You are on page 1of 18

Sistema Reprodutor

- Controla o desenvolvimento das diferenças estruturais e funcionais entre homens e mulheres
e influencia o comportamento humano.
- Função principal: produção de gâmetas para reprodução; controlo hormonal.
- Não é necessário para a sobrevivência individual. É essencial para a sobrevivência da espécie
humana

Sistema Reprodutor Masculino
- Testículos
- Epidídimo
- Canais (canais deferentes; canais ejaculadores; uretra)
- Glândulas acessórias (vesículas seminais; próstata e glândulas bulbo-uretrais)
- Estruturas acessórias (bolsa escrotal; cordão espermático).

Testículos
Produção de:
 Espermatozóides
 Hormonas sexuais masculinas (caracteres sexuais secundários)
- Espermatozóides são muito sensíveis à temperatura e não se desenvolvem à temperatura
normal do organismo.
 Razão da localização dos órgãos de produção.
 Localizados no exterior do corpo: bolsa escrotal, onde a temperatura é mais baixa.
- Revestidos por:
 Túnica albugínea: cápsula de tecido conjuntivo fibroso que penetra para o interior do
testículo formando septos incompletos.
 Septos dividem cada testículo em aproximadamente 300-400 lóbulos cónicos.
- Túbulos seminíferos
 Estão no espaço entre os septos.
 Epitélio germinativo – Espermatogénese
 Envolvidos por tecido conjuntivo laxo que contem aglomerados de células endócrinas
– células intersticiais ou células de Leydig (testosterona).
 Abrem-se para um sistema de canais curtos e rectos – tubos rectos – que se abrem
para uma rede tubular designada por rede testicular.
 Esvazia-se para 12-15 túbulos – canais eferentes

Estrutura alongada. . .Epidídimo . corpo e cauda.  Canal deferente. . artérias. Bolsa Escrotal . .Passam através da próstata e abrem na uretra prostática. nervos. Cordão espermático:  Une o testículo à cavidade abdominal. constituindo o canal ejaculador (de cada lado).Produzem cerca de 60% do esperma.Divide-se em: cabeça. . Canais ejaculadores . plexos venosos. Vesículas Seminais .Porção terminal alarga-se para formar a ampola do canal deferente: reúne-se com o canal proeminente da vesícula seminal do mesmo lado.Estende-se desde a cauda do epidídimo até aos canais ejaculadores.Superfície está dividida por uma rafe mediana (continuase posteriormente para o ânus e anteriormente para a face inferior do pénis).Interiormente subdividida em 2 compartimentos por um septo de tecido conjuntivo. . . Canal deferente .Contêm os testículos.Altera os espermatozóides dando-lhes características de maturação e mobilidade.Tubo espiralado com 6m de comprimento. .Relaciona-se com o pólo superior e bordo posterior do testículo. septo escrotal)  Fáscia espermática externa  Músculo cremáster  Fáscia espermática interna  Folheto parietal da túnica vaginal  Folheto visceral da túnica vaginal .Estrutura tubular. Várias estruturais sobrepostas:  Pele (rafe mediana cutânea)  Dartos (músculo liso subcutâneo.

vesículas seminais. com pH 6. o Músculos cremásteres contraem-se e fazem subir os testículos para mais perto do corpo. para que se dê a formação normal dos espermatozóides. . . Próstata ..Corpo .Formações erécteis:  2 corpos cavernosos (aderem ao ramo isquio-úbico)  1 corpo esponjoso (adere ao diafragma urogenital) .  Temperaturas baixas: o Fibras musculares dos dartos contraem-se o que torna a pele escrotal firme e rugosa e reduz o volume total da bolsa.Meios de fixação:  Raízes dos corpos cavernosos  Porção bulbar do corpo esponjoso  Ligamento fundiforme  Ligamento suspensor do pénis . o que ajuda a mantê-los a uma temperatura superior.  Temperaturas elevadas: o Dartos e cremásteres relaxam tornando a pele lisa e final.Produz líquido leitoso. o que permite aos testículos descer e afastar-se do corpo.Glande .Extremidade posterior ou raiz .5 lobos:  1 anterior  1 média  1 posterior  2 laterais Relações:  Adiante: sínfise púbica  Atrás: recto  Lateralmente: músculo elevador do ânus e obturador interno  Baixo: diafragma urogenital  Cima: bexiga.5 – 7.Neutraliza a acidez do líquido do canal deferente e das secreções vaginais – aumentando a mobilidade e fertilidade dos espermatozóides.Atravessada por 3 canais:  Uretra prostática  Canais ejaculadores .5.Resposta dos músculos dartos e cremáster é importante na regulação da temperatura dos testículos. ampolas do canal deferente Pénis .

