Imunologia – 2ª avaliação – Vacinas

Imunidade passiva: Natural – Forma de imunização em que um indivíduo
recebe anticorpos de outro indivíduo, por uma via natural. Ex: Materno fetal
(colostro – IgA, placenta – IgG).
Artificial – Imunoterapia (soro antitetânico, antibiótico,

transmissão de plasma etc.).
Imunidade ativa: Natural – Pós-infecção, mediada por células B de memória.
Artificial – Vacinação – estimulo da produção de anticorpos e
aquisição de células de memória através da inoculação de
antígenos capazes de desencadear uma resposta imune sem
causar doença.

Vacinas:

 Atenuadas – Feita com bactérias vivas ou vírus ativos, porém cultivados em
condições adversas, de forma que perdem a capacidade de produzir a doença.
Esse enfraquecimento pode ser obtido, por exemplo, provocando mutações que
interfiram em processos essenciais para o desenvolvimento do microrganismo.
Gera imunidade adquirida mais duradoura. Resposta imunológica maior.
Patogenicidade reduzida. Capacidade de causar infecção e resposta imunológica
intensa. Dose única, ou reforço com muitos anos depois da primeira dose.
Desvantagem: Segurança da vacina; pode produzir efeitos colaterais. Ex:
Sarampo, caxumba, varicela, rubéola, febre amarela, rotavírus, e poliomielite –
virais – e BCG (tuberculose) e febre tifoide – bacterianas;
 Inativada – Composta por vírus ou bactérias que foram inativados por
processos químicos ou físicos, como por radiação, calor ou tratamento com
formaldeído. Virulência (capacidade de produzir doença grave) e patogenicidade
(capacidade de produzir doença) são nulas; Não causa doença, mas estimula
resposta imunológica. Resposta imunológica moderada e mais curta que a da
atenuada. Reforços periódicos. Vantagem: Vacina segura. De forma alguma
causa doença; Ex: Hepatite A, Hepatite B, Raiva, Influenza e HPV – virais –
DTP (contra tétano, difteria e coqueluche), febre tifoide – bacterianas.
 Monovalente – Combate apenas uma cepa da espécie de vírus ou bactéria.
 Polivalente – Combate a várias cepas da mesma espécie.
 Mista – Mais de uma espécie viral ou bacteriana na mesma vacina. Ex: Vacina
V8 para cães, com cepas de parvovírus, cinomose, hepatite viral canina etc +
leptospirose.

garantindo sua imunização. Questão: Por que não existe vacina contra HIV? Porque ainda não foi descoberto um gene que seja expresso em todas as infecções. Potencializa a resposta imunológica inflamatória). . liberada lentamente. deverá ser tratado com soro antiofídico. EXRCÍCIOS 1. garantindo sua imunização. d) na aplicação de antígenos causadores da doença em pessoa doente para garantir a sua cura. Primeiro faz-se a cópia depois a cópia é inoculada no receptor. ☼ Método molecular – Recombinação genética bacteriana/viral -> gene expresso nas infecções -> gera proteína imunogênica (LE reconhece proteína). pois ele é pouco estável e tem memória genética fraca. 2. c) na aplicação de antígenos causadores da doença em pessoa saudável. A primeira vacina foi criada no século XVIII por Edward Jenner e garantia proteção contra a varíola. Vantagem: Acaba com a possibilidade de reversão de patogenicidade (imunógeno retoma a capacidade de produzir doença). porém mais cara. ☼ Métodos físicos (uso de calor – autoclave) e químicos (formol) de atenuação e inativação – Fragmentam e inativam bactérias e vírus. estimulando a imunogenecidade por mais tempo. Faz um maior recrutamento de células inflamatórias. Ex: Substância lipídica (geralmente utilizada em vacinas inativadas. porque este contém: a) anticorpos específicos para as toxinas do veneno de cobra. b) toxinas atenuadas do veneno de cobra que irão induzir a produção de anticorpos. Não existem vacinas d DNA. ao ser picado por uma cobra venenosa. O princípio utilizado nessa época é o mesmo utilizado nos dias atuais e baseia-se: a) na aplicação de anticorpos contra a doença em pessoa saudável. (UFJF) Um indivíduo. c) enzimas proteolíticas que irão destruir o veneno de cobra. onde a imunidade adquirida gera uma resposta específica contra a proteína -> degrada-se o vírus/bactéria até que se estabeleça um gene que esteja presente em todas as infecções de determinada doença. É uma vacinação feita com o gene inserido em uma célula receptora. Mais segura e mais específica. b) na aplicação de anticorpos contra a doença em pessoas doentes para garantir a sua cura.☼ Adjuvantes – Potencializam a eficácia da vacina. Obs: Vírus RNA – RNA complementar -> traduz para DNA.

