You are on page 1of 104
3
3

Antonio Machado Sant’Anna (1906 - 1981)

Ribeirão Preto - 2015 deosantanna@terra.com.br

Proibida a reprodução sem a autorização dos autores.

Editoração e Revisão:

Cristina Koga - Mtb 25.199 kogajornalismo@terra.com.br

Foto da capa:

Jornalista Antonio Machado Sant’Anna, na Praça São Pedro, em visita ao Vaticano.

4
4

Prefácio

Uma vida dedicada à informação

Nascido no distrito de Bonfim Paulista, em 1906, o jornalista Antonio Ma- chado Sant’Anna é uma memória viva na história do jornalismo da cidade - e

porque não do mundo, já que foi a diversos países, levando o nome de Ribei- rão Preto em suas divulgações. Iniciou na imprensa em 1924, no jornal “A Cidade”. Em 1940, comprou o “A Tarde” em sociedade com Onézio da Mota Cortez. Após dez anos, vendeu

o periódico e, depois, adquiriu o ‘Diário da Manhã’, que controlou até 1964,

quando foi instaurada a ditadura. Após ter seu jornal fechado pelos militares, mudou-se para São Paulo e continuou trabalhando como jornalista correspondente do ‘Diários Associa- dos’, de propriedade do jornalista Assis Chateaubriand, o Chatô, de quem era amigo.

Nomeado como o “embaixador de Ribeirão Preto”, o jornalista Antonio Machado Sant’Anna ficou conhecido pelo seu excelente relacionamento com personalidades nacionais e internacionais, além de exercer influência nos go- vernos estadual e federal, no período de 1924 a 1970. Nacionalista e municipalista de coração, é considerado um dos pioneiros na comunicação impressa da cidade, tendo participado ativamente de gran- des acontecimentos de Ribeirão Preto. Em 1939 fundou a ‘Revista de Ribeirão Preto’, que circulou durante 1 ano, informando os acontecimentos da cidade

e região. Antonio Machado Sant’Anna atuou, durante muitos anos, na Secretaria Geral da Associação dos Municípios do Estado de São Paulo, promovendo inúmeros encontros entre os prefeitos do Estado, em estâncias hidromine- rais. Além disso, foi um dos idealizadores e incentivadores para que fosse instalada a Faculdade de Medicina da Univerdade de São Paulo (USP de Ribeirão Preto). Exerceu a presidência do Aeroclube de Ribeirão Preto durante 12 anos; fundou a Delegacia Regional do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo; em companhia do radialista Sebastião Porto fundou a Associação Re- gional de Rádio e Imprensa de Ribeirão Preto (1950 a 1960) cuja entidade homenageou o 1º diretor da Faculdade de Medicina da USP Ribeirão Preto, professor Zeferino Vaz. Jornalista convicto, comprometido com a veracidade dos fatos, do tipo que

5
5

esta é a memória do jornalista citada pelos seus fami-

liares, descendentes e amigos. No acervo da família estão imagens dele com os ex-presidentes Jânio e Juscelino Kubitschek - de quem era amigo pessoal;

políticos como Salgado Filho e Fernando Costa, ministros, baronesas e avia- dores. Conheceu os presidentes dos EUA, John Kennedy e o General Dwight Eisenhower. Na Tchecoslováquia, esteve com o Marechal Tito e sua esposa Jovanka e muitas outras personalidades, compondo uma relação de amizade conquistada pelo seu jeito simples de ser. Um exemplo é a foto que ilustra a capa deste livro. O jornalista conheceu

Não é à toa que o autor e filho do jor-

nalista, Sérgio Sant’Anna, ressalta que o pai era muito querido e conceituado.

o Vaticano, a convite das autoridades

não se encontra mais

Não existiu e, nas atuais circunstâncias, dificilmente existirá outro profissional que consiga fazer tudo o que ele fez, da forma como ele foi capaz de fazer. Para

o filho, ele cumpriu o seu papel como jornalista, diante da população, conhe- ceu o mundo sem ter 1 centavo no bolso, sempre como convidado de hon- ra. Não acumulou riquezas materiais porque não visou lucros, mas recebeu o maior de todos os tesouros: o respeito do mundo em resposta ao seu caráter como homem e profissional.

Nota: Com o objetivo de respeitar a originalidade dos documentos/fon- tes, vários textos foram digitalizados a partir dos originais (livros publicados, documentos, cartas). Portanto, podem conter erros pois, na época, já foram publicados desta forma. Ouso considerar que, digitar novamente e corrigir os erros, não seria o mesmo que reproduzir o original.

Boa leitura!

Cristina Koga - jornalista

6
6

Por amor ao jornalismo

Sérgio Rubens Machado Sant’Anna*

Eu deveria escrever algumas linhas sobre

Sant’Anna* Eu deveria escrever algumas linhas sobre o meu pai, mas lendo o magnífico trabalho de

o meu pai, mas lendo o magnífico trabalho

de pesquisa de minha colaboradora e exce- lente jornalista Cristina Koga, responsável

direta pela editoria do presente livro, entendi perfeitamente a sua linguagem. A sua pers- picácia e talento, além de uma sensibilidade extraordinária, levaram-na a conhecer o meu pai - o jornalista Antonio Machado Sant’Anna

- como ele era realmente. E isso em poucas

palavras em seu prefácio, bem enxuto e com- pleto. Daí porque para mim ficou mais fácil não acordar minhas lembranças, ainda vívidas e fortes, acerca de minha convivência com o mais amoroso pai do mundo. Quero externar os mais profundos agradecimentos à Cristina Koga. Na ver- dade ela mergulhou e descobriu as diversas facetas do jornalista e do homem que elegeu a cidade de Ribeirão Preto como a sua “amante” única e predileta dedicando toda a sua vida a cantar as belezas da cidade “mais parisiense” do Brasil. Com a sua máquina fotográfica “rolleiflex” e a ferramenta indissociável a ”remington” portátil mostrava para os seus conterrâneos e para seus amigos de além-mar o seu paraíso nesse imenso Brasil. Este livro é uma história da vida de Antonio Machado Sant’Anna, o canto perfeito de seu trabalho, de sua convivência com personalidades e admirado- res. Assim cada foto fala de seu entusiasmo e sua identidade com a história de Ribeirão Preto. Em uma só pessoa a perfeita simbiose e comunhão, o entu- siasmo pela cidade e o apostolado ativo da imensa propagação das virtudes de sua comunidade. Queria e conseguiu mostrar ao mundo que a nossa cidade existia no mapa dos grandes paraísos. As fotos falam de seu imenso entusiasmo e as cartas, documentos e home- nagens, após seu falecimento, são testemunhas de seu trabalho profissional que abraçou por amor ao jornalismo.

