20/4/2009

Arquitetura Românica
ALGUMAS IGREJAS ROMÂNICAS FAMOSAS Itália Central S. Miniato, Florença (iniciada por volta de 1013); S. Martinho, Luca (1060-1204; Catedral de Pisa (1063-92); Batistério, Pisa (1153-1278); Torre Inclinada, Pisa (1174); Catedral de Pistola (1150); Claustros de São João de Latrão (1234) e São Paulo-fora-dos-Muros, Roma (1241). Itália Setentrional: Santo Ambrósio, Milão (1088-1128); Santo Antônio, Placência (1104); , ( ); S. Miguel, Pavia (cerca de 1117); S. Zeno o Grande, Verona (1138); Batistérios em Asti (1050), Cremona (1167) e Parma (1196-1270). Itália Meridional: S. Nicolau, Bari (1087-1139); Catedral de Bitonto (cerca de 1090). Igreja Abacial de Cluny (1089-1131); Santa Madalena, Vézelay (1089-1206). Saint-Front de Périgueux (fachada 1120) França Setentrional: Abadia de Bernay (1050); Abadia de Monjas, Caen (1062-1140); Abadia de Saint-Denis (1137-44); também as igrejas em Bernières, São Jorge (Boscherville), Ouistreham, etc.; e ruínas, por exemplo, a Abadia de Jumíèges. Alemanha Catedral de Trèves (1016-47); Igreja dos Apóstolos Colônia (1035 1220); (1035-1220); Apóstolos, Santa Maria-im-Capitol, Colônia (reconstruída em 1047); Abadia de Maria Laach (1093-1156); Catedral de Espira (1030); Cate­dral de Mogúncia (1036); Catedral de Worms (1110-81); S. Martinho, Colônia (1150-70); S. Miguel, Hildesheim (cerca de 1015-1186); S. Gotardo, Hildesheim (1133-70); S. Gereão, Colônia (1160). Catedral de Durham (nave, transeptos, galiléia, 1093-1133); Catedral de Gloucester (nave, século XII); Catedral de Hereford (nave e coro, século XII); Catedral de Lincoln (alguma obra normanda, 1073-1150); Catedral de Norwich (nave, transeptos e coro, 1096-1145); Catedral de Oxford (nave e coro, 1158-80); Cate­dral de Peterborough (nave, transeptos e coro, 1117-93); Catedral de Ripon (transeptos, cerca de 1179); Catedral de Rochester (nave, cerca de 1130); Abadia de Santo Albano (nave, século XII — a mais longa da Inglaterra — e transep­tos); transep tos); Catedral de Southwell (nave, tran­septos e torres, século XII); Catedral de Winchester (transeptos e torre, 1079-93); Catedral de Worcester (cripta, transeptos, e a casa circular do cabido, século XII); São Bartolomeu o Grande, Smithfield, Londres (1123-50); Abadia de Tewkesbury (nave, iniciada em 1087); Abadia de Waltham (nave, século XII); Igreja de Iffley, Oxfordshire (1170); Igreja de Barfreston, Kent (século XII); também as igrejas circulares em Cambridge, Northampton, Littie Maplestead (Essex).

HISTÓRIA DA ARQUITETURA E URBANISMO
08. Arquitetura Românica

Itália Sicília: Catedral de Monreale (1176-82); Palermo: Capela Palatina (1132-40); S. Giovanni degli Eremiti (1132); La Martorana (1129-43) e S. Cataldo (1161). França Meridional: S. Saturnino, Tolosa (1080-96); Catedral de Autun (1090-1132); S. Filiberto, Tournus (cerca de 1009); Catedral de Angoulême (1105-30); Catedral de Cahors (1119); S. Trófimo, Arles (1150); S. Gil, próximo de Arles (cerca de 1150); Notre-Dame-la-Grande, Poitiers (século XI); Abadia de Fontevrault (1101-19);

Espanha Catedral de Santiago de Compostela (iniciada em 1077). Igreja de S. Vicente de Cardona (Barcelona, 1029-1040) San Estevo de Vignory. Consagrada en 1050. Escócia: Igreja da Vera Cruz (Segovia). Consagrada en Abadia de Dunfermline (nave, 1125-30); 1208 Igreja de Dalmeny, West Lothian (cerca de 1175); Igreja de Leuchars, Fife (1172-85); Grã-Bretanha Catedral de Kirkwall, órcades (nave, 1137); Inglaterra: Catedral, de Cantuária (nave, cripta, etc.,1071também par­tes de várias abadias em ruínas. 7); Catedral de Ely (nave e transeptos, século XII); Ca­tedral de Chichester (nave, século XII);

Arquitetura Românica
Força e Rigidez
A arquitetura românica - período compreendido aproximadamente entre 1000 e 1200. É sóbria, sólida e majestosa Colunas internas e pilastras exteriores -contrafortes. Espinhões-saliências na superfície interna das abóbadas. Os capitéis simples e robustos não obedecem a um estilo definido: são semi-esféricos semi esféricos, cúbicos, trapezoidais, conforme a fantasia do construtor. A fachada é simples. Sobre a porta central está o óculo. Medo e o profundo sentimento religioso. Resultado final é sempre um conjunto imponente de interiores sombrios.

