You are on page 1of 7

Graça e Paz irmãos

,

*A PROBLEMÁTICA DA CORRESPONDÊNCIA DE PAULO COM AS IGREJA DE
CORINTO E FILIPOS*
Quando eu respondi à pergunta do Jobson sobre referências bíblicas a livros
“perdidos” que não estão na Bíblia, eu mencionei que havia uma
problemática relacionada à troca de cartas entre Paulo e a Igreja de Corinto.
Esse é um assunto polêmico, pois claramente Paulo escreveu mais de duas
cartas para aquela igreja (ele diz isso em 1 Co 5.9), porém só duas estão na
Bíblia. Ou temos quatro cartas de Paulo aos Coríntios em nossa Bíblia!!!???

Estudiosos da língua grega defendem que as duas cartas que temos hoje na
Bíblia, na verdade, seriam quatro cartas que foram juntadas em duas. Não
se duvida da autoria paulina para nenhuma parte. Mas, argumentam eles,
que a diferença de estilo, de tom e de escolha de assuntos e de palavras,
evidenciam de que elas foram escritas a quatro tempos. O mesmo tipo de
questionamento é feito a respeito da Carta de Paulo aos Filipenses, inclusive
com um registro histórico da Igreja de que ele Escreveu várias cartas aos
crentes de Filipos.
Abaixo eu coloco Três estudos realizados por Champlim sobre isso. Em suas
obras ele colocou esses assuntos como parte das introduções de I e II
Coríntios e de Filipenses. Ressalto porém que, apesar dos questionamentos
daqueles que tem competência para avaliar os textos na língua original, que
nada aqui pode ser provado. Mas os indícios são fortes. Todavia isso não
afeta nossa crença de que o que foi preservado para nós é o que Deus
queria que recebêssemos.

*TEXTO NA INTRODUÇÃO DE I CORÍNTIOS*

Trata-se este de um assunto complexo, e as investigações feitas sobre o mesmo não tem
produzido qualquer coisa como resultados certos. Pode-se dizer com confiança,
entretanto, que houve mais do que duas epístolas de Paulo aos crentes de Corinto, e que
as próprias epístolas I e II Coríntios representam mais do que duas epístolas. Diversas
reconstituições têm sido sugeridas, conforme os exemplos que damos abaixo:
É provável que Paulo escreveu ao menos quatro epístolas aos Coríntios, partes das quais
jestao contidas em nossas duas epístolas tradicionais. Devemos observar que em I Cor.
5:9 há menção de alguma outra epístola que o apostolo escreveu para eles, e que
evidentemente antecedeu o material apresentado na primeira epístola aos Coríntios. Na
reconstituição da correspondência com a igreja de Corinto, as sugestões tem sido como
a que mostramos abaixo:
*1.* II Cor. 6:14-7:1 seria fragmento de uma carta que fora escrita acerca da questão do
jugo desigual, mas que, mais tarde, veio a ser incorporada com outros materiais da

