You are on page 1of 42

Crime e Desvio

Profª. Drª. Annelyse Pereira
annelysepereira@gmail.com

O que é Desvio?

O que é Crime?
Existe alguma relação entre
ambos?

Roteiro
O Explicação de crime e desvio
O Teorias sociológicas sobre o crime e o desvio
O Padrões de crime
O Estratégias de redução do crime na sociedade

de risco
O Vítimas e perpetuadores do crime
O O crime organizado
O Crime, desvio e ordem social

Norma
O É uma construção social e refere-se sempre

a um universo social particular, uma vez que
varia de grupo para grupo, de sociedade
para sociedade, no tempo e no espaço.

O As punições chamamos de sanções e essas variam em tipos e importância .O Não conformidade com determinado conjunto de normas. O É um atributo que pode aplicar a pessoas individuais ou a grupos. tolerado ou perseguido e punido. O O desvio pode ser ignorado.

O São aquelas que se recusam a viver de acordo com as regras seguidas pela maioria dos sujeitos. . O São criminosos violentos O Dependentes químicos O Delinquentes etc.

aplicação de posturas.que afetam muito o indivíduo e o seu modo de vida . O Sanções de tipo formal . O Sanções fortes . advertências. rejeições etc.O Sanções de tipo informal – olhares desagradáveis. O Sanções ligeiras – com pouca repercussão na vida e comportamento dos indivíduos. códigos e leis.

.Um desvio em relação às leis de um país considera-se crime É uma ordem de desvio e dele ficam excluídos os desvios que não infrinjam qualquer lei escrita.

classe social. desvio. .Baseia-se na aceitação de que a desigualdade social está presente em qualquer grupo humano Os modelos de representação do comportamento desviante articulam os conceitos de norma. rendimento. identidade e poder.

mas do significado social do comportamento e que o comportamento desviante segue normas de grupo.O desvio não é propriedade do comportamento. .

O Explicações Biológicas “Tipos de criminosos” O Explicações Psicológicos “Estados mentais anormais” .

O Relaciona o desvio com fatores naturais transmitidos por hereditariedade O Relaciona o desvio com tipos de personalidade e com psicopatias .

Simmel: sociologia. O Teorias de controle .).O Funcionalistas Claus Roxin (1960) Princípio da Bagatela (Da insignificância) Günther Jakobs: Funcionalismo Sistêmico : o crime é a quebra da confiança da sociedade provocada pelo individuo: produz a disfunção social. O direito tenta reparar essa disfunção. O Teorias de conflito Simmel (1910) SIMMEL. O Associação Diferencial Edwin H. São Paulo: Editora Ática. 1983. 1985) “Teoria dos rótulos”. A natureza sociológica do conflito. In: E. Sutherland (delitos de colarinho branco). O Explicações subculturais O Interacionistas: Teoria da rotulação Howard Saul Becker (1964. Morais (Org. G.

O Cada situação é analisada para concluir se contribui para a manutenção do sistema (então é funcional) ou se afeta a eficácia do sistema (então é disfuncional). O Teoria de Talcott Parsons (1902-1979): procurou formular regularidades gerais da ação individual e social. que garantem a estabilidade de sistemas sociais. .O Crime e desvio são resultados de tensões estruturais e de uma falta de regulação social dentro da sociedade. analisando os processos sociais.

DESVIO O O que viola a ordem social O Normas relacionadas aos costumes (nem todos são sancionados por lei) CRIME O Conduta inconformista que viola a Lei O Precisa de sanções do Direito O Qualquer ação que suscita uma reação organizada por parte da sociedade O Condenado pela sociedade como imoral (lhe dirige uma ofensa e tem consequências negativas para a vida social) .

Durkheim É normal. é um padrão social Ele é um fato social da vida em sociedade e está ligado as condições fundamentais de qualquer vida em sociedade .

As ideias de Durkheim Exerceram influência no sentido de deslocar a atenção das explicações individuais do desvio e do crime. para as forças sociais Merton Análise do fato social: Estrutural e funcionalista .

. Para Merton a socialização é uma das funções manifestas da escola. As dimensões de adaptação. Merton Merton: distingue função manifesta de função latente. Merton aprofunda nas suas ideias os conceitos ‘papel’ e ‘status’ e faz uma distinção entre o grupo de origem.O funcionalismo de Robert K. Critica Parsons. porque muitas destas funções são fontes de conflito e não de integração. afirmando que este sobre-estimou as funções sociais integrantes. e o grupo de referência. são involuntárias. nas funções manifestas são conscientes. nas funções latentes. a que se pertence. existentes em qualquer uma delas.

Fatores Inerentes a Organização da sociedade Consequências da realização do fenômeno .

