PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI

ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA
Registro CORECON/MS 0719

PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI

APOSTILA REFERENCIAL DE ECONOMIA POLÍTICA

DOURADOS – MS, JULHO A DEZEMBRO DE 2013

Rua Iracema, 685, BNH 4º Plano, Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230, Dourados - MS

PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI
ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA
Registro CORECON/MS 0719

INTRODUÇAO

É importante destacar, desde logo, que a disciplina de Economia Política faz parte da
preocupação que os diretores das faculdades de direito tem manifestado no sentido
de fazer com que os profissionais das lides jurídicas tenham condições plenas e
efetivas de atender às demandas econômicas e financeiras de seus clientes. Afinal, à
medida que avançam as conformações técnicas de negócios, mais se evidenciam os
conflitos e, portanto, mais destacadamente o mercado depende da atuação efetiva
dos profissionais do direito.
Vale destacar, porém, que, para dar conformidade a peças que defendam a contento
as demandas econômicas de seus clientes, os operadores do direito, dos dias atuais,
precisam saber interpretar os fatos econômicos, dando-lhes contornos de
aplicabilidade no contexto prático. E, para tanto, faz-se necessário destacar que a
Economia não é mais um saber auxiliar, mas um elemento precioso de entendimento
de como se pode fazer com que os conflitos de natureza econômica e financeira
possam ser solucionados, mediante o império da Lei.
Há que se destacar, ainda, que Economia Política é a área da Ciência Econômica que
se preocupa com a aplicação dos dispositivos técnicos no mercado, fazendo com que,
pela aplicação da Lei, o dinheiro funcione como referencial de funcionamento do
mencionado mercado. Ou seja, é preciso que fique claro que todos os reais contornos
de utilização do dinheiro, enquanto elemento de conformação de valor e de
referenciação de trocas econômicas, precisam estar bem claros para os profissionais
do direito, porque é no âmbito das transações econômicas, efetivadas no mercado,
que ocorrem a expressiva maioria dos conflitos que acabam por exigir a mediação dos
organismos legais para o solucionamento dos mesmos.
E, para que se possa mediatizar os referenciais explicitados, faz-se importante
mencionar que o Curso de Economia Política, ora apresentado, deverá ser levado a
efeito a partir da efetivação do seguinte conteúdo programático:
Objeto de estudo, Fundamentos e Definição de Economia Política. A Economia
Política Como Ciência Humana, Social e Histórica. Nascimento e Evolução da
Economia Capitalista. A Produção e a Distribuição do Valor e a Formação do
Excedente Econômico. Acumulação de Capital, Ciclo Econômico e Nível de
Emprego. Moeda, Crédito Sistema Financeiro e Política Monetária. Teorias da
Inflação. Evolução Recente da Economia Brasileira. Comparação Entre as Principais
Correntes do Pensamento Econômico.

Rua Iracema, 685, BNH 4º Plano, Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230, Dourados - MS

PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI
ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA
Registro CORECON/MS 0719

Finalmente, é preciso que se destaque que o Curso de Economia Política visará fazer
com que os(as) acadêmicos(as) de direito efetivem um conhecimento mínimo de
conformação e de funcionamento da Ciência Econômica, visando, com isso,
instrumentatizarem-se para uma atuação efetiva, nas lides do direito, no contexto da
sociedade atual.
Sucesso é o que se lhes desejam o professor da disciplina, a coordenação do curso e
a direção da instituição de ensino superior.

Rua Iracema, 685, BNH 4º Plano, Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230, Dourados - MS

que a Economia se defronta. com este. elementos essenciais à produção humana. sempre. no contexto atual. modificando-a. É importante que se destaque.880/1994. No entanto. Por isto. que acabam por influenciar e determinar o comportamento coletivo. Dourados . BNH 4º Plano. como elemento de referenciação econômica ocorre em função da conformação legal que assim o exige. no caso brasileiro. Rua Iracema. mas como ele precisa adquirir outros bens que são necessários à sua sobrevivência. ele conseguirá obter a posse dos outros bens que deseja. que é a melhoria constante da qualidade de vida dos seres humanos. na mesma velocidade do consumo. Devendo ser considerado que as vegetais. destacando-se é preciso considerar que a produção industrial se vale de matérias-primas vegetais e minerais que são finitas. este conhecimento científico sistematizado e dotado de uma preocupação definida. Outro aspecto importante a ser destacado é que a Economia utiliza o dinheiro como elemento de referenciação de atuação econômica dos seres humanos. como o alumínio. ela é conhecida como Economia de Mercado. os montantes utilizados pelos seres humanos.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 1 – BASES REFERENCIAIS DA ECONOMIA POLÍTICA Há que se destacar que a Economia é a Ciência que tem como objetivo principal a equacionalização da produção. em função da incapacidade da natureza repor. também. O produtor é detentor da propriedade do bem produzido. de uma quantidade definida de dinheiro. Vale destacar. neste sentido. em função dos limites de áreas de plantio e as minerais. a tecnologia é fundamental. tanto que. dando efetividade ao que se chama de Atividade de Mercado. tanto a produção como o consumo são atividades individuais. que estabelece as condições de utilização do Real. é a Lei Federal nº 8. no momento atual. o magnésio e o cobre estão com suas fontes de abastecimento praticamente esgotadas. visando a satisfação das necessidades físicas e materiais das coletividades humanas. ainda. E. permitindo que os referidos possam atuar sobre a natureza. como esta é a maneira de se conformar da Economia Capitalista. isto se dá. essencial à sobrevivência dos seres humanos. é o elemento que congrega. é preciso destacar. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Na verdade o elemento-base do processo é a questão da propriedade material.MS . dando continuidade ao processo produtivo. com uma questão de suma importância: como enfrentar as situações de crise. também. E. que a Economia lida com uma questão de fundamental importância que é a questão da escassez. que a utilização do dinheiro. obrigando os seres humanos a buscarem condições diferenciadas de efetivação de produção. conforme as suas necessidades físicas e matérias. as grandes questões a serem trabalhadas na economia capitalista do século XXI. ele se dispõe a abrir mão da posse do mencionado bem. E. da distribuição e do consumo. em troca. E. pois. porque é por sua utilização que se poderá mediatizar meios de se substituir tais matérias-primas. 685. enquanto elemento de referenciação da atividade econômica nacional. na medida em que se estabelece que. Outro aspecto a ser destacada é que a Economia trata das questões que destacam os seres humanos dos demais animais que habitam o planeta.

Dourados . dos 7 bilhões de pessoas existentes no mundo. as demandas de consumo. ainda. finalmente. se considerado o fato de que os julgadores. ao mesmo tempo em que se enfrenta uma crise. 1 bilhão enfrenta situações drásticas de desnutrição e fome. na expressiva maioria dos casos. visto que. isto torna a situação atual ainda mais confusa. Ou seja. com retração do consumo e aumento do desemprego. de bem conformar a defesa dos interesses dos seus contratantes. sobretudo educacionais.MS . diabetes e hipertensão. enquanto há um outro bilhão que sofre. é preciso deixar evidenciado que a manutenção dos níveis atuais de consumo tendem a criar sérias dificuldades de abastecimento. por conta do aumento do consumo. tanto um como outro extremo são extremamente graves e condenáveis. tendo em vista que. principalmente quando a população mundial extrapolar a casa dos 8 bilhões de pessoas. É preciso. no futuro. para que os outros tenham uma condição mais efetiva de melhor alimentação. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. BNH 4º Plano. no momento presente. Por isto. que à medida que aumenta a renda das pessoas. provocando uma demanda de produção praticamente impossível de ser conformada. inversamente. colocando a Ciência Econômica diante do dilema de que é preciso encontrar condições. cada vez mais efetivas. especialmente as que estão ligadas com a alimentação. também. é preciso resolver a crise presente. Rua Iracema. o grau de consumo se encontra super estimado. que se reconheça que. em algumas economias nacionais. que se considere. também. sobretudo. 685. vislumbra-se uma situação futura de desabastecimento. No entanto. para fazer com que se efetivem condições para que uns sejam efetivamente alimentados e. que é considerada a demanda mais efetiva das pessoas. enquanto se pretende conter as demandas futuras para se ter condições de manter o mercado mundial abastecido. É preciso. E. os problemas decorrentes do excesso de alimentação: sobrepeso. o estudo da Economia Política é de suma importância no contexto dos cursos de Ciências Jurídicas ou Direito. é preciso destacar que. aumentam. prevendo aumento do consumo. tendo em vista que o conhecimento dos contornos da atividade econômica de mercado irá permitir que operadores do Direito tenham condições. são leigos no que tange ao conhecimento dos referenciais de Economia. E.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 mantendo o atual nível de consumo.

Dentro da Ciência Política. eram vistos como a origem de toda a riqueza. Ou seja. posteriormente. nas quais o comércio e a terra. procura estabelecer as relações mais gerais. Impossibilitada de recorrer às experimentação. sua especificidade. A síntese desse procedimento metodológico é a formulação de teorias econômicas que definem a posição de indivíduos e até mesmo de grupos sociais frente aos fenômenos e aos fatos econômicos. segundo a qual o trabalho é a fonte real do valor. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. ainda. Embora a questão dos problemas econômicos tenha sido objeto de preocupação de pensadores da Antiguidade Clássica (Aristóteles) e da Idade Média (Santo Tomás de Rua Iracema. ainda. as finanças internacionais e as políticas estatais afetam o intercâmbio internacional e a política monetária e fiscal Vale destacar. é uma ciência fundamentalmente teórica. sua naturez e suas relações mútuas. 685. e. que. e utilizado para o estudo das relações de produção. como ocorre nas ciências exatas. Em contraposição com as teorias do mercantilismo.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 2 – FUNDAMENTOS E DEFINIÇÃO DE ECONOMIA POLÍTICA Faz-se importante destacar.MS . Direito e Ciências Políticas para entender como as instituições e os contornos políticos influenciam a conduta dos mercados. é a área da atividade humana que se preocupa em discutir como se efetiva a produção econômica e que consequências esta produção econômica efetiva para os seres humanos. Economia Política iIternacional é um ramo da economia que estuda como o comércio. Ciência Política referencia a área da Ciência Econômica que estuda as relações sociais e trata das leis que regem a produção. respectivamente. que estudam as relações entre a economia e o poder político dentro dos Estados. de saída. a circulação e o consumo das mercadorias. axiomático e valorizador dos estudos econômicos atuais e que concebiam o valor originado na utilidade que o bem gerava no indivíduo. a Economia Política vale-se da abstração. que Economia Política configura um termo originalmente introduzido por Antonie de Montchrétien em 1615. Atualmente o termo Economia Política é utilizado comumente para referir-se a estudos interdisciplinares que se apóiam na Economia. Nesse sentido. eliminando os aspectos secundários e acasionais da problemática econômica. Sociologia. no contexto moderno. da fisiocracia. usado por aqueles que buscavam abandonar a visão classista da sociedade. Dourados . o termo Economia Política foi paulatinamente trocado pelo Economia. que a Economia Política procura analisar. BNH 4º Plano. Para atingir seu objetivo. a Economia Política propôs (primeiro com Adam Smith) a teoria do valortrabalho. repensando-a pelo enfoque matemático. o termo se refere principalmente às teorias liberais e marxiastas. a Economia Política recorre a um conjunto de categorias que formam seu instrumental teórico e a uma metodologia capaz de conduzir o investigador científico a um conhecimento objetivo do processo produtivo e de suas leis. A partir daí. É importante destacar. também. que se baseia na observação comparativa dos processos estudados. especialmente entre as 03 (três) classes principais da sociedade capitalista ou burguesa: capitalistas. proletários e latifundiários. o caráter das leis econômicas. No final do século XIX. valendo-se dos dados fornecidos pela Economia Descritiva e pela História Ecomômica. nela envolvidos.