Ernest Leroux. 6:14 . 10:1-22. ao passo que os capítulos primeiro a nono fazem alusões ao passado (ver II Cor. Porém. 356-357.7:1. 10:6 e 13:2. a que já nos referimos (II Cor. ou mesmo que se tratavam de duas cartas paulinas separadas.7:1. *4. e que elas faziam parte de outra missiva. 6:12-20. pois. Alguns estudiosos também tem procurado situar os capítulos decimo a decimo terceiro antes da secção dos capítulos primeiro a nono. *1. parece formar uma unidade. porquanto aqueles capítulos parecem referir-se a questões futuras (ver II Cor. 6:14 . 12:1 . em sua obra Introduction au Nouveau Testament. 7:1 parece indicar uma correspondência entre os coríntios e Paulo que provavelmente consistiu da troca de várias cartas. 72-86.16:6 e.6:11 e 16:10-14. Mas -a secção dos capítulos decimo a decimo terceiro. 6:14 .* Uma terceira carta.* O trecho de II Cor.20.* A carta pre-canonica. na presente posição em que se encontra. conforme conhecemos hoje. 1 . como as ideias de Johannes Weiss. 1926. *2.9). os primeiros capítulos da segunda epístola aos Coríntios expõe uma atmosfera de alivio e ações de graças.* A primeira epístola aos Coríntios representa essencialmente uma única carta. talvez tenha incluído os trechos de I Cor. ‘Les epistre pauliniennes’. 5:9. pois.* A passagem de II Cor. . outras reconstituições da correspondência paulina com os crentes de Corinto tem sido propostas. pags. tudo o que sugere que houve deslocação de material. talvez. escrita após a grande crise que houve entre Paulo e a igreja de Corinto. finalmente. The History of Primitive Christianity. 10). que foi enviada antes de II Coríntios. que mais tarde foram unidas. tendo. *2. menos a secção de II Cor. diz essencialmente a mesma coisa. preserva para nós nos permite conhecer um pouco mais da vida de Paulo. conteria II Cor.9. I Cor. 16:16-19. 10:123.8. que versava sobre as facções existentes em Corinto. tem sido denominada pelos estudiosos de ≪carta pacifica≫. 10 -13 parece ser uma carta separada. 7 . por causa de seu conteúdo severo. embora pesada e amarga. Paulo apelar para o sarcasmo e para as denuncias violentas. pags. 6:12-20. provavelmente foi enviada entre I Coríntios e as outras porções de II Coríntios. 10:24 11:1. E aquela ≪carga amarga≫. 1:23 e 2:3. IV.22-24. I. *3. Parece-nos melhor pensar que tais denúncias na realidade pertençam ao tempo anterior a composição da primeira porção da segunda epístola aos Coríntios.correspondência paulina com a igreja de Corinto. referida em I Cor. embora o sétimo capitulo da mesma possa ser uma secção separada. Essa passagem. 10-13). ainda que na ordem contraria da que foram escritas. Paris. subitamente. Maurice Goguel. embora com alguma redistribuição de material. que alguns eruditos têm chamado de ≪carta amarga≫. *3.* II Cor. para então. e talvez 16:7. a saber: *1. sido formulada em uma única epístola.9. 1:1 . Essa epístola parece estar um tanto _deslocada_. 11:2-34. 1926).7:1. e o trecho de I Cor.* A resposta de Paulo a carta trazida de Corinto continha talvez I Cor.

representam mais do que duas cartas. que as duas epístolas que possuímos. 55-58. apesar do que pequenas porções da mesma talvez tenham feito parte de alguma carta ou cartas separadas. mas parece que esta segunda epístola aos Coríntios representa uma serie de missivas.V.14:40. The Second and Third Epistles to the Corinthians・. não sendo provável que qualquer dessas opiniões represente a verdade da questão. (Ver as notas expositivas sob o título ≪Autor≫. _não existe meios_ para a defesa dessas teorias. Pouca dúvida pode haver que a complexa situação que houve em Corinto não poderia ter sido solucionada por apenas uma epístola ou duas.* I Cor. Questão da integridade desta epístola* A maioria dos interpretes acredita que a primeira epístola aos Coríntios forma..* I Cor. embora a primeira epístola aos Coríntios parece ser uma unidade. 16:1-9. 1927. as quais na realidade não seriam apenas duas.G. 5:1 . ver as seguintes obras: J. Parece perfeitamente certo. Kennedy. *3. representariam três ou talvez até mesmo quatro cartas diversas. Na realidade. mas antes.8:13. pags. Tasker. 16:10. e ainda outras discussões acerca da correspondência de Paulo com Corinto. 1:10 . pags. The Earlier Epistles of Paul. XLVII. que mais tarde foram incorporadas a mesma. uma unidade solida. como se todas elas representassem uma única missiva escrita pelo apostolo Paulo. 9:1-27. E embora quais secções exatas representam missivas separadas seja uma questão . o que ele escrevera a Corinto veio a ser incorporado em apenas duas unidades. Já a segunda epístola aos Coríntios pode ser mais facilmente dividida. com muito maior grau de exatidão potencial. essencialmente.11. As indagações que tem sido levantadas. quando a coletânea de escritos paulinos foi recolhida. que eventualmente foram reunidas.*2. 144 e ss. na secção I desta introdução).4:21.6:11. no que tange a correspondência de Paulo com a igreja de Corinto não incluem qualquer ideia de dúvida acerca da autenticidade dessas cartas—isto e. podem ser encontradas na introdução a segunda epístola aos Coríntios). (Quanto a fontes informativas acerca da natureza da correspondência paulina com Corinto. mais curtas ou mais longas. conforme as conhecemos atualmente. 1935-1936. 10:23 . escritas pelo apostolo Paulo aos Coríntios. E também e provável que tivessem sido escritas ainda outras epístolas de Paulo a Corinto.12. todavia. Expository Times. 7:1 . E então. não se põe em dúvida que o apostolo Paulo foi o autor das mesmas— porquanto esse ponto e concordado pela maioria esmagadora dos interpretes de todas as escolas. formando uma unidade. 15:1-58. das quais não possuímos um fragmento sequer. Kirsop Lake.H. com qualquer grau de certeza. o que nos explica a complexidade das duas epístolas propostas. R. *TEXTO NA INTRODUÇÃO DE II CORÍNTIOS* *1.

