You are on page 1of 9

Lista de Exercícios 1

1. Qual é a Matriz Energética do Brasil, quais são as tendências mundiais das formas de geração de
energia elétrica? Você tem alguma ideia diferente das que existem hoje?
R. A Matriz energética brasileira está baseada em hidráulica, termo e eólica, vemos a tendência do
crescimento mundial da nuclear e as fontes renováveis. Existem estudos do uso das propriedades
dos materiais magnéticos.
2. Como seria o mundo sem a descoberta da Energia Elétrica? Em sua opinião, a sustentabilidade social
e econômica seria baseada em que forma de tecnologia?
R. Os avanços tecnológicos em todas as áreas como vemos hoje, principalmente na científica, não
o teríamos, o conhecer seria num ritmo mais lento. Sem a energia Elétrica teríamos desenvolvido
tecnologias baseadas na natureza: Vento, queda d água e etc. A energia elétrica é uma das mais
nobres formas de energia secundária. A sua facilidade de geração, transporte, distribuição e
utilização, com as conseqüentes transformações em outras formas de energia, atribuem à
eletricidade uma característica de universalização, disseminando o seu uso pela humanidade. No
mundo de hoje, eletricidade, como alimento e moradia, é um direito humano básico. Eletricidade é a
dominante forma de energia moderna para telecomunicações, tecnologia da informação, e
produção de bens e serviços.
3. Descreva o funcionamento de 3 formas de geração de energia vistas em sala de aula. O que há em
comum e as diferenças entre essas formas de geração de energia?
R. A Hidrelétrica utiliza como combustível a força das quedas d’água que vão girar as pás dos
geradores, A Termoelétrica utiliza como combustível qualquer material que na sua reação químico
possa fornecer calor suficiente para aquecer um reservatório de água até que a água atinja o seu
ponto de ebulição, o vapor deste processo é conduzido dentro de dutos até as pás que
movimentarão o gerador. A Eólica utiliza a força dos ventos para poder girar as pás conectadas aos
aero geradores. Igualdades e diferenças leia a questão 7.
4. Defina o efeito corona? Como o efeito corona interfere na transmissão de Energia Elétrica? Em que
condições e níveis de tensões ele surge?
R.O efeito corona normalmente aparece nas superfícies dos condutores das linhas de transmissões
de energia elétrica, em conseqüência dos níveis de tensões de operação, normalmente em Extra
Alta, das configurações de fixação dos condutores e das condições climáticas onde estão
construídas. Esse efeito ocorre devido às partículas de ar, de poeiras e a alta umidade (vapor d
água) encontrada em torno dos condutores, que quando submetido a um campo elétrico muito
elevado e intenso, tornam-se ionizadas e, como conseqüências, emitem luz. É bom ressaltarmos
que os efeitos corona provocam perdas de eletricidade que podem variar de alguns quilowatts até
algumas centenas de quilowatts por quilômetros, principalmente quando as linhas de transmissões
ficam sob condições adversas de chuvas ou garoa.
5. Descreva a rede de distribuição, quais os principais elementos e suas funções?
R. - Subestação Abaixadora ou Subestação de distribuição: Para ser distribuída pelos fios da
cidade, a eletricidade tem sua tensão reduzida em subestações abaixadoras através de
transformadores. A tensão de linha de transmissão é baixada para valores padronizados nas redes
de distribuição primária – 6, 11, 13.8, 15 e 34.5 KV. Uma subestação de distribuição geralmente tem
como características:
. Tem transformadores que reduzem a tensão de transmissão para a tensão de distribuição
. Tem um "barramento" que pode direcionar a energia para várias cargas;
. Geralmente há disjuntores e chaves, visando desconectar a subestação da rede de transmissão ou
desligar linhas que saem da subestação de distribuição quando necessário.
