You are on page 1of 8

IV-029 - CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DO MANANCIAL MAIS SUSCETÍVEL À

CONTAMINAÇÃO POR AGROTÓXICOS

Alexandra Fátima Saraiva Soares (1)
Graduação em Engenharia Civil e Direito. Doutorado e Mestrado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos
Hídricos (DESA/UFMG). Especialização em Gestão e Manejo Ambiental em Sistemas Agrícolas (UFLA).
Engenheira do Ministério Público do Estado de Minas Gerais.
Ana Clara Mourão Moura
Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Doutorado em Geografia (UFRJ). Mestrado em Geografia (UFMG).
Especialista em Planejamento Territorial e Urbano (PUC-MG e Universidade de Bologna-Itália). Professora
Associada da Escola de Arquitetura da UFMG.
Mônica Maria Diniz Leão
Graduação em Engenharia Química. Doutorado em Génie de l'Antipollution (Institut National Des Sciences
Appliquées - França). Professora Associada do DESA/UFMG.
Vladimir Diniz Vieira Ramos
Graduação em Geografia. Mestrado em Geografia (UFMG). Especialização em Geoprocessamento (UFMG).
Endereço(1): Av. Antônio Carlos, 6.627 – Campus Pampulha. CEP 31270-901, Belo Horizonte, MG – Brasil; email: asaraiva.soares@gmail.com
RESUMO
A introdução de substâncias tóxicas nos ecossistemas aquáticos é uma das causas mais complexas de
deterioração da qualidade das águas destinadas ao abastecimento público, especialmente no que tange aos
agrotóxicos, muitos deles persistentes e resistentes ao tratamento convencional de águas para potabilização.
Assim, o estabelecimento de critérios para a seleção de mananciais mais vulneráveis à contaminação é
bastante oportuno, especialmente em Minas Gerais, Brasil, que contribui com aproximadamente 48% do café
produzido no país, cultura que demanda diversos produtos fitossanitários. A área de estudo deste trabalho é a
região de Manhuaçu, situada na bacia hidrográfica do rio Doce (MG), responsável por expressiva produção
agrícola de café (acima de 20.000 toneladas em 2009) e onde o câncer, depois das causas mal definidas,
constitui a segunda maior causa de mortes na região. Este trabalho objetivou selecionar o manancial mais
suscetível à contaminação por agrotóxicos, de forma a possibilitar estudos para se conhecer a interferência
da ocupação agrícola do solo na qualidade dos recursos hídricos superficiais e estabelecer prioridades no
processo de tomada de decisões (implantação de técnicas de manejo do solo, monitoramento das águas,
dentre outras). Para a seleção da sub-bacia, foram utilizados recursos de geoprocessamento – SIG (Sistema
de Informação Geográfica) para elaboração dos mapas de cobertura do solo, hidrografia, altimetria e
declividade da região de estudo. Os softwares usados na edição das bases e tratamento dos dados foram o
SPRING® e SAGA®, softwares livres especializados no tratamento de dados espaciais. O software SPRING®
processou as imagens e os dados topográficos, já o SAGA® foi aplicado na análise dos dados, a partir do
procedimento de multicritérios. A aplicação dos recursos de geoprocessamento permite a caracterização das
condições de um ambiente, segundo complexa gama de variáveis, o que leva ao entendimento das
transformações e a proposição de medidas que minimizem os impactos ambientais. O uso do SIG, para o
estudo de uma determinada situação complexa, tem produzido resultados de grande utilidade e com boa
qualidade. No presente trabalho foi possível verificar que a porção norte do município, onde se encontra o
manancial superficial do distrito de Dom Corrêa, apresenta uma maior suscetibilidade de contaminação, por
agrotóxicos, das águas de abastecimento público. Essa seleção permite priorizar ações de controle na região
de estudo. Ademais, esses critérios podem ser expandidos para outros locais.

Palavras-chave: Agrotóxicos; Contaminação das Águas; SAGA; Geoprocessamento; SIG.

ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental

1

O Brasil. As habilidades desses sistemas proporcionaram uma revolução no modo de trabalhar e pensar nas áreas que usam a geografia e suas aplicações no mundo real (MOURA. tem demandado maior número de pesquisas para avaliar e manter suas qualidades. com o intuito de se obter uma forma de gestão das transformações territoriais e de proposição de medidas que minimizem os impactos ambientais. utilizou-se recursos de geoprocessamento. para o estudo de situações complexas. altimetria e relevo da região de estudo. muitos deles persistentes e resistentes ao tratamento convencional de águas para potabilização (SOARES. Ainda de acordo com os dados apresentados por essa Secretaria de Saúde. utilizados na cultura de café do município de Manhuaçu. no que concerne às ocorrências de câncer na região. Também justifica a elaboração da presente pesquisa no município.000 toneladas em 2009) – IBGE (2010). altimetria. Manhuaçu encontra-se entre os 122 municípios mineiros. identificados na pesquisa 1. o fato de que. As regiões da Zona da Mata/Jequitinhonha/Mucuri/Rio Doce/Central/Norte são responsáveis por 32% de toda produção de café do estado (ABIC. o câncer foi a segunda causa de morte em Minas Gerais (14. 2007). Dados recentes publicados pelo IBGE (2011) indicaram que diversos municípios brasileiros declararam existir poluição por agrotóxicos nos mananciais de abastecimento público.458 agrotóxicos (LONDRES. O desenvolvimento deste trabalho contou com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa (FAPEMIG). sendo os superficiais os mais vulneráveis. existem 366 ingredientes ativos. Portanto. está entre os três maiores consumidores de agrotóxicos no mundo. projetar e simular situações ideais e potenciais. Para tanto. Cabe informar que uma possível contaminação dos mananciais é alvo de recorrentes matérias de jornais de veiculação regional e também objeto de uma Ação Civil Pública. que se situa na bacia hidrográfica do Rio Doce em Minas Gerais e destaca-se dos demais municípios do estado pela expressiva produção agrícola de café (superior a 20. com excesso de mortalidade por algum tipo de câncer. 2 ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental . Processo APQ-00676-08. A aplicação dos recursos de geoprocessamento se inicia na elaboração de mapas de uso do solo. o estudo de critérios para seleção dos mananciais mais vulneráveis à contaminação por agrotóxicos é oportuno em Minas Gerais. densidade das lavouras de café e existência de cultivo a menos de 30 metros de distância dos cursos d´água. segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 2009). O uso do SIG (Sistema de Informação Geográfica). Os atuais sistemas de informações podem. Para o desenvolvimento desta pesquisa selecionou-se a região do município de Manhuaçu. tem produzido resultados de grande utilidade e com boa qualidade. que formulam 1. 2011). considerando variáveis de declividades. impetrada pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais. este trabalho objetivou apresentar critério de seleção do manancial superficial mais vulnerável ao impacto dos agrotóxicos. Esses resultados acentuam a preocupação das pessoas do município. em 2006. fazendo previsões por modelos de simulação. O manejo dessas lavouras de café requer a utilização de fertilizantes e diversos agrotóxicos para garantir a produtividade e a qualidade dos grãos. 1 A referida pesquisa apresentou probabilidade de 95% dos resultados estarem corretos (IC95%). excluídas as causas mal definidas. 2011). registrados no Brasil para uso agrícola. além de fazer análise dos dados existentes. Trata-se de ferramenta importante na organização dos dados e sistematização da interpretação dos fenômenos que se manifestam espacialmente. que contribui com aproximadamente 48% do café produzido no país. Atualmente. especialmente no que tange aos agrotóxicos. 2010). sendo o primeiro no âmbito da América Latina. Diante do exposto. aliado à constante utilização dos recursos hídricos – especialmente captação de águas para consumo – e à introdução de substâncias tóxicas nesses ecossistemas.INTRODUÇÃO A presença de substâncias tóxicas nos ecossistemas aquáticos é uma das causas mais complexas de deterioração da qualidade das águas destinadas ao abastecimento público.1% do total de mortes) e em Manhuaçu (12% do total de mortes no município) – (SVSM. Esse fato.

