You are on page 1of 38

—---

Sistemas de Potência
e Refrigeração - com
Mudança de Fase
Algumas centrais de potência, como a central simples a vapor d'água, que já consideramos diversas vezes, operam segundo um ciclo. Isto é, o fluido de trabalho sofre uma
série de processos e, finalmente, retorna ao estado inicial. Em outras centrais de potência, tais como o motor de combustão interna e a turbina a gás. o fluido de trabalho
não passa por um ciclo termodinâmico, ainda que o equipamento opere segundo um
ciclo mecânico. Nesse caso, o fluido de trabalho, no fim do processo, apresenta uma
composição química diferente ou está num estado termodinâmico diferente do inicial. Diz-se, às vezes, que tal equipamento opera segundo um ciclo aberto (a palavra
ctelo, nesse contexto, é realmente um termo incorreto), enquanto a unidade motora
a vapor opera segundo um ciclo fechado. A mesma distinção entre ciclos abertos
e fechados pode ser feita em relação aos aparelhos de refrigeração. É interessante
analisar o desempenho do ciclo fechado ideal, semelhante ao ciclo real, para todos
os tipos de equipamentos que operam com ciclo aberto ou fechado. Tal procedimento
é particularmente vantajoso na determinação da influência de certas variáveis no
desempenho dos equipamentos. Por exemplo, o motor de combustão interna, com
ignição por centelha, é usualmente modelado como um ciclo Otto. Da análise de um
ciclo Otto é possível concluir que: aumentando a relação de compressão obtém-se
um aumento no rendimento do ciclo. Isso também é verdadeiro para o motor real,
embora os rendimentos dos ciclos Otto possam se afastar significativamente dos rendimentos dos motores reais.
Este capítulo e o próximo tratam dos ciclos ideais para os sistemas de potência e
de refrigeração. Aqui consideramos os ciclos com mudança de fase, que são sistemas
que utilizam fluidos de trabalho que apresentam mudança de fase durante o ciclo; já
o Capítulo 12 trata dos ciclos com fluidos de trabalho gasosos, que não apresentam
mudança de fase. Em ambos os capítulos, são ressaltados os motivos que levam os
ciclos reais a se desviarem dos ideais, além de serem feitas considerações acerca das
modificações dos ciclos básicos que objetivam o aumento do rendimento do ciclo.
Essas modificações são realizadas com a introdução de certos equipamentos, tais
como regeneradores, compressores e expansores de múltiplos estágios e resfriadores
intermediários, no ciclo original. Ao longo desses capítulos também analisaremos
algumas aplicações especiais, tais como os ciclos combinados, os ciclos de topo, os
ciclos posteriores e a cogeração de energia e potência elétrica.

318

Fundamentos daTermodinâmica

11.1 INTRODUÇÃO AOS CICLOS DE
POTÊNCIA
Consideramos, no Capítulo 7, as máquinas térmicas
cíclicas que utilizavam quatro processos distintos.
Vimos também que é possível operar essas máquinas
em regime permanente produzindo trabalho na forma
de rotação de um eixo (Figura 7.18), ou a partir de
processos que envolvem movimento de um pistão num
cilindro (Figura 7.19). No primeiro caso, o fluido de
trabalho pode apresentar mudanças de fase durante
a execução do ciclo ou permanecer numa única fase1.
Já no segundo caso, o fluido de trabalho usualmente
permanece na fase gasosa em todos os estados percorridos pelo ciclo.
Para um processo reversível, em regime permanente, com uma seção de entrada e uma de saída e
desprezando as variações de energia cinética e potencial, o trabalho por unidade de massa envolvido no
processo é dado pela Equação 9.15, ou seja:

w=O trabalho de movimento da fronteira, por unidade de massa, num processo reversível para um sistema
que engloba uma substância simples compressível é
dado pela Equação 4.3.

w=

dv

As áreas relativas às duas integrais estão mostradas na Figura 11.1. É interessante notar que o trabalho representado pela primeira integral não envolve
processos a pressão constante e que o trabalho repre-

sentado pela segunda integral não envolve processos a
volume 'constante.
Consideremos agora o ciclo de potência esquematizado na Figura 7.18. Vamos admitir que todos os processos sejam internamente reversíveis e que estes não
apresentem variações significativas de energia cinética
e potencial. Assim, o trabalho por unidade de massa, em
cada processo, pode ser calculado com a Equação 9.15.
Para facilitar a modelagem do ciclo, vamos admitir que
os processos de transferência de calor ocorram a pressão constante, sem realização de trabalho, e que tanto
a turbina quanto a bomba sejam adiabáticas e, dessa
forma, isoentrópicas. A representação gráfica desse ciclo, levando em conta todas estas considerações, está
mostrada na Figura 11.2. Se todos os estados percorridos pelo fluido de trabalho durante o ciclo pertencerem
à região de saturação líquido-vapor, o ciclo será um de
Carnot. Isso ocorre porque as transferências de calor
ocorrem a pressão constante e, nessa região, os processos a pressão constante também são processos isotérmicos. Caso contrário o ciclo não será mais um ciclo de
Carnot. Nessas duas situações, o trabalho líquido, por
unidade de massa, realizado pelo ciclo é:

•"liq

-Jv dP + 0- J u dP + 0 = -

Como P2 = -Psi -Pi = P±, e considerando que os volumes específicos dos fluidos de trabalho no processo
de expansão (estado 3 ao estado 4) são maiores que
os referentes ao processo de compressão (estado l ao
estado 2), podemos concluir que o trabalho realizado
pelo ciclo é positivo. Essa conclusão também pode ser
obtida analisando as áreas da Figura 11.2. Concluímos,
a partir dessa análise, que o trabalho líquido fornecido pelo ciclo é função da diferença entre os volumes
específicos das fases. Assim, o fluido de trabalho deve
apresentar a maior variação de volume específico possível entre as fases, por exemplo: entre a fase vapor e
a líquida.

Figura 11.1
Comparação entre os trabalhos realizados por eixo e por movimento de fronteira.
1 \ormalmente, o fluido de trabalho permanece na fase vapor
(N.T.).

dP

Figura 11.2
Ciclo de potência baseado em quatro processos.

Sistemas de Potência e Refrigeração - com Mudança de Fase

Se o ciclo mostrado na Figura 11.2 fosse realizado
num conjunto cilindro-pistão, o trabalho seria realizado pelo movimento de fronteira. Nesse caso, o trabalho realizado pelo ciclo, por unidade de massa, pode
ser calculado pela relação

= J P dv + IP dv + J P dv +

Analisando novamente a Figura 11.2, notamos que
as áreas relativas aos processos de expansão (do estado
2 ao 3 e do estado 3 ao 4) são maiores que as áreas relativas aos processos de compressão (estado 4 ao l e do
estado l ao 2). Assim, a área líquida e o trabalho líquido produzido pelo ciclo são positivos. A área delimitada
pelas linhas que representam os processos 1-2-3-4-1
no diagrama P-v (Figura 11.2) representa o trabalho
líquido produzido nos dois casos analisados. Note que o
trabalho líquido fornecido pelos dois ciclos é o mesmo
apesar de os trabalhos realizados nos processos similares que compõem os dois ciclos serem diferentes.
Neste capítulo consideraremos o primeiro dos
dois casos examinados acima, que corresponde aos
processos em regime permanente, que produzem trabalho na forma de rotação de um eixo e que utilizam
fluido de trabalho que apresenta mudanças de fase durante a execução do ciclo, de modo que a diferença
entre os termos do trabalho (-/r dP) nos processos
de expansão e compressão é máxima. Em seguida, no
Capítulo 12, analisaremos os sistemas com fluido de
trabalho que permanece na fase gasosa para os casos
de processos em regime permanente, que produzem
trabalho na forma de rotação de um eixo e processos
que envolvem movimento de um pistão num cilindro.
Nas próximas seções consideraremos o ciclo
Rankine, que é o ciclo ideal constituído por quatro
processos que ocorrem em regime permanente, conforme mostrado na Figura 11.2, e que opera na região
de saturação. Isso é feito para maximizar a diferença
entre os volumes específicos relativos aos processos
de expansão e compressão. O ciclo Rankine é o modelo
ideal para as centrais térmicas a vapor utilizadas na
produção de potência.

319

1-2: Processo de bombeamento adiabático reversível,
na bomba.
2-3: Transferência de calor a pressão constante, na
caldeira.
3-4: Expansão adiabática reversível, na turbina (ou
noutra máquina motora tal como a máquina a
vapor).
4-1: Transferência de calor a pressão constante, no
condensador.
O ciclo Rankine, como já foi exposto, também
pode apresentar superaquecimento do vapor, como o
ciclo l-2-3'-4'-l.
Se as variações de energia cinética e potencial forem desprezadas, as transferências de calor
e o trabalho líquido podem ser representados pelas diversas áreas do diagrama T-s. O calor transferido ao
fluido de trabalho é representado pela área a-2-2'-3b-a e o calor transferido do fluido de trabalho pela
área a-l-4-£>-a. Utilizando a primeira lei da termodinâmica, podemos concluir que a área que representa
o trabalho é igual à diferença entre essas duas áreas,
isto é. a área l-2-2'-3-4-l. O rendimento térmico é
definido pela relação
w,ín

área l-2-2'-3-4-l
área a-2-2'-3-b-a

,,, ,s

Caldeira

Bomba

©

11.2 O CICLO RANKINE
Considere um ciclo baseado em quatro processos que
ocorrem em regime permanente (Figura 11.2). Admita
que o estado l seja líquido saturado e que o estado 3 seja
vapor saturado ou superaquecido. Esse ciclo recebe a
denominação ciclo Rankine e é o modelo ideal para
uma unidade motora simples a vapor. É conveniente
mostrar os estados e os processos em um diagrama
T-s, conforme apresentado na Figura 11.3. Os quatro
processos que compõem o ciclo são:

rr

Figura 11.3
Instalação motora simples a vapor que opera segundo um ciclo
Rankine.

Análise: Equação da energia (Primeira lei da termodinâmica): \wb\ h2. por que escolher o ciclo Rankine como o ciclo ideal? Por que não escolher o ciclo de Carnot l'-2'-3-4-1' como o ciclo ideal? Podemos fornecer. desse modo. a turbina e o condensador. No ciclo Rankine o vapor é superaquecido a pressão constante. porque a temperatura média entre 2 e 2' é menor que a temperatura durante a evaporação. ou que diminua a temperatura média na qual o calor é rejeitado. estado determinado. algumas variações do ciclo Rankine que provocam o aumento do rendimento térmico do ciclo e. isso é uma hipótese razoável para os ciclos reais. Na solução deste problema consideramos.0 kJ/kg h2 = h1 + \wb\ 191. nas próximas seções. as variações de energias cinética e potencial de um ponto do ciclo a outro serão desprezadas. Consideraremos. Em geral. pelo menos. sucessivamente.0 = 193. A primeira envolve o processo de bombeamento. apresentam um rendimento mais próximo ao do ciclo de Carnot. aumentará o rendimento do ciclo Rankine. Em cada caso. É evidente que o rendimento térmico do ciclo Rankine é menor que aquele do ciclo de Carnot que opera com as mesmas temperaturas máxima e mínima do ciclo Rankine. Antes de discutirmos a influência de certas variáveis sobre o desempenho do ciclo Rankine. A segunda razão envolve o superaquecimento do vapor. processo 3-3'. Devemos ressaltar que. É muito mais fácil condensar completamente o vapor e trabalhar somente com líquido na bomba (o ciclo Rankine é baseado nesse fato). i Solução: Admitindo que o líquido seja incompressível. A pressão no condensador do ciclo é igual a 10 kPa e a caldeira opera a 2 MPa.10) = 2. o ciclo Rankine é o ciclo ideal que pode ser aproximado na prática. uma superfície de controle que envolve a bomba.00101(2000 . Estado de sã ida: P? conhecida. estudemos o seguinte exemplo: EXEMPLO 11. estado determinado. Podemos então perguntar. portanto.1 Determine o rendimento de um ciclo Rankine que utiliza água como fluido de trabalho. o modelo termodinâmico adotado é aquele associado às tabelas de vapor d'água e consideraremos que o processo ocorre em regime permanente (com variações de energias cinética e potencial desprezíveis). duas razões para a escolha do ciclo Rankine. Qualquer variação que aumente a temperatura média na qual o calor é fornecido. Note que durante esse processo a pressão cai. indicaremos por wb o trabalho na bomba por quilograma de fluido que escoa no equipamento e por qL o calor rejeitado pelo fluido de trabalho por quilograma de fluido que escoa no equipamento. a caldeira. Isso significa que calor deve ser transferido ao vapor enquanto ele sofre um processo de expansão (no qual é efetuado trabalho). Assim. . No ciclo de Carnot toda a transferência de calor ocorre a temperatura constante e. líquido saturado. \wb = v(P2-PÍ) = 0. Estado de entrada: P2. vapor saturado. Na resolução dos problemas sobre os ciclos de Rankine. O vapor deixa a caldeira como vapor saturado.8 kJ/kg Consideremos agora a caldeira: Volume de controle: Caldeira.hi Equação da entropia (Segunda lei da termodinâmica): S2 = S] Como s2-Si. hz conhecidas. Isso também é muito difícil de se conseguir na prática.8 + 2. Estado de entrada: PI conhecida. Consideremos inicialmente a bomba: Volume de controle: Bomba. na análise dos ciclos ideais desre capítulo. O estado l' é uma mistura de líquido e vapor e é muito difícil construir uma bomba que opere convenientemente sendo alimentada com uma mistura de líquido e vapor (!') e que forneça líquido saturado na seção de descarga (2'). estado determinado. Estado de saída: P3 conhecida.320 Fundamentos daTermodinâmica Na análise do ciclo Rankine é útil considerar que o rendimento depende da temperatura média na qual o calor é fornecido e da temperatura média na qual o calor é rejeitado. o vapor é superaquecido no processo 3-3".

0-2. O aumento do trabalho líquido está representado pela área 1-4-4'l'-2'-2-l. entretanto.7 Podemos também escrever uma expressão para o rendimento térmico em função das propriedades nos vários pontos do ciclo. Isso é um fator significativo.8 = 1815. primeiramente. Note.5). S3 = s4 = 6.7 792. 'térmico 2605.7 kJ/kg Podemos agora calcular o rendimento térmico: wtw.0 2605. o efeito da pressão e temperatura na seção de saída da turbina no ciclo Rankine. o resultado líquido é um aumento no rendimento do ciclo.4. consideremos o efeito do superaquecimento do vapor na caldeira (Figura 11. exceder cerca de 10%. na qual o calor é rejeitado.5 .3% 2605. conhecido.com Mudança de Fase Análise: Equação da energia: Solução: QH = h3-h2 = 2799. O aumento do calor transferido ao fluido é representado pela área a'-2'-2-a-a'.r4 = 0.0-2.3 EFEITOS DA PRESSÃO E TEMPERATURA NO CICLO RANKINE Consideremos. Como essas duas áreas são aproximadamente iguais. Isso também é evidente pelo fato de que a temperatura média.0 kJ/kg 11.2007. Estado de saída: Estado l. Estado de saída: P4 conhecida.8 + 0. Volume de controle: Condensador.7588(2392.5 . Assim.7 2605.3409 = 0.321 Sistemas de Potência e Refrigeração .'líq _ Q H ' térmico Equação da entropia: S3 = S 4 Solução: Podemos determinar o título no estado 4 a partir da entropia nesse estado. Façamos com que a pressão de saída caia de P4 a Í4'. consideremos o condensador.8 = 2605.4 Efeito da pressão de descarga da turbina sobre o rendimento do ciclo Rankine. Estado de entrada: Estado 4. .191. que a redução da pressão na seção de descarga da turbina provoca uma redução no título do fluido que deixa a turbina. com a correspondente diminuição da temperatura na qual o calor é rejeitado. é evi- d a b s Figura 11.5 = 792. nos estágios de baixa pressão da turbina. Análise: Equação da energia: \qL\ Solução: \qL\ h4~hl = 2007. Assim. conhecido.7 kJ/kg Analisando a turbina temos: Volume de controle: Turbina. pois ocorrerá uma diminuição na eficiência da turbina e a erosão das palhetas da turbina se tornará um problema muito sério quando a umidade do fluido.7588 fi4 = 191.3% Em seguida. QH ç 792.5 kJ/kg wt = 2799. Esse efeito é mostrado no diagrama T-s da Figura 11.7 = 30.5009 => .8) = 2007. É evidente que o trabalho aumenta o correspondente à área 3-3'4'-4-3 e o calor transferido na caldeira aumenta o correspondente à área 3-3'-b'-b-3.5 . Análise: Equação da energia: Finalmente.0 = 30. Como a relação entre essas duas áreas é maior que a relação entre o trabalho líquido e o calor fornecido no restante do ciclo. diminui.193.7-1815. Estado de entrada: Estado 3 conhecido.6493 + x4 7.