- Redes de distribuição: Das subestações distribuição primária (alta tensão), partem as redes de
distribuição secundária (baixa tensão). Finalmente, a energia elétrica é transformada novamente
para os padrões de consumo local e chega às residências e outros estabelecimentos – tensão
230/127V No Brasil há cidades onde a tensão fase neutro é de 220V – Região Norte, Nordeste e
outras em 110, 120 ou 127 V como região sul, São Paulo, Rio de janeiro. As redes de distribuição
nos centros urbanos também podem ser aéreas ou subterrâneas. Nas redes aéreas os
transformadores são montados nos próprios postes ou em subestações abrigadas. A entrada de
energia nas edificações é chamada de ramal de entrada. Como vimos as redes de distribuição são
trifásicas, mas as ligações para consumo podem ser monofásicas, bifásicas ou trifásicas de acordo
com a carga necessária:
. Até 15 KW – monofásica (um fase e um neutro)
. De 15 KW a 25 KW – bifásica (dois fases e um neutro)

a eletricidade pode percorrer longas distâncias pelas linhas de transmissão.Na Residência: Fora de uma casa comum existe um conjunto de postes com um condutor fase e um fio condutor terra (embora às vezes haja duas ou três fases no poste. normalmente fios de telefone ou de TV a cabo que utilizam os mesmos postes. vemos também transformadores cuja função é diminuir ainda mais a tensão.Aumento da disponibilidade do sistema – a operação integrada acresce a disponibilidade de energia do parque gerador em relação ao que se teria se cada empresa operasse suas usinas isoladamente. como por exemplo.Mais econômico . Maior que 25 KW – trifásica (três fases e um neutro) No alto dos postes. sustentadas por torres.Aumento da estabilidade – sistema torna-se mais robusto podendo absorver. Essa subestação em particular produz dois níveis de tensão. Quais serão as tendências futuras para a distribuição de energia elétrica? R. dependendo de onde a casa está localizada na rede de distribuição). Vide as perguntas 5 e 10. pois as correntes seriam muito elevadas e as quedas de tensão e perda de potência inviabilizam técnica e economicamente as transmissões. Com a elevação da tensão. Em alguns postes. . chegando a tensão de 127/230 volts. Descreva uma subestação. R. há um transformador.Aumento da confiabilidade – permite a continuidade do serviço em decorrência da falha ou manutenção de equipamento. . Desse modo. a necessidade de sistemas de transmissão em tensão superior à da geração se deve a impossibilidade de transmitir diretamente a potência elétrica gerada nas usinas. biomassa. a tensão é elevada em subestações próximas à usina e vai sendo diminuída até a entrada da edificação. O intercâmbio de energia está baseado no pressuposto de que a demanda máxima dos sistemas envolvidos acontece em horários diferentes.permite a troca de reservas que pode resultar em economia na capacidade de reservas dos sistemas. O quarto cabo mais abaixo é o fio terra. R. Pequenos produtores quando operando interligados à rede de distribuição em baixa tensão dão origem a um novo tipo de sistema de potência denominado de Microredes. Cite 3 motivos porque o Brasil adotou a interligação do seu sistema de energia. ou trecho de rua. 6.A rede elétrica é pública e seu sistema de distribuição pode ser visto através dos cabos que estão presentes nas ruas da cidade e estradas.Subestação Elevadora – Subestação de transmissão: Como já foi citada. 7. . 9. Os 230 ou 127 volts entram em sua casa através de um típico wattímetro. perde-se certa quantidade de energia. sem perda de sincronismo. Para diminuir as perdas. a energia hidroelétrica para outro sistema cuja fonte geradora apresenta custo mais elevado. Descreva uma rede de transmissão e os principais elementos que a compõem. os três cabos que normalmente observamos são os três cabos para a energia trifásica. maiores impactos elétricos. utiliza-se uma subestação elevadora junto à geração de energia para elevar a tensão elétrica. gás e etc. ou ainda devido às alternativas de rotas para fluxo da energia. de modo que a energia possa ser usada nas edificações. nesse nível de tensão. Quanto a interligação do sistema de energias: . De comum é que todas as três necessitam de uma transferência de energia mecânica para converter em energia elétrica. As redes de energia elétrica deverão em um futuro não longínquo permitir que seus usuários exerçam um papel ativo na cadeia de suprimento de energia elétrica. então. Durante esse percurso. . Idem 7 10. O que há em comum e diferenças nas 3 principais formas de geração no Brasil? Cite 3 motivos porque o Brasil adotou a interligação do seu sistema de energia. é comum terminais para uma ou duas das fases escoarem pelas ruas laterais. . A nova tendência internacional é de liberalização do mercado de energia elétrica com o estabelecimento de comércio de energia on-line e de consumidores com o direito de escolher seu supridor de energia elétrica. O trabalho do transformador é reduzir a voltagem de transmissão para os 230 ou 127 volts usados nas instalações elétricas residenciais normais. R. A eletricidade percorre longas distâncias para chegar até seu destino. e as diferenças estão nos combustíveis que geram energia mecânica ( água. o que geralmente acontecerá em outra subestação ou em transformadores menores em algum lugar da linha. . vento. Da usina até o ponto de utilização a energia se utiliza de um sistema chamado de rede de distribuição de energia. qual a sua utilidade ao longo do percurso da energia elétrica? R. Em cada casa. 8. O intercâmbio pode também ser motivado pela importação de energia de baixo custo de uma fonte geradora.) . As redes de energia elétrica deverão em um futuro não longínquo permitir que seus usuários exerçam um papel ativo na cadeia de suprimento de energia elétrica. Assim.Terminais: Uma casa precisa de apenas uma das três fases. Muitas vezes veem-se cabos extras.. urânio. . a potência gerada nas usinas pode ser transmitida em correntes inferiores a da geração o que viabiliza as transmissões. a tensão mais alta precisa ser reduzida novamente. .

