You are on page 1of 30

!

#

%

"#

##

$

&

TAC03001 _E Ed 01

1

© 2008 Alcatel-Lucent., All rights reserved

# "

%

'
"#

#

#

%

" 01 2

%

01 2 % % "
3 4 5&

(

)"

" % "

*+,- *

,

., /
#
, /

#

% &
%

, 01 2

"

01 2

*

'

# " , 01 2-

., 01 2
6 "

TAC03001 _E Ed 01

" 01 2

2

© 2008 Alcatel-Lucent., All rights reserved

#

% "

"

#

"#

"

#7

"

#8

+
#
'

$
(
*

"

%#$&
%)
%) &

$

!

> Diferentes modos de envio são suportados para que seja possível se acomodar a
diferentes modelos de rede de diferentes operadores

TAC03001 _E Ed 01

3

© 2008 Alcatel-Lucent., All rights reserved

Cada quadro Ethernet naquele PVC ATM é transportado transparentemente para esta VLAN e quadros recebidos sobre a interface Ethernet com o rótulo da VLAN são enviados para a PVC identificada por este rótulo de VLAN. All rights reserved . 6 4% # % . O modelo é conceitualmente idêntico a uma “cross-connect” (conexão) ATM. # (# : # % # (# >!# " :0. Cada PVC ATM que estiver configurado em um modo “cross-connect” é mapeada a uma única VLAN. " 01 2@ $ " % " * (# # % ) " " & > No modo “cross-connect”." 9# . 01 2- " 4% (# % %? # #% # 8 . Isto é porque existe apenas um único usuário no caso de uma VLAN “crossconnect”.. o ISAM não se preocupa com os endereços MAC. > Um duto de bits por assinante uma vez que o assinante é identificado por: • Lado da rede: rótulo de VLAN “Single” ou “Stacked” (ver depois) • Lado do usuário: PVC para ATM ou porta DSL para EFM. TAC03001 _E Ed 01 4 © 2008 Alcatel-Lucent.. > Está claro que uma VLAN em modo “cross-connect” também tem duas propriedades básicas que diferenciam o bridge inteligente de um bridge padrão: não é possível a comunicação de usuário para usuário no ISAM e são evitadas as tempestades de broadcast. " =% " # % (# % (# % & # 2 ( # < 01 2 *.

/. em bridge Eth. Eth. em bridge VLAN VLAN VLAN VLAN LLC SNAP LLC SNAP Física Física Física Física AAL5 AAL5 TAC03001 _E Ed 01 5 ATM ATM xDSL xDSL Física Eth. All rights reserved . Encam.. IP ! " # ! % ! $ TCP $ IP PPP PPP PPPoE PPPoE Eth. Física © 2008 Alcatel-Lucent. Cross connect Eth.   Aplic...

# :+ % # 9 " 6 B C 01 2 D. All rights reserved . D.' ( / / ( ! A $ ! 8 : ::: ! 0:. ISP2 ISP1 > Na VLAN em modo “cross-connect” uma VLAN de Cliente (C-VLAN) contém apenas uma porta de usuário.0.. > Quadros rotulados suportados para o modo “cross-connect” TAC03001 _E Ed 01 6 © 2008 Alcatel-Lucent.

Então sem problema no caso de endereços MAC duplos. em um BAS onde estas VLAN são “terminadas”. Esta característica de identificação de usuário então deve estar disponível em um dispositivo superior na rede: p. uma vez que eles estão em VLAN’s diferentes de qualquer maneira. All rights reserved . • O requerimento é totalmente preenchido para as VLAN’s em “croos-connect” por construção. de Usuário e de Cascata podem estar dentro da mesma VLAN.0.# #" ## " " 01 2 E 0:. a identificação de usuário pode ser facilmente feita com base na VLAN dada. > Todas as responsabilidades são mudadas para o Edge IP.ex.. > Sem comunicação de usuário para usuário dentro do ISAM • Nota: este requerimento é aplicável ao modo RB.. de ASAM ou de Cascata).0. existe uma VLAN por usuário ou por linha DSL (até mesmo por PVC de ATM). " " "#) " > # 7 #F ::: # F *0:. " " # " # ! # ## "! "! " #% # " 2?% " 3 9# # : 9 #" #" " " ?% " ( ! " 9 " . TAC03001 _E Ed 01 7 © 2008 Alcatel-Lucent..- (# #% # " 1 > Sem segregação de clientes No caso do modo “cross-connect”. % %? # % " 01 2@ . :0. já que o isolamento é atingido pela associação de porta das VLAN’s de um para um (da interface de rede para uma de Usuário. porque as portas de ASAM.

