Fascículo 05 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química

Índice
Gases ...............................................................................................................................................1 Exercícios............................................................................................................................................4 Gabarito.............................................................................................................................................7

Gases I

Estado gasoso = partículas sem interação
f • Velocidade alta • Alta energia cinética
Nº de moléculas

Temperatura

Frio
aN.o de moléculas acom maior

<

T ambiente

<

Quente
aN.o de moléculas acom maior

<

aN.o de moléculas az< acom maior

aenergia

aenergia

aenergia

1

Leis dos gases

Comportamento dos gases em relação à variação de temperatura, volume e pressão.

Variação da pressão com o volume (Lei de Boyle) P

Variação do volume com a temperatura (Lei de Charles) V

Variação da pressão com a temperatura (Lei de Charles - Gay Lussac) P

V P.V = constante

T(K) V = constante T

P = constante T

T(K)

P.V = constante T

2

Gases II Equação dos gases perfeitos (Equação de Clapeyron)
R: constante universal dos gases R = 0,082a R = 62,3a R = 8,31a atm.L mol.K

aPressão é definida como a aforça por unidade de área

mmHg.L mol.K KaPaadm 3 mol.K (UNICAMP)

a

PV =R nT

an: quantidade de amatéria m an = M

aT (K) = t (ºC) +273

É importante recordar: 1 dm 3 = 1000 cm 3 = 1L = 1000mL

3

Gases III
aLei volumétrica de Gay - Lussac : Numa reação química, no estado gasoso, onde os produtositambém são gases, existe uma relação de números inteiros eisimples entre os volumes dos reagentes e dos produtos formados. aHipótese de Avogadro (Relação entre n.o de partículas e P, V) : Sob as mesmas condições de P e T, volumes iguais de gases diferentes têm o mesmo número de apartículas. Mistura de gases - A pressão total (P) da mistura, é igual à soma das pressões parciais. (P = p A + p B ) - Pressão Parcial = Pressão que um dos componentes da mistura teria se ele ocupasse sozinho o volume do recipiente. (p A e p B ) ↓ - Pressão parcial é fração da pressão total. ↓ pA = XA . P X A = fração molar = nA n.o de mols de A = n.o de mols total n A + nB

aMistura de gases aPHe = 100 mmHg VHe = 1L THe = T

100 mmHg

300 mmHg

Hélio

Hidrogênio

PH2 = 300 mmHg VH2 = 1L TH2 = T

1 litro

1 litro

Pressão Parcial do He PHe . VHe pHe . V = T T aVHe = V aPHe = pHe pHe + pH2 = Ptotal (a T constante) Relação entre pressão parcial e pressão total pressão parcial do He pHe . V nHe . R . T = = pressão total P.V nt . R . T nHe = XHe = fração molar (fração de mols) nt a
4

Pressão Parcial do H2 PH2 . VH2 pH2 . V = T T aVH2 = V aPH2 = pH2

pHe = P . XHe

pressão parcial = Pressão total da mistura multiplicada pela fração (em mol) do gás.

Exercícios
01. ( FUVEST/97) A figura representa três etapas de uma experiência em que ocorre reação química entre dois gases incolores ( NO e O2 ), à mesma temperatura e pressão e contidos em seringas separadas. Após a mistura, houve consumo total dos reagentes com formação de um produto gasoso marrom, nas mesmas condições de pressão e temperatura dos reagentes. Se a reação química que ocorreu for representada por mNO + nO2 → pNxOy, os coeficientes estequiométricos m, n e p deverão ser, respectivamente: a. b. c. d. e. 2,1,1 4,1,2 1,2,1 4,3,2 2,1,2

02. ( FUVEST/99) Certo gás X é formado apenas por nitrogênio e oxigênio. Para determinar sua fórmula molecular, comparou-se esse gás com o metano (CH4). Verificou-se que volumes iguais dos gases X e metano, nas mesmas condições de pressão e temperatura, pesaram, respectivamente, 0,88g e 0,32g. Qual a fórmula molecular do gás X ? Dados: Massas molares (g/mol): H =1, C = 12, N = 14, O =16 a. b. c. d. e. NO N2O NO2 N2O3 N2O5

03. (FUVEST/99) H2(g) e Cl2(g) estão contidos em balões interligados por meio de um tubo com torneira nas condições indicadas no desenho. Ao se abrir a torneira, os gases se misturam e a reação entre eles é iniciada por exposição à luz difusa. Forma-se então HCl(g), em uma reação completa até desaparecer totalmente pelo menos um dos reagentes. Quanto vale a razão entre as quantidades, em mol, de Cl2(g) e de HCl(g), após o término da reação? a. b. c. d. e. 1 2 3 4 6

