Susana Soares & João Bento

“Prevenir… para não remediar

Escola E.B. 2/3 de Oliveira do Hospital 2008/2009

Susana Soares & João Bento

“Prevenir… para não remediar

Escola E.B. 2/3 de Oliveira do Hospital 2008/2009

Introdução Actualmente, os nossos adolescentes/jovens, quer para afirmação pessoal, quer para integração num grupo, sentem-se, constantemente, aliciados a experimentar o tabaco, o álcool e mesmo outras substâncias psicoactivas, enveredando, vezes sem conta, por sendas sem retorno. Para além disso, preferem uma alimentação desregrada, relegam para segundo plano a prática de exercício físico, usam de violência uns para com os outros, e iniciam, cada vez mais precocemente, a sua vida sexual. Inconscientemente, embarcam em comportamentos de risco, que lhes acarretam um peso para o futuro: obesidade, bulimia, anorexia, gravidez indesejada e inúmeras doenças sexualmente transmitidas… Como fazer face a tais problemas? Esta é, sem dúvida, uma questão que nos assola, quotidianamente, e, ainda que não se vislumbrem respostas fáceis, nem soluções mágicas, é nosso dever, enquanto educadores, agir. Devemos, pois, ajudar os nossos adolescentes/jovens, veiculando-lhes, a priori, informação para, a posteriori, os levarmos a reflectir sobre os seus percursos de vida, a tomarem opções por si próprios e, sobretudo, a conduzirem-se de modo saudável. A Escola, um dos contextos onde passam grande parte do seu tempo, é o espaço privilegiado para a promoção da saúde, para a construção da autonomia pessoal e da responsabilidade social. Assim, com este intuito, no início do ano lectivo, após constituição de quatro grupos de trabalho distintos, implementar-se-á o Programa de Educação para a Saúde na nossa escola. Pretende-se assim que consigamos contribuir para a construção de atitudes de cidadania activa e, quiçá, a par e passo, “prevenir” para mais tarde “não termos de remediar”.

Fundamentação teórica A visão da saúde adoptada a partir da Conferência de Alma – Ata (OMS, 1978), veio alertar para a existência de duas dimensões na problemática da saúde: • Uma visão técnico - científica que remete para a importância da prevenção dos comportamentos de risco e da promoção do bem – estar; • Uma visão social e cultural, onde a melhoria das condições de vida do cidadão o conduzem a uma atitude mais exigente, crítica e preocupada face à sua saúde. Após a Conferência de Ottawa (OMS, 1986), a saúde passou a ser encarada como um processo, uma direcção, uma dinâmica, em que a pessoa é chamada a participar de forma activa na construção do seu bem – estar. O relatório “Reduzindo riscos e promovendo uma vida saudável” (OMS, 2002) salienta a importância da promoção dos comportamentos ligados à saúde e aponta como dez os factores de risco da Saúde Global: o sexo não protegido, o consumo de substâncias, a obesidade, violência, abusos de carácter sexual entre outros. Quadro sinóptico das percentagens de adolescentes face a um conjunto de comportamentos ligados à protecção e ao risco ( dados HBSC/ Portugal, 2002) Comportamentos ligados à protecção e ao risco SIM ALIMENTAÇÃO Estar em dieta Comer vegetais 27.0% Beber refrigerantes 34.6% 7.1% %

LAZER E ACTIVIDADE FÍSICA Ver TV durante a semana (4 horas ou mais) 33.0%

Act. Física fora da escola durante a semana (4 dias ou mais) 36.8% CONSUMOS Fumar todos os dias Consumo de bebidas alcoólicas 12.3% Consumir drogas no último mês RELAÇÕES INTERPESSOAIS Relações sexuais (só nos 8.º e 10.º anos) Não usar preservativo na última relação sexual 7.1% Ter relações sexuais associadas ao álcool ou à droga 12.1% 23.7% 6.6% 8.5%

VIOLÊNCIA E ACIDENTES Lutas (últimos 12 meses) Ter sido provocado várias x/ semana ( últimos 2 meses) 7.7% Ter provocado várias x/semana (últimos 2 meses) 4.0% 36.9%

A escola é um local privilegiado para o estabelecimento de hábitos de vida saudáveis. A promoção e educação para a saúde é um processo de capacitação, participação e responsabilização que inclui como principal objectivo levar os jovens a sentirem-se motivados a praticarem estilos de vida saudáveis. A promoção da saúde não pode passar apenas por uma abordagem sanitarista nem privilegiar somente a informação deve, antes, promover uma educação que tenha repercussão na vida dos jovens e no seu quotidiano.