D. 01 2 . a porta do usuário de entrada sem o MAC DA é suficiente para o ISAM identificar a porta upstream de saída e o rótulo da C-VLAN. > Na direção de downstream apenas a C-VLAN (sem o MAC DA) é suficiente para o ISAM identificar a porta de usuário de saída. " . 9 #"! .0"1 # # !' ( ! ! 3 9 % % " " 16 . > Na direção de upstream.. 01 2 D. TAC03001 _E Ed 01 8 © 2008 Alcatel-Lucent. All rights reserved . 01 2 % : GH # G 01 2 0:. !' - " #! ( & )* + . Esta C-VLAN é a VLAN padrão baseada na porta configurada para esta porta de usuário. " 01 2 . " .0. > Uma identidade de VLAN em particular pode ser configurada apenas uma vez: • Em qualquer das portas de usuário do ISAM • Sobre todos os ISAM’s na rede Ethernet completa a qual o ISAM está conectado.

' ( $- ! "# $ )* + .% / TAC03001 _E Ed 01 9 / © 2008 Alcatel-Lucent. All rights reserved ..

All rights reserved .' A " "#% 6 # % (2 8 !# " 01 2 J# F # # "! " I " % : " (# " #" #" " " " # # " 9 " 01 2 .KL " (# " :" /:& + 0 &$# 1 / 1 &$# 1 $ 1 1 &$# 1 % TAC03001 _E Ed 01 10 © 2008 Alcatel-Lucent.." .

" 01 2 * . chamada de VLAN de Serviço ou S-VLAN. 01 2 01 2 ' # " . TAC03001 _E Ed 01 11 © 2008 Alcatel-Lucent. O empilhamento de VLAN introduz uma outra camada de VLAN. similar a uma LAN amarrando várias VLAN’s. 01 2 " " # 8 % " " . o empilhamento de VLAN será suportado se o Modo “VLAN Dual Tagging” (Rótulo Duplo de VLAN) estiver habilitado. amarra várias VLAN’s menores. * / A " "#% " 01 28 01 2 " 01 2 " # # % ' = #" ( % #F % 8 . Uma VLAN “mais externa” pode ser amarrada a várias VLAN’s “mais internas”./. 01 2- > Para poder suportar mais VLAN’s “cross-connect”. Mais detalhes referentes aos modos de empilhamento de VLAN serão discutidos mais tarde nesta apresentação. All rights reserved . chamadas de VLAN’s de Clientes ou C-VLAN’s. Deste modo. " .. uma VLAN.

All rights reserved . ( B< * # F -8 .' 6# . 01 2@ . B "< * ' '   % #F " - ' ' ' " 01 2 A = " " " #" " " " & ' ' (# 01 2 #" " " " F #" " 01 2 .: % :0 * & - $ > A C-VLAN não empilhada em “cross-connect” pode ser usada para usuários residenciais.. TAC03001 _E Ed 01 12 © 2008 Alcatel-Lucent.

o rótulo 400 usado entre os sites corporativos 1 e 2 e o rótulo 401 usado entre os sites 1 e 3. etc. Ela pode oferecer um serviço como o de VPN. > A S-VLAN “cross-connect” é considerada um modo “single-tag” (rótulo único). TAC03001 _E Ed 01 13 © 2008 Alcatel-Lucent. 3 ' 01 2@ (& ' ' ' ' ' ' %% ()# % % % # 01 2@ (# = ! % .ex.- > A S-VLAN “cross-connect” (transparência de C-VLAN) é interessante para usuários corporativos. • P.' 6# " . All rights reserved . 01 28 !! "< #! # # M- $ #8 !! "< #! # # 8 % " " > > *> * % 9=% . assim como a C-VLAN “cross-connect” não empilhada. " " > . B<8 (% . .#! 9 #"! % # #" #" # ( ! " *% % > M- #" " " ...