7
7

Foi um filho amoroso, um estudante dedicado com enorme sede para o aprendizado cultural. Casou-se aos 18 anos com a mulher de sua vida, D. Ma- thilde (Pequetita) e ficaram casados até o fim de suas vidas. Quatro filhos desta união amorosa e apaixonada. ` Municipalista ferrenho. Ribeirão Preto acima de qualquer coisa. Soldado constitucionalista. E desde menino sabia que seria jornalista. Honrou a sua profissão. Lutou o bom combate, sofreu incompreensões, vítima de infâmias devido ao seu brilhantismo e sucesso. Homem sem rancor, pai amoroso, ami- go leal e mostrou para alguns de seus afetos que seria capaz de comer um saco de sal à sua fidelidade e amizade. Deixou saudades. Cumpriu a sua missão com a dignidade dos homens honrados. A cidade de Ribeirão Preto, com a sua morte perdeu o seu “embai- xador” e a cotovia deixou de cantar. Agradecemos à Deus você ter sido o nosso pai, o nosso exemplo. Pela sua ternura, sacrifícios e nos ter ensinado a grandeza das virtudes humanas. Nós somos você e isso nos engrandece. Seus filhos, Antonio Carlos - Luiz Augusto - Armando Lúcio - Sérgio Rubens.

* Filho do jornalista Antonio Machado Sant’Anna

8
8

O mundo que ele me trouxe

Guilherme Chaves Sant´Anna*

Eu adorava meu avô Toni. Desde pequeno, eu o admirava, vendo-o em seu ofício diário de jornalista. Era bonito vê-lo ali, batendo à máquina seus textos, com o codinome de Pedro Bran- do. Havia uma aura diferente, como se ele estivesse em transe, numa conexão celeste. Estava sempre escrevendo ou falando, em círculos privados ou públi- cos, tarefas que ele fazia com desenvoltura e nenhuma inibi- ção. Tinha um estilo narrativo sedutor e inflamado, contando viagens e passagens históricas importantes, com personagens da história ribeirãopretana ou nacional. Ele deu-me muitos cartões postais de lugares no mundo todo onde ele tinha esta-

do, costumeiramente a convite, em razão de seu ofício. Nascido no distrito de Bonfim Paulista, na época quase um vilarejo, conta- va que na infância, costumava ir à pé até a Escola Estadual Fábio Barreto, na Rua Amador Bueno. Um menino desde a infância obstinado com a formação e a cultura. Eu ia com ele à Biblioteca da SUV (Sociedade União dos Viajantes) e às excursões com a turma da Ordem dos Velhos Jornalistas, um grupo muito animado, que viajava em excursões a estações climáticas, vilas e cidades turís- ticas, num clima gostoso de amizade e confraternização. Acho que devo a ele, dentre outras coisas, esse gosto por rodas de amigos mais velhos, que sempre têm uma bagagem rica e uma prosa boa e consistente. Nessa época minha avó Pequetita já estava acometida de aterosclerose. In-

O jornalista Antonio Machado Sant’Anna com o seu neto Guilherme Chaves Sant’Anna
O jornalista Antonio Machado
Sant’Anna com o seu neto
Guilherme Chaves Sant’Anna
9
9

felizmente em razão disso, não tive com ela as mesmas conversas que tive com meu avô, mas lembro-me do cuidado dele para com ela nessas viagens em grupo, sempre paciente, servindo-a ou levando-a, de um lado a outro.

Meu avô me chamava de Guime, abreviação simpática ao meu nome, foi o único que me chamava assim. Quando eu era adolescente, criei um jornal voltado à família de minha mãe, que era muito mais numerosa e tinha como ponto de encontro a casa do meu avô Chaves. Mas meu avô Toni lia o jornal com carinho, fazia revisões e dava palpites, muito oportunos. Teve muitos amigos queridos – o Sebastião Porto, o Prof.Angerami – e quando morreu, foi muito pranteado. Seu corpo foi levado pelo carro do Cor- po de Bombeiros, seu nome foi adotado pela Câmara Municipal de Ribeirão Preto e na estrada que vai de Ribeirão a Araraquara. Um reconhecimento pós- tumo àquele que dedicou a vida ao jornalismo, enaltecendo Ribeirão Preto nos meios políticos e jornalísticos. Eu tenho muitas saudades dele. Devo aos Sant´Annas em geral – e a ele, em especial, muito do meu mergulho intelectual e cultural. Na minha casa de memórias, reservei para ele o quarto com a vista mais bonita. Ali, depois da janela, o mundo inteiro. Saudades, Pedro Brando Neto,

(a) Guilherme Chaves Sant´Anna

* Filho do autor Sérgio Rubens; neto do jornalista Antonio Machado Sant’Anna

10
10

Sumário

Sua história 13 Jornalismo 17

Carta recebida do professor Zeferino Vaz 21

22

Viagem inaugural da VASP 24 Inaugurações / Eventos sociais 27 Família Marinceck 30

Dr. João Palma Guião, seu grande amigo 35 Missão Japonesa em Ribeirão Preto 38

O amigo Assis Chateaubriand

Comunicador nato, em Havana - Cuba 44 Na posse do presidente Jânio Quadros 46

Atuação no Congresso Estadual de Municípios 50 Pelos profissionais do jornalismo 53

55

Centenário de Ribeirão Preto com Juscelino Kubitschek 60 Homenagens recebidas 62 Publicações sobre o jornalista Antonio M. Sant’Anna 65 Documentos 72 Artigo datilografado pelo jornalista 75 Cartas recebidas de autoridades 76 Citações - o nome do jornalista citado em publicações 84

Na política

43

Lei Nº 161 de 24/09/1948 - criação da Faculdade de Medicina

A família 99

Bibliografia

101

11
11

Sua história

Antonio Machado Sant’Anna nasceu em Bonfim Paulista, distrito de Ribei- rão Preto-SP, em 9/8/1906, filho de Lindoro Vicente Sant’Anna e Maria da Gló- ria Machado Sant’Anna. Foi casado com a Senhora Mathilde Pinho Sant’Anna, de cujo matrimônio tiveram os filhos, Antonio Carlos, Luiz Augusto, Arman- do Lúcio e Sérgio Rubens.

Carlos, Luiz Augusto, Arman- do Lúcio e Sérgio Rubens. D. Maria da Glória e Sr. Lindoro

D. Maria da Glória e Sr. Lindoro Vicente Sant’Anna, pais do jornalista Antonio Ma- chado Sant’Anna, em companhia de suas noras e netos, em Ribeirão Preto-SP (1946)

13
13
Casa em que nasceu o jornalista Antonio Machado Sant’Anna, em 9 de agosto de 1906,

Casa em que nasceu o jornalista Antonio Machado Sant’Anna, em 9 de agosto de 1906, na Vila Bonfim – Distrito de Ribeirão Preto-SP

14
14

Reunião com a mãe e três irmãos do jornalista Antonio Machado Sant’Anna

(1939)

Bonfim Paulista

Bonfim Paulista Escola Primária (1912) onde o jornalista estudou - Escola do Prof. José Correia Lacerda

Escola Primária (1912) onde o jornalista estudou - Escola do Prof. José Correia Lacerda

o jornalista estudou - Escola do Prof. José Correia Lacerda 15 O casal Pequetita- -Antonio Machado
15
15

O casal Pequetita-

-Antonio Machado Sant’Anna e os seus quatro filhos:

Antonio Carlos, Luiz Augusto, Arman-

do Lúcio e Sérgio

Rubens (Déo), em

1937

Página extraída de um caderno - espécie de diário pessoal - que o jornalista produzia

Página extraída de um caderno - espécie de diário pessoal - que o jornalista produzia para descrever o momento vivido com a sua família e trabalho.

descrever o momento vivido com a sua família e trabalho. Antonio Machado Sant’Anna e esposa comemorando

Antonio Machado Sant’Anna e esposa comemorando as Bodas de Ouro (1974)

