You are on page 1of 13

Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP

)
Unidade: PETROBRÁS/ REMAN
Relatório: Hazopcompressor

RELATÓRIO TÉCNICO DE HAZOP
Cliente:
PETROBRÁS S/A, UNIDADE REMAN

Título:
HAZOP DO PROJETO BÁSICO - NOVOS COMPRESSORES DA CEARCO

Equipe:
Daniel Vizelli Wege (Líder)
PETROBRÁS/ REMAN:
Nome
Alcindo S. Argolo Filho
Alexandre Farias de Souza
Anderson Mazolli Lisboa
Andrews Rocha de Souza
Cláudio Duarte Silva
Cláudio Leite
Eric Amanthea
Luiz Cláudio R. dos Reis
Solange Aquino Pereira

Revisão

00

Execução
Data

Ass.

Verificação
Data

Ass.

Área
ENG
ENG
ENG
ENG
ENG
PR/UT
ENG
MI/ EI
ENG

Aprovação
Data

Ass.

Emissão
Data

Ass.

................................................................. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ....................................................... 4 3........ INTRODUÇÃO ... DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA ... CONCLUSÕES ...........................................................................................................................................................................................Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor Índice RELATÓRIO TÉCNICO DE HAZOP 1............ 5 4................. 12 8............................................................................................................. OBJETIVO ................................. 3 2................................................ RESULTADOS ....................................................................................................... 13 ....................................................... 11 7......... NÓS DE ANÁLISE ............... METODOLOGIA ........................... 10 6........... 9 5............

Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 1.NOVOS COMPRESSORES DA CEARCO da REMAN da PETROBRÁS S/A em Manaus/AM. OBJETIVO O presente estudo de Análise de Riscos e Operacionalidade (HAZOP) tem por finalidade identificar. analisar e avaliar qualitativamente os riscos das principais operações e processos da PROJETO BÁSICO . .

HAZOP (Hazard and Operability Study). dentro das instalações da REMAN em Manaus. INTRODUÇÃO A análise foi conduzida através da aplicação da técnica de “Análise de Perigos e Operabilidade” .Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 2. dos Reis MI/ EI Solange Aquino Pereira ENG . Argolo Filho ENG Alexandre Farias de Souza ENG Anderson Mazolli Lisboa ENG Andrews Rocha de Souza ENG Cláudio Duarte Silva ENG Cláudio Leite PR/UT Eric Amanthea ENG Luiz Cláudio R. no dia 09 de dezembro de 2010. Nome Área Alcindo S. com a duração de 4 horas e a presença dos seguintes participantes: Tabela 1 – Participantes do HAZOP.

 Identificação dos possíveis desvios das condições normais de operação.  Atribuição aos referidos desvios de categorias de frequência e severidade que determinaram o nível de risco (operacional ou de acidente). segurança e meio ambiente.  Definição das causas responsáveis por tais desvios e as respectivas consequências. severidade e risco e geradas recomendações de medidas mitigadoras para os riscos considerados inaceitáveis. As etapas de trabalho contemplaram:  Caracterização do empreendimento. suas causas e efeitos sobre a produção. Os cenários obtidos foram classificados segundo categorias preestabelecidas de frequência. O fluxograma de decisões do HAZOP é exposto a seguir na Figura 1. . quando convenientes ou necessárias.  Aplicação de recomendações para redução destes riscos.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 3. METODOLOGIA Esta análise foi composta da identificação dos possíveis desvios de processo.

Diagrama lógico do HAZOP .Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor Figura 1 .

podendo ser: Improvável. Aplica-se somente ao efeito e é quantificada conforme definida na Matriz de Tolerabilidade adotada. gerando recomendações para sua correção e/ou ajuste. entre outros. Remoto. Moderada. por meio da análise dos possíveis desvios (anomalias) de projeto ou de processos na operação de uma instalação.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 3. Causas – Causas potenciais responsáveis pela ocorrência potencial do desvio.1.  Para validar “modificações” nas instalações. recomenda-se a aplicação da ferramenta HAZOP. podendo ser classificada como: Baixa. nas seguintes situações:  Projetos novos.  Revisões de segurança de processo. conhecida como HAZOP (do inglês Hazard Operability Studies). podendo gerar perdas de produção. realizadas de forma sistemática. seja um novo empreendimento ou uma unidade operacional já em sistema de produção. como parte de um plano de Gerenciamento de Riscos. é uma ferramenta que busca evitar. Durante a fase preliminar e para validar o projeto básico. danos ambientais e/ou acidentes com danos ao homem. tais como: perdas de produção. Freqüente. A metodologia de Análise de Riscos e Operabilidade. Efeito do desvio – Efeito causado no processo e no ambiente do empreendimento. DEFINIÇÕES HAZOP – Análise de Riscos e Operabilidade é uma técnica de análise de riscos utilizada para identificação de riscos de processos industriais em suas diversas fases. É uma técnica de identificação de riscos que tem por base uma documentação técnica atualizada. . danos materiais. danos ambientais e/ou acidentes com danos ao homem. Provável. Crítica ou Catastrófica. equipamento. danos materiais. Desvios – Maneira pela qual a atividade. São utilizados os seguintes termos em um estudo de HAZOP: Nó ou Nodos – Pontos localizados em uma planta industrial entre os quais existam componentes como bombas. Severidade – Avaliação da gravidade do efeito causado em decorrência da manifestação do desvio de processo. Ocasional. Frequência – Probabilidade de ocorrência de uma causa imediata ou básica. trocadores de calor. de unidades de processo e estocagem. onde existam “riscos maiores”. vasos (tanques). Assim. quantificada conforme definida na Matriz de Tolerabilidade adotas. instrumento e/ou parâmetros operacionais podem falhar ou variar de forma indesejada.

