You are on page 1of 4

Test Drive

ID: 30351367 25-05-2010
25.05.2010

Tiragem: 25000 País: Portugal Period.: Quinzenal Âmbito: Desporto e Veículos

Pág: 21 Cores: Cor Área: 26,53 x 37,57 cm² Corte: 1 de 4

TestDrive |

APRESENTAÇÃO

Poucas coisas satisfazem mais que juntar o melhor de dois mundos e obter um resultado de incomparáveis sensações. O novo Mégane CC é um desses casamentos felizes onde a ”elegância de um coupé” encontra “as sensações de um cabriolet” e a lua-de-mel é algo de memorável.

A Renault propõe prolongar a emoção de um cabriolet com o tecto panorâmico ao mesmo tempo que imprime o estilo de um coupé na elegância das linhas. bons irmãos partilham coisas boas: o painel de instrumentos do CC é o mesmo da berlina e do coupé. O ar condicionado tem três modos distintos: Soft, Auto e Fast. Porque o nem todos somos iguais mas todos queremos o máximo conforto.

Juntar o belo

Test Drive
ID: 30351367 25-05-2010

Tiragem: 25000 País: Portugal Period.: Quinzenal Âmbito: Desporto e Veículos

Pág: 22 Cores: Cor Área: 26,60 x 37,57 cm² Corte: 2 de 4

Renault Mégane Coupé Cabriolet

Com uma quota de 10% do mercado dos descapotáveis compactos do ocidente europeu em 2009, o mégane CC é o peso pesado do segmento e a sua nova geração promete não só reforçar esse estatuto como elevá-lo a um outro nível. O mais novo dos seis irmãos mégane chega, assim, com mais elegância, mais emoção e novos argumentos, representando, com mérito, a nova assinatura Renault, “drive the change”.

Quer faça sol quer faça chuva
A principal “aquisição” do novo mégane CC é o tecto retráctil em vidro. Com 1,2 metros, é o maior tecto panorâmico do segmento e tem a particularidade de prolongar a sensação cabrio mesmo na configuração coupé. O tecto , concebido pela empresa Karmann, tem três componentes: dois painéis que dobram em V para melhor acomodação na bagageira, um mecanismo de articulação responsável pela recolha/colocação do tecto e uma unidade hidráulica com calculador electrónico. O vidro é, ainda, tratado contra a radiação solar e conta com uma cortina párasol, instalada na travessa traseira, tudo para minimizar o possível desconforto de uma exposição solar intensa e prolongada. Além de proporcionar a sensação cabrio aos ocupantes, o tecto em vidro também confere , a quem passa, essa sensação de descapotável, além de revelar os refinados acabamentos cromados e preto brilhante. mas a sensação de descapotável mesmo com capota fechada não é tudo o que a Renault quer para este mégane CC. Um cabriolet automaticamente quer dizer cabelos ao vento, sol no rosto e liberdade da brisa da natureza. Para tal, a Renault inclui pequenas alterações que tornarão a experiência descapotável verdadeiramente especial.

Para minimizar turbulências e, por conseguinte, aumentar a estabilidade e o conforto, a travessa superior do párabrisas “cresceu” seis centimetros e, se viajar a dois, uma rede de proteção atrás dos bancos traseiros permite um rolar confortável independentemente do ritmo, ao passo que com quatro ocupantes, um vidro antiturbulência entre os encostos de cabeça dos bancos traseiros minimiza as perturbações aerodinâmicas e acusticas até 90 km/h. Para disfrutar do mégane CC a 100%, a Renault incorporou o fecho automático por afastamento da key-card também no porta-luvas, para que quaisquer pertences estejam protegidos sem ter que fechar a capota sempre que sai do automóvel.

beleza interior
As boas sensações vivem-se por fora e por dentro do mégane Coupé-Cabriolet. Os interiores do novo mégane pautam-se por uma série de acabamentos que exalam topo de gama. Os bancos viram o apoio lateral reforçado, os paineis das porta são em asa de borboleta e a decoração do tecto é em carbono escuro. Duas combinações de cores estão disponíveis para o CC, uma mais elegante, outra mais desportiva. Ao carbono escuro pode-se aliar o bege claro ou o vermelho (pack couro). Ao nível dos equipamentos, o CC também não é reservado. O já referido vidro anti-turbulência é incluido de série, bem como o key-card, o travão de estacionamento assistido, o ar condicionado automático bi-zona, o regulador/limitador de velocidade com interface colorido, o sistema de som “3D Sound by Arkamys” com Plug&music e USb, o GPS Carminat TomTom e um menu de personalização que permite activar/desactivar/ajustar toda uma sorte de funcionalidades desde as luzes diurnas ao volume do sensor de estacionamento.

