Plano de Aula: DIREITO DO TRABALHO II

Título
DIREITO DO TRABALHO II
Número de Semana de Aula
9
Tema
Indenização por tempo de serviço.O sistema do FGTS
Objetivos
O aluno deve conhecer a evolução história da indenização por tempo de serviço prevista na CLT e aquela decorrente do FGTS, bem
como identificar a modalidade de indenização devida aos trabalhadores admitidos antes e depois da CRFB/88.
Estrutura do Conteúdo
Indenização por tempo de serviço: conceito, fundamentos jurídicos e evolução histórica. O sistema do FGTS: evolução histórica,
opção com caráter retroativo e hipóteses de movimentação.
Aplicação Prática Teórica
CASO CONCRETO: Gilberto Cardoso foi admitido pela empresa Ômega Ltda. na função de assistente administrativo em
14/05/1982 e não optou pelo sistema do FGTS. A maior remuneração recebida foi no valor de R$2.000,00. Em 05/12/2012 Gilberto
foi dispensado imotivadamente e tem dúvidas quanto à indenização do tempo de serviço.Na hipótese acima apresentada, explique
como será calculada a indenização do tempo de serviço de Gilberto Cardoso. Justifique sua resposta.

Gilberto foi contratado em 1982 e ele não optou pelo sistema do FGTS. Sobrando assim a regra do
Art. 478 da CLT. Com a chegada da Constituição de 1988 o FGTS se torna regime obrigatório. Já que
Gilberto não era estável, pois não completara 10 anos de serviço passando a ser, depois da Carta
Magna de 1988, regido pelo sistema do FGTS. Primeiro temos que calcular o sistema anterior a
Constituição de 1988, o art. 478 da CLT. Que é de Maio de 1983 a outubro de 1988. Seguindo a regra
do Art. 478 da CLT, o calculo fica 5 x R$ 2.000,00 = R$ 10.000,00 reais. A partir da Constituição, a
indenização será de 40% dos depósitos do FGTS até a data da dispensa.
QUESTÃO OBJETIVA: (OAB/FGV) Assinale a alternativa correta em relação ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS.

(A) Durante a prestação do serviço militar obrigatório pelo empregado, ainda que se trate de período de
suspensão do contrato de trabalho, é devido o depósito em sua conta vinculada do FGTS. O deposito do fgts é

devido ainda no caso de afastamento para o serviço militar, conforme art. 28, I, da Lei nº 8.036/90.
(B) Na hipótese de falecimento do empregado, o saldo de sua conta vinculada do FGTS deve ser pago ao representante legal do
espólio, a fim de que proceda à partilha entre todos os sucessores do trabalhador falecido.
(C) Não é devido o pagamento de indenização compensatória sobre os depósitos do FGTS quando o contrato de trabalho se
extingue por força maior reconhecida pela Justiça do Trabalho.
(D) A prescrição da pretensão relativa às parcelas remuneratórias não alcança o respectivo recolhimento da contribuição para o
FGTS, posto ser trintenária a prescrição para a cobrança deste último.