d) antibiótico ou soro. O motivo aparente é a menor imunidade desses grupos contra o vírus. que passará a produzir anticorpos. soro antiofídico caso seja picado por uma cobra e vacina contra a leptospirose. o soro e os antibióticos submetem os organismos a processos biológicos diferentes. b) As vacinas estimulam o corpo a produzir anticorpos contra determinado antígeno. A vacina contra o H1N1. . O soro e a vacina são substâncias que agem como imunizadores do organismo. c) estimula a produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea. de picadas de cobras peçonhentas e de leptospirose e querem evitar ou tratar problemas de saúde relacionados a essas ocorrências devem seguir determinadas orientações. d) possui linfócitos B e T que neutralizam o agente causador da doença. Ao procurar um posto de saúde. 4. b) vacina contra o vírus da febre amarela. e) antígenos específicos que irão inibir a ação de toxinas do veneno de cobra. 3. b) possui proteínas que eliminam o agente causador da doença. o governo brasileiro distribuiu vacinas para os grupos mais suscetíveis. A respeito desses produtos. Pessoas que viajam para regiões em que ocorrem altas incidências de febre amarela. podemos citar o antiofídico. e vacina contra a febre amarela caso entre em contato com o vírus causador da doença. soro antiofídico caso seja picado por uma cobra e antibiótico caso entre em contato com a Leptospira sp. foram apresentados por pessoas mais idosas e por gestantes. marque a alternativa incorreta: a) O soro é responsável por uma imunização passiva. c) As vacinas são produzidas injetando-se o antígeno em um animal. e) Podemos dizer que a vacina é usada na prevenção.d) células responsáveis pela resposta imune. 5. assim como qualquer outra vacina contra agentes causadores de doenças infectocontagiosas. aumenta a imunidade das pessoas porque a) possui anticorpos contra o agente causador da doença. e) estimula a produção de anticorpos contra o agente causador da doença. e) soro antiofídico e antibiótico contra a Leptospira sp. Os anticorpos são posteriormente processados e podem ser usados em humanos. enquanto o soro é usado para curar. um viajante deveria ser orientado por um médico a tomar preventivamente ou como medida de tratamento: a) antibiótico contra o vírus da febre amarela. tanto contra o vírus da febre amarela como para o veneno de cobras. e vacina contra a leptospirose. (ENEM-2011) Os sintomas mais sérios da Gripe A. (Enem) A vacina. causada pelo vírus H1N1. Para aumentar a imunidade populacional relativa ao vírus da gripe A. antibiótico caso seja picado por uma cobra e soro contra toxinas bacterianas. c) soro contra o vírus da febre amarela. d) Como exemplo de soro.