a temperatura média na qual o calor é fornecido também aumenta com o aumento da pressão. podemos dizer que o trabalho líquido e o rendimento de um ciclo Rankine podem ser aumentados pela redução da pressão no condensador. o rendimento do ciclo Rankine aumenta com o aumento da pressão máxima.8. Observe que o título do vapor que deixa a turbina diminui quando a pressão máxima do ciclo aumenta. portanto. 1) parâmetros para determinar. Portanto. são mantidas constantes.7 e 11. Resumindo. As condições operacionais são fisicamente controladas pela alta pressão gerada pela bomba. e a temperatura do condensador TI. aumenta o título do vapor na saída da turbina. temos três (8. a influência da pressão máxima do vapor deve ser considerada e isso está mostrado na Figura 11. O título do vapor que deixa a turbina aumenta com o superaquecimento do vapor e diminui pelo abaixamento da pressão no condensador e pelo aumento da pressão no fornecimento de calor. Efeito da pressão e da temperatura no trabalho do ciclo Rankine. para as pressões dadas.6. Note também que. o superaquecimento para T3 (ou 3:3 = l.7 Efeito do superaquecimento sobre o rendimento do ciclo Rankine. dente que. a b' b s Figura 11. O calor rejeitado diminui o correspondente à área b'4'-4-b-b'. Esses efeitos são mostrados nas Figuras 11. quando o vapor é superaquecido. pelo aumento da pressão no fornecimento de calor e pelo superaquecimento do vapor. 4. mas o calor rejeitado diminui e. Adicionalmente a essas considerações. Note que. Efeito da pressão e da temperatura na eficiência do ciclo Rankine . que é o resultado da transferência de calor que ocorre. P2 = PS. podemos notar que -o ciclo é modelado com quatro processos conhecidos (dois isobáricos e dois isoentrópicos) que ocorrem entre os quatro estados envolvendo um total de oito propriedades. O trabalho líquido aumenta o correspondente à área rachurada simples e diminui o correspondente à área rachurada duplamente. bem como a pressão de saída. Isso pode ser explicado também pelo aumento da temperatura média na qual o calor é transferido ao vapor. nesse caso. o trabalho líquido tende a permanecer o mesmo.322 -Ligamentos daTermodinâmica 41 a b s b' Figura 11. a temperatura máxima do vapor.5 Figura 11. Admitindo que o estado l seja líquido saturado (x1 = 0).8 Efeito da pressão na caldeira sobre o rendimento do ciclo Rankine. Nessa análise.6 Figura 11. caso não haja superaquecimento). Finalmente. o superaquecimento do vapor aumenta o rendimento do ciclo Rankine.

temos: \qL\ h4-hl = 2144.h3 .h4 Equação da entropia: S. Estado de entrada: Pz. Considerando uma superfície de controle envolvendo o condensador.9. Determine o rendimento do ciclo.3% 3017.0 = 1065. A carac- .5 .3 = 1065. Um esquema desse ciclo e o diagrama T—s associado está mostrado na Figura 11.8 kJ/kg Como s2 -Si.5 kJ/kg Para a caldeira.1952.3 = S4 Solução: h3 = 3213.5009 => x4 = 0. O ciclo com reaquecimento foi desenvolvido para tirar vantagem do aumento de rendimento provocado pela utilização de pressões mais altas e ao mesmo tempo evitar que a umidade seja excessiva nos estágios de baixa pressão da turbina. Análise: Equação da energia: Equação da entropia: Solução: QH = h.8 = 1952. Entretanto.4. estado determinado. qL. Estado de saída: P4 conhecida. T3 conhecidas.8 kJ/kg e hz = 191. Análise: Equação da energia: wb\ 323 Análise: Equação da energia: w t . Para determinar o rendimento do ciclo devemos calcular o trabalho na turbina. e observando que.191.1 = 1069.1 . Estado de saída: PZ conhecida.8 + 4. 'iíq = QH-\QL\ 3017. Estado de saída: Estado 3 determinado (dado). temos: Volume de controle: Turbina Estado de entrada: P3.6493 + x4 7.7690 = 0. isso também aumenta o teor de umidade do vapor F ir F "•"""•" wlíq qH 1065.5 kJ/kg wlíq = wt~ \wb\ 1069. o trabalho na bomba e a transferência de calor ao fluido na caldeira. ~hi = \ = v(p2~pi) Solução: \wb\ v(P2-Pi) = 0. Estado de \ Pj conhecida.5 kJ/kg nos estágios de baixa pressão da turbina. h2 conhecidas. 11. = 3213.7690 kJ/kg K s3 = s4 = 6.Sistemas de Potência e Refrigeração -com Mudança de Fase EXEMPLO 11.6 . Em cada caso.195.8 O trabalho líquido também pode ser determinado calculando-se o calor rejeitado no condensador.8 + 0. estado determinado.h.3 kJ/kg Portanto.8 . estado determinado. A pressão no condensador é igual a 10 kPa.0 . pela primeira lei da termodinâmica.6 . ó trabalho líquido no ciclo é igual à transferência líquida de calor no ciclo.8159 h4 = 191.2144. consideraremos uma superfície de controle envolvendo sucessivamente cada um desses componentes.8 = 3017. líquido saturado. o modelo termodinâmico adotado é aquele associado às tabelas de vapor d'água e admitiremos que os processos ocorram em regime permanente (com variações desprezíveis de energias cinética e potencial).0 kJ/kg fy = 191.8159(2392.1 kJ/kg wt = h3-h4 = 3213.3 .4 O CICLO COM REAQUECIMENTO Na seção anterior notamos que o rendimento do ciclo Rankine pode ser aumentado pelo aumento da pressão no processo de fornecimento de calor. Volume de controle: Bomba.2 • Num ciclo Rankine.10) = 4. temos: Volume de controle: Caldeira.8 kJ/kg Para a turbina. o vapor cTágua deixa a caldeira e entra da turbina a 4 MPa e 400 °C.6 kJ/kg e s3 = 6. Para isso.00101(4000 .8) = 2144.195.5 = 35.

se houver metais que possibilitem um superaquecimento do vapor até 3'. estado determinado.9664 h6 = 191.h&~) = (3213. Estado de saída: P2" conhecida. O vapor expande até 400 kPa na turbina de alta pressão.6) + (3273. wt = (hz .3) = 1297.4 .7 + 0. O vapor deixa a caldeira e entra na turbina a 4 MPa e 400 °C. Estado de entrada: P3.9664(2392.3 kJ/kg Para toda a turbina. Estado de saída: P4 conhecida. estado determinado. wt.6493 + x& 7. • . Análise: Equação da energia: ict_b = h5-h& Equação da entropia: Solução: h5 = 3273. o trabalho total produzido.7690 = 1.1193 => x4 = 0. Análise: Equação da energia: Para a turbina de baixa pressão: Volume de controle: Turbina de baixa pressão.6 .8) = 2504. Determine o rendimento do ciclo. líquido saturado. a partir do diagrama T-s. o ciclo Rankine simples seria mais eficiente que o ciclo com reaquecimento e esse ciclo modificado não seria necessário.7690 s3 = s4 = 6. é reaquecido are 400 °C e então expande novamente na turbina de baixa pressão até 10 kPa. É evidente.6 e s3 = 6. Para a turbina de alta pressão: Volume de controle: Turbina de alta pressão. Estado de saída: P6 conhecida. Assim.4 e s5 = 7. expande até uma pressão intermediária na turbina. Ele.9752(2133. T3 conhecidas.9 Ciclo ideal com reaquecimento. Estado de entrada: P5.8985 s5 = s6 = 7. que há um ganho muito pequeno de rendimento pelo reaquecimento do vapor. Observe também que. A principal vantagem desse reaquecimento é a diminuição do teor de umidade nos estágios de baixa pressão da turbina. porque a temperatura média na qual o calor é fornecido não muda muito. primeiramente. Turbina --© Figura 11.9752 h4 = 604. Para cada volume de controle analisado.1 kJ/kg Equação da entropia: s3 = s 4 Solução: hz = 3213.8 + 0.3 Bomba Considere um ciclo com reaquecimento que utiliza água como fluido de trabalho.5009 => xô = 0.8) = 2685.2504. então. é reaquecido na caldeira e novamente expande na turbina até a pressão de saída.h 4) + (/i5 . é a soma de wt_a e wt_b.324 Fundamentos daTermodinâmica terística singular desse ciclo é que o vapor.8985 = 0. estado determinado.2685. & 6 \O 11. T5 conhecidas.6 kJ/kg Para a bomba: Volume de controle: Bomba Estado de entrada: PI conhecida. o modelo termodinâmico é aquele associado às tabelas de vapor d'água e admitiremos que os processos ocorram em regime permanente (com variações desprezíveis de energias cinética e potencial).7766 + x4 5.

um ciclo regenerativo ideal.4%. Consideremos. de 18. No ciclo regenerativo.10) = 4.10 a Diagrama T-s que mostra a relação entre os rendimentos dos ciclos de Carnot e Rankine.h^ + (hb . em consequência do reaquecimento. na qual o calor é transferido ao ciclo Rankine. é muito inferior à do processo de vaporização 2'-3.0 = 1293. como mostrado na Figura 11.4 .11 Ciclo regenerativo ideal.6 . O aspecto singular desse ciclo.h4~) Equação da entropia: Solução: QH = (h3 . inicialmente.há = (3213.h^ + (h& .8) + (3273.6) = 3605. wm = 1297. um aumento na temperatura média na qual o calor é fornecido ao fluido de trabalho.195. o fluido de trabalho entra na caldeira em algum estado entre 2 e 2' e. estados conhecidos. As características básicas desse ciclo podem ser mostradas considerando-se o ciclo Rankine sem superaquecimento apresentado na Figura 11.l-4. consequentemente. O fluido de trabalho é aquecido. enquanto permanece na fase líquida. a fração de líquido do vapor na seção de saída da turbina (baixa pressão) diminui. Porém.Sistemas de Potência e Refrigeração .2685. estados conhecidos. c d . o líquido circula Caldeira \a 11. Estados de saída: Estados 3 e 5. seja menor que aquela do ciclo de Carnot l '-2 '-3-4-1'.1 _ qH 3605.0 = 195. é que após deixar a bomba. Isso faz com que a temperatura média.com Mudança de Fase Análise: Equação da energia: \wb\ hz~ hi 325 Análise: Equação da energia: gH = (h3 .8 Para a caldeira: Volume de controle: Caldeira. b Figura 11. Essa variação envolve a utilização de aquecedores da água de alimentação.4% para 3.2).8 + 4. Desse modo. durante esse processo.5 O CICLO REGENERATIVO Outra variação importante do ciclo Rankine é o ciclo regenerativo.lkJ/kg Solução: \wb\ v(Pz -P{) = 0. 11.6 kJ/kg Como Sz = Portanto. durante o processo entre os estados 2 e 2'. A temperatura média do fluido de trabalho. quando comparado com o ciclo Rankine. obtém-se 2% _ 1293. Estados de entrada: Estados 2 e 4.6 Esse resultado mostra que o aumento do rendimento provocado pelo reaquecimento é relativamente pequeno (veja os resultados do Exemplo 11.00101(4000 .11.10. o rendimento do ciclo Rankine é menor que o do ciclo de Carnot correspondente.0 kJ/kg hz = 191.

Obviamente. mas apenas até a pressão intermediária correspondente à do estado 6. Consequentemente.2) Assim. a equação da energia torna-se: mzhz + m6h& = m3h3 (H-3) Lembrando que m. não seria possível efetuar a transferência de calor necessária do vapor na turbina para a água líquida de alimentação.326 Fundamentos daTermodinâmica ao redor da carcaça da turbina. o calor transferido do vapor ao líquido.3 = m5. O ponto significativo desse ciclo é o aumento da temperatura média na qual o calor é fornecido ao fluido de trabalho. que é descarregado do aquecedor da água de alimentação. conforme mostra o esquema da Figura 11. Calor é transferido do fluido de trabalho no processo 5-1 e a área 1-5-c-a-l representa essa transferência. A vazão de vapor extraído da turbina é a suficiente para fazer com que o líquido.4) Caldeira Aquecedor água de ~~ alimentação © a b c (1->')í»5 s Figura 11. isto é: em cada ponto da superfície da turbina a temperatura do vapor é apenas infmitesimalmente superior à do líquido. F . Note que o líquido ainda não foi bombeado até a pressão da caldeira. enquanto este escoa na turbina. condensado no condensador. Nesse caso. e representam.12. em sentido contrário ao do vapor na turbina. parte do vapor é extraída e entra no aquecedor de água de alimentação. torna-se necessária a instalação de outra bomba que transfere o líquido. Assim. O ciclo regenerativo real envolve a extração de uma parte do vapor que escoa na turbina após ter sido parcialmente expandido e a utilização de aquecedores da água de alimentação. mas também congruentes. que é o calor rejeitado no ciclo de Carnot relacionado. respectivamente. ao líquido que escoa ao redor da turbina. então. por um momento. é possível transferir calor do vapor. temos (l .12. o ciclo regenerativo ideal apresenta rendimento térmico exatamente igual ao rendimento do ciclo de Carnot que opera entre as mesmas temperaturas de fornecimento e rejeição de calor. Primeiramente. que essa seja uma transferência de calor reversível. no processo 3-4. Assim.y)m5 =TO!= rhz Admitindo que não exista transferência de calor do aquecedor de água para o ambiente e observando que o trabalho no volume de controle considerado e nulo. A equação de conservação da massa nos indica que m2 + mg = m3 A fração de extração é definida por y = m6/m5 (11. Admitamos. W7 = (l . Após a expansão até o estado 6. Considere um volume de controle que engloba o aquecedor da água de alimentação de mistura indicado na Figura 11. O vapor entra na turbina no estado 5. e a desvantagem disso já foi anteriormente observada. Calor é transferido ao fluido de trabalho a temperatura constante. é exatamente paralela à linha 1-2-3 que representa o processo de bombeamento (1-2) e os estados do líquido que escoa ao redor da turbina. O vapor não extraído expande na turbina até o estado 7 e é.12 Ciclo regenerativo com aquecedor de água de alimentação oe mistura.11. que deixa o aquecedor de mistura. as áreas 2-3b-a—2 e 5-4-d-c-5 não são somente iguais. O líquido descarregado do condensador é bombeado para o aquecedor da água de alimentação onde ocorre a mistura com o vapor extraído da turbina.y)m5h2 + ym5h6 = m5h3 (11. para a caldeira. l'-3-4-5'-l'. Assim. Note que essa área é exatamente igual à área l'-5'-d-b-l'. e a área 3-4-d-b-3 representa essa transferência de calor. em consequência da transferência de calor. o teor de umidade do vapor que deixa a turbina aumenta consideravelmente. a linha 4-5 no diagrama T-s da Figura 11. Além disso. não é possível implantar esse ciclo regenerativo ideal. que representa os estados do vapor escoando através da turbina. esteja saturado no estado 3.

00101(400 . Estado de entrada: P5. estado determinado. O processo 7-1 é o processo de rejeição de calor. e considerando a pressão em que é realizada a extração.h7~) Equação da entropia: Solução: A partir da segunda lei da termodinâmica.2 e 11.8 + 0.4 = 192. Para ilustrar os cálculos envolvidos no ciclo regenerativo. O esquema e o diagrama T-s desse ciclo estão mostrados na Figura 11. Note que entre os estados 6 e 7.2 kJ/kg Para a turbina: Volume de controle: Turbina. Assim.3. o diagrama T-s da Figura 11.8 Para a bomba de baixa pressão: Volume de controle: Bomba de baixa pressão. os estados do fluido nos vários pontos. Solução: \wbl\ v(P2~PD = 0.12 representa o calor transferido por quilograma de fluido de trabalho. Estados de entrada: Os estados 2 e 6 são conhecidos. T5 conhecidas.4 Considere um ciclo regenerativo que utiliza água como fluido de trabalho. Estado de saída: P3 conhecida.12 mostra. para cada volume de controle analisado. líquido saturado.hz (11. A área 4-5-C-Ò-4 da Figura 11. apresentamos o seguinte exemplo.y)(h& .1 h^ = 191. Estado de saída: P6. P7 conhecidas. mas como nem todo vapor passa pelo condensador. Determine o rendimento do ciclo.com Mudança de Fase Vamos admitir que o fluido de trabalho se encontre na condição-limite como líquido saturado no estado 3 (não queremos aquecê-lo mais. A pressão no aquecedor da água de alimentação é igual a 400 kPa e a água na seção de saída desse equipamento está no estado líquido saturado a 400 kPa. EXEMPLO 11. O vapor deixa a caldeira e entra na turbina a 4 MPa e 400 °C. Do mesmo modo utilizado nos exemplos anteriores.6 h6 = 2685. Para o aquecedor da água de alimentação: Volume de controle: Aquecedor da água de alimentação. estado determinado. estado determinado. simplesmente. somente uma parte do vapor gerado escoa pela turbina. o modelo termodinâmico é aquele associado às tabelas de vapor d'água e admitiremos que os processos ocorram em regime permanente (com variações desprezíveis de energias cinética e potencial). a área 1-7-c-a-l representa o calor transferido por quilograma de fluido que escoa no condensador. Nessa condição. essa área não representa o calor transferido por quilograma de fluido de trabalho que entra na turbina. parte do vapor é extraída da turbina com o propósito de aquecer a água de alimentação num aquecedor de mistura. Por esse motivo. pois o fluido poderia entrar na região bifásica e a bomba 2 não opera convenientemente com uma mistura bifásica).12. Após expansão até 400 kPa.6 h7 = 2144. Dos Exemplos 11. Análise: Equação da energia: wt = (h-0 . líquido saturado.10) = 0.3. Análise: Equação da energia: \wbl Equação da entropia: Portanto.Sistemas de Potência e Refrigeração .hg) + (l . Estado de saída: P2 conhecida. Estado de entrada: PI conhecida. a máxima fração de extração que pode ser utilizada é dada por y=- . temos as seguintes propriedades: h5 = 3213. O vapor não extraído é expandido na turbina até 10 kPa. .5) É um tanto difícil mostrar esse ciclo no diagrama T-s porque a massa de vapor que escoa pelos vários 327 componentes não é a mesma.4 kJ/kg hz-h^ \wbl\ 191.2 e 11. os valores de h& e hi acima indicados já foram calculados nos exemplos 11.