440 e 500 KV . este processo de reestruturação foi desencadeado com a criação de um novo marco regulatório. R. c) Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico – CMSE: Constituído no âmbito do MME e sob sua coordenação direta. Indique as faixas de tensões padrões em cada etapa do percurso da energia. 11. a revisão periódica da matriz energética e a definição de diretrizes para programas específicos. estão os sistemas em distribuição em CA: . e a abertura do mercado de energia elétrica. com a função precípua de acompanhar e avaliar permanentemente a continuidade e a segurança do suprimento eletro energético em todo o território. No Brasil. . distribuição.Alta Tensão – 138 ou 230 KV Todas as torres da figura possuem três cabos.até chegar às proximidades de onde será consumida. Entre a geração e a distribuição. Mostre o esquema da estrutura de um sistema de Energia desde a Geração até a área de consumo. A energia trifásica (sinais de tensão e corrente CA) sai do gerador e segue para a subestação de transmissão na usina elétrica. visando. Para gerenciar este novo modelo do setor elétrico. As tensões típicas para a transmissão de longa distância variam de 155 mil a 765 mil volts. d) Empresa de Pesquisa Energética – EPE: Empresa pública federal vinculada ao MME tem por finalidade prestar serviços na área de estudos e pesquisas destinados a subsidiar o planejamento . sendo um para cada fase. No modelo atual os sistemas elétricos são tipicamente divididos em segmentos como geração. O setor elétrico mundial tem passado por amplo processo de reestruturação organizacional. para a transmissão de longa distância através da rede de transmissão. A distância máxima de uma transmissão típica é de aproximadamente 483 km. do planejamento e da implementação de ações do Governo Federal no âmbito da política energética nacional. o Governo Federal criou a estrutura organizacional apresentada na Figura 1. Algumas torres possuem cabos extras correndo ao longo de seu topo. a) Conselho Nacional de Política Energética – CNPE: Órgão de assessoramento do Presidente da República para formulação de políticas nacionais e diretrizes de energia. e comercialização. O MME detém o poder concedente.Extra Alta Tensão – 345. Em quais etapas os consumidores podem ser atendidos? 12.27 e definida a seguir. Descreva a Estrutura organizacional do setor energético brasileiro. dentre outros. Essa subestação utiliza grandes transformadores para elevar a tensão do gerador até tensões extremamente altas. transmissão. b) Ministério de Minas e Energia – MME: Encarregado de formulação. a desestatização das empresas do setor elétrico.Ultra Alta Tensão – acima de 765KV .Linhas de Transmissão São enormes torres que conduzem a energia das usinas até os centros urbanos em condições de alta tensão. Estes são cabos aterrados e tem como função atrair raios. o aproveitamento natural dos recursos energéticos do país.