6.. E) soro – antígenos – células de memória..... “A forma de imunidade que é induzida pela exposição a um antígeno é denominada ______________. com anticorpos produzidos em outro organismo.... a ação do soro e da vacina segundo estes tópicos: 1.. Compare.” “A imunidade _____________ pode ser conferida a um indivíduo pela transferência de soro ou de linfócitos de um individuo especificamente imunizado. A) vacina – anticorpos – células de memória. d) Inata.. 3. respectivamente. CESGRANRIO .. na ordem em que aparecem. D) vacina – antígenos – células de memória........ passiva....A duração da imunização....... 2. 4...... o sistema de defesa reage produzindo .Duração temporária 4. c) Adaptativa. 2..... (UFRGS/2007) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto abaixo.Imunidade adquirida... ativa e celular... e . Soro: 1..Ação imediata 3...O emprego curativo ou preventivo.. ativa e humoral. 7. Marque a opção que corresponde as lacunas das frases abaixo. C) soro – anticorpos – células fagocitárias.. que apresentam a capacidade de reconhecer agentes infecciosos. B) soro – antígenos – células fagocitárias.. passiva e humoral.. Quando se usa ... que permite ao recém-nascido combater as infecções antes que adquira a capacidade de produzir anticorpos é um tipo de imunidade: a) Inata...... A transferência de anticorpos maternos para o feto. b) Adaptativa.A natureza da imunização.Emprego curativo Vacina: ...Soros e vacinas fazem parte do arsenal usado no combate às doenças infecciosas (imunidadeadquirida).. passiva e humoral... 9..A ação imediata ou não...” a) Passiva e ativa b) Humoral e ativa c) Ativa e passiva d) Humoral e passiva 8..

que será expressa e produzida no interior das células do indivíduo. cascavel. ou os problemas proporcionados pela produção das vacinas de subunidades em microrganismos. com antígenos de culturas microbianas mortas ou toxinas atenuadas. a vítima deve ser tratada com soro antiofídico.Imunidade adquirida. O soro antiofídico poderia ser denominado vacina antiofídica? Explique. prontos para combater o antígeno já instalado. III.Ação posterior. 4. PUCMG .Duração duradoura. .1. Patógenos vivos não podem ser usados como vacina. Isso sem gerar os efeitos colaterais que podem aparecer quando são utilizados patógenos vivos. longa. A imunidade desenvolvida pela vacina de DNA não é imediata. mas é de longa duração. como é o caso do antiofídico. pois não determinam imunidade e sim doenças. Vacinar é introduzir o antígeno com a finalidade de estimular a produção de anticorpos pelo próprio organismo. O processo envolve a inoculação direta do DNA plasmidial. Não. foram feitas as seguintes afirmações: I. 1999."Scientific American". 3. UNICAMP . 10.A vacina de DNA é a mais recente forma de apresentação de antígeno que veio revolucionar o campo da vacinologia. ativa.Jararaca. (Fonte: Desenvolvimento de vacinas gênicas. 2. IV. Utilizar soro. Os antígenos produzidos pelo DNA plasmidial são capazes de combater patógenos que infectem o hospedeiro. que possui o gene codificador da proteína antigênica. pois fornece para o hospedeiro a informação genética necessária para que ele fabrique o antígeno preservando todas as suas características importantes na indução de uma resposta imune eficiente.) Com base no texto. consiste em introduzir anticorpos produzidos num outro organismo. Esse tipo de vacina apresenta uma grande vantagem sobre as demais.Emprego preventivo. Se picada por uma delas. São afirmações CORRETAS: a) I e II b) II e IV c) III e IV d) I e III 11. coral e urutu são exemplos de cobras venenosas que ocorrem no Brasil. II. O indivíduo geneticamente vacinado passa a produzir tanto os antígenos quanto os anticorpos.

