You are on page 1of 3

MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ

Gabinete da 8ª Procuradoria de Contas

Protocolo nº 966336/14
Origem: PARANAPREVIDÊNCIA
Interessado: CLEUZA CAMPOE, SUELY HASS, DINORAH BOTTO PORTUGAL NOGARA,
PARANAPREVIDÊNCIA, RAFAEL IATAURO
Assunto: Ato de Inativação
Parecer n° 8452/16
Ementa: I - Aposentadoria por invalidez. Proventos integrais.
Professora. Linha Funcional 21. Doença não prevista no rol
taxativo da legislação estadual.
II – Recente prolação do Acórdão n° 2842/16-STP revisando
a Uniformização de Jurisprudência n° 15-TCE/PR, mas
preservando a legalidade dos atos autuados neste Corte
em data anterior à revisão da UJ.
III – Observância à modulação dos efeitos fixada no Acórdão
n° 2842/16-STP. Pelo registro do ato.

Tratam os autos de exame de legalidade de aposentadoria por invalidez
com proventos integrais da servidora Cleuza Campoe (art. 40, § 1°, inc. I, 2ª parte da CF/88 c/c EC n°
70/12),

ocupante do cargo de professora LF211, admitida em 1990, cujos proventos foram

calculados em R$ 3.139,03.
O Laudo Pericial (peça 05), elaborado em maio de 2014, atesta que a
servidora foi diagnosticada na doença classificada no CID F 31.6 (transtorno afetivo bipolar,
episódio misto)

considerada grave pela junta médica. A conclusão quanto à necessidade de

assistência permanente de outrem foi contrária.
A unidade técnica, Parecer n° 6930/16-DICAP (peça 31), se manifesta pela
legalidade do ato.
1

A servidora também foi aposentada por invalidez (autos n° 966344/14) com proventos integrais no cargo de professor LF
2 pela Resolução de Aposentadoria n° 14132/2014. O ato foi registrado automaticamente no SIAP pelo Despacho de
Homologação de Benefício n° 21/2015-DICAP/GP, disponibilizado no DETC n° 1268, do dia 17.12.2015, sem que o
processo tramitasse por este Ministério Público de Contas.

1
DOCUMENTO E ASSINATURA(S) DIGITAIS
AUTENTICIDADE E ORIGINAL DISPONÍVEIS NO ENDEREÇO WWW.TCE.PR.GOV.BR, MEDIANTE IDENTIFICADOR S460.I3IQ.ALOM.KX6I.A