o marxismo desvendou a lei principal desse sistema e forneceu a base doutrinária para o pensamento revolucionário socialista. Com a escola clássica (William Pety. de William Stanley Jevons. sendo que este último foi quem restabeleceu a nomenclatura grega: Economia Política. o pensamento econômico capitalista vem seguindo 02 (duas) linhas fundamentais: a dos pós-keynesianos. ainda.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Aquino). BNH 4º Plano. a Economia Política definiu claramente seu contorno científico integral. conhecidos como LES ÉCONOMISTS. apresentando uma nova visão do problema do desemprego. na medida em que passou a centralizar a abordagem teórica na questão do valor. foi somente na era Moderna que surgiu o estudo empírico e sistemático dos fenômenos econômicos de um ponto de vista científico. do juro e da renda da terra. que. deslocaram o foco de sua análise da circulação para a produção e. Vale destacar. Centrando seu estudo na anatomia do modo de produção capitalista. fonte do lucro. que ficou conhecida como Economia. Carl Menger. A inovação mais importante na tradição neoclássica ocorreu com a obra de John Maynard Keynes.1 – Evolução Há que se destacar que os estudos de Economia Política começaram com a escola mercantilista. fundamentalmente. Após a Segunda Guerra Mundial. sendo política sinônimo de social. Esse estudo assumiu a denominação de Economia Política. no século XVIII (Quesnay. A escola marxista. seguindo a teoria do valor-trabalho chegou ao conceito de mais-valia. Turgot). Esta postura teórica foi iniciada pela escola neoclássica. tanto agrícola. sujeito a um processo de superação. A partir de 1870. Avanço Considerável dos estudos econômicos ocorreu com os fisiocratas. para a produção agrícola. Com Marx e Engels a Economia Política passou a ver o capitalismo como um modo de produção historicamente determinado. 2.MS . Léon Walras e Vilfredo Pareto. fundada por Karl Marx e Friedrich Engels. que a escola clássica firmou os princípios da livre-concorrência. 685. um animal social. dando lugar a uma visão mais restrita do processo produtivo. cujos principais representantes foram Thomas Mun. quanto industrial. ao contrário dos mercantilistas. que refutou a teoria do equilíbrio automático da Economia Capitalista. Adam Smith e David Ricardo). dos juros e da crise econômica. segundo a tradição aristotélica de que o ser humano é um animal político. Josiah Child e Antoine Montchrestein. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Dourados . cuja única fonte original foi identificada no trabalho. que exerceram influência decisiva no pensamento econômico capitalista. A abordagem abstrata de conteúdo histórico e social foi substituída pelo enfoque quantitativo dos fatores econômicos. a concepção da Economia Política foi sendo paulatinamente abandonada. isto é. com sua ênfase nos Rua Iracema.

Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. marcado pela desintegração do feudalismo e pela formação dos Estados Nacionais. os escritos acerca da Economia versavam. também chamada de monetária ou monetarista. fossem surgindo atividades de transferência de propriedade de bens. permitindo aos seus estudiosos. desenvolveu-se uma consciência bastante efetiva acerca das atividades de mercado. Assim.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 instrumentos de intervenção do Estado voltada para o planejamento e o controle do ciclo econômico e. com a análise econômica. sobre a administração da casa e dos negócios domésticos. quando a Europa mais se abria para a efetivação de relações comerciais com o Oriente. na Grécia. pelos Turcos seguidores de Óton (otomanos). Dourados . a partir da produção econômica ensejada. Há que se destacar que o Mercantilismo caracterizou a doutrina econômica que marcou o período histórico da Revolução Comercial (séculos XVI – XVIII). muito embora se saiba que. Platão e Xenofonte. No entanto. Na Idade Média. Defendeu Rua Iracema. Em Roma.2 – A Construção Filosófica da Economia Política É importante que se referencie que a idéia de se quantificar os referenciais da produção econômica humana é algo que acompanha os seres humanos. a corrente liberal neoclássica. a Igreja procurou dar organicidade a uma sociedade que pudesse garantir. que privilegiavam as camadas mais ricas e mais importantes da sociedade. O que se depreende. Na Antiguidade Clássica foram várias as manifestações acerca da Economia. a sobrevivência econômica de seus membros. buscando condições de abastecer o Ocidente europeu. BNH 4º Plano. fizeram com que. fez com que se fechassem os caminhos que permitiam a aproximação econômica referenciada. portanto. que volta sua atenção fundamentalmente para as forças espontâneas do mercado. de maneira efetiva e especial. o crescimento vegetativo da população e a total ausência de condições de conservação de alimentos. não foram efetivados escritos importantes sobre o tema. especialmente com China e Índia. abriu-se uma nova configuração de comércio e uma nova realidade econômica. fazendo com que o continente sofresse as agruras de uma situação clássica de desabastecimento. o entendimento de como a sociedade produz e de que conseqüências se mediatiza. basicamente. pouco à pouco. desde os primórdios de sua organização. dando ensejamento ao que se chamou de Mercantilismo. especialmente durante o império.MS . tanto que os soldados e os funcionários da administração passaram a perceber ganhos econômicos que. tornando o comércio uma atividade de fundamental importância. Com isso. da forma mais harmoniosa possível. em 1453. a tomada de Constantinopla. ficaram conhecidos como salários. por serem baseados em quantidades físicas de sal. No entanto. No entanto. 685. 2. é que a Economia Política se preocupa. A partir daí os portugueses se lançaram à conquista de rotas alternativas por meio das quais pudessem efetivar relações comerciais com o Oriente. especialmente nos trabalhos de Aristóteles.

os franceses Barthélemy de Laffemas e Antoine de Montchrestien (ambos seguidores de Coulbert na época de Henrique IV) e o italiano Antonio Serra. o seu pensamento foi característico. como o ouro e a prata. ainda. com objetivos não só econômicos como também político-estratégicos. Faz-se importante mencionar que o Mercantilismo inglês foi reforçado pelo Ato de Navegação de 1651. BNH 4º Plano. 3) que o comércio exterior devia ser estimulado. o poder do Estado era subordinado às necessidades do comércio.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 o acúmulo de divisas (quocientificação monetária) em metais preciosos pelo Estado por meio de um comércio exterior de caráter protecionista. Entre os principais representantes da doutrina estão os ingleses Thomas Mun e Josiah Child. É importante frisar. As concepções referenciadas. Uma forte autoridade central era tida como essencial para a expansão de mercados e para a proteção dos interesses comerciais. Há que se destacar que alguns princípios básicos do Mercantilismo foram: 1) que o Estado devia incrementar o bem-estar nacional. das taxas de câmbio e dos movimentos de dinheiro. uma vez que a maior parte do comércio internacional se fazia por meio de metais. levavam. Sua aplicação variava conforme a situação do país. Finalmente. enquanto na Inglaterra e na França a iniciativa econômica estatal constituía o outro braço das intenções militares do Estado. é preciso destacar a importância do Coulbertismo. geralmente agressivas em relação a seus vizinhos.MS . a um intenso protecionismo estatal e a uma ampla intervenção do Estado na economia. pois. Teorizado e promovido por Jean-Baptiste Coulbert. que caracterizou o ideário econômico ligado a Jean de Coulbert. o Rua Iracema. aprofundaram o conhecimento de questões como as da balança comercial. é oportuno destacar que os mercantilistas. como já enfatizou. cujas formulações teóricas se efetivaram no período compreendido entre os séculos XVI e XVII e deram conformação ao Mercantilismo característico da política econômica francesa. administradores e comerciantes. que visava. 2) que a riqueza da economia nacional dependia do aumento da população e do aumento do volume de metais preciosos no país. 685. Dourados . seus recursos e o modelo de governo vigente. Na Holanda. o coulbertismo propunha que o volume de exportações fosse maior que o de importações para se obtivesse uma balança comercial favorável. é por meio de uma balança comercial favorável que se aumenta o estoque de metais preciosos. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. que o Mercantilismo era constituído por um conjunto de concepções desenvolvidas na prática por ministros. 4) que o comércio e a indústria eram mais importantes para a economia nacional que a agricultura. As consequências desta política foram um protecionismo rígido. limitando sua análise ao âmbito da circulação de bens. controlador Gerald as finanças do rei Luís XIV. Ainda dentro do Mercantilismo. ainda que em detrimento de seus vizinhos e colônias. entre outras coisas.

denominada Fisiocracia. regida por leis imutáveis como as leis físicas: toda intervenção do Estado é condenável quando não se limita a garantir essa ordem. que a despeito das relações comerciais com o Oriente (Índia e China) e da existência das colônias americanas. uma teoria do liberalismo econômico. como a indústria e o comércio. os fisiocratas criaram a noção de produto líquido: sustentaram que somente a terra. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. de François Quesnay. ainda. Dourados . pois. que aconteceram neste período. descobriram que existe uma circulação da renda entre as 03 (três) classes mencionadas. conformou-se. para o seu interior. também. que estimulava essas atividades em detrimento da agricultura). sendo que o mais expressivo produtor de alimentos. Ou seja. Há que se destacar. ou natureza (physis. Além do mencionado. é preciso que se considere. defenderam a mais ampla liberdade Rua Iracema. através de uma rede de regulamentos e de controles meticulosos. ainda. o coulbertismo. desenvolvida por um grupo de economistas franceses do século XVIII que combateu as idéias mercantilistas e formulou. o que caracteriza. em grego) é capaz de realmente produzir algo novo (só a terra. na verdade se preocupava em impedir que a França trouxesse. É oportuno mencionar. Os fisiocratas achavam. comprando produtos agrícolas. uma outra concepção idearia econômica. Transferindo o centro da análise do âmbito do comércio para o da produção. que isso corresponde a uma ordem natural. ao longo do século XVIII. grande parte do abastecimento alimentício da Europa se fazia com a produção rural mediatizada em seu próprio território. à época. 685. o que é exposto no Quadro Econômico (Tableau Economique). principalmente. no seu contexto. a exploração econômica das zonas conquistadas: colônias. BNH 4º Plano. embora necessárias. os proprietários de terra (a nobreza e o clero) e as classes estéreis (os demais cidadãos). elemento que se sustentava basicamente em 02 (dois) importantes pilares: as relações de compra e venda que se mantinha com o Oriente e. especialmente em ouro e prata. pela primeira vez. de maneira sistemática e lógica. é capaz de multiplicar um grão de trigo em uma infinidade de outros grãos de trigo). que os fisiocratas dividiam a sociedade em 03 (três) classes: os produtores (agricultores). em função disto. ainda. Por isso. por exemplo. não fazem mais que transformar ou transportar os produtos da terra (daí a condenação ao mercantilismo. E. mercadorias estrangeiras. da seguinte forma: os agricultores e proprietários compram produtos e serviços dos demais grupos. Vale destacar. que o Mercantilismo representa o momento em que a atividade econômica mais importante da Europa era o comércio. pretendia que o país acumulasse o máximo possível em metais preciosos. por outro lado. que depois fazem retornar essa renda. No entanto. que o maior legado das desvantagens deste tipo de política econômica foi o endurecimento das estruturas econômicas e a redução dos espaços para a inovação. Vale destacar que Fisiocracia é a concepção filosófico-econômica. ainda. no período.MS . era a França. uma série de conflitos econômicos e guerras sangrentas. As demais atividades.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 incremento da produção de manufaturados e. situação efetiva de enriquecimento.