como a produção elevada de anticorpos. porém podem exacerbar a função do sistema imunológico de proteção. que se ligam a mastócitos que no segundo contato com o alérgeno degranulam e produzem alergia. que vai produzir anticorpos da classe IgE. substância medicamentosa etc.Reação exacerbada contra antígenos ambientais. proliferará e ativará Linfócito B. fungos.Ocorre falha nos mecanismos de tolerância imunológica. formação de imunocomplexos ou ainda reação exacerbada de células T. São uma resposta imunológica normal a algum agente. que vão se ligar ao mastócito – mastócito armado. . Em um segundo contato com o . que será reconhecida por TCD4. . que por sua vez vai se diferenciar em célula de memória e produzir plasmócitos. tromboxanos.). causando algum tipo de lesão no individuo. ocasionando o surgimento das hipersensibilidades. que será ativado. Favorece a ativação de mastócitos e basófilos. As repostas imunes podem ser patológicas quando: . Mastócitos são granulócitos.Hipersensibilidades – Classicamente chamadas alergias ou anafilaxia. Para que ocorra o individuo tem que ter sido previamente sensibilizado. porém desativado. fator agregador de plaquetas – têm funções potentes e são divididos em pré-formados e pós-formados (após ativação do mastócito). ocasionando o surgimento de doenças autoimunes. Enquanto isso as citocinas do TCD4 fazem com que mastócitos e basófilos se proliferem. Hipersensibilidade imediata mediada por anticorpos IgE (produzidos previamente contra algum tipo de alérgeno – alimentos como frutos do amar.  Hipersensibilidade tipo 1 – Alergia clássica. e seus grânulos (grânulos inflamatórios) – histamina. Ex: Proteína do alérgeno da lagosta é fagocitada (exógena) por um macrófago.Reações excessivas contra antígenos. Os mastócitos têm receptores em sua superfície para região Fc de IgE. é degradada na vesícula fagossômica e apresentada pelo MHC2. leucotrienos. provocando o surgimento das alergias.

Fases: . diminuindo as alterações. endógenos: Anticorpos se ligam a receptores. fazendo com que o mastócito seja ativado e degranule. relacionados com a questão da transfusão sanguínea. que geram edemas. Têm função de contração da contração da musculatura lisa. causando. levando a ativação do sistema complemento (via clássica – lise da célula) ou a fagocitose mediada por receptor Fc (estimulando a inflamação e o recrutamento de mais leucócitos atraídos pelos intermediários do complemento – proteína C3b que tem função de quimiotaxia é a mais usada -. Alguns grânulos também são produzidos depois que ele é ativado. liberação dos grânulos por via extracelular.Efetora: Degranulação. e impedem que a insulina se ligue como consequência a hiperglicemia. onde o anticorpo se liga a receptores próprios e a região Fc inicia a cascata do completo. Diabete resistente insulina – anticorpos se ligam aos receptores de insulina. onde o anticorpo auto reativo se liga ao próprio e acaba atraindo neutrófilos ou outras células de defesa contra o próprio) ou por anticorpos que bloqueiam receptores. e aí eles não conseguem se ligar a seus produtos específicos.. Hipersensibilidade tipo 2 –Mediada por anticorpos IgG e IgM. Anti-histamínico – Elimina os grânulos de histamina da circulação. Podem ser induzidas por agentes endógenos. quando se trata de doenças autoimunes com natureza idiopática.Sensibilização: Resposta ao alérgeno – Mastócito armado. Produção do anticorpo que gerará o mastócito ou basófilo armado. ou exógenos. vasodilatação. que se ligam contra o que é próprio. que tem como consequência a lise da célula e inflamação local. Ex. .alérgeno o alérgeno se liga a porção Fab do mastócito armado. ou seja. . Início do processo alégico. impedindo que os mesmo sejam utilizados em sua função normal do organismo – hipertireoidismo: anticorpos se ligam a receptores de TSH impedindo o hormônio de se ligar a tireoide. não se sabe em que momento as células começam a lutar contra o próprio. petéqueas ou outros tipos de lesão circulatória como equimoses.. heritroblastose fetal (ocorre dentro do útero e tem com consequência o aborto) ou anemia hemolítica (quando a hipersensibilidade tipo 2 ocorre no final da gestação e o recém nascido nasce com anemia) Endógenos: Anticorpo auto reativo se liga as células próprias e a região Fc sinaliza para outros fagócitos para que eles fagocitem a célula própria e a destruam. Edema de glote. Sensibilização aqui tem causa idiopática. Ou anticorpos que se ligam a receptores impedindo que os mesmos sejam utilizados em sua função normal no organismo.Ativação: Segundo contato com o alérgeno . Ou inflamação mediada pelo complemento.