Posteriormente: cóccix .Epitélio germinativo:  Células de Sertoli (de sustentação)  Espermatogónias  Espermatócitos (meiose)  Espermátides (23 cromossomas)  Espermatozóides . Hormonas de reprodução no Homem Espermatogénese . .Ocorre nos túbulos seminíferos por estimulação das hormonas gonadotróficas da hipófise anterior.Conjunto das partes moles que preenchem o orifício inferior da escavação pélvica.Triângulo anterior ou urogenital contém a base do pénias e o escroto.Lateralmente: tuberosidades isquiáticas .Anteriormente: sínfise púbica .Começa por volta dos 13 anos e continua pelo resto da vida. . . mais pequeno. Limites: . é o triângulo anal e contém o orifício anal.Triângulo posterior.Glande: o Meato uretral o Coroa da glande o Prepúcio o Sulco balano-prepucial o Freio do prepúcio Períneo .

Corpo o Mitocôndrias (fornece energia) .Espermatozóide .Cabeça o Acrossoma (hialuronidase e enzimas proteolíticas) .Colo .Cauda .

.

.

atrás das trompas.  Ovários  Trompas  Útero  Vagina Órgãos externos: superficiais ao diafragma urogenital  Vulva Ovários . . depois da sua fecundação.Situados de cada lado do útero.Meios de fixação: o Mesovário (ligação com o ligamento) o Ligamento lombo-ovárico o Ligamento útero-ovárico o Ligamento tubo-ovárico . Órgãos internos: localizados na cavidade pélvica (entre a bexiga e o recto).Epitélio ovárico ou germinativo  Recobre toda a superficie do ovário . . homólogas dos testículos.Camada central menos densa – Medula .Sistema Reprodutor Feminino Aparelho reprodutor feminino:  Produção dos óvulos e. .As glândulas mamárias também são consideradas parte do sistema genital feminino.Túnica albugínea  Densa camada de tecido conjuntivo fibroso imediatamente subjacente à membrana serosa.Consiste num grupo:  Órgãos internos  Órgãos externos .Camada externa densa – Cortéx  Folículos ováricos .Estruturas pares. fornecer condições para a nidação do ovo e para o desenvolvimento do feto até ao nascimento. .

Está situado entre a bexiga (adiante) e o recto (posteriormente). . acima da implantação das trompas. o útero apresenta um estrangulamento denominado istmo do útero. ímpar e mediano. .Tubo par. . apresentando cerca de 10 cm de comprimento.Estruturalmente são constituídas por 4 camadas concêntricas de tecido (periferia para a profundidade):  Serosa  Subserosa  Túnica muscular o Fibras musculares.Na parte médias. abrindo-se distalmente por um verdadeiro funil de borda franjada.  Mucosa o Células ciliadas e apresenta numerosas pregas paralelas longitudinais – pregas tubais . que emerge do centro do períneo. achatado no sentido anteroposterior.Órgão oco. . .São irregulares quanto ao calibre. bilateral. que se implanta de cada lado do respectivo ângulo latero-superior do útero e se projectam lateralmente.As trompas uterinas dividem-se em 4 regiões: porção intramural. Istmo o Porção com menor calibre. auxiliando na migração do óvulo em direcção ao útero. lisas. . Ampola o Local onde se processa a fecundação. istmo.  Local onde ocorre a fecundação do óvulo pelo espermatozóide.     Porção intramural (porção terminal) o Segmento de tubo que se situa na parede do útero.Vão-se dilatando à medida que se afastam do útero.A extremidade superior do corpo do útero. ampola e infundíbulo. para o interior da cavidade pélvica. junto ao útero. o Abre directamente para a cavidade peritoneal para receber o ovócito.A parte superior ao istmo denomina-se corpo do útero e a inferior constitui o cérvix (colo). tem o nome de fundo do útero. . .Trompas . em forma de pêra invertida.Funções das trompas:  Transportar o óvulo do ovário para o útero. com forma de funil com rebordo irregular: franjas com nome de fímbrias. Útero . Infundíbulo o Porção mais distal. . dilatação que se segue ao istmo. permitem movimentos peristálticos.

ou seja.Normalmente o útero posiciona-se em anteversão. com a face anterior ligeiramente inclinada para a frente.Se estes músculos estiverem enfraquecidos (após o parto).Meios de orientação:  Ligamentos largos  Ligamento redondo . . . pelos músculos esqueléticos do pavimento pélvico. .No interior do útero situa-se a cavidade uterina.3 Camadas concêntricas:  Perimétrio (serosa) o Constituída pelo peritoneu  Miométrio o Túnica muscular: camada espessa de fibras musculares lisas o Responsável pela maior parte do volume da parede uterina  Endométrio o Túnica mucosa: epitélio cilindrico simples e tecido conjuntivo subjacente . O muco preenche o canal cervical e actua como uma barreira às substâncias que podem passar da vagina.Esse plano transversal é apresentado pela inserção da vagina em torno da parte médias do cérvix – fórnix da vagina.Meios de fixação:  Músculo elevador do ânus  Núcleo fibroso central do períneo  Vagina . que continua através do canal cervical e se abre para a vagina através do orifício externo do canal cervical ou óstio.Ao aproximar-se a ovulação. o útero pode descair para o interior da vagina. a consistência do muco diminui. . inferiormente. dando origem ao prolapso uterino. tornando mais fácil a passagem dos espermatozóides.O cérvix é subdividido em 2 porções por um plano transversal que passa pela sua parte média: porções supravaginal e intravaginal. . . ..O canal cervical é revestido por epitélio cilíndrico e contém glândulas mucosas cervicais.Suporte ao útero é feito. .

