You are on page 1of 8

Física

Fascículo 02
Eliana S. de Souza Braga
Índice

Dinâmica

Resumo Teórico ..............................................................................................................................1


Exercícios............................................................................................................................................2
Gabarito.............................................................................................................................................4
Dinâmica

Resumo Teórico

As 3 leis de Newton:

· 1.a lei ou princípio da Inércia:


® ® ® ® ® ® ® ìEquilíbrio estático = repouso (v = 0)
F res = 0 a=0 Dv = 0 v é constante í
î Equilíbrio dinâmico = M.R.U.(v ¹ 0)
® ®
· 2.a lei ou princípio fundamental: F res = m. a
· 3.a lei ou princípio da ação e reação: A toda força (de ação) corresponde uma reação igual em
intensidade e direção, porém de sentido contrário.Elas nunca se equilibram, pois atuam em corpos
diferentes.

Forças que podem atuar num corpo:

1. Peso: vertical e para baixo, de módulo P = m.g , cuja reação está no centro da Terra.

2. Normal: Perpendicular à superfície de contato.


N1chão
N F N2chão
N
N N N
N
N
P F
N P P
P1 P2
3. Tração: no fio.
N
T
T

T P T

P
P
4. Força de atrito:
N Movimento: força de atrito dinâmico
movimento ou fatd = md.N
tendência de movimento
fat
Tendência de movimento: força de atrito estático
0 £ fate £ me. N
fat P

1
5. Força de resistência do ar: Rar = C.v2 , contrário ao movimento.
Em queda vertical Em movimento horizontal
Rar

Rar
® Fm
g
P
vlim: P = Rar vlim : Fmotora = Rar

6. Força elástica: Fel = k.x onde x = l = l 0


Fel

l
l0
l0 x

Exercícios

01. (FUVEST-98-1.a Fase) Um sistema mecânico é formado por duas polias ideais que suportam três
corpos A, B e C de mesma massa m, suspensos por fios ideais como representado na figura. O corpo B
está suspenso simultaneamente por dois fios, um ligado a A e outro a C. Podemos afirmar que a
aceleração do corpo B será:
a. zero
b. (g/3) para baixo g
c. (g/3) para cima
d. (2g/3) para baixo
e. (2g/3) para cima
m m m

A B C

02. (FUVEST-98-2.a Fase) Duas cunhas A e B, de massas MA e MB respectivamente, se deslocam juntas


®
sobre um plano horizontal sem atrito, com aceleração constante a , sob a ação de uma força
®
horizontal F aplicada à cunha A, como mostra a figura. A cunha A permanece parada em relação à
cunha B, apesar de não haver atrito entre elas.
®
a. Determine a intensidade da força F aplicada à cunha A.
®
b. Determine a intensidade da força N, que a cunha B aplica à cunha A.
c. Sendo q o ângulo de inclinação da cunha B, determine a tangente de q.

F A g
B
q

2
03. (VUNESP-2000) Dois blocos A e B, de massas 2,0 kg e 6,0 kg, respectivamente, e ligados por um fio,
®
estão em repouso sobre um plano horizontal. Quando puxado para a direita pela força F mostrada na
figura, o conjunto adquire aceleração de 2,0 m/s2.

A B
2,0 kg 6,0 kg

Nestas condições, pode-se afirmar que o módulo da resultante das forças que atuam em A e o
módulo da resultante das forças que atuam em B valem, em newtons, respectivamente,
a. 4 e 16
b. 16 e 16
c. 8 e 12
d. 4 e 12
e. 1 e 3

04. (VUNESP-99) Um bloco de madeira de 2,0 kg, puxado por um fio ao qual se aplica uma força de 14 N
que atua paralelamente à superfície plana e horizontal sobre a qual o bloco se apóia, apresenta uma
aceleração de 3,0 m/s2. Este resultado pode ser explicado se se admitir que também atua no bloco
uma força de atrito cuja intensidade, em newtons, vale:
a. 6
b. 7
c. 8
d. 14
e. 20

05. (VUNESP-99) Dois blocos, de massas M e m, mantidos em repouso por um fio A preso a uma parede e
ligados entre si por outro fio B, leve e inextensível, que passa por uma roldana de massa desprezível,
estão dispostos conforme a figura. O bloco de massa M está apoiado sobre uma superfície plana e
horizontal , enquanto o de massa m encontra-se suspenso. A roldana pode girar livremente.

