UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E EXATAS
DEPARTAMENTO DE QUÍMICA
CURSO DE QUÍMICA INDUSTRIAL
DISCIPLINA QUÍMICA INDUSTRIAL I

INDÚSTRIA DE SODA CÁUSTICA E CLORO

SANTA MARIA – RS
2016

...Sumário 1...........................................................................3 2.............................................................................................................................. INTRODUÇÃO........................................15 2 ..............................5 2........ DESENVOLVIMENTO........14 4...................... CONCLUSÃO.............................6 2.3 Processo Produtivo...........................................................................................................................................5 2............................2 Matéria-prima..4 Os produtos............................................................................11 3........... REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................................7 2...1 Histórico – métodos de produção........

basicamente. Cloro e Derivados (Abiclor). não tenha dependido do cloro e dos álcalis. 72% da produção brasileira do setor de soda-cloro empregou a tecnologia de diafragma. como a barrilha. Alumínio. Algumas indústrias ainda utilizam o mercúrio metálico. Em 2007. num certo estágio da sua fabricação. Estão nas vizinhanças do ácido sulfúrico e da amônia quanto ao montante do valor do respectivo consumo. Metalúrgica e Tratamento de água. embora esse processo de fabricação venha sendo combatido por ser ambientalmente prejudicial. Sabões e Detergentes. Modernamente. As aplicações são tão diferentes que é difícil haver um bem de consumo que. água e energia elétrica. Atualmente. em uma proporção fixa de 1 tonelada de cloro para 1. já que em um mesmo processo são obtidos e. Construção Civil. da soda e de outros poucos produtos halogenados. 23% a de 3 . Cloro e soda estão intimamente relacionados. são necessários. o ácido clorídrico e o dicloroetano . Nesta operação.12 tonelada de soda cáustica. Alguns dos consumidores da indústria cloro-soda são os seguintes setores: Papel e Celulose. a soda é coproduzida com o cloro. O preço de uma ECU é igual à soma dos preços de 1 tonelada de cloro e 1. o hipoclorito de sódio. normalmente obtidos nas respectivas plantas do setor. pois são produzidos industrialmente em grande quantidade. três insumos: sal. como subprodutos. três processos de eletrólise são utilizados industrialmente: o de mercúrio. podem gerar uma família muito importante. a indústria de cloro e soda compreende a fabricação de três produtos de base: o hidróxido de sódio.12 tonelada de soda. segundo a Associação Brasileira da Indústria de Álcalis. INTRODUÇÃO A indústria de cloro e soda cáustica é uma das mais importantes atividades econômicas do mundo. A cadeia produtiva da indústria de soda-cloro inicia-se com a eletrólise da salmoura. Química e Petroquímica. Esses três produtos químicos são classificados como “produtos químicos pesados”. Têxtil. o de diafragma e o de membrana.1. A unidade de produção utilizada em plantas de soda-cloro é a ECU – eletrochemical unit ou unidade eletroquímica. pelos processos mais utilizados para a produção do cloro. o cloro e o carbonato de sódio. Especificamente.

. e também das exigências ambientais legais em cada região pelo governo local. etc) é extraordinário.mercúrio e 5% a de membrana. Desse modo. os quais eram jogados no mar. Já o carbonato de sódio (Na2CO3) é estudado em conjunto por dois motivos: primeiro. Essa distribuição percentual é em função dos elevados custos inerentes à substituição da tecnologia que utiliza o mercúrio. Houve um tempo em que a demanda de soda cáustica era muito maior do que a de cloro. sabões e detergentes. Chegou-se até mesmo a introduzir cloro. em cilindros de ferro. hoje o consumo de cloro nas indústrias orgânicas (plásticos. como citado acima. e tende a aumentar. não é um gás combustível. O NaOH é o álcali mais utilizado na indústria. Porém. e em segundo lugar porque pode ser convertido facilmente em NaOH (e vice-versa) pelo processo “cal-soda cáustica”. são obtidos simultaneamente pela eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio (salmoura). ao contrário do hidrogênio. O hidróxido de sódio (NaOH) e o cloro. pois. e não pode ser lançado na atmosfera. a reação reversível pode ser deslocada em um ou outro sentido. 4 . porque ele pode substituir o hidróxido de sódio em muitas de suas aplicações industriais. Como consequência. conforme a demanda e custos relativos do carbonato de sódio e do hidróxido de sódio. como na fabricação de papel. de modo que as indústrias produtoras não sabiam o que fazer com o excesso de cloro produzido. sob pressão. e o gás cloro também é um produto químico industrial de grande importância. chegará o dia em que as indústrias de cloro não saberão o que fazer com a soda cáustica excedente..