é aquele em que o vapor e a água de alimentação não se misturam.5% Note que esse rendimento térmico é maior que aquele calculado para o ciclo Rankine descrito no Exemplo 11.6) + (l . do condensado CT6a) e de descarga do conjunto (T"4) sejam iguais. a corrente 6 é uma fração y da corrente 5.6) + (l .7 + 3.2/)(ft6 .6 . wt = (h& .400) = 3.001084(4000 .328 Fundamentos daTermodinâmica Análise: Equação da energia: y (/i6) + (l-y)h2 = h3 Solução: \wb2\ v(P4 -P3) = 0. Nessas condições.608.2.0 .1654) x (2685. que o vapor de extração e a água de alimentação eram misturados num aquecedor de água de alimentação.2/)(192. O condensado pode ser bombeado para a tubulação de água de alimentação ou pode ser removido por meio de um purgador (um aparelho que permite que o líquido.'7 qH 2605. é a de alimentação da turbina. e não o vapor. raturas de descarga do aquecedor (T3).1) = 979. A Figura 11.6 = 2605. P4 conhecida.0 kJ/kg Análise: Equação da energia: Equação da entropia: Foi admitido.1654) (0. . porém o calor é transferido do vapor extraído. Estado de saída: Estado 5 conhecido.0.7 => y = 0.4) .9 = 608. ti4 conhecidas (acima). na discussão e no exemplo.h7} = = (3213. à água de alimentação. ou 2 L 979.= 37.y)\Wbi\ \Wb2\ ' y (2685. Podemos admitir que as tempe- A corrente 5. que não aparece na Figura 11.0.2144.he~) + (l .13 Arranjo esquemático de um aquecedor de água de alimentação do tipo superfície. Solução: Podemos agora calcular o trabalho produzido pela turbina.6 .2) = 604.3 "-"líq = Wt(l . Considere o funcionamento de um aquecedor de superfície que opera sem a bomba de condensado indicada na Figura 11. Assim.2685.132.6 .9 kJ/kg h4 ~hs + \wb2 = 604.13 mostra o esboço de um aquecedor de superfície.1654 'térmico Wlíq 07^ »' O. Análise: Equação da energia: QH = ^5 — h 4 Solução: qH=h5-h4 = 3213. Note que nesse tipo de aquecedor a pressão do vapor pode ser diferente da pressão da água de alimentação. para a caldeira: Volume de controle: Caldeira. escoe para uma região de pressão inferior) para um aquecedor de baixa pressão ou para o condensador principal. que condensa na parte externa dos tubos.(l .13. Finalmente.9 kJ/kg Para a bomba Volume de controle: Estado de entrada: Estado de saída: de alta pressão: Bomba de alta pressão Estado 3 conhecido. Outro tipo de aquecedor de água de alimentação muito utilizado.9 . que escoa no interior dos tubos. a equação de conservação da massa aplicada a um volume de controle que engloba o aquecedor indica que Vapor de extração -f 4 3 Água de alimentação 1 i -6b 1 Co ndensadoT 6a-6j cb f 'urgador| Bomba de nonrionsarln 6c — -fc Condensado para o aquecedor de baixa pressão ou para o condensador Figura 11. estado determinado. conhecido como aquecedor de superfície. Estado de entrada: P4.6 Portanto.

). as vazões de fluido nos estado 2 e 5 são iguais (w2 = m5).7MPa ser justificado economicamente. O número. porque a economia alcançada com o aumento do rendimento não seria justificada pelo custo inicial dos equipamentos adicionais (aquecedores da água de alimentação. As perdas mais importantes são devidas à turbi- 500 Bomba de alimentação da caldeira Purgador Purgador 329 Purgador Figura 11. A aplicação da equação de energia ao volume de controle escolhido fornece Assim. eles apresentam como desvantagem a necessidade de utilizar uma bomba para transportar o fluido de trabalho de um aquecedor de mistura para outro ou do aquecedor de mistura para a caldeira. utilizando um grande número de estágios de extração e aquecedores da água de alimentação. A Figura 11. É evidente que. que o condensado dos aquecedores a alta pressão escoa (através de um purgador) para um aquecedor intermediário. pode ocorrer corrosão excessiva na caldeira. de apresentar menor custo e melhores características na transferência de calor. em que a água de alimentação entra na caldeira como líquido saturado a pressão máxima. a fração de extração nesse tipo de aquecedor é dada por 2/ = 7^^- (11. . Os fundamentos já considerados se aplicam facilmente a tal ciclo.7) Os aquecedores de mistura para a água de alimentação têm a vantagem.11. Porém. Entretanto. tubulação etc.14 mostra um arranjo típico dos principais componentes de uma central de potência real. isso não pode 8. Muitas instalações reais de potência apresentam a combinação de um estágio de reaquecimento com vários de extração. Note que um dos aquecedores da água de alimentação de mistura é um aquecedor e deaerador da água de alimentação. Esse equipamento tem duplo objetivo: o de aquecimento e o de remoção de ar da água de alimentação. na prática. o rendimento do ciclo se aproxima daquele do ciclo regenerativo ideal da Figura 11.6 AFASTAMENTO DOS CICLOS REAIS EM RELAÇÃO AOS CICLOS IDEAIS Antes de deixarmos o assunto de ciclos motores a vapor. desse modo.Sistemas de Potência e Refrigeração -com Mudança de Fase Note que o vapor extraído da turbina é encaminhado ao condensador e. vamos tecer alguns comentários relativos às formas pelas quais um ciclo real se afasta de um ciclo ideal.14 Disposição dos aquecedores numa instalação real que utiliza aquecedores regenerativos de água de alimentação. A menos que o ar seja removido da água. naturalmente. o condensado do aquecedor intermediário é drenado para o aquecedor e deaerador e o condensado do aquecedor a baixa pressão é drenado para o condensador. Note também. 11. É normal utilizar vários estágios de extração nas centrais térmicas. quando comparados com os aquecedores de superfície. é determinado por considerações económicas. porém raramente são utilizados mais do que cinco estágios.

O calor transferido ao ambiente. às tubulações e ao condensador. pode ser representado pelo processo br. O próximo exemplo ilustra a influência dessas perdas no ciclo. Perdas na Turbina /T 4\a 11. A eficiência das bombas também foi discutida na Seção 9. A transferência de calor para o ambiente também representa uma perda. Consideremos. O trabalho da turbina é o principal valor no numerador da expressão para o cálculo do rendimento térmico do ciclo. Esse efeito provoca uma diminuição de entropia.5. e a transferência de calor ao ambiente são as perdas mais importantes nas tubulações. É interessante comparar os resultados desse exemplo com os do Exemplo 11. como descritas na Seção 9. representam o maior afastamento do desempenho do ciclo real em relação ao ciclo Rankine ideal. e é diretamente influenciado pela eficiência isoentrópica da turbina. a pressão constante. Note que o efeito de atrito provoca um aumento de entropia. mas de importância secundária. respectivamente.2.15 mostra os processos de expansão que ocorrem na turbina real e na ideal. Uma perda análoga é a queda de pressão na caldeira. Observe que o estado final do processo de bombeamento isoentrópico é representado pelo ponto 2S e que o estado final do processo real é representado pelo ponto 2. Tanto a queda de pressão como a transferência de calor provocam uma diminuição da disponibilidade do vapor que entra na turbina e a irreversibilidade desse processo pode ser calculada pelos métodos vistos nc Capítulo 10.15 mostra os processos que ocorrem numa bomba ideal e noutra real. O diagrama T-s indicado na Figura 11. Devido a essa perda. a água que entra na caldeira deve ser bombeada até uma pressão mais elevada que a pressão desejada para o vapor que deixa a caldeira. à (s) bomba (s). porque é necessária uma troca de calor adicional para trazer a água até a sua temperatura de saturação. Uma dessas perdas é o resfriamento abaixo da temperatura de saturação do líquido que deixa o condensador. particularmente se for usado um processo de estrangulamento para controlar a turbina. É importante lembrar que as perdas na bomba são muito menores que aquelas relativas à operação da turbina.330 Fundamentos daTermodinâmica na. a tubulação que liga a caldeira à turbina. são discutidas essas perdas. provocada pelo atrito. As perdas na turbina são principalmente aquelas associadas ao escoamento do fluido de trabalho pelos canais e palhetas da turbina. será necessário um trabalho adicional no bombeamento do fluido de trabalho.15 Figura 11.16 representariam. os estados a e ò na Figura 11.5 e o diagrama T-s indicado na Figura 11. Isso representa uma perda. . O ponto 4s do diagrama representa o estado após uma expansão isoentrópica e o ponto 4 representa o estado real do vapor na saída da turbina. Assim. As perdas na turbina.16 Diagrama temperatura-entropia que mostra o efeito das ineficiências da turbina e da bomba sobre o desempenho do ciclo. Diagrama temperatura-entropia que mostra o efeito das entre a cadeira e a turbina. por exemplo. os estados do vapor que deixa a caldeira e o que entra na turbina. Perdas na Bomba Perdas no Condensador As perdas na bomba são análogas àquelas da turbina e decorrem principalmente das irreversibilidades associadas ao escoamento do fluido. A seguir. porque a potência utilizada no acionamento das bombas é muito menor que a potência produzida nas turbinas As perdas no condensador são relativamente pequenas. Os sistemas de controle também podem provocar uma perda na turbina. Perdas nas Tubulações A queda de pressão. Se ocorrerem somente efeitos de atrito.

$2s h •n — 9<-*bç = —h w. Estado de entrada: P5.Sistemas de Potência e Refrigeração .3 kJ/kg \w.\wb\ 894.5. Sabendo que a eficiência da turbina é 86% e que a eficiência da bomba é 80%.17.18 Bomba Figura 11.6493 + x6s 7. 6 \a 11. Do mesmo modo utilizado nos exemplos anteriores. Equação da entropia: S6s . P .5 Uma central térmica a vapor opera segundo o ciclo indicado na Figura 11. wlíq = wt .8) = 2129.1 kJ/kg v(P9-P. O diagrama T-s desse ciclo está mostrado na Figura 11.8 MPa 40 °C 5 MPa © 10kPa © 42 °C 6.8 kJ/kg 3. estado determinado.} 0.001009(5000-10) s '. Como s2s = s1. Estado de saída: Pz conhecida.8 + 0.17 Diagrama esquemático para o Exemplo 11. Estado de saída: P& conhecida.com Mudança de Fase 331 EXEMPLO 11.1 .1 e s5 = 6.7235 = 0.5) = 894. h5 = 3169.7235 s6s =s5 = 6. determine o rendimento térmico desse ciclo.3 = 887.8098(2392. T5 conhecidas.8 MPa 380 °C —©4. Análise: Equação da energia: Equação da entropia: Volume de "" controle: Turbina.= 6.5. Estado de entrada: Plt Tl conhecidas. ^1 l — ±_ h 9ç ^-' —h lL h2-h.5 wt = r)t(h5-h6) = 0.hg Assim. Solução: Das tabelas de vapor d'água.8098 h6s = 191. Diagrama temperatura-entropia para o Exemplo 11.6. para cada volume de controle analisado. temos: Volume de controle: Bomba. o modelo termodinâmico é aquele associado às tabelas de vapor d'água e admitiremos que os processos ocorram em regime permanente (com variações desprezíveis de energias cinética e potencial). hts-hi = v (Pz-P i) Análise: Equação da energia: wt = h5 .1-2129.18. estado determinado.69.86(31.5009 => x&s = 0. Para a bomba. = -i-* ^ = \0 Portanto.S5 Solução: w.

como nos custos operacionais. Estado de saída: P4. calculado no Exemplo 11. então.8 • = 29.6-171. Estado de entrada: P3. não será necessária a construção e utilização de uma segunda caldeira dedicada unicamente ao processo produtivo. T4 conhecidas. estado determinado. Dois desses processos eram de transferência de calor a pressão constaram . para a caldeira: Volume de controle: Caldeira. Consideramos. como fonte de energia do processo produtivo.8 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO Figura 11.332 Fundamentos daTermodinâmica Finalmente. nos processos que compõem o cicio.8 O rendimento obtido para o ciclo Rankine análogo. estado determinado. Esse tipo de aplicação é denominado cogeração e se a unidade industrial é projetada como um conjunto.19 em que o vapor extraído a uma pressão intermediária da turbina é encaminhado para atender a uma necessidade específica de um processo especial na instalação. Um arranjo dessa situação pode ser visto na Figura 11. discutimos os ciclos de potência baseados em quatro processos que ocorrem em regime permanente e os ciclos de potência que realizam trabalho a partir do movimento de um pistão num cilindra Analisamos também que é possível tanto operar u» ciclo de potência em que o fluido de trabalho apresenta mudança de fase. QUESTÕES CONCEITUAIS a. Qual componente estabelece a pressão alta em um ciclo Rankine? Qual fator determina a pressão baixa? c. Na seção 11. T3 conhecidas.19 Exemplo de um sistema de cogeração. é possível alcançar ganhos substanciais tanto no investimento inicial . Em uma instalação de cogeração. Nesses casos. é apropriado considerar a utilização do vapor expandido até uma pressão intermediária. Análise: Primeira lei: = h4. é 35. quais são as formas usuais de energia geradas? 11. rando-se tanto os custos alocados aos equipamentos e implantação do empreendimento -. Qual é a diferença entre um aquecedor de mistura e um de superfície? d.2% 3041. um ciclo de potência composto por quatro processos reversíveis que ocorrem em regime permanente. Esse estudo deve ser feito por meio da consideração cuidadosa de todos os requisitos de operação da unidade industrial (por exemplo: vazões de vapor d'água necessárias no processo e a potência elétrica a ser gerada) e da otimização dos vários parâmetros envolvidos na operação da unidade. Exemplos específicos de sistemas de cogeração serão considerados nos problemas no final deste capítulo. Quantas propriedades simples são necessárias para determinar o ciclo? E para um ciclo com superaquecimento? b. numa turbina de alta pressão do ciclo de potência. Assim.1. considerando conjuntamente o ciclo de potência com o processo produtivo.conside- Solução: -h3 = 3213. como um em que o fluido de trabalho não apresenta essa mudança. Considere um ciclo Rankine sem superaquecimento.8 kJ/kg 'térmico 887.8 = 3041.2.hs 11.7 COGERAÇÃO Existem unidades industriais que utilizam um ciclo de potência a vapor para gerar eletricidade e o processo produtivo requer um suprimento de outra forma de energia (na forma de vapor ou água quente).3%.