Arquitetura Românica
Nave principal O plano protótipo da igreja românica deriva da basílica latina, local amplo, anteriormente destinado ao funcionamento dos tribunais romanos. A nave: acolhe o povo cristão, de d i â i onde vem sua importância nas igrejas de peregrinagem e nas catedrais. As naves laterais, secundando a principal, permitiam que muitos peregrinos circulassem sem interromper as celebrações dos rituais.

Características:
abóbadas de pedra, tijolos e argamassa, em forma de berço, baseada nos métodos romanos (arco pleno) O peso é sustentado por paredes espessas e maciças Poucas janelas – necessidade da estabilidade da construção

Naves laterais

Arquitetura Românica
A nave principal é cortada pelo transepto, o que lhe dá a simbólica forma de cruz. O deambulatório: não existem nas basílicas antigas. Sua criação está ligada ao desenvolvimento do culto dos santos.Vias de acesso e capelas secundarias, ele é empregado para as procissões peregrinas, com um sentido giratório. Transepto

Arquitetura Românica
Abside Nas absides, pequenas capelas semicirculares que arrematam as naves, encontravam-se as imagens sagradas, e as valiosas relíquias eram encerradas na cripta, sob o altar p , principal. Entre o altar principal e as absides situa-se o coro, e tem-se acesso a essas capelas por uma passagem em semicírculo, denominada deambulatório. Absidíolas ou capelas radiantes

Deambulatório

1

20/4/2009

Arquitetura Românica
O nartex: é a área de acesso principal na igreja. Espiritualmente ele marca a entrada na casa de Deus. Ele abriga os catecúmenos , g peregrinos e penitentes. A iluminação indireta vem através das naves secundárias, dada por pequenas aberturas laterais, janelas diminutas que não conseguem atenuar o aspecto sombrio da igreja românica. Nartex

Arquitetura Românica

Criptas: igualmente ligadas aos cultos de relíquias, recebem também os peregrinos.

Arquitetura Românica

Arquitetura Românica
Abóboda de berço

Partes dun arco e dunha portada románica.

Arquitetura Românica
ELEMENTOS DECORATIVOS DO ROMÁNICO: 1) arcos cegos; 2) dentes de serra; 3) grega 4) xadrezados; 5)entrelaçados; 6) ziguezague; 7) pontas de diamantes; 8) pastilhas; 9) círculos; 10) cravos.

Arquitetura Românica
Capitéis românicos

2

20/4/2009

Arquitetura Românica

Arquitetura Românica
Duraton Igreja Colunas românicas geminadas de capitel em cesto num claustro, Espanha

Capitel figurativo românico na abadia de Ste Fo fig rati o Ste-Foy

Capitel figurativo românico, igreja de Santillana, Espanha

Arquitetura Românica
Arcada do claustro de San Zeno Maggiore, Verona

Arquitetura Românica
Perspectiva aérea de Cluny, França 1115.

Arquitetura Românica
Campanário octogonal da Igreja abacial de Cluny. 1115 – 11120. Saone -et- Loire. França

Arquitetura Românica
Absidiola da Igreja abacial de Cluny. 1115 – 1120. Saone -etet Loire. França

3

20/4/2009

Arquitetura Românica
Cluny III. Planta reconstituída. Séc. XII. Saone -etLoire. França

Arquitetura Românica
Abadía de Cluny III. Consagrada em 1130

Arquitetura Românica
Igreja de S. Vicente de Cardona (Barcelona, 1029-1040)

Arquitetura Românica
São Estevão de Vignory. Consagrada em 1050

Arquitetura Românica
Catedral de Angulema. Iniciada em 1110

Arquitetura Românica
Saint-Front de Périgueux (ca.1120)

4

20/4/2009

Arquitetura Românica
Igreja da Vera Cruz (Segovia). Consagrada em 1208

Arquitetura Românica

Arquitetura Românica
Exterior de Santa Fé de Conques. 1050 – 1130. Conques, França

Arquitetura Românica
Planta e interior de Santa Fé de Conques. 1050 – 1130. Conques, França

Arquitetura Românica
Exterior de São Saturnino de Tolosa. 1080 – séc. XII. XII Tolosa França

Arquitetura Românica
Planta e interior de São Saturnino de Tolosa. 1080 – séc. XII. (Toulouse) França

5

20/4/2009

Arquitetura Românica
Santa Maria Madalena de Vezelay Santa Maria Madalena de Vezelay

Arquitetura Românica
Interior da igreja de Santa Madalena de Vézelay. 1120. 1120 Vézelay, França

Arquitetura Românica
Planta da igreja de Santa Madalena de Vézelay. 1120. Vézelay, França

Arquitetura Românica
São Clemente de Taüll. Lleida Catalunha, Espanha. 1123. 1123

Arquitetura Românica
Planta de São Clemente de Taüll. 1123. Lleida

Arquitetura Românica
São Martín de Fromista. 1066 – 1100. Palencia.