Foi em vista dessas notícias favoráveis que Paulo escreveu a chamada ≪epístola de agradecimento≫. II Cor. 2:9). Essa ≪epístola severa≫ e aceita atualmente como certas porções ou mesmo a totalidade do trecho de II Cor. 7:5-12). Isso não significa. depois de ser sabido que a mesma se mostrara eficaz (e até mesmo os seus adversários admitiam tal fato. 2:6). e de faze-los repelirem os adversários. o leitor pode consultar a introdução a primeira epístola aos Coríntios. como se vê em II Cor. onde se encontrou com Tito. Também escreveu com a determinação firme de renovar a lealdade dos crentes de Corinto para com ele. 1-9 e inteiramente diversa daquilo que aparece em II Cor. Tito não compareceu ao encontro. 7:5-9. *2. e a angustia de Paulo se intensificou. (Ver II Cor.em tomo da qual os interpretes não chegaram ainda a um acordo. Isso quer dizer meramente que o apostolo Paulo enviou mais do que somente duas epístolas aos crentes de Corinto. onde repentinamente. que lhe trazia notícias favoráveis. Pelo menos podemos supor que esses capítulos (decimo a decimo terceiro) representam uma parte daquela ≪epístola severa≫. talvez a cidade de Filipos. Sua própria severidade servira tão-somente para assegurar-lhes o quão profundamente se interessava e preocupava por eles (ver II Cor.* A tonalidade do trecho de II Cor. 1-9. 2:12). não mais se entristecia por causa dela. (Ver II Cor. Evidentemente Paulo haveria de ir ao encontro de Tito em Trôade. Paulo escreveu aquela ≪epístola severa≫ triste e lacrimejante. com qualquer notícia que este último pudesse trazer sobre a situação em Corinto. a gratidão de Paulo ante o fato que a combinação de sua ≪epístola severa≫ e da mediação de Tito havia sido suficientemente eficaz para solucionar os problemas da igreja de Corinto. também diz que. que menciona tal correspondência anterior. enviada pelo apostolo Paulo aos crentes de Corinto. (Ver II Cor. a porção essencial do trecho de II Cor. 1-9. sob o título ≪A Correspondência de Paulo com Corinto≫. se modifica. conta com razoes que nos impelem a aceita-la como certa. (Por exemplo. repetidas insistentemente. (Ver II Cor.4). Paulo expressa sua tristeza por ter enviado aquela carta. Foi então que Paulo se dirigiu a Macedônia. A epístola de agradecimento. a linguagem suave que Paulo vinha usando nos capítulos primeiro a nono. mas. E é patente que Tito também se aproveitou da oportunidade para promover a coleta que (Ver II Cor. Todavia. 10-13. A maior parte dos eruditos acredita que houve pelo menos quatros dessas missivas. No entanto. 2:4). 1-9. Isso transparece de modo claro na passagem de II Cor. 10-13. exigiu alguma forma de punição para o líder que se opunha a ele (ver II Cor. Nesses capítulos decimo a decimo terceiro aparecem reprimendas e autodefesas inflexíveis. pois Paulo lhe assegurara que os crentes de Corinto seriam novamente conquistados a amizade de Paulo. já que a mesma havia contribuído para a sua reconciliação com os crentes coríntios. aparecem outras referências aquela ≪epístola severa≫ em II Cor. (Quanto § detalhes maiores sobre esse problema. contudo. Tendo sido .15). secção IV). a ideia de uma coleção de epístolas. e não de uma única epístola. Não obstante. pois aquela primeira porção da nossa segunda epístola aos Coríntios mostra. 2:3.8:6). que qualquer de suas porções seja posta em dúvida como paulina. e vice-versa. e que precedeu a escrita do trecho de II Cor. A essas notas são adicionadas as seguintes observações sobre as possíveis cartas separadas que podem ser distinguidas em nossa segunda epístola aos Coríntios: Parece não haver qualquer sombra de dúvida sobre o fato que houve uma ≪epístola severa≫. evidenciando o seu alivio devido a melhoria das condições entre os crentes daquela cidade. Foi Tito quem levou essa carta. 10:10). 7:14.

