Programa de segurança PSIG

J 42500101_PT/03

Inspeção de Segurança Periódica
Generalidades
Introdução

Este documento foi desenvolvido para estabelecer uma metodologia genérica sobre a
forma de efetuar ensaios de segurança e ensaios para os componentes relevantes do
ascensor críticos para a segurança. Contudo, a documentação específica do produto tem
de ser respeitada em caso de qualquer desvio. O inspetor da CPSI dos 5 anos tem de
avaliar o estado do ascensor (plano de disposição da MR, acesso ao poço, etc.) e as
condições de segurança do ensaio. Com base na avaliação acima referida, o inspetor tem
de decidir se efetua sozinho a verificação dos 5 anos, ou com um segundo técnico.

Objetivo

Este documento tem por objetivo fornecer uma abordagem genérica consistente sobre
como verificar e submeter a ensaio os componentes predefinidos independentemente do
projeto do ascensor. Adicionalmente, prevalecem sempre legislação, norma ou código
nacionais e normas mais rigorosas.

Âmbito

Os componentes de segurança críticos relevantes abrangidos pelas CPSI são os seguintes:
1) Freio da máquina
2) Portas de patamar
3) Circuito de segurança
4) Dispositivo de monitorização de desaceleração
5) Paraquedas e limitador de velocidade
6) Dispositivos de comunicação na cabina
7) Dispositivos de segurança da porta da cabina.

Aplicação

Exclusivamente para
profissionais qualificados.
A versão atual do manual
de segurança e quaisquer
requisitos de segurança
devem ser consultados e
respeitados antes do início
dos trabalhos
– Antes de efetuar qualquer ensaio, assegurar que a cabina está vazia e que o ascensor
está isolado do grupo multiplex (se existente).
– Respeitar rigorosamente os procedimentos para acesso seguro e saída do teto da
cabina e do poço.

Este documento é uma tradução da versão principal
em inglês J 42500101_03 publicada.
O escritório à direita é responsável pelo mesmo.
Modificação:
N.º KA:
Data KA:

KG:
Nome:
Data:

euroscript Switzerland AG
08.05.2014

03
600047
07.06.2014

Copyright © 2014 INVENTIO AG Direitos reservados.
Todos os direitos de autor e outros direitos de propriedade intelectual deste manual pertencem a INVENTIO AG, Seestrasse 55, CH-6052 Hergiswil. Poderá apenas
ser utilizado por pessoal SCHINDLER ou por agentes autorizados SCHINDLER para fins do interesse da SCHINDLER. Toda e qualquer reprodução, tradução, cópia
ou armazenamento em unidades de processamento de dados, sob qualquer forma ou por qualquer meio, sem o consentimento prévio da INVENTIO AG será
considerada violação e será objecto de acção judicial.

Página 1/40

Índice
1

* Ensaio do freio da máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.1
* Ensaio de funcionamento do freio . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.2
* Ensaio de força de frenagem à VKN (Ensaio de desempenho do freio)
1.3
* Ensaio de funcionamento de sistemas hidráulicos . . . . . . . . . . .
2
* Portas de patamar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3
* Circuito de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4
* Dispositivo de controlo da desaceleração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5
* Ensaios do limitador de velocidade e do paraquedas . . . . . . . . . . . . . . . .
5.1
* Verificações no limitador de velocidade. . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2
* Verificações e ensaios do paraquedas . . . . . . . . . . . . . . . . .
6
* Dispositivos de comunicação na cabina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
7
* Segurança da porta de cabina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A1 * Documentos relacionados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A2 * Abreviaturas/acrónimos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A3 * Ferramentas adicionais recomendadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Programa de segurança PSIG
Manutenção
Copyright © 2014 INVENTIO AG

J 42500101_PT

3
4
11
21
23
25
27
28
28
34
38
39
40
40
40

03
2/40

1

* Ensaio do freio da máquina
Sem redutor

Planetária com
redutor

Máquina
semirredutora

Com redutor

SGB 142
[45017; 27.09.2012]
W200/W250
[44995; 26.09.2012]

FM280
[44989; 25.09.2012]
P420/P450
[44993; 26.09.2012]
FMB130
[45016; 27.09.2012]

Flydrive W125/W140
[44996; 26.09.2012]

PMS420
[22242; 04.06.2007]
Exemplo de tipos de máquina - Sem redutor e Com redutor

Ascensores com e sem redutor com e sem casa de máquinas
Definição
do ensaio

Os ensaios que se seguem aplicam-se de acordo com o tipo de máquina e com a frequência
da inspeção no que respeita à sequência predefinida neste documento genérico:
 Força do freio de paragem: Ensaio de deslizamento estacionário
 Força do freio à VKI: "Ensaio de 1 segundo" à velocidade de inspeção
 Força do freio à VKN: Ensaio de desempenho à velocidade nominal.
A frequência dos ensaios PSI (anual ou 5 anos) é definida de acordo com J 42500105.

Programa de segurança PSIG
Manutenção
Copyright © 2014 INVENTIO AG

J 42500101_PT

03
3/40

1.1

* Ensaio de funcionamento do freio

N.º Com redutor [G]
Sem redutor [Gs]

Degrau

1

G / Gs

Verificações prévias MRL
Respeitar rigorosamente o procedimento para acesso seguro ao
teto da cabina, antes de efetuar quaisquer verificações no freio.
Todas as verificações e ensaios têm de ser efetuados de acordo
com a documentação específica do produto.

2

G / Gs

Verificações prévias gerais
Colocar o ascensor em funcionamento à VKI e verificar se não existe
qualquer ruído anormal durante a abertura e fecho do freio.
Abertura elétrica
Verificar a abertura elétrica para assegurar que o eletroíman possui
força suficiente para abrir o freio.
Abertura manual
Verificar a abertura manual para assegurar que o freio não
permanecerá aberto quando acionado manualmente.
Ruído de impacto como indicador de ajuste incorreto do freio
 Se for audível um ruído metálico de impacto quando o eletroíman
abre o freio, isso indica que o êmbolo do eletroíman embate
com muita força contra o respetivo limitador de curso interno.
 Se o freio fechar com um ruído de impacto proveniente da
abertura, isso indica que a folga de abertura ultrapassa as
tolerâncias devido a desgaste dos revestimentos.
Outras indicações de avaria do freio
 Temperatura excessiva dos braços do freio ou do tambor do freio
(normalmente, a cor azul do tambor).
 Desgaste rápido dos revestimentos e/ou pó dos revestimentos
nas zonas adjacentes (especialmente no caso de VF e Dynatron,
pois a principal função do freio é a retenção).
 O freio não está a abrir/fechar completamente (movimento limitado
do êmbolo devido a resistência mecânica, baixa tensão, definições
de molas, etc.).
Se for detetada uma avaria do freio, o ascensor não pode ser
novamente colocado em serviço enquanto o freio não for
ajustado ou substituído.

Programa de segurança PSIG
Manutenção
Copyright © 2014 INVENTIO AG

J 42500101_PT

03
4/40

20.12.2013] 1 2 3 4 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Braço do freio Eletroíman Revestimento do freio Tambor do freio J 42500101_PT 03 5/40 .12. 20.3 G / Gs Verificações do mecanismo do freio: Eletroíman de expansão simples 2 3 4 5 1 Eletroíman de expansão simples [49674.2013] 1 2 3 4 5 Braço do freio Êmbolo Eletroíman Revestimentos do freio Tambor do freio Eletroíman de expansão dupla 2 3 4 1 Eletroíman de Expansão Dupla [49673.

N. verificar se o entreferro dos eletroímanes está dentro do intervalo admissível de acordo com a documentação específica do produto. Antes de efetuar quaisquer ajustes no freio. 3.1 Verificar se o tambor/disco não apresentam riscos. a cabina tem de ser bloqueada com o dispositivo de bloqueio. Verificar se o mecanismo do freio e todos os seus componentes estão em bom estado.3 Observar se os revestimentos estabelecem contacto total com o tambor com o ascensor parado e o freio fechado. ou sistema de segurança equivalente. espessura está dentro das tolerâncias e devidamente fixados nas pastilhas). Aceder em segurança ao teto da cabina e verificar se o mecanismo do freio e todos os seus componentes estão em bom estado. J 42500101_PT 03 6/40 .2 Verificar se os revestimentos estão em bom estado (ausência de desgaste.º Com redutor [G] Degrau Sem redutor [Gs] 3 G / Gs MR: Enviar a cabina vazia para o último piso superior e desativar as chamadas do ascensor. 3. 3.4 Gs Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Verificar se os o-rings dos eletroímanes estão em bom estado e se as caixas estão isentas de sujidade. Com um apalpa folgas. nem contaminação com óleo/massa lubrificante. 3. MRL: Enviar a cabina vazia para o último piso superior e desativar as chamadas do ascensor.

o curso tem de ser ajustado de acordo com a documentação específica do produto e.7 3. 3. porcas. J 42500101_PT 03 7/40 . assegurar que a comutação é efetuada em simultâneo. e selado com marcação permanente. Consoante o tipo de eletroíman. pinos. em seguida. parafusos. A falta de selo do Indicador pode refletir um ajuste incorreto do curso. Remover os contactos de freio. 20. Na abertura do freio. a máquina não pode funcionar com o freio fechado ou parcialmente fechado. E Definição E da Mola [49675. Se o indicador de curso não estiver selado. Nota: Se existirem dois contactos de freio. se não estiverem ligados ao comando. Se o(s) contacto(s) de freio estiver(em) instalados e ligados ao comando. Verificar se o perno de manilha está na horizontal e se o perno de manilha tem uma distância mínima em relação ao indicador de curso > 1 mm. anilhas (fixados. o indicador tem de ser ajustado.6 G / Gs 1 Êmbolo 2 Perno de manilha 3 Indicador/Bitola R Reserva de curso Verificar as definições E corretas das molas e verificar se as molas se encontram em bom estado (ausência de ferrugem.2013] 3. apertados.9 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG E = Compressão da mola Verificar o ajuste correto e o aperto dos batentes da pastilha do freio e verificar a integridade de todas as ligações. na posição correta e em bom estado). o(s) contacto(s) de freio deve(m) comutar para o estado "freio aberto" antes de os braços do freio atingirem a posição de abertura total. No fecho do freio.5 G Verificar se os indicadores/bitolas estão presentes e selados.8 3. o(s) contacto(s) de freio deve(m) comutar para o estado "freio fechado" antes de os revestimentos do freio tocarem no tambor do freio. danos ou fissuras). no que respeita à folga mínima em relação ao perno de manilha.12.º Com redutor [G] Degrau Sem redutor [Gs] 3.> 1 mm N. verificar se a tensão de alimentação do eletroíman está dentro do intervalo admissível de acordo com a documentação específica.

