You are on page 1of 2

ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO

De acordo com as normas da ABNT (NBR5413), cada ambiente requer um determinado
nível de iluminância (E) ideal, estabelecido de acordo com as atividades a serem ali
desenvolvidas, segundo a tabela abaixo:

20 - 30 - 50
50 - 75 - 100
100 - 150 - 200

TIPO DE
MATERIAL

GRAU DE
REFLEXÃO

Branco

70 até 80%

Madeira

70 até 80%

Preto

3 até 7%

Concreto

3 até 7%

- ruas públicas e estacionamentos

Cinza

20 até 50%

Tijolo

20 até 50%

- ambientes de pouca permanência

Amarelo

50 até 70%
Rocha
Tabela 3.2.b – Refletâncias.

50 até 70%

ILUMINÂNCIA (lux)
CLASSE A (áreas de
uso contínuo e/ou
execução de tarefas
simples)

GRAU DE
REFLEXÃO

COR

TIPO DE AMBIENTE / ATIVIDADE

- depósitos

200 - 300 - 500

- trabalhos brutos e auditórios
- trabalhos normais: escritórios e
500 - 750 - 1.000
CLASSE B (áreas de
fábricas
trabalho em geral)
- trabalhos especiais: gravação,
1.000 - 1.500 - 2.000
inspeção, indústrias de tecidos
2.000 - 3.000 - 5.000 - trabalho contínuo e exato: eletrônica
CLASSE C (áreas
- trabalho que exige muita exatidão:
com tarefas visuais
5.000 - 7.500 - 10.000
placas eletro-eletrônicas
minuciosas)
10.000 - 15.000 - 20.000 - trabalho minucioso especial: cirurgia
Tabela 3.2 - Iluminâncias (em lux) para cada grupo de tarefas visuais.

Tipo

Fluxo Luminoso
(lm)
864

IRC

Incandescente (127V)

Potência
(W)
60

Incandescente (127V)

100

1620

100

Fluorescente TLT

20

1100

70

Fluorescente TLD

32

2350

66

Fluorescente TLD/840

36

3350

85

Fluorescente TLT

40

2600

70

Fluorescente TLD/840

58

5200

85

100

PESO

Fluorescente TLT

65

4400

70

-1

0

+1

Fluorescente TLT

110

7600

70

Idade

Inferior a 40
anos

De 40 a 55
anos

Superior a 55
anos

Vapor de mercúrio

80

3700

48

Vapor de mercúrio

125

6200

46

Velocidade e precisão

Sem
importância

Importante

Crítica

Vapor de mercúrio

250

12700

40

Vapor de mercúrio

400

22000

40

Refletância do fundo de tarefa

Superior a
70%

De 30 a 70%

Inferior a 30%

Vapor metálico

256

19000

69

Vapor metálico

390

35000

69

CARACTERÍSTICAS DA TAREFA
E DO OBSERVADOR

Tabela 3.2.a – Fatores determinantes da iluminância adequada.

Vapor metálico

400

35000

69

Procedimento:

Vapor metálico

985

85000

65

a)
b)
c)

Mista

165

3150

61

Mista

260

5500

63

Vapor de sódio

70

6600

25

Vapor de sódio

150

17500

25

Vapor de sódio

250

33200

25

Vapor de sódio

400

56500

25

Vapor de sódio

600

90000

25

d)
e)

analisar cada característica para determinar o seu peso (-1, 0 ou +1);
somar os três valores encontrados, algebricamente considerando o sinal;
quando o valor total é igual a –2 ou –3, utiliza-se a iluminância mais baixa do
grupo;
quando o valor total é igual a +2 ou +3, utiliza-se a iluminância mais alta do grupo;
quando o valor total é igual a –1, 0 ou +1, utiliza-se a iluminância média do grupo;

Tabela 3.5.a – Fluxo luminoso.

64 .62 .59 . via de regra.60 .47 .2.66 .72 .32 .36 .49 .49 .62 .54 .79 50 30 .85 .61 .69 .50 2.70 .25 .43 .60 .47 .53 .41 .76 .51 .70 .82 .72 .48 .42 .37 .25 1.62 .29 .48 .35 .25 .62 .63 .40 . Branco 80% Teto Parede Piso 5) 80 50 30 .60 .30 .71 .36 .52 .8 0.85 30 10 .68 .72 30 10 .57 .32 .59 .a.2 e 3.62 .50 3.74 30 10 .81 .92 50 10 .54 .25 1.60 0.71 .79 . dos índices de reflexões do teto.44 .78 30 10 .45 .6 Calcular a quantidade de luminárias: N = E×S ϕ × FU × FM onde: N – quantidade de luminárias E – iluminância desejada S – área do local ϕ .73 0 10 10 .30 .76 50 30 .87 .56 .89 50 10 . 2) Calcular o índice do local (K): K= onde: C – comprimento do local L – largura do local A – altura entre a luminária e o plano de trabalho 3) Escolher o tipo de lâmpada e a luminária.38 .68 .55 .57 . entre 1 e 1.49 .74 .52 .38 .41 .38 .68 .30 .46 .37 .71 0 0 .66 .76 .00 2.63 .64 .80 1.37 .89 .65 .57 .50 3.77 .34 .74 .00 2.43 .56 .2 x TLTRS 110 W Fator de Área K 0.72 .74 30 10 10 .40 .52 . parede e piso.41 .46 .9 0.60 .53 .36 .ROTEIRO Tabela de Fator de Utilização – luminária TBS027 .46 .29 .92 70 50 10 .52 .37 .66 .54 .39 .2 x TLDRS 32W Fator de Área K 0.63 .74 .81 .33 .65 .52 .73 .44 .59 .67 .47 .69 .67 .56 .28 .56 .74 .67 .fluxo da luminária = fluxo luminoso da lâmpada x quantidade de lâmpadas por luminária FU – fator de utilização FM – fator de manutenção 7) O espaçamento das luminárias para se obter uma distribuição uniforme da iluminação deve ser.44 .5 vezes a altura entre a luminária e o plano de trabalho (A).42 .60 .50 .56 .75 30 10 10 .30 . determina-se o fator de utilização (FU).78 .73 .48 .72 .74 .70 .00 1.00 4.76 -78 50 30 30 .00 1.44 .64 .72 0 0 0 .65 .24 .67 .50 .00 4.68 .40 .00 C×L (C + L) × A Limpo Médio Sujo 0.50 2.40 .66 .71 .83 50 50 10 .65 .36 .33 .53 .64 .70 .79 6) 70 30 10 .55 .89 .42 . na tabela da luminária escolhida.58 .54 .75 .80 1.46 .58 .89 50 20 .82 .64 .00 5. 4) Em função do índice do local (K).84 .66 .72 .49 .59 .70 1) Determinar a iluminância (E) utilizando as tabelas 3. .58 .67 .51 .58 -66 .76 .31 .74 10 10 .76 30 10 .37 .38 .47 .61 .66 .62 .68 .00 80 50 30 .86 .00 5.46 .42 .68 .60 0.48 .77 .80 .50 .73 .64 .69 Claro 70% 50% Médio 50% 30% 30% Escuro 30% 10% 10% Fator de manutenção: Ambiente Fator de manutenção (FM) Tabela de Fator de Utilização – luminária TCK 431 .78 .70 .53 .43 .48 .62 .70 .81 .71 .72 .53 .