R. Paranaíba. com finalidade de regular a fiscalização.ABRACEE: Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres. f) Operador Nacional do Sistema Elétrico – NOS: Pessoa jurídica de direito privado. Tietê. sob regulação e fiscalização da ANEEL. Descreva a características do setor elétrico brasileiro. g) Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE: Pessoa jurídica de direito privado. São Francisco. Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica . Eletronorte. CEEE.SIN. ELETROSULCentrais Elétricas S. CESP. a produção. Furnas. com autorização ou concessão para produzir energia destinada ao comércio de toda ou parte da produção por sua conta e risco. A maior parte da capacidade instalada é composta por usinas hidrelétricas.100 empreendimentos em operação . .Geração de Energia Elétrica no Brasil: O sistema de produção e transmissão de energia elétrica do Brasil pode ser classificado como hidrotérmico de grande porte. Paranaíba. COPEL Transmissão S. São os casos das bacias dos rios Tocantins. CGTEE (Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica) e Eletronuclear. R. .ABRATE: Associação Brasileira de Grandes Empresas de Transmissão de Energia Elétrica. DUKE-GP. Empresas associadas: AES TIETÊ. o maior de seu gênero no Hemisfério Sul. ELETRONORTE. h) Agências Estaduais de Energia Elétrica: Nos estados foram criadas as Agências Reguladoras Estaduais com a finalidade de descentralizar as atividades da ANEE. transmissão. o Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica (Luz para Todos) e o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). CDSA. ELETRONORTE. sem fins lucrativos. sob regulação e fiscalização da ANEEL. A ANEEL detém o poder regulador e fiscalizador. Paraná. CEMIG. Os reservatórios nacionais situados em diferentes bacias hidrográficas. Uruguai e Jacuí onde se concentram as maiores centrais hidrelétricas. . que não têm nenhuma ligação física entre si. i)Eletrobrás: vide questão 13 j) Agentes Setoriais: Agentes relacionados ao setor de energia elétrica. Eletrosul.A. Furnas Centrais Elétricas AS. 13.851. A CCEE é responsável pela operação comercial do sistema.ABEER: Associação Brasileira das Empresas de Energia Renovável . tem por objetivo executar as atividades de coordenação e controle da operação de geração e transmissão.A. distribuição e comercialização de energia. . COPEL. além disso. CHESF.ABRADEE: Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica. Descreva a Eletrobrás. em conformidade com as políticas e diretrizes do Governo Federal. . funcionam como se fossem vasos comunicantes interligados por linhas de transmissão. LIGHT. A capacidade de geração do Brasil em 2008 é de 104. TRACTEBEL ENERGIA. sem fins lucrativos.ABRACEEL: Associação Brasileira dos Agentes Comercializadores de Energia Elétrica. como o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). Os PIs têm como garantia o livre acesso aos sistemas elétricos. . Iguaçu. O ONS é responsável pela operação física do sistema e pelo despacho energético centralizado. com forte predominância de usinas hidrelétricas e com múltiplos proprietários.do setor energético. que se distribuem em 12 diferentes bacias hidrográficas nas diferentes regiões do país de maior atratividade econômica. A empresa possui ainda 50% da Itaipu Binancional e também controla o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel).A.Transmissão de Energia Elétrica no Brasil: As linhas de transmissão no Brasil costumam ser extensas. . Grande. no âmbito do SIN (Sistema Interligado Nacional). CTEEP. com um total de total 2. com finalidade de viabilizar a comercialização de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional . CHESF. A Eletrobrás dá suporte a programas estratégicos do governo federal. EMAE. A Figura 1. porque as grandes usinas hidrelétricas geralmente estão situadas a distâncias .CEEE GT. têm autonomia para fechar contratos bilaterais de compra e venda de energia elétrica. sua contabilização e liquidação. 14.ABRAGE: Associação Brasileira das Empresas Geradoras de Energia Elétrica. e) Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL: Autarquia vinculada ao MME. FURNAS.356 kW de potência. A Eletrobrás controla grande parte dos sistemas de geração e transmissão de energia elétrica do Brasil por intermédio de seis subsidiárias: Chesf.APINE: Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica – Os produtores independentes (PIEs) são empresas ou grupo de empresas reunidas em consórcio. Empresas associadas (48 dentre as 67 concessionárias de distribuição): dentre muitas está a CELESC – CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA CATARINA S. Empresas associadas: CEMIG. Paranapanema. Administra os contratos de compra e venda de energia elétrica.28 apresenta as agências reguladoras estaduais.

