You are on page 1of 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ

INSTITUTO DE FÍSICA E QUÍMICA - IFQ

EXPERIMENTO 5 - CORROSÃO
Relatório submetido à Professora Daniela
Sachs

pelas

Bitencout

(R.A.

alunas

Abhner

29936),

França

Gabriella

de

Miranda Grosso (R.A. 29831) e Luigi
Eduardo Sica Nery (R.A. 29815) para
avaliação na disciplina de Laboratório de
Química Geral Experimental (QUI112) do
curso

de

graduação

de

Engenharia

Eletrônica da Universidade Federal de
Itajubá.

ITAJUBÁ
2 de julho de 2014

mudando drasticamente. a qual evita a corrosão do mesmo. elasticidade. concentração e a presença de outros compostos químicos. edifícios. Deste modo. quando seu estado de oxidação é zero. máquina. Outro exemplo é o processo de galvanoplastia. Apesar do uso cotidiano. Ao ser corroído pela ação do oxigênio e da umidade do ar. água. as propriedades físicas do material. muitos dos metais danificam-se quando expostos ao meio. que nada mais é que o revestimento do ferro por um metal que tem o potencial de oxidação maior que o dele. O cobre. esse metal de sacrifício sofre oxidação no lugar do ferro na eletrólise e ferro fica protegido. uma película naturalmente é formada. o ferro perde elétrons e seu estado de oxidação pode variar entre +2 e +3. altas temperaturas de fusão e de ebulição. os cátions podem formar óxidos. é um dos metais de mais importância nos dias de hoje.OBJETIVO: Observar os efeitos da corrosão do Ferro. O ferro. Dito isso. dureza e brilho (amarelado ou prateado). pois ao se oxidarem. é necessária a proteção dos metais contra os agentes externos. muito utilizado em enlatados. automóveis. pois sofrem oxidação. etc. A corrosão de um metal é a transformação química desse material devido a fatores externos como ar. em alguns casos. na produção de aço e esse é está presente em ferramentas. Assim. é um exemplo de metal que não precisa dessa proteção. maleabilidade. Um deles é o revestimento com estanho ou tintas a base de polímeros. . Existem vários mecanismos para evitar a oxidação do ferro. É muito utilizado. Essa oxidação nada mais é do que a corrosão do material. pH. o qual é utilizado desde antes de Cristo. INTRODUÇÃO O metal é um elemento químico que se caracteriza pela boa condutibilidade elétrica e térmica.

O nível da coluna de água foi marcado (7. foi colocada água no béquer até sua metade.5 cm de altura (figura 2).RESULTADOS E DISCUSSÃO Os procedimentos experimentais 1. fazendo com que a água entrasse em contato com a palha de aço. água.CORROSÃO DO FERRO NA ATMOSFERA Os materiais utilizados foram: palha de aço.Montagem do experimento I Após 3 semanas. Feito isso. Figura 1 .5 cm de altura). PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL I . 1. um tubo de ensaio e um béquer de 150 mL. Primeiramente foi colocado um pedaço da palha de aço no fundo do tubo de ensaio e esse foi enchido de água. totalizando 9. pudemos observar que a altura da coluna de água aumentou 2 cm. Os demais foram preparados e observados nesse mesmo dia. O tubo de ensaio foi emborcado no béquer como mostra a figura 1. 2 e 3 foram preparados no dia 11 de junho e seus resultados observados no dia 2 de julho. .

 4 OHE assim. água. ácido sulfúrico (3. hidróxido de sódio (0. necessitou-se de H+ para equilibrar o excesso de OH-. ácido sulfúrico concentrado. ácido clorídrico (3 mol/L). Com os oito tubos no suporte.Experimento I após 3 semanas da sua montagem Isso ocorreu. isso pode ser observado na equação geral do experimento: 2 Fe + O2 + 3 H2O → 2 Fe(OH)3 2. diminuindo a pressão dentro do tubo e. foi colocada uma solução diferente em cada tubo. com o oxigênio foi consumido. ácido clorídrico (6 mol/L). o volume de água aumentou. suporte para tubos de ensaio. Já a palha de aço oxidou-se (Fe(s)  Fe2+  Fe3+) formando a ferrugem (Fe(OH)3). pois o no processo de oxirredução no interior do tubo de ensaio. cloreto de sódio a 5% e películas de parafina.2 cm Figura 2 .1 mol/L). Primeiramente os tubos de ensaio foram numerados de 1 a 8 e no interior de cada um foi colocado um prego. conforme a tabela 1. então. o oxigênio foi reduzido.CORROSÃO ÚMIDA DO FERRO Os materiais utilizados foram: 8 pregos de ferro. Deste modo. 8 tubos de ensaio. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL II .5 mol/L). como mostra a equação: O2 + 2 H2O + 4 e. .