1.6) não é elencada no rol taxativo previsto no art. moléstia profissional ou doença grave. Esta 8ª Procuradoria de Contas observa que embora a junta médica certifique a gravidade da doença acometida pela servidora. do órgão previdenciário. II. MEDIANTE IDENTIFICADOR S460.06. ADMINISTRATIVO. Registramos que o recente Acórdão n° 2842/16-STP (julgado na 21ª Sessão do Pleno de 23. O rol das doenças elencadas no § 1°. 40. Consideram-se doenças graves. I. neoplasia maligna.BR. não autoriza a concessão de aposentadoria por invalidez com proventos integrais. paralisia irreversível e incapacitante. § 1º. cegueira posterior ao ingresso no serviço público.° 12. pressupõe conclusão da perícia médica oficial no sentido de que a doença que acomete o servidor está prevista na lei de regência e de que é grave. O deferimento de proventos integrais. SUBMISSÃO AO DISPOSTO EM LEI ORDINÁRIA. hanseníase. cabendo a junta médica pericial. contagiosa ou incurável. mutilação. contagiosa ou incurável. “na forma da lei”. portanto.MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ Gabinete da 8ª Procuradoria de Contas É o relatório. cujo rol. tem natureza taxativa. do artigo 48 da Lei Estadual n. se a doença que acomete o respectivo servidor está prevista na norma. deficiência. Recurso extraordinário a que se dá provimento. 48. nefropatia grave. § 1°. O benefício será devido com proventos integrais quando a invalidez for decorrente de acidente em serviço. contagiosa ou incurável. contaminação de radiação e outras que forem indicadas em lei. é taxativo.A .PR. fato que a teor da decisão com repercussão geral proferida pelo Supremo Tribunal Federal no RE n° 6568603. 3 EMENTA: CONSTITUCIONAL.398/982 como grave. síndrome da deficiência imunológica adquirida (AIDS). decorrente de aposentadoria por invalidez. da Constituição Federal assegura aos servidores públicos abrangidos pelo regime de previdência nele estabelecido o direito a aposentadoria por invalidez com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. de acordo com os critérios de estigma. 40. estado avançado do mal de Paget (osteíte deformante). com base na medicina especializada. ao domínio normativo ordinário a definição das doenças e moléstias que ensejam aposentadoria por invalidez com proventos integrais. SERVIDOR PÚBLICO.TCE. alienação mental. § 1º. O art. bem como. contagiosas ou incuráveis a tuberculose ativa. segundo a jurisprudência assentada pelo STF. I. 3. Pertence.ALOM. da Lei Estadual n° 12. declarar expressamente se a doença é grave. tal enfermidade ( CID F 31. 2 § 1º.GOV.2016) revisou a interpretação contida na Uniformização de Jurisprudência n° 15. doença de Parkinson. em cada caso. esclerose múltipla. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ COM PROVENTOS INTEGRAIS.KX6I. declarar. 2 DOCUMENTO E ASSINATURA(S) DIGITAIS AUTENTICIDADE E ORIGINAL DISPONÍVEIS NO ENDEREÇO WWW. adotando o seguinte entendimento: I.I3IQ. espondiloartrose anquilosante. ou outro fator que lhe confira especificidade e gravidade. cardiopatia grave. ART. deformação. DA CF.398/1998. 2.

132/2014. como os autos em exame ingressaram neste Tribunal em data anterior à prolação do Acórdão n° 2842/16-STP.MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ Gabinete da 8ª Procuradoria de Contas III. de que os proventos serão integrais se a doença for grave “na forma da lei”. bem como os atos que são objetos de processos que ingressaram neste Tribunal até a data da decisão.PR. deve-se observar os prazos de modulação de efeitos estabelecida na citada decisão. Assinatura Digital GABRIEL GUY LÉGER Procurador do Ministério Público de Contas Ato emitido por: Carlos Volchan de Carvalho 3 DOCUMENTO E ASSINATURA(S) DIGITAIS AUTENTICIDADE E ORIGINAL DISPONÍVEIS NO ENDEREÇO WWW.GOV. 40 da CF/1988. sempre que verificada a identidade do órgão previdenciário e do respectivo beneficiário. IV.I3IQ. Não há óbice a que na lei de regência conste expressamente a possibilidade de concessão de aposentadoria por invalidez com proventos integrais. Curitiba. também no caso de a junta médica designada atestar a gravidade de moléstia que durante o seu curso tornou-se grave ou nova patologia reconhecida pela Medicina como tal. mencionada nos autos nº 287380/16. Neste sentido. 1 de julho de 2016. MEDIANTE IDENTIFICADOR S460. para preservar apenas os atos já registrados com base no entendimento até então reinante.ALOM.KX6I. assim. e na linha da Resolução nº 01/2014-ATRICON. propugna-se que seja recomendado tanto a Diretoria de Protocolo quanto à Diretoria de Controle de Atos de Pessoal que promovam a reunião ou apensamento de autos de aposentadoria e/ou de pensão decorrente de cargos legalmente acumuláveis. do art. e em homenagem ao princípio da celeridade processual. evitando o tramite de dois processos apartados.BR. com instruções distintas.TCE. a título de racionalização dos trabalhos.A . A decisão relativa a esta revisão deverá ter efeitos ex nunc. este Ministério Público de Contas opina pelo registro da Resolução de Aposentadoria n° 14. perfazendo. Por fim. Ante o exposto. É o parecer. o comando constitucional contido no inciso I.