amparada no absolutismo monárquico. Rua Iracema. Dourados . Laissez-Passer” (deixar fazer. O Liberalismo defendia: 1) a mais ampla liberdade individual. propuseram a supressão de todas as taxas . entre outros. chamada de Liberalismo Econômico. e o intervencionismo mercantilista) e lançaram a célebre máxima do liberalismo: “LaissezFaire. já que esta seria a única fonte de riqueza e os proprietários apenas se apropriariam da renda da terra sem contribuir para o aumento do produto líquido. deixar passar). com sua substituição por um imposto único que incidiria sobre a propriedade. o legislativo e o judiciário. com o mínimo de esforço. John Baptiste Say e Ferdinand Bastiat. O pensamento econômico liberal constituiu-se. o marquês de Mirabeau e Du Pont de Nemours. BNH 4º Plano. que consolidava sua força econômica ante uma aristocracia em decadência. o processo de evolução da Economia logrou ao mundo um ideário ainda mais efetivo. 3) o direito inalienável à propriedade privada. E. E. ao qual se juntaram o ministro Turgot. tal como a natureza física. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. ainda imperantes na época. cabendo ao indivíduo apenas descobri-las para melhor atuar. com separação e independência entre os 03 (três) poderes: o executivo. Thomas Robert Malthus. Vale destacar que o Liberalismo corresponde aos anseios de poder da burguesia. Só assim. realizar sua tendência natural de alcançar o máximo de lucro. poderia O Homo Economicus. livre do Estado e da pressão de grupos sociais. enquanto os agricultores. ao longo dos séculos XVII e XVIII e para a luta pela independência dos Estados Unidos . há que se destacar que o Liberalismo foi a doutrina econômica que serviu de substrato ideológico para as revoluções antiabsolutistas que ocorreram na Europa (Inglaterra e França. que valorizava a capacidade empreendedora dos capitalistas. Adam Smith. o Estado deveria assumir o papel exclusivo de guardião da propriedade e garantidor da liberdade econômica. tendo como autores de expressão John Stuart Mill. que deve apenas garantir a livre-concorrência entre as empresas e o direito à propriedade privada. Eles consideravam que a Economia. Segundo o princípio do Laissez-Faire. quando esta dor ameaçada por convulsões sociais. é regida por leis universais e imutáveis. 685. a partir do século XVIII. David Ricardo. Para manter essa ordem natural.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 econômica (contra as barreiras feudais. não há lugar para a ação econômica do Estado. O principal representante da Fisiocracia foi François Quesnay. os comerciantes e os artesãos deveriam ficar aliviados da carga tributária para que se facilitasse a circulação da renda. Finalmente. no pensamento de base para a sustentação do processo da Revolução Industrial. segundo os mecanismos dessa ordem natural. 4) a livre iniciativa e a concorrência como princípios básicos capazes de harmonizar os interesses individuais e coletivos e gerar o progresso social. 2) a democracia representativa. basicamente|).MS .

mas para garantir-lhe sobrevivência. Como a escola liberal clássica. Maurice Allais e Louis Baudin e dos alemães Walter Eucken. que o Liberalismo Econômico atual mantém-se mais no plano da retórica. deixando condições efetivas de atuação para a iniciativa privada. prevista por Keynes.MS . no entanto. quando o Estado se tornou um dos principais agentes orientadores das economias nacionais. na prática. 685. a social democracia e a ortodoxia revisionista. O Neo-Liberalismo foi o movimento revisionista que procurou estabelecer bases mais assentadas para a Intervenção Seletiva do Estado na Economia. contradizem os princípios do liberalismo clássico. os neoliberais acreditam que a vida econômica é regida por uma ordem natural formada a partir das livres individuais e cuja mola mestra é o mecanismo dos preços. Também as diretrizes dos mais importantes organismos econômico-financeiros internacionais. Há que se ressaltar. Com o desenvolvimento da economia capitalista e a formação dos monopólios. pois. o monetarismo. baseada na concentração da renda e da propriedade. não acreditam na autodisciplina espontânea do sistema. em 1936. o plano teórico econômico pouco se alterou. dos franceses Jacques Rueff. Essa defasagem acentuou-se com as crises cíclicas do capitalismo. o Estado deveria continuar efetuando o processo de organização e legislação econômica. Ropke. sendo que 04 (três) correntes importantes se definiram na segunda metade do século XX: o neo-liberalismo. ansiosa por colocar seus produtos em todos os mercados europeus e coloniais. sobretudo a partir da Primeira Guerra Mundial. A defesa do livre-cambismo foi uma iniciativa fundamentalmente da Inglaterra. BNH 4º Plano. que a partir dos escritos de John Maynard Keynes. por meio das obras do norte-americano Walter Lippmann. É importante destacar que os Neo-liberais entendem. encarando a Intervenção do Estado na Economia e os próprios monopólios como uma evolução racional e natural no desenvolvimento capitalista. os princípios do Liberalismo Econômico foram cada vez mais entrando em contradição com a nova realidade econômica. Para os neo-liberais. há muito dirigismo econômico na sociedade capitalista moderna. mas apenas regulativas e estruturalizantes do processo econômico. por exemplo. que o Neo-Liberalismo é a doutrina econômica que representa uma tentativa de adaptar os princípios do Liberalismo Econômico às condições do capitalismo moderno. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. não para asfixiá-la. as barreiras alfandegárias e protecionistas. A. Entretanto. Dourados . portanto. que ao Estado não cabem responsabilidades produtivas. Coube a John Maynard Keynes redefinir os pressupostos da economia clássica. como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Organização Mundial do Comércio (OMC). defendem disciplinamento da economia de mercado. estruturou-se no final da década de 1930. É importante que se destaque. para que o mecanismo dos preços exista ou se torne Rua Iracema. Há que se destacar. Rustow e Muller-Armack. ao contrário dos antigos liberais. ainda. O ideário referenciado. aplicados ao comércio internacional levaram à política do livre-cambismo. pois. que condenava as práticas mercantilistas.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Os princípios do Laissez-Faire. no final do século XIX. a nação mais industrializada da época. Assim. W.

Poderia diminuir ou aumentar as taxas de juros cobradas pelos bancos privados. por meio da tributação e do controle das despesas públicas e dos consumidores. O disciplinamento da Economia poderia ser feito pelo Estado. após 1964. Já o Monetarismo foi a escola econômica que sustentou a possibilidade de se manter a estabilidade de uma economia capitalista recorrendo-se apenas a medidas monetárias. Por exemplo. o Neo-Liberalismo defende a limitação da herança e das grandes fortunas e o estabelecimento de condições de igualdade que possibilitem a concorrência. e aumentar ou diminuir a parcela dos depósitos que os bancos privados são obrigados a manter sob guarda do Banco Central. baseadas nas forças espontâneas do mercado e destinadas a controlar o volume de moedas e de outros meios de pagamentos no mercado financeiro. Dourados . dever-se-ia explicar as variações da atividade econômica pelas variações da oferta de dinheiro. também. preconizando a reforma agrária. a distribuição de renda e o controle dos capitais estrangeiros. na linha das leis antitrustes dos Estados Unidos. para combater os excessos da livre-concorrência. No plano social. o governo poderia comprar ou vender letras de câmbio oficiais. BNH 4º Plano. expoente da Escola de Chicago foi tido como o principal teórico da Escola Monetarista. pela Escola Estruturalista. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. ensinavam que se deveria apenas dirigir cientificamente a evolução da massa de dinheiro em circulação para obter-se o desenvolvimento e a estabilidade econômica: a inflação e outros fenômenos teriam raízes puramente monetárias. sugeria inúmeras políticas. especialmente durante o período em que Antonio Delfim Neto foi ministro da Fazenda (1967-1974 e a partir de 1980). que os repassam ao setor particular. que defendia a necessidade de mudanças na estrutura econômica dos países subdesenvolvidos. os monetaristas consideravam inútil e prejudicial a intervenção do Estado na expansão do desenvolvimento econômico. e pela criação dos mercados concorrenciais. sem isso. que alguns dos adeptos do Neo-Liberalismo pregam a defesa da pequena empresa e o combate aos grandes monopólios. Assim. De acordo em ele. O Monetarismo foi combatido pelos economistas ortodoxistas que defendiam a necessidade da aplicação de uma política fiscal austera. No Brasil. O norte-americano Milton Friedman.MS . Rua Iracema. Ao contrário. ainda. do tipo do Mercado Comum Europeu. o movimento dos preços tornar-se-ia viciado. por meio de despesas de investimento. Para tanto. entre outras medidas. diminuindo ou aumentando o volume de crédito no mercado financeiro. Há que se destacar. para evitar a inflação e o desequilíbrio do Balanço de Pagamentos. 685. é imprescindível assegurar a estabilidade financeira e monetária. e não pelas variações de investimento. Além do mencionado.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 possível. o Monetarismo constituiu um dos pilares da Política Econômica governamental. foi combatido. ligada à CEPAL – Comissão Econômica para a América Latina.

685. Bélgica. elevada tributação sobre os lucros das grandes empresas. amplas liberdades sindicais e livres negociações coletivas entre patrões e empregados. sobretudo porque na sociedade da informação. com a criação do Partido Social-Democrata alemão. mas consignou defesa de princípios como o da mais ampla liberdade de atuação à iniciativa privada financeira e produtiva. o primeiro de tendência marxista no mundo e que serviria de modelo para que os que se lhe seguiram. voltada para a eficiência econômica. A Social-Democracia. diferentemente do que preconizaram alguns pensadores econômicos e sociais do final do século XX. Portanto.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Outro pensamento econômico marcante no final do século XX e no início do presente século XXI. como corrente política. Estado mínimo. privatização de serviços públicos e atuação coligada do setor público com a iniciativa privada. com medidas que na maioria dos casos foram respeitadas até mesmo pelos governos liberais ou conservadores. que caracteriza a corrente política de tendência socialista que orientou a ação dos partidos trabalhistas da Inglaterra e de Israel. foi a Social-Democracia. Propôs a mudança da sociedade capitalista por meio de reformas graduais. na Áustria. Finalmente. Noruega e Dinamarca. os social-democratas defendiam uma política governamental voltada para a estatização de setores básicos da economia. é preciso considerar o fenômeno da Ortodoxia Revisionista. dos dias atuais. Esses partidos integraram a II Internacional Comunista até a Revolução Russa de 1917. assistência médica e educação gratuitas para toda a população. posteriormente. Espanha e Portugal e os social-democratas da Alemanha. os princípios social-democratas vêm garantindo forças também em áreas diversas como na América Latina e na África. na Inglaterra. sem intervenção do Estado. Nesse sentido. surgiu em 1875. voltando a firmar-se como uma das principais forças políticas da Europa após a Segunda Guerra Mundial. Itália. co-gestão operária das indústrias. Desvinculada do marxismo-leninismo.MS . redução de gastos públicos. com a ascensão do fascismo. segurodesemprego. na França. cujos governos social-democratas impuseram uma sólida política de bem-estar social. Ou seja. os socialistas da França. com algumas atualizações. Suécia. a Ortodoxia Revisionista aproveitou parte do que defendia a SocialDemocracia e parte do que defendia o Liberalismo Econômico e criou uma ideologia mista. que assumiu vários dos pressupostos da Social-Democracia. Na mesma época foram fundados partidos social-democratas na Bélgica. quando passaram a opor-se à política leninista. Dourados . Ao contrário. a Social-Democracia floresceu. a Social-Democracia declinou no período entre guerras. acima de tudo. obtidas dentro das normas constitucionais da democracia representativa. a eficiência econômica é a palavra de ordem. Alemanha. Na Europa. como assistência médica e educação gratuitas para a maioria da população. o sistema econômico capitalista não perdeu importância e destaque. BNH 4º Plano. Rua Iracema. Atualmente. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. sobretudo. na Rússia e. seguro-desemprego e outras melhorias sociais. firmou-se como ideologia produtiva dominante. Áustria e países escandinavos.