ou talvez a totalidade . pois. que teriam sido combinadas. Ele foi discípulo direto do Apóstolo João e foi pastor da Igreja de Esmirna. embora tivessem sido combinadas de uma forma a dar a entender que elas sejam apenas duas. Policarpo. as quais são aceitas por muitos eruditos como cartas compostas por pelo menos quatro epístolas. isso parece fazer de nossa segunda epístola aos Coríntios uma conjunção de três cartas. Paulo já havia dito aos crentes da Macedônia que os crentes de Corinto estavam preparados para cumprirem a sua parte ria coleta. Alguns interpretes destacam o trecho de II Cor. Mas outras divisões ainda têm sido propostas pelos eruditos. esperando que os crentes coríntios se preparassem para fazer a sua contribuição. ou mesmo como parte de uma outra missiva. Todavia. Assim . prometendo-lhes a recompensa divina em face da mesma. e partes das mesmas. Paulo pode dar prosseguimento aos seus planos de visitar novamente a igreja de Corinto. e dessa vez o fez com alegria. a epístola aos Filipenses é vista mais ou menos como I e II Coríntios. como genuinamente paulina. conforme sucedera na vez anterior. conforme se pode verificar na introdução a primeira epístola aos Coríntios. a fim de emularem aqueles crentes a ação. porém tem sido quase universalmente aceito que nossa epistola neotestamentária aos Filipenses representa uma ou mais das cartas genuínas do apóstolo Paulo àquela comunidade cristã. em sua secção IV. Não temos maneira de saber quantas dessas cartas foram escritas por Paulo. raramente foi posta em dúvida. O trecho de Rom. para garantir que essa coleta se completaria. por outro lado a «autenticidade» dessa epístola. essas três epístolas formadoras da segunda epístola aos Coríntios são as mais frequentemente propostas. Assim sendo. 15:24-27 indica-nos o total sucesso desse apelo feito por Paulo. *TEXTO NA INTRODUÇÃO DE FILIPENSES* *Problema semelhante ocorre com a Carta aos Filipenses* Na Igreja Primitiva houve um pastor chamado Policarpo. Por essa razão e que o apostolo permaneceu ainda na Macedônia. (Ver II Cor. em sua epístola aos Filipenses (3:2). esse apostolo enviou mensageiros a sua frente. *3. Alguns eruditos crêem que nesse livro ha fragmentos de mais uma carta. Assim. completando a coleta ali feita e dando prosseguimento ao seu ministério geral do evangelho. podemos supor que houve uma «correspondência de Paulo com Corinto» que envolveu várias epístolas. (Ver II Cor. e não em tristeza e lamentação. 6:14-7:1 como uma possível missiva curta sobre o problema do jugo desigual. Porém.8:1-5 e 9:2). seguindo os costumes dos líderes da época. isto é. no tocante a coleta. Era mister que Paulo fosse ali.solucionados os problemas principais. representadas nesta segunda epístola aos Coríntios. 9:2). enviava cartas para diversas igrejas como uma forma de orientá-las. já que a mesma talvez tenha sido interrompida pelo conflito entre Paulo e alguns dos membros da igreja de Corinto. se a _integridade_ da epístola é posta em dúvida por alguns estudiosos. indicou que o apóstolo Paulo havia escrito diversas cartas para eles. se essa epístola representa uma única missiva ou mais de uma. formando a que atualmente conhecemos. Ele. Ora. Paulo exortou os crentes de Corinto a contribuírem com generosidade.* Existem outras possíveis missivas. a fim de recolher a coleta que desejava levar para os santos pobres de Jerusalém.