01 2 . + * +* ' .' 6# . ( B<8 .

apenas o rótulo mais externo é considerado. > Na service hub. porta 48) Esteja certo de que estas identidades de VLAN não ocorram como VLAN’s “residential bridge” ou “layer2terminated” no mesmo ISAM! Neste caso não será possível reutilizar a identidade de VLAN.1 - " " #" " " " #" " " . VLAN 1648 = LT 16. cada usuário tem uma identidade de C-VLAN que reflete a posição da prta no ISAM VLAN 101 = LT 1. > A SC-VLAN “cross-connect” é um modo rótulo duplo (você configura os dados do sistema para a VLAN no ISAM para o rótulo duplo e todas as associações de VLAN usam rótulos duplos). > Com a SC-VLAN “cross-connect”. um rótulo C pode ser reutilizado em combinação com diferentes rótulos S. > Por exemplo. * ' ' * ' %% * ' % + *' +* ' TAC03001 _E Ed 01 +* ' 14 © 2008 Alcatel-Lucent.. porta 1. * ' ' * ' B# ! 01 2< *. . os mesmos rótulos S podem ser usados por diferentes rótulos C. All rights reserved . Assim como.. 01 2 " " % " % % 9 #"! 01 2 #F " % % 01 2 > A SC-VLAN “cross-connect” pode ser interessante tanto para os usuários corporativos quanto para os residenciais.# # * '  ' ' +* . 01 2 = ? # ? # " B "< * % # F " - F #" 9 #"! " . a VLAN empilhada pode identificar um ISAM e a C-VLAN é única naquele ISAM (ex.

# 9 *"+ # # 45 (* $. "+ / ? . 0$# * / " . Este controle é tipicamente realizado centralmente. - .$#" ("$" * * / " .#"# $ 3.("$" " $ # *"+ # .#" < ? (* @( / ( .$#" ("$" * *45 # 3-" )$ $ )$ $ $12 $12 ("$" ("$" *"(+-. O roteador Edge IP ou o B-RAS precisam manter a liberdade de alocação deles como eles desejem. * . 3 . • Manipulando o multicast local: guiado pelo IGMP."/ . *"$$ " # $ ( $"0 .4 5 .# 6 %4 " : D & 6& 3 .: " /> " " N : *% ? # # 7 % 01 2 - " ::: > Também chamado de uma VLAN “residential cross connect” (“cross-connect” residencial) > O modo “cross-connect” de VLAN “protocol-aware” (ciente de protocolo) tem as seguintes características: • Tipos de interfaces xDSL: – ATM: *"(+-. . ". ."=> 9$ ("++ # > 9 (45 # 9 : .: N : ::: ' '   ' ' ' H # % F " . # < # 45 ".-/ $8 -. • Policiamento por PVC (ATM) ou linha DSL (EFM). EFM de VDSL2 – Identificação de assinante: . " -/ " ( $ " ! ./ #" # 9 #"! <8 D " ."/ – Ethernet: EFM de VDSL.# $8 -. "#" 9 . "+ / +" +" +# + ? • Sem endereços MAC ou “anti-spoofing” de endereço IP uma vez que o escopo desses endereços se mantém limitados dentro do modo “protocol-aware cross-connect”. # " $12 $ ( $"0 . a cross-connect se torna “protocol-aware”! TAC03001 _E Ed 01 15 © 2008 Alcatel-Lucent.. 6 / " 7 *" "++ * "# " -/ . All rights reserved A . Quando você configura um canal de controle de IGMP em uma porta bridge ou em uma VLAN de assinante pode você tem uma VLAN de rede “cross-connect” associada.#"# $ 3.