a máquina de fiar (a jenny) de James Hargreaves. a máquina de fiar movida a água. 3. como conseqüência direta. tais como o motor a vapor. que a Revolução Industrial caracteriza a grande transformação ocorrida no contexto de atuação econômica dos seres humanos. mas principalmente no setor têxtil. em 1871. de Richard Arkwright. o capitalismo tornouse a base de efetivação e o sistema econômico de sustentabilidade do processo. a era da agricultura e do comércio foi superada pela conformação da era da máquina. Além disso. Outra descoberta decisiva foi a máquina a vapor de movimentos circulatórios. que substituiu a roca.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 3 – A ECONOMIA POLÍTICA NO CONTEXTO ATUAL É importante destacar que a Economia Política é uma das partes componentes do contexto da Ciência Econômica. particularmente. a acumulação de capital e uma série de inovações. uma vez que ela consistiu em um conjunto de mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômico e social. e que resultaram na instalação do sistema fabril e na difusão do modo de produção capitalista. a partir de inovações tecnológicas na atividade têxtil. patenteada por James Watt. também. na Inglaterra. e o tear mecânico de Edmund Cartwright.MS . ainda. isto tem ainda mais importância. que. com a conformação de uma nova relação entre capital e trabalho. Preocupada em estudar os componentes políticos e sociais da atividade humana. E. Rua Iracema. É importante mencionar. como uma das metas prioritárias do presente século XXI. a partir do século XVIII. o fenômeno da cultura de massa. expandiu-se pelo mundo. à medida que a ONU – Organização das Nações Unidas estabeleceu. mais importante. BNH 4º Plano. Há que se destacar. sendo que o trabalho humano ganhou a dimensão de ser complementado pelo meio técnico-mecânico. 685. que a Revolução Industrial caracteriza o conjunto de transformações tecnológicas. entre 1750 e 1830. econômicas e sociais ocorridas na Europa e. especialmente no que concerne às conseqüências desta atuação. novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu. desde logo. especialmente nos séculos XVIII e XIX. Além disso. É oportuno mencionar. que a aceleração do processo teve início na Inglaterra. ainda. Dourados . como o liberalismo econômico. ao longo do processo. em meados do século XVII. ainda. fazendo com que os seres humanos transformassem profundamente a maneira pela qual efetivam sua ação transformadora sobre a natureza.1 – A Revolução Industrial na Inglaterra É importante destacar. que passou a ser empregada como Força motriz em vários processos industriais. que essa transformação foi possível devido a uma combinação de fatores. Iniciada no Reino Unido (especialmente na Inglaterra). a uniformização das condições do desenvolvimento econômico. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. É necessário que se parta do pressuposto que a humanidade continua sob os efeitos diretos e efetivos da Revolução Industrial e. Entre as principais realizações dessa primeira fase da Revolução Industrial se destacam a lançadeira volante de John Kay.

a partir de 1830. Ao lado da evolução da produtividade e do desenvolvimento da divisão social do trabalho. com a invenção do telégrafo e do cabo submarino. e constituíam um mercado consumidor em crescente expansão. a custos menores que os da produção artesanal. Mas. BNH 4º Plano. interligou os centros industriais aos mercados consumidores e facilitou o acesso rápido e eficiente às fontes de recursos naturais. que forneceu capitais e matérias-primas para a nascente atividade manufatureira. Há que se destacar. A regularidade da alimentação aliou-se à melhoria das condições sanitárias e de saúde. aspecto decisivo para viabilizar a produção em larga escala. ainda. Paralelamente. Estes. então. foi a aplicação industrial das máquinas à vapor que inaugurou a fase decisiva da Revolução Industrial. A população da Grã Bretanha. O desenvolvimento técnico na indústria foi acompanhado de profundas transformações na agricultura. por sua vez. destinada ao mercado doméstico. o que ampliou a oferta de mão-de-obra e o mercado consumidor. O desenvolvimento da indústria refletiu-se imediatamente na vida financeira. mobilizando os metais preciosos procedentes da Austrália e da Califórnia. cresceu 7%. A produção mecanizada. a produção industrial inglesa. por exemplo. onde. e o emprego das máquinas à vapor nos meios de transportes (locomotivas e navios). viu a aristocracia de base agrária ser substituída.MS . cabendo-lhe fundamentalmente a defesa da ordem capitalista e do sistema de livre-concorrência. A circulação monetária ampliou-se. até então ligada ao uso da energia hidráulica. no aumento da produção de novas máquinas. enquanto os produtos de exportação aumentaram em 76%.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Há que se destacar que o pano de fundo das inovações mencionadas era a expansão colonial e mercantil britânica. o que acarretou a considerável expansão da siderurgia e o aperfeiçoamento dos processos de fundição. 685. libertou a indústria da necessidade de ficar sempre próxima dos rios. As colônias eram um espaço reservado à produção metropolitana. a segunda metade do século XIX. pela burguesia industrial e financeira. a indústria mobilizava as mais recentes conquistas em todos os ramos do conhecimento científico. aceleraram o crescimento da atividade extrativa do carvão. na direção dos negócios do Estado. Assim. O acréscimo da produção de artigos de consumo refletiu-se. para perto das áreas produtoras de matérias-primas. Embora a população rural britânica tenha se reduzido drasticamente desde a implantação dos ENCLOSURES (cercamento das terras). As fábricas migraram. contribuindo para o crescimento demográfico. e nos centros distribuidores foram instalados os primeiros grandes estabelecimentos comerciais. que por ser o primeiro centro efetivo de conformação da revolução Industrial. numa segunda fase. Ausente do processo produtivo. foi na Inglaterra que processo deixou evidente a sua face mais contraditória. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. sobretudo na Inglaterra. surgiram grandes bancos e estabelecimentos de crédito. a introdução de novas técnicas permitiu o abastecimento dos crescentes contingentes urbanos. a partir de 1850. No plano político. Rua Iracema. passou de 7 (sete) para 20 (vinte) milhões de habitantes entre 1750 e 1850. os progressos no campo da eletricidade conduziram à melhoria dos meios de comunicação. Entre 1700 e 1750. o Estado orientava-se segundo os princípios do Liberalismo Político e Econômico. manifestava-se a miséria de milhares de trabalhadores. Dourados .

e grande industrialização ocorreria somente após as primeiras décadas do século XX. tendo imposto termos humilhantes aos estados do Sul. completamente destruída pela Guerra Civil. O comércio por atacado e varejo do país prosperou. Dourados . mesmo com o fim da Guerra Civil Americana e da derrota dos estados do Sul. à elaboração pensamento socialista e à irrupção de inúmeros movimentos.MS . o crescimento industrial dos Estados Unidos renderam-lhes grandes efeitos. a influência do país no cenário mundial cresceu.2 – a Revolução Industrial nos Estados Unidos da América É importante que se destaque que nos Estados Unidos da América a industrialização encontrou mais facilidade de efetivação. O processo de industrialização elevou drasticamente a migração rural. e os Estados Unidos tornaram-se uma potência mundial. Rua Iracema. uma vez que existiam menos tradições e menos resistências étnicas a serem quebradas. Inventores desenvolveram diversos novos produtos. É preciso que se considere. Este período da história americana também é marcado pelo aumento da participação americana em eventos internacionais. cerca de um quarto da população americana vivia em cidades. ainda. e grandes empresas surgiram. socialmente e economicamente. A maior parte da industrialização e do crescimento econômico americano entre 1865 e 1918 ocorreu no Centro-Oeste e principalmente no Norte. BNH 4º Plano. mulheres e crianças obrigados a trabalhar até (dezesseis) horas por dia. A construção de uma grande malha ferroviária ao longo do país fez com o transporte de produtos de um ponto a outro do país tornasse prático e rápido. Em 1918. que haviam secedido dos Estados Unidos em 1861.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 desempregados e de homens. com a necessidade de reconstrução do país. ao longo do século XIX. a política de Reconstrução perdurou por mais de uma década. principalmente os que se originavam da Inglaterra. privados de direitos políticos e sociais. o processo foi conformado pela transgressão dos imigrantes. Essa situação classe operária levou à formação dos primeiros sindicatos. O poder das Forças Armadas Americanas aumentou drasticamente. Logo após a guerra. que a Revolução Industrial estadunidense se acelerou depois da Guerra de Secessão (1861-1865). de maneira sigilosa e clandestina. este período também é marcado pela grande e improcedente imigração de europeus ao país. Durante este período. demoraria décadas para recuperar-se. A política de Reconstrução. metade da população do país vivia em áreas urbanas. Além disso. 685. ajudou a atiçar a diferença entre o Sul e o resto do país. rápidas e eficientes de produção industrial aumentaram drasticamente a capacidade de produção das fábricas americanas. No final da Guerra Civil Americana. Porém. da Escócia e da Irlanda e que levaram. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Técnicas mais modernas. plantas de máquinas e equipamentação industrial que foram implantadas naquele país. o país continuava dividido politicamente. arrasado pela guerra. Cidades pequenas tornaram-se os principais centros econômicos do país. enquanto que a economia do Sul. e a indústria de manufaturação e finanças superaram a agricultura e a pecuária como as principais fontes de renda dos Estados Unidos. levantes e revoltas trabalhadores que marcaram toda a vida européia. 16 da do de 3. E.

A construção e a inauguração de ferrovias aumentou a demanda por recursos econômicos. A First Transcontinental Railway. combinado com outras inovações similares na química e outras ciências. crédito. e de produtos industrializados até os centros de consumo. A indústria aprendeu a como coordenar tal diversidade de atividades econômicas em uma grande área geográfica. Dourados . facilitou o transporte de carga e passageiros entre o Oeste americano e o restante do país.MS . tendo colaborado na locomoção de milhões de pessoas do Leste americano até o CentroOeste. e ao rápido crescimento do valor da terra.que era quase inexistente após 1u880. avanços tecnológicos na indústria siderúrgica. os Estados Unidos tornaram-se a maior potência industrial do mundo. criada por Henry Ford. o sistema de corporação tornou-se a forma dominante de organização de negócios. do transporte de alimentos de áreas rurais até as cidades. ajudando no transporte de matérias-primas dos pólos de extração até os centros industriais. tais como o processo Bessemer. Inovações também ocorreram na maneira como o trabalho era realizado. A grande quantidade de terras disponíveis. desenvolvidas por Frederick Taylor. tendo assistido à uma expansão meteórica da industrialização e da escala de produção. tais como o telefone e o telégrafo permitiram que diferentes ações pudessem ser coordenadas mesmo sendo realizadas a uma grande distância entre si. a diversidade climática do país e a diversidade econômica americana. fazendeiros e trabalhadores ferroviários. Líderes executivos passaram a apoiar políticas do governo americano de laissez-faire. tendo caracterizado-se pelo aumento drástico na organização e na coordenação da produção. bem como mares e oceanos. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. 685. Enquanto isto. e criaram centenas de cidades. criando firmas únicas que eram anteriormente empresas concorrentes. também caracterizou-se pelo pioneirismo. Grandes subsídios federais para a construção de ferrovias enriqueceram investidores. rios e lagos. anteriormente quase inacessíveis. bem como a abundância de recursos naturais que levaram à extração barata de energia. também conhecida como Revolução Industrial Americana ou Revolução Industrial norte-americana. Novos instrumentos de comunicação. as ferrovias foram importantes para a expansão americana em direção ao Oeste. Corporações também cresceram através de fusões. exemplo disso é a criação e desenvolvimento da linha de produção. bem como forneceu acesso a regiões remotas do Oeste americano. Rua Iracema. levou a um drástico aumento da produtividade e da eficiência da indústria. construído por imigrantes irlandeses e chineses. As necessidades das novas fábricas levaram à grandes avanços na tecnologia e nos transportes. ou as idéias da Administração Científica.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 De 1865 até 1900. BNH 4º Plano. Altas tarifas alfandegárias protegeram a fábricas e trabalhadores americanos de competição estrangeira . que a Revolução Industrial Americana. mais a grande presença de recursos econômicos. todos foram fatores que alimentaram esta Segunda Revolução Industrial. ainda. Para financiar tais planos de grande escala. Milhares de quilômetros de ferrovias foram construídos ao longo do país. bem como ampla presença de canais navegáveis. além de se caracterizar pela mudança do artesanato à manufatura como principal método de produção de produtos de consumo. Além disso. É importante destacar.