A-3 . • Horário Fora de Ponta .Os consumidores são monitorados nos seguintes parâmetros: Consumo.Corresponde ao intervalo de 3 horas consecutivas. Vide Texto Abaixo. média tensão (MT) ou alta tensão (AT).Residencial. (c) fator de potência e (d) diferentes tipos de tarifas. A Tarifa Azul aplica-se às unidades consumidoras que possuem processo produtivo contínuo e enquadram-se no Grupo A.Iluminação Pública. Para a elaboração das faturas os consumidores finais (indústrias. de norte a sul. Quais são as diferenças entre tarifação residencial e industrial? O que significa o termo Ponta e Fora de Ponta? O que é tarifa Verde e Azul? R. Como funciona o relógio de medição de energia elétrica? R. Período Seco e Úmido. e B-4 .88 a 138 kV.69 kV. Pois. a legislação brasileira permite às concessionárias calcular as faturas em função do: (a) consumo (kWh).3 a 13. Hoje o país está quase que totalmente interligado. Esta é opcional aos consumidores do Grupo A tipos A-3a.3 a 13.Não Residencial Nem Rural. o que significam os termos Ponta e Fora de Ponta? O que eles interferem na conta final do consumidor? Existem outros parâmetros que podem interferir nesta composição? R. a Tarifa Verde aplica-se a consumidores com capacidade de modulação do processo produtivo.Alta Tensão A-1 .2.Grupos de Consumidores Grupo A . A-4 e AS.30 a 44 kV. comércio e outros). .8 kV.Baixa Tensão B-1 .2. seja em baixa tensão (BT). Apresenta-se no Quadro 2 os ítens considerados nos cálculos das faturas ao aplicar as tarifas Azul e Verde. Grupo B .S. ajustado de comum acordo entre a concessionária e o cliente. este aumento é percebido para os consumidores das tarifações Azul e Verde. Quadro 2 . Tarifa Azul Demanda na Ponta Demanda Fora de Ponta Consumo na Ponta Consumo Fora de Ponta Tarifa Verde Demanda Consumo na Ponta Consumo Fora de Ponta 17. (b) demanda (kW). Enquanto.Sistemas de Distribuição no Brasil: Os sistemas de distribuição de energia elétrica no Brasil incluem todas as redes e linhas de distribuição de energia elétrica em tensão inferior a 230 kV. • Horário de Ponta . residências. B-1 . situado no período compreendido entre as 18h e 21h e durante o horário de verão e das 19h à 22h. .Residencial Baixa Renda. B-3 .Ítens considerados nos cálculos de faturas de energia elétrica para as tarifas Azul e Verde. A-2 e A3 e opcional aos demais. 15. .Rural. A-4 .8 kV (Subterrâneo). B-2 . Para a adoção de estratégias para a otimização do uso de energia elétrica faz-se necessário o perfeito conhecimento da sistemática de tarifação. 16.230 kV ou mais.Corresponde às horas complementares ao horário de ponta. Quais as três formas básicas de monitoração de Energia Elétrica pela concessionária? Sobre os sistemas de tarifação. são classificados em dois Grupos conforme o Quadro 1 Quadro 1 . Nos horários de Ponta o preço da energia é maior devido ao aumento de consumo na rede. e A. Demanda e Fator de Potência. propriedades rurais. A-2 .consideráveis dos centros consumidores de energia. A-3a . A adoção desta é obrigatória aos consumidores dos tipos A-1.