Assim. De outra forma não seria um ciclo de Carnot. 11. O resultado dessa inversão no ciclo está mostrado na Figura 11. o ciclo de Carnot.333 Sistemas de Potência e Refrigeração . Esse ciclo pode ser visto na Figura 11. processo 3-4. l'-2'-3-4'-l'. Então. consideraremos o ciclo ideal para sistemas de refrigeração. o diagrama P-v correspondente ao ciclo de potência resultante foi apresentado na Figura 11. foram modelados como isoentrópicos. Ciclo ideal de refrigeração por compressão de vapor. Note.20 FIGURA 11.21 Ciclo de refrigeração baseado em quatro processos. que o trabalho líquido requerido pelo ciclo é igual à área limitada pelas linhas que correspondem aos processos 1-2-3-4-1 independentemente de o processo ocorrer em regime permanente ou num conjunto cilindro-pistão. utilizaremos um modo similar ao utilizado na apresentação do ciclo Rankine (Seção 11. mas que apresenta cada processo como o reverso daquele no ciclo de potência. A razão do afastamento consiste na conveniência de se ter um compressor que opere apenas com vapor e não com uma mistura de líquido e vapor. Esse processo de estrangulamento é irreversível. consideraremos o ciclo ideal de refrigeração que opera com fluidos de trabalho que apresentam mudança de fase no ciclo e. Fazendo isso. processo 4-1. como no caso do ciclo de potência.9 CICLO DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO DE VAPOR Nesta seção. Como consequência. . por serem adiabáticos e reversíveis. A semelhança entre esse ciclo e o ciclo Rankine reverso é evidente. com exceção da válvula de expansão que substitui a bomba. para completar o ciclo. Isso significa que o processo de expansão isoentrópica do estado 3-4 ocorrerá na região bifásica com título baixo.20. pois não envolvem realização de trabalho) e os outros dois processos envolviam trabalho.2. O ciclo resultante é. pois é essencialmente o mesmo ciclo ao inverso. trocaremos a turbina por um dispositivo de estrangulamento que pode ser uma válvula ou um tubo de pequeno diâmetro com um comprimento preestabelecido. o trabalho realizado nesse processo será pequeno e não valerá a pena incluir um dispositivo no ciclo para a realização desse trabalho. já que os dois processos isobáricos são também isotérmicos. rejeitado a pressão constante no processo 2-3 e o fluido de trabalho deixa o condensador como líquido saturado. notamos que o estado 3 na Figura 11. faremos uma modificação nesse ciclo básico de refrigeração ideal e o utilizaremos como modelo para sistemas de refrigeração e bombas de calor. É virtualmente impossível comprimir (numa vazão razoável) uma mistura tal como a representada pelo estado l' e manter o equilíbrio entre Compressor Válvula de '' Condensador Trabalho Figura 11. Assim.2).com Mudança de Fase (esses processos são de fácil implementação. também. O afastamento desse ciclo ideal do ciclo de Carnot. Calor é.20 é referente a líquido saturado à temperatura do condensador e o estado l é vapor saturado à temperatura do evaporador. como seria necessário no processo l'-2' do ciclo de Carnot. a pressão do fluido de trabalho é rebaixada da pressão do condensador para a pressão do evaporador. Agora. Esses últimos processos. para isso. e o fluido de trabalho é então vaporizado a pressão constante. O próximo processo é um estrangulamento adiabático. O ciclo resultante torna-se o ideal para os ciclos de refrigeração por compressão de vapor. em que o fluido de trabalho permanece sempre dentro da região bifásica é evidente. Na próxima seção. Note que se o ciclo inteiro ocorre dentro do domo que representa os estados de mistura líquídovapor. que é similar ao ciclo de potência descrito no parágrafo anterior. enquanto que o processo de bombeamento do ciclo Rankine é reversível. então.21 em que vapor saturado a baixa pressão entra no compressor e sofre uma compressão adiabática reversível 1-2.

líquido saturado. O diagrama desse exemplo é aquele mostrado na Figura 11. A temperatura do refrigerante no evaporador é -20 °C e no condensador é 40 °C. O compressor gera a alta pressão. /3.at = p9 = 1017 kPa Das tabelas de R-134a. porque deve haver transferência de calor e de massa através das fronteiras das fases. . ou seja R' = 2lL (11-9) É óbvio que as variáveis de projeto para os ciclos de refrigeração e para as bombas de calor são diferentes.7395 kJ/kg K Portanto. A medida do desempenho de um ciclo de refrigeração é dada em função do coeficiente de desempenho. Sabendo que a vazão de refrigerante no ciclo é 0. A primeira é utilizá-lo como ciclo de refrigeração com o objetivo de manter um espaço refrigerado a uma temperatura TI mais baixa que a temperatura do ambiente T3 (em aplicações reais.1 = 423 kJ/kg Volume de controle: Válvula de expansão. de modo que haja dois parâmetros que determinam o ciclo. TZ = 47. de substituição da turbina por um processo de estrangulamento. Estado de entrada: T3 conhecida. mas o modo de analisar os dois equipamentos é o mesmo. a finalidade desse ciclo é a transferência de calor qL. O ciclo ideal para a refrigeração por compressão de vapor tem quatro processos (um isoentropico. Nessa situação. determine o coeficiente de desempenho e a capacidade de refrigeração dessa instalação.4 . o modelo termodinâmico é aquele associado às tabelas de R-134a. a temperatura do condensador é maior que a do ambiente.4 kJ/kg \wc\ hz . P2 = P3. estado determinado.hi = 428. Nas discussões dos ciclos de refrigeração desta seção e das próximas. Presume-se que o estado 3 seja líquido saturado e o estado l vapor saturado.386. O objetivo desse ciclo é manter um espaço a uma temperatura Ts que é maior que a temperatura do ambiente (ou a referente a outro reservatório térmico) T\. qH. e isso é feito para termos taxas finitas de transferência de calor nesses componentes). o que interessa é a quantidade de calor transferido no condensador.7 °C e hz = 428.21 pode ser utilizado de duas formas. dois isobáricos e um isoentálpico) entre os quatro estados com oito propriedades.21 como bomba de calor.6 Considere um ciclo de refrigeração ideal que utiliza R-134a como fluido de trabalho.03 kg/s. e então essa quantidade deve ser utilizada no numerador da expressão do coeficiente de desempenho. Estado de saída: Pz conhecida (pressão de saturação correspondente a T3). P. A outra diferença.1 kJ/kg e s1 = 1. Para cada volume de controle analisado. Estado de saída: T4 conhecida. vapor saturado. s2 = S l = 1. EXEMPLO 11.21.5 A segunda situação é utilizar o ciclo descrito na Figura 11. Análise: Equação da energia: \wc\ hz-hl Equação da entropia: Solução: A T-3 = 40 °C.334 Fundamentos daTermodinâmica o líquido e o vapor. Esse coeficiente foi definido para um ciclo de refrigeração no Capítulo 7 como fí-VL_ (11. Vamos admitir que cada processo ocorra em regime permanente e que não apresentem variações de energias cinética e potencial. estado determinado. e a temperatura baixa T4 = TI é determinada pela transferência de calor entre o evaporador e o ambiente refrigerado . e a do evaporador é menor que a do espaço refrigerado. Volume de controle: Compressor.7395 kJ/kg K Assim. É importante ressaltar que o ciclo mostrado na Figura 11. h^ = 386. já foi discutida. Estado de entrada: TI conhecida. deve ser sempre lembrado que os comentários feitos aos ciclos de refrigeração geralmente também se aplicam às bombas de calor. Assim.

será eliminado em todos os países devido às determinações do Protocolo de Montreal (acordo internacional para proteção da camada de ozônio). como o R-22. não apresentam cloro na composição de sua molécula e. Dessa forma. Estado de saída: Estado l conhecido. apresentam vida média mais curta na atmosfera e menos átomos de cloro na molécula. dessa forma. o gás passa muitos anos difundindo na atmosfera até atingir a estratosfera onde a molécula é dissociada e. Baixas pressões significam grandes volumes específicos e. em 2010.89 kW de efeiro estufa com potencial de aquecimento global milhares de vezes maiores que o do dióxido de carbono. A relação de fluidos alternativos foi atualizada (N.3 Capacidade de refrigeração: 129.)p 3 . são apresentadas a seguir3. a pressão do refrigerante será a pressão de saturação durante os processos de fornecimento e rejeição de energia na forma de calor. as pressões devem ser bem menores que a pressão crítica. porém estes devem ser projetados para suportar maiores pressões.T.5 = 129.com Mudança de Fase Análise: Primeira lei: Análise: Equação da energia: Solução: qL = hl-h4 = 386. mas são gases w 42. Essa estabilidade é necessária para que a substância seja um fluido de trabalho adequado. muitas das quais constituídas por misturas de fluidos. o diclorodifluormetano (CC12 F2) é conhecido como Freon-12 e Genatron-12 e é tratado genericamente como refrigerante-12 ou R-12. Volume de controle: Evaporador. usado em sistemas de ar condicionado e refrigeração comercial. assim. mas também destroem a camada de ozônio e devem ser banidos. que. Por exemplo. mas essas duas substâncias são tóxicas e.6 x 0.335 Sistemas de Potência e Refrigeração . Por muitos anos.1 . destrói a camada protetora de ozônio presente na estratosfera. Refrigerante antigo _ Refrigerante alternativo FM 23 R-245fa R-12 R-22 R-502 R-134a R-600a (isobuta- R-404A R-717 (amónia) R-744 (C02) R-290 (propano) R-410A R-407C R-404A R-717 (amónia) R-744 (C0 2 ) no) R-401A R-409A Os dois aspectos mais importantes na escolha de um refrigerante são a temperatura na qual se deseja a refrigeração e o tipo de equipamento a ser usado. Devido à estabilidade. Como o refrigerante sofre uma mudança de fase durante o processo de transferência de calor. é de importância fundamental eliminar completamente a utilização dos refrigerantes R-ll e R-12 e desenvolver um substituto adequado. portanto. por sua vez. libera o cloro. mas pode provocar efeitos devastadores no meio ambiente se o gás escapar para a atmosfera.256. O R-22. fiidrofluorcarbonos. Estado de entrada: Estado 4 conhecido. Não foram incluídos os fluidos R-13 e R-503. Altas pressões significam equipamentos menores. Algumas das alternativas . e desta forma não são substâncias puras. comumente conhecidas como clorofluorcarbonos ou CFC's. Os CFC's que contêm hidrogénio (comumente chamados HCFC's). são quimicamente estáveis a temperatura ambiente (especialmente aquelas substâncias que apresentam menos átomos de hidrogénio na molécula).6 kJ/kg Solução: h3 = h4 = 256. será eliminado em um futuro próximo. O uso de R-12 já foi banido em muitos países e.03 = 3.10 FLUIDOS DE TRABALHO PARA SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO DE VAPOR A diversidade dos fluidos de trabalho (refrigerantes) utilizados nos sistemas de refrigeração baseados na compressão de vapor é maior que a dos utilizados nos ciclos motores a vapor.5 kJ/kg Portanto. Os fluidos de trabalho conhecidos por HFC's. Para aplicações a temperaturas extremamente baixas. são menos perigosos que os CFCs. correspondentemente. A amónia e dióxido de enxofre foram importantes no início da implantação dos sistemas de refrigeração baseados no ciclo de compressão de vapor. Por esse motivo. Esse grupo de substâncias. pois são pouco utilizados. não afetam a camada de ozônio. grandes equipamentos. Em particular. colocando-se em cascata dois sistemas distintos. os principais refrigerantes foram os hidrocarbonetos halogenados que foram vendidos sob as marcas registradas Freon e Genatron. pode ser usado um sistema fluido binário. 11. perigosas.

Durante o processo de compressão ocorrem irreversibilidades e transferência de calor para ou da vizinhança. no condensador. 11.22 Ciclo real de refrigeração por compressão de vapor. dependendo da temperatura do refrigerante e da vizinhança.16 MPa PS = 1..15 MPa = P7 = 140 kPa r) = 130 kPa P T! = -10 °C Tz = 100 °C T3 = 80 °C T4 = 45 °C T5 = 40 °C X6 = X7 T8 = -20 °C . além de não causar dano ambiental. Portanto. devido à transferência de calor da vizinhança. a temperatura do líquido que deixa o condensador é inferior à temperatura de saturação e pode diminuir mais um tanto na tubulação entre o condensador e a válvula de expansão. os refrigerantes não proporcionam o mesmo coeficiente de desempenho para o ciclo ideal. indicados na Figura 11. a entropia pode aumentar ou diminuir durante esse processo.22. principalmente devido às quedas de pressão associadas ao escoamento do fluido de trabalho e à transferência de calor para ou das vizinhanças. = 1. E importante também que os refrigerantes usados em aparelhos domésticos sejam não tóxicos. o refrigerante entra no evaporador com uma entalpia menor. desde que outros fatores o permitam. desejável que se utilize o refrigerante que forneça o maior coeficiente de desempenho. Essas possibilidades estão representadas pelas duas linhas tracejadas 1-2 e 1-2'. entretanto. O vapor que entra no compressor estará provavelmente superaquecido.7 Um ciclo de refrigeração utiliza R-134a corno fluido de trabalho. FIGURA 11. e a tem- peratura do refrigerante. EXEMPLO 11. a temperatura pode aumentar na tubulação entre o evaporador e o compressor. Essa transferência de calor representa uma perda porque ela aumenta o trabalho do compressor. a estabilidade e o custo. em consequência do aumento do volume específico do fluido que entra no equipamento. Também. representa um ganho porque. O ciclo real pode ser representado. aproximadamente. em consequência dessa transferência de calor. Outras características desejáveis. a rigidez dielétrica.11 AFASTAMENTO DO CICLO DE REFRIGERAÇÃO REAL DE COMPRESSÃO DE VAPOR EM RELAÇÃO AO CICLO IDEAL O ciclo real de refrigeração se afasta do ciclo ideal. enquanto os compressores centrífugos são mais apropriados para operar com volumes específicos altos e pressões baixas. É.22. Há uma queda de pressão quando o refrigerante escoa através do evaporador. estará um pouco acima daquela do ambiente para o qual o calor é transferido. Os compressores alternativos são mais apropriados para operar com volumes específicos baixos e pressões alta. As propriedades dos vários pontos do ciclo. A pressão do líquido que deixa o condensador será menor que a pressão do vapor que entra. para dadas temperaturas de evaporação e condensação. naturalmente. pelo mostrado na Figura 11. permitindo assim mais transferência de calor para o refrigerante no evaporador. Usualmente. Isso. estão apresentadas a seguir: PI = 125 kPa P2 = 1.2 MPa P?. O refrigerante pode estar levemente superaquecido quando deixa o evaporador e. são a miscibilidade com o óleo do compressor.19 MPa P4 = 1.336 Fundamentos daTermodinâmica O tipo de compressor a ser utilizado numa aplicação tem uma relação particular com o refrigerante. pois a irreversibilidade e a transferência de calor para o refrigerante provocam um aumento de entropia e a transferência de calor do refrigerante provoca uma diminuição da entropia.

O regenerador resfria os gases antes do processo de estrangulamento e a refrigeração é obtida com o vapor a baixa temperatura que escoa em direção ao compressor.44).9 kJ/kg e Estado de entrada: P5. Quantos parâmetros são necessários para determinar completamente um ciclo padrão de refrigeração por compressor de vapor? 11.q Solução: Das tabelas de R-134a hv = 394. Estado de entrada: Pít TI conhecidas. com resfriamento intermediário entre . T8 conhecidas. estado determinado. Quando há grande diferença de temperaturas. Um regenerador pode ser utilizado para a liquefação de gases usando o processo Linde-Hampson. já que não há meio de resfriamento com temperatura tão baixa. que é a sigla em inglês para coeficiente de desempenho. Para cada volume de controle analisado. Determine o coeficiente de desempenho desse ciclo. estado determinado. h7 conhecidas. wc 1302 90.394. T2 conhecidas.9 .0 pode ser obtida com uma compressão em dois estágios com dois circuitos.4 kJ/kg Volume de controle: Evaporador. QUESTÕES CONCEITUAIS e.T. como mostrado na Figura 11.24. O compressor utilizado é usualmente um compressor do tipo alternativo (pistão-cilindro).2 kJ/kg Portanto. O compressor operando com a temperatura mais baixa movimenta uma vazão menor de refrigerante a um volume específico bem alto. x7 = x§ Análise: Equação da energia: Como x7 . T5 conhecidas. Essa configuração pode ser utilizada quando a temperatura entre os estágios do compressor é muito baixa para permitir o uso de um compressor de dois estágios com resfriamento intermediário (ver Figura P9.9 kJ/kg K Solução: qL = h8 ~h7 = 386.23.9. 4 337 Assim.12 CONFIGURAÇÕES DE CICLOS DE REFRIGERAÇÃO O ciclo básico de refrigeração pode ser modificado com vistas a atender requisitos de aplicações especiais e também para aumentar o /J4.4 = 130. Estado de saída: P7 = P6 conhecida. Estado de entrada: P7. Análise: Primeira lei da termodinâmica: q + hi = hz + w \wc\ hi .Sistemas de Potência e Refrigeração . o modelo termodinâmico é aquele associado às tabelas de R-134a. que é uma versão simples da instalação de produção de oxigénio líquido apresentada na Figura 1. estado determinado.com Mudança de Fase O calor transferido do R-134a durante o processo de compressão é 4 kJ/kg.0 kJ/kg Volume de controle: Válvula de estrangulamento mais tubulação. temos que Solução: = h1 = 256. Análise: Equação da energia: hz = 480. Um refrigerador em uma cozinha que está a 20 °C utiliza R-134a.256. Deseja-se produzir cubos de gelo a -5 °C.hz . o resultado líquido é um aumento no coeficiente de desempenho /J. Estado de saída: P8.9 . Qual é o valor mínimo para a pressão alta e o máximo para a pressão baixa que o refrigerador deve ter ? f.XQ. Volume de controle: Compressor. Estado de saída: P2. o que implica um alto valor para o trabalho específico consumido. \wc = 480. conforme já mencionado no Capítulo 7 (N.6 . como mostrado na Figura 11. estado determinado. Portanto.). uma melhoria do desempenho Ou COP. Vamos admitir que cada processo ocorra em regime permanente e que não apresente variações de energia cinética e potencial.(-4) = 90.