Espaço interlabial  Vestíbulo  Meato urinário  Orifício inferior da vagina  Hímen . intravaginal – fundo do saco vaginal circular ou fórniz vaginal . .Triângulo posterior ou anal .Órgãos erécteis:  Clítoris (corpos cavernosos)  Bulbos vestibulares (corpos esponjosos) . .Superiormente insere-se no contorno da parte média da cérvix do útero e baixo atravessa o diafragma urogenital para se abrir na vulva.Parede vaginal  Formada por uma camada muscular exterior e internamente uma mucosa de revestimento.Triângulo anterior ou urogenital  Contém os órgãos serviçais extremos .Região entre a vagina e o canal anal encontra-se o núcleo fibroso central do períneo (corpo perineal).Tubo músculo-membranáceo.Extremidade superior da vagina em forma de cúpula é inserida sobre o colo uterino e rodeia o seu segmento inferior.Tal como no homem é dividido em 2 triângulos. .  Toda a superfície mucosa é pregueada transversalmente – pregas – que são conhecidas como rugas vaginais.Formações labiais:  Monte púbico  Grandes lábios  Pequenos lábios .Vagina . Vulva . .Glândulas anexas:  Glândulas para-uretais  Glândulas vestibulares (Bartholin) Períneo .

enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrogénio. . . .Por volta dos 8 anos a hipófise secreta hormonas gonadotróficas que culminam no início dos ciclos sexuais mensais entre os 11 e os 15 anos. . o estrogénio e a progesterona: as células dos folículos maduros secretam estrogénio.São estas hormonas as responsáveis pelo desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários.Hormonas de reprodução na mulher Ciclo ovárico mensal .Os ovários começam a secretar as hormonas sexuais.Ovários permanecem inactivos durante toda a infância.Menarca/Puberdade .

.º de folículos primordiais.À medida que o antro se forma. vai sendo preenchido com o liquido produzindo pelas células granulosas. a secreção de FSH estimula o desenvolvimento de um pequeno n. . o folículo continua a desempenhar uma função importante. as células da granulosa e a este conjunto chamamos folículo primordial.O folículo primordial é convertido em primário quando o ovócito aumentado de volume e as células da granulosa se tornam maiores.ª ordem. . só um folículo de Graaf atinge os estadios mais avançados do desenvolvimento.ª ordem e um corpo polar. ou folículo de Graaf.ª ordem – zona pelúcida. . .Se acontecer uma gravidez. em cada ciclo ovárico. rompe para fora do folículo. .ª ordem completa a primeira divisão meiótica para dar origem a um ovócito secundário ou de 2. o corpo amarelo continua a aumentar de tamanho e permanece ao longo da gravidez como corpo amarelo da gravidez.Ovogénese . . . .O folículo maduro avoluma-se e rompe-se.Forma-se uma estrutura glandular – corpo amarelo. Habitualmente. . . .O ovócito é “empurrado” para a periferia do folículo. .Os outros folículos degeneram. o corpo amarelo mantém-se por 10 ou 12 dias e depois degenera levando a uma diminuição de secreção de progesterona e estrogénio. .Os folículos secundários diferenciam-se e continuam a crescer produzindo o líquido folicular que se acumula no antro (cavidade dentro do folículo). .O folículo torna-se num folículo maduro. . por volta do 4.A ovulação é a libertação do ovócito de 2.Processo de produção do óvulo (ovócito 2 ) nos ovários. . .Ovócito de 1. os ovários podem conter 5 milhões de ovogónias. já houve maturação e formação de ovócitos primários.Pouco depois desta libertação de líquido folicular inicial.Depois da ovulção.ª ordem ou óvulo. .Se não acontecer gravidez.No momento do nascimento. o ovócito de 2.Alguns dos folículos primários continuam o desenvolvimento e tornam-se folículos secundários.No folículo de Graaf. o ovócito de 1. expelindo uma pequena quantidade de sangue e de líquido folicular para o exterior da vesícula. e uma película de material claro deposita-se à volta do ovócito de 1.º mês. . . que depois originam os ovócitos.ª ordem está revestido por um epitélio composto por uma camada única de células pavimentosas. rodeado pela zona pelúcida. sofrendo ovulação. imediatamente antes da ovulação.Ainda na altura da gestação. formam-se as várias camadas de células da granulosa. .Posteriormente.Na puberdade.

com grandes reservas de nutrientes. com condições para a implantação. Menstruação:  Corpo amarelo involui bruscamente  Secreção de estrogénio e progesterona diminui bruscamente  Vasoespasmo  Necrose das camadas superficiais do endométrio .Ciclo endometrial Fase proloferativa:  Fase estrogénica  Aumento da espessura do endométrio  Antes da ovulação Fase secretora:  Fase progestativa  Formação de endométrio altamente secretor.