em outras palavras. TAC03001 _E Ed 01 16 © 2008 Alcatel-Lucent. ' / &0 > Adicionando algumas VLAN’s cientes de protocolo no plano de dados. usando a filtragem de protocolos (ver seção de Bridge Inteligente)./ 7 / . '   ' % ' / &0 2 3% . o ISAM pode fornecer envio “cross-connect” baseado na informação de protocolos dentro do quadro Ethernet similar ao modelo iBridge (bridge inteligente).. All rights reserved .

TAC03001 _E Ed 01 17 © 2008 Alcatel-Lucent. simulando o PVC (EFM. podemos desacoplar a interface de assinante da interface de envio e assim a VLAN do lado do usuário pode ser a mesma para todos os usuários mesmo no caso das máquinas de envio 1:1 como o modelo “crossconnect”. ) pode existir uma VLAN de assinante! Neste caso não há a VLAN de rede associada à VLAN de usuário (ver adiante). • Nota: ela vai adiante também no caso dos modelos de envio de camada mais alta (bridge “IP Aware”... > Se ambas são diferentes isto significa que a tradução (substituição) de VLAN será feita. VDSL).8 9 ' ( 4   5 ' 4 6 ' 4 7 ' ' ' ' > Por que tradução de VAN? • No caso de uma VLAN separada necessitar ser usada para identificar um serviço. encaminhamento. All rights reserved .. > Isto se faz possível pela definição de 2 VLAN’s em uma porta bridge: • Uma VLAN de rede e uma VLAN de assinante (usuário)..

9 TAC03001 _E Ed 01 ' 18 ( © 2008 Alcatel-Lucent. All rights reserved ..

endereços MAC estáticos na seqüência. o parâmetro de sistema do IACM é usado. Se por outro lado o valor padrão -1 for deixado.' ( / / #) 3 4 58 . All rights reserved . este valor sobrescreverá o da camada 2 do IACM – Parâmetros de Sistema Ethernet – Tempo de Envelhecimento da Base de Dados de Envio..5 o tempo de envelhecimento específico de VLAN pode ser definido. > Nem todos os parâmetros podem ser configurados já aqui. Se for.. . # 01 2 % % " .ex. # * 01 2 % % " . > Do R3. Você pode configurar p.. ! 8 !9: 0 0 9: !' ( ! ! """ B !' 1"" AAA (.. TAC03001 _E Ed 01 19 © 2008 Alcatel-Lucent. %# "< 01 2@ % #F " - 8 . % " . O .

– [no] pvid: identidade de VLAN padrão para os quadros não rotulados. ' . . 01 2L % " . . ' • configure vlan id <ident. 01 2L % > Service hub: • configure vlan shub id <ident.&&& P. . padrão = 0. / 8 #! % L # 3 9 F 9 #" K#" 8 . " . Padrão = “network” (sem tradução de VLAN). padrão = “untagged”.&. – [no] name <nome> < ' / – [no] mac-move-allow – [no] egress-port ( # ! # 5 < 7 / / – [no] untag-port / / > ASAM-CORE 5.._da_C-VLAN> mode cross-connect • Parâmetros opcionais 8 . padrão = 1 – [no] accept-frame-type: aceita tipos de quadro.&&& J B8 ! ! . 01 2L % 9 #"! #" K#" P. TAC03001 _E Ed 01 20 © 2008 Alcatel-Lucent. – [no] max-unicast-mac: número máximo de aprendizagem de endereços MAC. Padrão “stacked:0:4097” ( = “no pvid”) – [no] default-priority: prioridade a ser definida nos quadros de upstream. All rights reserved . – [no] mac-learn-off: desabilita a própria aprendizagem de endereços MAC.:._da_C-VLAN> mode cross-connect • Parâmetros opcionais: – [no] vlan-scope: local (usado para a tradução de VLAN onde a identidade da VLAN relacionada é a VLAN de assinante). 01 2 9 #"! .# 01 2 # #! K 01 2 #! #" K#" # "# # ! P..# ( #" K#" P01 2L % " " .