como minério de ferro.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Enquanto isto. ocorrida entre 1864n e 1870. a partir da Revolução Francesa de 1789. que não deixou de produzir bens de ponta. tal vivacidade. inclusive. um grande fluxo de imigrantes fez com que mão-de-obra barata se tornasse comum no país. só se fez ocorreu após a Guerra de Unificação. 3. à medida que a base tecnológica da nação se desenvolvia. prinicipalmente com a produção de equipamentos que produziram mudanças na casa das pessoas. em todos os níveis. especialmente nas áreas de siderurugia e produção de máquinas e veículos. enseradeiras. 3. fogões à gás e televisores. a insdústria norte-americana converteu seus esforços no sentido de fazer com que houvesse uma melhoria significativa da qualidade de vida. surgida de 38 (trinta e oito) principados germânicos já bastante industrializadas.4 – A Revolução Industrial na Alemanha Vale destacar que a Alemanha. seus trabalhadores foram os mais bem mais pagos do mundo. Rua Iracema. Enquanto isto. Vale destacar. todos os ramos do governo. Poderosos industriais tais como Andrew Carnegie e John Rockfeller juntaram grande poder e riqueza.MS . especialmente na indústria da mineração e da manufatura. a indústria norte-americana. desenvolveu um processo de organização da produção industrial profundamente identificado com a tecnologia industrial norte-americana. sendo que o país conseguiu competir com os Estados Unidos. porém. passou a produzir bens de altíssima tecnologia. por meio da qual. em oposição ao domínio de mercados exercido pela Inglaterra. o trabalho habilidoso de artesãos deu lugar a trabalhadores e engenheiros industriais.3 – A Revolução Industrial na França É importante mencionar que a França chegou tardiamente à Rebvolução Industrial. operando em uma faixa ainda não explorada. 685. que a França. Isto fez com que o capitalismo moderno pudesse vender sua imagem de uma opção econômica capaz de produzir condições de vida mais capazes que as do comunismo. A partir de 1990. bauxita e carvão mineral em produtos siderúrgicos mais resistentes e baratos que os produzidos na Inglaterra. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. tencionava isolar a Inglaterra. nas esferas da produção aeroespacial e aviônica. É importante destacar. Em uma sociedade onde pessoas e empresas passaram a competir umas com as outras por acumulação. Napoleão Bonaparte desenvolveu. porém. enquanto país. Há que se destacar. com a expansão da internet a grande capacidade de absorção dos computadores pessoais (PCs). depois da Segunda Guerra Mundial. ainda. desde cedo. manganês. não permitindo que esta fizesse comércio com qualquer das nações importantes da Europa. sendo consagrada a sua Unificação no mesmo ano de 1870. com a produção de liquidificadores. para vencer forçadamente greves trabalhistas. principalmente ligada com a produção de comidas enlatadas e vinhos. BNH 4º Plano. baseando. como um gigante industrial. uma campanha de ocupação militar. engtre 1804 e 1815. que ao tentar impor sua produção de máquinas e de têxteis ao mercado europeu. na sua capacidade de trasnformar matéris-primas minerais. ainda. o país configurado surgiu. passaram a trabalhar na questão do uso da violência por parte do movimento sindical. alumínio. Dourados . que após a Segunda Guerra Mundial – e até a década de 1990 -. que era a da indústria alimentícia. E.

podendo migrar de uma classe social para outra. por exemplo.000 habitantes em 1780 para mais de 5 milhões em 1880. ainda.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Valem destacar. ainda.5 – O Quadro Recente Há que se destacar que os países que se dedicaram à Revolução Induastrial lograram condições de mais efetivo desenvolvimento econômico e social. Recentemente. Destaque-se. de 1760. muito embora se entenda que o processo. a Alemnha conseguiu produzir tal grau de competitividade mercadológica. como preconizara Jean Jacques Rousseau. tanto que se verifica que a Revolução Industrial alterou profundamente as condições de vida do trabalhador. os operários viviam em Rua Iracema. até o seu advento. podendo. a indústria continua sendo o único elemento de efetividade econômica. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. que a despeito de todas as evoluções ensejadas nos últimos anos. em face de sua importância como centro de produção. Outra transformação importante foi a que se produziu no âmbito das relações de trabalho. passou de 800. até mesmo porque é preciso continuar alimentando os contingentes populacionais mundiais. evitando-se a configuração de grandes alterações de contexto de produção.6 – A Revolução Industrial e as Bases das Transformações Legais da Civilização Ocidental É importante destacar. provocando inicialmente um intenso deslocamento da população rural para as cidades e criando enormes concentrações urbanas. finalmente. que a primeira e mais importante transformação legal que a Revolução Industrial foi a do status do trabalhador. em sua obra: O Contrato Social. E. porém. desde que apresentassem condições econômicas e financeiras para tanto. como o café descafeinados. Dourados .MS . No início da Revolução Industrial. 3. as pessoas passavam a gozar de mobilidade social. Ao contrário. que foi a de que as pessoas não estavam mais presas a uma condição social previamente estabelecida. espalhou-se pelo mundo inteiro. que por possuir áreas de mineração importantes como o Ruhr. A população de Londres. a Alemnha se conforma como a locomotiva econômica européia. a de fabricação de máquinas e equpamentos e a de conformação de alimentos finos. inicialmente circunscrito à ocidentalidade. a Alemanha concentrou seu processo de industrialização em 03 (três) frentes importantes: a indústria automobilística. como Japão e coréia do Sul acabaram por se tornar grandes potências industriais e tecnológicas. a Alsácia e a Lorena. No entanto. que a referida abriu caminho para o surgimento da Primeira Guerra Mundial. BNH 4º Plano. ligados á terra e fiéis a um Senhor Feudal. os seres humanos foram admitidos em condições de “igualdade jurídica”. sebndo que países do Extremo Oriente. ao qual deviam uma série de “obrigações”. justificadas por imposições de cunho religioso. a imensa maioria dos trabalhadores europeus era composta por servos. 685. 3. E. a conformação da igualdade jurídica trouxe uma outra importante conseqüência. dentro do ideal filosófico do liberalismo. Com o advento da Revolução Industrial. Afinal. estabelecer relações de contratos. mantendo as condições de produção quase que de forma perene. é preciso que se referencie que o desenvolvimento das atividades industriais não elimina a importância da produção agrícola e pecuária.

Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230.53 horas por semana. foi o primeiro importante estudioso da Ciência Econômica a defender a visão de que a propriedade privada individual deveria se submeter ao interesse da coletividade. uma conformação efetiva de propriedade privada. maiores as possibilidades de ampliação do patrimônio material do investidor. o investimento é.46 horas por semana. BNH 4º Plano.  1820 . Grécia e Roma. Como a produtividade do trabalho aumentava os salários reais dos trabalhadores ingleses aumentaram em mais de 300% entre 1800 e 1870. Ou seja. em 8160 a jornada de trabalho na Inglaterra já se reduzia para cerca de 50 horas semanais (10 horas diárias em cinco dias de trabalho por semana). Vale ressaltar.não se tenha conformado qualquer opção de atuação econômica que opere no sentido de abolir a propriedade privada. a definição filosófica do fato. já que cada grupo de trabalhadores passava a dominar apenas uma etapa da produção. igualmente submeteram o interesse individual ao coletivo. muito embora.em torno de 80 horas por semana. ainda. ainda.  2007 . desde logo. foram produzidas as seguintes alterações legais. a partir daí. caracterizando.MS . a propriedade privada continua a base do pensamento Rua Iracema. apropriava-se individualmente dos resultados. No entanto. A produção em larga escala e dividida em etapas iria distanciar cada vez mais o trabalhador do produto final. A Jornada de trabalho chegava a 80 horas semanais. como Mesoptâmia. motor. o princípio só teve sua plena configuração com a conformação da ideía de dinheiro. ainda. no universo britânico:  1780 . deveriam render lucros para o seu executor.67 horas por semana. em 1492. Dourados . nos dias atuais de todo o esforço de investimento dos proprietários capitalistas. as operações físicas. os salários eram ainda mais baixos.5 vezes o nível de subsistência. princípio bastante difundido no presente século XXI. E. é preciso considerar Keynes. Isreal. em sua obra: A Riuieza das Nações. sendo que. apesar de tais referenciações. 685. Para mulheres e crianças. segundo Adam Smith. razão direta para o aumento do teor de propriedade privada. sendo que este. No entanto. de 1776. coube a Adam Smith. mas sua produtividade ficava maior. e os salários variavam em torno de 2. Devido ao progresso ocorrido nos primeiros 90 anos de industrialização. faltava. defender formalmente o instituto. até mesmo porque. Outros pensadores. quanto mais investimento.  1860 . que neste contexto. assim como os cortiços onde muitos trabalhadores viviam. O ambiente das fábricas era insalubre. Muito embora já existissem traços de uma possível adoão desde as sociedades antigas.d e produção econômica. quando deu sistematização ao Princípio da Intervenção Seletiva do Estado na Economia. destacando-se que. submetidos ao mesmo número de horas e às mesmas condições de trabalho.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 péssimas condições de vida e trabalho. Outro aspecto enormemente importante foi a consagração do princípio da propriedade privada dos bens. destacando que a propriedade privada dos bens caracterizava uma das referências mais importantes para tornar os seres humanos propensos a investir na produção econômica.

Ou seja. carros. como casas. BNH 4º Plano.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 econômico capitalista. até mesmo porque a visão contemporânea de sucesso tem muito a ver com a detenção expressa de bens materiais. especialmente após a sistematização da Revolução Industrial deve muito ao Direito. especialmente no que diz respeito a uma pretensa exploração do ser humano pelo próprio ser humano. Além disso. que o direito tem o pendão de buscar condição de conciliar as injustiças econômicas. é que a Ciência Econômica. especialmente aqueles que são mais visíveis e mais perceptíveis pela sociedade. o Direito é o amortecedor que faz com que sejam equacionalizados os grandes conflitos sociais oriundos da atuação econômica dos seres humanos. porém. O fato que precisa ser destacado. ourivesaria e outros. é importante destacar. até mesmo porque o ramo das Ciências Jurídicas tem sido utilizado para o refreamento das grandes polêmicas que envolvem o sistema capitalista de produção. Dourados . 685. ainda. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Rua Iracema.MS . bens de luxo. fazendo com que sejam pagos os haveres não honrados a quem faz jus e que sejam exigidas as quantias financeiras devidas a quem realmente as deve.

o que marca a atuação humana. portanto. essencialmente. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. não somente como seres que complementam a ação criadora de transformação da natureza. tendo que se voltar. que se estreitaram cada vez mais. as incompreensões. não pode se dar ao luxo de se preocupar com as necessidades individuais de consumo dos seres humanos. BNH 4º Plano. Faz-se necessário destacar. que.000 (sete bilhões) de pessoas. conformando um contingente estimado em mais de 7. 685. social e política dos seres humanos. por ser a ciência que acompanha a atuação efetiva dos seres dentro do contexto especificado. uns dos outros e. do século XIX aos dias presentes. 4. Ao mesmo tempo. com o advento da maquinofatura e da produção mecanizada. mais próximas umas das outras e. a Economia Política precisa ser analisada dentro de seus contornos de Ciência Humana.000. que a Ciência Política tem como elemento de base a atuação dos seres humanos. 4. surgiram os conflitos da chamada convivência urbana.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 4 – A ECONOMIA POLÍTICA COMO CIÊNCIA HUMANA. E. era desenvolvido em largas extensões territoriais. conformados enquanto seres cuja atuação econômica redunda em condições efetivas de sobrevivência para os próprios seres humanos. passou a ser desenvolvido em um local concentrado.1 – A Economia Política como Ciência Humana É importante mencionar. foram conformadas. no meio rural. visto que o objeto de sua preocupação são os seres humanos. que convivendo de forma mais próxima. É oportuno destacar. 4. em função de tal proximidade. no contexto das cidades. econômica. Social e Histórica. como os ódios. uma ciência social. Por isto. ela é considerada. também. que a Economia Política. Esta proximidade mudou radicalmente a forma de relacionamento e. que conseguem produzir a própria sobrevivência.2 – A Economia Política como Ciência Social É importante destacar.MS . com tais mudanças. em um barracão. desde os primórdios da Revolução Industrial que a Economia Política tem marcado sua atuação como a Ciência que procura entender a ação dos seres humanos dentro do contexto da Pólis ou da Cidade. em conseqüências. para as necessidades consubstanciadas das coletividades humanas.3 – a Economia Política como Ciência Histórica Rua Iracema. as relações de bem querer e de complementariedade. o processo de produção. ainda. os seres humanos se viram em condições de maior dependência. porém. em contato de atuação econômica. os agentes efetivos de sua atuação. que antes. SOCIAL E HISTÓRICA É importante mencionar que. ainda.000. explodiram as inconformidades próprias de tal convivências. até em função da quantidade efetiva de pessoas que habitam o planeta. a ciência destacada é vista como uma ciência humana. em função disto. por isto. sobretudo o contexto das relações humanas. política e social. ainda. E. normalmente. Dourados . mas como animais diferenciados. razão pela qual. fazendo com que as pessoas passassem a estar mais em contato e. os desamores e os interesses econômicos conflitantes.