Freio do motor 3.09. tipo BS11 sem UA [45003.2012] 1 2 3 4 5 6 Parafuso de ajuste do varão Varão Mola principal do freio Parafuso do batente Haste Parafuso do batente Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG 7 8 9 12 13 14 Caixa da maxila do freio Revestimento da maxila do freio Revestimento da maxila do freio Parafuso de ajuste do amortecedor Pêndulo de acionamento Roda segmentada J 42500101_PT 03 8/40 . 27.10 G Verificações específicas para o conjunto de componentes do freio do motor (por exemplo. de tipo BS): 5 12 13 14 3 2 1 4 6 7 9 8 Exemplo de conjunto de componentes do freio do motor.

26.5 12 A 10 11 A-A 13 10 11 15 Exemplo de conjunto de componentes do freio do motor.09. de tipo BS):  Verificar o amortecedor BS (ausência de desgaste)  Verificar a roda segmentada (ausência de ruturas)  Verificar o batente da roda segmentada (ausência de desgaste)  Verificar a engrenagem em bronze (não apresenta dentes partidos)  Verificar o conjunto das molas de lâminas (ausência de ruturas)  Verificar os pêndulos de acionamento (ausência de desgaste)  Verificar os contactos UA fixos e móveis (ausência de desgaste)  Verificar todas as peças móveis entre a roda segmentada e a haste elevadora do freio. ligações e varões  Verificar se a haste elevadora pode deslocar-se livremente quando o freio é aplicado  Verificar se a distância entre as maxilas do freio está distribuída uniformemente. Nota: O desgaste excessivo do batente da roda segmentada pode ter a mesma consequência que molas de lâminas partidas ou em falta. permitindo que a roda segmentada oscile demasiado. ou seja.º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] 3. tipo BS11 com UA [45012. ausência de desgaste em alavancas.10 G Degrau Verificações específicas para o conjunto de componentes do freio do motor (por exemplo. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 9/40 .2012] 5 Haste (abertura manual) 12 Parafuso de ajuste do amortecedor 10 Contacto UA fixo 13 Pêndulo de acionamento 11 Contacto UA móvel 15 Carro do contacto UA móvel N.

 Verificar se os componentes. verificar o funcionamento do interruptor.N. colocar o ascensor em funcionamento em ambos os sentidos e observar a folga entre o tambor e os revestimentos. com uma duração limitada foram substituídos em conformidade (bateria. FA ± 10). se a montagem não estiver incluída no projeto.º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] 4 G / Gs Verificações e ensaios dos sistemas de evacuação:  Verificar se o volante manual está disponível e armazenado devidamente (se o projeto não estipular a fixação).)  Identificar o sentido da máquina/cabina e assegurar que a indicação do nível do piso está disponível e visível (marcas nos cabos principais. pelo menos para metade de um piso. O volante manual não deve deslocar-se facilmente (se o volante manual não estiver incluído no projeto. 7 G / Gs Ensaio de força de frenagem à VKI: Deslocar o ascensor no sentido de subida à VKI. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Degrau J 42500101_PT 03 10/40 . 6 G / Gs Verificação da folga de abertura do freio para ascensores MRL: Ligar o interruptor principal. alavanca de abertura do freio está disponível. LUET. Verificar na máquina se a caixa da alavanca de abertura não apresenta desgaste ou danos). é a adequada e está armazenada na casa de máquinas.)  Efetuar um ensaio de evacuação. Esta folga deve ser mínima e os revestimentos não devem fazer atrito no tambor quando o freio está aberto.  Se a alavanca de abertura do freio for amovível. verificar se a precisão de paragem se encontra dentro das tolerâncias admissíveis (EG ± 30. ignorar este ensaio). 5 G Ensaio de força do freio de paragem: Assegurar que o ascensor está desligado e depois efetuar um ensaio de força do freio de paragem tentando rodar fisicamente o volante manual no sentido de subida da cabina. e assegurar que o freio fecha quando o sistema de abertura não está ativado. remover da máquina e armazená-la no local especificado (se a alavanca amovível de abertura do freio permanecer na máquina. relacionados com o sistema de evacuação. impedindo assim o fecho do freio). em seguida parar o ascensor e observar se o tempo de deslocação do cabo é de aproximadamente 1 segundo (continuar com o ensaio seguinte à velocidade VKN apenas se o ensaio de força de frenagem à VKI tiver sido efetuado com êxito). a alavanca de abertura manual pode obstruir o curso do êmbolo. Se o local do volante manual estiver equipado com um interruptor. etc. cabo Bowden. etc. 8 G Para ascensores a uma velocidade (EG) e a duas velocidades (FA).  Verificar a integridade e o bom estado do sistema de evacuação e de todos os componentes inerentes (Instrução de evacuação no(s) idioma(s) local(locais).

AVISO Danos nas portas de patamar Se o interruptor principal for utilizado para forçar a paragem de emergência. 1:1 2:1 5 3 3 4 4:1 3 1 2 4 5 4 1 1 2 2 Sistemas de Disposição de Cabos Suspensos .2 * Ensaio de força de frenagem à VKN (Ensaio de desempenho do freio)  Todos os ensaios são realizados com a cabina vazia.04.Casa de Máquinas em cima [34805.  Para ascensores MRL. efetuar o ensaio de desempenho de acordo com as instruções da documentação específica do produto. 14. Antes de qualquer ensaio assegurar que a cabina está vazia e que não pode ser utilizada.1. pode provocar danos nas portas de patamar. Assegurar que o linguete não danifica as portas de patamar.2010] 1 2 3 4 Contrapeso Cabina Roda do acionamento/de tração Rodas de desvio Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG 5 Ponto de suspensão 1:1 Velocidade da roda de tração = velocidade da cabina 2:1 Velocidade da roda de tração = 1/2 x velocidade da cabina 4:1 Velocidade da roda de tração = 1/4 x velocidade da cabina J 42500101_PT 03 11/40 .

14.10. 01.2010] 1:1 2:1 5 3 3 2 4 2 1 1 Sistemas de Disposição de Cabos Suspensos .04.Sem Casa de Máquinas [45057.Casa de Máquinas em baixo [34807.2012] 1 2 3 4 Contrapeso Cabina Roda do acionamento/de tração Rodas de desvio Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG 5 Ponto de suspensão 1:1 Velocidade da roda de tração = velocidade da cabina 2:1 Velocidade da roda de tração = 1/2 x velocidade da cabina 4:1 Velocidade da roda de tração = 1/4 x velocidade da cabina J 42500101_PT 03 12/40 .1:1 2:1 4 5 4 4 2 1 4:1 1 3 5 4 3 2 1 2 3 Sistemas de Disposição de Cabos Suspensos .

 Enviar a cabina para o último piso inferior e deslocar o ascensor à VKN na direção SUBIR.  Enviar o ascensor de volta à VKI e medir a distância entre as duas marcas nos cabos. MRL). de acordo com os seguintes parâmetros: Tipo de máquina com / sem redutor. MR em baixo. efetuar uma paragem de emergência quando a marca nos cabos de suspensão passar a marca na bancada da máquina.  Enviar a cabina vazia para o último piso inferior e deslocar o ascensor à VKN no sentido de subida.º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] Degrau 2 G / Gs Ensaios de desempenho com "Método de deslizamento do freio": 2.  Colocar marcas bem visíveis nos cabos de suspensão e uma marca correspondente na bancada da máquina.º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] 1 G / Gs Degrau Ensaio de desempenho com "Tempo de deslocação do cabo durante a frenagem":  Identificar o tempo de deslocação do cabo durante a frenagem na tabela adequada. N. Para ascensores de tambor.  Verificar se o tempo de deslocação do cabo está dentro das tolerâncias indicadas na tabela "Método de deslizamento do freio" adequada para máquinas com ou sem redutor. MRL). enviar a cabina para o último piso superior e deslocar o ascensor no sentido de descida à VKN. MR em baixo. VKN do ascensor e fator de suspensão de acordo com o projeto (MR em cima. premir novamente o cronómetro para suspender o registo do tempo.Procedimentos alternativos para ensaio de desempenho do freio N. de acordo com os seguintes parâmetros: Tipo de máquina com / sem redutor. Para ascensores de tambor. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 13/40 .  Enviar a cabina vazia para o meio da caixa e desligar o ascensor. enviar a cabina para o último piso superior e deslocar o ascensor no sentido de descida à VKN.  Quando o ascensor atingir a VKN.  Marcar novamente os cabos no local de referência da bancada.  Verificar se a distância de frenagem dos cabos está dentro das tolerâncias indicadas na tabela "Método de deslizamento do freio" adequada para máquinas com e sem redutor.  Quando o ascensor atingir a VKN. Observar se os cabos do ascensor continuam a mover-se quando a roda de tração já tiver parado completamente. VKN do ascensor e fator de suspensão de acordo com o projeto (MR em cima. efetuar uma paragem de emergência e ativar simultaneamente o cronómetro.  Assim que os cabos do ascensor pararem por completo.1 G / Gs Ensaio alternativo 1: Distância de frenagem dos cabos  Identificar a distância de frenagem dos cabos na tabela adequada.

