdade. A água fluidificada é também um poderoso recurso no tratamento das obsessões.

Reequilíbrio familiar Sempre que possível, a equipe responsável pelo tratamento do enfermo deverá orientar moralmente sua família que, em muitos casos, está envolvida directa ou indirectamente na problemática obsessiva. Além disso, o apoio e a compreensão dos familiares no processo de cura desta grave enfermidade espiritual é fundamental. Tratamento médico Nos casos em que o processo obsessivo apresentar-se com grave comprometimento psíquico, o paciente deverá receber assistência de um profissional habilitado, que lhe despenderá os cuidados necessários. É importante enfatizar que não podemos interferir nas prescrições médicas, tampouco suspender medicamentos por conta própria. "Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que faz para dominar suas más inclinações" - (Allan Kardec Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XVII, item 4).

Tratamento da desobsessão na U.C.E.O
Desobsessão simples: Consiste no tratamento através dos Decretos da Nova Era onde usamos a palavra falada. Desobsessão por captação: O médium incorpora o entendido obsessor, a qual é doutrinado por trabalhadores do centro capacitados para este mister. É um trabalho de fundamental importância, visto ter dupla finalidade: curar o encarnado dos males da obsessão e ao mesmo tempo esclarecer o espírito desencarnado que ele está sendo enganado por promessas vãs e que a sua melhor recompensa é a prática do bem e o recebimento de bónus luz. Assim ambos terão bases sólidas para mudarem hábitos e atitudes, condicionando-se a atitudes mentais mais saudáveis.

Formatação: Maria Souza Olhão,6 de Abril de 2008