860. inclusive os mananciais de captação de água para abastecimento público. conforme apresenta a Figura 1. hidrografia.000 toneladas de café em grão em 2009. softwares livres especializados no tratamento de dados espaciais. Os softwares usados na edição das bases e tratamento dos dados foram o SPRING® e SAGA®. foram utilizados recursos de geoprocessamento – SIG para elaboração dos mapas de cobertura do solo. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 3 . No entanto. já o SAGA® foi aplicado na análise dos dados. relevo montanhoso (altitudes entre 561 e 1.8 mm (IBGE. com uma área plantada de 17. atualmente.MATERIAIS E MÉTODOS Para o desenvolvimento deste trabalho selecionou-se a região de Manhuaçu. que se situa na bacia hidrográfica do Rio Doce em Minas Gerais e destaca-se dos demais municípios do estado pela expressiva produção agrícola de café (mais de 20. Manhuaçu possui mais onze comunidades rurais com mananciais de abastecimento públicos próprios. 2010). altimetria e declividade da região de estudo.760 metros) e índice pluviométrico médio anual é de 1. O software SPRING® processou as imagens e os dados topográficos. Figura 1: Localização dos mananciais de captação para abastecimento público e das sub-bacias hidrográficas inseridas em Manhuaçu. a partir de processo denominado “Análise de Multicritérios”. existem lavouras de café que margeiam os cursos d´água. Para a seleção da sub-bacia mais suscetível à contaminação por agrotóxicos. Além da sede.750 hectares para o mesmo ano).

na faixa destinada à preservação ambiental. e no entorno de nascentes em um raio de 50 metros. altimetria e taxa de declividade. ou por outras ocupações que não sejam nessas proximidades. Já a altimetria relaciona as faixas de alturas topográficas e as regiões mais baixas estão mais propensas à acumulação dos contaminantes. Esta foi considerada a segunda variável de maior importância. d) Hipsometria/Altimetria – 10%. por sua vez. foi considerado que a ocupação ilegal de áreas de interesse ambiental – matas ciliares – constitui cenário de alto risco para contaminação das águas. Assim. 2º do Código Florestal: ao longo de cursos d´água na faixa de 30 metros de cada margem. considerando o centro das linhas da hidrografia. Para tanto. respectivamente. Em “Proximidade das lavouras de café em relação aos cursos de água/nascente” e “Densidade de lavoura de café por bacia hidrográfica”. manifestado através do esquema de Árvore de Decisões ou Análise Hierárquica de Pesos. foi atribuída nota máxima de interesse (valor 10) para as lavouras em ocupação indevida de APP. onde cada plano e cada componente possui seu grau de pertinência. concentração de atividade cafeeira. segundo a importância de cada um na conformação do fenômeno espacial investigado e. pesos e notas atribuídas para cada componente de legenda são assim justificadas: a) Proximidade das lavouras de café e cursos de água/nascente (café em APP) – foram consideradas as lavouras de café inseridas em área de preservação permanente (APP) de cursos d´água e entorno de nascente. observou-se que a variável mais importante para a análise foi a proximidade das lavouras de café. foi atribuída nota zero. e menores valores para as sub-bacias com menor número de lavouras de café. o mapa é caracterizado por localização de faixas de domínio de cursos d´água.A técnica de multicritérios foi definida por Moura (2007) como um procedimento metodológico de cruzamento de variáveis. cabe apresentar os pesos atribuídos a cada variável de mapeamento. inseridas no município de Manhuaçu. No que se refere às notas atribuídas para os componentes de legenda. as variáveis são organizadas na forma de mapas que representam superfícies potenciais de ocorrência dos fatores. Essa técnica de avaliação baseia-se no mapeamento de variáveis em planos de informação. da declividade do terreno e altimetria ou cota altimétrica no terreno. foi necessária a definição de um conjunto de variáveis que melhor representassem a dinâmica da área de estudo. tendo obtido peso de 40% no conjunto das quatro variáveis. identificou-se as sub-bacias que apresentavam a maior densidade de lavouras. em áreas sem restrições. Ela combina variáveis por pesos e notas. de alta relevância para o estudo. e da localização das áreas de lavouras. pois o objetivo era identificar as áreas mais problemáticas. e o resultado é construído a partir da média ponderada dos valores. ocupação de área de preservação permanente de curso d’água e nascentes. com sua devida importância. definidos segundo o seu grau de importância no conjunto. Os pesos atribuídos para as variáveis foram: a) Proximidade das lavouras de café em relação aos cursos de água/nascente (café em APP) – 40%. Para as demais lavouras. b) Densidade de lavoura de café por bacia hidrográfica – 30%. No que concerne à variável “densidade de lavouras de café por bacia hidrográfica”. b) Densidade de lavoura de café por bacia hidrográfica (densidade de cultivo) – a partir da delimitação das sub-bacias hidrográficas. tendo obtido peso de 30% no conjunto das quatro variáveis. Assim. seguida da concentração dessas lavouras na sub-bacia. Esta foi a variável considerada mais a importante. Inicialmente. cabeceiras. As notas atribuídas para cada sub-bacia traduziram uma escala ordenada que destaca com maiores valores as sub-bacias de maior presença de lavouras de café. considerou-se que sub-bacias hidrográficas com maior ocupação por lavouras. Nesse contexto. no que diz respeito à contaminação por agrotóxico. As variáveis. 4 ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental . essas variáveis objetivam definir as camadas de informação. c) Declividade – 20%. Para possibilitar essa análise de multicritérios. na dinâmica analisada. vez que uma das funções das matas ciliares é a retenção do solo das margens dos corpos d´água. O peso atribuído à variável “declividade” foi devido à sua interferência no escoamento superficial e no espalhamento dos poluentes. segundo o objetivo definido. que por sua vez são detalhados por componentes de legenda. apresentariam maior aplicação/dispersão dos agrotóxicos no ambiente. aplicou-se os critérios estabelecidos no art.

