You are on page 1of 24

Livro 3

Trabalho apresentado ao professor
Rafael Manzo, para obtenção da
primeira nota parcial da disciplina de
História da Arquitetura I
2014/1


O livro, “Tratado da Arquitetura”(27 a.C.), de autoria do arquiteto
romano Vitrúvio (e aparentemente dedicado ao imperador Augusto),
é o único tratado europeu do período clássico que conservou-se até os
dias atuais. Mesmo no tempo de sua concepção, a Antiguidade, esse
livro (composto de dez “livros”) tornou-se referência. No
renascimento ele foi encontrado e passou a influenciar a estética
renascentista. Vitrúvio trata com propriedade de temas como
arquitetura, planejamento urbano, ordens gregas, hidráulica, técnica e
materiais de construção. Contudo, a essência do tratado consiste na
concepção do autor de que a arquitetura deveria ser uma imitação da
natureza. Além disso, é importante ressaltar que ele define como
solidez, utilidade e beleza as três qualidades essenciais de uma
estrutura. Juntamente com elas, o arquiteto deveria projetar levando
em conta as proporções do corpo humano.
Esta apresentação discorrerá acerca do livro 3/10.

Preâmbulo  Tema do livro: templos sagrados dos deuses imortais. local de formação ou influência (como ocorria). O autor afirma que os artistas deveriam ser reconhecidos por sua virtude em produzir arte. a explicação de suas regras. e não por sua riqueza. e. O Preâmbulo conta com uma reflexão a respeito dos artistas na antiguidade (“O estatuto do artista na Antiguidade”). . de forma convencional.

Pois nenhum templo poderá ter esse sistema.Comensuralidade das Edificações  A composição dos templos deve ser baseado na proporcionalidade.  . a partir de qual se define o sistema de comensuralidade. A proporção consiste na relação modular de uma dos membros tomados em cada seção. sem conveniente equilíbrio e proporção. e se não tiver uma rigorosa disposição como os membros de um homem bem configurado. ou totalidade da obra .

 A medida da dobra central até a ponta dividido e da segunda dobra até a ponta.  O tamanho dos dedos e a medida da dobra central até a ponta.  A medida da cintura até a cabeça e o tamanho do tórax.Paralelo com as proporções do corpo humano  A natureza compôs o corpo humano com proporcionalidade:  A altura do corpo humano e a medida do umbigo o até o chão. (Ao lado: O Homem Vitruviano) .  A medida do ombro à ponta do dedo e a medida do cotovelo à ponta do dedo.  A altura do crânio e a medida da mandíbula até o alto da cabeça.

foi por causa disso que os antigos estabeleceram que houvesse uma perfeita execução de medida que entrasse em harmonia em relação ao todo. . polegada e etc. Se a natureza compôs um homem de modo que os membros correspondessem a figura global. Também foi retirado do corpo humano um sistema de medidas que fosse universal e que facilitasse através de unidades feitas pelo próprio corpo: Palma. Igualmente assim como a circunferência se encontra no corpo.A relação do corpo humano com circunferências e quadrados  De modo semelhante. Logo. sem dúvida os membros dos edifícios sagrados devem ter cada uma das partes uma correspondência de medida. na globalidade ao conjunto da magnitude total. também vemos quadrados. se um homem se puser do costas com braços e pernas estendidos e locarmos um compasso no seu umbigo e passarmos uma circunferência ela encostará neles. Acontece que o umbigo é o centro do corpo do homem. se medirmos a base dos pés ao alto da cabeça e se transferirmos essa medida para os braços abertos será encontrada uma largura igual a altura.

O número foi criado a partir das articulações do corpo havendo uma relação de medida com determinado módulo entre os membros tomados individualmente e o aspecto geral do corpo. E depois de darem conta que era perfeitos tanto o numero dez.O número perfeito dos matemáticos  Os matemáticos tratando dessas proporções avaliaram o número 6 como um número perfeito que segundo suas contas é um numero inteiro para o qual a soma de todos os seus divisores positivos próprios (excluindo ele mesmo) é igual ao próprio número 1 . . A IDEIA A DE NÚMERO ENTRE OS ROMANOS Para os romanos o número perfeito era o número dez. se obtinha a dimensão da altura do corpo. Além de chamarem a atenção para o fato do côncavo constar seis palmos .O número 6 é um número perfeito. e com a sua medida multiplicada por seis. tanto que colocaram na sua moeda o nome DENÁRIO. pois além de planejar eles pensaram em proporção de cada parte e de um todo para que houvesse uma ordem equilibrada e agradável. juntaram os dois e instituíram o número 16 com número perfeitíssimo. E a partir disso comeram também a relacionar o número 16 com a as partes do corpo. ou seja 24 dedos. Portanto. como o seis. pois: 6=1+2+3 NUMERO PERFEITO PARA OS GREGOS Para os gregos os número 6 é perfeito pois o pé do homem é a sexta parte de sua estatura. Não podemos deixar de admirar aqueles que planejaram os templos dos deuses.