Para comparação.2 G / Gs Degrau Ensaio alternativo 2: Deslocação do cabo do limitador de velocidade durante a frenagem Condições prévias:  Este é um método alternativo que requer acesso ao cabo do limitador de velocidade e ao interruptor KBV. ao mesmo tempo. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 14/40 . ler e registar o valor medido. Procedimento de ensaio:  Enviar a cabina vazia para o último piso inferior e deslocar o ascensor à VKN no sentido de subida.  Utilizar um taquímetro para efetuar a medição da distância de frenagem no cabo do limitador de velocidade.  Posicionar o disco do taquímetro (com o gorne adequado) no cabo do limitador de velocidade.  Quando o ascensor parar por completo. forçar uma paragem de emergência acionando o contacto KBV e.º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] 2. utilizar apenas os dados KZU = 1 na tabela correspondente.  Quando o ascensor atingir a VKN. premir o botão no taquímetro para ativar a medição da distância.  Utilizar dados para KZU = 1 apenas a partir da tabela "Método de deslizamento do freio".N.  Verificar se a distância medida está dentro das tolerâncias indicadas na tabela "Método de deslizamento do freio" adequada para máquinas com e sem redutor.

20 0.12 4 1.0 1.60–6. Resultados que estejam fora dos intervalos (Normal e Alerta) indicam não conformidade com risco imediato.31 2 0.33 1.24–0.66–3.24–1.32 5.30 2 0.12 4 1.20–10.41 0.27 2 0.0 1.12–0. Verificar a tração.64 0.80 1.0 0.32–0.58–0. Isto indica a não conformidade possível com risco potencial baixo ou elevado.49 0.26–0.70 1 0.7–2.6–2.51–1.27 3.20 3.08–1.1 1.63–2.4 2.50 1.3 0.60 1.70 0.16 2.3–1.12 0.3–3.1 1.03 2.19 2 0.2–3.2–1.5–1.5 0.37 4 0.5 0.60 1 0.2 0.56 2 0.06 2 1.5–2.80 0.63 1.28–0.28 1.3–3.82 0.3 2.13–0.56–5.00 4 - - Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Alerta Tempo de deslocação do cabo durante a frenagem [s] Normal Alerta 0.4–4.24 0.75 2.68 2 0.00 1.20–0.53–9. equilibragem do sistema.00–3.34–4.12 4 - - 1 0.67–2. Colocar o ascensor fora de serviço até que o freio seja reajustado.32 0.58 0.40 2 0.78–2.00 2 1.2–1.1–1.5 - - 0. Alerta: A distância de frenagem dos cabos está dentro do intervalo de alerta.4 0.0 0.80–3.20–0.10–0.16–2.16–0.00 4 1.00 2 0.80–1.25 1.28–1.53 6.41–0.08 1.80 4 0.64–0.0 0.17–0.64–2.54–0.05 1 0.40 2.50–1.20 1 0.2–0.80 1. O freio funciona corretamente e a instalação passa no ensaio.40 0.2 2.51 2 0.66 2.60 1.20 7.27–4.32–6.6 0.40–1.4–1.60 3.20 1 0.04–0.40 0.49–0.33–1.12–0.2 0.04–0. reparado.08 1 0.06 4.54 0.64 1.40–4. etc.63 0.5–1.60–5.00 1 0.6 1. ou substituído.3 1.43–1. VKN [m/s] KZU Distância de frenagem dos cabos [-] [m] Normal 0.5–2.4 0.24 1 0.3 2.28 0.72–7.08–0.1–1.06–6.80 0.86–3.02–4.80 4.74 1 0.50 0.80–8.56 2 0.40–0.03–3.25 0.1 2.60 4 1.00 1 0.80–2.02–0.Distância de frenagem dos cabos Máquinas com redutor Normal: A distância de frenagem dos cabos está dentro do intervalo normal.39–1.3–1.62 4 0.6–2.06–0.54 4 0.16–1.03 4 0.80–1.25–0.40–1.20–4.1–2. ajuste do freio.68–2.0–1.51–2.16 1.6–2.3–1.34–1.82–1.08–0.24 1 0.0 J 42500101_PT 03 15/40 .60–2.35 4 0.0–1.

64–2.0 5. Resultados que estejam fora dos intervalos (Normal e Alerta) indicam não conformidade com risco imediato.6–6.86 7.50 Distância de frenagem dos cabos Máquina sem redutor KZU Distância de frenagem dos cabos [-] [m] Normal Alerta 1 1.0 1.4 1.00 4 0.38–1. reparado.0 0.2–3.00 2 3. ou substituído. O freio funciona corretamente e a instalação passa no ensaio.70 1.38 4.50 4.56–5.0–8.40–22.0 0.00 1 10.00 5.42 11.3–1.40 1 1.13–0.99–3.00 1 0.64 3.50 17.63 1.43 1.20 2 1.33–1.24 1 0.23–4.84–6.84 2.60–5.00 1 0.82–4.6 3.3 0.5 0.71–62.66 2 2.86 2.5–12.7–10.60 1.42–20.00–17.2 12.8 1.84–5.75 2.71 0.76 8.00 2 1.VKN [m/s] 2.20–12.28 0.67–2.9–3.00 1 8.86 17.0 Normal: A distância de frenagem dos cabos está dentro do intervalo normal.98–7.4–1.3–5.9 1.00 1 8.50 4 - - Tempo de deslocação do cabo durante a frenagem [s] Normal Alerta 0.15 3.86–4.08–12.2 2.13 1 0.60 1.2 0.0 0.00 1.9 2.93 8.9 0.40 2 0.00 1 3.17–0.2–0.5 0.4–5.30 6.70–3.6–5.90–17.00 1 9. VKN [m/s] KZU [-] Distância de frenagem dos cabos [m] Tempo de deslocação do cabo durante a frenagem [s] Normal Alerta 1 0.28–5.00 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Normal Alerta 0.50 3.57 0.7–2.8 1.2–4.79 4 0.56 2 0.4–11.5 7.54 3.71–10.60 2 5.71 5.69–10.93–15.00 2 0.86–22.50 1.86 22.86–31.13–1.26–1.8–6.25 2 1.00–35.60 1.40 3.4 6.08–7.50–8. ajuste do freio.76–15.93 28.8–2.50–30.00 1 2.28–0. Verificar a tração.7 6.8–2.2 10.9 0.0 J 42500101_PT 03 16/40 .57–0.0–3.04–3.60 3.5–1.00 2.42 1.38–7.00–3.78–2.69 5.32–1.82 1.4 0.4–1.4–2.77–3.60–6.71 35.64–8.10–28. etc. equilibragem do sistema.84 2.45–8.71–1.86–40.40–6.43–2.59 1 0.54–6.5 2.20–11.9 2.8–4. Alerta: A distância de frenagem dos cabos está dentro do intervalo de alerta.20 7.25 2 2.93–50.68 5.60–12.8–3.06 2 0.50 2.68–12.07–0.12 4 1.3–7.50–1. Isto indica a não conformidade possível com risco potencial baixo ou elevado.3 4.00 1.31 1 1.9–5.13 1.3 2.6–2.0–7.5 4.9–5.08 7. Colocar o ascensor fora de serviço até que o freio seja reajustado.7 5.5–4.42–2.6–2.50 1 0.9–1.