16
16

Jornalismo

Como tudo começou

Sua vida no jornalismo teve início em 1926, no “Diário da Manhã”; em 1929 e 1930, com Luiz Gomes, teve grande atuação no “Diário do Oeste”. No ano de 1931, Foi redator do Jornal “A Cidade”. Foi diretor da sucursal do “Diário de São Paulo” e “Diário da Noite”, onde se aposentou. Foi fundador da “Revista de Ribeirão Preto”.

aposentou. Foi fundador da “Revista de Ribeirão Preto”. Artigo escrito pelo jornalista, na 1ª edição da

Artigo escrito pelo jornalista, na 1ª edição da Revista de Ribeirão Preto

Fonte: Texto e ilustração do livro “A História de Ribeirão Preto” - Rubens Cione DIÁRIO

Fonte: Texto e ilustração do livro “A História de Ribeirão Preto” - Rubens Cione

DIÁRIO DA MANHÃ FEITO À MÃO

O cliche em fac-simile do DIÁRIO DA MANHÃ de antigamente,

quando o texto de todas as matérias era composto à mão, antes da introdução das modernas máquinas de composição, as linotipes, que

já estão superadas pelas “foto composer”, o processo eletrônico já bastante difundido.

18
18
Capa da 2ª edição da Revista de Ribeirão Preto distribuída na cidade de Ribeirão Preto

Capa da 2ª edição da Revista de Ribeirão Preto distribuída na cidade de Ribeirão Preto e região (1939)

distribuída na cidade de Ribeirão Preto e região (1939) Na década de 40, em sociedade com

Na década de 40, em sociedade com o Jornalista e advogado Dr. Onésio da Motta Cortez, adquiriu o Jornal “A Tarde”

Após a venda do “A Tarde” adquiriu o “Diário da Manhã”, que controlou até 1964. Por ter seu jornal fechado pelo regime militar, continuou trabalhando como correspondente do Diários Associados, de Assis Chateaubriand (Chatô).

19
19

Foi um grande colaborador da imprensa nacional e nessa trajetória Sant’An- na em 1932, colaborou com a “Revista do Instituto do Café” que em uma edi- ção especial falou sobre nossa terra no “Tea & Coffee” de Nova York. Sant’Anna foi o incentivador da instalação da Faculdade de Medicina de Ribeirão - USP, juntamente com o professor Zeferino Vaz. Além disso, par- ticipou da inauguração do Edifício Diederichsen, do aeroclube e também da transferência do terreno para obras da RECRA – Sociedade Recreativa e de Esportes de Ribeirão Preto.

– Sociedade Recreativa e de Esportes de Ribeirão Preto. Na USP - Secretário da Jus- tiça

Na USP - Secretário da Jus- tiça e Governo de São Paulo, prof. Ernesto Leme, jornalis- tas Rizzini e Antonio Macha- do Sant’Anna

Leme, jornalis- tas Rizzini e Antonio Macha- do Sant’Anna Fernando Costa interventor do Estado de São

Fernando Costa interventor do Estado de São Paulo, em 1943, quando foi adquirida a Fazenda Monte Ale- gre (campus USP). Na foto, a recepção acontecia na residência do coronel Schmidt, onde atualmente está instalado o Museu do Café

Schmidt, onde atualmente está instalado o Museu do Café Antonio Machado Sant’Anna (1º à direita) na

Antonio Machado Sant’Anna (1º à direita) na sessão solene da colação de grau da 1ª turma da Faculdade Medicina RP (1957), como convidado do Prof. Zeferino Vaz

20
20
Carta enviada ao jornalista, pelo professor Zeferino Vaz 21

Carta enviada ao jornalista, pelo professor Zeferino Vaz

21
21

Lei Nº 161 - 24 de setembro de 1948

Dispõe sobre a criação de estabelecimentos de ensino superior

Após muito trabalho, empenho, luta, dos quais participou o jornalista An- tonio Machado Sant’Anna, em 24/09/1948 foi decretada a criação da Faculda- de, conforme segue cópia do documento abaixo.

Machado Sant’Anna, em 24/09/1948 foi decretada a criação da Faculda- de, conforme segue cópia do documento
22
22

Em 11 de janeiro de 1966, a faculdade foi decretada como Universidade, conforme cópia do documento a seguir:

23
23
Inauguração da linha Vasp - São Paulo a Ribeirão Preto (1935) Antonio Ma- chado Sant’An-

Inauguração da linha Vasp - São Paulo a Ribeirão Preto (1935)

da linha Vasp - São Paulo a Ribeirão Preto (1935) Antonio Ma- chado Sant’An- na participou

Antonio Ma- chado Sant’An- na participou da viagem inau- gural da VASP, no trecho São Paulo, Ribeirão Preto, Goiânia

24
24
Revoada a Águas de São Pedro - Aeroclube de Ribeirão Preto representado pelos diretores dr.

Revoada a Águas de São Pedro - Aeroclube de Ribeirão Preto representado pelos diretores dr. Luiz Leite Lopes, Antonio M. Sant’Anna, casal Marinceck e Mário Leite Lopes (1941)

Os jovens pilotos homenageados (1939) 25
Os jovens pilotos
homenageados
(1939)
25

Os jovens pilotos Hamilton e Hélio Marinceck, breve- tados aos 13 anos de idade, foram homenageados pelo Aeroclube, presidido pelo jornalista An- tonio Machado Sant’Anna

Foto histórica do acidente com avião da VASP trazendo para Ribeirão Preto o Reitor da
Foto histórica do acidente com avião da VASP trazendo para Ribeirão Preto o Reitor da

Foto histórica do acidente com avião da VASP trazendo para Ribeirão Preto o Reitor da USP, professor doutor Miguel Reale para visita de inauguração da Faculdade de Medicina

26
26

Inaugurações e eventos sociais

Respeitado pelo seu profissionalismo, pela importância do seu trabalho e, acima de tudo, pela credibilidade que conquistara ao longo dos anos, Sant’An- na foi o convidado de honra em eventos sociais, esportivos, inaugurações e muitos outros.

eventos sociais, esportivos, inaugurações e muitos outros. Inauguração da litorina (trem) da Mogiana 1938

Inauguração da litorina (trem) da Mogiana 1938

outros. Inauguração da litorina (trem) da Mogiana 1938 Inauguração da Estação de Jardineiras, com Antonio

Inauguração da Estação de Jardineiras, com Antonio Diederichsen

(1938)

27
27

Inauguração da

Usina Junqueira

(1932)

Na estrada de ferro, o transporte de cana-de-açúcar da Usina Jun- queira (1932) Última laje

Na estrada de ferro, o transporte de cana-de-açúcar da Usina Jun- queira (1932)

o transporte de cana-de-açúcar da Usina Jun- queira (1932) Última laje da construção do Edifício Diederichsen,

Última laje da construção do Edifício Diederichsen, em 1936

laje da construção do Edifício Diederichsen, em 1936 Aniversário do Sr. Antonio Diederichsen com familiares e

Aniversário do Sr. Antonio Diederichsen com familiares e diretores da empresa (1936)

28
28
Personalidades de Ribeirão Preto com prefeito Fábio Barreto, em festividade francesa (1936) Casa da Criança