.  Templo Prostilo: Esse templo é igual ao anterior porém com duas colunas face às pilastras angulares e sobre elas epistílios que travam à direita e à esquerda em cada um dos ângulos das paredes. e no meio delas. duas colunas com um fastígio (frontão).Os Templos   Templo in Antis: Esse templo é aquele que possui no frontispício (elemento constituído pelos elementos decoradores da parte frontal das construções) as pilastras das paredes que circuncidam o compartimento interior do templo (cela).

No entanto as paredes da cela deveriam ficar contra as quatro colunas do meio. afastadas das paredes formando um perímetro com um pórtico de peristilo. Templo Períptero Será aquele que tiver seis colunas e.  . nos lados. essas colunas deverão ser colocadas de uma maneira que em volta. seja no frontispício seja atrás. No entanto. entre as paredes e as filas das colunas que ficam do lado de fora do templo. Templo Híptero: Por fim o hiptero é um templo decastilo no pronau e no lado posterior. Com isso um espaço livre com um diâmetro inferior de coluna é criado em volta. No resto as características do deptero se encontram. Templo Pseudodípero: Esse templo era construído para que houvesse oito colunas no frontípícios e na parte de trás sendo quinze nos lados. entre as paredes e as filas das colunas que se encontram do lado de fora. seja na parte posterior. onze. Templo Díptero: Esse templo é octostilo tanto pronau quanto na fachada posterior mas em volta do templo existe uma fila dupla de colunas. com as angulares. mas dentro ele possui duas colunas com alturas iguais. haja um espaço livre igual à largura do intercolunio. possuindo também colunas e fastígio na parte de trás. Possui também uma zona média sem teto e entradas por trás e pela gente. Com isso uma zona de circulação é criada em volta da cela do templo.     Templo Anfiprostilo: Ele possui tudo o que tem no prostilo. seja no frontispício.

de acordo com o aspecto de suas formas exteriores as tipologias dos templos são:  In antis (com pilares) ou naos em parastasin (templo com muro terminado em pilares)  Prostilo (com colunas à frente)  Anfiprostilo (com colunas a frente e atrás)  Períptero (com colunas em volta)  Pseudodiperiptero (de falsa ala dupla)  Díptero (de ala dupla)  Hipetro (a céu aberto.Ou seja. descoberto)  .

Ex: Templo do Divino Júlio. Ex: Templo de Apolo e Diana. Possui uma característica um pouco “basta”. Desvantagens deses dois templos: a entrada para o templo deve ser feita em fila devido ao pequeno espaço entre as colunas. porém por seus intervalos maiores. dificultando a circulação. tendo como característica templos mais abertos.  Sistilo: é intercolúnio que se distancia com a medida de dois diâmetros da coluna a partir de seu centro.Colunas dos templos gregos  Piconstilo: É intercolúnio que se distancia entre si com a medida de um diâmetro e meio da coluna a partir de seu centro. as estátuas ficam obscurecidas e as portas obstruídas  Diastilio: é intercolúnio que se distancia com a medida de três diâmetros da coluna a partir de seu centro. Possui uma característica mais “cerrada”. Exemplo: Templo de Fortuna Esquestre.  . as arquitraves partem-se.

