You are on page 1of 8

A Música Como Ciência Durante a Idade Média

Hamilton Thadeu Lucca.

Asad-Abu-Carib Rei do Iêmen, ao repousar certa vez na larga varanda seu de seu palácio, sonhou
que encontrara sete jovens que caminhavam por uma estrada. Em certo momento, vencidas pela
fadiga e pela sede, as jovens pararam sob o sol causticante do deserto. Surgiu, nesse momento, uma
formosa princesa que se aproximou das peregrinas, trazendo-lhe um grande cântaro cheio de água
pura e fresca. A Bondosa princesa saciou a sede que torturava as jovens e estas, reanimadas, puderam
reiniciar a jornada interrompida. Ao despertar , impressionado com esse inexplicável sonho,
determinou Asad-Abu-Carib viesse a sua presença um astrólogo famoso, chamado Sanib, e consultoo sobre a significação daquela cena a que ele – rei poderoso e justo – assistira no mundo das visões e
fantasias. Disse Sanib, o astrólogo: “Senhor! As sete jovens que caminhavam pela estrada eram as
artes divinas e as ciências humanas: a Pintura , a Música, a Escultura, a Arquitetura, a Retórica, a
Dialética e a Filosofia. A princesa prestativa que as socorreu simboliza a grande e prodigiosa
Matemática” .... 1

O trecho citado acima é uma lenda Iemenita (Natural do Iêmen). O Iêmen é um país
Árabe que ocupa a extremidade sudoeste da península Arábica. Asad-Abu-Carib subiu ao
trono por volta do ano 160, conta a história que durante seu governo o rei Asad-Abu-Carib
determinou que fossem organizados em todos os cantos do seu país centros de estudos
matemáticos (esta determinação teria sido influenciada justamente pelo sonho citado
acima), o país começou a prosperar e não só cientificamente mas também materialmente, as
Artes, o Comércio tudo se desenvolvia, até que Asrail (Anjo da Morte) levou o Rei. AsadAbu-Carib pereceu assassinado por conspiradores, após sua morte subiu ao trono RébiaBem-Nasr, este mais preocupado com os divertimentos do que com os problemas
administrativos fez com que a prosperidade do Iêmen se diluísse, o país foi levado à ruína
pelo desgoverno.
Esta história é bastante interessante e mostra como o conhecimento científico é um
dos principais fatores do progresso de um povo, na citação acima a música é citada como
sendo uma das sete jovens que representam as Artes Divinas e as Ciências Humanas, a
Matemática é a princesa que socorre as jovens. O pensamento de Boécio
1

TAHAN, Malba, O homem que calculava, pg. 59.