Personalidades de Ribeirão Preto com prefeito Fábio Barreto, em festividade francesa (1936)

com prefeito Fábio Barreto, em festividade francesa (1936) Casa da Criança (1938) Construção da Via Anchieta

Casa da Criança (1938)

em festividade francesa (1936) Casa da Criança (1938) Construção da Via Anchieta (1939) Festividade no hospital

Construção da Via Anchieta (1939)

Casa da Criança (1938) Construção da Via Anchieta (1939) Festividade no hospital Beneficência Portuguesa com a

Festividade no hospital Beneficência Portuguesa com a equipe do corpo clínico e o prefeito de Ribeirão Preto (1938)

29
29
Família Marinceck recebe homenagem na cidade de Igara- pava-SP (1940) Homenagem da Instituição Moura Lacerda

Família Marinceck recebe homenagem na cidade de Igara- pava-SP (1940)

recebe homenagem na cidade de Igara- pava-SP (1940) Homenagem da Instituição Moura Lacerda à família

Homenagem da Instituição Moura Lacerda à família Marinceck. Ao centro, os dois filhos brevetados ainda meninos (1940)

Em Ribeirão Preto: visita do Conde Francisco Matarazzo (1936) 30
Em Ribeirão Preto: visita do Conde Francisco Matarazzo (1936)
30
Conde Francisco Matarazzo visita a Prefeitura de Ribeirão Preto (1936) Benção no pavilhão da Santa

Conde Francisco Matarazzo visita a Prefeitura de Ribeirão Preto (1936)

Matarazzo visita a Prefeitura de Ribeirão Preto (1936) Benção no pavilhão da Santa Casa pelo bispo

Benção no pavilhão da Santa Casa pelo bispo Dom Alberto Gonçalves. Na foto, dr Tinoco Cabral pa- trono do hospital, e dr Edgard Cajado, do corpo clínico

Inauguração da Coletoria Estadual com a presença do bispo Dom Alberto Gonçalves (1935) 31
Inauguração da Coletoria Estadual com a presença do bispo Dom Alberto Gonçalves (1935)
31
Assinatura da escritu- ra - terreno adquirido pela Agência Central dos Correios e Telégrafos da

Assinatura da escritu- ra - terreno adquirido pela Agência Central dos Correios e Telégrafos da Companhia Antarctica Paulista

(1935)

e Telégrafos da Companhia Antarctica Paulista (1935) Homena- gem ao dr. Tinoco Cabral, na presença do

Homena-

gem ao

dr. Tinoco

Cabral,

na presença

do corpo

clínico da

Santa Casa

e amigos

(1936)

32
32

Corpo clínico da Santa Casa de Ribei- rão Preto - visita do Secretário da Saúde

(1939)

Corpo clínico da Santa Casa homenageando o dr. Senna (1939) Homenagem ao dr. Bacelar pelo

Corpo clínico da Santa Casa homenageando o dr. Senna (1939)

Corpo clínico da Santa Casa homenageando o dr. Senna (1939) Homenagem ao dr. Bacelar pelo corpo

Homenagem ao dr. Bacelar pelo corpo clínico da Santa Casa (1940)

ao dr. Bacelar pelo corpo clínico da Santa Casa (1940) Na fazenda Baronesa de Arari, em

Na fazenda Baronesa de Arari, em Araras-SP - Assis Chateaubriand, ministro da aeronáuti- ca Salgado Filho, dr. Luiz Leite Lopes e o jornalista Antonio Machado Sant’Anna (1957)

33
33
No Ginásio do Estado Otoniel Mota - homenagem ao dr Edgard Cajado (1936) Visita de

No Ginásio do Estado Otoniel Mota - homenagem ao dr Edgard Cajado (1936)

Estado Otoniel Mota - homenagem ao dr Edgard Cajado (1936) Visita de diplomatas estrangeiros à Companhia

Visita de diplomatas estrangeiros à Companhia Antarctica Paulista (1935)

Visita do 3º BC em 1939 34
Visita do 3º BC em 1939
34
Aniversário da Sociedade Recreativa - Antonio Ma- chado Sant’Anna entre os amigos, usineiro Baudílio Biagi

Aniversário da Sociedade Recreativa - Antonio Ma- chado Sant’Anna entre os amigos, usineiro Baudílio Biagi e Sra. D. Ana Maria Bonini Marchesi

usineiro Baudílio Biagi e Sra. D. Ana Maria Bonini Marchesi Governador do Estado de São Paulo,

Governador do Estado de São Paulo, Ademar de Barros, no Bosque Fábio Barreto (1947)

Paulo, Ademar de Barros, no Bosque Fábio Barreto (1947) O jornalista Antonio Machado Sant’Anna e um

O jornalista Antonio Machado Sant’Anna e um dos seus grandes amigos, dr João Palma Guião (1932)

35
35
Governador Lucas Nogueira Garcêz (à direita) durante a inauguração da Faculdade de Medicina de Ribeirão

Governador Lucas Nogueira Garcêz (à direita) durante a inauguração da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Na ocasião, proferiu sua aula inaugural com o prefeito de Ribeirão Preto, Alfredo Condeixa Filho

com o prefeito de Ribeirão Preto, Alfredo Condeixa Filho Homena- gem ao dr. Odilon Souza, presi-

Homena-

gem ao dr. Odilon Souza, presi- dente da São Paulo Light

(1954)

36
36

Interventor Fernando Costa inaugurando a Escola Prática de Agricultura, na Fazenda Monte Alegre, hoje Campus da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto

37 Assinatura da doação do terreno ao lado da Recreativa, pela Companhia Antarctica Paulista à
37 Assinatura da doação do terreno ao lado da Recreativa, pela Companhia Antarctica Paulista à
37
37

Assinatura da doação do terreno ao lado da Recreativa, pela Companhia Antarctica Paulista à Prefeitura de Ribeirão Preto (1941). Destaque para a pre- sença do casal Antonio e Helena Zerrener

Sra. Coimbra, Antonio Machado Sant’Anna e ministro Salgado Filho, na Fazenda Montevideo, Araras-SP

Em Ribeirão Preto, Visita do General Mac Arthur, herói da segunda guerra mundial dos EUA

Missão japonesa recebida pelo jornal Diário da Noite do RJ - vinda do navio Buenos

Missão japonesa recebida pelo jornal Diário da Noite do RJ - vinda do navio Buenos Aires Maru (1945)

38
38

O jornalista Antonio

Machado Sant’Anna

e sua esposa foram

recepcionados com um almoço oferecido pelo vice-cônsul do Japão, Sr. Sato, que a presen- teou com o kimono - vestimenta tradicional japonesa (1940)

Assembleia do Rotary Clube, no dia 26 de agosto 1944, em frente ao Theatro Pedro

Assembleia do Rotary Clube, no dia 26 de agosto 1944, em frente ao Theatro Pedro II

no dia 26 de agosto 1944, em frente ao Theatro Pedro II Baile de inauguração do

Baile de inauguração do ginásio da Sociedade Recreativa, em 11 de outubro de 1941

Visita à Usina Mascarenhas de Morais, em Peixoto, durante a inauguração 39
Visita à Usina Mascarenhas de Morais, em Peixoto, durante a inauguração
39
Fonte: comunidade Facebook: A História de Ribeirão Preto 40 Antonio Machado Sant’Anna em 1936, no
Fonte: comunidade Facebook: A História de Ribeirão Preto 40 Antonio Machado Sant’Anna em 1936, no
Fonte: comunidade Facebook: A História de Ribeirão Preto 40 Antonio Machado Sant’Anna em 1936, no

Fonte: comunidade Facebook: A História de Ribeirão Preto

40
40

Antonio Machado Sant’Anna em 1936, no encontro com Dona Joaquina Gomes, irmã do Maestro Carlos Gomes. Na foto juntamente com Sant’Anna e Dona Joaquina, vemos os saudosos Cônegos Barros e Dr. Onésio da Motta Cortez.