Ex: Templo de Aphaia. . Possui uma distribuição de intervalos razoáveis.  Eustilo: é intercolúnio que se distancia com a medida de dois diâmetros e um quarto da coluna a partir de seu centro. com um aspecto agradável. Ex: Templo de Apitólio. sendo bem ornamentada ao uso. tendo assim que usar madeiras inteiriças para colocar no lugar das traves de pedra ou mármore.  Areostilo: é intercolúnio que se distancia com a medida de três diâmetros e meio da coluna a partir de seu centro. uma entrada sem obstáculos e uma boa circulação.

uma zona de circulação). A imagem ao lado ilustra um templo Exostilo. por sua vez. PS: Hemógenes foi o primeiro a descobrir o templo de Exostilo (de tipologia Pseudodíptera – que cria um espaço intermédio em volta da cela.  O templo Tetrasilos divide-se em oito partes e meia a sua largura.  E o templo Octosilos.Templos Tetrasilos. Hexastilos e Octostilos  São templos com medidas exatas de acordo com suas características.  O templo Hexastilos divide-se em dezoito partes. . divide-se em vinte e quatro partes e meia.

 No templo Picnostilos. a altura da coluna é dividida em oito partes e meia e de uma dessas partes se faz o diâmetro da coluna. se as colunas estiverem no mínimo 15 pés . O Olhar procura a beleza. o resultado ficará sem graça aos observadores. e se a arquitetura não for de encontro com a proporção e a modulação. imitando a natureza (troncos de árvore). a altura é dividida em dez partes e uma delas será o diâmetro da coluna. as espessuras dos Fustes também aumenta de forma proporcional.  No Diástilo. a altura divide-se em nove partes e meia e uma delas é o diâmetro da coluna. Isso porque o que falta aos olhos deve ser contrabalanceado pelo raciocínio. A Êntase das Colunas  Os cálculos são aplicados proporcionalmente nas espessuras. Sistema de Contraturas das Colunas  Contraturas são diminuições que as colunas sofrem. . devido a visão oculta.  No Sistilo e Eustilo.Colunas aplicadas aos Templos  Sistema Pteroma  A disposição das colunas em volta do templo foi feita de tal forma que a multidão encontra nos templos em volta da cela um abrigo livre. Relação entre o diâmetro e a altura das colunas  O diâmetro das colunas dos templos Aerostilos corresponde à oirava parte da sua altura. Relação entre os Intercolúnios e as espessuras dos Fustes  A medida em que os espaços entre as colunas aumenta. subindo em altura e dando um aspecto de perfeição. divide-se o diâmetro inferior em seis partes e 5 dessas partes são dadas ao topo. Por exemplo. sem dificuldades.

logo se enchia todo este fundamento com concreto. se escava e se drenava o local. . Logo.O Fundamento dos Templos Gregos   Fundamentos dos templos eram escavados a partir do chão firme ate o terreno solido. Acima da superfície do solo se construía muros chamados estereóbatas que deviam ter a mesma largura mais metade da espessura das colunas que são erguidas em cima. se enche os fundamentos com concreto e se dispõem os estilóbatas. se preenche com carvão os interstícios.  Se não se encontrar chão firme para a construção.

assim o comprimento do templo será duas vezes a sua largura. elas possuem diferentes disposições dependendo do seu templo. Lembrando que estas deverão ser colocadas de tal modo que o numero de intercolúnios (espaço entre as duas colunas) no frontispício corresponda o dobro do que o dos lados.Colunas e Degraus dos Templos Gregos  As colunas são dispostas nas estilóbatas. a sua altura não pode ser maior que cinco sextos do pé e nem menor que três quartos e sua largura não deve ser inferior a um pé e meio e nem superior a dois.  .  Os degraus deverão ser sempre impares.

Pódio   plataforma ou grande pedestal em que se assenta o templo. . por falta de um relevo geográfico destacado  Se for necessária a sua construção. todos os seus elementos estarão ajustados à própria estilóbata.

Espira ática: A parte superior com medida de 1/3 do diâmetro da coluna. ignorando o Plinto. E o restante para o Plinto (placa quadrada da base). e 4 (divididos em duas partes iguais) para um Troquilo Superior e um Troquilo Inferior. Esse 1/3 será dividido em 7 partes iguais. A partir disso.Templos Jônicos     As espiras da base das colunas devem seguir um padrão de perfeição de forma. Espira de Base Jônica: Para a base jônica. Toro superior com ¼ da divisão. a base ática da coluna é dividida em quatro partes iguais. Troquilo Superior é composto por astrágalos (“pequenos ossos” vertebrados que poderiam se articular como ornamentos) e listeis (pequena moldura que coroa a Escócia). que sua altura e comprimento tenham ambos um diâmetro e meio de coluna. E o restante dividido em partes iguais para o Toro Inferior e a Escócia (3/8) de medida para cada um. a largura da espira se mantem sempre igual ao diâmetro da coluna mais 3/8 desse diâmetro. . As alturas da base jônica se manterão iguais às da base ática (1/3 para a parte superior e 2/3 para o plinto). 3 para o Toro Superior. apresentando (vide imagem ao lado).

apresentando as partes externas. com as partes inferiores voltadas às celas. .Fustes   Os fustes servem como alinhamentos de prumo. ficará concluída a composição dos templos. a partir do centro das colunas.  Com esse método de inclinação.