Assim. o roteiro metodológico da análise realizada no SAGA®. Definidos os pesos e notas das variáveis para a composição da síntese de vulnerabilidade ambiental dos mananciais superficiais. através do software Spring. h) aplicação do modelo de Análise de Multicritérios no software SAGA-UFRJ . mas mesmo assim recebeu peso de 10%.000. faixa que foi atribuída a nota máxima. g) conversão de mapas em formato vetorial para raster ou matricial – realizado no software ArcView Spatial Analyst.c) Declividades – estudo das faixas de declividade no terreno.. aumentando a declividade gradativamente até valores superiores a 47%. vez que representa o cenário de “alto risco”. Os mananciais ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 5 . Com o objetivo de esquematizar o roteiro metodológico empregado nesta etapa dos trabalhos. foram utilizados os dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – em escala de 1:50. foi utilizado o módulo Avaliação. j) seleção da sub-bacia para desenvolvimento de estudos detalhados. Outra informação de origem do IBGE foi a rede hidrográfica da área de estudo. uso do solo mais detalhado – procedimentos realizados utilizando o software ArcView 3D Analyst. e seus componentes de legenda receberam notas de 1 a 10. as notas mais altas foram atribuídas às regiões com menores altitudes ou maiores riscos de acúmulo de contaminantes.atribuição de pesos e notas para as variáveis que representam a importância de cada variável e de suas diferentes condições para a análise espacial de síntese de suscetibilidade ao impacto por poluentes ambientais. mas segundo os pesos atribuídos para cada variável. c) ajuste do histograma da composição RGB. maior concentração de áreas de cultivo. através de consultas as imagens do Google Earth. do SAGA-UFRJ. A Figura 2 apresenta. e composição do mosaico. tendo obtido peso de 20% no conjunto de quatro variáveis. Dessa forma. nas imagens LandSat. Esta variável foi considerada a de menos importância no conjunto das quatro avaliadas. segue a síntese: a) estudo das condições e adequabilidade de emprego de diferentes tipos de imagens de satélite em função dos objetivos do trabalho. produto da estereoscopia das bandas 3A e 3B com resolução de 30 metros. à dispersão de agrotóxicos por carreamento do produto solubilizado à água de chuva ou adsorvido ao solo. utilizou-se o MDT (Modelo Digital de Terreno) da imagem ASTER. A variável foi considerada a terceira mais importante no conjunto. sendo os maiores valores para as maiores declividades. b) correção radiométrica nas imagens LandSat. de forma esquemática. para elaborar o mapa “Grau de suscetibilidade de contaminação das águas”. importante referência na seleção das áreas de cultivo de café mais impactantes. f) elaboração dos mapas do conjunto de variáveis escolhidas – declividade. optou-se por determinar como “baixo risco” à faixa de declividade entre 0 e 5%. maiores declividades e menores altitudes. Correção do georreferenciamento das informações no ArcGis. A bacia escolhida no processo final seria aquela em que predominassem combinações de situações de maior ocorrência de lavouras em APPs. Nesse estudo considerou as áreas mais baixas como as mais propensas à acumulação de contaminante. i) avaliação dos resultados. que visou à caracterização geral do município e seleção da sub-bacia de análise. Na construção das interpretações topográficas. com as variáveis e respectivos pesos e notas considerados. ou seja: a relevância maior foi a relação com os cursos d´água e a concentração de lavouras. curvas de nível de 20 em 20 metros. com o objetivo de determinar áreas mais íngremes ou mais susceptíveis ao escoamento superficial (runoff) e. Desse modelo foram extraídas as informações de declividade e altimetria. através do software Spring. d) Hipsometria (altimetria) – estudo das faixas altimétricas. portanto. e as altitutes receberam notas que atribuem valor baixo para os pontos mais altos da topografia e valores mais altos para pontos mais baixos da topografia. representados na Árvore de Decisões (esquema que descreve o modo como as variáveis serão combinadas). Para construção dos dados topográficos. e) apoio visual para separação das áreas de cultivo do conjunto da cobertura vegetal. altimetria. d) processamento digital das imagens para produção do mapa de uso do solo por processo supervisionado. visando à melhor compreensão da morfologia do terreno. em ambiente digital.