MS . Dourados . Rua Iracema. ainda. que a História deu grande contribuição para o desenvolvimento da Ciência Política. ainda. visto que permitiu verificar como o pensamento humano evoluiu com a Revolução Industrial. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. acontecem em um tempo e em um espaço definidos. caracteriza a sua configuração como Ciência Histórica. permitindo o desenvolvimento de uma civilização baseada na evolução conceitual e. visto que as atuações dos seres humanos. BNH 4º Plano. principalmente no desenvolvimento do conhecimento. Vale destacar. visto que era preciso justificar para os seres humanos da época – daquele tempo e daquele espaço – que os sofrimentos impostos pela produção industrial nascente seriam compensados com os avanços e com os conformantes de progresso material que fatalmente a produção industrial iria gerar. 685. por isto. como ramo efetivo da Ciência Econômica. E. ainda.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 É importante que se referencie. que. que a Ciência Política é um ramo do conhecimento econômico que acontece no tempo e. é um conhecimento histórico. isto. Vale destacar. a Economia Política começa a existir a partir da Revolução Industrial. mais uma vez. seu principal e único elemento de referenciação.

que ficou conhecida como Burguesia. uma classe de capitalistas. a legalização das posses econômicas das áreas de exploração da América também contribuiu para o aumento da riqueza da Europa. portanto. como. que concebeu que com o dinheiro se atribuiria a todos os bens e serviços. que se caracterizou por sua capacidade de enfrentar o novo e de propor transformações no “status quo” vigente. Ou seja.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 5 – NASCIMENTO E EVOLUÇÃO DA ECONOMIA CAPITALISTA Faz-se importante mencionar que a Economia Capitalista começou a se formar com a desintegração das estruturas sociais européias existentes durante a Idade Média. No entanto. Ou seja. É importante destacar. logo colocaram indivíduos outros para trabalharem a seu serviço. elevassem o próprio padrão de vida. 685. neste meios urbanos nascentes. a população ali inserida passou a desenvolver atividades econômicas remuneradas. em gastos financeiros. que. para se ter determinado bem e/ou serviço (mercadoria). E. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Além do surgimento da Burguesia. fazendo com que mais e mais pessoas passassem a ter acesso a bens e. muito rapidamente. a prática econômica leva ao fato de que o valor de troca normalmente é maior que o valor de uso. que a concepção de lucro foi fundamental para fazer com que as pessoas desenvolvessem outras 03 (três) idéias ou conceitos de fundamental importância para o avanço da economia capitalista: a idéia de riqueza. 02 (dois) valores distintos a todos os bens e/ou serviços (mercadorias): o valor de uso e o valor de troca. Devendo ser destacado: . consequentemente.MS . capazes de conformarem as decisões mais importantes do contexto social. a sociedade capitalista já nasceu eivada do propósito de fazer as pessoas viverem melhor. é quanto se despendeu. com mais conforto. contingentes importantes da população européia ocidental foram sendo expurgados do meio rural e.Idéia de Riqueza Rua Iracema. À medida que as fazendas ou zonas de produção rural foram se inviabilizando. foram empurrados para os meios urbanos nascentes. que lhes proporcionou condições de sobrevivência. Já. Dourados . os indivíduos que possuíam um pouco mais de condições econômicas e de capacidade empreendedora. passaram a ser vistos como elementos diferenciados. Além do mencionado. BNH 4º Plano. cirando. E. que se “lucro”. que se conformou em 1492. ainda. Foi assim que surgiu a classe responsável pelas grandes transformações econômicas e sociais da Europa dos séculos XVII e XVIII. é importante destacar que. ao ganharem dinheiro e poder econômico na sociedade. tem-se uma diferença – a maior –a favor do que transfere o bem e/ou serviço. a partir daí. o aspecto que mais contribuiu para a efetivação da economia capitalista ou do modo capitalista de fazer economia foi o surgimento da idéia de dinheiro. com os escritos de François du Morganters. dentro do modelo econômico feudal de produção. o valor de troca conforma o quanto o detentor da posse de um bem e/ou serviço re quer para transferir a posse referenciada para outrem. a concepção de progresso material e o relativismo da riqueza material. É importante que se referencie que o valor de uso conforma o quanto de custos de conforma para que um indivíduo ou uma empresa detenha a posse de um bem e/ou serviço.

MS . o momento de predominância da atividade agrícola na França ou Fisiocracia e a predominância da Rua Iracema. Ou seja. Portanto. sempre. o conceito de riqueza foi radicalmente transformado. Ou seja. sempre de menos. nada menos. independentemente da quantidade de bens que um ser humano detenha. não é dado. Dourados . . por mais ampliada que seja. como o dinheiro é um bem transitório e de circulação. que estabelece que faz o ser humano mais rico. esta concepção faz com que a economia capitalista esteja em contínuo processo de renovação e de expansão. BNH 4º Plano. fazendo com que se conformasse. em decorrência. desde o seu mais tenro advento. a economia capitalista. pronto para ser gasto.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 É importante mencionar que. merecendo serem destacados: o momento de predominância da atividade comercial ou mercantilismo. ficou latente a idéia de que. tendo em vista que dinheiro nunca é demais. Ou seja. de alargamento do consumo. existe sempre a perspectiva de desaparecimento da riqueza material de que o indivíduo dispõe. visto que a paralisação da atividade produtiva leva. se transforma em dinheiro. um processo bastante efetivo. barcos. escravos. a idéia de que toda a riqueza amealhada possa se esvair a qualquer momento é que faz com que os seres humanos sejam obrigados a buscar. Por isto. a nenhum ser humano. Ou seja. agora. nas sociedades capitalistas. Ou seja. tendo em vista que. E. a partir da concepção monetária do Dinheiro. novos teores de riqueza.. todos os seres humanos devem buscar sempre a expansão da riqueza obtida. representou um processo profundo e efetivo de transformação do comportamento produtivo dos seres humanos. a partir do surgimento da moderna concepção do Dinheiro. como casa. pela utilização dos recursos tecnológicos e pela melhoria das condições efetivas de conhecimento. que ter dinheiro. é preciso que se destaque que ela apresentou fases distintas de conformação. a produtividade material foi elevada ao seu extremo de efetividade. as pessoas sentem enormes dificuldades para se aposentarem. visto que é pelo alargamento do consumo que se conformam as condições efetivas de melhoria da qualidade de vida dos seres humanos. ela será mais rico na medida em que tais bens se transformam em dinheiro disponível. . à percepção de que se estagnou. etc. ser rico significa nada mais. o conceito de progresso material é o que estimula – continuamente – as pessoas para que trabalhem mais. ainda. o direito de se sentir confortável com a riqueza material já obtida.Progresso Material Outro aspecto importante é com relação à conformação da idéia de evolução da riqueza material. 685. Se na Idade Antiga e na Idade Média a riqueza material era da pela quantidade de bens físicos que um ser humano detinha.Relativismo da Riqueza Material Faz-se importante destacar. também. para que busquem aumentar o próprio teor de riquezas. de que não haverá o amealhamento de novos teores de riqueza material. que. o que também é sumamente importante. invariavelmente. Ou seja. Com relação à evolução da economia capitalista. razão pela qual. o bem e/ou serviço que mais imediatamente e com menos perdas. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. todo ser humano se sente na obrigação contínua de continuar produzindo novos teores de riqueza material. a concepção de riqueza está diretamente ligada ao conceito de liquidez.

enquanto outros países se dedicavam de forma mais efetiva às atividades comerciais. Países Baixos.Mercantilismo Há que se destacar que o Mercantilismo corresponde à primeira fase de desenvolvimento da economia capitalista e se caracteriza por ser o período em que a Europa Ocidental se valeu das excedências de mercadorias obtidas nas colônias americanas e nas feitorias comerciais da costa africana e do sudeste asiático para efetuar. fazendo com que potências econômicas como Portugal. já que as imensas quantidades de ouro e prata. Vale ressaltar.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 sociedade industrial produtiva ou economia industrial. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. como. maior a efetividade de lucro obtida. tanto que foi fundamental para a preparação da Revolução Industrial. Espanha. aliás. ela também. atividades mercantis de abastecimento de produtos.Fisiocracia Faz-se importante considerar que a França possui o maior território agricultável da Europa Ocidental e. como François Quesnay. a França. tanto que os principais pensadores locais da época. E. de tal sorte que todo o contingente de mercadorias importadas era vendido. contudo.MS . não tinham como serem importados das colônias americanas. voltou-se. o que precisa ficar bem referenciado. é que o Mercantilismo caracterizou ama das fases de maior acumulação de dinheiro na Europa. encontradas nas colônias americanas sustentava a emissão de grandes quantidades de dinheiro no continente. 685. do século XVIII aos dias atuais. BNH 4º Plano. . para a produção agrícola. quanto maior o contingente de comércio efetivado. como já se havia incorporado o conceito de dinheiro e. OU seja. além de buscar. como a Europa Ocidental vivia um período de alargamento de suas riquezas monetárias. . especialmente a burguesia. dedicaram o seu tempo e os seus esforços a estudos que pudessem enquadrar a atividade agrícola de produção dentro do contexto econômico capitalista. permitia o alargamento contínuo da atividade mercantil ou comercial. no seu interior. mais diretamente. . Por isto. os empreendedores econômicos da Europa Ocidental ganharam dinheiro trazendo produtos comerciais dos referenciais geográficos mencionados e comercializando-os no próprio interior. tanto que utilizou seus excedentes de produção rural para desenvolver forte presença no comércio europeu.Economia Industrial Rua Iracema. que por sua perecibilidade. desde logo. a conquista de colônias e de feitorias comerciais. Dourados . mais especialmente o conceito de lucro. o que foi efetivado com sucesso. especialmente nos séculos XVII e XVIII. E. da África e da Ásia para a Europa. É oportuno destacar que a atividade mercantil foi predominante na economia capitalista européia especialmente nos séculos XVI e XVII. fator que determinou a efetividade do modo capitalista de produção. França e Inglaterra dessem sustentabilidade ao processo. o poder de compra dos beneficiários da nova situação econômica. em sua grande maioria. que a despeito da importância da produção agrícola. conformada em decorrência da efetividade da Revolução Industrial. na América e na Ásia. E. o fizeram as outras potências do continente. os alimentos. a França não abdicou de participar do mercantilismo.

