You are on page 1of 2

SÃO PAULO - O ministro das comunicações, Paulo Bernardo, vem dizendo, em

algumas entrevistas, que o governo gostaria de ver um tablet com preço de até 500 reais
no país.
Seria uma ferramenta importante para a inclusão digital e para o ensino. O tablet de 500
reais é possível, mas não será um iPad. Com incentivos fiscais adequados, um modelo
simples com o sistema Android pode chegar às lojas por esse preço. Resta saber se as
limitações desse tablet popular não seriam uma fonte de frustrações para o consumidor.
Leia também:
o
Apple já tem endereço em Jundiaí (12/04/2011)
o
iPad será produzido no país, garante ministro (12/04/2011)
Apple seguirá líder em tablets, diz Gartner (11/04/2011)
o
O projeto do tablet de 500 reais depende de incentivos fiscais. Os aparelhos montados
no Brasil deverão ter isenção de PIS e Cofins, dois encargos que, juntos, acrescentam
9,25% ao preço do produto. Além disso, é provável que recebam o mesmo tratamento
tributário dado aos computadores.
Nesse caso, o fabricante terá redução no IPI em troca do uso de componentes nacionais
e da montagem local. Incentivos estaduais podem aliviar o ICMS; e os municípios
podem fazer sua parte dando isenções de impostos sobre imóveis industriais.
Dependendo de quais incentivos se incluam na conta, chega-se a uma redução de
custo entre 30% e 40%. Um cálculo divulgado por órgãos do governo aponta para um
decréscimo de 31%.
Naturalmente, o fabricante pode repassar a redução para o preço final ou aumentar sua
margem de lucro. Mas a concorrência deve beneficiar o consumidor, forçando os preços
para baixo.
Resta saber que tipo de tablet pode ser fabricado por 500 reais. Não será um iPad e nem
um dos tablets com Android da geração mais recente. Esses tablets têm preço similar ao
do iPad, que virou referência para os fabricantes.
No mercado americano, onde esses aparelhos são mais baratos, as versões mais simples
custam por volta de 500 dólares, quase 800 reais.
Xing ling
É preciso, então, olhar para a Ásia para encontrar um tablet de 500 reais. Há aparelhos
chineses sem marca conhecida que são vendidos em lojas na web por preços que
começam em pouco mais de 100 dólares. Os mais baratos – como o da foto acima,
que imita o iPad na tela – têm tela de 7 polegadas, usam tecnologia ultrapassada e são
pobres em recursos, além de ter qualidade construtiva questionável.
Variantes mais recentes desses tablets xing ling, com tela de 8 ou 10 polegadas, podem
ser encontradas por preços inferiores a 200 dólares (cerca de 320 reais). Em geral,
esses aparelhos têm tela resistiva, de baixa sensibilidade, o que torna seu uso incômodo
(tablets como o iPad usam tela capacitiva, bastante mais sensível).

650 reais quando chegou ao país (no momento.790 reais.599 reais. Acima de 1. enquanto não chega o iPad 2. E é pouco provável que outros fabricantes ofereçam modelos concorrentes por preços muito inferiores a esses. o preço de tabela do iPad mais simples atingiria 1. custaria 1. Não há a expectativa de que o preço do iPad caia rapidamente no mercado internacional. Já o modelo mais caro. Com a redução de custo de 31%. Isso dá uma ideia da faixa de preço em que serão vendidos os futuros tablets fabricados no Brasil – entre 1. Quedas significativas nos preços só devem acontecer de 2012 em diante – e de forma gradual. embora. .000 reais? E quanto vai custar um tablet realmente atualizado montado no Brasil? O modelo mais simples do iPad. sem acesso à rede celular e com 16 GB de memória. custava 1.140 reais. Assim. na teoria. já que a demanda continua alta (o produto está esgotado em vários países). chegou ao país por 2. e a qualidade visual das imagens que exibem é inferior à dos modelos de fabricantes prestigiados.800 reais.os preços estão mais baixos porque.100 e 1. suas limitações poderão ser uma fonte de frustrações para os usuários.Os tablets xing ling também são um tanto lentos. com 64 GB de memória e acesso à rede celular 3G. Fabricado aqui. a Apple está desovando seu estoque do iPad 1 no país). um aparelho desse tipo possa custar 500 reais no Brasil.