2. merece ser detalhado porque discute a problemática das matérias primas a serem utilizadas. por C. DESENVOLVIMENTO 2. mas o 5 . A sequência de reações a seguir ilustra o processo: NaCl + H2SO4(conc) → NaHSO4 + HCl NaHSO4 + NaCl → Na2SO4 + HCl 4 HCl + MnO2 → Cl2 + Mn2+ + 2 Cl. Esse método permite a produção conjugada de outros produtos. como podem ser obtidas e o mercado para os produtos.+ 2 H2O Uma vez conhecidas as propriedades alvejantes do cloro. a demanda por ele e pela soda cáustica foi elevada. desenvolvido em 1773. como a soda cáustica e o cloro. exigindo oi desenvolvimento de um processo em escala industrial. e a partir de 1915 o processo LeBlanc estava completamente substituído no mundo.1 Histórico – métodos de produção O primeiro método conhecido de produção de barrilha é o método LeBlanc. Scheele. foi descoberto em 1774. durante a última metade desse século. A demanda do cloro como alvejante no século 19 levou ao desenvolvimento dos processos Weldon e Deacon. A partir de 1962. No início foi grande a dificuldade de este método competir com o processo LeBlanc. O gás cloro. por sua vez. baseados no ácido clorídrico. esse passou a ser praticamente o único método utilizado. Ernest Solvay começou a desenvolver o processo da amônia-soda. mas com o tempo o processo Solvay reduziu a quase um terço o preço corrente da barrilha. A produção eletrolítica de soda cáustica era conhecida no século 18. no entanto. W.+ 2 H2O Na2SO4 + CaCO3 → Na2CO3 + CaSO4 Na2SO4 + Ca(OH)2 → 2 NaOH + CaCO3 Em 1861. Apesar de antigo. O processo LeBlanc usava MnO2 para oxidar o HCl. mas somente a partir de 1890 o álcali passou a ser produzido dessa forma para o consumo industrial. a partir da oxidação do HCl com MnO 2: 4 HCl + MnO2 → Cl2 + Mn2+ + 2 Cl.

2 Matéria-prima Tão antigo como a humanidade. o clorato e o clorito de sódio. cerca de 90% da demanda mundial de cloro provém da eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio (salmoura). sendo possível um grau de conversão de cerca de 65%. os fosfatos de sódio. Os 10% restantes provém de outros métodos. Essa pureza vai depender em grande parte da pureza da água utilizada para dissolver o leito do sal gema. ou nas salmouras dos lagos ocidentais. O sal pode ser obtido de três maneiras diferentes: 1. o sulfato de sódio. 3. Essa mineração utiliza métodos análogos à mineração do carvão. se obtém com a injeção de água em depósitos de sal. mais econômico.5%. 6 . portanto.MnCl2 obtido como subproduto era desprezado. Pela evaporação solar da água do mar. tendo uma pureza entre 98 e 99% 2. o HCl era oxidado pelo ar e não pelo MnO 2. sendo. A reação é reversível. No processo Deacon. certos tipos podem chegar a uma pureza de 99. o sal já foi objeto de culto e até mesmo troca (dinheiro). o ácido clorídrico. que tem composição amplamente variável dependendo assim do seu local de origem. 2. O sal é hoje uma mercadoria básica para a vida quotidiana e também matériaprima básica para muitos compostos químicos como o hidróxido de sódio. O método mais utilizado para a extração do sal dessa salmoura é a evaporação a vácuo de múltiplo efeito. que atuava como catalisador. A partir das salmouras dos poços. Pela mineração do sal gema. Efetuavase uma reação em fase gasosa entre o HCl e o ar sobre uma superfície de blocos cerâmicos especiais impregnados com uma solução de CuCl 2. sua distribuição foi utilizada como armas políticas pelos antigos governantes e nos países do oriente eram grandes os impostos sobre o sal. possui cerca de 98% de pureza. O processo Weldon reciclava o MnCl2. Atualmente. o carbonato de sódio.