onde para fins de cálculo de risco. A Matriz de Tolerabilidade utilizada contendo categorias de frequências e severidades são expostas abaixo. Perigo – Uma ou mais condições físicas ou químicas com possibilidade de causar danos às pessoas. à propriedade. ao ambiente ou uma combinação de todos. as letras das categorias foram substituídas por números: . P&IDs – Diagramas de Instrumentação.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor Controles Atuais do Processo – Controles existentes que possam prevenir ou ainda detectar a ocorrência do desvio para cada causa identificada. Palavra-Guia – Palavra que focaliza os desvios dos parâmetros estabelecidos para o processo ou operação em análise.

discos de ruptura. Folhas de dados de todos os equipamentos da instalação. Desenhos mostrando interfaces e conexões com outros equipamentos na fronteira da unidade/sistema analisados. etc. tais como vapor. ar comprimido. Especificações e padrões dos materiais das tubulações. etc. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Os seguintes documentos foram utilizados como referência para a elaboração do HAZOP: Tabela 2 – Documentos de referência. Dados de projeto de instrumentos. Matrizes de causa e efeito. Documentos Item Descrição Fluxogramas de engenharia (Diagramas de Tubulação e Instrumentação P&ID's). incluindo a filosofia de projeto. Outros MD-5265-5134-900-PDM-001 REV.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 4. Especificações das utilidades. C . Fluxogramas de processo e balanço de materiais. água de refrigeração. Dados de projeto e setpoints de todas as válvulas de alívio. Diagrama unifilar elétrico. etc. válvulas de controle. Memoriais descritivos. Diagrama lógico de intertravamento. juntamente com descrição completa.

se distribuíram da seguinte forma: Tabela 3 – Nós de análise ID 1 Compressor de ar NÓS INTENÇÃO Comprimir ar de instrumentação e serviços. . baseados na documentação utilizada. NÓS DE ANÁLISE Os nós analíticos.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 5.

6 Seguir procedimentos de elaboração de projeto.1. manutenção e 15 operação. 6. . As recomendações classificadas por ordem de risco (Frequência da causa x Severidade do efeito) são listas na tabela abaixo: Tabela 2 – Recomendações RISCO RECOMENDAÇÕES 15 Estudar normas de configuração de sistema de ar comprimido. além de gerar recomendações de melhoria e mitigação dos riscos. tais resultados podem ser vistos abaixo. 15 Inserir compressores no plano de manutenção preventiva. REPETIÇÕES 1 13 13 17 2 2 1 1 Revisões e alterações Necessidade de desenvolvimento de Fluxogramas de engenharia (Diagramas de Tubulação e Instrumentação . Seguir as recomendações do fabricante para instalação. 6. Recomendações Todas as recomendações foram consideradas viáveis de implantação e estão de comum acordo entre os participantes do HAZOP. 15 Seguir procedimentos de operação e manutenção.P&ID's) do compressor dentro do sistema de ar comprimido. também identifica falhas em documentos e desatualizações. RESULTADOS O HAZOP por se utilizar de fluxogramas e desenhos do sistema.2.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 6. 8 Colocar placa de identificação na válvula indicando modo de operação normal. Instalar placa de advertência ao uso de água próxima a entrada de ar 6 comprimido. 12 Instalar placa de advertências em válvulas de funções críticas.

a matriz de tolerabilidade do sistema se configura como apresentada abaixo: Tabela 4: Matriz de Tolerabilidade do Sistema. sendo que 10 eventos classificados como Não Tolerável. Segue a tabela de resumo das classificações dos eventos de acordo com a Matriz de Tolerabilidade: Tabela 5: Resumo da Classificação de Eventos. e havendo 28 eventos que devem ser gerenciados para a redução da frequência das causas e/ou redução da gravidade de seus efeitos.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 7. % 0% 74% 26% 100% Quantidade 0 28 10 38 Classificação dos Riscos Tolerável Moderado Não Tolerável TOTAL . Extremamente Remota Remota Improvável Provável Frequente TOTAL % FREQUÊNCIA Catastrófica 1 1 1 1 0 4 11% Crítica 0 7 9 5 3 24 63% Marginal 0 0 3 5 2 10 26% Desprezível 0 0 0 0 0 0 0% TOTAL 1 8 13 11 5 38 100% 34% 29% SEVERIDADE MATRIZ DE ACEITABILIDADE DO RISCO % 3% 21% 13% 100% Foram identificados 38 eventos. CONCLUSÕES De acordo com as classificações de frequência das causas e severidades dos efeitos geradas pela equipe presente na reunião de HAZOP.

Mill. 1992. Process Plant Design and Operation. Institution of Chemical Engineers. 1992. . S. Third Edition.. F.C.Análise de Perigos e Operabilidade (HAZOP) Unidade: PETROBRÁS/ REMAN Hazopcompressor 8. Institution of Chemical Engineers. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Doug. 1992. R. and Crawley.. Human Factors in Process Operations.T. HAZOP and Hazan: Identifying and Assessing Process Industry Hazards. Institution of Chemical Engineers. Kletz.