. OQ -2C Câmara de mistur 3 Tambor de expansão i Líquido saturado -20 °C ' W. íj => Compress estágio 1 «$ Válvula 1 L Fvapr raHnr Vapor saturado -5 0°C XA ] ^ A Ambiente | refrigerado FIGURA 11. comparando-se com um ciclo simples. R-23 -10°C -w. Essa configuração apresenta um ciclo acima do outro e normalmente é chamada de sistema de refrigeração em cascata. R-410A 40 °C -W^ =!>) Compressor 9 Ciclo de R-410A -4. Líquido sat. mostrada na Figura 11. estabelecem-se as vazões mássicas de refrigerante nos dois ciclos. são utilizados porque apresentam propriedades termodinâmicas adequadas para o funcionamento nessas faixas de temperatura. Fluidos refrigerantes especiais.25 Sistema Linde-Hampson para a liquefação de gases. com duas substâncias diferentes como fluidos de trabalho. o evaporador do ciclo de alta temperatura absorve calor do condensador do ciclo de baixa temperatura. como o R-23 ou hidrocarbonetos. Finalmente. incluindo viscosidade e condutividade térmica. R-23 -80 °C QL i— 1 i Ambiente refrigerado FIGURA 11. Esses dois componentes dos ciclos estão alocados em um mesmo trocador de calor e realizando-se o balanço de energia. se aproximando de um processo de compressão isotérmico. Sistema de refrigeração em cascata de dois ciclos. ) Válvula 1 . os estágios para reduzir o trabalho de compressão e. a faixa de temperaturas pode ser tão ampla que dois ciclos de refrigeração diferentes devem ser utilizados. para baixas temperaturas.23 Sistema de refrigeração com compressão em dois estágios e dois circuitos de refrigeração.Gás de ' reposição Líquido Líquido sat. Nesse sistema.25. O efeito líquido dessa configuração é diminuir o trabalho de compressão e aumentar a capacidade de refrigeração. desse modo.338 Fundamentos da Termodinâmica Ambiente ' -QH Liquido saturado 40 °C Compressor | estágio. sem transferência de calor externa.24 FIGURA 11. Vapor sat. o que requer uma diferença de temperatura entre os dois.

radiação solar ou outra fonte térmica que possa gerar uma temperatura alta o suficiente para vaporizar água a alta pressão. Esse ciclo mostra que o processo de compressão utilizado nos ciclos deve ocorrer com o menor volume específico possível (porque o trabalho num processo de escoamento reversível. e então se dirige para a válvula de expansão e para o evaporador. bombas de calor. O vapor de amónia a baixa pressão. onde é condensado. como no sistema de compressão de vapor. Como um caso especial. são apresentadas. o vapor de amónia se separa da solução em consequência da transferência de calor da fonte de alta temperatura. Aplicações desse ciclo incluem refrigeradores domésticos e comerciais.com Mudança de Fase 11. as fontes de energia solar ou geotérmica. No ciclo de absorção.26 Ciclo de refrigeração por absorção de amónia. O número de equipamentos envolvidos num sistema de absorção é maior que aquele de um sistema de compressão de vapor convencional e ele pode ser justificado economicamente apenas nos casos em que é disponível uma fonte térmica adequada e que. entra no absorvedor onde é absorvido pela solução fraca de amónia. O vapor de amónia vai para o condensador. Sob essas condições. em regime permanente e com variações desprezíveis de energias cinética e potencial. O ciclo Rankine e suas variações representam a base para as centrais de potência a vapor que geram grande parte da produção de eletricidade no mundo. junto com aplicações em que eletricidade é cogerada com vapor para aplicação no processo. onde são mantidas altas temperatura e pressão. Em aplicações de temperatura baixa ou muito alta. As modificações no ciclo básico.339 Sistemas de Potência e Refrigeração . Nos anos recentes. Outras combinações de fluidos têm sido utilizadas em ciclos a absorção. O fornecimento de energia na forma de calor pode ser feito via combustão de combustíveis fósseis. outros fluidos de trabalho.26 mostra um arranjo esquemático dos elementos essenciais desse ciclo. o vapor de amónia a baixa pressão é absorvido pela água e a solução líquida é bombeada a uma pressão superior por uma bomba de líquido. tais como. reator nuclear. Esse processo ocorre a uma temperatura levemente acima daquela das vizinhanças e deve ser transferido calor às vizinhanças durante esse processo. em regime permanente e com variações desprezíveis de energias cinética e potencial é -Jv dP~). o trabalho é igual a -fv dP e o volume específico do líquido é muito menor que o volume específico do vapor.13 O CICLO DE REFRIGERAÇÃO POR ABSORÇÃO DE AMÓNIA O ciclo de refrigeração por absorção de amónia difere do ciclo por compressão de vapor na maneira pela qual a compressão é efetuada. uso de aquecedores de água de alimentação de mistura ou superfície. além da água. de outro modo. seria desperdiçada. tais como reaquecimento. temse dado maior atenção aos ciclos de absorção devido às fontes alternativas de energia. assim como instalações para temperaturas bem baixas com configurações especiais tipo cascata. sistemas de ar condicionado. Por outro lado. QH (para a vizinhança) Vapor de amónia a alta pressão \ vapor de amónia a baixa pressão QL (da câmara fria) Figura 11. que deixa o evaporador. podem ser utilizados. A solução fraca de amónia retorna ao absorvedor através do trocador de calor. A Figura 11. Isso resulta do fato: para um processo reversível. RESUMO Neste capítulo são apresentados os ciclos padrões de potência e de refrigeração com fluidos com mudança de fase durante o ciclo. Sistemas de refrigeração padrão são constituídos de ciclos de refrigeração por compressão de vapor. . A solução forte de amónia é então bombeada ao gerador através de um trocador de calor. sendo o par brometo de lítio-água uma delas. o ciclo de absorção de amónia foi brevemente discutido. A característica particular do sistema de absorção consiste em requerer um consumo muito pequeno de trabalho porque o processo de bombeamerito envolve um líquido. deve-se dispor de uma fonte térmica de temperatura relativamente alta (100 °C a 200 °C).

Reconhecer os parâmetros mais influentes para cada tipo de ciclo. deve ter temperatura de condensação mínima de 22 °C. deve aquecer uma residência a 20 °C.6 11.340 Fundamentos da Termodinâmica Após estudar o material deste capítulo você deve ser capaz de: • Aplicar as leis gerais a volumes de controle com diversos componentes formando um sistema completo. Qual é o benefício do separador de líquido na central de potência do Problema 6. recebendo energia do ambiente externo que está a -5 °C. com o aumento da pressão na caldeira.5 11. Reconhecer a importância da eficiência dos componentes para a eficiência geral do ciclo ou seu |3.106. utilizando água como fluido de trabalho? 11.12 Todo processo de transferência de calor é promovido por uma diferença de temperatura. como variam o trabalho produzido na turbina. Em um ciclo Rankine. Quais são as restrições que essas condições impõem às pressões de operação? 11. Reconhecer que muitas dessas instalações têm impacto ambiental.7 Uma central de potência a vapor opera num ciclo de Carnot? Descreva os quatro processos que ocorrem nessa central. CONCEITOS E EQUAÇÕES PRINCIPAIS Ciclo Rankine Aquecedor de água de alimentação de mistura: Aquecedor de água de alimentação de superfície: Deaerador: Cogeração: Água de alimentação misturada com vapor de extração e salda como líquido saturado. Reconhecer que muitos ciclos reais têm modificações em relação à configuração básica do ciclo. • Reconhecer que nenhuma instalação opera baseada em um ciclo de Carnot. • Entender como refrigeradores e bombas de calor simples funcionam.9 Qual é a vazão mássica que escoa através da bomba de condensado na Figura 11.2 11. • Entender como centrais de potência funcionam. qual seria a pressão mais baixa possível no condensador. sem mistura.106? Na central de potência do Problema 6.11 Uma bomba de calor que utiliza dióxido de carbono como fluido de trabalho.1 devesse fornecer água quente a 90 °C. • Reconhecer que as instalações reais têm eficiências e coeficientes de desempenho mais baixos que as baseadas em ciclos ideais.1 11. o trabalho consumido na bomba e a temperatura ou título na saída da turbina.10 Uma bomba de calor que utiliza R-410A como fluido de trabalho.8 Se o sistema de aquecimento distrital apresentado na Figura 1. Potência da turbina é cogerada com vapor necessário para determinada' aplicação Ciclo de Refrigeração Coeficiente de Desempenho: wc h9-hl PROBLEMAS CONCEITUAIS 11.14? 11.4 11. Quais são as consequências desse fato sobre o comportamento dos ciclos ideais? . Aquecedor de água de alimentação de mistura operando à Palm para extrair gases. Água de alimentação aquecida pelo vapor de extração.3 11. mantendo-se constantes as temperaturas na saída na caldeira e no condensador? Como variam os termos de trabalho e transferência de calor em um ciclo Rankine com o aumento da temperatura no condensador e mantendo-se as demais propriedades fixas? Descreva duas vantagens obtidas com a utilização do ciclo Rankine com reaquecimento. o que poderia ser feito para remoção de líquido no escoamento como alternativa ao uso de um separador de líquido? A energia removida nos condensadores das centrais de potência pode ser utilizada para algum fim útil? 11. recebendo energia do ambiente externo que está a -10 °C. Qual é o valor mínimo para a alta pressão e máximo para a baixa pressão que a bomba pode operar? 11.

11. e a eficiência global do ciclo. As temperaturas máxima e mínima do ciclo são iguais a 450 °C e 45 °C.24 11. tem pressão e temperatura na caldeira de 3.341 Sistemas de Potência e Refrigeração . opera num ciclo Rankine. Determine o trabalho específico. considerando que o fluido de trabalho é o refrigerante amónia. 11. 11.18 Uma central de potência a vapor apresenta pressão máxima igual a 3 MPa e temperatura de 60 °C no condensador. 11. com temperatura e pressão na saída da caldeira iguais a 70 °C e 4 MPa.21 em que a água quente aquece o R-134a até que ele se transforme em vapor saturado. que utiliza R-410A como fluido de trabalho. O ponto que apresenta a menor diferença entre as temperaturas da água e do fluido de trabalho é denominado ponto de pinça -pinchpoint (veja a Figura Pll.22 Refaça o problema anterior admitindo que o fluido de trabalho do ciclo é o R-410A. 11.17 Uma central de potência a vapor operando num ciclo Rankine apresenta pressão na caldeira igual a 3 MPa. Sabendo que a temperatura no condensador é 40 °C. Centrais de Potência Ciclos Simples 11. Admita que o gerador de vapor seja um trocador de calor contracorrente. apresenta pressão máxima igual a 5 MPa e mínima de 15 kPa. admitindo que o fluido de trabalho do ciclo seja a amónia. movido a energia solar. Determine o rendimento térmico dessa instalação.21 Um suprimento de água quente geotérmica é utilizado como fonte energética num ciclo Rankine ideal. Determine a máxima potência produzida nesse ciclo quando a vazão e a temperatura de água quente disponível forem iguais a 2 kg/s e 95 °C. operando num ciclo Rankine. o fluido está no estado de vapor saturado a 85 °C.13 Uma central de potência a vapor. com temperatura de -20 °C no condensador e uma pressão máxima igual a 3 MPa com superaquecimento do vapor na saída da caldeira. 11.15 Uma central de potência para uma base de uma expedição polar utiliza amónia como o fluido de trabalho. O condensador do ciclo tem pressão de 800 kPa. 11. 11. É utilizada uma turbina de condensação. Determine o valor das quatro transferências de calor e o rendimento térmico do ciclo.25 Refaça o problema anterior.21. que utiliza água como o fluido de trabalho.3. (Dica: divida o v. calcule o rendimento térmico desse ciclo. determine a temperatura na seção de descarga da caldeira e a vazão mássica de água no ciclo. de forma que a temperatura na saída da turbina seja de 60 °C.com Mudança de Fase PROBLEMAS PARA ESTUDO Ciclos de Rankine. T = 85 °C apareça) Ponto de pinça ___ R-134aH->- Aquecedor de líquido D Gerador de vapor R-134a 3 ? Agua ' 95 °C Figura P11. Determine o rendimento térmico desse ciclo. na seção de saída do gerador de vapor.14 Considere um ciclo Rankine ideal. Vapor saturado sai do coletor solar a 175 °C e a pressão do condensador é 10 kPa. como a mostrada na Figura 11. 11. 24). trocador de calor em dois. Determine a eficiência desse ciclo e aquela de um ciclo de Carnot que opera entre reservatórios térmicos que apresentam temperaturas iguais às máxima e mínima do ciclo Rankine. A temperatura da água quente deve ser igual ou maior que a temperatura do R-134a em qualquer posição do trocador de calor. Determine a temperatura na saída da caldeira-superaquecedor. respectivamente.20 Uma central de potência a vapor. mas o título não pode ser menor que 90% em qualquer parte da turbina.23 Refaça o Problema 11.19 Uma central de potência opera com R-410A como fluido de trabalho.5 MW. 11. O fluido de trabalho no ciclo é o R-134a e.c. 11. a transferência de calor em cada componente do ciclo ideal e a eficiência do ciclo.0 MPa e 180 °C. enquanto o condensador é mantido a -15 °C. Determine o trabalho específico.26 Uma central de potência operando com dióxido de carbono como fluido de trabalho apresenta . Sabendo que o valor mínimo aceitável para o título do vapor na seção de descarga da turbina é 95% e que a potência gerada na turbina é igual a 7. que é aquecida a 80 °C a 1000 kPa na caldeira. 11. de forma que o pinch point com AT = O. O vapor é descarregado da caldeira como vapor saturado a 3 MPa e o condensador opera a 10 kPa.24 Considere o gerador de vapor (caldeira) descrito no Problema 11. a transferência de calor em cada componente do ciclo ideal e a eficiência do ciclo.16 Um ciclo Rankine.

11. Trocador de calor isolado 23 °C „ Aguada superfície ///////////////////////s k v r í * AA V WA AWA AAAAA /?í— ' á | WVVV 9 PA 'Pi v////////////////////// ©-Bomba rH Ciclo de amónia _wb = £ / J Líquido satdurado NH3 r Vápor .31 Considere um ciclo Rankine ideal que utiliza água como fluido de trabalho e que apresenta valores supercríticos de pressão. Determine a temperatura de reaquecimento necessária para que a turbina de baixa pressão descarregue vapor saturado. a potência total produzida na turbina e a taxa de transferência de calor na caldeira do ciclo. nessa pressão. Determine o trabalho específico e a transferência de calor em cada um dos componentes do ciclo ideal. Após essa operação. Calcule a eficiência térmica de um cicie em que a turbina é alimentada com vapor a 30 MPa e 550 °C e a pressão no condensador é 10 kPa. o vapor expande até a pressão do condensador. nessa pressão. 11. O fluido de trabalho muda de fase no condensador a 45 °C. 11. o trabalho específico produzido na turbina e a transferência de calor específica na caldeira do ciclo. Após essa operação. A primeira expansão na turbina é realizada até a pressão de 500 kPa e. S WVVV I í"'3 í AAAAj « — Ayyyy\ 9 ^— S AAAAA á Água de grande 5 profundidade WT :=^> Ç 7 "C Trocador de calor isolado Figura P11. Determine a eficiência desse ciclo e a temperatura de saída da turbina. Determine potência líquida do ciclo e a taxa total de transferência de calor na caldeira. também. a eficiência térmica do ciclo. o vapor expande até a pressão do condensador. Calcule. Esse ciclo pode propiciar a minimização das diferenças locais de temperaturas existentes entre os fluidos no gerador de vapor (por exemplo: na utilização dos gases de exaustão de turbinas a gás como reservatório a alta temperatura).27 mostra um ciclo de potência Rankine que utiliza amónia como fluido de trabalho e que foi projetado para operar movido pela diferença de temperaturas existente na água dos oceanos. O fluido de trabalho muda de fase no condensador a 45 °C e a taxa de transferência de calor nesse equipamento é 10 MW. o vapor expande na turbina de baixa pressão até a pressão de 10 kPa. é realizado um reaquecimento para 500 °C. é realizado um reaquecimento até que a temperatura atinja 400 °C.34 A caldeira de uma pequena central de potência produz 25 kg/s de vapor d'água a 3 MPa e 600 °C. determine: a) A potência desenvolvida na turbina e a consumida na bomba. c) O rendimento térmico desse ciclo. Sabendo que as temperaturas nas seções de alimentação e descarga de água do mar no condensador são iguais a 12 °C e 15 °C.2' A Figura PI 1. Após a instalação do equipamento. 11. é realizado um reaquecimento. 11.32 Determine a vazão mássica de dióxido de carbono no Problema 11.27 considerando que o fluido de trabalho é o dióxido de carbono. Ciclos com Reaquecimento 11.31 e admita que a primeira expansão na turbina seja realizada até a pressão de 3 MPa e.27 Refaça o problema 11. que a temperatura numa certa profundidade seja igual a 5 °C e que a vazão de amónia no ciclo seja 1000 kg/s.28 11. determine a potência líquida produzida no ciclo e a vazão de água do mar no condensador. A primeira expansão na turbina é realizada até a pressão de 500 kPa e.26 para que a potência da turbina seja l MW. Determine.13 é modificado pela instalação de um superaquecedor entre a caldeira e a turbina. Determine. = 20 °C i ^^ >^ Turbina ^^ ^\ y Ç ///////////////////////. nessa pressão.33 A caldeira de uma pequena central de potência produz vapor d'água a 3 MPa e 600 °C. 11. para essa temperatura de reaquecimento.0 MPa. A temperatura de operação do condensador é 45 °C e o calor rejeitado no ciclo é transferido ao mar.35 Considere o ciclo transcrítico no Problema 11. Admitindo que a temperatura superficial da água seja igual a 25 °C. . Qual é o título do vapor na seção de descarga da turbina? 11. para essa temperatura de reaquecimento. Após essa operação. b) A vazão mássica de água através de cada trocador de calor.-® saturado NH3 r.29 A caldeira de uma pequena central de potência produz 25 kg/s de vapor d'água a 3 MPa e 600 °C.30 O ciclo de potência descrito no Problema 11. A temperatura máxima do ciclo é igual a 100 °C. a temperatura e a pressão do vapor gerado passaram a ser iguais a 400 °C e 3.342 Fundamentos daTermodinâmica temperatura de -10 °C no condensador e pressão máxima igual a 6 MPa.