especialmente. no contexto de seu contexto de desenvolvimento industrial. o fator mais efetivo de evolução da economia capitalista foi. Há que se destacar que a economia capitalista conformou. como já se referenciou. a economia capitalista enfrentou – e está enfrentando – crises sistêmicas de conformação. França. Vale destacar. ainda. quando a industrialização se concentrou na produção de têxteis. sendo necessário que se reveja. produzindo bens como geladeiras. que durante esta fase a industrialização se concentrou. sob a liderança estratégica dos Estados Unidos da América se volta para dentro da casa das pessoas. que caracterizou. as pessoas dispõem de maiores quantidades de bens e. que vai do século XIX ao final da Segunda Guerra Mundial (1945). É importante destacar. especialmente com o desenvolvimento dos mecanismos de transporte à vapor. a Inglaterra teve adotar posturas políticas agressivas. no contexto atual. consequentemente. É oportuno destacar. caminhões. que. que a despeito de toda a evolução efetivada. sobretudo em função do escasseamento de matérias-primas e das condições de emissões de poluentes de produção industrial. é importante que se explicite que. fases efetivas de configuração. eletros e eletrônicos. BNH 4º Plano. É a fase em que. E. com desenvolvimento das grandes máquinas e dos grandes complexos de industrialização. na Inglaterra e nos Estados Unidos da América. o momento em que os seres humanos utilizaram sua capacidade técnica para transformar as matérias-primas. incluindo Inglaterra. propagandeia-se que se vive melhor no capitalismo porque. para se contrapor ao comunismo soviético. que já se baseava na utilização intensiva da energia elétrica. em produtos que passaram a atender necessidades efetivas dos seres humanos. com ele. já atingia uma série de países. sem sombra de dúvidas. . que se efetiva de 1985 aos dias presentes e que se baseia na utilização intensiva da tecnologia de transmissão e no conhecimento.A fase do Desenvolvimento da Maquinofatura Pesada. a indústria capitalista mundial. ainda. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. ao atingir tal conformidade de efetivação. Estados Unidos da América.A fase da Indústria do Bem-Estar. visto que a produção econômica não tem como manter a sua efetividade. na siderurgia e na utilização do carvão mineral e da energia hidráulica.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 No entanto. navios e aviões) o seu ápice de desenvolvimento. calçados. a demanda de consumo da população mundial. organizam melhor as suas necessidades de produção econômica. para efetivar a conquista dos mercados referenciados. também. mais efetivamente. Rua Iracema. Dourados . Alemanha e Japão. com a Inglaterra tendo sido mais efetiva na conquista e na manutenção de grandes mercados internacionais. a indústria. tendo na indústria de transportes (veículos. como a da condenação da escravidão negra no Brasil e nos sul dos Estados Unidos da América. a grande discussão que se trava é que o planeta não suporta mais o rítimo de efetivação da economia capitalista. a Revolução Industrial. ofertadas pela natureza.A fase de desenvolvimento inicial do processo. .MS . sendo que.Fase da Indústria de Tecnologia. E. que abrangeu os séculos XVII e XVIII. fogões. que se efetiva entre o final da Segunda Guerra Mundial (1945) e o desenvolvimento da Internet (1985). merecendo serem destacadas: . com isso. 685. .

com mais efetividade de riqueza. com geração de maiores teores de emprego e renda e. Rua Iracema. os serviços e o universo das finanças produzem ganhos econômicos ou lucros para os seus empreendedores. é encontrar meios de melhor dividir os ganhos financeiros.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 6 – A PRODUÇÃO E A DISTRIBUIÇÃO DO VALOR E A FORMAÇÃO DO EXCEDENTE ECONÔMICO É importante que se destaque que a produção econômica não é efetivada somente com o fim último de abastecer as necessidades de consumo dos seres humanos. 685. no século XXI. não está no fato de que existe uma produção de valores financeiros. visto que. Não se pode partir da concepção de que filosoficamente o capitalismo seja tão “purista” ao ponto de só enxergar o lado altruísta da atividade producional. a industrialização. é isto que move e impulsiona a atividade econômica capitalista. que este papel. a atividade econômica é produtora de valores financeiros. é a vastidão do consumo que produz maior efetividade de um determinado mercado econômico. E. E. de tal sorte que “os ricos ficam cada vez mais ricos e. no entanto. passando a ganhar cada vez mais dinheiro. financeiramente. no qual. É por isto que se costuma afirmar que a economia capitalista é altamente concentradora de riquezas. para melhor aprofundar o assunto. no século XXI. é necessário. o lucro é um dos elementos componentes da teoria do valor. vão ficando cada vez mais distantes. Ou seja. O que merece especial atenção da Economia Política é o fato de que os valores financeiros produzidos estão cada vez mais concentrados. tais como a produção rural. a estrutura de consumo. com maior efetividade. os pobres. ao Estado. A efetivação de atividades concretas de produção. O problema. Em contrapartida. porém. É o chamado “círculo virtuoso”. fazendo com que se alargue o círculo da riqueza. Ao contrário. antes de tudo. uma notícia boa permite a configuração de uma nova notícia boa. E. Ou seja. O grande desafio. os ganharam. em conseqüência. é função da Economia Política o estudo de como se dá a produção e a distribuição do valor. pois. também. é importante que os contingentes humanos com acesso à riqueza sejam ampliados para que se alargue. portanto. cada vez mais pobres”. BNH 4º Plano. não existe uma única atividade econômica de cunho efetivamente capitalista que não vise a geração de lucros. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. daí porque.MS . É importante que se referencie que a produção do valor se dá à medida que os agentes econômicos atuam no contexto econômico de mercado. Aliás. os que conseguem escalar os primeiros degraus da conformação de ganhos financeiros ascendem mais rapidamente. político e social do Estado. como tais lucros são medidos em dinheiro. os que não conseguiram formalizar os passos iniciais do ganho financeiro efetivo vão tendo cada vez mais dificuldades de efetivar este “primeiro ganho” e. tornando-se o que se chama popularmente de “elemento rico”. decorrentes da conformação prática de atividades econômicas. Portanto. de induzir a melhor distribuição da riqueza compete. E. Dourados . consequentemente. Acontece. a atividade comercial. é preciso que vislumbre o cerne da questão que é o de que quem produz visa lucros. estes teores de ganhos produzem valores financeiros que são detidos pelos agentes que empreenderam as atividades econômicas e que. da Economia Política. definir-se o papel econômico. portanto. mais do que nunca vale a máxima popular de que “dinheiro faz dinheiro”. daqueles que efetivaram “os primeiros ganhos” e que passam a ser efetivos neste ganho.

O problema é que o Brasil optou por um modelo um tanto injusto. que é o mal maior de todas as economias capitalistas. inclusive. os pensadores econômicos defendem a idéia de que os impostos devem ser cobrados de forma direta. já que ela. Ou seja. pela alocação do imposto no preço dos produtos. permite que se efetive condições mais claras de sustentabilidade e manutenção estável de preços. que é onde se gera os teores mais efetivos de enriquecimento financeiro. até mesmo porque a arrecadação tributária é que conforma a receita financeira do Governo. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. tendo em vista que o abastecimento criterioso do mercado econômico interno. que o Estado. as responsabilidades de fazer com que se mantenha abastecido o mercado econômico de interior do país.MS .PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 É oportuno destacar. Por isto. o Excedente Econômico é formado pelos ganhos econômicos e financeiros obtidos pelos agentes de mercado. Isto cria uma situação surreal. procuram garantir maiores teores de dinheiro para o enfrentamento das necessidades futuras. na prática. Portanto. 685. nem paguem. como o Banco do Brasil. A ele compete a responsabilidade de fazer acontecer a produção econômica. permita plena efetividade do mercado interno. que. são de fundamental importância para que o crédito atinja. de forma que ela abranja todos os agentes econômicos e. pessoas físicas e jurídicas. que é expressa pelos aumentos contínuos e sucessivos de preços. visto que o cidadão pobre. os Bancos Regionais de Desenvolvimento (BASA. o grande objetivo é fazer com que a economia cresça. o instrumento mais efetivo que o Estado possui para conformação de distribuição de renda é. que é o de recolher boa parte da tributação legalizada pela via indireta. Banco do Nordeste e BRDE) e da Caixa Econômica Federal. corrói a capacidade financeira de compra das pessoas físicas e das empresas. o que reduz a inflação. em função do relativismo das riquezas. a atuação do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e dos agentes de política econômica e monetária do Governo Federal. E. com a conformação das estruturas de financiamento da produção. o tributo. Dourados . E. BNH 4º Plano. Ao Estado compete. também chamado de “Excedente Econômico”. especialmente no caso brasileiro. que adquire o produto (bem e/ou serviço) irá pagar o mesmo montante de tributos que o elemento mais rico de sua sociedade. desde logo. fazendo com que os elementos que detém e movimentam maiores teores de contingentes financeiros paguem mais impostos. ou mesmo. as empresas e os conformadores de produção que precisam ser incentivados. também. sem sombra de dúvidas. Outra demanda importante e que é concernente ao Estado é a que diz respeito à distribuição da renda. isto é. Rua Iracema. no século XXI. é encarado como sendo o ente que mais condições detém de fazer com que se processem as condições de plena efetividade econômica. enquanto que os mais pobres paguem menos.

trigo. à medida que as economias evoluem. conformando sérias dúvidas sobre a real capacidade de atendimento da demanda por alimentos.ou mais – da pauta de exportações de um país. No caso específico do Brasil. principalmente na segunda metade do presente século. porém. outros especialistas enfatizam que existem áreas a serem exploradas no Vietnã. é necessário que se referencie que o Brasil. o país conheceu vários ciclos econômicos diferenciados e de grande importância. sozinho. A FAO (organismo da ONU para alimentação) tem trabalhado com previsões bastante pessimistas. com nenhum produto que efetivasse tal condição. Além disso. as possibilidades de alargamento da produção de bovinos em confinamento. no Laos. inicialmente. os espaços agricultáveis do mundo foram praticamente ocupados e não se percebe. formam-se ciclos econômicos diferenciados. fazendo com que.MS .1 – A Realidade Econômica Atual É importante que se explicite que o mundo vive um momento de angústia. em especial. alertando para o fato de que a população. 7. não se pode mais destacar a existência de um ciclo econômico específico. que Ciclo Econômico é a efetivação de uma determinada prática econômica. consignou conformidade econômica própria do país. mais. milho. o do café. E. O que precisa ficar evidenciado. O fato é que. o Brasil não contou. criam perspectivas de maior disponibilização de áreas físicas para a produção de grãos. No entanto. na verdade. na Tailândia e na Região Central Africana. BNH 4º Plano. Os 02 (dois) primeiros foram ciclos econômicos que tiveram ocorrência durante o período em que o país foi colônia de Portugal. ao menos no momento presente. 685. E. conforma 50% . Afinal. sendo que. reproduz a realidade econômica mundial. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Dourados . o que. No entanto. em tese. é que a idéia econômica de ciclo se efetiva quando um determinado produto. a perspectiva de uma efetividade tecnológica que possa aumentar significativamente a produtividade econômica por hectare de terra ocupado. Rua Iracema.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 7 – CICLO ECONÔMICO E NÍVEL DE EMPREGO É preciso que se entenda. principalmente da Índia e de outros países do sudeste asiático cresce a uma velocidade que coloca em risco a segurança alimentar do planeta. como a partir do declínio da cafeicultura. bastou a diminuição acentuada dos estoques mundiais para que os preços das commodities agrícolas (soja. anularia os riscos de desabastecimento mencionados pela FAO. açúcar) alcançassem preços nunca dantes praticados. cada momento possua a sua efetividade econômica própria. O que precisa ser ressalvado é que os estoques mundiais de grãos nunca estiveram tão no limite do abastecimento da demanda. tais como os ciclos da cana-de-açúcar. na condição de segunda maior potência mundial em produção de grãos e sexto maior produtor de carnes. uma situação de escassez de alimentos. no Cambodja. somente o último. em função da perspectiva de que ocorra. que tem na produção de alimentos um de seus pontos de culminância econômica. dos minérios (do ouro) e do café.