(Do livro: A História de Ribeirão Preto, Cione, Rubem Vol. II)

Antonio Machado Sant’Anna junto com Dr. Rubem Cione e Amim Calil em companhia do Conde Francisco Matarazzo Filho, à época em Ribeirão para receber o título de cida- dania.

(Do livro: A História de Ribeirão Preto, Cione, Rubem Vol. II)

Antonio Machado Sant’Anna em foto histórica de 1936, quando comemoravam o 20º aniversário da 1º viagem de carro feita de São Paulo a Ribeirão, que na época levou 08 dias. A aventura foi feita em um “FIAT” conduzido pelo Sr. Antonio Prado Filho, tendo como passageiros, Alberto Santos Dumont, Condes Silvio e Armando Alvares Penteado

Na foto tirada em 1936, vemos, o Jornalista Antonio Machado Sant’Anna, Dona Joaquina Gomes (irmã

Na foto tirada em 1936, vemos, o Jornalista Antonio Machado Sant’Anna, Dona Joaquina Gomes (irmã do Maestro Carlos Gomes) e Max Bartch.

Joaquina Gomes (irmã do Maestro Carlos Gomes) e Max Bartch. Da direita para a esquerda estão

Da direita para a esquerda estão os jornalistas Antonio Machado Sant’Anna e Orestes Lopes de Camargo, os advogados João Palma Guião, Dr. Meira Júnior, João Rodrigues Guião, Fábio de Sá Barreto, Onésio da Motta Cortez e Dr. Francisco Gugliano. Homens que deixaram marcas em Ribeirão Preto pelo trabalho, inteligência, cultura e espírito de bem servir à população

Fonte: comunidade Facebook: A História de Ribeirão Preto

41
41
Antonio Machado Sant’Anna e Maurílio Biagi - inauguração da Zanini (1950) 1952 - Antonio Machado

Antonio Machado Sant’Anna e Maurílio Biagi - inauguração da Zanini (1950)

e Maurílio Biagi - inauguração da Zanini (1950) 1952 - Antonio Machado Sant’Anna e Amim Calil

1952 - Antonio Machado Sant’Anna e Amim Calil no período da construção do Palácio Comércio e Indústria

42
42

Seu amigo, o Chatô

Assis Chateaubriand foi um grande amigo para quem o jornalista Antonio Machado Sant’Anna trabalhou e se realizou profissionalmente.

Sant’Anna trabalhou e se realizou profissionalmente. 43 Visita do jornalista Assis Chateubriand a Ribeirão
Sant’Anna trabalhou e se realizou profissionalmente. 43 Visita do jornalista Assis Chateubriand a Ribeirão
43
43

Visita do jornalista Assis Chateubriand a Ribeirão Preto, em seu avião particu- lar (1939)

Assis Chateaubriand e sr.ww Moura Andrade visitam Ribeirão Preto (1939)

Reunião na sede da Socieda- de Recreativa (na época, Rua Duque de Caxias esquina c/ Rua Barão do Amazonas) com Assis Chateaubriand, Fausto Junqueira, Lindoro Sant’Anna, Edgard Sant’An- na, Antonio Machado Sant’Anna, Carlos , Napo- leão Carvalho (1941)

Comunicador nato

Antonio Machado Sant’Anna tinha um vasto relacionamento com líderes nacionais e mundiais. Era amigo dos ex-presidentes da República Jânio e Jus- celino Kubitschek. Seus contatos eram tão vastos que conheceu até os pre- sidentes dos EUA John Kennedy e Dwight Eisenhower; o Marechal Tito, da Tchecoslováquia; entre outras personalidades.

Tito, da Tchecoslováquia; entre outras personalidades. 1º aniversário da revolução cubana em Havana - Cuba

1º aniversário da revolução cubana em Havana - Cuba

(1959)

aniversário da revolução cubana em Havana - Cuba (1959) Em Havana Club Rum - Cuba (1959)

Em Havana Club Rum - Cuba (1959)

em Havana - Cuba (1959) Em Havana Club Rum - Cuba (1959) Foto da capa -

Foto da capa - Na Praça São Pedro, Vaticano

- Cuba (1959) Foto da capa - Na Praça São Pedro, Vaticano Congresso Internacional dos municípios,

Congresso Internacional dos municípios, em Santiago - Chile (1969)

44
44
Visita do almirante Gago Coutinho a Ribeirão Preto com a presenca do vice-cônsul de Portugal

Visita do almirante Gago Coutinho a Ribeirão Preto com a presenca do vice-cônsul de Portugal (1939)

Preto com a presenca do vice-cônsul de Portugal (1939) Em Brasilia-DF, o jornalista Antonio M. Sant’Anna

Em Brasilia-DF, o jornalista Antonio M. Sant’Anna participou da posse do pres Janio quadros com a Srª do Brigadeiro Ministro Ar- mando Ararigboia, que era da 4ª zona aérea SP

45
45
Ar- mando Ararigboia, que era da 4ª zona aérea SP 45 O governador do Estado de

O governador do Estado de São Paulo,

Adhemar Pereira de Barros e o jornalis-

ta Antonio M. Sant’Anna, no Aeroporto

de Ribeirão Preto

O jornalista Antonio Machado Sant’Anna cumprimentando a Sra. Eloá Quadros, du- rante a posse de

O jornalista Antonio Machado Sant’Anna cumprimentando a Sra. Eloá Quadros, du- rante a posse de Jânio Quadros, em Brasília (1961)

du- rante a posse de Jânio Quadros, em Brasília (1961) Em Brasília-DF, o jornalista Antonio Machado

Em Brasília-DF, o jornalista Antonio Machado Sant’Anna marca presença na posse do Presi- dente Jânio Quadros com o General Câmara Sena - chefe da casa militar

46
46

O ótimo relacionamento que Sant’Anna teve no meio político da época aju- dou em muito o desenvolvimento de Ribeirão. Na revolução Constitucionalista de 1932, prestou relevantes serviços a cau- sa paulista.