mas o entendimento do processo só foi possível quando. 2.3 Processo Produtivo Figura 1: Cadeia produtiva da produção de cloro-soda. seu uso era muito restrito devido à dificuldade em se conseguir geradores de corrente contínua – problema que foi resolvido com o desenvolvimento dos dínamos (1872). Estados Unidos). esvaziadas. Porém. enchidas novamente..1 O processo eletrolítico A eletrólise da salmoura foi descrita pela primeira vez por Cruickshank no início do século 19. Os principais produtores de soda e cloro no Brasil são:   Carbocloro (São Paulo) Braskem (Alagoas) 7 . A primeira instalação industrial a empregar uma célula contínua de diafragma foi construída em 1893 em Romford (Maine. Fonte: BNDES (2009). As primeiras instalações de produção eletrolítica de cloro e soda usavam processos descontínuos (batelada) – as células eletrolíticas tinham que ser enchidas..2. em 1834. Faraday desenvolveu as leis da Eletrólise.3. eletrolisadas.

pois é fabricado com zircônio e PTFE. mas sem amianto (crisotilo). eliminam a etapa de purificação para a remoção do cloro. Por isso. pois os eletrodos podem ser colocados bem próximos. diminui muito ou impede as reações paralelas e secundárias como a formação de hipoclorito de sódio. Esse diafragma vem sendo substituído por outro similar. o diafragma vai se entupindo. Um diafragma poroso de fibras de asbesto (amianto). O diafragma possibilita o escoamento da salmoura do ânodo para o cátodo e. aumentam a pureza da soda cáustica obtida na célula a diafragma e. fato que é observado pela elevação da voltagem e pela maior pressão hidrostática na salmoura. é preciso substituí-lo regularmente. dessa forma.        Bayer (Rio de Janeiro) DuPont (São Paulo) De Nora (São Paulo) SASIL–Distrib. misturado com outras fibras. importado da norte-americana Eltech – diafragma chamado “polyramix”. como as de teflon ou politetrafluoretileno (PTFE). Com o uso. de Produtos Químicos (Bahia) Solvay (São Paulo) Eltech (São Paulo) Dow (São Paulo) Complexo Industrial de Aratú (Bahia) 2. funciona como separador entre catodo e anodo. mais eficiente energeticamente e de maior tempo de vida útil. mas reduz a difusão dos produtos.1 Células de diafragma Utilizado principalmente no Canadá e nos Estados Unidos. As cubas ou células com diafragma podem ser compactas. O diafragma permite a passagem dos íons por migração elétrica. que deixam passar o hidróxido de sódio enquanto retêm o cloreto de sódio. ao mesmo tempo. As membranas semipermeáveis. o método de células de diafragma emprega um catodo perfurado de aço ou ferro e um anodo de titânio recoberto de platina ou óxido de platina. 8 .3.1.

O catodo consiste num depósito no fundo da célula de eletrólise. e o anodo situa-se acima deste. pequenas. processa-se a eletrólise. associados ao tratamento da água e do ar efluentes. esse processo vem sendo substituído pela eletrólise em célula de membrana que. Fonte: BNDES (2009). A célula é preenchida com solução de cloreto de sódio e. é responsável pelo suprimento de quase 30% da produção mundial de cloro. Nas duas últimas décadas do século XX. à pouca distância. ocorrem perdas de mercúrio inerentes. embora ainda ocorram perdas prejudiciais de cerca de 1.3. Nesse processo. mas constantes. atualmente. gerando efluentes e emissões com sérios problemas ambientais. é possível fazer com que as indústrias de células de mercúrio satisfaçam às exigências de não poluição do ambiente.1.Figura 2: Processo de Fabricação de cloro e soda cáustica utilizando a tecnologia de diafragma. 2. o processo foi melhorado. elevando a concentração de metilmercúrio em alguns peixes a doses letais. com uma diferença de potencial adequada. Por causa das questões ambientais envolvidas.2 Célula de mercúrio As células de mercúrio foram o primeiro método utilizado para produção de cloro em escala industrial. Sob a adoção de processos cuidadosos de controle. As cubas de mercúrio produzem um hidróxido de sódio mais puro. No processo de células de mercúrio são empregados um cátodo de mercúrio e um ânodo de titânio recoberto de platina ou óxido de platina.3 g de mercúrio por tonelada de cloro produzida no mundo. 9 . mas a pequena perda de mercúrio provoca danos ambientais.