Comparar esta distância com o deslizamento calculado. Assegurar que o resultado está de acordo com os valores indicados na tabela. deslocar a cabina no sentido de subida até que a mesma atinja a VKN.  Quando a roda de tração parar. assegurar que marca o cubo (parte interna da roda de tração). utilizar o "Método de deslizamento do freio".º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] 3 G Degrau Ensaio de desempenho com "Método do Mostrador" (para máquinas com redutor): Nota: Antes de iniciar o ensaio. Para rodas de tração de alta velocidade. voltando ao último piso inferior.30' = 2 horas 30 minutos.00' do mostrador).  Deslocar a cabina para o último piso inferior.  Por exemplo: Uma medição no mostrador de 2 1/2 rotações = 02. Os valores da medição do mostrador deverão situar-se dentro dos valores indicados na tabela "Força de frenagem .  Iniciar uma paragem de emergência. – Se o deslizamento medido for superior ao deslizamento calculado. no momento em que a marca na roda de tração está no topo (na posição 00.  Deslocar a cabina para o último piso inferior. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 17/40 .  Efetuar uma viagem completa de subida e descida.N.  Fazer uma marca claramente visível na roda de tração. – Distância do curso útil [m] x KZU = deslizamento [mm].Método do mostrador".  Marcar uma linha reta através da roda de tração e dos cabos. verificar no mostrador a posição da marca na roda de tração.  Medir a distância entre as duas marcas na roda de tração e os cabos. aproximadamente a 1/2 HQ.  Com a cabina vazia (e as portas fechadas e encravadas).  Ter em consideração o sentido de rotação. assegurar que o deslizamento do cabo se encontra dentro do intervalo aceitável.

ou substituído. Colocar o ascensor fora de serviço até que o freio seja reajustado. ajuste do freio. Verificar a tração.75 2.25 0.50 1. etc.63 0.40 %) 1 rotação = 60' = 1 hora DD = 450 [mm] DD = 570 [mm] Normal Alerta Normal Alerta 00:01–00:05 00:05–00:08 N/A N/A 00:02–00:10 00:10–00:16 N/A N/A 00:03–00:21 00:21–00:31 N/A N/A 00:02–00:08 00:08–00:11 N/A N/A 00:03–00:15 00:15–00:23 00:03–00:13 00:13–00:18 00:07–00:31 00:31–00:46 00:05–00:27 00:27–00:36 00:03–00:12 00:12–00:13 N/A N/A 00:05–00:25 00:25–00:26 00:04–00:19 00:19–00:21 00:10–00:49 00:49–00:53 00:08–00:39 00:39–00:42 00:04–00:14 00:14–00:17 00:03–00:11 00:11–00:13 00:08–00:27 00:27–00:38 00:07–00:21 00:21–00:27 00:17–00:54 00:54–01:08 00:13–00:43 00:43–00:54 00:05–00:17 00:17–00:22 00:04–00:14 00:14–00:17 00:11–00:35 00:35–00:44 00:09–00:28 00:28–00:34 00:22–01:10 01:10–01:27 00:17–00:55 00:55–01:09 00:07–00:23 00:23–00:29 00:06–00:18 00:18–00:23 00:14–00:46 00:46–00:57 00:11–00:36 00:36–00:45 00:29–01:32 01:32–01:55 00:23–01:12 01:12–01:31 00:11–00:34 00:34–00:40 00:08–00:27 00:27–00:31 00:21–01:08 01:08–01:20 00:17–00:54 00:54–01:03 N/A N/A 00:34–01:47 01:47–02:06 00:17–00:56 00:56–01:06 00:13–00:45 00:45–00:52 00:33–01:53 01:53–02:12 00:26–01:29 01:29–01:45 N/A N/A N/A N/A 00:17–01:09 01:09–01:38 00:13–00:55 00:55–01:17 00:34–02:19 02:19–03:15 00:27–01:50 01:50–02:34 N/A N/A N/A N/A 00:18–01:18 01:18–01:49 00:14–01:01 01:01–02:56 00:37–02:36 02:36–03:37 00:29–02:02 02:02–02:52 N/A N/A N/A N/A 00:22–01:26 01:26–02:10 00:17–01:08 01:08–01:43 N/A N/A 00:34–02:16 02:16–03:25 N/A N/A N/A N/A 00:22–01:40 01:40–02:50 00:22–01:19 01:19–02:14 N/A N/A 00:45–02:37 02:37–04:28 N/A N/A N/A N/A J 42500101_PT 03 18/40 . equilibragem do sistema. Isto indica a não conformidade possível com risco potencial baixo ou elevado.00 1.50 0. VKN [m/s] 0.00 KZU [-] 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Posição de paragem da roda de tração Valor máximo da medição com mostrador (+ 0/.70 0. 570 mm Normal: A distância de frenagem dos cabos está dentro do intervalo normal. Alerta: A distância de frenagem dos cabos está dentro do intervalo de alerta. reparado. Resultados que estejam fora dos intervalos (Normal e Alerta) indicam não conformidade com risco imediato. O freio funciona corretamente e a instalação passa no ensaio.40 0.Medição no mostrador Máquina com redutor DD = 450.25 1.60 1.80 1.

50 Medição no mostrador Máquina com redutor DD = 520 mm Caracas VKN [m/s] 1 2 4 KZU [-] Posição de paragem da roda de tração Valor máximo da medição com mostrador (+ 0/.00 1.20 1.50 0.63 0.40 %) 1 rotação = 60' = 1 hora DD = 715 [mm] Normal 0.00 1.40 %) 1 rotação = 60' = 1 hora DD = 520 [mm] 1.60 Medição no mostrador Máquina com redutor DD = 715.40 %) 1 rotação = 60' = 1 hora DD = 450 [mm] DD = 570 [mm] Normal Alerta Normal Alerta 00:44–02:32 02:32–04:25 00:35–02:00 02:00–03:30 N/A N/A N/A N/A N/A N/A N/A N/A Posição de paragem da roda de tração Valor máximo da medição com mostrador (+ 0/.25 Normal Alerta 1 N/A N/A N/A N/A 2 00:02–00:11 00:11–00:14 N/A N/A 4 00:04–00:21 00:21–00:29 00:03–00:17 00:17–00:23 1 N/A N/A N/A N/A 2 00:03–00:16 00:16–00:17 00:03–00:12 00:12–00:13 4 00:06–00:31 00:31–00:33 00:05–00:25 00:25–00:26 1 00:03–00:09 00:09–00:11 N/A N/A 2 00:05–00:17 00:17–00:22 00:04–00:14 00:14–00:17 4 00:11–00:34 00:34–00:43 00:08–00:27 00:27–00:34 1 00:03–00:11 00:11–00:14 00:03–00:09 00:09–00:11 2 00:07–00:22 00:22–00:27 00:05–00:17 00:17–00:22 4 00:14–00:44 00:44–00:55 00:11–00:35 00:35–00:44 1 00:05–00:14 00:14–00:18 00:04–00:11 00:11–00:14 2 00:09–00:29 00:29–00:36 00:07–00:23 00:23–00:29 4 00:18–00:58 00:58–01:12 00:14–00:46 00:46–00:57 1 00:07–00:21 00:21–00:25 00:05–00:17 00:17–00:20 2 00:13–00:43 00:43–00:50 00:11–00:34 00:34–00:40 4 00:27–01:26 01:26–01:40 00:21–01:08 01:08–01:20 1 00:10–00:36 00:36–00:42 00:08–00:28 00:28–00:33 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Alerta DD = 900 [mm] J 42500101_PT 03 19/40 .50 1.VKN [m/s] 2.70 0. 900 mm KZU [-] VKN [m/s] Normal Alerta 1 00:09–00:29 00:29–00:37 2 00:18–00:59 00:59–01:13 4 00:37–01:58 01:58–02:27 1 00:11–00:42 00:42–00:56 2 00:23–01:23 01:23–01:52 1 00:15–01:00 01:00–01:25 2 00:29–02:00 02:00–02:49 1 00:16–01:06 01:06–01:34 2 00:32–02:12 02:12–03:08 KZU [-] Posição de paragem da roda de tração Valor máximo da medição com mostrador (+ 0/.40 0.80 1.

00 2. 5 G / Gs Ascensores MRL sem ensaio incorporado (exemplo para configuração de alguns ascensores): Enviar a cabina para o último piso inferior. Quando o ascensor tiver parado por completo. isto irá servir como uma marca para efetuar a paragem de emergência quando a cabina passar e tocar na folha de papel. Comparar a distância medida com o valor correspondente da tabela de distâncias de frenagem. SMLCD. Deslocar o ascensor à VKN no sentido de subida. Prosseguir com o ensaio de desempenho do freio.50 Normal Alerta Normal Alerta 2 00:21–01:11 01:11–01:23 00:17–00:56 00:56–01:06 4 N/A N/A N/A N/A 1 00:11–00:44 00:44–01:01 00:08–00:35 00:35–00:49 2 00:21–01:27 01:27–02:03 00:17–01:09 01:09–01:38 4 N/A N/A N/A N/A 1 00:11–00:49 00:49–01:08 00:09–00:39 00:39–00:54 2 00:23–01:38 01:38–02:17 00:18–01:18 01:18–01:49 4 N/A N/A N/A N/A 1 00:14–00:54 00:54–01:22 00:11–00:43 00:43–01:05 2 00:27–01:49 01:49–02:44 00:22–01:26 01:26–02:10 4 N/A N/A N/A N/A 1 00:18–01:02 01:02–01:47 00:14–00:50 00:50–01:25 2 00:36–02:05 02:05–03:34 00:28–01:40 01:40–02:50 4 N/A N/A N/A N/A 1 00:28–01:36 01:36–02:47 00:22–01:17 01:17–02:13 2 00:56–03:12 03:12–05:34 00:44–02:32 02:32–04:25 4 N/A N/A N/A N/A N.40 %) 1 rotação = 60' = 1 hora DD = 715 [mm] 1.50 1. Quando a cabina passar e tocar na folha de papel.25 1. Assegurar que o resultado está em conformidade com os valores indicados na tabela "Valores de desaceleração para máquina sem redutor". CADI.). Ir para o piso intermédio e introduzir uma folha de papel no nível da soleira da porta de patamar entre os painéis da porta de patamar (para portas de abertura central). abrir a porta de patamar 5–10 cm e medir a distância entre a soleira da porta de cabina e a soleira da porta de patamar. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 20/40 .60 1. ou entre o painel da porta de patamar e o aro da porta (para portas telescópicas).VKN [m/s] KZU [-] Posição de paragem da roda de tração Valor máximo da medição com mostrador (+ 0/. de acordo com a documentação do produto e verificar se a desaceleração se encontra dentro das tolerâncias. etc. com o ensaio específico incorporado.75 2. forçar uma paragem de emergência desencravando (sem abertura) o encravamento da porta.º Com redutor [G] Sem redutor [Gs] 4 DD = 900 [mm] G / Gs Degrau Ensaio de desempenho com "Taxa de desaceleração": O ensaio de desempenho com a "Taxa de desaceleração" é utilizado para ascensores que utilizam o comando especial de teste de aceitação (HMI.