de Santo

na Tunísia) foi professor de retórica em Milão no ano de 383. mas isto não tira a importância que a obra de Boécio tem para a música. era de família cristã. no ano de 391 foi ordenado sacerdote de Hipona (hoje Annaba. a música grega era desconhecida no período medieval. contudo. seu nome era Aurélio Agostinho. na Argélia) na época essa região da África era colonizada por Roma. no teatro e na religião grega. foi Bispo católico. e lá ficou até sua morte durante o ataque dos vândalos no ano de 430. preso. por ordem de Teodorico o Grande. sobre a quantidade da alma. O legado teórico musical grego porem era conhecido. Boécio nasceu em Roma por volta do ano de 480 . contra os acadêmicos. mas o seu cargo não durou muito. A pesquisa da música grega sempre foi muito difícil. Educado em Catargo (região perto da cidade de Tunis. diferentemente das outras artes e ciências. pois era a base da teoria musical medieval. pois ambos os filósofos faziam relações da música com a matemática. teve grande importância na música ao escrever o tratado De Institutione Musica. o conjunto de escritos deste era um material muito bem elaborado. também foi chamado de Agostinho de Hipona. foi educado por Quintinus Aurélius Memmius Symmachus. podemos destacar no campo filosófico os diálogos de Santo Agostinho . sobre o mestre e sobre música. na Argélia) em 396 foi nomeado bispo assistente de Hipona. Tanto Boécio como Santo Agostinho eram pesquisadores da herança grega. Boécio é o nome lusitano deste grande filósofo.Agostinho tem certa ligação com esta história. um amigo da família. traduziu vários clássicos e tratados gregos. da vida beata. . devido a desacordos políticos e também acusado de magia por estar envolvido com estudos astrológicos . seguiu o Maniqueísmo e depois converteu-se ao Cristianismo. seus conhecimentos sobre a cultura grega eram tamanhos. escrito também com base em tratados gregos. os solilóquios. no ano de 510 foi cônsul e em 520 chefe de governo e da corte do Rei Teodorico o Grande. Filósofo.estadista e teólogo. sabe-se que ela desempenhava um papel importante na vida militar. sabe-se hoje que houve alguns enganos de Boécio na tradução destes tratados. foi exilado em Pavia. seu nome completo era Anicius Manlius Severinus Boetius. Santo Agostinho nasceu no ano de 354 em Tagaste (hoje Souk-Ahras. sobre a imortalidade da alma. perdeu o pai Flavius Malius Boetius aos 7 anos de idade. submetido tortura e depois foi executado por volta dos anos de 524 e 525. Muitos teóricos refletiam sobre as obras de Boécio. teólogo e filósofo.

Depois de algum tempo houve um movimento contra o excesso de complexidade técnica musical e a música acabou por ficar mais simplifica . que poderiam suscitar diferentes reações anímicas nas pessoas. era também um meio de expressar os sentimentos. Vários são os mitos que mostram essa ligação da música com a poesia e a dança. os gregos sempre consideraram as musas as deusas da educação. fazer milagres na natureza. recordar situações. A música era indissociável das cerimônias religiosas. como Apolo e Dionísio entre outros. A música era uma das artes das musas que eram as Deusas dos campos e das montanhas. acreditava que as bases matemáticas eram as bases dos sistemas de intervalos musicais e 2 PLATÃO. e era essencial na educação da classe aristocrática. ou seja. De Institutione Musica. da poesia. aos homens elas doavam a inspiração poética. a música era quase que inteiramente improvisada e era sempre associada à dança e a palavra (Mousiké). que ela podia curar doenças . Nos ensinamentos de Pitágoras a música e a aritmética não eram disciplinas separadas. . sabe-se que os instrumentos utilizados aos cultos a Apolo era a lira e aos cultos a Dionísio era o aulo. a música estava em grande desenvolvimento profissional e cada vez mais complexa. seus primeiros intérpretes seriam os Deuses e Semideuses. 398 a-e. Damon acreditava que a música tinha uma forte influência sobre os espíritos. A música grega era também bastante associada à mitologia. Existe um relato de que havia competições de música na Grécia antiga e também de grandes festivais de música instrumental e vocal. tinha uma função não só recreativa como também ético-cognocitiva. que na época equivalia ao conhecimento da literatura. purificar o corpo e o espírito. A música na Grécia antiga era monofônica às vezes utilizavam-se instrumentos para embelezar a melodia assim formava-se uma heterofonia . ela poderia influenciar os estados emocionais da pessoas. e esta estava inteiramente ligada à música e a dança. as pessoas acreditavam que a música tinha poderes mágicos. para alguns pensadores gregos a música estava também intimamente ligada á astronomia. a mixolídia seria uma escala lamentosa e a frigia uma escala que prepararia os guerreiros) 2 .. Aristóteles repudiava esse crescimento profissional da música. devido aos ajustes dos modos musicais ( Na Grécia acreditava-se que existia determinados modos. por exemplo. em Homero a música era indispensável no acompanhamento do canto ou da dança .aqui podemos destacar a obra de Boécio. eram em numero de 9. A Republica. Cláudio Ptolomeu.