O hidróxido de sódio obtido é mais puro e mais concentrado do que o obtido pelo método da célula de diafragma e.Figura 3: Célula de cátodo de mercúrio para produção de Cl2 e NaOH. Essa tecnologia é similar à empregada na célula de diafragma. Fonte: Grupo Tchê 2. Estima-se que cerca de 30% da produção mundial de cloro seja feita por meio desse processo.3 Membrana É o processo cuja tecnologia é a mais moderna e não poluente. mesmo que a concentração de hidróxido de sódio obtida seja menor.3. consome menos energia que o método da amálgama de mercúrio. O diafragma é substituído por uma membrana sintética seletiva que deixa passar íons de sódio.1. como este. sendo necessário concentrá-lo. Por outro lado. o cloro obtido pelo método da amálgama de mercúrio é mais puro. porém não permite a passagem de íons hidroxila e cloreto. 10 .

a tendência é que ele se concentre nos níveis mais baixos do prédio ou da área de ocorrência do vazamento.  Propriedades químicas: a) sendo muito eletronegativo.4 Os produtos 2. Embora o cloro seco (gás ou líquido) normalmente não reaja ou corroa alguns metais. e reage com muitas substâncias. Cloro O cloro é um elemento da família dos halogênios.Figura 4: Esquema de uma membrana. Sob pressão atmosférica. ele é fortemente reativo (extremamente corrosivo) quando há umidade presente.1. uma coloração amarela-esverdeada e é cerca de duas vezes e meia mais pesado que o ar. se o cloro vaza de um recipiente ou de uma instalação. produz cerca de 460 volumes de gás. havendo liberação de luz e calor (combustão. Estas reações são muito vivas. Reage 11 . a temperatura de ebulição é de -34 °C e congela aproximadamente a -101° C. O cloro líquido é de cor âmbar (amarelo escuro). Um volume de cloro líquido. Assim. como cobre ou aço carbono. não é explosivo ou inflamável. Será tanto mais viva quanto mais eletropositivo for o metal. quando evapora. mas ele pode suportar a combustão. é pouco solúvel em água e o gás tem um odor característico e penetrante. o cloro ataca a maior parte dos metais. onde o cloro é o comburente). Gasoso ou líquido.4. e é cerca de uma vez e meia mais pesado que a água. 2.

formando tricloreto ou pentacloreto de fósforo e cloreto de iodo.também com ametais. Soda cáustica o o o O hidróxido de sódio ou soda cáustica é um sólido iônico branco. agroquímicos. b) reage com o hidrogênio (reação fotoquímica). e) desloca bromo e iodo em brometos e iodetos. Graças a 12 . e as técnicas empregadas em cada empresa. o Empresa Solvay Indupa (SP) o Carbocloro (SP) o Braskem (BA) o Pan-America (RJ) o Igarassu (PE) o Braskem (AL) o DOW Química (BA) o Carbocloro (SP) o Cenibra (MG) o Jari Celulose (PA) o Anhembi (SP) o Nexen Brasil (ES) o Riocel (RS) o o o 2. não há reação. formando o gás clorídrico (HCl). c) reage com água formando ácido clorídrico e ácido hipocloroso (água de cloro).2. d) reage com soda cáustica a quente. como o fósforo e o iodo. Apresenta grande tendência a reagir com gorduras. e oxida cloretos de metais e ametais de Nox inferiores. e na presença de luz solar direta. o tratamento de água potável e de piscinas. como cloreto ferroso e estanoso.4. o remédios. branqueamento da celulose. muito higroscópico. solventes clorados. o agente alvejante. o A tabela a seguir apresenta os principais produtores de cloro no Brasil. possui efeito altamente corrosivo sobre a pele. formando cloreto e clorato de sódio. entre outros. o o o o o Processo o o Mercúrio o o o Diafragma o o Membrana Tabela 1: Principais produtores de cloro. Sendo uma base muito forte. a reação é explosiva.  Aplicações o o o o fabricação de PVC. Se a mistura for feita na ausência de luz.