00 5.50 5.4 1. Para aumentar a pressão.0–1.4 1.1 1.4–0.1 1.63 2.1–0.0–1.7–0.9 0. 2 Verificação de fuga externa:  Ligar o ascensor e colocar a cabina numa posição que permita o acesso seguro ao poço.4–0.4 1.0–0. fechar a válvula principal e aumentar a pressão para verificar a fuga interna.8 3.4 1.5 1.5 2.8 8.5 1.0–1.  Colocar a cabina num piso com 0 % de carga e marcar a posição da cabina tendo como referência o nível da soleira.0–0.0–1.7–0.5 1.3 * Ensaio de funcionamento de sistemas hidráulicos N.7 0.  Se a cabina descair mais de 5 mm.9–0. acionar alguns cursos com a bomba manual e.00 5.8 5.8 6.4–0. O ascensor não pode ser novamente colocado em serviço enquanto a fuga não for controlada e o reservatório atestado com óleo suficiente Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 21/40 .9–0.  Aguardar 10 minutos e anotar a posição da plataforma da cabina tendo como referência a marca na soleira.60 3.50 3.00 5.4–0.8 7. Isto serve para verificar se a cabina descaiu. investigar eventuais fugas internas (as fugas de óleo normalmente são provenientes de: válvula.º Degrau 1 Na casa de máquinas verificar se as instruções de evacuação estão disponíveis.8 1.4–0.4–0. isso pode indicar uma fuga interna 4 Verificação de fuga interna:  Assegurar que a cabina não está a ser utilizada e que não pode ser utilizada durante os ensaios. O nível no manómetro não deve apresentar qualquer descida.7 0.0–1.0–0.00 5.  Desligar o ascensor. pistão/cilindro.0–0.8 4.4 1.  Desligar o interruptor principal e fechar a válvula principal.1–0.00 3.4 1.00 5.  Aceder ao poço e verificar se existem quaisquer fugas visíveis: – No pistão/cilindro – Na tubagem – Nos tubos e acoplamentos 3 Ensaio de fuga interna para ascensores com bomba manual: Se o ascensor estiver equipado com uma bomba manual e um manómetro.4 1.0–1. Se a pressão do manómetro descer.00 5.5 3. em seguida. visíveis e no(s) idioma(s) local (locais).4–0. se existente.8 9.4–0.15 4.00 2.5 2. tubagem. observar a pressão no manómetro.8 10.Valores de desaceleração para máquina sem redutor VKN [m/s] AK [m/s2] Normal Alerta 0. tubos e/ou acoplamentos).0–1.00 5.0–1.4–0.4 1.0–1.9 0.0–1.4 1.0–1.75 3.

Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 22/40 . pelo menos. três vezes durante cerca de 1 segundo de cada vez. a renivelação deve ocorrer e a cabina é automaticamente reposicionada ao nível do patamar. Ascensores equipados com mais de um êmbolo e cilindro devem ter um reservatório de retorno individual por cada êmbolo e cilindro. A quantidade de fuga depende do caudal da bomba e não deve exceder o valor habitual encontrado durante as visitas de rotina. 10 Refrigeração a óleo:  Identificar o interruptor de temperatura do óleo e acionar o termóstato. A cabina deve deslocar-se lentamente no sentido de descida.N.  Repetir o ensaio para cada piso.  Verificar se a bomba de refrigeração do óleo está ativada e em funcionamento. 8 Sistema de abertura: Verificar o sistema de abertura premindo o botão de desbloqueio. 9 Renivelação:  Verificar se o dispositivo de renivelação está a funcionar deslocando a cabina no sentido de descida e de subida cerca de 15 mm desde o nível do patamar. 7 Bomba manual: Verificar se a bomba manual (se disponível) está a funcionar corretamente acionando cursos até se verificar uma deslocação percetível da cabina no sentido de subida. torna-se um risco para a segurança e o ascensor não pode ser novamente colocado em serviço enquanto a situação não for corrigida.  Se a renivelação ocorrer para além dos 20 mm.º 5 Degrau Fluxo em excesso: Verificar se a saída na parte superior do cilindro não está bloqueada e verificar a quantidade de óleo no(s) reservatório(s) de retorno. 6 Nível de óleo: Enviar a cabina para o último piso superior e assegurar que o óleo no reservatório é igual ou superior à marca mínima.

As portas de patamar de abertura central com 2 contactos devem ser verificadas separadamente. Nota: Verificar se os contactos de porta não estão danificados e se têm um movimento alargado de 2 mm após o contacto elétrico ter sido estabelecido. que é efetuada a partir do patamar. 4 Funcionamento de encravamentos mecânicos da porta:  Verificar se o encravamento e o contacto estão em bom estado. podem verificar-se alguns bloqueios devido à abertura dos encravamentos várias vezes e pode ser necessária uma reinicialização.  Verificar se o encravamento tem um engate mínimo de 7 mm antes de o contacto ser estabelecido. no máximo. permitir o fecho da porta enquanto se mantém premido o botão de direção DESCER e verificar se a cabina se desloca após o contacto da porta ser estabelecido. O ensaio da porta de patamar automática do último piso inferior tem de ser efetuado a partir do patamar. A partir do patamar. 10 cm. em seguida. todas as verificações/ensaios são efetuados a partir do interior da cabina. que têm de ser verificados a partir do patamar.º Degrau 1 Verificar o estado geral de todos os componentes da porta.  Ativar o desencravamento e abrir a porta. Consoante o tipo de comando. ao contrário dos contactos de porta. abrir a porta de patamar e premir o botão de direção DESCER para assegurar que o ascensor não está a deslocar-se. Para a porta de patamar do último piso inferior. exceto a verificação do contacto da porta. desencravando a porta enquanto o ascensor se desloca. verificar o dispositivo de desencravamento. Efetuar todas as verificações e ensaios para todas as portas de patamar em todos os pisos.2 * Portas de patamar Verificar se existem algumas limitações a nível do comando durante os ensaios seguintes. N.  Método 2: A partir do teto da cabina. > 7 mm > 7 mm 1 2 3 Linguete de encravamento Suporte KTS Contacto KTS Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 23/40 .  Libertar o dispositivo de desencravamento e assegurar que o elemento de encravamento voltou a engatar completamente. Para portas manuais. 3 Funcionamento de contactos elétricos de porta:  Método 1: A partir do teto da cabina. deslocar o ascensor no sentido de descida em modo de inspeção e interromper o encravamento da porta de patamar (o ascensor tem de parar). os contactos de encravamento também são verificados a partir do teto da cabina. 2 Dispositivo de desencravamento: Manter o ascensor no modo de inspeção.

fissuras ou desgaste. Parar a porta várias vezes enquanto fecha para assegurar que a funcionalidade de fecho automático recupera de qualquer posição da porta.  Verificar o bom estado das calhas e se não existe qualquer vibração durante a deslocação.  Enquanto a porta de patamar é fechada. se estiverem incluídos no projeto.  Verificar se o cabo de acoplamento/cabo/mola/pesos tensores estão montados e em bom estado. Assegurar que após o movimento de fecho automático a porta está totalmente fechada e bloqueada. abrir a porta de patamar até ficar alinhada com o aro. Fecho automático para portas de batente:  Assegurar que o fecho automático e o encravamento da(s) porta(s) de patamar funcionam corretamente.  Verificar se os suportes e os roletes estão em bom estado. ou < 10 mm entre o painel e o aro da porta (para portas telescópicas).N. se está em bom estado e devidamente fixado. 6 Componentes do lintel:  Verificar se os dispositivos antiqueda dos painéis (cobertura do lintel/braçadeira de aperto) estão presentes e montados. 7 Fecho automático para portas automáticas:  Com a porta de patamar separada da porta da cabina.  Verificar se as coberturas dos contactos estão presentes e montadas (caso estejam incluídas no projeto). Componentes inferiores da porta:  Verificar se a soleira e as roçadeiras se encontram em bom estado.  Seguir o mesmo procedimento de ensaio das portas automáticas. verificar se a distância é < 10 mm entre os painéis da porta (para portas de abertura central). 8 Nota: Se a calha não fizer parte do projeto em painéis de portas telescópicas. não apresentam danos. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 24/40 .º Degrau 5 Painéis da porta e folgas:  Abrir a porta de patamar e verificar o alinhamento dos painéis e verificar se as folgas em funcionamento são < 10 mm. verificar se existe o acoplador de emergência.  Permitir que a porta de patamar feche automaticamente sem qualquer ajuda.  Verificar se o avental está montado e devidamente fixado.

A frequência para o poço é 5 anos. ou durante o ensaio. Assegurar que o ascensor pode deslocar-se após uma reinicialização do mesmo contacto. verificar sempre o funcionamento correto do interruptor de paragem de poço (JHSG) antes de aceder ao poço.º Degrau 1 Verificação do circuito de segurança: Verificar o funcionamento dos interruptores de segurança elétricos e os contactos um a um e sequencialmente enquanto se efetua as outras verificações/ensaios. Não existe qualquer lista exaustiva dos interruptores e contactos válidos para todos os ascensores e é obrigatório seguir o esquema elétrico da instalação. Ao ativar cada contacto. contudo. Assegurar que o contacto é ativado pelo mecanismo. Os contactos mais comuns são os seguintes:  Contacto portas da caixa (contactos de porta de patamar KTS)  Contacto desencravamento porta de patamar (KNET)  Contacto porta da cabina (KTC)  Contacto fim de curso caixa descer/subir (KNE-D/KNE-U)  Contacto limitador de velocidade (KBV)  Contacto alongamento do cabo limitador de velocidade (KSSBV)  Contacto paraquedas (KF/KF1)  Contacto sistema de bloqueio da cabina (KCBS)  Contacto alongamento do cabo (KSS)  Contacto amortecedor de cabina (KP)  Contacto amortecedor do CWT (KPG)  Contacto escada de acesso ao poço (KLSG)  Contacto de plataforma de manutenção (S 5400) (KWL)  Relé controlador de fase (RPHK)  Interruptor de paragem casa de máquinas/ Interruptor de paragem manobra de revisão (JHM)  Interruptor manobra de revisão (JRH)  Interruptor de paragem cabina (JHC)  Comutador inspeção cabina (JREC)  Interruptor de paragem porta da cabina (JHCT)  Interruptor de paragem de poço (JHSG) Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 25/40 . cada contacto relativo ao acesso em segurança do poço tem de ser verificado anualmente. Como precaução.3 * Circuito de segurança PERIGO Perigo de Esmagamento no Poço O acesso ao poço expõe uma pessoa ao risco de ser esmagada pela cabina ou pelo contrapeso em deslocação. a deslocação (sempre que possível) e/ou o circuito de segurança do ascensor deve(m) ser interrompido(s) devido à ativação do contacto submetido a ensaio e não a outra falha ocorrida antes. N.

Por exemplo.  Aceder ao poço e ativar manualmente. 2.  Quando as unidades estiverem sincronizadas. Port ou outros)  Ascensores sem opção SPH específica ou semelhante  Ascensores equipados com interruptor de segurança de rearme manual nos amortecedores a óleo  Interruptor do circuito de segurança não acessível quando a cabina está em deslocação. Quando o ascensor se encontrar na caixa/poço. 2. Por exemplo.  Ligar o multímetro (LT17AW) no comando. por trás da guia.N. todos os interruptores de poço/contactos. Seguir a sequência indicada no "Manual do aparelho".  Ligar a ferramenta de medição para medir a resistência do circuito de segurança (SC) [Ω]. efetuar isto a partir do teto da cabina. na caixa OKR.  Ir para o último piso inferior com o dispositivo remoto (EH4W) para aceder ao poço e efetuar o ensaio de todos os interruptores necessários.1. por trás da guia. verificar se o valor da resistência muda para "0L" quando o SC é interrompido.2 Ensaio com multímetro sem fios: Para MRL ou MR em cima:  Posicionar a cabina de forma a permitir o acesso ao teto da cabina a partir do último piso superior. posicionar a cabina de forma a permitir o fácil acesso ao poço e desligar e bloquear o interruptor principal com cadeado. por trás de uma fixação de guia ou de um aro da porta. 1) Para um ascensor com dois pisos: Primeiro. Os critérios típicos (têm de ser todos cumpridos) para essas configurações dos ascensores são:  Ascensores de velocidade convencional até 2.  A partir do poço. Em caso de MRL ou MR em cima. sair do poço e verificar se o ascensor não inicia (circuito de segurança está interrompido) em "Modo normal".1 Ensaio de interrupção do circuito de segurança chamado de "forma estática":  Verificar todos os interruptores/contactos relacionados com o acesso ao poço em segurança de acordo com o procedimento da Schindler. ligar a ferramenta de medição. Se este tempo limite for excedido. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 26/40 . conforme descrito abaixo em p. no local adequado. Em seguida.CPSI dos 5 anos (abordagem com um homem): O "método dinâmico" de verificação conforme mencionado no passo 1 continua a ser o método preferido e deve ser utilizado sempre que possível.  Desligar e bloquear o interruptor principal JH do ascensor com cadeado. as unidades têm de ser novamente sincronizadas de acordo com os procedimentos indicados no "Manual do aparelho". em seguida. no local adequado.º Degrau 2 Procedimentos de ensaio alternativos para interruptores de segurança de poço . por trás de uma fixação de guia ou de um aro da porta.MIC 10. aos pontos definidos do circuito de segurança. verificar se é possível sair do poço no caso de ser necessário fechar a porta de patamar. posicionar a cabina de forma a permitir o acesso ao teto da cabina e. na caixa OKR. o sinal sem fios entre o dispositivo de medição LT17AW e a unidade portátil sem fios EH4W pode ser interrompido durante o tempo máximo de 15 minutos para permitir a deslocação para o último piso inferior para realizar o processo de inspeção.  Após cada ativação. colocar o repetidor de sinal (EH2W) na caixa. 2. um a um.  Colocar o repetidor de sinal (EH2W) na caixa. 1) Para MR em baixo:  Posicionar a cabina de forma a permitir o fácil acesso ao poço. a unidade portátil deverá restabelecer a ligação com o dispositivo no comando. que contêm os interruptores de poço. O procedimento de ensaio alternativo de acordo com as configurações específicas dos ascensores permite efetuar um ensaio do circuito de segurança (interruptores de poço abrangidos principalmente) de uma "forma estática".  Antes de aceder ao poço para medir a resistência do SC.  Verificar se a resistência medida no multímetro (LT17AW) e no dispositivo remoto (EH4W) é igual quando o SC está fechado.5 m/s  Ascensores individuais (não pertencentes a um grupo .

Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 27/40 .4 * Dispositivo de controlo da desaceleração N. danos). 2 Verificar as distâncias dos elementos de caixa de acordo com o manual de montagem.º Degrau 1 Verificar visualmente o estado geral (ausência de sujidade.

1 Verificar se a cobertura de segurança (caso esteja incluída no projeto) não está a bloquear qualquer função do limitador de velocidade. 1. Assegurar que a porta de patamar pode ser acedida sem ser necessário deslocar a cabina.  À VKI.2 Verificar se todas as ligações. Se o selo estiver em falta ou danificado.  Limitadores da velocidade com bloqueamento ao cabo: Verificar se o elemento amortecedor do cabo está em bom estado e se todas as ligações estão apertadas e fixadas. 4 Cabo do limitador de velocidade: Determinar o sentido de descida e verificar se está marcado no limitador de velocidade. 1. massa lubrificante. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 28/40 . Registar todos os valores e o valor médio.5 Verificar se as molas estão em bom estado (mola(s) de atuação e/ou do freio). 3 Identificação: Verificar se a placa de características existe e se os dados são legíveis. pois não é possível deslocar a cabina após o ensaio. Se a placa de características estiver em falta. a partir do teto da cabina. ferrugem)  Verificar que não existem quaisquer ziguezagues nem acumulação de fios ou cordões partidos. Verificar se as superfícies de deslizamento estão em bom estado (não apresenta contaminação ou danos). apertados e fixados. em seguida. Para limitadores de velocidade com selo incluído no projeto. se o rolamento não apresenta desgaste e se a placa do pêndulo ativa o contacto. posicionar a cabina no:  Topo da caixa.4 Verificar se o pêndulo se desloca facilmente.6  Limitadores de velocidade do tipo de fricção: Verificar se o roleto do pêndulo está em bom estado e as respetivas rodas de borracha estão presentes e não estão quebradiças.5 * Ensaios do limitador de velocidade e do paraquedas 5. parafusos e porcas estão em bom estado. No caso de o selo não estar incluído no projeto e for possível aceder à peça de ajuste do limitador. 1. selar o limitador de velocidade com uma marcação permanente. se o acoplador de cabo do limitador de velocidade estiver fixado no teto da cabina. 2 Empanque: Verificar se o selo está intacto (caso o selo esteja incluído no projeto). 1. Verificar se está convenientemente lubrificada. efetuar uma viagem completa do ascensor de cima para baixo  Verificar se o cabo do limitador de velocidade está em bom estado (ausência de óleo.  Limitadores de velocidade com engrenagens: Verificar se a engrenagem está em bom estado e não apresenta dentes partidos. verificar se a velocidade de atuação do limitador de velocidade se encontra dentro das tolerâncias de acordo com a tabela na página 32 e.  Fundo da caixa. seguir as linhas de orientação relativas ao empanque em J 42500104.º Degrau 1 Mecanismo do limitador de velocidade e todos os seus componentes: 1. 1. se o cabo do limitador de velocidade estiver fixado sob a cabina. Consultar J 42500104.3 Verificar se a fixação do interruptor de segurança está firme. 5 Acoplador de cabo e peças móveis: Para aceder ao acoplador de cabo. determinar a velocidade nominal do ascensor e efetuar um ensaio de atuação.1 * Verificações no limitador de velocidade N.

pernos de manilha. chavetas e arame de mola estão colocados.1 Acoplador de cabo:  Verificar se o acoplador de cabo está corretamente fixado na alavanca do limitador de velocidade. 13.  Verificar se as anilhas.08.2007] 1 2 Batente superior da alavanca do limitador de velocidade Alavanca do limitador de velocidade 4 5 1 2 3 Acoplador de cabo [17968.2006] 1 2 3 4 5 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG Anilha Chaveta Perno de manilha Alavanca do limitador de velocidade Arame de mola J 42500101_PT 03 29/40 .03.º Degrau 5. 18.  Verificar se as braçadeiras de cabos estão fixadas. 1 2 [21207.N.