8  0.50. Calcule o total de consumo de energia elétrica dos seguintes eletrodomésticos no período de 30 dias: a) Chuveiro de 7500 W.5)  ((0.00  33.49)  ((0.5)  ((0. Sua principal aplicação é na medição de energia elétrica de consumidores residenciais.1. Medidores Monofásicos de Energia Os medidores monofásicos de energia elétrica do tipo indução são bastante utilizados devido a sua robustez mecânica. Faça uma estimativa de gasto de sua conta de energia elétrica dos seguintes eletrodomésticos: a) Chuveiro de 6800 W.23  44. Considere a tarifação de energia elétrica a R$ 0. 1. b) Medidor monofásico de três fios. Fc  ((7.3  8  30)  0. isto é. R$). 2. R$/KWH). 6h de uso diário. uma bobina de tensão e duas bobinas de corrente. 7 min de uso diário.45  5  30)  0. Rosales) 1 Medidor de Energia elétrica do tipo indução A medição da energia elétrica possibilita a concessionária fazer um faturamento adequado da quantidade de energia elétrica consumida por cada usuário. A formula: Fc  C  Tc .49/KWH. É constituído de um ou dois motores. É constituído de um ou três motores. R$/KWH). três bobinas de tensão e três bobinas de corrente. A formula: Fc  C  Tc .75 19.50  6  30)  0.2 – Medidores polifásicos a) Medidor polifásico de três fios. c) Computador de 450 W.00  90. É constituído de um motor. b) Televisor de 500 W. c) Ar condicionado de 1300 W. lembre que a energia consumida é medida em KWH (quilo watts hora).5  0. R.75  R$174. 5h de uso diário. uma bobina de tensão e uma bobina de corrente. onde: Fc(valor da fatura. 5 pessoas. que apresentam baixo consumo. R. KWH) e Tc(tarifa de consumo.1.49)  ((1. C(Consumo de energia elétrica do equipamento medido no mês.5  30)  0.28  R$116.Medidores monofásicos a) Medidor monofásico de dois fios. lembre que a energia consumida é medida em KWH (quilo watts hora). 3 pessoas..25  24  30)  0. 8h de uso diário no verão.1. b) Medidor polifásico de quatro fios. dentro de uma tarifa pré-estabelecida. Fc  ((6. onde: Fc(valor da fatura em R$).1 Classificação dos medidores de energia elétrica Os medidores de energia elétrica do tipo indução se classificam em duas famílias: medidores monofásicos e medidores polifásicos. duas bobinas de tensão e duas bobinas de corrente. Os equipamentos utilizados para este propósito são chamados de medidores de energia elétrica. Considere a tarifação de energia elétrica a R$ 0. b) Refrigerador de 250 W. Dr. É constituído de um motor. C(Consumo de energia elétrica medido no mês. 1. 2.61 Questão 15 – Medidores de Energia Elétrica (Material da DEE/UFCG Campina Grande .10  59. Estrutura dos medidores de Indução A Figura 1 mostra o medidor de indução: .12  30)  0.Prof. 1. KWH) e Tc(tarifa de consumo.18. Para elevado consumo de energia elétrica as concessionárias geralmente utilizam medidores eletrônicos ou que empreguem outra forma de tarifação de energia elétrica. elevado grau de confiabilidade e baixo custo de fabricação. 10 min de uso diário.5) Fc  51.49) Fc  13.1 .

d) Mostrador usado para indicar a energia elétrica consumida. ligada em paralelo com a carga.Figura 1: Estrutura do Medidor de Indução Esse tipo de medidor é constituído pelas seguintes partes: a) Uma bobina de potencial fortemente indutiva. f) Ímã permanente usado para frenar ou amortecer o disco. e) Um disco de alta condutibilidade usado para acionar um sistema mecânico que altera o mostrador. O mostrador pode ser de dois tipos: ciclométrico (Figura 2) ou ponteiro (Figura 3) Figura 2: Mostrador tipo ciclométrico Figura 3: Mostrador tipo ponteiro . b) Uma bobina de corrente ligada em série com a carga. c) Núcleo de lâminas formado por um material ferromagnético.