que chamariam diferentes células inflamatórias. Se um Rh positivo recebe células Rh negativo não tem problema. As que têm receptores são Rh positivo e as que não têm são Rh negativo. Diferencia. Ex exógenos: Heritroblastose fetal. Locais: glomérulos. que são os gigantócitos de Lynder. uma que tem receptores Rh e uma que não tem receptores. porém se um Rh negativo recebe Rh positivo desencadeia proteção contra as hemácias Rh negativo. o granuloma. a estimulação antigênica não cessa. Ou seja. atração de células inflamatórias pro local. quem estimula a formação é a célula T. que reconhecerá o MHC2. ou pode se depositar em articulações causando artrite severa ou nos rins causando gromerulonefrite severa. o que leva a formação da cadeia de imunocomplexos. e os linfócitos continuam chagando. Única mediada por células T. capilares cerebrais.  Hipersensibilidade tipo 4 – Tardia ou celular. Nos humanos existem dois tipos de hemácias. A formação de muitos imunocomplexos dentro dos vasos sanguíneos. Resposta contra infecção crônica e forte. mas anticorpos ligados a antígenos. porque . ou obstruir o vaso e causar problemas circulatórios. a fase de ativação seria a gestação de um novo feto Rh positivo. prolifera e vai para fase efetora – produção de citocinas. gerando células gigantes multinucleadas. LB. onde as células (hemácias) do feto (Rh negativo) diferentes das células (hemácias) da mãe (Rh negativo) geram resposta da mãe contra o sangue do feto. podem se depositar nos vasos causando vasculite. porque acompanha de forma mais crônica as infecções. Geralmente a primeira prenhez não gera resposta imunológica contra o feto. endocárdio das células cardíacas. Granuloma é o mecanismo de hipersensibilidade tipo 4. estimulando resposta inflamatória – quimiotaxia e ativação dos neutrófilos. Gerando ativação de sistema complemento. formando uma capsula de fibrina. parecendo uma célula epitelial (célula epitelióide) que acabam se fundindo. TCD8 etc. para mediar a resposta contra o imunógeno. seus anticorpos agirem contra essas células. fará ligação com a APC e é ativado. aumentando de tamanho.  Hipersensibilidade tipo 3 – Desencadeada por anticorpos. Ex: Lúpus. e no centro da lesão se forma uma necrose de caseificação onde no centro têm-se o fagócito e o agente/imunógeno se reproduzindo. por causa da persistência do estimulo antigênico. O natural seria LTCD4 produzir citocinas. surdez e até aborto. pequenas artérias. até que esse aglomerado de linfócitos fiquem hiperativados.Exógenos: Células de natureza diferente. O problema é se o imunógeno continuar se reproduzindo dentro da APC. Para uma célula T ser ativada é necessário que uma célula apresente um peptídeo exógeno ao LTCD4. seria a fase de sensibilização. É uma hipersensibilidade crônica. produzindo granuloma. que irá então apresentar antígenos múltiplos e diferentes clones de linfócitos aparecerão para reconhecer os diferentes epítopos expressos pelo MHC2. acarretando em problemas como cegueira. O organismo acaba coagulando fibrinogênio ao redor dessa lesão. IgM e IgG também participam.

intracelular facultativa) e Mormo (Burkhoderia mallei. intracelular facultativa) .leva tempo para acontecer. Ex: Tuberculose (Mycobacterium sp.