CURSO

:
ENGENHARIA MECÂNICA
PROFESSORA:
ARIELLY ASSUNÇÃO PEREIRA
DISCIPLINA:
TECNOLOGIA DOS MATERIAIS
ALUNO(A): RODRIGO PEREIRA NETO
1210313
TURMA:
EM5NA
SALA: A201 DATA: 28/09/2016

ATIVIDADE AVALIATIVA PARCIAL PARA A 3ª BIMESTRAL
1. (1,0) Para os polímeros de interesse industrial, escreva o ciclo de produção das
fibras por fiação
seca e fiação úmida.
Na fiação seca, o polímero é solubilizado em um solvente produzindo uma solução concentrada que é bombeada
através da fieira. A evaporação do solvente solidifica os filamentos viscosos formados, que então são enrolados na
bobina. Fibras de poliacrilonitrila e acetato de celulose são produzidas por esta técnica.
Na fiação úmida é similar à fiação seca. O polímero é solubilizado e bombeado através da fieira, entretanto é
solidificado pela precipitação do polímero em um não-solvente.
Por exemplo, uma solução de poliacrilonitrila em DMF após passar pela fieira é precipitada em água, enquanto o
tolueno é utilizado para provocar a precipitação de uma solução de triacetato de celulose solubilizado em uma
mistura de cloreto de metileno e álcool. As fibras de rayon viscose (celulose regenerada) são obtidas por esta
técnica. Neste caso, a solução aquosa alcalina de xantato de celulose que passou pela fieira é solidificada ao entrar
em contato com uma solução ácida, ou seja, ocorre uma reação de neutralização. O celofane é obtido da mesma
forma que o rayon viscose, sendo apenas necessária a modificação do formato da matriz.

2. (1,0) Cite três exemplos comerciais de uso das borrachas sintéticas e o
processo de fabricação
destas.
1-Pneus de automotores
2-Manqueiras
3-Buchas
A borracha sintética passa por um processo chamado vulcanização, que é quando ocorre a adição de uma
porcentagem que varia entre 2 a até 30% de enxofre. Assim que esse componente é adicionado à borracha por
meio de aquecimento e junto a catalizadores um “ polímero tridimensional” é formado e o enxofre acaba se
tornado uma ponte de acesso para as cadeias carbônicas que compõem a borracha sintética

3. (1,0) Para a aplicação industrial, as tintas tem um papel relevante na proteção
dos materiais de base
constituintes de automóveis e motos. Descreva como ocorre o processo de
pintura, desde a
confecção da peça até a liberação para venda desses produtos.
1. Corte das chapas
Este processo se dá através da força exercida por uma ferramenta de corte contra uma matriz onde esta o aço, por
prensagem. Este corte pode gerar peças de vários formatos, que são determinados previamente pelos formatos da
matriz. Existem dois tipos de corte, o parcial e o recorte.
No corte parcial é realizado um corte incompleto, deixando uma parte da peça ainda presa à chapa. No recorte, é
feito um processo de corte de excedentes, conhecido popularmente por rebarbas, já que o produto em questão
está conforme o desejado. É importante que o fio de corte esteja sempre afiado, para não provocar rebarbas e
cortes pouco definidos nas peças. A capacidade de corte pode ser mantida por um processo chamado retificação.
2. Estampagem
Também chamado de repuxo ou embutimento, o processo de estampagem acontece para dar forma às chapas
planas, sem rugas ou trincos. A estampagem é feita a frio e podem ser usadas diversas conformações, dependendo
da característica que se deseja para a chapa. Para fazer a lataria de um automóvel, são necessárias chapas
retangulares de aço, cada uma com cerca de um milímetro de espessura. Essas chapas são moldadas por várias
prensas diferentes, podendo ser exercida a pressão de até duas mil toneladas em cada uma delas. A estampagem
é feita para se produzir capôs, para-lamas e portas, por exemplo. A qualidade da chapa é imprescindível para que a

O processo de pintura começa com o desengraxe. Antes da pintura. as chapas precisam resfriar durante duas ou três horas. 3. O processo de pintura inicia com a aplicação de uma pasta plástica. para que a carroceria possa ganhar forma de um automóvel. A primeira pintura é feita nas cores preto e branco. O teto. No caso dos automóveis. O resfriamento garante que as peças não tenham ondulações ou deformações. que impede infiltração nos pontos de solda. pedras e água. estão prontas para a soldagem. a pintura garante durabilidade. que une chapas sobrepostas ponto a ponto. dependendo do veículo. e a solda ponto por resistência. que retira as impurezas do processo de montagem. ele recebe uma camada de fosfato. eles então recebem verniz e polimento. responsável por unir as chapas retas. que as unirá umas às outras. assim como a pintura que será realizada posteriormente. onde a carroceria receberá entre 3. Neste ponto. estética e qualidade para a carroceria. cinza e branco. 4. passará para a etapa seguinte.500 a 4. A pintura a pó é utilizada para os automóveis por gerar um acabamento mais duro e resistente do que acontece com as pinturas líquidas.500 outros pontos de solda. preto. é feita a complementação de soldagem. poeira.peça não apresente defeitos que comprometam a estampagem. que deixarão o carro com sua cor original. Soldagem As chapas. para que a tinta seja melhor aderida e depois recebe uma tinta básica. a soldagem será revisada e. Após este processo. onde receberá uma camada de verniz e nesta parte receberá jatos de tinta. a pintura. Uma vez secos. neste passo. Em seguida. além de proteção contra corrosão e de deixar o veículo resistente às condições climáticas. Elas irão para a funilaria. Pintura automotiva Pintar algum objeto significa adicionar películas de produtos químicos para proteção ou fins estéticos. Ele vai para a secagem. anticorrosão. O processo de pintura total de um carro demora cerca de oito horas e as cores mais comuns de tinta são prata. Existem dois tipos de solda: a MIG. se estiver tudo conforme as recomendações. a lataria está pronta e poderá receber as outras partes constituintes do automóvel . mergulhando os carros em água deionizada. a parte traseira e as laterais são unidas por aproximadamente 48 pontos de solda. Em seguida.