Constitucionalista de 1932, prestou relevantes serviços a cau- sa paulista. Revolução de 1932 - Cavalaria Rio
Constitucionalista de 1932, prestou relevantes serviços a cau- sa paulista. Revolução de 1932 - Cavalaria Rio

Revolução de 1932 - Cavalaria Rio Pardo

47
47

Até mesmo no esporte, o jornalista participou, apoiou e exerceu a sua pro- fissão com a maestria de sempre.

e exerceu a sua pro- fissão com a maestria de sempre. Sant’Anna visita o jogador Bauer

Sant’Anna visita o jogador Bauer acidentado em Ribeirão Preto no jogo Botafogo X São Paulo, no estádio Vila Tibério do Botafogo (1957)

X São Paulo, no estádio Vila Tibério do Botafogo (1957) Antonio Machado Sant’Anna e colegas em

Antonio Machado Sant’Anna e colegas em uma partida de futebol em São José do Rio Pardo - início do Comercial Futebol Clube (1926)

48
48
Jogo entre jornalistas, médicos e advogados em prol das criancas do Asilo de Cocais, no

Jogo entre jornalistas, médicos e advogados em prol das criancas do Asilo de Cocais, no estádio Luiz Pereira - Vila Tibério, Ribeirão Preto (1940)

Luiz Pereira - Vila Tibério, Ribeirão Preto (1940) Agentes de seguros e comerciantes de café no

Agentes de seguros e comerciantes de café no estádio Luiz Pereira - Vila Tibério, Ribeirão Preto

49
49

Congresso Estadual de Municípios

O jornalista Antonio Machado Sant’Anna participou ativamente de vários Congressos de Municípios.

participou ativamente de vários Congressos de Municípios. 1º Congresso Estadual dos Municípios - Prefeito Adolfo

1º Congresso Estadual dos Municípios - Prefeito Adolfo Mantovani (Águas de Lindóia), Antonio S. Galante (Cedral), José V. Pereira (Tabapuã), Antonio Machado Sant’Anna (Ribeirão Preto) e Benedito Lisboa (São José do Rio Preto)

Preto) e Benedito Lisboa (São José do Rio Preto) IX Congresso Estadual de Municípios em Águas

IX Congresso Estadual de Municípios em Águas de Lindóia - 18 a 23 de agosto 1964

50
50
VIII Congresso Paulista de Municípios em Serra Negra 1961 - Est. de São Paulo XI

VIII Congresso Paulista de Municípios em Serra Negra 1961 - Est. de São Paulo

de Municípios em Serra Negra 1961 - Est. de São Paulo XI Congresso Paulista de Municípios

XI Congresso Paulista de Municípios em Campos do Jordão, de 8 a 13 de agosto 1966 - comemorando o aniversário do jornalista

51
51
XI Congresso Estadual de Municípios, em Campos do Jordão XIII Congresso Estadual de Municípios em

XI Congresso Estadual de Municípios, em Campos do Jordão

XI Congresso Estadual de Municípios, em Campos do Jordão XIII Congresso Estadual de Municípios em Campos

XIII Congresso Estadual de Municípios em Campos do Jordão - 13 a 19 de abril de 1969

52
52

Pelos profissionais do jornalismo

Atuação do jornalista Antonio Machado Sant’Anna junto à Associação Paulista de Imprensa.

Sant’Anna junto à Associação Paulista de Imprensa. Antonio Machado Sant’Anna assumindo o Centro de Imprensa

Antonio Machado Sant’Anna assumindo o Centro de Imprensa de Ribeirão Preto (1936)

assumindo o Centro de Imprensa de Ribeirão Preto (1936) 53 Associaçao de Imprensa de São Paulo
53
53

Associaçao de Imprensa de São Paulo homenageia Max Bartsch, gerente da Companhia Antarctica em São Paulo (1940)

Participando ativamente da fundação da APISP - Associação dos Profissionais de Imprensa de São Paulo

Participando ativamente da fundação da APISP - Associação dos Profissionais de Imprensa de São Paulo

(1939)

dos Profissionais de Imprensa de São Paulo (1939) Jornalistas do interior do Estado de São Paulo,

Jornalistas do interior do Estado de São Paulo, em visita à Capital (1941)

54
54

Política

Em 1954 candidatou-se ao cargo para Deputado Federal e, em 1958, a cam- panha era para Deputado Estadual. Não foi eleito nas candidaturas mas sem- pre participou da vida pública, por meio do jornalismo.

pre participou da vida pública, por meio do jornalismo. Antonio Machado Sant’Anna em sua candidatura a

Antonio Machado Sant’Anna em sua candidatura a Deputado Federal (1954)

Sant’Anna em sua candidatura a Deputado Federal (1954) Campanha para Deputado Estadual obtendo 7211 votos (1958)

Campanha para Deputado Estadual obtendo 7211 votos (1958)

55
55

Companhia Antarctica

Alguns registros da sua atuação junto à Companhia Antarctica.

registros da sua atuação junto à Companhia Antarctica. Aniversário de fundação da Cervejaria Paulista com

Aniversário de fundação da Cervejaria Paulista com diretores e funcionários (1939)

da Cervejaria Paulista com diretores e funcionários (1939) Comemoração dos 50 anos da Companhia Antarctica em

Comemoração dos 50 anos da Companhia Antarctica em Ribeirao Preto (1961)

56
56
Reunião na Companhia Antarctica (1940) Max Bartsch recebe caravana de amigos de Orlândia - homenagem

Reunião na Companhia Antarctica (1940)

Reunião na Companhia Antarctica (1940) Max Bartsch recebe caravana de amigos de Orlândia - homenagem ao

Max Bartsch recebe caravana de amigos de Orlândia - homenagem ao Sr. Edson Leite de Morais (1939)

de Orlândia - homenagem ao Sr. Edson Leite de Morais (1939) “Os Melancias” (1939). Amigos e

“Os Melancias” (1939). Amigos e funcionários da Companhia Antarctica Paulista

57
57
Homenagem ao gerente da Companhia Antarctica Paulista, Max Bartsch (1935) Homenagem da cidade ao Sr.

Homenagem ao gerente da Companhia Antarctica Paulista, Max Bartsch (1935)

Homenagem ao gerente da Companhia Antarctica Paulista, Max Bartsch (1935) Homenagem da cidade ao Sr. Max

Homenagem da cidade ao Sr. Max Bartsch (1939)

58
58
Homenagem da cidade ao Sr. Max Bartsch (1939) Visita do corpo diplomático à Companhia Antarctica

Homenagem da cidade ao Sr. Max Bartsch (1939)

Homenagem da cidade ao Sr. Max Bartsch (1939) Visita do corpo diplomático à Companhia Antarctica Paulista

Visita do corpo diplomático à Companhia Antarctica Paulista (1939)

59
59

Centenário de Ribeirão Preto

Em 1956, Ribeirão Preto comemorou 100 anos e o jornalista Antonio Machado Sant’Anna não poderia deixar de noticiar as autoridades presentes na festividade.

deixar de noticiar as autoridades presentes na festividade. O Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira e o

O Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira e o jornalista Antonio Machado Sant’Anna, na Prefeitura Municipal

60
60
Baile de comemoração do Centenário Ribeirão Preto, na presença de Assis Chateaubriand (1956) 61

Baile de comemoração do Centenário Ribeirão Preto, na presença de Assis Chateaubriand (1956)

61
61

Homenagens recebidas

Dentre várias homenagens recebidas em reconhecimento aos seus relevan- tes serviços prestados em prol da informações, destacam-se:

serviços prestados em prol da informações, destacam-se: Aniversário do jornalista Antonio Machado Sant’Anna -

Aniversário do jornalista Antonio Machado Sant’Anna - homenagem da Companhia Antarctica Paulista, na Cantina 605 (1970)

da Companhia Antarctica Paulista, na Cantina 605 (1970) Homenagem ao jornalista Antonio Machado Sant’Anna pelos

Homenagem ao jornalista Antonio Machado Sant’Anna pelos representantes das classes sociais - agradecimento do jornalista