ao agradável

Test Drive
ID: 30351367 25-05-2010
25.05.2010

Tiragem: 25000 País: Portugal Period.: Quinzenal Âmbito: Desporto e Veículos

Pág: 23 Cores: Cor Área: 26,60 x 37,57 cm² Corte: 3 de 4

TestDrive |

APRESENTAÇÃO
sobrevivência formada pelo conjunto dos pilares, molduras do pára‐brisas e arcos de segurança traseiros. No conjunto, aço de alto limite de elasticidade foi uma escolha automática. A estrutura da carroçaria foi também reforçada, para aumentar a rigidez em torção e a resistência da mesma. O Sistema Renault de Protecção de 3ª geração (SRP3) também é um acrescento relevante. O sistema tem em conta a violência do choque e a morfologia dos ocupantes e ajusta a tenção dos cintos e o regula os airbags adaptativos para ajustarem o enchimento de acordo com a resistência da parte do corpo que protegem e a força do impacto.

Longe da vista, perto do coração
A Renault propões três motorizações para o mégane CC, uma a gasolina e duas Diesel. Alterações de cariz tecnológico foram introduzidas para maximizar performances, sobretudo do bloco a gasolina. O TCe 130 debita a potência de um motor 1.8 – 130 cv – e produz o binário de um motor 2.0 – 190 Nm – mas é um 1.4. Acoplado a uma caixa manual de seis velocidades, promete não desiludir. A oferta Diesel já é mais generosa, com duas motorizações disponíveis: dCi 110 FAP e dCi 130 FAP. Cilindradas nas marcas dos 1500 e 1900 cc, respectivamente, e com potâncias de 110 e 130 cavalos, ambos blocos são muito prestativos: os binários, já de si convincentes (240 Nm e 300 Nm, respectivamente), estão disponíveis logo a partir das 1750 rotações, o que os torna muito competentes a baixos regimes. Uma transmissão de dupla embraiagem EDC (Efficient Dual Clutch) com seis relações pode ser acoplada ao dCi 110 que também está disponível com uma caixa manual, também com seis velocidades. Este bloco recebe a assinatura “eco2” com emissões de 130g/km e consumos mistos na ordem dos cinco litros por cada 100 quilómetros.

Quando o belo se junta ao agradável
Este novo CC veio fechar com chave de ouro a renovação da gama mégane, que dispõe agora de seis carroçarias diferentes – berlina, Carrinha, Coupé, Coupé‐Cabriolet, GT (e GT Line) e Renault Sport. Com 170 mil unidades vendidas desde a primeira geração, em 1997, a caroçaria Coupé‐Cabriolet representa 4% das vendas de toda a gama mégane. As linhas proeminnetes do capot tornam a secção dianteira indubitavelmente mégane, sendo que o pára‐choques é “emprestado” do Coupé. Na traseira, o conjunto óptico forma um padrão luminoso que o distingue, num exibicionismo discreto de individualidade. Nesta geração, o CC está mais elegante e sóbrio, não perdendo, todavia, a aura desportiva. mas, desta feita, é um desportivo (muito) senhor de si, refinado, requintado, como um chá das cinco ao ar livre, ou, já que é francês, um delicado flute de champagne numa desplanada nos Champs Elysées. Todo o conjunto final do novo mégane CC revela‐se bem conseguido, nas proporções, nas linhas e na disposição de detalhes. As tomadas de ar do pára‐choques dianteiro dão‐lhe personalidade desportiva, bem como os contornos do capot, ao mesmo tempo que as formas esguiais das ópticas e da moldura do pára‐brisas revelam elegância e fineza.

Emoção e elegância com segurança
A Renault literalmente apetrechou o seu novo mégane de diversos equipamentos e funcionalidades para ajudar o condutor a antecipar riscos, bem como de assistencia à condução. Quanto à segurança passiva, o CC trás os trunfos da berlina – uma plataforma com capacidade de absorção em caso de choque frontal e lateral. Reforços foram introduzidos nas zonas mais sujeitas a “maus tratos” como a parte debaixo do motor, as molduras das portas, as embaladeiras e o pilar central. Em caso de capotamento, talvez o acidente mais temido de quem possui um cabriolet, os ocupantes do mégane CC estão protegidos por uma célula de

Test Drive
ID: 30351367 25-05-2010

Tiragem: 25000 País: Portugal Period.: Quinzenal Âmbito: Desporto e Veículos

Pág: 24 Cores: Cor Área: 26,53 x 37,57 cm² Corte: 4 de 4

Renault Mégane Coupé Cabriolet

Os blocos Diesel para o mégane CC cumprem a norma Euro5 de emissões poluentes e o dCi 110 recebe o galhardete “eco2”

O melhor de dois mundos, numa simbiose de impecável bom gosto. é a discrição do desportivismo e vice-versa.