 Quanto maior for uma coluna Jônica. incluindo as volutas.  Divide-se o capitel em 9. com um espaço de 1.5 parte. (desde o ábaco à extremidade) sendo 1. . maior será o seu capitel e suas proporções.  A partir da linha do ábaco.  A altura do capitel.  Para definir a altura do capitel.5 partes. deve ter metade da largura do Ábaco.5 partes. faz uma nova marcação de 4. 3 ficarão abaixo do astrágalo (separa a coluna do capitel) ficando o resto para cima.Capitéis Jônicos   O Ábaco tem largura e comprimento de medida igual à espessura da coluna. é onde estará o centro da voluta. O diâmetro da circunferência é de uma dessas 8 partes divididas anteriormente. No ponto em que se separam as medidas.5.5 a espessura do ábaco e o resto para as volutas.  O exemplo ao lado mostra esquematicamente como se criar a voluta. das 9.

a altura do epistílio 1/13 da altura da coluna. Por isso que. a altura do epistílio será igual à metade do diâmetro do pé da coluna.  . menos perfeita ela parece ao olho e suas medidas parecem ir se reduzindo. Sempre será proporcional  Problema: quanto mais alto fica uma estrutura.  Se for acima de 15. a disposição do entablamento será ordenada de tal forma que.Epistílio (Entablamento)  Se as estilóbatas estiverem correspondentes nas partes superiores. se acrescentam um “suplemento de medidas” no que constitui essas proporções para ficarem perfeitas ao olho. para colunas de 12 pés. no final.

4 para a média e 5 na superior. Todos os elementos que estarão acima dos capiteis de coluna. A cornija. às cornijas e frontões. o friso e a arquitrave também têm suas proporções para dispor de melhor visibilidade para esculturas. parte do entablamento. Faixa. e sua projetura (da cornija) será igual a altura do friso ao topo do cimácio da cornija. quanto no entablamento. Arquitrave e Friso     O cimácio (moldura saliente). o mesmo. mas para imagens pequenas. parecendo direitos. O cimácio do friso será 1/7 da altura dele. o friso apresenta ¼ menor que a arquitrave. deverão ser inclinados para frente. possível tanto no friso. desde o entablamento. com a 1/12 da altura para ser ajustado ao olho humano. O resto será dividido em 12 partes: 3 para a faixa inferior.Cimacio. Enquanto isso. junto com o seu cimácio terão a mesma espessura da faixa média da arquitrave. e sua projetura. terá 1/7 da medida do epistílio. pode-se ter o friso com ¼ maior que a outra. Geralmente.  .

. As cabeças de leão na direção das colunas serão perfuradas para ligar o canal que recebe agua da chuva pelas telhas. porque não serão perfuradas para a passagem de agua.As estrias das colunas & as Gárgulas Leoninas   Estrias das Colunas: Nas colunas. As intermediárias forçaram à agua escorrer da telha pra calha. A largura delas será estabelecida com o engrossamento no meio da coluna. parecendo que estão “lançando agua pela boca”. colocadas de forma tão proporcional que “se colocar esquadro na cavidade de um. fazendo-o rodar. ele tocará com os lados as arestas diretas e esquerdas das estrias”. nas laterais dos templos. deve-se esculpir cabeças de leão. deverão ser feitas 24 “estrias”.  Gárgulas Leoninas: Nas molduras sobre as cornijas.

 Grupo:  Bruna Espíndola Gomes TIA 4138096-7  Caroline Zorek TIA 4138001-0  Maria Cecília Vitiello Zugliani TIA 4130807-7  Patrícia Carvalho TIA 4138063-0  Rafaela Girão de Oliveira TIA 4131078-0  Suane Florentino Espíndola TIA 4133604-6 Turma: G1 .