 Sistemas Sociais:  Organizados em torno de um consenso que define os valores culturais (saberes) desejáveis Crime: Situação de anomia Distorção entre os desejos de consumo (fim cultural e a possibilidade de satisfazê-los) Desigualdade de acesso aos meios socialmente legítimos para a concretização dos valores serve de estímulo para reações desviantes .

Desejos (consumo de riquezas) Uso da violência legítima Papel do Estado Fortalecimento das instituições sociais Redistribuição de renda Crimes violentos Capitali smo Não satisfação dos desejos Enfraquecimento dos laços sociais .

.Situaram em termos de grupos subculturais que adotam normas que encorajam ou recompensam o comportamento criminoso Meninos de classe baixa trabalhadora que estão frustrados com sua situação de vida frequentemente se unem a subculturas delinquentes como gangues. Essas subculturas rejeitam os valores da classe média. substituindo-os por normas que celebram o desafio.

.Conexão entre conformidade e o desvio em diferentes contextos sociais. A falta de oportunidade para o sucesso em termos de uma sociedade mais ampla PRINCIPAL FATOR Que diferencia aqueles que se lançam em um comportamento criminoso daqueles que tomam a direção oposta.

Questionam como os comportamentos vêm a ser inicialmente definidos como desviantes e por que certos grupos. e não outros.Fenômeno construído socialmente Rejeitam a idéia de que haja tipos de conduta que sejam inerentemente desviantes. . são rotulados desviantes.

O comportamento criminoso é aprendido dentro de grupos primários . alguns ambientes sociais tendem a estimular atividades ilegais. ao passo que outros não.Vinculado a associação diferencial Em uma sociedade que contém uma variedade de subculturas.

mas como processo de interação entre desviantes e não desviantes Criam categorias de desvio que expressam a estrutura de poder na sociedade .Não como um conjunto de características .

Muitas crianças entram no pátio dos outros. roubam frutas ou matam aula Em um bairro rico passatempos inocentes da infância Em um bairro pobre evidência de tendências a delinquência juvenil .

.

enxergando-se como desviantes Os rótulos se tornam mais centrais .Normalização de um comportamento Casos em que as pessoas aceitam seus rótulos.

nas atitudes e nas oportunidade) .A TR é importante por partir da suposição que nenhum ato é intrinsicamente criminoso Não ficou claro se a rotulação tem esse poder de reforçar a conduta desviante. Os teóricos da rotulação desprezam os processos que levam a atos definidos como desviantes (diferenças na socialização.

O desvio é uma escolha deliberada e de natureza politica . . Resposta ativa das pessoas às desigualdades sociais. Análise sobre crime e desvio em termos da estrutura da sociedade e da preservação do poder entre a classe dominante.

as quais não se originam da pobreza. . mas sim do fato de serem excluídas da comunidade em um sentido mais amplo.Nas áreas urbanas decadentes. desenvolvem-se as subculturas criminosas.

.Muitos tipos de crime são um resultado de “decisões situacionais” – Uma pessoa vê uma oportunidade e é motivada para agir. O crescimento do crime é um efeito do aumento do número de oportunidades e alvos para o crime na sociedade moderna.

.

.

.

Papel dos policiais como intermediários de informações Registro de veículos A indústria de automóveis As companhias de seguro Sistema público de saúde Os tribunais criminais (material para acusação e provas) A própria administração da polícia pede relatórios sobre o incidente – registros internos e banco de dados .

Uma das tarefas centrais da política social é controlar o crime e a delinquência. Reações politicas do crime Policiando a sociedade de risco O policiamento comunitário .

é realizar a integração do policiamento comunitário. . a persuasão e o aconselhamento em vez do encarceramento. utilizando a educação. em vez de enfatizar o cumprimento da lei. Renovar a ênfase na prevenção do crime.A decadência da civilidade cotidiana está diretamente relacionada à criminalidade A polícia deve trabalhar junto com os cidadãos para melhorar os padrões da comunidade local e o comportamento civil.

ou de se tornarem vítimas de crime? Gênero e Crime .Será que algumas pessoas ou grupos têm maior probabilidade de cometerem crimes.

O desemprego e a “crise da masculinidade” Em alguns crimes as mulheres são predominantemente vítimas – O estupro Homens e mulheres homossexuais .Índices de criminalidade feminina menor que a masculina Diferenças de socialização entre homens e mulheres.altos níveis de vitimização .

Crimes executados por pessoas pertencentes aos setores mais afluentes da sociedade O crime organizado refere-se as formas institucionalizadas de atividade criminosa – atividades sistematicamente ilegais O CIBERCRIME Atividade criminosa executada com o auxilio da tecnologia da informação. como lavagem eletrônica de dinheiro e a fraude na internet .