M
B

Num dado instante, o fio A é cortado e os blocos passam a se mover com aceleração constante e igual
a 2,5 m/s2, sem encontrar qualquer resistência. Sabendo que m = 0,80 kg e considerando g = 10
m/s2, determine:
a. a tensão T0 existente no fio B antes do corte em A ser efetuado, e a tensão T1 no fio B durante o
período de aceleração.
b. a massa M.

3
06. (FGV-Junho-2000) Três alpinistas estão em sérios
apuros. Dois deles (b e c) perderam a segurança e
estão presos somente pela corda do primeiro a 72 kg
alpinista (a), como está representado na ilustração a
seguir. A tensão entre a corda que une os alpinistas a b
e b é de 1300 N. Sabendo-se que a corda que une o
alpinista a e o rochedo suporta até 2000 N (marcado
na etiqueta, mas testes do fabricante garantem 4% a c 63 kg
mais), qual a tensão nessa corda?
Qual é a massa do alpinista b? Os alpinistas
escaparão dessa? Considerando-se desprezível o peso
da corda e g = 10 m/s2, as respostas corretas são
respectivamente:
a. 2040 N; 67,5 kg; não.
b. 740 N; 67,5 kg; sim.
c. 2020 N; 67 kg; sim.
d. 2600 N; 62 kg; não.
e. –1300 N; 67 kg; sim.

Gabarito

01. Alternativa c.
Isolando os corpos, colocando todas as forças em cada corpo, e usando para cada um Fres = m.a,
temos:
T1

A a

P A: P – T1 = m.a
B: T1 + T2 – P = m.a +
T1 T2 C: T2 – P = m.a
______________________________________

P = 3 m.a
B a
m.g = 3 m.a
g
P
=a
3
a = g/3 e B está subindo
T2

C a

4
02. Coloque todas as forças que agem nas cunhas. Isole a
cada cunha e escreva para cada uma Fres = m.a (2.a lei
de Newton). Resolva o sistema. N
F g
a. A N1
N N.cosq B
q
N.senq q PA N
F ìF – N.senq = M A .a
í
î N.senq = MB .a
PA = MA.g PB

b.
F = (MA + MB). a
N1
N.senq
N.senq = MB .a ü (N.senq ) 2 + (N.cosq ) 2 = (MB .a) 2 + (M A .g) 2
ý
N.cosq q N.cosq = M A .gþ N2 × (sen2 q + cos 2 q ) = (MB .a) 2 + (M A .g) 2
q
N= (MB .a) 2 + (M A .g) 2
PB = MB.g
c.
ì N.senq = MB .a senq M .a MB .a
í = B tgq =
îN.cosq = M A .g cosq M A .g M A .g

Dica:
Coloque todas as forças que agem nas cunhas. a
Decomponha N, nos eixos x e y. Isole cada cunha e
escreva para cada uma Fres = m.a (2.a lei de Newton). N
Resolva o sistema. F g
A N1
B

q PA N

PB

03. Alternativa d.
Do princípio fundamental da Dinâmica (Fres = m.a) podemos determinar os módulos da resultante
que atuam em A e B:
FresA = 2,0 . 2,0 FresA = 4,0 N
FresB = 6,0 . 2,0 FresB = 12 N

04. Alternativa c.
Como a força de atrito é contrária a esse movimento, temos:
Fres = m. a F – fat = m.a 14 – fat = 2 . 3 –fat = 6 – 14
fat = 8 N

5
05. Antes do corte em A, temos:
T0 T=P T = m.g = 0,80.10 = 8,0 N
A T
M T = T0 T0 = 8,0 N
Após o corte em A, temos:
B
T P – T = m.a 8,0 – T = 0,80 .2,5 T = 6,0 N
m
P T = M.a 6,0 = M . 2,5 M = 2,40 kg

06. Alternativa c.
P1 = 72.10 = 720 N P2 = 10 . m P3 = 63.10 = 630 N
De acordo com o texto, T2 = 1300 N
T1
T1 – T2 – P1 = 0
T2 – T3 – P2 = 0
T3 – P3 = 0

T2 P1
T1 – 1300 – 720 = 0
1300 – T3 – 10.m = 0
T3 – 630 = 0
T2
T1 = 2020 N
T3 = 630 N
1300 – 630 – 10 m = 0 10 m = 670 m = 67 kg
P2 A tração máxima suportada pela corda é 2000 N, de acordo com a
T3 etiqueta.Como o fabricante garante 4% a mais, temos:
4
Tmáx= 2000 + .2000 = 2000 + 80 = 2080 N
100
T3
Como T1 < Tmáx, os alpinistas escapam ilesos.

P3