62
62
Homenagem da Associação Brasileira dos Municípios ao jornalista Antonio Machado Sant’Anna (1973) 63

Homenagem da Associação Brasileira dos Municípios ao jornalista Antonio Machado Sant’Anna (1973)

63
63
Homenagem ao jornalista pelos representantes das classes sociais de Ribeirão Preto, no Palace Hotel (1942)

Homenagem ao jornalista pelos representantes das classes sociais de Ribeirão Preto, no Palace Hotel (1942)

classes sociais de Ribeirão Preto, no Palace Hotel (1942) O jornalista recebeu também homenagem prestada pela

O jornalista recebeu também homenagem prestada pela Força Aérea Brasileira

64
64

Publicações

A seguir, reprodução de algumas publicações sobre as homenagens recebi- das pelo jornalista.

sobre as homenagens recebi- das pelo jornalista. Encarte especial publicado pela revista Revide (edição 184

Encarte especial publicado pela revista Revide (edição 184 - fascículo 34)

65
65
66
66
67
67
68
68
69
69

Documento sobre a criação da “Sala Jornalista Antonio Machado Sant’Anna”, no Museu Municipal de Ribeirão Preto

(22/09/1981)

70 Documento sobre a denominação da sede da Câmara Muni- cipal de Ribeirão Preto com
70
70

Documento sobre a denominação da sede da Câmara Muni- cipal de Ribeirão Preto com o nome do “Jornalista Antonio Machado Sant’Anna”

(20/09/1983)

Algumas homenagens recebidas

Além de ser homenageado pela Câmara Municipal de Ribeirão Preto e também tendo o seu nome em um logradouro e na Rodovia que liga Ribeirão

Preto à cidade de Araraquara, recebeu diversos diplomas, medadalhas e tro- féus.

* Diploma da Associação Brasileira de Imprensa no VII Congresso Nacio-

nal de Jornalistas, pelo cinquentenário da referida entidade. (Rio de Janeiro, 7 de setembro de 1957).

* Diploma de sócio honorário, homenagem da Associação Campineira de

Imprensa. (Campinas, 10 de maio de 1960).

* Medalha de homenagem do Sindicato dos Jornalistas Profissionais pelos

seus 35 anos de atividades jornalísticas. (São Paulo, 1960).

* Troféu - homenagem do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo

pelos seus 35 anos de jornalismo. (1960).

* Troféu, homenagem do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, pelos seus 40 anos de jornalismo. (São Paulo, 1967)

* Medalha de Honra ao Mérito, homenagem da Câmara Municipal de Ri-

beirão Preto (12 de Outubro de 1968)

* Diploma de Honra ao Mérito do Secretaria de Cultura, Esportes e Turis- mo, Governo Abreu Sodré (São Paulo, 14 de Janeiro-1971)

* Medalha comemorativa aos 50 anos de Jornalismo no Congresso Muni-

cipal. Homenagem do Grande Hotel de Campos de Jordão. (13 de Maio de

1975)

* Medalha comemorativa aos 50 anos de imprensa, homenagem da Ordem dos Velhos Jornalistas de São Paulo. (Março-1975)

* Placa, homenagem da Associação Paulista de Imprensa pelos 50 anos de jornalismo. (6 de Janeiro de 1975)

* Troféu de Honra ao Mérito, homenagem da Associação Sul-Mineira de

Imprensa. (Poços de Caldas, 23 de Setembro de 1978)

* Diploma de Honra ao Mérito da Associação Sul-Mineira de Imprensa de

Poços de Caldas (23 de Setembro de 1978)

* Placa, homenagem de Associação de Imprensa de Serra Negra. (Em 26 do

Outubro de 1980)

* Medalha (tipo estrela) Mérito Jornalístico com os dizeres: “Informar e

Esclarecer”

71
71

Documentos e Impressos

Ao mesmo tempo quem o jornalista Antonio Machado Sant’Anna escreveu, também teve a sua vida e trabalho narrados por outros profissionais. A família guarda, orgulhosamente, todos os arquivos e decidiu exibir a memória de seu patriarca aqui, de forma um pouco reduzida, porém eternizando a sua paixão pelo jornalismo. A partir de agora, confira algumas reproduções do material guardado pela família.

Reprodução de documentos pessoais do jornalista

família. Reprodução de documentos pessoais do jornalista 72 Carteirinha do Sindicato dos Jornalistas Profissionais
72
72

Carteirinha do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo - 1957

Documento de Antonio Macha- do Sant’Anna como Presidente do Aeroclube de Ribeirão Preto

Os primeiros registros de tra- balho: como redator do Diário da Manhã, em 1925, e

Os primeiros registros de tra- balho: como redator do Diário da Manhã, em 1925, e como diretor da sucursal do Diário de São Paulo, em 1930

73
73
Documento do Serviço Nacional dos Municípios, onde Antonio Machado Sant’Anna foi Delegado Estadual (1969) Carteirinha

Documento do Serviço Nacional dos Municípios, onde Antonio Machado Sant’Anna foi Delegado Estadual (1969)

Antonio Machado Sant’Anna foi Delegado Estadual (1969) Carteirinha do jornalista como fundador da Ordem dos Velhos

Carteirinha do jornalista como fundador da Ordem dos Velhos Jornalistas

(1971)

74
74

Artigo escrito pelo jornalista, em 1975

75
75

Algumas das cartas recebidas de personalidades ilustres

76
76
77
77
78
78
79
79
80
80
81
81

Velhos Tempos, Velhos Amigos

Homenagem ao jornalista Machado Sant’Anna pela comemoração dos 50 anos de atividade profissional. Discurso do Dr. José do Carmo Marques Ferreira, diretor da Secretaria da Agricultura e emérito vereador da Câmara Municipal de Ribeirão Preto, durante o almoço realizado no restaurante do Edifício itália, na cidade de São Paulo, em 13 de Março de 1975; iniciativa da Ordem dos Velhos Jornalistas. A seguir, a reprodução do texto, respeitando a grafia da época:

“Os marcos da vida induzem à meditação retrospectiva, balanço de re- sultados havidos com dias “idos e vividos” ou meramente consumidos. Um dos nossos mais estimados e brilhantes companheiros atinge uma etapa significativa na sua vida profissional. Completa meio século, 10 lus- tros de intensa atividade jornalística. Como os viveu, como usou essa dádi- va, essa oportunidade, esse patrimônio? A resposta é uníssona - intensamente, apaixonadamente, honradamente. Distante, no passado de 50 anos, na RP que durante todo esse tempo vem cantando, em prosa e verso, iniciou sua lide na imprensa. Dentro ou fora da redação viveu a noticia, a campanha, a luta, o ideal, a liberdade,

o jornal. Na redação, enquanto respirava o oxigênio impregnado de tinta

enfeitiçada, transmitia às teclas da máquina, martelada pelos indicadores,

a frase, o período, a idéia nascente, enroupada em noticia, crônica, poesia,

registro de fato alegre ou episódio triste, alimentando o jornal de cada dia, “o momento que passa”. Repórter dinâmico, ousado, muitas vezes contundente, agressivo mesmo, porem objetivo, faz da tônica do interesse público, da liberdade da palavra, do pensamento e do ir e vir, o leimotiv de sua vida. Não tergiversou e não transformou a profissão em cornucópia. Paradoxalmente, amealhou sempre, nunca deixou de capitalizar. Seu capital imenso, inesgotável, não se expressa em padrão monetário estabele-

cido pelo homem. É uma fortuna interior, uma fonte perene que alimenta uma torrente de serviços, de dar-de-si, que não pode represar, porque o fluxo é volumoso, faz pressão, rompe qualquer dique que o queira conter. A patina do tempo e as traças não conseguem destruir esse tesouro e os ladrões não ousam rouba-lo, pois onde ele está, ali também está o seu coração. Vive distribuindo, perdulariamente, sua fortuna interior. Nunca reclama o retorno, quer do principal, quanto menos os juros. Tem recebido muitos calotes mas, devido a uma amnésia congênita, volta a doar, sem reportar-se ao pretérito.

