You are on page 1of 14
POESIA CONCRETA Haroldo de campos 70 71 72 Arnaldo Antunes 7 3 D éc io Pi gn ati ri 74 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: 01. (PUC-PR) A poesia concreta no Brasil caracteriza-se por: dar continuidade à corrente intimista e estetizante dos anos 40. descaso pelos aspectos formais do poema e preferências pela linguagem correta. preocupação com a correção sintática, pela renovação dos temas relacionados com os estados psíquicos do poeta. rigidez no nível prosódico e pela impassibilidade diante dos problemas nacionais. visar a atingir e a explorar as camadas materiais do significante (som, letra impressa, linhas, superfície da folha). 02. (PUC-PR) de sol a sol soldado de sal a sal salgado de sova a sova sovado de suco a suco sugado de sono a sono sonado sangrado de sangue a sangue O poema concretista, acima indicado, apresenta as seguintes inovações no campo verbal e visual: abolição do verso tradicional; desintegração do sistema em seus morfemas; a palavra dá lugar ao símbolo gráfico. apresentação de um ideograma; uso de estrangeirismos, esfacelamento da linguagem. ausência de sinais de pontuação; uso intensivo de certos fonemas; jogos sonoros e uso de justaposição. uso construtivo dos espaços brancos; neologismo; separação dos sufixos e dos prefixos; uso de versos alexandrinos. apresentação de trocadilhos; uso de termos plurilinguísticos; desintegração da palavra e emprego de símbolos gráficos. CAPÍTULO V LITERATURA MARGINAL SESSÃO LEITURA: Apagar-me Apagar-me diluir-me desmanchar-me PREZADO CIDADÃO até que depois Colabore com a Lei de mim Colabore com a Light de nós Mantenha luz própria. de tudo não reste mais que o charme. Pedro Lemisnki REFERENCIAL Solteira de aceso facho precisa logo de um macho; se é nervosinha a casada só pode ser mal tratada; viúva cheia de enfado tem saudade do finado; puta metida a valente quer cafetão que a esquente; Mulher não vive sem homem. Chacal Mulher não vive sem homem. A prova mais certa disto é que até as castas freiras são as esposas ...de Cristo. tal regra é tão extremista que não contém exceção: quem sai dela é feminista, fria, velha ou sapatão. e é essa bobagem de preconceitos adquiridos que chega-se à conclusão na separação dos amores doloridos de que não houve culpados. Só feridos. GABARITO 01) E 02) A Leila Miccolis 79 REFERÊNCIAS ABAURRE, Maria Luiza. Português língua e literatura. São Paulo: Moderna, 2000. ADORNO, Theodor. Indústria Cultural e Sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2002. ANDRADE, Pau-Brasil in CÂNDIDO, Antonio e CASTELLO, José Aderaldo. Presença da literatura brasileira – Modernismo. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1997. BOSI, Alfredo. História concisa da Literatura Brasileira. São Paulo, Cultrix, 2006. COHEN, Renato. Work in progress na cena contemporânea. São Paulo, Perspectiva, 2004. DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro, Ed. Rio. 1976 FREUD, Sigmund. Além do princípio do prazer. Rio de Janeiro, Imago, 1976. HALL, Stuart. A identidade cultural na pós modernidade. DP&A, Rio de Janeiro, 2006. 217 LEFEBVRE, Henri. Marxismo. L&PM, 2009. MARX, K. e ENGELS, F. Manifesto comunista. Garamond, 1998. NIETZSCHE. Além do bem e do mal. Companhia das Letras, 2005 TRINGALI, Dante. Escolas Literárias. São Paulo, Musa Editora, 1994. CURSO PRÉ-UNIVERSITÁRIO POPULAR – UFJF 2014