685. com o aumento efetivado do preço dos alimentos e com o aumento do desemprego. uma vez que. De qualquer modo.MS . visto que as populações mais pobres já encontram dificuldades para se alimentarem. até mesmo porque. BNH 4º Plano. Dourados . mais efetividade econômica e. consequentemente. visto que. que já se encontram sobremaneira elevados. é bom que se tenha certo cuidado com o que acontece com os mesmos. mais do que nunca o nível de empregos passa a ser uma das preocupações mais efetivas dos governos nacionais. Rua Iracema. menor o contingente da população que passa a ter dificuldades de se alimentar. quanto maior o contingente populacional empregado. tanto que a ONU – Organização das Nações Unidas desenvolveu o conceito técnico de Segurança Alimentar. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. E. neste contexto. muito embora não se tenha a configuração de um ciclo econômico mundial das commodities agrícolas e pecuárias. causará uma grande preocupação na economia mundial. principalmente no continente europeu. uma situação de eventual aumento dos preços. exatamente para estudar a situação aventada. como existe uma discussão intermitente acerca do risco de desabastecimento mundial destes produtos. 7.2 – Nível de Empregos Outro aspecto importante é com relação ao nível de empregos.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 Mas. mesmo que não se tenha a conformação do desabastecimento previsto. há uma situação clara e preocupante de dificuldades de abastecimento alimentar dos contingentes mais pobres da população mundial. a pergunta que fica é: o que tem a ver a situação destacada com a configuração técnica de ciclo econômico? É preciso destacar que. tem-se uma realidade de grande importância destes produtos.

para se fazer Rua Iracema.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 8 – MOEDA.Política Monetária Que é a forma de atuação do governo. como já afirmado. a Política Monetária. pior. para que a Política Econômica se efetive dentro do que dela se espera. Finalmente. é importante que se observe os pressupostos da Equação do Equilíbrio Econômico. por meio da qual se utiliza a moeda nacional como instrumento de desenvolvimento econômico e social. que efetiva esta atuação por meio de 04 (quatro) políticas ditas fundamentais: a Política Econômica. b) De Manutenção: que é a que se conforma quando o crescimento da economia se conforma entre 0 e 5% ao ano. 685. ainda. a Política Fiscal e a Política Tributária. que a Política Econômica pode ser: a) Expansiva: que é a que se conforma quando o crescimento da economia se conforma em parâmetros superiores a 5% ao ano. . Y = Renda. I = Investimentos. c) Restritiva: que é a que se conforma quando não se conforma crescimento econômico algum e. Ef = Emolumentos Financeiros. quando se cria uma situação de encolhimento da economia. (X-M) = Setor Externo da Economia. no âmbito da macroeconomia. (G-T) = Contas de Governo. i = Taxa de Juros. BNH 4º Plano. SISTEMA FINANCEIRO E POLÍTICA MONETÁRIA É preciso que se tenha. ou seja. CRÉDITO. também. quem possui a responsabilidade de organizar e estruturar a atuação econômica da economia nacional é o Estado. que preconiza que: EE  Y+Ef=C+i+I+(G-T)+(X-M) Onde: EE = Equilíbrio Econômico. é preciso que se efetive. . é o modelo de configuração da economia nacional. No entanto. E. a preocupação de destacar que. que envolvem Gastos de Governo (G) e Rendas ou Recebimentos de Governo = Tributação (T). inicialmente. que envolvem Exportações (X) e Importações (M). Dourados .Política Econômica É o elemento referencial de organização da economia nacional. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230.MS . C = Demanda de Consumo.

Devendo ser considerado. pior ainda. se possa ter 1 de QDC para 1 de QPE. . condições que são ruins para o controle da inflação. sendo que neste patamar a inflação já destrói as rendas das pessoas físicas e. ainda mais. BNH 4º Plano. E. percebendo-se que a inflação é o mal maior das economias capitalistas. é preciso que se considere que. o que se conforma por meio da utilização da Equação do Valor da Moeda. em outras palavras. diferentemente do que acontece nas empresas. QDC = Quantidade de Dinheiro em Circulação.Política Fiscal Que a esfera de atuação do governo que permite a gestão ou o gerenciamento das contas de Governo. no máximo. Em função das conformações acima referidas.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 da moeda um instrumento de desenvolvimento econômico e social. não produz grandes devastações no poder de compra da moeda. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. como as 02 (duas) variáveis são medidas em dinheiro ou em valores financeiros. o que só se consegue com a manutenção de inflação em níveis muito baixos. as seguintes possibilidades de resultados: Rua Iracema. fazendo com que esta produção econômica seja medida em dinheiro ou em valores financeiros.MS . ao final de determinados períodos de tempo (geralmente um ano). as contas de governo podem apresentar. 685. pior ainda. esta condição é importante para se evitar tanto o superabastecimento quanto o desabastecimento. E. é preciso que se entenda que a inflação possui 03 (três) estágios de configuração. porém. E. de tal forma que se faça com que as referidas apresentem condições de superávit financeiro. é possível fazer com que se estabeleça a premissa de que a manutenção do valor do dinheiro e. é preciso que se destaque que a principal função do governo é a manutenção do poder de compra da moeda nacional ou. QPE = Quantidade de Produção Econômica. Dourados . da inflação em níveis baixos. dependa da conformação de uma relação em que. a inflação causa efeitos devastadores sobre a renda das pessoas e. portanto. a manutenção da inflação em níveis baixos. sobre o poder de compra da moeda. E. que prediz que: VD  QDC = QPE Onde: VD = Valor do Dinheiro. sendo que neste patamar. sendo que neste patamar a inflação não produz conseqüências de destruição das rendas das pessoas e. para melhor entender a afirmação conformada. é preciso fazer com que a mesma tenha mantida o seu valor ou o seu poder de compra. b) inflação alta: que é a que se efetiva entre 5 e 10% ao ano. e c) inflação devastadora: que é a que se efetiva acima de 10%. que a produção econômica de um país é medida dentro do contexto do PIB – Produto Interno Bruto. produz graves devastações no poder de compra da moeda. devendo ser destacado que: a) inflação indolor: que é a que se efetiva entre 0 e 5% ao ano.

estaduais e municipais. ele precisa da atuação coligada de outros bancos de desenvolvimento. b) Equilíbrio Clássico: que são as condições em que as receitas tributárias são exatamente iguais aos gastos. o governo passa a dispor de condições de colocar recursos financeiros para fazer Política de Crédito de Investimentos. 685. são grandes os desafios da Política Fiscal. é preciso destacar que o Sistema Financeiro Nacional é o veículo por onde fluem os recursos financeiros de financiamento da produção. fazendo com que o governo atue com caixa negativo. ainda. fazendo com que se conforme situação de sobras de recursos financeiro. conformando-se situação de sobra de caixa zero. destacando-se que. acumula uma dívida efetiva total de R$ 1. o financiamento desta dívida exige que o governo atue com a venda dos Títulos da Dívida Pública . Portanto. um ente de geração indireta de receitas.8 trilhão. BNH 4º Plano.TDPs. com a ação de seus bancos coligados regionais de desenvolvimento: a) o BASA – Banco da Amazônia S/A. como o BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social não dispõe de agências ou elementos de atuação em todo o território nacional. Vale destacar que. É preciso que se destaque que. das rendas das pessoas e do consumo. e c) Déficit: que é a condição financeira em que as despesas ou gastos financeiros são maiores que as receitas tributárias ou receitas financeiras. Vale destacar. dos bancos Rua Iracema. conformando situação de caixa positiva. que o Setor Público Nacional. como se pode destacar. E. mais ele pode atuar como agente efetivo de financiamento de produção. que são os agentes que conformam a produção econômica privada. permitindo o crescimento da economia. que são os instrumentos financeiros que fazem receita complementar para o Tesouro Nacional.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 a) Superávit: que a situação em que o Estado atua com mais recursos de caixa que gastos. é preciso destacar que Crédito de Investimento é a alocação de recursos financeiros para o financiamento de atividades que aumentam o teor de produção econômica. E. b) o Banco do Nordeste S/A. com o conseqüente aumento da empregabilidade e. o agente de conformação da Política de Dispersão de Crédito de Investimentos é o BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. ele conforma as suas por meio da tributação das pessoas e das empresas. . Finalmente. ainda. e c) o BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. que engloba a atuação dos governos federal. no Brasil. que conta. por conseguinte. E. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230.Política Tributária É a área de atuação do governo que efetiva a arrecadação tributária.MS . dos bancos de negócios. por ser o governo. Dourados . até mesmo porque quanto mais administrada é a situação financeira de caixa do governo.

devendo ser destacados: . b) Autoridades Monetárias do Governo. que efetiva a implementação do que foi decidido pelos 02 (dois) conselhos e efetiva a fiscalização da atividade financeira do país. lá permanecendo depositados por 30 (trinta) dias. que são os organismos regionais de desenvolvimento.Bancos Regionais de Desenvolvimento (BASA.O BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. . que financiam as atividades de crédito direto de pessoas e empresas. que é área que efetiva a organização. de serviços e de turismo. . Ou seja. 685. por meio do chamado Compulsório dos Bancos. c) Bancos de Desenvolvimento. .PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 comerciais e. que é a taxa que o Banco Central do Brasil – BCB paga para quem empresta dinheiro para o governo e que ele cobra dos bancos comerciais para o emprestamento de recursos financeiros para a atuação dos referidos. também. Dourados . . pecuária.O CMN – Conselho Monetário Nacional. a estruturação e a fiscalização do sistema. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. de cada R$ 01 (um Real) depositado à vista nos bancos comerciais.O COPOM – Conselho de Política Monetária. fazendo com que se configurem aumentos da produção econômica do local. que atualmente é de 22%.O BCB – Banco Central do Brasil. atuando nas esferas de aumento das produções agrícola. que é o responsável pelas políticas agrícola e industrial do governo.O Banco do Nordeste S/A. . industriais. que regula toda a estrutura do sistema. das cooperativas de crédito que dispersam os seus recursos para fazer com que os agentes produtivos que precisam de caixa para conformação de investimentos possam dar vazão aos seus projetos. com rendimentos de TXA SELIC. também chamada de TAXA SELIC.Caixa Econômica Federal – CEF. BNH 4º Plano. da região e do país.Banco do Brasil S/A. Banco do Nordeste e BRDE). .22 (vinte e dois centavos de Real) vão para o caixa do Banco Central. que são os elementos responsáveis por dispersar créditos para a evolução da produção econômica. que cuida da fixação da Taxa Básica de Juros. o Banco Central controla a quantidade de moeda em circulação no país. que responsável pelas políticas habitacional e de saneamento básico do governo. extrativista. e . Vale destacar que o Sistema Financeiro Nacional se encontra organizado em: a) Área Diretiva. R$ 0. congregando: . incluindo: .O BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Rua Iracema.MS . que é a esfera que congrega os organismos que efetivam o dispendiamento dos recursos dos programas oficiais de intervenção do governo na economia. Além disso. É com este caixa que o Banco Central financia as eventuais necessidades de caixa dos bancos comerciais.O BASA – Banco da Amazônia S/A.

permitindo. f) Área de Atividades Securitárias.Bolsa de Valores de BM&F – Bolsa Mercantil e de Futuros. BNH 4º Plano. como já se enfatizou. permitindo a regulação dos referidos pela consignação da idéia de valor. que são organismos de crédito que atuam diretamente com o desenvolvimento da atividade econômica. da BOVESPA . sempre.MS . que é o motor da sociedade da capitalista. quando o Valor de Troca é maior que o Valor de Uso. Fone (067) 425-1722 CEP 79813-230. Portanto é preciso que se entenda que toda a atividade de mercado se efetiva por meio da utilização efetiva da moeda ou dinheiro. há que se destacar que. destacando-se que. Dourados . no sistema econômico capitalista e na conformação da idéia de dinheiro se referencia que todo bem e/ou serviço (mercadoria) possui. que equivale ao que o proprietário do mencionado bem e/ou serviço paga para possuí-lo.O Valor de Troca. financiamento construção. comumente chamada de “Lucro”. que são as instituições financeiras que atuam no varejo. g) Área do Mercado de Capitais.PROFESSOR CARLOS ALBERTO VITTORATI ATUAÇÕES TÉCNICAS DIVERSAS E ENSINO DE ECONOMIA Registro CORECON/MS 0719 d) Bancos de Negócios. Rua Iracema. que é a essência da atividade capitalista. que engloba a SUSEP – Superintendência de Seguros Privados e os diversos organismos de efetivação dos negócios com seguros no país.O Valor de Uso. reestruturação e ampliação de negócios econômicos no país. 685. e) Bancos Comerciais. conforma-se uma situação de ganho financeiro. 02 (dois) valores: . que é o montante financeiro que o proprietário do bem e/ou serviço está disposto a receber para se desfazer da posse do referido. E. e . congregando constas de movimentação de pessoas e empresas. bem como das sociedades corretoras e dos demais agentes de atuação titulária do mercado. das demais bolsas coligadas ao sistema. que é o meio de efetivação de todos os negócios econômicos. que engloba a atuação da CVM – Comissão de Valores Mobiliários. a formação dos conceitos de progresso material e de enriquecimento.