O vapor é então reaquecido até 400 °C e expande até 10 kPa na turbina de baixa pressão.Sistemas de Potência e Refrigeração .0 MPa e 400 °C e o condensador do ciclo opera a 10 kPa. Refaça o Problema 11. G rap-or rfíígtra. O vapor d'água superaquecido alimenta a turbina. Aquecedor de Água de Alimentação do Tipo Mistura 11. em que o vapor d'água entra na turbina de alta pressão a 3.com Mudança de Fase 11. A pressão mais baixa no ciclo é igual a 1003 kPa e o aquecedor de mistura opera a 2033 kPa.2 MPa e o segundo a 0.41 Uma central de potência opera com fluido R-410A mantendo uma temperatura de -20 °C no condensador e com pressão e temperatura máximas iguais a 3 MPa. Vapor é extraído da turbina a 0. Este é então bombeado para um trocador de calor onde o sódio transfere calor para a água dff vCircvnVtf secundário.46 Num reator nuclear a sódio de uma central termoelétrica. A temperatura do fluido no condensador é 45 °C e a caldeira descarrega o vapor a 5 MPa e 900 °C. por isso.2 MPa. Determine a fração de vapor extraído na turbina. A temperatura mais alta do ciclo é igual a 120 °C e ocorre num local em 343 que a pressão é 5 MPa. Calcule o rendimento térmico do ciclo e o título do vapor na seção de descarga da turbina de baixa pressão. é alimentado. A vazão mássica total na caldeira do ciclo é 5. determine a fração de vapor extraído na turbina e a taxa de transferência de calor no condensador. enquanto o condensador é mantido a -15 °C. sai desse equipamento como vapor saturado a 5 MPa e então é superaquecido até 600 °C num superaquecedor externo operado a gás. em vez de um único reaquecimento a 0.6 MPa.37 A pressão de reaquecimento afeta as variáveis operacionais dos ciclos de potência e. a potência total utilizada para acionar as bombas utilizadas no ciclo. A saída da caldeira é a 80 °C e 1000 kPa. que apresenta uma extração a 0. calcule a vazão necessária de vapor extraído da turbina. 11.8 MPa e isso é feito para aquecer a água de alimentação do gerador de vapor. um a 1. com 20 kg/s de água a 100 °C e 2 JVlPa. também. os trabalhos específicos nas duas bombas do ciclo. Nessas condições. o comportamento da turbina. 11.43 Uma central de potência a vapor apresenta pressão máxima igual a 20 MPa.38 Deseja-se estudar o efeito do número de estágios de reaquecimento sobre o comportamento do ciclo ideal com reaquecimento. mínima de 10 kPa e conta com um aquecedor de água de alimentação do tipo mistura que opera a l MPa.9. A temperatura máxima da água no Ciclo é 800 °C e a potência total gerada na turbina é 5 MW.33 utilizando dois estágios de reaquecimento. Determine a relação entre a vazão mássica de vapor na extração e a vazão mássica de água na caldeira. e 80 °C. 11.8 MPa.33 considerando que a pressão de reaquecimento é igual a 0.8 MPa.0 MPa? 11. também. 11.45 Um ciclo de potência a vapor d'água opera com um aquecedor de mistura. O vapor entra na turbina a 3. 11.39 Uma central de potência para uma base de uma expedição polar utiliza amónia como o fluido de trabalho.47 Considere um ciclo de potência regenerativo ideal que utiliza água como fluido de trabalho.40 Um aquecedor de água de alimentação. geracío no trocador de calor. Sabaniip . 11. 11. determine os calores transferidos no reator nuclear e no superaquecedor para produzir uma potência líquida de l MW. A instalação conta com um aquecedor de água de alimentação do tipo mistura que opera a 800 kPa com saída do fluido de trabalho como líquido saturado a O °C. e o fluido de trabalho deixa o aquecedor como líquido saturado. Nessas condições. O que ocorre se essa pressão for igual a 1. Sabendo que a pressão no condensador é 7. A pressão na seção de extração (intermediária) da turbina é l MPa e o estado da água na seção de descarga do aquecedor é o de líquido saturado. Calcule. determine a fração de vapor extraído na turbina e o trabalho na turbina por unidade de massa de fluido de trabalho que escoa na caldeira. Um aquecedor de água de alimentação do tipo mistura opera a 400 kPa.44 Determine o rendimento térmico do ciclo do Problema 11.0 kg/s. calor é transferido ao sódio líquido. num ciclo de potência regenerativo. conforme mostrado na Figura 11. 11.42 O fluido de trabalho de um ciclo de potência que utiliza uma fonte quente com temperatura baixa é a amónia. Repita o Problema 11. Determine a vazão mássica de vapor extraído da turbina sabendo que a amónia é descarregada do aquecedor de mistura como líquido saturado a 2033 kPa. Calcule. do tipo mistura.0 MPa e 400 °C e expande até 0. A água de alimentação sai do aquecedor como líquido saturado e são utilizadas bombas apropriadas para pressurizar a água que sai do .36 Considere um ciclo ideal com reaquecimento.4 MPa com objetivo de alimentar um aquecedor de água de mistura.gue p V^PÍIT ÃYíraMc1 às turírinã entra no aquecedor a 2 MPa e 275 : C e que a água deixa o aquecedor como líquido saturado. 11.5 kPa.39.

a turbina é alimentada com 5 kg/s de amónia a 2 MPa e 140 °C e apresenta uma extração a 800 kPa. 11. Considere novamente o ciclo de potência descrito no Problema 11. Sabendo que a temperatura na seção de entrada da caldeira é 200 °C. O vapor é extraído a l MPa e é condensado no aquecedor de água de alimentação.43. o condensado é pressurizado até 5 MPa e misturado com a água efluente do aquecedor. proveniente de um rio.' 11. 11. A vazão mássica na caldeira é 20 kg/s e o condensador do ciclo opera a 50 °C. O ciclo apresenta apenas uma bomba que comprime a água efluente do condensador até a pressão do gerador de vapor (que é igual a 3. a vazão mássica de vapor extraído da turbina e a potência total gerada na turbina do ciclo.56 A temperatura da fonte térmica da caldeira é constante e igual a 180 °C. apresenta temperatura no condensador igual a 45 °C. Admita. O ciclo apresenta apenas uma bomba que comprime a água efluente do condensador até a pressão do gerador de vapor (que é igual a 3. pressão máxima de 5 MPa e temperatura na seção de descarga da caldeira igual a 900 °C. admitindo que o aquecedor de água de alimentação seja do tipo superfície (em vez do tipo mistura). Determine. Repita o Problema 11. A água do ciclo é descarregada do aquecedor de mistura como líquido saturado. determine a fração do vapor extraído e os trabalhos específicos consumidos nas bombas. que o aquecedor de água de alimentação seja do tipo superfície. 11. Calcule o rendimento térmico desse ciclo e o trabalho líquido por quilograma de água que escoa no gerador de vapor do ciclo. Após essa operação. Considere que a temperatura da água após a mistura dos escoamentos provenientes das bombas principal e secundária seja igual a 175 °C. A bomba secundária é utilizada para comprimir a água que foi extraída da turbina e também descarrega o fluido a 20 MPa.57 Um ciclo Rankine que utiliza água como fluido de trabalho tem pressão e temperatura na saída do gerador de vapor iguais a 3 MPa e 500 °C. Repita o Problema 11. O condensador opera a 100 °C e todos os componentes são ideais. Determine a vazão mássica de extração e o estado 4 de entrada caldeira.42. Considere um V. calcule a vazão necessária de vapor extraído da turbina.53 11. que opera com um aquecedor de água de alimentação do tipo superfície. conforme mostrado na Figura 11. Determine a equação para a f ração do vapor extraído. O condensado do aquecedor é enviado para a linha de alimentação de forma que o estado 4 tem temperatura Tf. é utilizado num ciclo de potência regenerativo para aquecer 20 kg/s de água a 100 °C e 20 MPa até 250 °C e 20 MPa. Ciclos Não Ideais 11.48 A caldeira utilizada num ciclo de potência a vapor d'água descarrega o vapor a 2 MPa e 600 °C. O condensador é resfriado com água. nessas condições. do tipo superfície. sabendo que o máximo aumento de temperatura permissível dessa água é 5 °C. O condensado do aquecedor é drenado por um purgador e é enviado para o condensador. Já o escoamento de água que foi extraído da turbina é descarregado do aquecedor como líquido saturado a 2033 kPa e é encaminhado ao condensador do ciclo. O ciclo conta com um aquecedor de mistura e a pressão na extração da turbina é 600 kPa. Calcule a eficiência térmica do ciclo com .55 11. O ciclo conta com um aquecedor de mistura com estado de saída (3) na temperatura do condensado extraído.C. de forma a não englobar o estado 4 e incluindo a bomba d'água secundária.0 MPa).47 admitindo que o aquecedor de água de alimentação seja do tipo superfície (em vez do tipo mistura). Determine a vazão mássica de água de refrigeração no condensador (proveniente do rio).. A temperatura do fluido de trabalho que é descarregado do aquecedor e alimenta a caldeira é 50 °C. 11.54 jiiecedor de Água de Alimentação do Tipo >pnf fí .52 Em um ciclo Rankine. que apresenta um estado de saída medido de vapor saturado a 100 °C. O condensador do ciclo opera a -20 °C.344 Fundamentos daTermodinâmica condensador e do aquecedor de água de alimentação. com exceção da turbina. Calcule a vazão mássica na seção de extração da turbina. 11. Sabendo que o vapor extraído da turbina entra no aquecedor a 4 MPa e 275 °C e o deixa como líquido saturado. 11. a 20 °C.50 Um aquecedor de água de alimentação.0 MPa).47 admitindo que o aquecedor de água de alimentação seja do tipo superfície (em vez do tipo mistura). agora.51 Um ciclo de potência. Repita o Problema 11.13.49 Escreva as equações da continuidade e da energia para um aquecedor de água de alimentação do tipo superfície com bomba d'água principal. Admita que a bomba d'água principal esteja localizada imediatamente à jusante do condensador e que esta descarregue o fluido a 20 MPa.

por quilograma de água. Qual é a taxa de geração de entropia. Todos os componentes são ideais com exceção da turbina. A temperatura na seção de descarga da caldeira 11. A temperatura na saída da caldeira é 600 °C. que apresenta um estado de saída real de vapor saturado a 50 °C. conforme apresentado. que apresenta uma eficiência isoentrópica de 92%. apresenta pressão máxima igual a 3 MPa. A eficiência isoentrópica dessa turbina é igual a 85% e a potência produzida na turbina é 20 MW.67 11.58 11.Sistemas de Potência e Refrigeração . com exceção da turbina.66 11. Qual é a vazão mássica de água nesse ciclo? Uma central de potência a vapor d'água apresenta pressão máxima de 5 MPa e temperatura no condensador igual a 50 °C. são ideais. A eficiência isoentrópica da turbina é de 88% e a pressão na seção de alimentação do condensador é 10 kPa.65 11.0 MW. Nessas condições. como a mostrada na Figura 11. Vapor d'água sai do gerador de vapor de uma central de potência a 3. b) A geração de entropia no escoamento entre a seção de saída do gerador de vapor e a de entrada da turbina.61 11. Um ciclo de potência a vapor d'água. para o problema anterior. A pressão no condensador é . Uma central de potência a vapor d'água apresenta pressão máxima de 4 MPa e temperatura na saída da caldeira de 600 °C. A turbina de um ciclo de potência é alimentada com vapor d'água a 5 MPa e 400 °C.69 Uma central de potência com cogeração. Um ciclo de potência a vapor d'água apresenta pressão máxima igual a 3. Determine a vazão mássica de água no ciclo e a taxa de transferência de calor no condensador.4 MPa e 375 °C. Apresente todos os locais onde há geração de entropia e determine a entropia gerada no gerador de vapor por quilograma de amónia. Calcule. que todos os outros componentes do ciclo são ideais e que a caldeira superaquece o vapor até 800 °C. determine a eficiência térmica do ciclo. iguais a 85% e 80%. Determine. Admita que a fonte térmica de alta temperatura seja constituída por um escoamento de água entrando em um trocador de calor (gerador de vapor) a 120 °C e saindo a 90 "C.7 MPa.68 345 é 400 °C e a pressão no condensador é igual a 50 kPa. também. Todos os componentes são ideais com exceção da turbina. determine: a) O rendimento térmico do ciclo. que gera 9. A temperatura do ambiente é 20 °C e todos os componentes do ciclo. a geração de entropia específica no conjunto caldeira e fonte térmica.60 11.5 MPa e 400 °C. determine o trabalho específico e a transferência de calor em todos os componentes do ciclo.59 11. Sabendo que o rendimento da turbina é 85%. O calor é transferido para a água na caldeira de uma fonte térmica que apresenta temperatura igual a 700 °C.39. Determine o estado de saída das turbinas ideal e real e a transferência de calor específica nos quatro componentes principais do ciclo. Admita que a temperatura ambiente seja 25 °C. A temperatura no condensador do ciclo é 45 °C e a caldeira descarrega o vapor a 600 °C.13 admitindo que as eficiências isoentrópicas da turbina e da bomba são. no processo de transferência de calor na caldeira? Considere a central de potência do Problema 11.19. Repita o Problema 11. a eficiência isoentrópica da turbina. opera com uma caldeira que fornece 25 kg/s de vapor d'água a 7 MPa e 500 °C. Calcule a eficiência térmica do ciclo com turbina real e a eficiência isoentrópica da turbina. A água de alimentação entra no gerador de vapor a 3. Qual é a eficiência desse ciclo? A pressão máxima num ciclo cie potência a vapor d'água é 5 MPa.com Mudança de Fase 11.62 11.64 11.6 MPa e 30 °C. Qual é a eficiência térmica desse ciclo? Compare a eficiência térmica desse ciclo com um de Carnot que opera entre as temperaturas máxima e mínima do ciclo. Considere que o condensador troca calor com o ambiente que está a -20 °C. Refaça o Problema 11. O condensado sai do condensador e entra na bomba a 35 °C e 10 kPa. Sabendo que o rendimento da turbina é 80% e que todos os outros componentes do ciclo são ideais. O ar ambiente a 20 °C promove o resfriamento necessário para manter o condensador a 60 °C.43 considerando que a eficiência isoentrópica da turbina seja igual a 85%. A eficiência isoentrópica da bomba é igual a 80% e a pressão na seção de saída desse equipamento é 3. Cogeracão 11. recebendo energia de uma fonte térmica a 700 °C.0 MPa e a temperatura na seção de descarga do condensador é 45 °C. A pressão e a temperatura do vapor na seção de alimentação da turbina são iguais a 3.63 a) turbina ideal e b) turbina real. respectivamente. determine o trabalho específico na turbina e a eficiência do ciclo. Determine o trabalho específico e a transferência de calor em todos os componentes do ciclo. A pressão na seção de descarga da turbina é 10 kPa. Sabendo que o título do vapor na seção de descarga da turbina é 97%.

determine a temperatura imediatamente à jusante da bomba (estado 1).73 mostra o esquema de um arranjo utilizado num ciclo de potência com cogeração. O condensador do ciclo de potência é composto por dois trocadores de calor e o calor rejeitado do ciclo é utilizado para aquecer água de processo.70 Uma central de potência a vapor d'água apresenta pressão na entrada da turbina de 4 MPa e temperatura de 500 °C. 11. no estado líquido comprimido a l MPa e 90 °C.19.-7 1 Suprimento de vapor Condensador Figura P11. a bomba aumenta a pressão no fluido até 5 MPa e a caldeira fornece vapor à turbina a essa pressão e à temperatura de 400 °C. que produz 10 kg/s de vapor saturado a 0. O restante do vapor escoa na turbina até que a pressão atinja 10 kPa.1 MPa. Uma bomba localizada à jusante do condensador eleva a pressão do líquido até l MPa e alimenta o misturador de água de alimentação (a outra alimentação é realizada pela água efluente do processo). Uma segunda bomba é utilizada para elevar a pressão do escoamento efluente do misturador até a pressão de 10 MPa. Calcule a potência líquida produzida para uma taxa de transferência de calor na caldeira de 10 MW. 5 kg/s 500 kPa 22 kg/s 6 MPa 200 510°C 13 kg/s 200 kPa l l J '— SOkPa.71 11.4 MPa. Calcule também a diferença na potência líquida produzida.72 Uma caldeira gera vapor a 10 MPa e 550 °C e alimenta uma turbina com dois estágios.73 1174 A caldeira de um pequeno ciclo térmico produz 25 kg/s de vapor d'água a 3 MPa e 600 °C. Água de processo . O ciclo térmico está esboçado na Figura PI 1. em uma indústria de celulose e papel. Para que o condensador consiga rejeitar energia. Determine a potência da turbina e a temperatura da água na tubulação de alimentação do deaerador. qual é a potência que pode ser "cogerada" pela turbina? 4-72 neposiçao 3+ de água J 6 Aquec.74 A extração de vapor é realizada a 500 kPa e o aquecedor de água de alimentação é do tipo mistura.5 MPa. A vazão mássica de vapor extraído do ciclo é 5 kg/s e esse escoamento não retorna ao ciclo. Determine a Taxa de transferência de calor adicional na caldeira. O trocador a alta temperatura transfere 30 MW de calor para a água de processo e o de baixa temperatura transfere 31 MW. além da que seria requerida para produzir apenas a vazão de vapor desejada. ele é mantido a 101 kPa. a uma pressão de 1. Admita que todos os componentes sejam ideais.73 A Figura PI 1. A pressão na seção de extração (intermediária) da turbina é 500 kPa (estado 6) e a água retorna do processo como líquido saturado a 100 kPa (estado 8).71 A Figura P11. O vapor extraído é encaminhado a um processo e retorna ao ciclo. Admitindo que todos os componentes do ciclo sejam ideais. A água de reposição entra no aquecedor de mistura a 20 °C e 500 kPa. Note que a turbina é alimentada com vapor a alta e baixa pressões. Determine a vazão .74 e a água é descarregada do condensador a 45 °C.. A instalação é alimentada com água a 20 °C e 0. é feita uma extração de 25% do vapor alimentado. . 11. conforme mostrado na Figura 11. Se o processo requer uma taxa de transferência de calor igual a 5 MW. . como água de alimentação. 14 kg s 31 MW AVVVVV AAAA '— 60 °C 415 kc s r 95 °C 30 MW AVVVVv AAAA . Caldeira Agua 500 kPa Figura P11.346 Fundamentos daTermodinâmica 7.71 mostra uma instalação de cogeração.27 kg/s para deaerador Figura P11. a potência total da turbina e a transferência de calor no processo de aquecimento. 11.5 kPa e a vazão mássica de água extraída para o aquecimento do processo é 5 kg/s. Após o primeiro estágio.