que imita a natureza por meio da arte. que era a harmonia entre o corpo e a alma. A música portanto seria a ciência dos números que governavam o mundo. . Platão criou com esta idéia o mito das músicas das esferas. da variação da instabilidade e da mudança (Principio feminino 3 PLATÃO. a qual permanecem imutáveis e idênticas a si próprias (Principio masculino que é representado pela mônada) e o da multiplicidade. Sem a Matemática qualquer ciência seja a música. O principio de todos os números é a unidade. a harmonia fundamental entre o universo inaudível para os humanos. muita ginástica o tornaria o homem incivilizado. apenas os modos dórico e frigio que seriam admitidos. Boécio fazia uma separação da música em música mundana a música do mundo. por obra da razão divina (do Criador). também não eram todos os modos musicais que poderiam ser utilizados. Para Platão a ginástica e a música deveriam ter um equilíbrio. No começo de tudo portanto. Boécio acreditava que todas as coisas estavam organizadas harmonicamente na ordem dos números. Os dois Filósofos Boécio e Santo Agostinho como já foi citado.dos sistemas dos corpos celestes. a mãe de toda a proporção é a igualdade. 399 a-e. a Música para a harmonia da alma e a ginástica para o aprimoramento do corpo. A Republica. para Boécio era através dos números que seriam estudadas as proporções geométricas e os movimentos temporais da música. também sabemos que ambos os filósofos acreditavam em uma forte ligação matemática na música. além da questão educacional. muita música poderia tornar o homem afeminado e neurótico. Aristóteles diferentemente de Platão mostrava-se menos restritivo. a segunda seria à música humana. as coisas criadas obedecem a dois princípios o da unidade . para ele a música ainda poderia ser usada como fonte de divertimento e prazer intelectual. está o número. acreditava que certos modos ou notas correspondiam a um ou outro planeta. para os gregos a poesia e a música eram sinônimos. tinham as bases musicais educacionais herdadas da Grécia antiga. é na matemática que se encontra a chaves das estéticas medievais. violento e ignorante. ou qualquer outra ciência não poderia existir. Platão e Aristóteles defendiam que a música juntamente com a ginástica seriam as ciências capazes de produzir pessoas boas. por ultimo viria à música instrumentalis. ou a geometria. entre o mundo e a pessoa. pois promovem as virtudes da coragem e temperança 3 .

o que tem a metade mais a unidade 3/2 (sesquialtera). A Música chamada de música pratica a qual entendemos hoje por música era desprezada na Idade Média. isso por meio da aritmética. ou seja. Relacionando isso à música os intervalos que deveriam ser usados por serem mais belos seriam.) Boécio considerava as mais belas figuras geométricas o retângulo e o quadrado. apenas a música com justas proporções proporcionava esta sensação. A música composta de maneira não adequada. Da mônada se derivariam os números impares . que deixou um álbum de plantas e desenhos baseado nestas relações. não só Boécio como outros teóricos acreditavam do ouvir. Por isso na idade média a música foi tratada com tanto respeito pois exercia um papel importante. da díada se derivariam os números pares. Os retângulos mais simples são os de proporção dupla 2/1 (porpotio dupla). que era perfeito. Portanto a música bela e perfeita a ser ouvida deveria ser de proporção simples. 4/3 (sesquitertia). e ai se funda a relação entre Música e Matemática. a quinta (de 3/2) e a quarta (de 4/3). Com forte influencia Platônica. foram aplicadas. sem regras e sem relação com os números poderia fazer mal a saúde do corpo. Boécio acreditava que as relações da arte e da música imitavam o modelo divino. e o que tem a unida mais 1/3. Porém como já foi dito em relação a música. baseado nas idéias de Vitrúvio (Engenheiro Romano que viveu durante o período do ano I a. a oitava (de 2/1). Os escritos de Boécio serviram também como ponte entre o período da Idade Média e da Renascença francesa e italiana. e os quadrados dos números. comparado ao ver.representado pela díade) . A harmonia que governava a arquitetura. Boécio estabeleceu uma equivalência dos números musicais e os números geométricos. em justas proporções. já que a música fazia com que a alma humana e a alma do universo se fundissem em uma relação harmoniosa. As figuras mais simples seriam as figuras mais belas. assim como as proporções simples utilizadas na arquitetura. Estas relações não ficaram somente no terreno das especulações. o modelo divino. . serviriam para contemplação do modelo imitado. pois através do ouvido a s emoções e a ciência penetram ao mesmo tempo na alma e no espírito. podemos destacar o trabalho de Villard de Honnecourt (conhecido mestre de obras do século XIII). da mesma forma governava a música e todas as coisas do universo. Boécio ainda afirma que as idéias mais belas e mais deleitáveis obedecem ás proporções mais simples.C. Assim as belas musicas.

