You are on page 1of 5

O bezerro de ouro

Êxodo 32: 1-4
Rm 1:16-17
Duas situações:
– O bezerro de ouro –
a) Contar a história do cativeiro até esse ponto.
b) o povo erige um bezerro e o adora.
c) Israel desconfia o tempo todo de Deus.
Lutero
- o justo viverá pela Fé
- Lutero tinha medo. A dedicação dele à vida monástica foi por causa do medo. A Igreja legitimava
seu poder com o medo, e particularmente, o medo do Inferno.
- A maneira de não ir pro Inferno era, primeiro, evitando certas práticas que eram condenadas pela
Igreja e a compra de indulgências. Indulgências era a compra do perdão dos pecados para garantir
um terreno no céu.
No meio disso tudo, Lutero encontra essa passagem: “O justo viverá pela Fé” e se dedica ao estudo
da carta de Paulo aos Romanos, onde está esse texto.
Paulo, nessa carta, vai desenvolver o que é a raiz da teologia cristã que é a “JUSTIFICAÇÃO PELA
FÉ”. Entender o que está escrito aqui é indispensável para todo aquele que diz seguir a Cristo.
Vamos tentar resumir.
1) No Gênesis, no capítulo 3, há o relato da queda. O homem, escolhe ser deus, e viver sem o Deus
Criado, Elohim
2) Com isso, o pecado entra no mundo e se instala em nossa natureza. Nossa natureza se torna
pecaminosa. Como Paulo chama, nossa “carne” não é o nosso corpo, mas nossa natureza que se
inclina para o mal.
3) Deus revela uma Lei, uma moral, que aponta o que é o pecado. Contudo, Paulo afirma que a Lei
não salva ninguém, não dá vida a ninguém, mas aponta que nós pecamos. E a consequência de saber
o pecado só nos leva à Morte. Como ele diz no versículo 6:23: “O salário do pecado é a morte”.
4) Então, qual é a solução do pecado e consequentemente para a morte? Romanos 5:12;15-19
Adão pecou, e herdamos essa carne, essa natureza pecaminosa. Mas o sacríficio de Cristo nos
justifica. E somente isso! Isso é inegociável! Isso é manifestação da Graça e da Justiça da Deus.
A Graça de Deus é, nos dar, gratuitamente, o dom da vida, mesmo não sendo nós merecedores. É
importante frisar o que esse sentido de Graça, como dom gratuito. E o que significa “gratuito”?
Vamos ver o que Paulo nos diz em Efésios 2:8.
- A religião como um bezerro de ouro
- voltemos a história do bezerro do ouro. O bezerro de ouro é a ação humana que suplanta a ação de
Deus. É a idolatria do homem por tudo o que não é Deus. É a busca de outros deuses diante do
vacilar da nossa segurança.
A Parábola das Dez Virgens e a noção de Santificação e Santidade como nosso Bezerro de Ouro.
- A parábola é interpretada como se as 10 virgens fossem a igreja. O noivo vem e algumas das
virgens ficam de fora. As que ficam não tem azeite. Esse texto é interpretado da seguinte forma:

vivi muito tempo da minha vida amedrontado.A salvação por meio da fé insiste em marcar nossa confiança em Deus. esse homem seria salvo? . ao pé da letra. no dia seguinte. não traía minha esposa. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.Precisamos separar salvação/justificação de santificação. não é santo. antes de eu ser executado. Eu.Se eu matei um monte de gente. Fazia todas as coisas certas. eu entrarei no céu.cantar louvores? .. não vai pro céu ou fica pra trás quando Jesus voltar. nos reduz a essa condição de confiar nele. tenho essa vida dupla. não fumar. eu lembrei da pregação do evangelho e reconheci que eu estava afastado de Cristo. logo. conheci a Cristo. A real é que quando fazemos isso. exterminei um povo inteiro. transformamos nosso conceito de santidade (que é bem próximo de uma moral conservadora do que no ideal de Justiça de Deus) em um bezerro de ouro e substituímos Cristo pelas nossas ações. etc etc. Isso de forma sincera. mas nos últimos momentos da minha vida.ler a bíblia? . e fiz uma confissão pública.azeite = Espírito Santo . Sabendo que não é nosso esforço que nos salva. retributiva. aqui se paga. ao contrário o perfeito amor expulsa o medo. não comer. Cristo nos libertou! Não precisamos buscar bezerros de ouro. Mas também nos livra do medo. Exemplos: . Afinal.Caso contrário. ainda tinha contato com a amante. mesmo que isso já começasse a incomodá-lo. somos idólatras e adoramos nossa moral e nossos bons costumes. Ou seja. mas a salvação é dom gratuito dele. Jesus vem ou você morre e “perde” a salvação.Quando colocamos nossas práticas religiosas no lugar de Cristo para nos salvar. me esforço todo dia para ser uma pessoa mais santa. Porém. o que nos salva? . ir à igreja todos os dias.Se eu traio minha mulher há anos. e entendi que precisava reconhecê-lo como meu senhor e salvador. fui um ditador maligno. Ficaram juntos e tudo o mais.E como se torna “santo” nessa lógica? Através de atos que mostrem a santidade: não beber. Porém. cumprir obrigações. E isso nos diminui. logo. . Aqui se faz. Nos últimos momentos. Não fumava. e que era Ele que dá a vida. ainda estava preso às minhas práticas. .Para ter o Espírito Santo você precisa ser “santo” ou “buscá-lo”. Diferentes dos ímpios que vejo nos bares. com certeza. Achava que o raio da ira divina me atingiria a qualquer momento. toda uma lista de moral e bons costumes. que . pagar penitências. Rejeitamos o sacrifício de Cristo. trabalhar na “obra”. Sei que tudo isso me dará acesso a viver com Deus na eternidade e me esforcei para fazer essas práticas.Ajudar os pobres? . fazer trabalhos na igreja. fui a igreja. . não bebia. .Toda minha vida fui de uma religião. Eu seria salvo? . Se você não entra nessa lista. São duas coisas diferentes. Isso porque nossa justiça humana é assim. não se irritar.ir pra igreja? . porque o medo supõe castigo. fazer sacrifícios.Ser uma pessoal com uma moral excelente? O que nos salva é a graça de Deus. .Ajudar na campanha do quilo? . eu clamei por ele. I Jo 4:8 8 No amor não há medo. como Lutero. Então. Mas dedicar nossos corações em confiança em Deus.

pois. 2por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes. justificados pela fé. Isso produz paz em nossos corações e não medo. . Você crê em Cristo? Crê que é justificado por Ele? Então confia nele. Rm 5:1-2 1Tendo sido. e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.recebemos por meio da fé. por nosso Senhor Jesus Cristo. temos paz com Deus.