2 Peças móveis:  Verificar se todas as peças móveis se movem livremente e regressam à posição inicial.  Verificar se os contactos do paraquedas são ativados quando se eleva a alavanca do limitador de velocidade.º Degrau 5. etc. 6 Dispositivo tensor: A partir do poço.  Verificar o bom estado da roda tensora. ou pela parede quando o cabo está alongado). Se este teste não for possível devido ao projeto.  Verificar se os mecanismos dos paraquedas estão a atuar simultaneamente. Se o batente superior da alavanca do limitador de velocidade estiver incluído no projeto:  Verificar se o batente superior da alavanca do limitador de velocidade está firmemente fixado. a distância da alavanca do limitador de velocidade e o batente da alavanca do limitador de velocidade tem de ser mínima após as peças do freio (por ex. ativar o paraquedas à VKI. 0/+ Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 30/40 .: cunhas.  Verificar as folgas corretas do peso tensor até ao pavimento e até à parede (peso tensor não bloqueado pelo pavimento. Geralmente. verificar o bom estado do dispositivo tensor:  Verificar se os blocos de enchimento estão em bom estado (sem fissuras e firmemente fixados).  Verificar a posição do braço do peso e a inexistência de alongamento no cabo do limitador de velocidade (o braço do peso está paralelo ao pavimento ou ligeiramente mais elevado).  Verificar a folga correta entre a alavanca do limitador de velocidade e o batente superior da alavanca do limitador de velocidade. roletes.) terem estabelecido contacto com as guias (paraquedas ativado).  Verificar se o braço do peso está alinhado com o contacto de alongamento do cabo e se o braço do peso está a acionar o contacto quando o cabo está alongado. A posição do braço não pode ser mais abaixo do que na posição horizontal. para assegurar que não está a bloquear a ativação do paraquedas. maxilas de aperto.N.

Este ensaio pode ser efetuado a partir do teto da cabina. Registar os valores e a medição principal:  O limitador de velocidade tem > 10 anos.  Soltar o cabo do limitador de velocidade. se for possível rearmar os interruptores KF (paraquedas) após o ensaio a partir do teto da cabina e se o acoplador de cabo também estiver acessível a partir do teto da cabina.N. 1) Método com peso adicional. Definir sempre a idade do limitador de velocidade de acordo com a data de fabrico na placa de características respetiva. Este método é mais adequado para ascensores MRL ou de velocidade convencional.  Soltar o peso ligado no sentido de descida e medir a velocidade no cabo com um taquímetro.  O selo do limitador de velocidade está em falta ou danificado (neste caso. Utilizar um dos métodos seguintes para efetuar o ensaio de atuação. parede da caixa vidrada.  Fixar o peso adicional adequado no cabo do limitador de velocidade e assegurar que existe espaço suficiente para efetuar uma deslocação no sentido de descida sem danificar qualquer equipamento da caixa (por ex. Nota: Os 3 valores medidos para o ensaio de atuação devem ser próximos e a medição principal é a média dos 3 valores medidos. Quando a ativação for efetuada.  Assegurar que o ascensor não está em "Modo normal" e verificar o posicionamento correto dos contactos KF. etc. desativar o paraquedas e efetuar reinicialização dos KF e KBV.  Falta a placa de características ou dados não legíveis. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 31/40 . tomar nota do valor medido e verificar se o valor se encontra dentro das tolerâncias admissíveis. seguir as linhas de orientação relativas à selagem em J 42500104 e J 42500106).). Repetir o ensaio mais duas vezes e anotar o valor médio. ligar o acoplador de cabo.: informação de caixa.º 7 Degrau Ensaio de velocidade de atuação (VCA): Efetuar o ensaio de atuação do limitador de velocidade 3 vezes. se uma (ou mais) das seguintes condições for(em) preenchida(s). Assegurar que a medição principal se encontra dentro do intervalo admissível identificado da velocidade de atuação. Ativar o paraquedas e desligar o acoplador de cabo da alavanca do limitador de velocidade.

Verificar se o sentido de deslocação é o correto.  Remover o dispositivo de medição de velocidade (1).  Verificar a VKN na placa de modelo e verificar se o limitador de velocidade montado é o correto. A deslocação excessiva da cabina pode provocar danos no limitador de velocidade. A deslocação no sentido errado pode provocar danos no limitador de velocidade. quando instalado. 10 cm no sentido de subida.º Degrau 7 2) Método com berbequim com regulação de velocidade. Assegurar que o cabo não está em contacto com a roda. o limitador de velocidade tem de ser substituído por um do mesmo tipo e submetido a ensaio juntamente com o paraquedas.  Os limitadores de velocidade bidirecionais têm de ser testados em ambos os sentidos. de acordo com as instruções nos documentos J 42500104 e J 42500106.  Assegurar que o cerra-cabos suporta o peso do cabo.  Tomar nota do valor indicado no visor (rpm) bem como da velocidade correspondente a partir da tabela e efetuar reinicialização do taquímetro. Calcular a média das três medições. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 32/40 . Cuidadosamente. Assegurar-se de que não desloca demasiado a cabina no sentido de descida. Colocar o cabo por cima do suporte do cabo (4). e aceleração contínua) no sentido de descida até que o limitador de velocidade seja acionado.N.  Acelerar lentamente o limitador de velocidade com um berbequim (3) (com 1600 rpm. Voltar a colocar o cabo na roda.  Reinicializar o limitador de velocidade. Utilizar o cabo de suspensão como referência. Repetir a medição da velocidade mais duas vezes.  Se o ensaio não for realizado com êxito.  Comparar o valor médio com os valores admissíveis indicados na tabela na página 32.  Reinicializar o limitador de velocidade. Nota:  Os mesmos ensaios e verificações são válidos para o limitador de velocidade do CWT.  Desmontar o suporte do cabo (4).  Deslocar a cabina no sentido de descida à VKI mínima até que a força no cerracabos seja libertada. no máximo.  Fixar um cerra-cabos (2) no cabo do limitador de velocidade e o suporte do cabo (4) no limitador de velocidade. Remover o cerra-cabos.  Alinhar e fixar o dispositivo de medição de velocidade (1) no limitador de velocidade.  Colocar e alinhar o detetor de atuação (5) com um peça adequada do freio de cabo e assegurar que o interruptor é libertado assim que o freio começa a cair. no mínimo. remover o cabo da roda.Este método é mais adequado para instalações MR ou de alta gama.  Reduzir a VKI para a velocidade mínima.  Posicionar a cabina/CWT próximo do último patamar superior.  Deslocar.

08.65 m/s Paraquedas de roletes Paraquedas progressivo VKN > 1.275/VKN Paraquedas progressivo J 42500101_PT 03 33/40 .63 < VKN ≤ 1.00 VCAmedida ≤ 1.3 5 4 5 2 1 [36255.25 x VKN + 0. 03.00 VCAmedida ≤ 1.2010] 1 2 3 Exemplo de Tolerâncias VCA Lado da cabina Dispositivo de medição de velocidade Cerra-cabos Berbequim com roda de tração VKN [m/s] VKN ≤ 0.10 m/s Modelo de Paraquedas Paraquedas de roletes Paraquedas progressivo 0.00 Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG VCAmedida ≤ 1.00 m/s Modelo de Paraquedas Paraquedas de roletes Paraquedas progressivo Exemplo de tolerâncias VCA lado do CWT 0.63 4 5 Suporte do cabo Detetor de atuação Tolerância admissível para verificação no terreno VCAmedida ≤ 1.00 Paraquedas progressivo VKN [m/s] VKN ≤ 0.25/VKN Tolerância admissível para verificação no terreno VCAmedida ≤ 1.375 x VKN + 0.63 VCAmedida ≤ 1.63 < VKN ≤ 1.50 m/s Paraquedas progressivo VKN > 1.

O paraquedas é ativado apenas num lado.: cunhas.  Verificar se as peças do freio do paraquedas se movem livremente e regressam à posição inicial. parafusos. Se faltar o selo. consultar J 42500104.2012] Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 34/40 . roletes. Verificar o bom estado das roçadeiras. molas estão presentes.2 * Verificações e ensaios do paraquedas N. 28.  Verificar se as peças do freio têm a folga correta relativamente à caixa. AVISO Estado das roçadeiras Uma roçadeira com desgaste ou partida pode provocar danos na instalação. porcas.5.  Verificar se as peças do freio do paraquedas (por ex. maxilas de aperto. Assegurar que o interruptor de paragem está ativado e que a deslocação da cabina não é possível. [45032.  Verificar se a peça do freio tem um contacto total com a superfície de deslizamento das guias.) estão livres das guias e têm a folga correta entre as peças do freio e as guias. apertados. firmes e em bom estado. 1 Mecanismo de paraquedas: Verificar se o mecanismo de paraquedas se encontra em bom estado:  Verificar se os selos estão intactos e se as placas de características existem e são legíveis. contraporcas. etc.  Verificar se todas as ligações.09.º Degrau 0 Posicionar a cabina de forma a que o acesso ao poço e ao paraquedas da cabina seja possível.