etc. Mecanicamente estão dispostos de maneira que quando a fase dos campos forem concordantes os campos se somam e o motor gira na melhor eficiência. O fluxo da bobina de corrente φi ao atravessar o disco.5). 3. O fenômeno descrito acima é o da interação eletromagnética.4) (1. dando origem a um conjugado em relação ao eixo de suspensão do disco M. e display luminoso. que consistem em colocar um dispositivo apropriado com a finalidade de introduzir um conjugado no disco. adiantando ou retardando o seu movimento. O mesmo ocorre para o fluxo da bobina de potencial φv.2) e (1. Ele é composto por quatro relógios. o principio é o mesmo de um motor elétrico. Veja como é fácil fazer a sua leitura: .4) e da bobina de corrente (1. Princípio de funcionamento Quando um condutor de comprimento L é percorrido por uma corrente i e se encontra na presença de um campo magnético B. cuja equação é dada por: F B i L sen b (1. irá surgir uma força cujo sentido será estabelecido pela regra da mão esquerda. Leitura no Medidor Analógico O tipo mais comum de medidor de energia elétrica é o Analógico ou de ponteiros. C2 k2'wf i f v sen(-q ) C1 k1'wf i f v sen(-q ) Cm k'wf i f v sen(-q ) (1. As correntes de Focault induzidas no disco são dadas pelas equações (1. fazendo o disco girar. Esse freio é composto por um disco de alumínio girando dentro de um campo magnético. o qual proporciona a frenagem correta e é isento de desgaste. tem memórias para guardar os resultados. Para amenizar este problema são utilizados vários artifícios. Como a bobina de potencial é fortemente indutiva. que ao atravessar o disco induzirá uma corrente iv que irá interagir com o fluxo da bobina de corrente φi. O medidor propriamente dito atua como um motor acionado por campos magnéticos vindos da bobina de tensão e da bobina de corrente. induzirá uma corrente iI que irá interagir com o fluxo da bobina de potencial φv.5) (1.6) Todo medidor vem especificado com o valor da constante Kd. expressa em watt-horas. No caso de medidores industriais além do consumo de energia ativa. Cada ponteiro gira 10 vezes mais que o antecessor. pico de consumo.1. 4.com. são feitas outras medições: reativos.br/reforma-construcao/relogio-medidor- energia/) No medidor tipo mecânico. o seu fluxo φv é atrasado 90°. Quando o consumo da carga for reativo (motores elétricos principalmente) as fases estão deslocadas e o campo magnético diminue. contando unidade por unidade. O eixo do motor tem um freio magnético para que o movimento seja coerente com o consumo. resultando em um conjugado que será sempre no mesmo sentido do anterior.6) gerado no eixo de rotação M será a soma dos conjugados da bobina de potencial (1. formando assim uma contagem de 4 décadas.1) Onde: é o ângulo entre o campo magnético B e a direção de i L.3). (no caso de 4 ponteiros) com medições até 10 KW/hora. Dinâmica do funcionamento (http://www.O mostrador ciclométrico possui a vantagem com relação à facilidade de leitura. que representa o valor da energia elétrica registrada por revolução do disco. porém apresenta um maior atrito nos pontos de apoio no eixo M e no sistema de engrenagens. no caso de medidores eletrônicos a medição é feita totalmente sem partes mecânicas. os medidores de indução seguem esse princípio. descritas abaixo: O conjugado resultante (1. cujo eixo está acoplado ao mostrador com engrenagens e ponteiros. Este é o principio resumido de funcionamento do medidor. obviamente. 4.fazfacil. em relação ao fluxo da bobina de corrente φi.

na sua conta de luz. Leitura no Medidor Digital (Eletrônico) Apresenta os algarismos em formato digital.: caso. 2. Nesse tipo de relógio de luz. você deverá subtrair da leitura atual a última leitura do mês anterior. que consta no campo “Leitura” no texto “Informações de Leitura” da sua conta de energia elétrica. 3. Exemplo: Leitura atual: 5084 4. deverá ser considerado o menor valor. anote o último número ultrapassado pelo ponteiro de cada um dos quatro relógios.” 4. . Exemplo: Leitura mês anterior: 4869 Consumo Parcial = 5084 kWh (leitura atual) .4869 kWh (leitura anterior) = 215 kWh Obs. Para fazer o cálculo de seu consumo parcial. Sempre que o ponteiro estiver entre dois números. Repare que os ponteiros giram no sentido horário e anti-horário.2. funcionando como um registrador de quilometragem percorrida por um veículo. e sempre no sentido crescente dos números. Comece a leitura pelo marcador da unidade localizado à sua direita na figura. este procedimento pode ser realizado periodicamente. Para efetuar a leitura. do menor para o maior número. multiplicar o consumo parcial pelo valor da constante para chegar ao número de kilowatts gastos no período. os números que aparecem no visor já indicam o valor da leitura. ou seja. “Para que você tenha um maior controle do seu gasto mensal de energia.1. o campo constante seja diferente de 1.