Fascículo 04 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química

Índice
Radioatividade ...............................................................................................................................1 Exercícios............................................................................................................................................2 Gabarito.............................................................................................................................................3

Radioatividade
• É a emissão de Radiação de um núcleo instável, que se transforma em outro núcleo instável ou estável (Desintegração de um isótopo). Isótopos (átomos do mesmo elemento) • N.o atômico igual (mesmo n.o de prótons). • N.o de massa diferente (diferente soma prótons + nêutrons).

Isóbaros (átomos de elementos diferentes) • N.o atômico diferente (diferente n.o de prótons). • N.o de massa igual (mesma soma prótons + nêutrons). Tipos de Radiação Naturais Alfa Beta Gama α β γ
4 2

α β

íons de 2p e 2n elétron (1 e–) ondas eletromagnéticas

0 –1 0 0

γ

Leis das emissões radioativas 1.a Lei: Emissão α
A Z

X → 4α + 2 X →
0 –1

A–4 Z–2

Y

226 88

Ra → 4 α + 2
0 –1

222 86

Rn Pa

2.a Lei: Emissão β
A Z

β +

A Z+1

Y

231 90

Th →

β +

231 91

Meia Vida (P) • É o tempo necessário para que metade de uma amostra se desintegre. Curva do decaimento radioativo do 8 átomos P
226 88

Ra

Restam 4 átomos

1

Exercícios
01. (VUNESP/97) O acidente do reator nuclear de Chernobyl, em 1986, lançou para a atmosfera grande quantidade de 90 Sr radioativo, cuja meia-vida é de 28 anos. Supondo ser este isótopo a única 38 contaminação radioativa e sabendo que o local poderá ser considerado seguro quando a quantidade de 90 Sr se reduzir, por desintegração a 1 /16 da quantidade inicialmente presente, o local poderá ser 38 habitado novamente a partir do ano de: a. 2014 b. 2098 c. 2266 d. 2986 e. 3000 02. (VUNESP/98) No processo de desintegração natural de 238 U, pela emissão sucessiva de partículas alfa 92 e beta, forma-se o 226 Ra. Os números de partículas alfa e beta emitidas neste processo são, 88 respectivamente: a. 1 e 1 b. 2 e 2 c. 2 e 3 d. 3 e 2 e. 3 e 3 03. (VUNESP/99) O tecnécio-99, um isótopo radioativo utilizado em Medicina, é produzido a partir do molibdênio, segundo o processo esquematizado:
99 42

Mo →

99 43

1/2 Tc + partícula X   → Produto Y + radiação γ 

t

= 6,0h

Define-se t1/2 (tempo de meia-vida) como o tempo necessário para que ocorra desintegração de metade do total de átomos radioativos inicialmente presentes. É correto afirmar que: a. X é uma partícula alfa b. X é uma partícula beta c. ao final de 12 horas, toda a massa de 99 Tc é transformada em produto Y 43 d. ao final de 12 horas, restam 72% da quantidade inicial de 99 Tc 43 e. o produto final Y é um isótopo do elemento de número atômico 44 04. (FUVEST/99) Rutherford determinou o valor da constante de Avogadro, estudando a série radioativa abaixo, onde está indicado o modo de decaimento de cada nuclídeo. Ra → Rn →
α α I
218 84

Po → Pb → Bi → Po → Pb
α β β α

II

III

a. Escreva as equações de desintegração dos nuclídeos nas etapas II e III da série dada. Indique todos os números atômicos e de massa. b. Calcule a constante de Avogadro, sabendo que: • 1,0 g de rádio, Ra, produz 3,0x1015 partículas por dia, na etapa I da desintegração. • Uma vez formado o radônio, Rn, este e os demais nuclídeos que o sucedem se desintegram rapidamente até dar o último nuclídeo (Pb) da série apresentada. • As partículas transformam-se em átomos de hélio. • 1,0g de rádio, Ra, considerando-se todas as etapas da desintegração, produz, em 80 dias, 0,040mL
2

de gás hélio, medido a 25°C e 1 atm. Dado: volume molar dos gases a 25°C e 1 atm = 25L/mol 05. (FUVEST/2000) Para diagnósticos de anomalias de glândulas tireóide, por cintilografia, deve ser introduzido no paciente, iodeto de sódio, em que o ânion iodeto é proveniente de um radioisótopo do iodo (número atômico 53 e número de massa 131). A meia-vida efetiva desse isótopo (tempo que decorre para que metade da quantidade do isótopo deixe de estar presente na glândula) é de aproximadamente 5 dias. a. O radioisótopo em questão emite radiação β–. O elemento formado nessa emissão é 52Te, 127I ou 54Xe? Justifique. b. Suponha que a quantidade inicial do isótopo na glândula (no tempo zero) seja de 1,000g e se reduza, após certo tempo, para 0,125µg. Com base nessas informações, trace a curva que dá a quantidade do radioisótopo na glândula em função do tempo, colocando os valores nas coordenadas adequadamente escolhidas.

Gabarito
01. Alternativa b. n  → 
1

1 1 1 1 n  → n  → n →   n 2 3 4 2 4 8 16

1 meia-vida = 28 anos 4 meias-vidas = 4 x 28 = 112 anos (início) 1986 + 112 (anos decorrentes) = 2098 02. Alternativa d.
238 92

U → x 4α + 2

0 –1

β +

226 88

Ra

índices superiores:

238 = x . 4 + y . 0 + 226 238 = 4x + 226 4x = 12 X = 3 (partículas α) 92 = x . 2 + y.(–1) + 88 92 = 3 . 2 – y + 88 y = 2 (partículas β)

índices inferiores:

03. Alternativa b. X é uma partícula β
99 42

Mo →

99 43

Tc +

0 –1

β

04. a. etapa II: etapa III:

218 84 218 82

Po → 4 α + 2 Pb →
0 –1

214 82

Pb Bi

β +

214 83

b. 1,0 g de Ra produz 3,0.10 partículas, portanto 3,0.1015 átomos de He, por dia. Em 80 dias: 80 . 3,0.1015= 240.1015 átomos de He. Como no total são 4α = 4. 240.1015 = 960.1015 átomos de He
3

15

0,040.10–3L ___ 960.1015átomos 25L ___ x x = 6.1023átomos

05. a. Ao emitir partícula beta (negativa), o número atômico do átomo aumenta em uma unidade, portanto o elemento formado é o Xenônio
131 53

I →

0 –1

β + →

131 54

Xe 0,500µg →
5 dias

b. 1,000µg

5 dias

0,250µg

5 dias

0,125µg

4