DIREITO EMPRESARIAL III

TÍTULOS DE CRÉDITO
TEORIA GERAL
1. CRÉDITO
Direito a uma prestação pelo devedor (prestação futura).
Crédito = confiança + tempo
2. CONCEITO DE TÍTULO DE CRÉDITO
É o documento necessário para o exercício do direito, literal e
autônomo, nele mencionado. Cesare Vivante
Art. 887, CC
Art. 887 a 965, CC
Aplicação do CC – art. 903, CC
3. CARACTERÍSTICAS
a. Bem móvel – propriedade – art. 16, LUG – art. 24, lei 7357/85 – LC
Art. 82 a 84, CC
b. Natureza pro solvendo – a simples entrega do título ao credor não
significa a efetivação do pagamento. A obrigação só será extinta com
o efetivo pagamento.
c. Título de apresentação – posse do documento
d. Obrigação quesível – cabe ao credor dirigir-se ao devedor para exigir
o cumprimento da obrigação
e. Título executivo extrajudicial – art. 585, I, CPC
f. Documento formal – art. 888, CC – eventuais vícios não gera nulidade
do documento, mas não o reconhece como título de crédito.
4. PRINCÍPIOS
4.1. Cartularidade ou Incorporação
Cártula
Posse do título é condição mínima para o exercício do direito.
Exigência do original para instruir ação de execução.
MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão

a jurisprudência do STJ. CLASSIFICAÇÃO 6. avalista. endossante Subprincípios: Inoponibilidade das exceções pessoais Abstração – desvincula do negócio jurídico que deu origem.1. “Vale o que está escrito” Exceção: duplicata – quitação em separado – aceite presumido 4. 166.Obs. Autonomia Diversas relações jurídicas – emitente. Literalidade Teor literal do documento.: assinatura por absolutamente incapaz – sua obrigação é nula – art. Exemplo: letra de câmbio. CC Obs. Exemplo: duplicata Não causal ou abstrato – não faz referência ao negócio subjacente. cheque e nota promissória MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . Títulos eletrônicos – desmaterialização dos títulos de crédito. I. 5. desde que apresente o original quando for pedido ou com certidão de que o original está em outro processo. 7º LUG Obs.2.: assinatura falsa – art. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Dec 57. tem-se admitido cópia autenticada. Quanto à natureza Causal – ligados a relação que lhe deu origem.: nota promissória vinculada a contrato – perde autonomia.: atualmente. Obs.663/66 – Letra de Câmbio e Nota Promissória Lei 5474/68 – Duplicata Lei 7357/85 – Cheque 6. 4. Exceção: duplicata mercantil ou de prestação de serviços – protesto por indicações / execução baseada em protesto por indicação acompanhada de comprovante de entrega de mercadoria.3.

CC Transferência – endosso em preto – assinatura do proprietário + nome da pessoa a que se transfere.00 – art.6. Resolução 102/68 banco central 6. Quanto ao modelo  Livre .Não tem uma forma definida em lei. Não à ordem Cessão de crédito – deve ser assinado pelo cedente e cessionário. 69. 922. Título ao portador Nome do beneficiário não consta no título. 904. Não se admite nas duplicatas. Demais títulos – cláusula implícita ou presumida. À ordem Cláusula à ordem – simples endosso (posse) Verso – simples assinatura Anverso – assinatura + expressão identificadora Obs. Circulação – termo de cassão ou transferência – art.  Vinculado – Forma definida em legislação. Quanto à estrutura  Ordem de pagamento  Promessa de pagamento 6. lei 9069/95 MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . Quanto ao modo de circulação Nominativo – proprietário do título é aquele cujo nome se encontra nos registros do emitente.2.: duplicata – cláusula obrigatória.4.3. Circulação – simples tradição – art. CC Exceção – cheque no valor de até R$100.

formal. na Lei Uniforme – Genebra. quantia determinada. 2. 2º. quando o título da espécie é exigível à apresentação. a favor de um terceiro (beneficiário). no tempo de lugar designados. PARTES/SITUAÇÕES JURÍDICAS GERADAS PELA LETRA DE CÂMBIO (a) Sacador ou emitente ⇒ Cria o título. quando lhe falta qualquer dos requisitos legais. 1º e 2º REQUISITOS ESSENCIAIS REQUISITOS SUPRÍVEIS 1. Diz-se à vista. 3.: cheque – vedado cláusula de juros – art. incompleta. (b) Sacador ⇒ Devedor. lei 7357/85 MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . 2. 10. sacado) para que pague a terceiro (o tomador). Ordem escrita de alguém (emitente.: cláusula de juros – letras com 2. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Decreto 57. (apresentação ) – art. sacador) a outrem (aceitante. (c) Tomador ou beneficiário ⇒ Aquele a favor de quem a ordem é dada (é o credor originário do título). REQUISITOS Art. LUG Ordem incondicional Quantia a ser paga Obs. Em resumo: É uma ordem de pagamento emitida pelo sacador contra o sacado.663/66 – LUG Decreto 2044/1908 4. vencimento à vista ou à certo termo da vista. e no tempo certo. CONCEITO Ordem de pagamento à vista ou a prazo. Deverá identificar a taxa a ser cobrada e se não identificar o termo inicial será o dia da emissão do título. Cláusula cambial Ordem de pagamento – “mandato puro Vencimento – pagável à vista e simples. contendo obrigação de fazer pagar quantia determinada (em dinheiro). Título de crédito próprio.LETRA DE CÂMBIO 1. Obs. autônomo e completo. contra quem a ordem de pagamento é dirigida. emitindo a ordem de pagamento.

6. Nome do beneficiário 7. TÍTULOS EM BRANCO OU INCOMPLETO Súmula 387. Nome do sacado 4. A época do pagamento A indicação do lugar em que se deve Local de emissão – local próximo ao efetuar o pagamento nome do sacador – não havendo 5. Saque – declaração cambiária – ato de criação do título 5. indicação – nula/perde eficácia Local do pagamento – local ao lado do nome do sacado. Data da emissão Assinatura do sacador 8. 6. DECLARAÇÕES CAMBIAIS Saque Aceite Endosso Aval MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão .3. STF – antes da cobrança ou do protesto.

Vencimento Pagamento 6. ⇒ Para evitar que a recusa do aceite produza o vencimento antecipado da letra de câmbio. ⇒ Se o sacado não aceitar a ordem de pagamento que lhe foi dirigida.2. ⇒ Apresentado o título ao sacado. 6. mas poderá ser firmado também no verso. Estará vinculado ao pagamento do título apenas se concordar em atender à ordem que lhe é dirigida. nos termos do artigo 24 da LU (Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória).3. desde que identificado o ato praticado pela expressão “aceito” ou outra equivalente. este tem direito de pedir que ele lhe seja reapresentado no dia seguinte. posto que o vencimento originariamente fixado para a cambial é antecipado com a recusa do aceite. que se destina a possibilitar ao sacado a realização de consultas ou a meditação acerca da conveniência de aceitar ou recusar o aceite (artigo 24). SAQUE Ato de criação do título. É o chamado prazo de respiro. ⇒ Como o sacado não está obrigado a aceitar a letra de câmbio. em nenhuma hipótese. praticado pelo sacador. a recusa do aceite é comportamento lícito.1. ⇒ O sacado. ACEITE O sacado de uma letra de câmbio não tem nenhuma obrigação cambial pelo só fato de o sacador ter-lhe endereçado a ordem de pagamento. está obrigado a cumprir o ordenado por esta espécie de título de crédito. consistente na cláusula “não-aceitável” (salvo nas hipóteses proibidas pelo mesmo dispositivo legal). ENDOSSO MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . ⇒ O aceite resulta da simples assinatura do sacado lançada no anverso do título. 6. o tomador – ou o credor – poderá cobrar o título de imediato do sacador. o sacador pode valer-se de expediente previsto pelo artigo 22 da LU (Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória).

 2º Vincula o endossante ao pagamento do título. do endossante para o endossatário.  2ª endosso de letra de câmbio com a cláusula “não à ordem”. que é investido na qualidade de credor pignoratício do endossante. a saber:  1ª endosso praticado após o protesto por falta de pagamento ou do transcurso do prazo legal para a extração desse protesto. o crédito não se transfere para o endossatário. chamada avalista. garantido por aval. 6. sob alguma expressão identificadora do ato praticado (“Por aval” MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . ⇒ Há alguns endossos que produzem efeitos de cessão civil de crédito. em favor de um credor do endossante. ⇒ O chamado endosso-caução é impróprio. artigo 20. que é cedente. ⇒ Quem adquirir o crédito representado por uma letra de câmbio endossada com a cláusula “não à ordem” ao alienante não terá a garantia nem deste. onde a letra considerada bem móvel é onerada por penhor. artigo 11.4. garante o pagamento do título em favor do devedor principal ou de um coobrigado. uma pessoa. que proibira novos endossos. OBSERVAÇÃO: Há endossos que não produzem um ou outro destes efeitos. em regra. ou (b) “em preto”. No endosso-caução. ⇒ O aval resulta da simples assinatura do avalista do anverso da letra de câmbio. AVAL ⇒ O pagamento de uma Letra de Câmbio pode ser total ou parcialmente. ⇒ O ENDOSSO IMPRÓPRIO que legitima a posse do procurador do credor é o endosso-mandato (artigo 18 da Lei Uniforme e artigo 917 do Código Civil).O endosso produz. com duas hipóteses. Por este ato cambial de garantia. quando não identifica o endossatário. dois efeitos:  1º Transfere a titularidade do crédito representado na letra. ⇒ O endosso pode ser de duas espécies: (a) “em branco”. quando o identifica. na qualidade de coobrigado (artigo 15 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória). nem do endossante anterior.

ou seja. adotam-se as seguintes normas:  1ª O mês se conta pelo mês.6. operar-se-á no mesmo dia do aceite ou do saque. ⇒ O aval pode ser: em branco eu em preto. Com efeito. inexistindo. a Lei Uniforme estabelece determinadas regras. DURADOURO: posse/propriedade) jurídico predeterminado por lei como necessário a tornar o crédito cambiário exigível. VENCIMENTO ⇒ O vencimento de um título de crédito se opera com o ATO (resultante de ação humana ou da intenção do agente) ou FATO (todo acontecimento natural ou resultante de ação humana. 6. Segundo tipo ⇒ É aquele que o identifica. possa resultar uma relação jurídica = INSTANTÂNEA: nascimento/morte. 6. que difere segundo a Lei Uniforme – (C. adicionar os 15 dias. somente poderá fazê-lo identificando o ato praticado. Genebra) de sua realização. os meses inteiros para. fixado em mês ou meses. Primeiro tipo ⇒ É o aval que não identifica o avalizado.  3ª O vencimento designado para o início. segundo o artigo 36 dessa lei. É ele o avalizado pelo aval em branco. neste mês. somente após. respectivamente. computar-se-ão.ou equivalente) ou não. o vencimento se dará no último dia do mês. Se o avalista pretender firmar o verso do título. respectivamente. PAGAMENTO ⇒ O pagamento de uma Letra de Câmbio deve ser feito no prazo da lei. ⇒ O aval em branco determina o artigo 31 da LU (Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória) é dado em favor do sacador. meados ou fim de determinado mês. 15 e no último dia do referido mês.  2ª Meio mês significa o lapso de 15 dias e se o prazo de vencimento das Letras de Câmbio a certo termo da vista ou da data houver sido fixado em mês ou meses inteiro mais meio mês. ocorrerá nos dias 1. no mês do pagamento. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . inicialmente.5. que servem para todo o direito cambiário. do qual em concretude. ⇒ Para a contagem de prazos. o referido dia. o vencimento da Letra de Câmbio a certo termo da vista ou da data.

feriado local ou nacional (artigo 12 § 2º da Lei nº 9. que não poderá ser recusado pelo credor. endossante e seus avalistas. que nele deve lançar quitação parcial.  2ª ⇒ O título permanece em posse do credor. independentemente de ser. ou não. considera-se útil o dia em que há expediente bancário. sendo necessário o protesto para a responsabilização do sacador. desde que observadas algumas cautelas que a doutrina recomenda.⇒ Para fins cambiais. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão .492 de 1997). a saber:  1ª ⇒ Somente o aceitante poderá optar pelo pagamento parcial. ⇒ Tem-se admitido o pagamento parcial da Letra de Câmbio.  3ª ⇒ Os coobrigados e o avalista do aceitante podem ser cobrados pelo saldo não pago.

6º A assinatura do sacador (artigo 75 nº 7 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória) bem como a sua identificação pelo número da sua Cédula de Identidade. com algumas exceções estabelecidas pela Lei Uniforme (artigos 77/78 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória). que se considera.NOTA PROMISSÓRIA ⇒ A Nota Promissória é uma promessa de pagamento que uma pessoa faz em favor da outra. o que significa a impossibilidade do saque de nota promissória ao portador (artigo 75 nº 5 Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória). A Nota Promissória deve atender aos requisitos definidos pelos artigos 75 e 76 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória. 2º A promessa. ao mesmo tempo. de pagar quantia determinada. na língua empregada para a sua redação (artigo 75 nº 1 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória). A nota promissória em que não se indique a época do pagamento será considerada pagável à vista. 5º O local do saque ou a menção de uma legislação (Lei Uniforme – Genebra) ao lado do nome do subscritor. de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas. do Título de Eleitor ou da Carteira Profissional (artigo 3º da Lei nº 6.044 de 1908) constante do próprio texto do título. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . REGIME JURÍDICO: ⇒ A Nota Promissória está sujeita às mesmas normas aplicáveis à Letra de Câmbio. lembrandose o já considerado acerca de cambial indexada (artigo 75 nº 2 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória).  Na falta de indicação especial.268 de 1975). 3º O nome do beneficiário da promessa. 4º A data do saque (artigo 75 nº 6 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória). incondicional. lugar onde o título foi passado considera-se como sendo o lugar do pagamento e. o lugar do domicílio do subscritor da nota promissória. o domicílio deste (artigo 75 nº 6 e a terceira alínea do artigo 76 da Lei Uniforme sobre Letras de Câmbio e Nota Promissória). a saber: 1º A expressão “nota promissória” (conforme o artigo 54 inciso I do Decreto nº 2. também.

 A nota promissória que não contenha indicação do lugar onde foi passada considera-se como tendo-o sido no lugar designado ao lado do nome do subscritor. vencimento antecipado. 3 – avalizado – aval em branco – subscritor – art. LU. ou seja. Mesmo regime jurídico da letra de câmbio. que se inicia a partir do visto. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . forma de aceite. in fine.: vencimento condicionado ao aceite. recusa parcial. Nota promissória vinculada ao contrato – Súmula 258. o promitente promete pagar ao término de prazo por ele definido. 2 – aplica-se ao subscritor da nota as regras do aceitante da letra de câmbio (devedor principal). Falência do subscritor – vencimento antecipado do título. 4 – admite a modalidade “a certo termo de vista” – art. prazo de respiro. Obs. 77. com quatro diferenças: 1 – Aceite – cláusula não aceitável. 78. STJ. Protesto é facultativo. prazos de apresentação.

. Quanto à estrutura: .RESUMO TÍTULO DE CRÉDITO Documento necessário para o exercício de um direito literal e autônomo.a certo termo da data.NOMINATIVOS: circulam por termo no registro do emitente. .  Inoponibilidade das exceções pessoais aos terceiros de boafé.causais: duplicata. nota promissória e cheque. .595/66 Duplicata: Lei 5.044/1908 Cheque: Lei 7. . .474/68 Regras Gerais: Código Civil de 2002 (aplicam-se aos títulos que possuem lei própria apenas de forma subsidiária) CLASSIFICAÇÃO DOS TÍTULOS DE CRÉDITO Quanto ao modelo: . MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . Quanto à circulação: . . cheque e duplicata.modelo vinculado: cheque e duplicata Quanto ao prazo: .a data certa. .a certo termo da vista. 2.357/85 e Dec.663/66 e Dec.modelo livre: letra de câmbio e nota promissória .não causais ou abstratos: letra de câmbio. nele mencionado.à vista.NÃO À ORDEM: circulam por cessão civil de crédito.ao portador: circulam por tradição. CARACTERÍSTICAS DOS TÍTULOS DE CRÉDITO Negociabilidade Executividade LEGISLAÇÃO CAMBIAL Nota Promissória e Letra de Câmbio: Dec. 57. PRINCÍPIOS DO DIREITO CAMBIAL Cartularidade (ou incorporação) Literalidade Autonomia:  Abstração.nominais: . Quanto à natureza: . 57.À ORDEM: circulam por endosso.promessa de pagamento: nota promissória.ordem de pagamento: letra de câmbio. .

Endosso próprio: transfere a propriedade do título. . legitima a posse: . * na duplicata: a pessoa abaixo de cuja firma o avalista lançar a sua ou então o comprador. * no cheque: o emitente.ENDOSSO-MANDATO: permite ao endossatário representar o endossante quanto aos direito referentes ao título.endossos com efeito de cessão civil de crédito: * endosso de título não à ordem.Endosso impróprio: não transfere a propriedade do título.endossante responde pela existência e pela solvência do crédito. Se o endossante proibir novo endosso. .Aval em preto: indica o avalizado. . . O cônjuge só pode prestar aval com autorização do outro. . * endosso após o protesto por falta de pagamento ou após a expiração do prazo para protestar (endosso póstumo ou tardio). .ENDOSSO-CAUÇÃO: endossante entrega o título ao endossatário como garantia de uma dívida que aquele tem com este. O endosso após o vencimento tem os mesmos efeitos que o endosso feito anteriormente. . ENDOSSO X CESSÃO CIVIL DE CRÉDITO Endosso: .não permite oposição de exceções pessoais contra terceiros pelo devedor. tem direito de regresso contra os demais. .ENDOSSO Transferência do título à ordem por meio de assinatura do titular na cártula ou na folha de alongamento.Endosso em preto: indica o nosso titular.Aval em branco: não indica o avalizado. Se ele paga o título. O endosso torna o endossante responsável solidário pelo título.avais simultâneos: dois avalistas garantem o mesmo avalizado. será considerado avalizado: * na nota promissória: o subscritor. Cessão civil de crédito: . .regulada pelo direito civil. . AVAL Garantia cambial por meio da qual o avalista garante o pagamento do título pelo avalizado. . Torna o título ao portador. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão .permite oposição de exceções pessoais pelo devedor.Endosso em branco: não indica o novo titular do título.avais sucessivos: outro avalista garante o avalista do avalizado. salvo se casados com separação absoluta de bens.regulado pelo direito cambial. Neste caso. . . Deve ser puro e simples e não pode ser parcial. não responderá perante os que figurarem na cadeia de endossos após seu endossatário. .cedente responde apenas pela existência do crédito.

PAGAMENTO A apresentação do título deve se dar no dia do vencimento no lugar de seu pagamento. o devedor deve exigir que lhe seja entregue a cártula. a dia certo.regulada pelo direito civil. quando emitido em outro lugar do país ou exterior. deverá antes efetuar o protesto do título. Seus requisitos essenciais são: . Fiança: . . Se o devedor original não pagar a obrigação. . . .o aval deve estar na cártula.a obrigação do fiador é acessória e subsidiária. ou 60 dias. NOTA PROMISSÓRIA Título de forma livre. Pode ser ordinário (à vista. .a denominação “nota promissória” inserta no próprio texto do título e expressa na língua empregada para a redação desse título.a época do pagamento.a obrigação do avalista é autônoma e solidária.a fiança pode estar no contrato ou em instrumento separada. nem o devedor pode ser obrigado a honrá-lo. o credor não é obrigado a aceitar o pagamento. O cheque deve ser apresentado para pagamento em 30 dias a contar do dia da emissão. Ao pagar o título.regulado pelo direito cambial. o credor poderá se voltar contra os demais coobrigados.o avalista não pode opor exceções pessoais a terceiros de boafé.AVAL X FIANÇA Aval: . . A nota promissória à vista deve ser apresentada para pagamento até um ano após sua emissão. . como a falência). quando emitido no lugar onde deve ser pago. etc. cuja posse presume o pagamento da dívida cambial (princípio da cartularidade). o credor não pode recusar o pagamento. O pagamento da duplicata pode ser antecipado pelo comprador que a resgata antes do vencimento. Vencido o título. VENCIMENTO Data em que a obrigação constante do título se torna exigível. .) ou extraordinário (ocorrência de evento anormal.o fiador pode opor exceções pessoais a terceiros de boa-fé.a promessa pura e simples de pagar uma quantia determinada. Para isso. ainda que parcial. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão . Antes do vencimento.

se se tratar de título que contenha a cláusula “sem despesas”. Súmula STF 258: A nota promissória vinculada a contrato de abertura de crédito não goza de autonomia em razão da liquidez do título que a originou. MATERIAL DIDÁTICO – DIREITO EMPRESARIAL III – Professora Raquel Aragão .. Quanto ao prazo. Promessa de pagamento: o devedor é o emitente e o tomador é o beneficiário ou credor. . Ações do portador contra os endossantes e respectivos avalistas: um ano. PRESCRIÇÃO DA AÇÃO CAMBIAL DA NOTA PROMISSÓRIA Ações contra o emitente e seu avalista: três anos a contar do vencimento da nota. Aplicam-se à nota promissória as regras sobre endosso. a contar do dia em que o endossante pagou a letra ou em que ele próprio foi acionado.a indicação da data em que e do lugar onde a nota promissória é passada.a indicação do lugar em que se efetuar o pagamento. . a dia certo ou a certo termo da data. a nota promissória pode ser à vista. aval. Ações dos endossantes uns contra os outros e respectivos avalistas: seis meses. pagamento e protesto.o nome da pessoa a quem ou à ordem de quem deve ser paga (a nota promissória não pode ser emitida ao portador). a contar da data do protesto feito em tempo útil ou da data do vencimento. . vencimento.a assinatura de quem passa a nota promissória (subscritor). As causas que interrompem a prescrição só produzem efeito em relação à pessoa para quem a interrupção foi feita.