" #! B8 9 #"! B "8K#" 01 2 9 #"! 8 . 8 .&&& J 01 2 .&&& P 01 2L8 #" B "8K#" P 01 2L8 A S-VLAN “cross-connect” também é conhecida como transparência de C-VLAN. . / 8 #! % #" K # #" B " 8K#" P 01 2L8 % " % L " . ' TAC03001 _E Ed 01 21 © 2008 Alcatel-Lucent. Você pode ignorar a C-VLAN inteiramente e simplesmente adicionar um rótulo S.. O tráfego com apenas um rótulo C está relacionado com o não rotulado. < ' / ! # ( # 5 < 7 / / / / 5. . .&. All rights reserved ..# ( "# # ! P 01 2L % " 8 . ' .# 01 2 # #! # F 9 F 9 #" K#" ! ! ..

.# #F # #" . All rights reserved . 8 . todas as portas LT (links de ASAM) terão a associação de VLAN.# # F 9 #" K#" P01 2L F 9 "# # % " O ! %# " 8 .. . 01 2 #! O 9 #"! 8 #" . 01 2L #" #! #" B " 8K#" 9 #"! B " P 01 2L8K#" P.Q&&&R J B8 01 2 % # F " #! . ' TAC03001 _E Ed 01 22 © 2008 Alcatel-Lucent. 01 2L #" J B > Para a tradução de VLAN (note que a C-VLAN empilhada em “cross-connect” já é um exemplo de tradução de VLAN!) ver depois. ' ( . > A VLAN de empilhamento é uma VLAN compartilhada. 01 2L % " % L " .# /.&. / % #" K B " 8K#" P 01 2L8K#" 9 #"! P.&&& B " 8K#" P 01 2L8K#" P. * 01 2 % #! ! ! . / B " 8K#" P 01 2L8 % " 01 2 #! # %# " . . Portanto. < ' / ! # ( # 5 < 7 / / / / 5. . " .".

_S-VLAN_rede> • configure bridge port <x> pvid <ident. All rights reserved . " #" tag single-tagged 01 28 #! 9 #"! J B #" : ._C-VLAN_rede> • configure bridge port <x> pvid <ident.. > Para a C-VLAN “cross-connect”: • configure bridge port <x> vlan-id <ident._C-VLAN_assinante> network-vlan stacked:<ident._C-VLAN_assinante> network-vlan <ident. " " # ! # 8 #" tag single-tagged ._C-VLAN_assinante> vlan-scope local • configure bridge port <x> vlan-id <ident. 01 28 #! 9 #"! J B #" #" B " tag single-tagged > A VLAN de assinante é uma usada pelo assinante para os quadros rotulados.% (!# # # " 01 2 = : ./ 9 ' ( % ! & # =% " # " 01 2@ * 01 2 " ._S-VLAN_assinante> > Para S/C-VLAN “cross-connect” (VLAN “cross-connect” empilhada): • configure bridge port <x> vlan-id <ident. 01 28 #! 9 #"! J B #" : ._C-VLAN_assinante> > Para S-VLAN “cross-connect”: • configure bridge port <x> vlan-id <ident... " .._C-VLAN_rede> • configure bridge port <x> pvid <ident.._S-VLAN_assinante> vlan-scope local • configure bridge port <x> vlan-id <ident._S-VLAN_assinante> network-vlan <ident._S-VLAN>:<ident._C-VLAN_assinante> TAC03001 _E Ed 01 23 © 2008 Alcatel-Lucent._C-VLAN_assinante> vlan-scope local • configure bridge port <x> vlan-id <ident.