que. Isto produz NaHCO3. a frio.3 Barrilha o o o A barrilha. simultaneamente à amônia. o O processo se inicia pela queima de carbonato de cálcio com o auxílio de coque: o o O CO2 obtido é CaCO3 → CaO + CO2. o produto alcalino obtido em maior quantidade. para a remoção de SO2 e H2SO4.4. É usada principalmente na obtenção de vidro. utilizados no tratamento de águas duras e na obtenção de polpa de madeira e papel. Como apresenta propriedades básicas. ou carbonato de sódio. tais como o fenolato de sódio usado nos anti-sépticos e na produção da aspirina e do álcool de amila usados em produtos farmacêuticos. usada como um produto intermediário na produção de numerosos outros produtos. Criado em 1861 pelo químico belga Ernest Solvay. NH3 e coque. mas também é empregada na preparação de fosfatos e polifosfatos de sódio. borbulhado então numa torre de carbonatação. este processo utiliza sal marinho. em meio alcalino e em baixa temperatura acaba por precipitar: o NaCl + CO2 + NH3 + H2O → NaHCO3↓ + NH4Cl 13 . CaCO3. O método de produção de barrilha é conhecido como processo Solvay (processo amônia-soda). o Devido a suas propriedades básicas. a soda cáustica é usada na fabricação de limpadores de forno e de produtos para desentupir pias. é. Além disso. é usada no tratamento de gases de exaustão de usinas termelétricas alimentadas a carvão ou óleo. numa solução de NaCl. depois do cloreto de sódio. pode ser usada na neutralização de emissões atmosféricas ácidas e na correção do pH de efluentes.isso. o o o o o 2. É também usada nas indústrias de papel e tecidos.

com o NH4Cl: o CaO + H2O → Ca(OH)2 o Ca(OH)2 + 2NH4Cl → 2NH3↑ + CaCl2 + H2O o Este processo recicla a amônia. e tem como único subproduto o CaCl 2. o o 14 . Isto fez com que substituísse completamente o processo LeBlanc. consome apenas sal marinho.o O Bicarbonato de sódio é separado por filtração e aquecido. CaCO3 e coque. que pode ser descartado no mar. para que se decomponha em Na2CO3. CO2 e água: o 2NaHCO3 → Na2CO3 + CO2↑ + H2O o Em paralelo. o CaO gerado na primeira etapa é reagido com água para formar Ca(OH)2 e é então utilizado na regeneração da Amônia. sendo utilizado até hoje.

2%.5%. Podemos verificar estas informações ao longo do exposto no presente trabalho. CONCLUSÃO o o o A retração da demanda doméstica e o aumento das incertezas continuam pressionando os indicadores da indústria de cloro e soda. Mesmo assim. para 292. e as de soda. No primeiro trimestre de 2016. em relação ao igual trimestre do ano anterior. o que representa uma redução de 3. soda e cloro continuam sendo importantes matérias-primas para vários segmentos industriais e sua indústria continua crescendo e produzindo conforme a demanda. o Pode-se entender esta queda financeira devido à atual situação política e econômica do nosso país.o 3.6%. no trimestre avaliado. O consumo aparente de soda cáustica no trimestre foi de 541. de 3. A taxa de utilização da capacidade instalada da indústria foi de 80.9 mil toneladas. a retração foi maior.3 mil toneladas.2% menor que em igual intervalo de 2015. a produção brasileira de cloro teve variação negativa de 2. recuaram 5. com 306.8% ante os primeiros três meses de 2015. o o 15 . para 305. o As vendas totais de cloro caíram 14.811 mil toneladas.6%.6 mil toneladas. 12. Em relação ao cloro.7 % no mesmo período.7%. No caso da soda cáustica. para 35. o consumo aparente apresentou queda de 2.1 mil toneladas. para 333. na comparação com o mesmo período de 2015.599 mil toneladas.

o o Fernandes. Gloria.com/ilustra%C3%A7%C3%A3ostock-fabrica%C3%A7%C3%A3o-industrial-de-cloro-e-de-soda-c%C3%A1usticaimage67836772.com. Processo de Fabricação de soda e cloro. Acesso em 21/05/2016. Rio de Janeiro. 1980. 16 . O Setor de Soda-Cloro no Brasil e no Mundo.com. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS o o o Abiclor – Associação Brasileira da Indústria de Álcalis.o 4. Acesso em 21/04/2016. Ilustração de uma célula de membrana para produção industrial de cloro e soda. 4ª ed. BNDES Setorial.deboni. Acesso em 21/05/2016. R. J. Acesso em 21/05/2016. A. Disponível em: http://pt.com/cultura/como-o-sal-de-cozinha-e-extraido-do-mar/. Guimarães. n. N.abiclor. o o Grupo Tchê Química. 2009 o o Cultura Mix.. 279-320. Brink Jr. A. E.dreamstime. Guanabara Dois: Rio de Janeiro.htm. Disponível em: http://www.br/.br/tq/sal/fabrisoda. Cloro e Derivados.culturamix.. Como o sal de cozinha é extraído do mar? Disponível em: http://www. Disponível em: http://www. A. M. S. o o Dreamstime. 29.. mar. p.he. o o Shreve. B. Indústria de Processos Químicos.