embora esses não fizessem parte real da igreja de Filipos. Por semelhante modo. teria sido . a idéia de que a nossa epístola aos Filipenses contém fragmentos de tal correspondência. Além disso. ele os denuncia em termos severos e os mais violentos. que precisavam de ser amargamente contrariados. poderíamos crer que outros pensamentos invadiram a mente de Paulo. pertenceria a uma epístola que Paulo escrevera anteriormente. esse capítulo é de espírito diferente do restante do livro. ou pelo menos parte da mesma. Lake). se lê «Quanto ao mais . e um fragmento interpolado que denuncia o ensinamento falso dos missionários judaicos e o antinominianismo de certos crentes gentios (Fil. que usamos como base textual deste comentário. Williams e F.»).S. As introduções a I e II Coríntios explicam detalhadamente as várias especulações que há sobre essa questão. não são fortes. C. a palavra _Finalmente_ . Outrossim. esse terceiro capítulo parece ser uma espécie de conclusão de uma epístola. e ainda outros sugerem F il. apesar de talvez expressar uma verdade.W.de uma ou duas. e não um argumento que se possa colocar com naturalidade no meio de uma epístola. contrariamente ao caso de I e II Coríntios. conforme aparece aqui em Filipenses. mesmo depois do orador ou pregador ter afirmado que estava prestes a terminar o seu discurso. 3:1 indica de forma definida que Paulo já havia escrito aos crentes de Filipos em outras ocasiões. No primeiro capítulo Paulo alude aos seus opositores com uma atitude de esplêndida magnanimidade. Isso explicaria adequadamente a diferença de tonalidade. na opinião de certos eruditos. ao passo que as exortações severas teriam sido feitas contra aqueles que Paulo reputava como falsos pastores. que reconhecia a dádiva dos Filipenses através de Epafrodito (Fil. Qualquer pessoa que esteja acostumada a ouvir discursos ou sermões feitos por pessoas que não se atêm a notas escritas. dentro dos limites de uma única epístola. uma epístola de agradecimento. Essa secção. McNeile. não é facil de defender. (Ver Fil. no capítulo terceiro. O trecho de Fil. Michael). 3:19 (como J . muitos eruditos acreditam que o terceiro capítulo da mesma. porém. Bear considera a epístola como composta por três elementos distintos.C. Assim é que. para os quais Paulo se referiu. De fato. entretanto. Bear). alguns têm pensado ser a «correspondência de Paulo com Filipos». e as defesas a essa teoria. Porém. 4:1 (conforme A . não há acordo sobre a extensão das mesmas. não indica necessariamente que a epístola estava prestes a terminar.4:1). Outros intérpretes. outros em Fil. A lguns estudiosos põem-lhe ponto final em Fil. 3:1-4). No que tange ao problema dessa epístola aos Filipenses. sabem como suas mensagens podem estender-se. Suas exortações suaves teriam sido dirigidas para aqueles que ele considerava verdadeiros crentes. no começo do capítulo terceiro desta epístola. na ocasião precisa em que essa idéia lhe ocorreu pela primeira vez. mais porções de outras. 3:2.. entre aqueles que consideram certas porções do terceiro capítulo desta epístola como interpolações. que aparece em algumas versões (em nossa versão em língua portuguesa. asseveram que realmente havia dois grupos distintos. foram combinadas em duas epístolas compostas. 4:10-20). que versaria sobre a controvérsia com os mestres judaizantes..H . o que tê-lo-ia impedido de encerrar sua epístola. que vaiavam aos crentes e os deixavam perplexos. e que já havia dito nelas coisas que agora reiterava.H . É possível que entre esses estivessem alguns judeus hostis. E mesmo que porventura tivesse sido assim. a saber. 4:3 (como K.

como Éfeso. a despeito de seus níveis e de sua complexidade de material. Ainda outros estudiosos acreditam que o trecho de Fil. como terceiro elemento de nossa epístola aos Filipenses. e esses eruditos tendem a considerar que a nossa epístola aos Filipenses representa essencialmente uma única missiva de Paulo.21-23. -composto por outrem. pensam que essas especulações criam mais dificuldades do que resolvem. dirigida não para Roma.dirigida a alguma outra igreja. segundo dizem certos estudiosos. . Há também aqueles que pensam que essa passagem seja uma espécie de hino cristológico. Além disso. em nome do apóstolo. uma espécie de mensagem de despedida. constituída pelos trechos de Fil. ou adicionado mais tarde por alguém à correspondência entre Paulo e os crentes de Filipos. incluindo muitos de tendências liberais. 1:1. 2:511 seja pré-paulino ou pós-paulino. teria sido uma carta de introdução de Febe. Embora algumas dessas especulações possam parecer um tanto plausíveis. mas para algum outro lugar. mais ou menos da mesma maneira que o décimo sexto capítulo da epístola aos Romanos.3:1. a maioria dos eruditos. haveria o arcabouço geral dessa epistola. acrescentado pelo próprio Paulo à sua epístola. Vários eruditos acreditam que essa foi a missiva final do apóstolo Paulo à igreja na terra. 4:2-9. mas que veio a ser vinculada à nossa epístola aos Filipenses.