O evaporador absorve energia de um lençol freático (subterrâneo) que está a 8 °C. que utiliza R-134a como fluido de trabalho consome 500 W no compressor. A temperatura real do R-134a na seção de descarga do compressor é 60 °C. Determine o coeficiente de desempenho para esse ciclo. o coeficiente de desempenho do ciclo. há uma transferência de calor com o fluido a pressão constante de forma que este seja levado ao estado de vapor saturado. com pressões alta e baixa de 6 e 3 MPa.86 11.81 Considere uma bomba de calor com amónia como fluido de trabalho que tem a temperatura baixa igual a 25 °C e a pressão alta de 5 MPa. respectivamente.75 considerando R-410A como fluido de trabalho. iguais a 201.82 Reconsidere a bomba de calor do problema anterior. que utiliza R-410A como fluido de trabalho. Determine as taxas de transferência de calor a 2 MPa e 5 MPa para uma potência de l MW entrando no compressor. 11.89 347 do compressor são. Determine o coeficiente de desempenho para esse ciclo. Determine a vazão mássica de amónia. Determine o coeficiente de desempenho dessa bomba de calor e a temperatura na qual ela pode fornecer energia.2 MPa. o fluido seja comprimido até 2 MPa. e a temperatura baixa é de -5 °C. Esse refrigerador funcionaria em uma cozinha em condições climáticas normais? 11. o coeficiente de desempenho e a eficiência isoentrópica do compressor. As pressões nas seções de alimentação e descarga do compressor são.85 11. determine o trabalho específico real de compressão e o coeficiente de desempenho do refrigerador.88 11. Um refrigerador.75 Um ciclo de refrigeração. iguais a 45 °C e -15 °C. 11. Determine as transferências de calor específicas no condensador e no evaporador.83 Um sistema de ar condicionado no aeroporto de Timbuktu utiliza o refrigerante R-410A e as pressões nas seções de alimentação e descarga 11. O sistema de ar condicionado deve resfriar o ar externo do deserto de 45°C para 15 °C.Sistemas de Potência e Refrigeração . 11. Determine o coeficiente de desempenho dessa bomba de calor para os seguintes fluidos de trabalho: R-134a e amónia. Sabendo que a temperatura medida do refrigerante na seção de descarga do compressor é igual a 60 °C. Um sistema de refrigeração de uma câmara frigorífica para armazenamento de carne utiliza amónia como fluido de trabalho.87 11. 11. O compressor adiabático de um refrigerador.21. O sistema de ar condicionado de um automóvel utiliza o refrigerante R-134a e a potência utilizada no acionamento do compressor é 1.76 Refaça o Problema P11. respectivamente. no estágio inicial. Ciclos de Refrigeração 11. Admita que não haja perda de pressão nos trocadores de calor. Determine o coeficiente de desempenho para ciclos que utilizam R-134a e R-410A como fluidos de trabalho.4 MPa. Calcule também a potência total fornecida pelas turbinas T\2. opera numa condição em que a temperatura mínima é -10 °C e pressão máxima é l MPa. a temperatura de condensação e o coeficiente de desempenho para um ciclo padrão com dióxido de carbono. 11.84 11.5 kW. considerando um ciclo padrão de refrigeração com temperatura no condensador de 20 °C e admitindo que a temperatura do ambiente externo seja 20 °C. Admita que o compressor seja dividido em dois e.78 O refrigerante natural dióxido de carbono tem uma temperatura crítica bastante baixa. Esse sistema funcionará? Considere uma bomba de calor ideal em que a temperaturas no condensador e no evaporador são.77 considerando amónia como fluido de trabalho. A temperatura no condensador do cicio é 40 °C.79 Refaça o Problema 11. Se o compressor recebe uma potência de l MW. também. Uma bomba de calor utiliza R-410A como fluido de trabalho e alta pressão de 3 MPa com temperatura de O °C no evaporador. Após esse processo. iguais a 50 °C e a O °C. Determine a transferência de calor específica com o ambiente refrigerado e com o ambiente a alta temperatura.77 Considere um ciclo ideal de refrigeração que apresenta temperaturas no condensador e no evaporador. Admita que o ciclo seja ideal como o da Figura 11.80 Um refrigerador. que utiliza R-134a como fluido de trabalho tem temperatura mínima de -10 °C e pressão máxima de l MPa. é alimentado com vapor saturado a -20 °C e a pressão na seção de descarga do compressor é 1. iguais a 200 kPa e 1500 kPa. Calcule. que utiliza R-134a como fluido de trabalho.7 kPa e 1. qual é a taxa de transferência de calor a alta temperatura? 11. quando então é comprimido a 5 MPa. O sistema deve manter uma temperatura mínima de -15 °C e remover uma carga térmica de 5 kW do ambiente refrigerado.com Mudança de Fase mássica de vapor extraído da turbina para que o ciclo opere convenientemente. 11. respectivamente. Determine a temperatura máxima. respectivamente. O ar do ambiente externo a 30 °C escoa através do evaporador do ciclo e a temperatura do ar nas seções de .

Após essa operação. Um refrigerador. Calcule também a vazão mássica de ar a 10 °C no evaporador utilizado nesse sistema de ar condicionado. A temperatura no condensador do ciclo é 40° C e a vazão mássica de refrigerante no ciclo é 0. O ciclo de alta temperatura utiliza o refrigerante R-134a. O compressor é alimentado com vapor saturado de refrigerante a -20 °C e a temperatura do R-134a na seção de descarga do compressor é 50 °C.3.2 MPa e 75 °C. Nessas condições. Sabendo que o coeficiente de desempenho do ciclo é 2. são separados e o líquido é estrangulado até a temperatura do evaporador (-50 °C). a capacidade de refrigeração e o coeficiente de desempenho desse ciclo.91 11. Nessas condições.94 11. é frequentemente vantajoso utilizar mais de um fluido de trabalho. Considere um sistema em cascata com um ciclo de refrigeração utilizando R-410A. Determine a geração de entropia em todos os processos que ocorrem no equipamento. . obtendo-se o valor de 2.348 11. determine a potência necessária para acionar o compressor e a taxa de geração de entropia no processo de compressão.15 MPa e 40 °C e sai do evaporador a 160 kPa e -15 °C. que utiliza R-134a como fluido de trabalho.3 kPa. Em ciclos de refrigeração.92 11. é 0.93 11. num ciclo real de refrigeração. 11. estejam isoladas termicamente de modo a impedir qualquer transferência de calor do ambiente. a essa temperatura. de 15 °C a 60 °C). que opera num grande intervalo de temperatura.4 kW.90 11. que tem temperatura de evaporação de -40 °C e uma pressão alta de 1400 kPa. como a câmara de mistura. está localizado numa sala onde a temperatura é igual a 20 °C. A potência consumida no compressor foi medida. que utiliza R-410A como fluido de trabalho. ele é misturado com o vapor que sai do tambor de expansão C^asft"). essa combinação é normalmente chamada de sistema em cascata.05 kg/s.96 Uma maneira de melhorar o desempenho de um ciclo de refrigeração. Pode-se admitir que tanto o tambor de expansão. As pressões máxima e mínima do ciclo utilizado no refrigerador são iguais a 1200 kPa e 101. Vapor saturado entra no compressor dessa unidade a 10 °C e é descarregado a 2 MPa e 85 °C. Determine o coeficiente de desempenho do ciclo e a potência elétrica necessária para acionar o refrigerador. b) O coeficiente de desempenho do sistema. Considere o sistema ideal de refrigeração desse tipo. O refrigerador deve transferir 500 W de uma amostra a -20 °C (não é o TL do ciclo) que está contida no espaço refrigerado. R-134a é utilizado como fluido refrigerante num ciclo convencional de bomba de calor. determine: a) O coeficiente de desempenho do ciclo. determine a taxa de geração de entropia no processo de compressão. Uma bomba de calor de pequeno porte é utilizada para aquecer a água de alimentação de um processo. Considere que o compressor utilizado no refrigerador é reversível. com evaporador a O °C e uma pressão alta de 1600 kPa. Outras Configurações de Ciclos de Refrigeração 11. Admita que a unidade utilize amónia e que opere segundo um ciclo ideal. O vapor que sai do evaporador é comprimido até a pressão de saturação correspondente a -20 °C. Líquido saturado sai do condensador a 40 °C e é estrangulado até -20 °C. como em ciclos drefrigeração que operam num grande intervalo de temperatura. O flui- do refrigerante entra na válvula de expansão a 1. Determine a eficiência isoentrópica do compressor e o coeficiente de desempenho dessa bomba de calor. O vapor que deixa a câmara de mistura é comprimindo no segundo estágio do compressor até a pressão de saturação correspondente à temperatura do condensador (40 °C). Reconsidere o problema anterior. Considere que o compressor não é adiabático nem reversível e que os outros componentes do ciclo de refrigeração operam de modo ideal. consiste na utilização de um compressor de dois estágios. A vazão de refrigerante R-134a. Sabendo que a vazão necessária de água é 0.97 Tanto em ciclos motores. Determine a vazão mássica de refrigerante no ciclo e a taxa de transferência de calor no evaporador.1 kg/s. mostrado na Figura 11. O vapor entra no compressor a 150 kPa e -10 °C e sai dele a 1. b) O coeficiente de desempenho de um ciclo ideal de refrigeração simples. que opera entre as mesmas temperaturas do condensador e do evaporador da unidade de compressão em dois estágios estudada neste problema.23. Determine: a) A relação entre as vazões mássicas dos dois ciclos. determine a quantidade de energia economizada pela utilização da bomba de calor (em vez da utilização de aquecimento direto da água. O líquido e o vapor.95 Fundamentos daTermodinâmica descarga de ar no interior do automóvel é 10°C. O refrigerador de um laboratório utiliza R-134a como fluido de trabalho. A temperatura no evaporador é 15 °C e a no condensador é 60 °C.2 kg/s.

b) O coeficiente de desempenho do sistema.102 Como apresentado no problema anterior.98 Considere o sistema em cascata apresentado na Figura 11. os componentes do lado esquerdo do ciclo substituem o compressor do ciclo de compressão de vapor. Considerando que esses componentes são reversíveis e admitindo que as temperaturas alta e baixa sejam constantes. o R-23. com o de um refrigerador similar baseado no ciclo de compressão de vapor. no ciclo de refrigeração. que opera com R-410A.com Mudança de Fase 11. O ciclo a baixa temperatura utiliza um refrigerante diferente.100. O rendimento térmico do motor é igual a 25%.101 Na configuração de um ciclo de absorção de amónia apresentada na Figura 11.42 kJ de calor são transferidos para a amónia no evaporador. O ciclo a alta temperatura utiliza R-410A e apresenta as seguintes condições operacionais: líquido saturado sai do condensador a 40 °C e vapor saturado deixa o trocador de calor a -20 °C. compare o valor de /3 = (QL1 + QL2)/^dessa geladeira com o COP de uma geladeira com um único evaporador. determine as duas transferências de calor. Nessas condições. O ciclo utilizado no refrigerador é o padrão e o R-410A condensa a 40 °C. que mostra um arranjo composto por dois ciclos de refrigeração. e apresenta as seguintes condições operacionais: vapor saturado sai do evaporador a -80 °C (h = 330 kJ/kg).25. determine uma expressão para o trabalho equivalente desses componentes como uma função do trabalho na bomba W e das duas temperaturas. o ciclo de absorção de amónia é bastante similar ao esquema apresentado no Problema 11. líquido saturado sai do trocador de calor a -10 °C (h = 185 kJ/kg) e a entalpia do refrigerante na seção de descarga do compressor é igual a 405 kJ/kg.0. iguais a -10 °C e 50 °C. Qual é 349 a relação entre o coeficiente de desempenho e QL/Qi? \°nte / \ \\o Figura P11. respectivamente. operando em temperatura de evaporação igual à mais baixa da configuração com evaporador duplo.104 Deseja-se comparar o desempenho de um refrigerador com ciclo de absorção de amónia.100 Ciclos de Absorção com Amónia 11. e é acionado por um motor térmico que utiliza gás natural como combustível. determine o coeficiente de desempenho desse ciclo. por quilograma de R-410A.100 mostra o esboço de um refrigerador. Vapor saturado de amónia sai do gerador a 50 °C. conforme mostrado na Figura PI 1.103 Considere um ciclo de refrigeração por absorção de amónia de pequeno porte e acionado por energia solar.Sistemas de Potência e Refrigeração .99 Evaporadores duplos são utilizados para resfriar tanto o compartimento refrigerado quanto o de congelados de uma geladeira doméstica. Considere um sistema de absorção que apresenta temperatura no evaporador e no condensador. A temperatura no gerador deste sistema é 150 °C e 0. A é* Refrigerador 51 ' f* Figura 11. Sabendo que o refrigerante evapora a -20 °C. admita que esteja disponível um reservatório a 150 °C e que ca- . 11. Sabendo que são necessários 7000 kJ de calor no gerador (coletor solar) por quilograma de vapor de amónia gerado.99 11. Admitindo pressão constante nos dois evaporadores. Para fazer a comparação pretendida. 11. para cada kJ transferido da fonte de alta temperatura para a solução de amónia no gerador.99.100 A Figura Pll. determine: a) A relação entre as vazões mássicas dos dois ciclos. Admitindo que o rendimento térmico do motor seja igual a 30% e o do ciclo de refrigeração seja 3. 11. e vapor saturado deixa o evaporador a 10 °C. determine a relação entre as transferências de calor de resfriamento e de aquecimento QL/QJ. 11.26.