5

04. (FUVEST/99) Certo refrigerante é engarrafado, saturado com dióxido de carbono (CO2) a 5°C e 1 atm de CO2 e então fechado. Um litro desse refrigerante foi mantido algum tempo em ambiente à temperatura de 30°C. Em seguida, a garrafa foi aberta ao ar (pressão atmosférica = 1 atm) e agitada até praticamente todo o CO2 sair. Nessas condições (30°C e 1 atm), qual o volume aproximado de CO2 liberado? Dados: Massa molar do CO2 = 44 g/mol Volume molar dos gases a 1atm e 30°C = 25 L/mol Solubilidade do CO2 no refrigerante a 5°C e sob 1atm de CO2 = 3,0 g/L a. b. c. d. e. 0,40 L 0,85 L 1,7 L 3,0 L 4,0 L

05. (UNICAMP/97) O esquema abaixo representa um dispositivo para se estudar o comportamento de um gás ideal. Inicialmente, no frasco 1, é colocado um gás à pressão de 1 atmosfera, ficando sob vácuo os frascos 2 e 3. Abre-se, em seguida, a torneira entre os frascos 1 e 2 até que se estabeleça o equilíbrio. Fecha-se, então, esta torneira e abre-se a torneira entre os frascos 1 e 3. O volume do frasco 1 é 9 vezes maior do que do frasco 2 e o do 3 é 9 vezes maior que o do 1. a. Feito o procedimento acima descrito, em que frasco haverá menor quantidade de moléculas de gás? Justifique. b. Sendo p2 a pressão final do frasco 2 e p3 a pressão final no frasco 3, qual será o valor da relação p2 /p3, ao final do experimento? Justifique. Observação: Desprezar o volume dos tubos das conexões

06. (VUNESP/98) Sabe-se que o volume molar de um gás nas condições normais de temperatura e pressão (CNTP) é igual a 22,4L e que R = 0,082 atm.L. K-1. mol-1, o maior número de moléculas está contido em 1,0 L de: a. b. c. d. e. H2, nas CNTP N2, nas CNTP H2, a –73°C e 2 atm H2, a 27°C e 1 atm Uma mistura equimolar de H2 e N2 a 127°C e 1,5 atm

6

07. (PUC/99) Uma amostra de gás oxigênio ( O2) a 25°C está em um recipiente fechado com um êmbolo móvel. Indique qual dos esquemas abaixo melhor representa um processo de expansão isotérmica?

a.

b.

c.

d.

e.

7

Gabarito
01. alternativa: e reage e forma proporção volumétrica portanto: m NO + n O2 → p NxOy 3 V : 1,5 V : 3 V 2 : 1 : 2 2 NO + O2 → 2 NO2 M=2 n=1 p=2

02. alternativa: b Aplicando o princípio de Avogadro temos: nX = nCH4 CH4 1 mol —— 16g n —— 0,32g X n = 0,02 mol

0,02 mol —— 0,88g 1 mol —— M M = 44g/mol correspondente ao N2O

03. alternativa: b Aplicando PV=nRT H2 1.1 = n R 298 n(cloro) = 5n (hidrogênio) Cl2 5.1 = n R 298 Se temos x mol de H2 teremos 5x mol de Cl2 A equação química do processo e´: H2 + Cl2 → 2 HCl 1mol 1 mol 2mol x mol x mol 2x mol Cl2 em excesso: 5x – x = 4 x Razão: quantidade em mol de Cl2 = 4x = 2 quantidade em mol de HCl 2x 04. alternativa: c Em 1,0 L de refrigerante temos 3,0g de CO2 dissolvido 44g ——-25 L 3,0g —— x x = 1,7 L

8

05. Abrindo a torneira que liga os frascos 1 e 2, temos: P1V1 = PfVf 1.V1 = Pf ( V1+V2) como V1 = 9V2 1 . 9V2 = Pf ( 9V2 + V2) 9V2 = Pf 10V2 Pf = 0,9atm Frasco 1: P1 = 0,9atm Frasco 2: P2 = 0,9atm Abrindo a torneira que liga os frascos 1 e 3, temos: P1V1 = PfVf 0,9.V1 = Pf ( V1+V3) como V3 = 9V1 0,9 V1 = Pf ( V1 + 9 V1) 0,9 V1 = Pf 10V1 Pf = 0,09atm Frasco 1: P1 = 0,09atm a. Aplicando PV = nRT temos: Frasco 1 Frasco 2 Frasco 3 0,09. 9V2 = n1RT ∴ n1 = 0,9 . V2 = n2RT ∴ n2 = 0,81V2 RT 0,9 V2 RT 7,29 V2 RT Frasco 3: P3= 0,09atm

0,09 . 81V2 = n3RT ∴ n3 =

Haverá menor quantidade de moléculas no frasco 1 P 0,9atm b. 2 = = 10 P3 0,09atm 06. alternativa: c aeb c d e 1 mol —— 22,4L n —— 1L PV = nRT 2.1 = n.0,082.200 PV = nRT 1.1 = n.0,082.300 PV = nRT 1,5.1 = n.0,082.400 n = 0,045mol n = 0,122mol n = 0,041atm n = 0,046mol Nota: 1mol —— 6.1023 moléculas

07. alternativa: c Numa transformação com temperatura constante, se aumentarmos a pressão, o volume diminui proporcionalmente e vice-versa. Os gases ocupam todo o volume do recipiente, mantêm sua massa e não se decompõem em outros compostos

9