Enquadramento Legal O XVII Governo Constitucional consagrou no seu Programa, de entre os objectivos prioritários de política educativa, a adopção de medidas atinentes à promoção da saúde no meio escolar. Neste quadro, foram ultimamente publicados o Despacho n.º 19737/2005 (2ªS), de 15.6, publicado no D.R., II, n.º 176, de 13-09-2005 e o Despacho n.º 25994/2005 (2.ªS), de 25.11, publicado no D.R., II, n.º 240, de 16-12-2005, tendo sido celebrado, também neste domínio, um Protocolo entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação, em Fevereiro do corrente ano. Assim determina-se: • Os Agrupamentos/Escolas devem incluir, no Projecto Educativo de Escola, as temáticas conexionadas com a Promoção e Educação para a Saúde; • No contexto referido no número anterior consideram-se temáticas prioritárias: alimentação e actividade física; consumo de substâncias psicoactivas; sexualidade; infecções sexualmente transmissíveis; violência em meio escolar; • Dentro do quadro da autonomia dos Agrupamentos/Escolas, o Projecto Educativo da Escola deve ser concebido de acordo com as prioridades identificadas no número anterior e em articulação com as famílias dos alunos; • Cada Agrupamento/Escola nomeia um Coordenador responsável pela

prossecução dos objectivos fixados no presente despacho; • Os Agrupamentos/Escolas devem articular com os centros de Saúde o desenvolvimento das acções conducentes à protecção e promoção da saúde global. O Grupo de Trabalho de Educação Sexual (GTES, 2005) recomenda o aproveitamento das ACND para o tratamento destas temáticas ligadas à saúde e prevê que uma hora mensal se deve debruçar sobre a temática da sexualidade, na sua vertente biológica, sócio - cultural, fenomenológica e interpessoal.

Educação para a Saúde 1. Objectivos da Educação para a Saúde na nossa escola A nova dinâmica curricular da educação para a saúde corresponde a uma educação para a autonomia, para a participação e para a responsabilização; a uma educação para a escolha de estilos de vida saudáveis e activos; finalmente, a uma educação para a protecção face a comportamentos de risco e para a valorização de alternativas. Assim sendo pretendemos: • Promover a relação harmoniosa do corpo, com o espaço, numa perspectiva pessoal e interpessoal promotora da saúde e da qualidade de vida; • • • • • • • Promover a Saúde nos seu conceito mais amplo tentando chegar a toda a comunidade escolar; Consciencializar os alunos e promover a sua capacidade de autonomia perante os problemas; Aumentar a resiliência dos alunos diminuindo os seus comportamentos de risco; Trabalhar a assertividade; Proporcionar a compreensão da sexualidade como forma de construção da personalidade e da identidade da pessoa; Promover a tomada de decisões pessoais, livres e responsáveis por parte dos alunos; Promover atitudes saudáveis numa perspectiva de saúde mental e corporal, prevenindo comportamentos de risco. 2. Objectivos das quatro áreas temáticas prioritárias Alimentação e actividade física: • • Melhorar o estado de saúde global dos jovens; Inverter a tendência crescente de perfis de doença associados a uma deficiente nutrição;

Promover a saúde dos jovens especificamente em matéria da alimentação saudável e actividade física;

Consumo de substâncias psicoactivas: • Contribuir para a definição de práticas claras em matéria de consumos de substâncias psicoactivas; • Prevenir o consumo destas substâncias em meio escolar através de debates, sessões de sensibilização e outras estratégias associadas aos trabalhos de grupo. Sexualidade: • Contribuir para uma melhoria dos relacionamentos afectivo - sexuais entre os jovens; • Contribuir para a redução das possíveis consequências negativas dos comportamentos sexuais, tais como a gravidez não planeada e as IST’s; • Contribuir para a tomada de decisões saudáveis na área da sexualidade. Infecções sexualmente transmissíveis: • Dotar o aluno de competências que o tornem capaz de relacionar harmoniosamente o corpo com o espaço, numa perspectiva pessoal e interpessoal promotora da saúde e da qualidade de vida. Violência em meio escolar: • Identificar os vários tipos de comportamentos relacionados com a violência; • Promover uma intervenção eficaz baseada em conhecimento.

Metodologia de implementação do Projecto Semana após semana, todas as turmas dos 2º e 3º Ciclos assistirão, no anfiteatro, a apresentações subordinadas às quatro áreas prioritárias: Alimentação/Actividade Física; Consumo de Substâncias Psicoactivas; Sexualidade; Violência em Meio Escolar. Para esse efeito, após divulgação do tema a abordar e do horário a cumprir, mediante a afixação de um cartaz semanal, utilizar-se-ão, em sistema de rotatividade, tempos lectivos das áreas curriculares não disciplinares – Estudo Acompanhado, Formação Cívica e Área de Projecto/Trabalho de Projecto. Cumulativamente irão ser desenvolvidas outras actividades, tais como: o implemento de actividades de Promoção da Saúde nas aulas de substituição; parcerias com o Centro de Saúde, promoção de palestras e acções de formação para alunos, encarregados de educação, auxiliares de acção educativa e docentes, abrangendo as quatro áreas prioritárias; a comemoração de dias festivos (Dia Mundial da Alimentação, Dia do Não Fumador, Dia Mundial da Sida…seguem em anexo alguns exemplos). Para maior divulgação de todas estas actividades, sejam as sistemáticas (apresentações semanais), sejam as de carácter pontual e de forma a também poder servir como “consultório virtual”, indo ao encontro das dúvidas que forem surgindo aos alunos, será criado o blogue http://pesoliveiradohospital.blogspot.com . Também a Associação de Pais divulgará, aos pais e Encarregados de Educação, as apresentações acima referidas, apelando, deste modo, à sua intervenção.