devido à baixa variação topográfica. concentram-se nessa região declividades expressivas. pois foi dada maior importância para a concentração de lavouras e cultivo em APPs. dividida em seis sub-bacias. Já a porção sul da área de estudo. Nessa porção norte. que favorecem o processo de runoff do material poluente. a região a Nordeste é caracterizada por altas declividades. delimitas por montanhas muito altas. A porção norte do município é caracterizada por baixas elevações. além de ser muito acidentado e declivoso. com o suporte visual das imagens do Google Earth e com o apoio de imagens Rapid-Eye com resolução de 5 metros. de acúmulo de material por processo de descida das encostas. mas são expressivas. Já na porção norte. características que favorecem a perda de sedimentos por processos erosivos. e a porção mais a norte do conjunto apresentam altimetrias baixas e as declividades não são as maiores.(subterrâneos e superficiais) foram georreferenciados em campo e localizados sobre a rede hidrográfica. foram filtradas nas imagens Landsat. mas são altas cotas altimétricas. É importante lembrar que as variáveis de relevo (declividade e altimetria) foram consideradas na análise com o peso menor. Além disso. 6 ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental . do ponto de vista altimétrico. RESULTADOS A partir da interpretação dos mapas de altimetria e declividade pelo MDT – Modelo Digital de Terreno foi possível perceber a distribuição das unidades do relevo e do comportamento da declividade na área de estudo. possui os menores valores altimétricos e de declividades e representa a região de convergência dos afluentes do principal rio da região (Rio Manhuaçu). Dessa forma. a região sul do município de Manhuaçu consiste em uma grande área de deposição de sedimentos. Figura 2: Árvore de decisão do SAGA. Os dados de cobertura do solo. mais precisamente as áreas destinadas ao cultivo do café. nota-se um relevo com variações altimétricas e presença de áreas com deposições. o que significa um alto potencial.

