Plano de Aula: DIREITO DO TRABALHO II-DIREITO DO TRABALHO II

Título
DIREITO DO TRABALHO II
Número de Semana de Aula
6
Tema
Homologação da terminação do contrato de trabalho
Objetivos
O aluno deve saber que as verbas devidas ao empregado em virtude do término do contrato de trabalho devem ser pagas dentro de
certo prazo e apresentam requisitos de validade quanto à forma e o conteúdo do termo de quitação.
Estrutura do Conteúdo
Homologação da terminação do contrato de trabalho: termo de quitação, prazo e efeitos.
Aplicação Prática Teórica
CASO CONCRETO: Luis Antonio foi admitido pela Indústria Ribeirão Ltda. em 11.03.2003 na função de Analista de Finanças. No
dia 13.05.2013 foi dispensado sem justa causa, com aviso prévio indenizado. O empregador efetuou o depósito das verbas
rescisórias na conta salário de Luis Antonio no dia 23.05.2013, mas a homologação da rescisão contratual só aconteceu no dia
12.06.2013, data em que foi realizada a baixa na CTPS. Luis Antonio entende fazer jus à multa prevista no art. 477, §8º, da CLT, em
virtude da inobservância do prazo para a homologação da rescisão contratual. Além disso, considera que a data da baixa na CTPS
está incorreta, pois não foi computado corretamente o período do aviso prévio, inclusive, para fins de cálculo das férias + 1/3 e do
décimo terceiro salário.
Diante do caso apresentado, responda:
A) Luis Antonio tem direito à multa prevista no art. 477, §8º, da CLT? Fundamente sua resposta.

Há duas vertentes doutrinárias e jurisprudenciais para a lide.1. Entende-se que a multa é
devida, conforme art 477, §6º CLT, não apenas para o pagamento das verbas rescisórias,
mas para a quitação das obrigações do contrato de trabalho que ocorrerá com
ahomologação das rescisão e entrega das guias para saque do FGTS, indenização
compensatória de 40% e as guias para percepção do seguro desemprego.
2. Conforme o art. 477, §6º,“b”, CLT, o pagamento das verbasrescisórias foi realizado
no prazo de 10 dias, sendo assim, a multa prevista no art. 477,§8º, CLT não é devida, pois a
homologação rescisória é apenas um ato formal, que não incide em multa quandocelebrado
fora do prazo previsto no art. 477, §6º, CLT.
B)

O período do aviso prévio foi computado corretamente, para fins de baixa na CTPS de Luis Antonio e cálculo de férias + 1/3
e décimo terceiro salário? Fundamente sua resposta.

Resposta: Não, pois a data correta de extinção do contrato é dia 12/07/2013, por conta da
integração do aviso prévio de 60 dias, conforme OJ 82, SDI-1, TST c/c art. 487, §1º, CLT. Luiz
Antonio trabalhou mais de 10 anos na empresa fazendo jus ao aviso prévio proporcional, já
que sua dispensa foi realizada depois do advento da Lei 12505/01 e súmula 441, TST.
QUESTÃO OBJETIVA: (OAB/FGV) O trabalhador José foi dispensado, sem justa causa, em 01/06/2011, quando percebia o salário
mensal de R$ 800,00 (oitocentos reais). Quando da homologação de sua rescisão, o sindicato de sua categoria profissional
determinou à empresa o refazimento do termo de quitação, sob o fundamento de que o empregador compensou a maior, no
pagamento que pretendia efetuar, a quantia de R$ 1.200,00 (hum mil e duzentos reais), correspondente a um empréstimo concedido
pela empresa ao trabalhador no mês anterior.
Diante do exposto, assinale a alternativa correta.
A) O sindicato agiu corretamente. A compensação não pode ser feita no valor fixado, devendo se limitar ao valor de R$
800,00 (oitocentos reais), o que importa na necessidade de refazimento do termo de quitação, para o ajuste.
B) O sindicato agiu corretamente. A compensação não pode ser feita no valor fixado, devendo se limitar ao equivalente a 50%
(cinquenta por cento) de um mês de remuneração do empregado, devendo o termo ser refeito para o ajuste.
C) O sindicato agiu incorretamente. A compensação pode ser feita no valor fixado.
D) O sindicato agiu incorretamente. A compensação pode ser feita em qualquer valor, inexistindo limite legalmente fixado.