e a eficiência da turbina baseada na segunda lei da termodinâmica. 11.112 Vapor d'água a 10 MPa e 550 °C alimenta uma turbina de dois estágios. determine as eficiências baseadas na segunda lei da termodinâmica para ambos os estágios da turbina. baseada na segunda lei da termodinâmica. e qual é a eficiência do ciclo baseada na segunda lei da termodinâmica. num ciclo real de refrigeração. é 0. 11. Ciclos de Refrigeração 11.350 Fundamentos daTermodinâmica lor seja transferido desse reservatório para um motor reversível que rejeita calor ao ambiente que está a 25 °C.103 tem uma turbina com estados de entrada e saída definidos. 11. utilizando esse arranjo e compare com 0.42. a eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica de todos os componentes do ciclo.80. também. tem.81.52.109 A central de potência utilizando amónia. Antes de entrar na turbina o vapor tem sua pressão reduzida para 2 MPa. determine o trabalho específico real de compressão e a sua eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica.106. Considere T0 = 12 °C.62. Determine a disponibilidade no estado 6. O trabalho produzido é então usado para acionar um sistema ideal de compressão de vapor que utiliza amónia como fluido refrigerante. Considere T0 = 20 °C. por quilograma de vapor que escoa no ciclo. Determine. Calcule a quantidade de refrigeração. considerando r0 = 298 K. Uma turbina com eficiência isoentrópica igual a 85% é conectada a essa tubulação por uma válvula.113 O ciclo de potência a vapor d'água apresentado no Problema 6.42 kJ que se pode obter no ciclo de absorção. 11. Determine os fluxos de disponibilidade nos reservatórios. Determine o trabalho específico produzido pela turbina e a sua eficiência baseada na se- gunda lei da termodinâmica. Admita que a caldeira se comporte como um reservatório térmico a 600 °C e que o reservatório a baixa temperatura esteja a 25 °C. Determine também a variação de disponibilidade na válvula. Admitindo que os dois estágios tenham uma eficiência isoentrópica igual a 85%. 11. 300 kPa. Determine a destruição de exergia nesse componente do ciclo e a sua eficiência global baseada na segunda lei da termodinâmica. que utiliza R-134a como fluido de trabalho. e saindo a 90 °C.105 Determine a disponibilidade da água nos quatro estados do ciclo Rankine descrito no Problema 11. e o vapor é descarregado da turbina para a atmosfera a 100 kPa. Disponibilidade (Exergia) Cicios Rankine 11.30. 11. como você definiria sua eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica? 11.119 A vazão de refrigerante R-134a.107 Determine os fluxos de exergia no condensador descrito no Problema 11. desprezando a energia cinética no estado 5. e o vapor é descarregado após o segundo estágio a uma pressão de 50 kPa. Determine sua eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica. 11. um escoamento de água líquida entrando no trocador de calor a 120 °C.108 Determine os fluxos de exergia no aquecedor de água descrito no Problema 11. 11.110 Considere o gerador de vapor/superaquecedor no Problema 11. Determine as duas taxas de transferência de calor. O vapor entra no condensador a 700 kPa e 50 °C e sai como . 11. 11. como fonte de calor.29. 11. Admita que o reservatório a alta temperatura esteja a 500 °C e que o de baixa esteja a 25 °C. a destruição de exergia no ciclo e a sua eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica. A diferença de pressão entre os estágios é 2 MPa.118 Determine a eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica para a bomba de calor do Problema 11.106 Se as irreversibilidades externas devido a transferências de calor com diferenças finitas de temperatura em uma central de potência forem desprezadas.115 Determine a disponibilidade da água em todos os estados referentes ao ciclo descrito nc Problema 11. na saída da turbina. 11.1 kg/s.60.116 Considere o refrigerador apresentado no Problema 11. Utilize seus resultados para determinar a eficiência do trocador.114 Considere o aquecedor de água de alimentação do tipo superfície utilizado na central nuclear descrita no Problema 6. é alimentado com vapor saturado a -20 °C e a pressão na seção de descarga do compressor é l MPa.117 O compressor adiabático de um refrigerador. Determine a eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica desse trocador de calor.111 Vapor d'água escoa em uma tubulação a 3 MPa e 700 °C. descrita no Problema 11. Sabendo que a temperatura do refrigerante na seção de descarga do compressor é igual a 60 °C. que pode ser obtida por kj transferido do reservatório a alta temperatura.

122 A Figura P11.122 mostra um ciclo ideal de refrigeração associado a um ciclo motor. (3) 1000 °C. Projetou-se. Vapor saturado a 90 °C sai do gerador de vapor (caldeira) e expande na turbina até a pressão do condensador. Vapor saturado a -15 °C sai do evaporador e é comprimido até a pressão do condensador.com Mudança de Fase líquido saturado a 25 °C. Os escoamentos efluentes da turbina e do compressor são misturados e entram no condensador. O refrigerante na seção de saída do condensador está no estado de líquido saturado a 45 °C e o escoamento efluente do condensador é W dividido.1498 0. é 500 °C. a temperatura de condensação do nitrogénio é 10 K maior que a temperatura de evaporação do metano. b) O rendimento térmico desse ciclo ideal.gás gue estão a 600 °C. A fonte quente disponível são 175 kg/s de gases efluentes de uma turbina a .126 O catálogo de um fabricante de equipamentos indica que uma central de potência simples opera como nos seguintes estados (1) 20 °C. determine a vazão máxima de água no ciclo Rankine e a temperatura dos gases na seção de descarga do trocador de calor.125 Refaça o Problema 11. No arranjo. Os dois circuitos utilizam R-134a como fluido de trabalho. Nessas condições. (2) 25 °C. o catálogo informa que a temperatura da fonte quente utilizada no ciclo é 1100 °C e que o ciclo rejeita calor num ambiente . então.121.120 A Figura 12. l MPa. Problemas para Revisão 11.37 364. que propiciam o melhor coeficiente de desempenho para o conjunto como um todo. 11. Determine as temperaturas de saturação dos dois fluidos. (4) 250 °C. Se a caldeira opera como um trocador de calor contracorrente. uma bomba de calor. aquela na seção de descarga do superaquecedor (ponto 4). 100 kPa.27 admitindo que o fluido de trabalho no ciclo seja o R-134a. 100 kPa. na proporção necessária. kJ/kgK MPa "C h. l MPa. pressão mínima de 10 kPa e temperatura na seção de saída da caldeira igual a 500 °C. determine: a) A relação entre as vazões mássicas dos circuitos de potência e de refrigeração. determine: a) A relação entre as vazões mássicas de mercúrio e de água no trocador de calor que condensa mercúrio e vaporiza a água.1034 0.04 0. 11. A relação das vazões mássicas dos dois circuitos é tal que a turbina produz a potência necessária para acionar o compressor.64 0.04 309 42. no trocador de calor intermediário.12 11.124 Considere o Problema 11.4954 'sat kJ/kg K 11. que opera em cascata (veja a Figura 11. kJ/kg 0.25) e que utiliza nitrogénio e metano como fluidos de trabalho. Determine a vazão mínima de ar e a eficiência do condensador baseada na segunda lei da termodinâmica. com diferença mínima de temperatura local igual a 20 °C. Ciclos Combinados Veja texto e figuras apresentados na seção 12.21 335. Sabendo que a máxima temperatura no ciclo a vapor.20 mostra o esquema de uma central de potência que emprega um ciclo binário que utiliza mercúrio para o ciclo a alta temperatura e água para o ciclo a baixa temperatura. As pressões e temperaturas são mostradas no diagrama T-s correspondente. Além disso.123 Numa experiência criogênica é necessário transferir calor de um espaço a 75 K para um ambiente que apresenta temperatura igual a 180 K.122 11. 11. Válvula de expansão Figura P11. O ar que escoa pelo condensador entra a 15 °C e sai a 35 °C.60 562 75. em duas correntes. Os dados referentes ao mercúrio na região de saturação são: p h.121 Um ciclo de potência a vapor deve operar com uma pressão máxima de 3 MPa. b) O desempenho do ciclo em função da relação w.6073 1.Sistemas de Potência e Refrigeração . Determine a variação de disponibilidade para o escoamento de água e para o escoamento de ar e use esses resultados para determinar a eficiência baseada na segunda lei da termodinâmica para o trocador de calor do gerador de vapor. kJ/kg Sl s.

Compare o valor obtido com aquele referente ao caso em que não se utiliza a cogeração. nos dois casos. em que as vazões de vapor necessárias serão obtidas a partir das descargas de vapor de uma turbina.0 MPa e o outro a 0. e o restante da água é reaquecida até 550 °C. o conjunto turbina-compressor do ciclo de circuito duplo mostrado na Figura P11.5 kPa. Determine o valor de T5 para que o título do vapor descarregado da turbina de baixa pressão seja igual a 0. 11.133 O ejetor a jato é um dispositivo que não apresenta peças móveis e que funciona de modo similar ao de uma unidade constituída por uma turbina acoplada a um compressor (ver os Problemas 9.5 MPa e outro de 5 kg/s a 1.122 poderia ser substituído por um ejetor a jato. 11. um operando a 3.6 MPa. do tipo mistura.130 Num reator nuclear a sódio. de uma central termoelétrica. sai desse equipamento como vapor saturado a 5 MPa e então é superaquecido até 600 °C num superaquecedor externo operado a gás.133.4 MPa. Admita. Considere um gerador de vapor a alta pressão. calor é transferido ao sódio líquido. Determine o rendimento térmico para os seguintes casos: a) Sem aquecedor de água de alimentação. que as bombas sejam alimentadas com água na fase líquida a 20 °C.157 e 9. uma parte do vapor é desviada para um aquecedor de água de alimentação. sobre o rendimento térmico de um ciclo em que o vapor d'água sai do gerador de vapor a 20 MPa e 600 °C e que apresenta pressão no condensador igual a 10 kPa.127 Considere um ciclo ideal com reaquecimento como o mostrado na Figura 11. Sabendo que a pressão no condensador é 7. A quantidade necessária de vapor deverá ser extraída a 1. em que o fluxo de corrente primária provém do gerador de vapor. b) Admitindo que a eficiência do ejetor seja igual a 20% (ver o Problema 9.128 Um ciclo ideal de potência. a vapor d'água e com potência líquida de 10 MW. O vapor d'água superaquecido alimenta a turbina. Este é então bombeado para um trocador de calor onde o sódio transfere calor para a água do circuito secundário. nesse caso. O vapor d'água entra na turbina de alta pressão a 4 MPa e 450 °C e expande até 0. o objetivo do dispositivo é o resfriamento da água. poderíamos utilizar água como fluido de trabalho no ejetor e.4 MPa com objetivo de alimentar um aquecedor de água de mistura. Alternativamente.2 MPa. A eficiência isoentrópica dessa turbina é igual a 85% e a potência produzida na turbina é 20 MW. Em vez de instalar dois geradores para produzir esses insumos. 11.0 MPa. sabendo que a vazão mássica de água no ciclo é igual a 20 kg/s.168).95.131 Um processo industrial apresenta as seguintes necessidades de vapor d'água: um fluxo de 10 kg/s à pressão de 0. determine os calores transferidos no reator nuclear e no superaquecedor para produzir uma potência líquida de l MW. avalie o desempenho desse ciclo em função da relação Qi/Qna) Admitindo um ciclo ideal.352 Fundamentos daTermodinâmica que se encontra a O °C. planeja-se obtê-los pelo processo de cogeração.132 Deseja-se estudar a influência do número de aquecedores de água de alimentação. Determine a vazão mássica de água no ciclo e a taxa de transferência de calor no condensador. que produz vapor d'água a 10 MPa e 500 °C. O vapor é então reaquecido até T§ e expande até 10 kPa na turbina de baixa pressão. do tipo mistura. Esse arranjo pode ser utilizado em sistemas de condicionamento de ar e o arranjo físico da instalação pode ser aquele mostrado na Figura P11. nessa condição. O vapor entra na turbina de alta pressão a 8 MPa e 550 °C e expande até a pressão de 0. Utilizando os dados fornecidos na figura. O vapor reaquecido é então expandido na turbina de baixa pressão até 10 kPa. 11. Estas informações são verdadeiras? Algum dispositivo desse ciclo viola as leis da termodinâmica? 11.168). e que pode alimentar a turbina do ciclo de potência. foi projetado de modo a combinar os ciclos de reaquecimento e regenerativo. Assim. o fluxo de corrente secundária do evaporador e o fluxo de saída é encaminhado ao condensador. Nesse ponto do ciclo. Determine: a) A potência desenvolvida pelas turbinas.129 A turbina de um ciclo de potência é alimentada com vapor d'água a 5 MPa e 400 °C. que apresenta uma extração a 0. b) Determine as potências dos motores necessários para acionar as bombas. b) Um aquecedor operando a 1.9. O vapor d'água. . o rendimento térmico do ciclo e a potência líquida fornecida pelo ciclo. 11. Qual é a eficiência térmica desse ciclo? 11. c) Dois aquecedores de água de alimentação. b) A taxa de transferência de calor necessária no gerador de vapor. Calcule. a) Determine a vazão mássica de vapor na turbina de alta pressão. gerado no trocador de calor.5 MPa. A pressão na seção de descarga da turbina é 10 kPa.4 MPa (o vapor pode estar saturado ou levemente superaquecido nos dois casos).4 MPa e o restante será expandido numa turbina de baixa pressão até 0.

calcule o rendimento térmico do ciclo e o título do vapor que deixa a turbina para as pressões de entrada iguais a l. 11. O condensador irá operar a 90 °C e também poderá transferir calor para o circuito de aquecimento. na seção de saída da caldeira. A água quente deverá ser obtida num ciclo de potência que apresenta temperatura e pressão. Utilizando como base os dados do Problema 11.135 Deseja-se estudar o efeito da variação de pressão na seção de alimentação da turbina sobre o desempenho de um ciclo Rankine que utiliza água como fluido de trabalho. no circuito de aquecimento. iguais a 600 °C e 5 MPa. 10. 50 e 100 kPa. 5. Faça também um gráfico do rendimento térmico em função da pressão de saída da turbina referente aos valores de pressão e temperatura de alimentação fornecidos no Problema 11. 6 e 10 MPa. a curva do coeficiente de desempenho em função da temperatura do evaporador. calcule o rendimento térmico do ciclo e o título do vapor na seção de descarga da turbina para pressões de saída iguais a 5.136 Uma instalação térmica deve ser construída para fornecer água quente (90 °C e 150 kPa) para o sistema de aquecimento de um processo. Utilizando como base os dados do Problema 11.138 Deseja-se estudar o efeito da variação da temperatura do evaporador sobre o coeficiente de desempenho de uma bomba de calor. também. A potência térmica que deverá ser transferida. Proponha uma instalação que cumpra esses requisitos e avalie seu comportamento em função da quantidade de trabalho que pode ser obtido na turbina. 11. O vapor gerado alimentará uma turbina que poderá apresentar uma extração de vapor intermediária.133 PROBLEMAS ABERTOS. um gráfico do rendimento térmico em função da pressão de entrada na turbina referente aos valores fornecidos para a temperatura na seção de alimentação da turbina e da pressão na seção de descarga da turbina. 3. PROJETOS E APLICAÇÃO DE COMPUTADORES 11. 11.30. 11. num gráfico.30.137 Utilize o software de cálculo de propriedades para analisar o separador de líquido do Problema 6. Represente.Sistemas de Potência e Refrigeração .30.134 Deseja-se estudar o efeito da variação de pressão na seção de saída da turbina sobre o desempenho de um ciclo Rankine que utiliza água como fluido de trabalho. é igual a 20 MW. Vapor d'agua entra no estado 3 e sai parte como líquido no estado 9 e o restante no estado 4 que ingressa na turbina de baixa pressão. A água deverá circular num circuito fechado e retornará à instalação a 50 °C e 100 kPa. Admitindo que não haja transferência de calor. Faça. 11. Considere um ciclo ideal que utiliza o R-134a como fluido de trabalho e que apresenta temperatura no condensador igual a 40 °C.106. determine a geração de entropia e a irreversibilidade do processo. Utilize o intervalo de -25 °C a 15 °C.com Mudança de Fase 353 Vapor saturado 150°C Figura P11.139 Um hospital necessita de 2 kg/s de vapor d'água a 200 °C e 125 kPa para a esterilização de .

Utilize as condições operacionais fornecidas e admita que sejam utilizados.141 O ciclo de potência a vapor escrito no Problema 11. Esses insumos devem ser obtidos na central de potência a vapor do hospital. .127 e 10. Considere também os Problemas 10.144 Utilize o software para resolver os seguintes problemas com R-22 como fluido de trabalho: a) 11. a temperatura de saída dos gases é relativamente alta.92.86.142 O condensador do Problema 6.140 Determine qual é a máxima potência que pode ser obtida na central de potência descrita no Problema 11. Avalie o tamanho e a capacidade da bomba para a água de resfriamento. c) 11. Tome o cuidado para que a temperatura do ar seja sempre superior à da água em toda a extensão do trocador de calor (caldeira). d) 11. 100 kg/s de produtos de combustão (ar) a 125 kPa e 1200 K. Proponha algumas instalações que cumpram esses requisitos. b) 11.128. d) 11.25.121 é "alimentado" pelos gases de exaustão de uma turbina a gás.30.21.-' 354 Fundamentos da Termodinâmica materiais e 15 kg/s de água quente a 90 °C e 110 kPa para o aquecimento de ambientes.95. b) 11. como fonte de energia. 11. Proponha uma instalação que recupere parte dessa energia. 11.77. Com um único trocador de calor água-ar.143 Utilize o software para resolver os seguintes problemas com R-12 como fluido de trabalho: a) 11. 11. Admita que a taxa de transferência de calor no condensador é dada por Q = 350 (W/m2 K) x A x AT1. Faça uma análise da quantidade de energia que ainda pode ser retirada dos gases antes que estes escoem para a chaminé.103 utiliza como meio de resfriamento água de um lago que está a 20 °C.75. É possível utilizar essa energia num pré-aquecedor de água? 11. sendo que o máximo aumento de temperatura permissível dessa água é 5°C. 11. c) 11. Determine a vazão mássica de água de refrigeração e a área necessária de troca de calor.77.