6

20/4/2009

Arquitetura Românica
São Martín de Frómista. 1066 – 1100. Palencia.

Arquitetura Românica
São Martín de Fromista. 1066 – 1100. Palencia.

Arquitetura Românica
São Isidoro de León 1149 León

Arquitetura Românica
São Isidoro de León 1149 León

Arquitetura Românica
Basílica de São Saturnino (Saint-Sernin) em Toulouse, França.

Arquitetura Românica
São Saturnino de Toulouse São Saturnino de Toulouse

7

20/4/2009

Arquitetura Românica
São Saturnino de Toulouse São Saturnino de Toulouse

Arquitetura Românica
Basílica de São Saturnino (Saint-Sernin) em Toulouse, França.

Arquitetura Românica
Interior românico da Abadia de SaintGeorges-de-Boscherville na Normandia

Arquitetura Românica
Catedral da Aachen - 792 a 805 - exterior
Abadia de Malmesbury, o clerestório é o nível superior com janelas

Arquitetura Românica

Arquitetura Românica
Catedral da Aachen – coro e vitrais Catedral de Aachen – trono de Carlos Magno

Catedral de Aachen – 792 a 805 - capela octogonal

8

20/4/2009

Arquitetura Românica
Santo Estevão de Segovia Catedral São Martinho – Lucca Itália

Arquitetura Românica
Santa Maria de Ripoll, Girona, Catalunha – 879. Santa Maria de Ripoll

Arquitetura Românica
São Clemente de Taull São Clemente de Taull

Arquitetura Românica
Basílica de Santo Ambrósio Milão Basílica de Santo Ambrósio

Arquitetura Românica
Basílica de Santo Ambrósio Milão Basílica de Santo Ambrósio Milão

Arquitetura Românica
Basílica de Santo Ambrósio Milão Basílica de Santo Ambrósio Milão

9

20/4/2009

Arquitetura Românica
Coimbra, Portugal. Sé de Braga, Portugal

Arquitetura Românica
Clonmacnoise – mosteiro fundado por São Ciaran, em 545 no condado de Offaly, Irlanda

Clonmacnoise

Arquitetura Românica
São Vicente de Cardona São Vicente de Cardona

Arquitetura Românica
São Estevão de Vignory São Estevão de Vignory

Arquitetura Românica
São Remy, Reims S. Jaume de Frontanya, Catalunha

Arquitetura Românica
São Lourenço de Munt Santa Maria Lomello

10

20/4/2009

Arquitetura Românica
San Abundi Como San Ponc de Corbera

Arquitetura Românica
S. Etienne Nevers
Basílica do Sagrado Coração - 970 Paray le Monial, Borgonha, França

Arquitetura Românica
São Tiago de Compostela Espanha São Tiago de Compostela Espanha

Arquitetura Românica
S. Etienne Caen S. Etienne Caen - interior

Arquitetura Românica
Trinitat_Caen Charite_sur_Loire

Arquitetura Românica
Catedral de Salamanca Notre Dame de Poitiers

11

20/4/2009

Arquitetura Românica
São Zenon –Verona, Itália São Zenon –Verona, Itália

Arquitetura Românica
Basílica de São Zeno São Zeno – torre esquerda

Arquitetura Românica
São Miguel de Pádua São Nicolau de Bari

Arquitetura Românica
Catedral de Pisa Catedral de Pisa

Arquitetura Românica
Catedral de Pisa Catedral de Pisa

Arquitetura Românica
San Miniano San Miniano

12

20/4/2009

Arquitetura Românica
São Miniato al Monte Florença, Itália

Arquitetura Românica
São Miniano Catedral de Modena Catedral de Modena

Arquitetura Românica
Catedral de Durham (1099-1128) Catedral Winchester

Arquitetura Românica
Catedral de Mainz Catedral de Worms

Arquitetura Românica
Catedral de Spyer – Alemanha Consagrada em 1061 e concluída em 1111.

Arquitetura Românica
Catedral de Spyer – Alemanha Catedral de Speyer Josephskirche
It was the largest church of its time and, in its monumentality and significance symbolizing Imperial power and Christianity. It became the burial place of eight German Emperors and Kings. With the Abbey of Cluny in ruins, the Speyer Cathedral remains the largest Romanesque church to this very day.

13

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful