UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA
ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA AMBIENTAL

O USO DOS AGROTÓXICOS E SEUS IMPACTOS

Aline Teixeira Eleutério
Felipe Alisson de Sousa e Silva
Julien Souto de Vasconcelos Pereira
Lucas Façanha de Oliveira
Vicente de Castro Sanders Neto

Fortaleza,
Novembro de 2008

....................................................................................................................................10 IMPACTOS NO USO DE AGROTÓXICOS.......................................................06 ARMAZENAMENTO DE AGROTÓXICOS........................................................................................................................................09 RECEITUÁRIO AGRONÔMICO....................................................................................................................................................................................................................................................................15 BIBLIOGRAFIA................................................17 ......................................................................................................................................................................................SUMÁRIO INTRODUÇÃO......................................................02 TIPOS DE AGROTÓXICOS............................................................................06 PRINCIPAIS TÓPICOS DA NORMA.....16 ANEXO.................................................13 CONCLUSÃO........................................................................10 AQUISIÇÃO E APLICAÇÃO.............................................................................04 NORMAS GERAIS PARA USO DE AGROTÓXICOS.............................................................................

O uso descontrolado. como o Agente Laranja. se os agricultores não tiverem o cuidado necessário durante o uso ou extrapolarem no tempo de ação do produto. Ásia e América Latina) sofreram fortes pressões de organismos financiadores internacionais para adquirir essa substância química. preservá-los da ação danosa de seres vivos ou substâncias nocivas. açúcar. Os trabalhadores rurais são as maiores vítimas: cerca 1. nos financiamentos agrícolas. o medo de perda da produtividade da safra. Sua utilização na agricultura nacional em larga escala ocorreu a partir da década de 70. frutas e grãos). hormônios e adubos químicos) utilizados em produtos agrícolas e pastagens. legumes. pesticidas. Os países que tinham a agricultura como principal base de sustentação econômica (África. Com o inofensivo nome de ‘defensivos agrícolas’. A utilização dos agrotóxicos teve início na década de 20. Vários serviram de arma química nas guerras da Coréia e do Vietnã. Os agrotóxicos são substâncias químicas (herbicidas. a propaganda massiva. eles eram incluídos compulsoriamente. a não utilização de equipamentos . porém só começaram a ser usados em escala mundial após a segunda guerra mundial. Porém. café e mel. a cultura “fruto bonito é aquele que as pessoas gostam de comprar”. A alegação era que os agrotóxicos garantiam a produção de alimentos para combater a fome.5 milhão estão intoxicados no mundo inteiro. assim. com a finalidade de alterar a composição destes e. junto com adubos e fertilizantes químicos. Eles podem ser encontrados em vegetais (verduras. desfolhante que dizimou milhares de soldados e civis.INTRODUÇÃO Os agrotóxicos foram criados na tentativa de proteger a agricultura contra pragas que atacam as plantações. Mas também o leite e os ovos originados de animais que se alimentam da água ou da ração contaminada podem conter substâncias nocivas que chegam a prejudicar a musculatura. este pode afetar ainda mais o meio ambiente e a saúde. Dados da Universidade de Campinas (Unicamp) revelam que os agrotóxicos são responsáveis pela terceira maior causa de intoxicação do Brasil.

Os agrotóxicos podem provocar três tipos de intoxicações: aguda. Entre 1997 e 1998 o Instituto Biológico de São Paulo encontrou resíduos tóxicos em cerca de 27% das frutas disponíveis no comércio. cereais e hortaliças não são avaliados sistematicamente para a detecção de resíduos tóxicos. Destas. . os sintomas surgem rapidamente. Vários estudos feitos com trabalhadores demonstraram que há relação entre a exposição crônica a agrotóxicos e doenças. leite. gastando anualmente cerca de 2. Na subaguda os sintomas aparecem aos poucos: dor de cabeça. Já a intoxicação crônica pode surgir meses ou anos após a exposição e pode levar a paralisias ou doenças como o câncer.de proteção e o pouco conhecimento dos riscos são alguns dos responsáveis pela intoxicação dos trabalhadores rurais. subaguda e crônica. 20% tinham resíduos de produtos proibidos. dor no estômago e sonolência. O mesmo estudo para as hortaliças mostrou que 44% das amostras estavam contaminadas. pouco se faz para controlar os impactos sobre a saúde dos que produzem e dos que consomem os alimentos impregnados por essa substância. Infelizmente. Na aguda. sendo que 6% delas com produtos proibidos. O Brasil é um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo. Produtos como carne.5 bilhões de dólares nessas compras. principalmente do sistema nervoso (central e periférico).

do ciclo-hexano ou do ciclodieno. Ex.: Folidol. Os inseticidas pertencem a quatro grupos químicos distintos: Organofosforados: são compostos orgânicos derivados do ácido fosfórico. São derivados do clorobenzeno. como inseticidas. Trifenil estânico: Duter e Brestan. resmetrina. DDT. Os principais grupos químicos são: Etileno-bis-ditiocarbamatos: Maneb. Alguns desses compostos são: aletrina. Lindane. Protector. substância existente nas flores do Chrysanthemum (Pyrethrun) cinenarialfolium. Dithane. Heptacloro. Ex. Endrin. SBP. Inseticidas: como o próprio nome já diz. Hexaclorobenzeno. Captan: Ortocide e Merpan. Zineb. porém seu emprego tem sido progressivamente restringido ou mesmo proibido. Mancozeb. BHC. este agrotóxico combate insetos. com radicais de cloro. Rhodiatox. Organoclorados: são compostos à base de carbono. Carbamatos: são derivados do ácido carbâmico. cipermetrina e fenpropanato. do ácido tiofosfórico ou do ácido ditiofosfórico. . Furadan. Endossulfan. Tiram. Existem muitos fungicidas no mercado. Ex. Zectram. Malation. Foram muito utilizados na agricultura. Mirex. existe um tipo de agrotóxico especifico para seu uso. Tamaron. larvas e formigas. Fungicidas: ação de combate a fungos. decametrina.: Aldrin.TIPOS DE AGROTÓXICOS Devido à enorme variedade de aplicação dos agrotóxicos estes foram divididos e classificados em tipos. fungicidas e herbicidas. Azodrin. Temik. Nuvacron. K-Otrine. Diazinon.: Decis. Ex. os principais tratam-se: inseticidas.: Carbaril. Piretróides: são compostos sintéticos que apresentam estruturas semelhantes à piretrina. É sabido que para cada tipo de praga.

5 triclorofenoxiacético (2. físicos e biológicos. os ingredientes inertes e aditivos usados na fabricação de agrotóxicos e afins. esse grupo tem tido uma utilização crescente na agricultura. 4 D com 2. suas matérias primas. utilizado como desfolhante na Guerra do Vietnã. Seus principais representantes são: Paraquat: comercializado com o nome de Gramoxone. A mistura de 2.” Afins: “Os produtos e os agentes de processos físicos e biológicos que tenham a mesma finalidade dos agrotóxicos. Acaricidas: ação de combate a ácaros diversos. Nas últimas duas décadas. bem como outros produtos químicos. Molusquicidas: ação de combate a moluscos. Pentaclorofenol Derivados do ácido fenoxiacético: 2. O nome comercial dessa mistura é Tordon. Existem ainda outros tipos de agrotóxicos. Fumigantes: ação de combate a insetos.4 D) e 2. basicamente contra o caramujo da esquistossomose. Definições: Componentes: “Os princípios ativos. Segue outros exemplos: Raticidas (Dicumarínicos): utilizados no combate a roedores. 4. 5 T representa o principal componente do agente laranja. utilizados na defesa fitossanitária e ambiental. Nematicidas: ação de combate a nematóides. Glifosato: Round-up. não enquadrados no Inciso I.5 T).4.4 diclorofenoxiacético (2. DNOC.” .Herbicidas: combatem ervas daninhas. que embora possuam uma carência de informação não são menos utilizados que os acima citados.4. os produtos técnicos. bactérias: fosfetos metálicos (Fosfina) e brometo de metila. Dinitrofenóis: Dinoseb.

A toxicidade da maioria dos defensivos é expressa em termos do valor da Dose Média Letal (DL50). Em 2006. o Brasil deu o passo definitivo no sentido de alinharse às exigências de qualidade e aplicação para produtos agrícolas em âmbito doméstico e internacional. As normas se baseiam na racionalização do uso do agrotóxico e do solo.NORMAS GERAIS PARA USO DE AGROTÓXICOS A aplicação de agrotóxicos ainda permanece bem parecida com aquela praticada há 100 anos. regulamentada pelo Decreto 4. por via oral. representada por miligramas do produto tóxico por quilo de peso vivo. principalmente no que se refere ao manejo correto do solo e da adubação. aplicação incorreta e degradação ambiental.802. em 11 de julho de 1989. necessários para matar 50% de ratos e outros animais testes. de 04 de janeiro de 2002. os produtos são enquadrados em função do DL50. Assim.074. inerente a cada um deles. conforme mostra a tabela abaixo: . se caracterizando por um grande desperdício de energia e produto químico. para fins de prescrição das medidas de segurança contra riscos para a saúde humana. Com a promulgação da Lei 7. a Embrapa de Londrina começou a desenvolver normas sustentáveis para a utilização de veneno agrícola nas plantações de todo o país. PRINCIPAIS TÓPICOS DA NORMA • Classificação da toxicidade dos defensivos agrícolas.

São indicados nos rótulos dos agrotóxicos e também em receituários agronômicos. Todos esses equipamentos devem estar em boas condições de uso e possuir o Certificado de Aprovação do Ministério do Trabalho. chapéu impermeável de abas largas. A lavagem dos equipamentos é realizada com luvas e separada da roupa da família. óculos. devem ser mantidos em locais limpos. Além disso. São todos os equipamentos a serem utilizados pelo aplicador no momento do preparo e da utilização do agrotóxico. .Classificação toxicológica dos agrotóxicos em função do DL50 Classe toxicológica Descrição Faixa indicativa de cor Extremamente tóxicos I (DL50 < 50 mg/kg de peso Vermelho vivo vivo) Muito tóxicos (DL50 – 50 a II 500 mg/kg de peso vivo) Amarelo intenso Moderadamente tóxicos III (DL50 – 500 a 5000 mg/kg Azul intenso de peso vivo) Pouco tóxicos (DL50 > IV 5000 mg/kg de peso vivo) Verde intenso • Equipamentos de proteção individual. As luvas a serem utilizadas são resistentes aos solventes dos produtos químicos e os filtros das máscaras são específicos para defensivos e têm data de validade. Os equipamentos obrigatórios são as máscaras protetoras. luvas impermeáveis. macacão com mangas compridas e avental impermeável. botas impermeáveis. secos. seguros e longe dos utensílios domésticos.

as esponjas. as escovas e os panos utilizados na limpeza dos pulverizadores e também de utilizar todos os equipamentos de proteção individual recomendados. Se restar alguma calda. em um local separado e protegido de chuva.• Manutenção e lavagem dos pulverizadores A manutenção e a lavagem adequada dos aparelhos de aplicação dos agrotóxicos são bastante importantes para que não ocorram acidentes ou contaminação durante o seu uso. O bico deve ser trocado sempre que a vazão aumentar em 5 % e também é necessário verificar. rações. Não se deve transportar agrotóxicos juntamente com alimentos. Além disso. . devem ser realizadas todos os dias que houver uso ou a cada troca de produto. no mínimo. • Destino final de resíduos e embalagens As embalagens não podem ser deixadas expostas ao meio ambiente. não se devem carregar embalagens com vazamentos ou com a etiqueta danificada. remédios. Durante a lavagem. devem ser lavadas três vezes. com água. mangueiras e bicos. por isso. tais como bomba. pois provocam sérios danos a ele. utilizá-la instantaneamente. conexões. principalmente quando as embalagens são frágeis. apresentam vazamentos. colocar detergente nos equipamentos três vezes seguidas. Para a preparação da calda (mistura do veneno puro e água) deve-se usar água limpa sem nenhuma sujeira. após sua utilização. • Transporte. Esses defensivos devem ficar na carroceria. Partículas podem entupir o bico da mangueira e provocar vazamentos. O transporte dos defensivos agrícolas pode ser perigoso. Esse local deve então ser coberto com lona impermeável caso a carroceria seja aberta. Não se deve esquecer de lavar também o tanque. pessoas ou animais. As embalagens não devem ser reutilizadas de forma alguma e. se os aparelhos.

Depois que se iniciar o uso desse fosso. . bebidas ou qualquer outro material que possa entrar em contato com pessoas e animais. ele deve incinerar a 1200ºC as embalagens em um incinerador próprio. deve haver chuveiros e torneiras. A área do fosso necessita ser isolada com tela para impedir a entrada de animais ou crianças e colocar na região uma placa de advertência com caveira avisando sobre lixo tóxico. e uma torneira virada para cima. cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. uma camada de cal virgem deve ser jogada a cada 15 cm de material descartado. fora do trânsito de pessoas e animais. O fosso. No fundo é necessário ter uma camada de pedras irregulares e uma camada de brita. ARMAZENAMENTO DE AGROTÓXICOS O armazenamento destes produtos deve ser feito em um local coberto. É também importante que o local possua uma temperatura ambiente. para higiene dos trabalhadores. podendo assim ocasionar em uma ruptura do mesmo. lisos e fáceis de limpar. Caso o utilizador do agrotóxico não disponha de lugar para fazer um fosso. instalações de água. então. pois em altas temperaturas. os frascos aumentam sua pressão interna. os frascos deverão ser destruídos e enterrados em fosso para lixo tóxico. deve ter uma profundidade de 1 a 2 metros e com permeabilidade do solo média para permitir a degradação biológica do agrotóxico. para a lavagem de olhos. não-inflamáveis. ou locais onde haja o consumo de alimentos. Este local deve conter paredes e pisos impermeáveis. Os depósitos de agrotóxicos devem se localizar em locais longe de habitações. Junto a cada depósito. porém de fácil acesso à fonte geradora.Depois do uso. Completada a capacidade. de maneira que ele fique protegido de qualquer intempérie. Esse fosso será construído distante de casas. O local não pode estar sujeito a inundações ou acúmulo de água.

• Observar o estado da embalagem. Pecuária e Abastecimento. tomar cuidados para que esse produto não alcance fontes de água ou culturas. avaliar. . e técnicos podem assumir a responsabilidade técnica da aplicação. contendo-o em um menos espaço possível. guardar a embalagem rompida em um plástico especial. medir os fatores ambientais. de modo a haver bastante espaço para locomoção e arejamento das pilhas de produtos. assim como o material vazado. • Obter um receituário agronômico. bem como a data de validade do produto. o técnico deve ir ao local com problema para ver. e haver uma organização dos produtos dentro do depósito. AQUISIÇÃO E APLICAÇÃO Aquisição: Para a aquisição de defensivos. Para isso. Caso uma embalagem venha a vazar. As receitas só podem ser emitidas para os defensivos registrados na Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do ministério da Agricultura. bem como suas implicações na ocorrência do problema fitossanitário. sempre mantendo separados e independentes os diferentes tipos de produtos. devem-se seguir alguns passos: • Obter orientação técnica com um engenheiro agrônomo ou florestal. desde que supervisionado por um engenheiro agrônomo ou florestal. bula. e segui-lo atentamente. lacre.Deve ser feito um controle das datas de validade dos produtos regularmente. rótulo. devidamente protegido. que poderá dirimir qualquer dúvida que surja em relação ao registro ou à recomendação oficial de algum produto. • Adquirir o produto em lojas especializadas e de confiança. Após isso. e verificar se é o produto recomendado. Essas pilhas devem conter apenas um tipo de produto. RECEITUÁRIO AGRONÔMICO Essa receita só pode ser emitida por engenheiros agrônomos e florestais.

animais desprotegidos ou fontes de água.Manuseio: É necessário um cuidado em especial no manuseio de defensivos. Antes: Inicialmente. Isso deve ser feito para evitar a contaminação de seres ao redor do local de aplicação. Aplicação: Devemos tomar muito cuidado nessa parte do manuseio dos agrotóxicos. dentre outras advertências. e mantendo o rosto afastado. Por fim. encontraremos as seguintes: • A dosagem a ser aplicada. e podemos dividir a aplicação em três partes menores: Antes. principalmente aqueles que usam a água para a sobrevivência. o solo ou o sistema hídrico. Caso tenha contato com o operador. para não inspirar o produto. e enfim. onde o produto é manuseado em altas concentrações. temos que procurar um técnico para programar os tratamentos fitossanitários. pois principalmente no preparo da calda. Outros cuidados devem ser tomados durante o processo de aplicação. Durante e Depois. que não pode se encontrar próximo às lavouras vizinhas. seguir as instruções contidas no rótulo dos produtos. de preferência em local ventilado. bem como o número e o intervalo de aplicações • Efeitos colaterais causados nos animais e no meio ambiente • Precauções a serem tomadas na aplicação • Recomendações em caso de envenenamento Também devemos nos lembrar dos cuidados ao abrir o produto. Nos rótulos. dentre eles: . pastagens. Durante: Deve-se inicialmente checar o local de aplicação dos defensivos. evitando respingos. podem ocorrer escorrimentos e respingos. habitações. devemos checar os equipamentos e os aparelhos a serem utilizados. promoverá a contaminação de organismos não-alvos.

• Não fumar. beber ou comer. caso ainda reste produto. . • Na lavagem dos equipamentos. Dentre elas. mantê-las bem fechadas. sendo eles: • Quanto às embalagens do produto. que podem ser ocasionados devido às condições de armazenagem e preparo. Todos esses cuidados são tomados visando evitar a propagação dos defensivos para outros locais. e jamais utilizar as embalagens para alimentos ou medicamentos. ou locais onde a água escorra até uma fonte de água. Depois: Mesmo depois da aplicação do produto. • Ao fim. Também vale enfatizar o fracasso por parte da confiança excessiva nos métodos de controle químico. sem antes lavar o rosto e as mãos com água e sabão. • Evitar que operários trabalhem muito próximos uns dos outros. a aplicação de defensivos deteriorados. ou um início de tratamento depois que grande parte da produção já estar seriamente comprometida. • Caso sejam enterradas. existem certos cuidados a serem tomados. tomar banho com água fria e sabão. válvulas ou qualquer outra parte do equipamento. • Jamais. o uso de máquinas e técnicas de aplicação inadequadas e a escolha errônea de defensivos. e existem muitas causas de fracassos no controle fitossanitário. elas devem ser queimadas ou enterradas. É melhor esperar as horas com ventos mais brandos do dia. e trocar e lavar a roupa de serviço diariamente.• Não aplicar contra o sentido dos ventos. que não pode ser próximo às fontes de água. diferentes daquele onde deve ser aplicado. usar a boca ou qualquer objeto perfurante para desentupir bicos. ou quando houver ventos fortes. fazer isso longe de fontes de água. • Respeitar o período de carência. Controle Fitossanitário: O controle fitossanitário pode ser definido como medidas de combater organismos nocivos ao meio-ambiente. destacamos o cuidado no local utilizado para lavá-los.

o agrotóxico pode se diluir nos leitos dos rios e contaminar toda a fauna e flora fluvial. . onde a genotoxicidade associada ao uso destes produtos dão fortes evidências eles que são carcinogênicos. vários tipos de agrotóxicos foram criados. Porém. até o consumidor estão sujeitos a esse efeito colateral. o pior dos impactos acontece com os seres vivos. sem as corretas instruções. Os efeitos colaterais geram cânceres de vários tipos nos seres humanos. Com essa possibilidade de arraste pela chuva. O solo também é contaminado. foi espalhado por várias áreas cobertas por árvores que logo perderam sua folhagem. A partir daí. O real motivo da utilização desse agrotóxico era para que se identificassem as bases vietnamitas. vários teores desse produto foram desenvolvidos para melhorar o desempenho e encontrar melhores resultados no plantio. a aplicação demasiada pode comprometer o solo e a vegetação. na guerra do Vietnã. a água da chuva pode arrastar esse conteúdo por toda a bacia hidrográfica do local. o agente laranja foi considerado arma química na visão bélica. Nisso.IMPACTOS NO USO DE AGROTÓXICOS Com o desenvolvimento da biotecnologia agrária. Alguns pequenos agricultores. Daí a grande incidência de mortes em agricultores. Daí. podendo reter o produto até o fim da sua vida útil. Esse agrotóxico foi chamado de Agente Laranja. usam e estocam os agrotóxicos de forma inadequada. a plantação pode ficar com alta concentração do produto ou até marcado pelo alto teor de toxidade. os Estados Unidos contratou a empresa Monsanto para fabricar um agrotóxico que desfolhasse as árvores da região. Mas. Desde o agricultor. Dessa forma. Os impactos causados são notados no meio ambiente e nos seres vivos. Nisso. As toxinas dos agrotóxicos são encontradas até em leite materno de mães que nunca entraram em contato com o produto. Porém. com a lixiviação e o escoamento superficial. a saúde dos produtores e a produção são prejudicadas. Nisso. o uso indiscriminado causa complicações tanto para o usuário quanto para a sua produção. No meio ambiente. podendo assim se comprovar a rápida propagação das toxinas no organismo humano através dos alimentos.

polidactilia. . pessoas entraram em contato diretamente e indiretamente com o agrotóxico. As maiores características dessas pessoas são deformidades genéticas que variam de atrofias de membros e de músculos. Algumas morreram imediatamente devido ao alto nível de concentração desse componente. houve alterações genéticas que só foram notadas depois do nascimento de seus filhos.Porém. super-desenvolvimento ósseo e até câncer. Outras pessoas sofreram os efeitos colaterais ao longo do tempo. Como conseqüência.