82
82

Em algumas circunstancias já teve ímpetos de negar e de agredir, mes- mo. Foi quando se sentiu injustiçado, moralmente ofendido, vitimado por ingratidão individual ou coletiva. Não obstante as correrias, os ataques e defesas, as escaramuças, as lu-

tas e batalhas, as injustiças sofridas, a incompreensão, sempre perdoou os desafetos, porque, no intimo, nunca os considerou inimigos. Seu EU, sua consciência, o altar interior da sua personalidade, não o permite.

É um colecionador de amigos, de viagens, de recordações, de fatos e coi-

sas. Uma das suas mais peculiares coleções é a de processos judiciais; nada

menos de 18, oriundos da defesa de princípios e dos ideais de liberdade. Há ate um duelo, exteriorização de emoção incontida de uma mocidade vivida intensamente. Mas não passou de mais uma Batalha de Itararé. O desafeto foi perdoado e hoje é relembrado com serenidade e humor. Profundamente extrovertido e extenuantemente dinâmico, é um multi- fásico. Movimenta e faz movimentar, desde que se trate de interesse de en- tidade, do bem publico ou de amigo. É um enciclopédico. Sua universidade é o mundo sem fronteiras que conhece, através das viagens andanças. É

um “globe-trotter” inato que faz uso intenso das rodas dos veículos ou das asas das aeronaves. Atua no jornalismo, na aviação civil, nos movimentos classistas, na política ou nas causas públicas com a mesma desenvoltura e boa vontade. Exercendo a vereança, a secretaria da APM, a presidência do Aeroclube de Ribeirão Preto, a delegacia do SENAM a secretaria-geral da OVJ, ou qualquer outra atividade, dá sempre o melhor de si, tornando-se entusiasta, propulsor e incentivador.

É um exemplar chefe-de-família, com profundo sentimento de clã. A famí-

lia é sagrada, importante, o maior tesouro que possui. 50 anos de vida conju- gal com a sua querida Pequetita, coincidência com os 10 lustros de jornalista, permitiram-lhe constituir uma família feliz. Os 4 filhos já lhe deram 15 netos. O neto mais velho, o Arquiteto Antonio Carlos Sant’Anna Filho, o caro Ta- tau, o enriqueceu com uma bisneta. É uma família abençoada.

Eis a tentativa de síntese da personalidade de Antonio MACHADO SANT’ANNA. Difícil tarefa nos foi imposta, não obstante o prazer e honra que ela envolve. Nosso “pensamento é uma ave no espaço, que numa gaiola de palavras pode abrir as asas, mas não pode voar”, como desejaríamos. Caríssimo AMS, feliz é o homem que, comemorando um aniversario , atin- gindo um “marco de luz”, olhando o passado distante, perdido na penumbra do tempo que foi e não se recupera, pode lembrar o Apóstolo dos Gentios e afirmar altissonante “Combati o bom combate, terminei a carreira e guardei a fé A você, que ainda tem muito a dar, muito a combater, muito a realizar, o nosso abraço fraternal e com ele a amizade de seus companheiros da OVJ, simbolizada nesta medalha de Honra ao Mérito”.

83
83

13-03-1975

Citações

Destaque para algumas das citações sobre o jornalista, nos livros do advo- gado e historiador Rubens Cione

84
84
85
85
85
86
86
86
87
87
87
88
88
88
89
89
89

Reportagens

Algumas reportagens que citam o jornalista durante a sua carreira profis- sional, bem como a sua história, mesmo após o falecimento.

profis- sional, bem como a sua história, mesmo após o falecimento. Publicação do “Boletim da SUV”

Publicação do “Boletim da SUV” (1977)

90
90
91
91
Publicação do “Jornal Gazeta Ribeirão” (10/08/2006) Publicação do “Jornal Folha Ribeirão” (24/07/2011) 92

Publicação do “Jornal Gazeta Ribeirão” (10/08/2006)

Publicação do “Jornal Gazeta Ribeirão” (10/08/2006) Publicação do “Jornal Folha Ribeirão” (24/07/2011) 92

Publicação do “Jornal Folha Ribeirão” (24/07/2011)

92
92
93
93
93
93
93
Publicação do “Jornal Gazeta Ribeirão” (10/08/2006) 94

Publicação do “Jornal Gazeta Ribeirão” (10/08/2006)

94
94
95
95
Publicação do “Jornal A Cidade” (15/10/2006) 96
Publicação do “Jornal A Cidade” (15/10/2006) 96
Publicação do “Jornal A Cidade” (15/10/2006) 96
Publicação do “Jornal A Cidade” (15/10/2006) 96

Publicação do “Jornal A Cidade” (15/10/2006)

96
96
97
97
Publicação do “Jornal do Farol” (19 a 25/08/2010) 98

Publicação do “Jornal do Farol” (19 a 25/08/2010)

98
98

A família

A família Os pais do jornalista: Maria da Glória Machado Sant’Anna e Lindoro Vicente Sant’Anna, em

Os pais do jornalista: Maria da Glória Machado Sant’Anna e Lindoro Vicente Sant’Anna, em uma foto com sua família

e Lindoro Vicente Sant’Anna, em uma foto com sua família Os bisavós do jornalista Antonio Machado

Os bisavós do jornalista Antonio Machado Sant’Anna, em Portugal

99
99

Bibliografia

A História de Ribeirão Preto, Cione, Rubem – Revivescências Vol. I, Ed.

Legis Summa LTDA.

A História de Ribeirão Preto, Cione, Rubem Vol. II, Ed.IMAG Gráfica e

Editora.

Biblioteca da Sociedade União dos Viajantes - Ribeirão Preto

www.facebook.com/acervoribeirao

Revista Revide - Edição Comemorativa Ribeirão Preto 150 anos

Jornal A Cidade - edição comemorativa

Jornal do Farol

Jornal Metrópolis

Jornal Folha De São Paulo - Caderno Ribeirão Preto

Acervo da família do jornalista Antonio Machado Sant’Anna

101
101

AGRADECIMENTOS

À Sociedade União dos Viajantes

A família do jornalista Antonio Machado

Sant’Anna agradece carinhosamente à SOCIEDADE UNIÃO DOS VIAJANTES, às suas diretorias e seus funcionários, pelas atenções dedicadas ao velho profissional, durante toda a sua vida.

Ao Sr. Flávio Prudente Corrêa e Exma. Família

A família do jornalista Antonio Machado

Sant’Anna agradece pela colaboração e apoio re- cebidos na impressão gráfica deste livro.

A todos, o nosso eterno reconhecimento.

102
102