Como vimos no decorrer do texto. a ordem matemática desejada por Deus. citado por TOMÁS. por isso seria interessante que os músicos estudassem mais sobre os aspectos matemáticos. . Lia. detentores do saber e que este utilizavam em poder da Igreja. como podemos citar por exemplo . religião. Ouvir o logos: música e filosofia. e de outros religiosos anteriores a Boécio. pois somente a palavra teria o dom de tocar a alma.A influência de Boécio foi muito forte durante o período medieval. pg. isto porque era bem aceito pelos clérigos.o tratado De Musica Tractus Sive Musica (tratado sobre música ou música pratica) do andaluz Ramos de Pareja. 14. A. filósofo e pensador. ser tocado outro tipo de música era pecado como se lamenta Santo Agostinho em um de seus escritos . e também sobre outros aspectos artísticos e científicos. Santo Agostinho também com Influência platônica e pitagórica fazia ligação da música com a matemática. Por isso alguns tratados. nos antigos tratados de política. para que 4 5 LIPPMAN. com eles a igreja poderia recusar a música que não estivesse incluída na Quadrivium (música. E. não foram bem aceitos pela sociedade durante aquele período. As idéias de Boécio foram estudadas e aceitas pela igreja pois tem muita semelhança com as idéias dos antigos religiosos. essa obra de Boécio seria então a continuação dos trabalhos deste religioso. mas sim como ciência. durante a Grécia antiga e também na Idade Medieval a música não era tratada como entretenimento. geometria. Lia. pg. TOMÁS. A música aceita era a música vocal. astronomia e álgebra) e que não exercesse função para o enriquecimento da ética e não contribuísse para unificação do cristianismo. Ouvir o logos: música e filosofia. é possível encontrar menções sobre a música. 16. A música ela tem uma ligação muito forte com a ciência. Santo Agostinho acreditava que a música fazia parte da Numerositas Divina. e como explica Eduard Lippman isso ocorre porque a música apresenta como traço peculiar uma íntima relação com vários aspectos da atividade humana. Estes aspectos dão idéia de pluralidade do pensamento musical. educação e outros. Os escritos de Santo Agostinho foram bem importantes e bem aceitos para a igreja. principalmente com a idéia de Santo Agostinho que já foi brevemente descrita. o que acarreta um difícil isolamento ou mesmo uma definição restrita a uma única área do pensamento 4 . sobretudo no que se refere à articulação dos seus conceitos fundamentais 5 . estéticos.

sejam eles científicos ou artísticos. .assim possam utilizar a música com mais ênfase e em mais campos.

A República. Jean.Bibliografia ARISTÓTELES. PLATÃO. O livro de ouro da história da música. 2007. TAHAN. TOMÁS. MASSIN. . São Paulo: Editora Martin Claret. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. Record. São Paulo: Editora UNESP. Claude V. 1997. Política. Brigitte. Malba. Rio de Janeiro: Ediouro. 2002. Donald J. 2001. São Paulo: Editora Martin Claret. 2004 GROUT. Lisboa: Gradiva. 1995. MASSIN. 2007. Ouvir o lógos: música e filosofia. Rio de Janeiro: 40ª Ed. História da música ocidental. CARPEAUX. O homem que calculava. PALISCA. Otto Maria. História da música ocidental. lia.