Fe(OH)3) Depósito laranja e preto (Fe(OH)3 + cloreto de ferro (FeCl3)) Depósito laranja e preto (Fe(OH)3 + (FeCl3)).TUBO 1 Água da torneira TUBO 2 HCl (3 mol/L) TUBO 3 HCl (6 mol/L) TUBO 4 NaOH (0. No tubo A foi colocada água da torneira até a metade da altura do prego e .Relação entre tubos de ensaio e suas soluções Feito isso. dois tubos de ensaio. película de parafina. Foi colocado um prego em cada um dos tubos. esses identificados como tubo A e tubo B.Fe(OH)3) em maior quantidade que no Tubo 1. água da torneira e cloreto de sódio a 5%.Anotações a partir da observação dos tubos de ensaio após 3 semanas da sua montagem 3.5 mol/L) TUBO 6 H2SO4 concentrado TUBO 7 NaCl a 5% TUBO 8 Apenas o prego Tabela 1. Após três semanas. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL III . o cloreto de ferro em maior quantidade que no Tubo 2 Nada ocorreu. pode-se observar os seguintes resultados (tabela 2): TUBO 1 TUBO 2 TUBO 3 TUBO 4 TUBO 5 TUBO 6 TUBO 7 TUBO 8 Depósito laranja (ferrugem . pois o NaCl facilita o transporte de elétrons aumento a velocidade da reação (corrosão do Ferro) O prego apresentou um pouco de ferrugem em seu comprimento Tabela 2 .CORROSÃO NA LINHA D'ÁGUA Os materiais utilizados foram: 2 pregos de ferro. pois em pH básico não ocorre oxidação Depósito azulado (sulfato de ferro Fe2(SO4)3) Apenas houve a turvação da solução devido a menor quantidade de água Depósito laranja (ferrugem .1 mol/L) TUBO 5 H2SO4 (3. todos os tubos foram vedados com películas de parafina para isolar cada sistema.

Também vale ressaltar que o ocorrido nos tubos A e B foi o mesmo que nos tubos 1 e 7 do Experimento II (figura 3). lâminas de ferro e zinco unidas por um feio de cobre e lâminas de ferro e cobre unidas por um fio de cobre.Experimento III após 3 semanas da sua montagem 4. porém no lugar da água. indicador ferroxílico (K3[Fe(CN)6]). solução de cloreto de sódio. parte catódica. 4. após alguns minutos a solução ficou esverdeada. . PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL IV . sofrendo uma oxidação mais lenta. está em contato direto com o oxigênio. assim. mostrando a presença de Fe3+. foi colocado o prego. Considerando que o sal acelera a oxidação do Ferro. uma oxidação mais intensa e uma maior corrosão.CORROSÃO GALVÂNICA Os materiais utilizados foram: 2 béqueres de 50 mL.no tubo B foi feito o mesmo. foi colocado o NaCl. No vidro de relógio. parte anódica. houve a maior corrosão do prego na linha d'água do que na parte submersa do prego. Ambos os tubos foram vedados com a película de parafina. duas gotas da solução de NaCl e o indicador ferroxílico. Após três semanas.VERIFICAÇÃO DAS ÁREAS ANÓDICAS E CATÓDICAS Os materiais utilizados foram: 1 prego de ferro. Tubo A Tubo B Figura 3 . Já a extremidade submersa. sofrendo. está em menor contato com o oxigênio. fenolftaleína. 1 vidro de relógio. pode-se observar a maior corrosão do prego no tubo em que se colocou o sal (tubo B). solução de cloreto de sódio e indicador ferroxílico (K3[Fe(CN)6]). nesse tubo. Ademais. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL V . A parte do prego da linha d’água.

nesse caso.No primeiro béquer. pois o zinco é mais reativo que o ferro. Cu0 No segundo béquer. a solução tem a coloração verde ao seu redor. Depois de alguns minutos. Posteriormente. pode-se observar a oxidação do ferro e a redução do cobre (figura 4). Isso ocorre. Fe0 . Sua equação é dada por: Fe0  Fe2+ + 2 eJá o cátodo é onde ocorre a redução. como não é encontrado o íon Fe2+. do cobre. as lâminas de ferro e cobre unidas por um fio de cobre foram mergulhadas na solução indicadora. portanto. Figura 4 . Posteriormente. nesse caso. as lâminas de ferro e zinco unidas por um fio de cobre foram mergulhadas na solução indicadora. pois o zinco protege sua corrosão. Por ocorrer a formação de Fe2+. foi colocada a solução de NaCl. pode-se observar que o ferro não oxidou. Depois de alguns minutos. a fenolftaleína e o indicador ferroxílico. Sua equação é dada por: Cu2+ + 2 e. rosando a solução ao redor da lâmina. Os íons Cu 2+ ligados a hidroxila da água formam a base hidróxido de cobre. A solução toda fica rosada e.Experimento IV após alguns minutos da sua montagem O ânodo é onde ocorre a oxidação. a fenolftaleína e o indicador ferroxílico. não há traços de esverdeamento da mesma. do ferro. Nesse caso é o zinco é oxidado (ânodo) e sua equação é dada por: Zn0  Zn2+ + 2 eE. foi colocada a solução de NaCl. o ferro é reduzido (cátodo) e sua equação é dada por: Fe2+ + 2 e.

3ª ed. Moderna: São Paulo. Foi percebido. devido a maior reatividade do zinco com relação ao ferro. o zinco é denominado metal de sacrifício. pode-se observar uma diminuição no volume de ar contido no tubo de ensaio. de forma visual. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PERUZZO. com explicação no consumo de oxigênio para a formação dos compostos oxidados do ferro presente na palha de aço. 760 pp. CANTO. os resultados da reações de oxirredução e os fatores que interferem na mesma. 2007. com o segundo e terceiro experimentos com o prego. concluiu-se que nas reações onde o pH fosse menor que 7 ocorreu a oxidação e essa foi acelerada em soluções que continham NaCl. Em seguida. percebeu-se que o primeiro sofre a oxidação no lugar do segundo. Com todos os experimentos foi possível observar. . Por isso. também.. No ultimo experimento. Eduardo Leite do. que a oxidação do ferro contido nos pregos foi acentuada na interface água-ar.CONCLUSÃO Foram observados e discutidos os resultados dos experimentos nas diversas situações. Francisco Miragaia. No primeiro experimento. Química na abordagem do cotidiano.