Alguns consumidores. As hortaliças. ela sofrerá advertência. como entre pessoas que se contaminam através dos alimentos. o uso intenso de agrotóxicos levou à degradação dos recursos naturais como água. O fato é que quanto mais bonita a fruta ou hortaliça.CONCLUSÃO O Brasil é hoje um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo e as intoxicações por causa dessas substâncias estão aumentando tanto entre os trabalhadores rurais que ficam expostos. o que pode causar defeitos genéticos nos bebês nascidos de mães contaminadas. A limpeza das frutas e hortaliças. não satisfeitos em consumirem produtos que possam conter resíduos tóxicos. Se uma empresa vender produtos com contaminantes em excesso a ponto de contaminar o meio ambiente ou a saúde. As frutas devem ser lavadas com água corrente e sabão e descascadas quando possível. . multa ou apreensão do produto. solo. além de lavadas. devem ser imersas em água com limão por vinte minutos. flora e fauna. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Os alimentos orgânicos (isentos de agrotóxicos) estão ganhando a atenção dos consumidores interessados neste assunto. são de menor tamanho e levam mais tempo para serem produzidos e colhidos. estão exigindo a produção de alimentos que são fabricados e armazenados sem agrotóxicos. A ANVISA é responsável por fiscalizar produtos contaminados por agrotóxicos. em geral. Os produtos orgânicos. reduz a contaminação por produtos tóxicos. Alguns estudos já comprovaram a presença de agrotóxicos no leite materno. além de eliminar microorganismos. levando a desequilíbrios biológicos e ecológicos. mais se deve desconfiar do uso abusivo de agrotóxicos. em alguns casos de forma irreversível.

visitada dia 29 de outubro de 2008. às 20h34min.universia.com. . • .BIBLIOGRAFIA • .A URL http://biblioteca.A URL http://www. visitada dia 01 de novembro de 2008.com. às 12h.A URL http://www. visitada dia 01 de novembro de 2008. • .jpg.br/noticias/20604.Ecological Sanitation Revised and Enlarged Edition.A URL www.net/html_bura/ficha/params/id/33821625. • . visitada dia 01 de novembro de 2008.unimedcl. às 11h. • .br/. às 10h. às 15h23min.br/cyberdiet/colunas/020412_nut_agrotoxicos.ambientebrasil.terra.A URL http://www.htm. às 15h30min.com.com.imunizadoraimbituba.br/textos/fitossanitario.htm.html.A URL http://cyberdiet.drashirleydecampos. 2004 • . visitada dia 25 de outubro de 2008.com.br/figuras/agrotoxico. • . visitada dia 25 de outubro de 2008.

porém bastante utilizado em países como a Suécia. tudo o que tiramos do solo tem que voltar para o solo. Maior eficiência até que alguns agrotóxicos. consequentemente produzem frutos mais saudáveis e mais ricos em nutrientes. porém reciclado e inofensivo ao mesmo. pelo contrário. ou seja.ANEXO Alternativa para a Agricultura: ECOSAN ECOSAN. Um dos maiores ‘trunfos’ do saneamento ecológico é reter os nutrientes presentes na excreta humana. depois de sanitarizados. é um projeto novo no Brasil. porém. . entre outros. México. não afetam de forma alguma o meio ambiente nem a saúde humana. Ecological Sanitation ou Saneamento Ecológico. Resultados de pesquisas e de estudos mostram a eficiência do uso da urina e das fezes como fertilizantes. uma parte desse projeto trata de destruir todos os patógenos antes de reutilizar a excreta. reciclá-los e então devolvê-los para a agricultura. China. Por isso. A idéia do saneamento ecológico é fechar o ciclo da matéria orgânica. são mais ricos em matéria orgânica que o solo sem esse adubo.