Conclusão Este projecto tem como finalidade a promoção da saúde através do envolvimento de toda a comunidade escolar e de parcerias extra-escola. Segundo o relatório Delors (1996), os quatro pilares fundamentais da educação passam por “aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a viver juntos”. Pretendemos, assim, que os alunos incutam a ideia que viver saudável e permanecer saudável pode ser divertido e compensador.

Índice 1. Introdução 2. Fundamentação teórica 3. Enquadramento Legal 4. Educação para a Saúde 4.1.Objectivos da Educação para a Saúde na nossa Escola 4.2.Objectivos das áreas temáticas 5. Metodologia de implementação do projecto 6. Conclusão

Anexos

Comemoração de dias festivos (Alguns Exemplos) Actividade 1: Comemoração do Dia Da SIDA Objectivos: • • • • Conhecer a importância da prevenção; Conhecer as formas de contágio; Saber o conceito de SIDA; Envolver os alunos em actividades lúdicas ligadas à Saúde.

Descrição da actividade: Os professores ligados ao projecto da Promoção da Saúde irão desenvolver diversas actividades com todas as turmas. Semanas antes, os alunos de CEF irão produzir panfletos relativos à temática Sida para serem distribuídos pelas turmas, o grupo de Matemática e Ciências Experimentais sensibilizará os alunos para o assunto e realizará laços para serem colocados no dia comemorativo e em Área de Projecto realizarse-ão panfletos que serão colocados no bar dos alunos bem como alguns cartazes. No dia 3 de Dezembro, os professores do projecto andarão pelas salas e convidarão os alunos a ouvir a canção “O remorso” de Da Weasel, e partindo da análise da letra da música serão abordados aspectos ligados à transmissão, ao contágio, ao conceito entre outros. Após esta actividade, será realizado o jogo denominado “O contágio”.

Por último, serão distribuídos os panfletos realizados pela turma do CEF e os lacinho.

Actividade2: Comemoração do dia dos Namorados Data: 14 de Fevereiro Local: Escola Destinatários: Pessoal Docente e Não Docente, Famílias, Comunidade… Recursos: Auditório, Sala CN1, Cantinho do Adolescente Objectivos: • • • Promover a solidariedade; Sensibilizar os alunos para a importância da dádiva de sangue; Despertar

Descrição da actividade: Uma vez que no Dia dos namorados se celebra o Amor, a equipa da Promoção e Educação para a Saúde achou por bem aliar esta comemoração à dádiva de sangue de forma a desenvolver nos alunos o espírito de solidariedade e ajuda. Deste modo, virá à escola uma equipa do Instituto Português do Sangue que recolherá sangue a professores, auxiliares de Acção Educativa e restante comunidade. Esta iniciativa será divulgada nos órgãos de comunicação social locais, bem como junto dos alunos.

Actividade3: Palestra “Solidariedade e Cidadania” Data: 13 de Fevereiro. Local: Escola E.B. 2/3de Telões Destinatários: Alunos do 5.º e 6.º anos Recursos: Auditório Objectivos: • • • • Promover a solidariedade; Moldar comportamentos; Cuidar da saúde individual; Contribuir para a saúde colectiva;

Descrição da actividade: Uma vez que no dia 14 existirá uma colheita de sangue na escola, no dia 13 de Fevereiro será realizada uma palestra acerca da importância da prevenção de acidentes para que o sangue dos dadores não seja utilizado em acidentes, mas em casos de doença. Esta palestra será presidida pela Dra. Conceição Araújo, Técnica de Saúde do Instituto Português do Sangue.

Actividade4: Palestra “A adolescência e tu” Data: 4 de Março Local: Escola Destinatários: Alunos do 8.º Ano Recursos: Auditório Objectivos: • • • • Reflectir sobre as mudanças do corpo na puberdade e na adolescência; Expressar oralmente e por escrito as suas vivências, bem como as experiências em relação ao mundo que os rodeia; Desenvolver a percepção ajustada do próprio corpo e da própria imagem, de forma a potenciar a auto-estima; Conhecer o funcionamento do corpo nos seus aspectos básicos e dar valor aos hábitos de higiene pessoal, ao exercício físico e à alimentação saudável. Relatório da actividade: Esta palestra surge como conclusão do trabalho desenvolvido nas aulas de Formação Cívica. Encontra-se dividida nos seguintes blocos: introdução geral – apresenta-se a formadora, formam-se grupos e inicia-se a primeira reflexão sobre as mudanças físicas e emocionais; primeira parte – serão abordados temas relacionados com a existência de uma grande variedade de sentimentos, a forma de enfrentá-los e as habilidades sociais, a pressão do grupo e a assertividade, o amorpróprio, a menstruação, a ejaculação, a poluição nocturna; a segunda parte – é feito um ciclo de perguntas para os alunos e alunas tratados na palestra e finaliza com um espaço de perguntas para as alunas.

Seguem ainda cartaz e guião de uma das Sessões temáticas semanais.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.