Efetuar rearme do contacto do limitador de velocidade (KBV) e dos contactos do paraquedas (KF). verificar a ativação simétrica do paraquedas e assegurar que os contactos KF estão ativados.  Reinstalar o bloco de peso no dispositivo tensor.10. 1 Verificação de força de atrito [45025.  Verificar se as peças do freio voltaram à sua posição original e se estão afastadas das guias.  Desligar o ascensor. Assegurar que os dispositivos de retenção de cabos/correias estão montados corretamente e que a cabina está vazia (0 % de carga).  A partir do poço. ativar o limitador de velocidade.  Deslocar a cabina um piso para cima a partir do último piso inferior e deslocar o ascensor a velocidade reduzida no sentido de descida. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 35/40 . em seguida. reduzir o peso tensor em metade do peso (removendo um bloco do dispositivo tensor). posicionar a cabina ao nível do último piso inferior.  Quando a VKI for atingida. 01. com uma lima.1 Degrau Ensaios de funcionamento do paraquedas: Ensaios de funcionamento do paraquedas com limitador de velocidade do tipo por atrito e revisão disponível:  Se o limitador de velocidade for do tipo de aderência e o peso tensor estiver equipado com dois blocos de peso. O ascensor tem de parar imediatamente (cabos imóveis) enquanto a roda de tração continua a girar.N. remover as marcas (se existentes).2012] 1 Bloco de peso  Ligar o interruptor principal e colocar o ascensor em modo de inspeção.º 2 2.  Ligar o interruptor principal e à VKI deslocar a cabina no sentido de subida até que o paraquedas e o limitador de velocidade sejam desativados e.

 Utilizar a manobra de revisão para deslocar a cabina no sentido de subida para uma pequena distância para a ativação do paraquedas.  Desligar o ascensor imediatamente. se existente). verificar a ativação simétrica do paraquedas. Rearmar os interruptores KF. Soltar o botão de paragem no poço (JHSG). Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 36/40 .º 2.  Efetuar marcas nos cabos de tração para auxiliar na cronometragem da atuação do limitador de velocidade. Assegurar que não existem quaisquer passageiros na cabina.  Após a atuação do paraquedas da cabina.  Rearmar os interruptores de segurança (KF) em ambos os paraquedas.  Premir o interruptor de paragem no poço (JHSG). – Os paraquedas e todas peças relacionadas não apresentam danos. Verificar se: – Os paraquedas foram totalmente ativados. se necessário. Aceder ao poço para examinar o paraquedas. – O paraquedas tem de estar facilmente acessível para inspeção visual após a atuação. O ensaio do paraquedas falhou. se existentes. Ter em consideração que: – As marcas devem estar associadas a um ponto de referência conhecido.  Montar novamente o(s) avental/aventais.  Premir o botão de paragem no poço (JHSG).  A partir do poço.  Deslocar a cabina para um piso acima do último piso inferior. deslocar a cabina no sentido de subida manualmente para desativar o paraquedas. Verificar se a alavanca do limitador de velocidade dos paraquedas é mantida na posição de funcionamento pela(s) mola(s) de fixação. A partir do poço.  Efetuar viagens de teste a baixa velocidade e a alta velocidade ao longo de todo o comprimento da caixa.  Ligar em ponte os interruptores do paraquedas (KF) e do limitador de velocidade (KBV. Remover as marcas com uma lima (se existentes). Estar preparado para atuar o limitador de velocidade quando as marcas nos cabos de tração atingem o ponto de referência.2 2.  Reinicializar o limitador de velocidade. Remover as pontes e rearmar o interruptor KBV.  Remover o andaime de caixa. se tiverem sido removidos.3 Degrau Ensaio de funcionamento de paraquedas sem revisão disponível: Ensaio de paraquedas em "Modo normal" começando por "cabina parada" (0 m/s).  Soltar todos os interruptores de paragem para funcionamento normal.  Utilizar a manobra de revisão para deslocar a cabina no sentido de descida. Aceder ao poço e verificar se os paraquedas estão devidamente acionados.N. se necessário.  Sair do poço.  Premir o botão de paragem (JHM) na botoneira (de manobra) de revisão para parar a máquina. Assegurar que a cabina consegue atingir a VKI antes de o paraquedas ser ativado no realização do ensaio que se segue. Ensaio de funcionamento do paraquedas com limitador de velocidade do tipo com freio de cabo e revisão disponível:  Posicionar a cabina de forma a que o acesso ao poço e aos paraquedas da cabina seja possível.  Remover as marcas de frenagem na guia com uma lima.  A partir da casa de máquinas. Utilizar uma escada com estabilizador.  Ligar o ascensor e efetuar uma viagem completa de descida e subida.  O ascensor tem de parar imediatamente (cabos imóveis) enquanto a roda de tração continua a girar.  Antes da realização do ensaio.  Deslocar a cabina no sentido de descida e pouco depois (o ascensor ainda está em fase de aceleração e a VKN ainda não foi atingida) ativar o limitador de velocidade. observar os cabos de tração enquanto a máquina continua a girar: – Premir o botão de paragem (JHM) na botoneira (de manobra) de revisão imediatamente se o cabos de tração continuarem a deslocar-se. verificar se as pastilha do freio voltaram à sua posição original e se estão afastadas das guias. Assegurar que a cabina para após a ativação do paraquedas.  Soltar o interruptor de paragem (JHM) na botoneira (de manobra) de revisão. assegurar que não existe ninguém na caixa.  Premir o interruptor de paragem (JHM) na botoneira (de manobra) de revisão. Utilizar uma escada com estabilizador. se existente.  Utilizar a manobra de revisão para deslocar a cabina no sentido de subida para uma posição inicial adequada para a realização do ensaio.

uma vez que o objetivo é reduzir a velocidade do ascensor antes de o CWT entrar em contacto com o amortecedor. é necessário efetuar as mesmas verificações e ensaios para o lado do CWT. Ensaio do paraquedas para ascensores hidráulicos: Ascensores hidráulicos a cabos equipados com um paraquedas e sem limitador de velocidade. A partir do teto da cabina. o ensaio de funcionamento do paraquedas tem de ser efetuado também no sentido de subida. 2) Em caso de limitador de velocidade e paraquedas bidirecionais. contudo o ascensor não tem de parar por completo.N. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 37/40 .4 Degrau Nota: 1) No caso de o CWT estar equipado com um paraquedas. Desengatar o paraquedas do êmbolo hidráulico voltando a bombear para aumentar a tensão nos cabos e para elevar e retirar a cabina do paraquedas.º 2. puxar o cabo para cima enquanto uma segunda pessoa desce manualmente a cabina a partir do bloco de válvulas até que o cabo fique alongado e o paraquedas seja ativado e retenha a cabina.

telealarme. No caso de estarem ligados ao centro de assistência. assegurar que a instalação é identificada corretamente pelo centro de assistência. Efetuar ensaio de todos os dispositivos sem alimentação de corrente da rede.º Degrau 1 Identificar todos os dispositivos de comunicação instalados (sinais sonoros.) e respetivos botões de ativação.6 * Dispositivos de comunicação na cabina N. etc. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 38/40 . interfone. alarme.

4 Se montado. uma vez que é o único dispositivo que tem de estar operacional enquanto o sistema se encontra revertido para o circuito de ativação. se instalado.º Degrau Com o ascensor em "Modo normal". submeter a ensaio todos os dispositivos de proteção de porta de cabina. efetuar uma chamada e aguardar até a porta fechar. A porta tem de reabrir quando a barreira fotoelétrica do obturador/cortina ótica é interrompida. 1 A partir do patamar. ou quando o bordo de segurança mecânico é empurrado/ativado. verificar o circuito de ativação:  Manter a porta de cabina aberta interrompendo a barreira fotoelétrica do obturador/cortina ótica. Aguardar aproximadamente 30 segundos. o bordo de segurança mecânico. 2 Verificar o limitador da força de fecho com ferramenta adequada enquanto a porta está em movimento de fecho (a porta tem de reabrir). verificar o funcionamento do obturador/cortina ótica e. ambos os interruptores têm de ser submetidos a ensaio. Para portas de abertura central. Em seguida.7 * Segurança da porta de cabina N. o sistema pode reverter para o circuito de ativação e ouve-se o sinal sonoro e as portas de cabina começam a fechar a velocidade reduzida. 3 Verificar o botão de reabertura de porta premindo-o a partir do interior da cabina enquanto a porta está em movimento de fecho. Bloquear a porta em movimento de fecho utilizando o mesmo procedimento utilizado para verificar o interruptor do limitador de força da porta. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 39/40 .

O modelo da escada tem de estar em conformidade com o manual de segurança da Schindler ou com os códigos locais. 3 Gancho magnético para suspender o taquímetro e ficar com as mãos livres. Programa de segurança PSIG Manutenção Copyright © 2014 INVENTIO AG J 42500101_PT 03 40/40 . N. 2 Diferentes formas para efetuar ativação prévia do limitador de velocidade: molas. elásticos. 4 Espelho com a pega telescópica longa.A1 * Documentos relacionados Número Título J 42500102 Tabela para inspeção de segurança periódica J 42500104 Linhas de orientação relativas ao empanque para componentes de segurança J 42500105 Lista de verificação alargada Verificações anual e dos 5 anos J 42500106 Nova selagem dos componentes de segurança EI A2 * Abreviaturas/acrónimos Abreviatura/ Acrónimo Descrição CPSI Confirmação de inspeções periódicas de segurança DD Diâmetro da roda de tração KZU Fator de suspensão MR Casa de máquinas MRL Sem casa de máquinas VKI Velocidade de inspeção VKN Velocidade nominal JH Interruptor de paragem de emergência A3 * Ferramentas adicionais recomendadas Ferramentas adicionais recomendadas definidas de acordo com as BDP para facilitar a abordagem com um homem.º Descrição 1 Botão de paragem com fio longo. 5 Escada articulada com estabilizador. etc.