O resultado foi bastante influenciado pela presença de áreas de cultivo em APPs e concentração de lavouras. indicando visualmente os graus de suscetibilidade de contaminação dos mananciais superficiais de abastecimento de água. apresentada na Figura 1). pelos agrotóxicos aplicados às lavouras de café. Figura 3: Visualização dos graus de suscetibilidade de contaminação dos mananciais. mas considerou também o fato de constituir área de variação altimétrica e com presença de regiões de deposição. pois foi atribuído maior peso a essas variáveis. utilizando o software SAGA-UFRJ. Observa-se que a porção norte do município apresentou alta suscetibilidade à contaminação por agrotóxicos (Sub-bacia 3.A Figura 3 ilustra o resultado da aplicação da técnica de multicritérios. e representar área de declividades acentuadas. . ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 7 .

Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa. Os atuais sistemas de informações podem. Brasil. fazendo previsões e modelos de simulação. para situar pontos de monitoramento das águas. SOARES.: il. S. a aplicação de agrotóxicos pode resultar na contaminação das águas inseridas em áreas agrícolas. Disponível em: <http://www. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA . Uso de agrotóxicos. Elaborado por ANTONIAZZI. No presente trabalho foi possível verificar que a porção norte do município. A. “Reflexões metodológicas como subsídio para estudos ambientais baseados em Análise de Multicritérios”.br/home/estatistica/populacao/atlas_saneamento/default_zip. Relatório apresentado por meio do Ofício GS-183/09. Acesso em nov. Atlas de Saneamento 2011. "Levantamento sistemático da produção agrícola". INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA . de 2010. Esse procedimento garantiu maior precisão no levantamento das áreas de cultivo e de toda a dinâmica de cobertura do solo da área escolhida. segundo complexa gama de variáveis. Superintendência de Epidemiologia. além de fazer análise dos dados existentes.IBGE. cada vez mais urbanizada. Rio de Janeiro: ASPTA . Programa de Avaliação e Vigilância do Câncer do Estado de Minas Gerais (PAV-MG). SECRETARIA VIGILÂNCIA DE SAÚDE DE MANHUAÇU (SVSM). O passo seguinte da avaliação foi detalhar. apresenta uma maior suscetibilidade de contaminação.br> Acesso em out. 2009. 5.gov. 7. Anais XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. No entanto. a partir de imagens de alta resolução (máximo de 5 metros). As habilidades desses sistemas proporcionaram uma revolução no modo de trabalhar e pensar nas áreas que usam a geografia e suas aplicações no mundo real. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 2011. das águas de abastecimento público. a bacia de estudo. LONDRES. Programa de Pós-Graduação em Saneamento. F. Rio de Janeiro. Flávia. 21-26 abril 2007. onde se encontra o manancial superficial do distrito de Dom Corrêa. contaminação de mananciais e análise da legislação pertinente: um estudo na região de Manhuaçu-MG. et al.shtm>. Manhuaçu-MG. Esse trabalho apresenta critérios para seleção de mananciais de abastecimento de água de forma a estabelecer prioridades no processo de tomada de decisões e adoção de ações de controle. Parque cafeeiro. 2011. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental . 190 p. O uso do SIG.ibge. B.ibge.abic. N. Agrotóxicos no Brasil: um guia para ação em defesa da vida. Disponível em: <http://www. tem produzido resultados de grande utilidade e com boa qualidade. Florianópolis.br>. por agrotóxicos. 2010. Disponível em <http://www.CONCLUSÕES Os agrotóxicos propiciam expressiva contribuição à produtividade de alimentos para atender ao crescimento exponencial da população mundial. 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ (ABIC). MOURA. INPE. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1.IBGE. Saneamento e Meio Ambiente. projetar e simular situações ideais e potenciais. Ana Clara M. 3. 2899-2906. Tese de Doutorado. o que leva ao entendimento das transformações e a proposição de medidas que minimizem os impactos ambientais. Meio Ambiente e Recursos Hídricos. A aplicação dos recursos de geoprocessamento permite a caracterização das condições de um ambiente.. 2011.com. 6. Acesso em: 16 abr. Café beneficiado – safra 2009. para o estudo de uma determinada situação complexa. p. 4. tais como técnicas de manejo do solo em áreas agrícolas e monitoramento das águas.gov. 2.