/ 4 * 56 ' " %? # 2 % " ( . 01 2@ P $ "# 24 . K#" P01 2L " . F J < " 01 2 . 01 2 # $ H # #! % " $ " " $ P01 2L (% 3 98 . K#" . F J " F 9 &&&< © 2008 Alcatel-Lucent. % TAC03001 _E Ed 01 " K#" 7 . / 8 F J K#" " 9 #"! F J . * " " " " 01 2 F J P01 2L #% # P9 #"! L "#" "#" / .. All rights reserved . " F J 7 .

. você necessita estar certo de que não existem de forma alguma portas membro dessa VLAN: • Exemplo para uma porta lógica de usuário: – configure bridge port 1/1/4/1:8:35 no vlan-id 150 • Exemplo na service hub: – configure vlan shub id 150 no egress-port network:2 – configure vlan shub id 150 no egress-port lt:1/1/4 > Você não pode remover a VLAN se a identidade de VLAN = PVID.ex. / #" = 01 2 #! F # 01 2 " / % 01 2 $ >' (? 345 F 9 #" = >' (? > Antes de você remover um VLAN. configure bridge port 1/1/4/1:8:35 no pvid TAC03001 _E Ed 01 25 © 2008 Alcatel-Lucent. Você tem que remover o pvid primeiro. All rights reserved .! / 0 / ' ' " ( % ' " " 01 2 E :0 / % % % #! " 01 2 " % #" #" " . • P..

. Vendo se a S/C-VLAN 1200/635 já está criada leg:isadmin>configure>vlan# info shub id 1200 leg:isadmin>configure>vlan# info id stacked:1200:0 leg:isadmin>configure>vlan# info id stacked:1200:635 3.Feita para cada assinante. 1. caso VDSL2 Configuração do SISTEMA (nó) independe dos casos.. Se não estiverem criadas (“Error : .2 Vendo que portas estão como UPLINK (usadas ou não) leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200# show interface shub port =================================================================== port table =================================================================== |admin |oper | | | port |status |status |speed |type |duplex --------+-------+-------+------------+------------+---------------nt:sfp:8 up down one-gb subtending full nt:sfp:7 down down one-gb unused full nt:sfp:6 down down one-gb unused full nt:sfp:5 down down one-gb unused full nt:sfp:4 up down one-gb subtending full nt:sfp:3 up down one-gb subtending full nt:sfp:2 up down one-gb subtending full nt:sfp:1 up up one-gb network full nt:xfp:1 down down ten-gb unused full nt:xfp:2 down down ten-gb unused full ------------------------------------------------------------------TAC03001 _E Ed 01 26 © 2008 Alcatel-Lucent. leg:isadmin># configure vlan 2.”) em nenhum dos comandos. para a porta 1/2/1/29 portas de rede= 1 (ou nt:sfp:1 no RA) porta de usuário= 1/2/1/29 Configuração do Sistema CASO 7330 RA . então: 3. mostrado em dois casos: .Exemplo de procedimento para configurar um serviço usando VLAN QinQ (Stacked) onde: S-VLAN= 1200 C-VLAN= 635.1 Criar na S-VLAN 1200 na shub como “cross-connect” (XC) de nome S1200 leg:isadmin>configure>vlan# shub id 1200 mode cross-connect name S1200 3.1.Feita apenas 1 vez Configuração do assinante .1 Associando a S-VLAN às portas de rede. All rights reserved . Entrar na área de VLAN’s.1. caso ADSL . neste exemplo apenas a 1 leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200$ egress-port network:1 leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200>egress-port>network>1$ exit 3..

21] leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200# exit leg:isadmin>configure>vlan>shub# exit continua .1. : : : : external-link-assign nt:sfp:21 no remote # value=0/0/0 sfp 21 não associada exit external-link-assign nt:sfp:22 remote 2/2/1 esta sfp está associada a LT 2/2/1 exit external-link-assign nt:sfp:23 remote 1/3/1 exit external-link-assign nt:sfp:24 remote 1/2/1 exit #-----------------------------------3... TAC03001 _E Ed 01 27 © 2008 Alcatel-Lucent.Neste exemplo as SFP’s de 1 a 8 estão como UPLINK. 3...3]/1 3. 9 a 21 neste exemplo leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200# egress-port unassignedlink:[9.3 Ver como estão associadas as portas com as LT’s das REM’s (shelf)..1. leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200# info configure equipment external-link-assign detail | more #--------------------------------------------------------------external-link-assign nt:sfp:1 : : : : Neste exemplo.1.4 Associar a S-VLAN a todas as portas de DOWNLINK associadas e não associadas a LT’s de REM’s... 3..6 Associando as LT’s 1 de todos os shelf do rack 2 leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200# egress-port lt:2/2/1 leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200>egress-port>lt:2/2/1$ exit 3. SFP’s de 1 a 8 não interessam porque são portas de UPLINK external-link-assign nt:sfp:8 no remote # value=0/0/0 exit : : : : external-link-assign nt:sfp:11 Press <space>(page)/<enter>(line)/q(quit) to continue. All rights reserved .1.7 Associando todas as outras portas DOWNLINK ainda não associadas.1..5 Associando as LT’s 1 de todos os shelf do rack 1 leg:isadmin>configure>vlan>shub>id>1200# egress-port lt:1/[2.

leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29# max-unicast-mac 2 -------. começando por 1200/33 para a porta 1/2/1/1.3.2 Criar a S-VLAN 1200 no ASAM-CORE com modo “layer2-terminated” e nome S1200. Entrar na Porta bridge do assinante 1/2/1/29 leg:isadmin># configure bridge port 1/2/1/29 2. Aqui ela é criada como uma stacked (QinQ) de S-VLAN= 1200 e C-VLAN= 0. 1.. Definir o PVID igual a C-VLAN 635 leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29:0:33# pvid 635 4. leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29:0:33# vlan-id stacked:1200:635 leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29:0:33>vlanid>stacked:1200:635$ exit 3. leg:isadmin>configure>vlan# id stacked:1200:0 mode layer2terminated name S1200 leg:isadmin>configure>vlan>id>stacked:1200:0$ exit 3.FIM da configuração de sistema ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Configuração de cada assinante (exemplo para a porta 1/2/1/29) em ADSL com PVC 0/33 e bridge port neste PVC já criada. 1200/34 para a porta 1/2/1/2. leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29# vlan-id stacked:1200:635 leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29>vlanid>stacked:1200:635$ exit 3. e dai por diante (definido em uma tabela). Definir o número máximo de MAC’s a aprender como 2. Em um nó real haveria uma combinação S/C-VLAN para cada assinante dele. 1. como exemplo. Definir o PVID igual a C-VLAN 635 leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29# pvid 635 4. Aqui. leg:isadmin>configure>vlan# id stacked:1200:635 mode cross-connect name S1200C635 leg:isadmin>configure>vlan>id>stacked:1200:635$ exit all -----------------. Entrar na Porta bridge do assinante 1/2/1/29 do PVC 0/33 leg:isadmin># configure bridge port 1/2/1/29:0:33 2.Fim da Configuração de assinante com VDSL2 ----- TAC03001 _E Ed 01 28 © 2008 Alcatel-Lucent. leg:isadmin>configure>bridge>port>1/2/1/29:0:33# max-unicast-mac 2 -------. Primeiro associar a stacked S/C-VLAN 1200/635 a esta porta.Fim da Configuração de assinante com ADSL ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Configuração de cada assinante (exemplo para a porta 1/2/1/29) em VDSL2 com bridge port já criada.3 Criar a combinação S/C-VLAN 1200/635 no ASAM-CORE com modo “cross-connect” e nome S1200C635. All rights reserved . Definir o número máximo de MAC’s a aprender como 2. criaremos apenas uma dessas combinações. Primeiro associar a stacked S/C-VLAN 1200/635 a esta porta.

All rights reserved . .TAC03001 _E Ed 01 0"1 0""1 0"@. 8 01 2 29 " " © 2008 Alcatel-Lucent..

. All rights reserved .JJJ& & % % TAC03001 _E Ed 01 30 © 2008 Alcatel-Lucent.