História A 12º Ano

17/fevereiro
A RECONSTRUÇÃO DO PÓS-GUERRA
A DEFINIÇÃO DE ÁREAS DE INFLUÊNCIA
Com o fim da Segunda Guerra Mundial a Alemanha e o Japão,
que sonhavam com grandes domínios territoriais, saíram da guerra
totalmente vencidos e humilhados.
O Reino Unido e a Franca, embora vencedores, estavam
empobrecidos e dependentes da ajuda externa.
Perante a ruína do pós-guerra só duas potências permaneciam
fortes:
- URSS: escudada na força do Exército Vermelho e na sua
imensa extensão geográfica;
-EUA: indiscutivelmente a primeira potência mundial.
 A construção de uma nova ordem internacional: as conferências de
paz
Com o aproximar do fim da Segunda Guerra Mundial os Aliados
(vencedores) começam a delinear estratégias para o período de paz
que viria.
Entre 4 e 11 de fevereiro de 1945, Roosevelt (presidente
americano), Churchill (primeiro ministro inglês) e Estaline (secretário
geral do partido comunista – URSS) reúnem-se nas termas de Ialta
(nas margens do Mar Negro), com o objetivo de estabelecerem as
regras que devem sustentar a nova ordem internacional do pósguerra.
Conferência de Ialta:
- Definiram-se as fronteiras da Polónia, ponto de discórdia entre
os ocidentais – que não esqueciam ter sido a violação das fronteiras
polacas a causa imediata da guerra – e os soviéticos – que não
desistiam de ocupar a parte oriental do país;
- Estabeleceu-se a divisão provisória da Alemanha em quatro
áreas de ocupação, geridas pelas três potências conferencistas e pela
França, sob a coordenação de um Conselho Aliado;
- Marcação da reunião da conferência preparatória da ONU;
- Supervisão dos três grandes na futura constituição dos países
de Leste, ocupadas pelo eixo;
- Estabelecimento de 20.000 milhões de dólares como base das
reparações da guerra devidas pela Alemanha.
Alguns meses mais tarde, em finais de julho de 1945, reuniu-se
em Potsdam (perto de Berlim) uma nova conferência com o fim de
consolidar os alicerces da paz.
Decorreu num clima mais tenso que a de Ialta.
Vencida a Alemanha, renasciam as desconfianças face ao
regime comunista que Estaline representava e às suas pretensões
expansionistas na Europa.
Deste modo, a conferência encerrou sem alcançar uma solução
definitiva para os países vencidos, limitando-se a ratificar e a
pormenorizar os aspetos já acordados em Ialta.
1

2 . Hungria. por parte da URSS.Montante e tipo de indemnizações a pagar pela Alemanha. Roménia e Bulgária. os soldados russos substituíram os ocupantes nazis. Na Polónia. igualmente dividida em quatro zonas de ocupação.  Um novo quadro político Nó pós-guerra aumenta a importância da URSS a nível internacional. Churchill denunciou a criação. . os pagamentos e a circulação de capitais.FMI (Fundo Monetário Internacional) ao qual recorreriam os bancos centrais dos países com dificuldades em manter a paridade fixa da moeda ou equilibrar a sua balança de pagamentos. .Divisão.Administração conjunta da cidade de Berlim. Entre 1946 e 1948. através da criação do Tribunal Internacional de Nuremberga. . um grupo de economistas (dos quais um deles era Keynes. Checoslováquia. contestado pelos ocidentais. Na mesma conferência e com o objetivo de operacionalizar o sistema criaram-se dois organismos importantes: . coubera ao Exército Vermelho a libertação dos países da Europa Ocidental. AS NOVAS REGRAS DA ECONOMIA INTERNACIONAL  O ideal de cooperação económica O planeamento do pós-guerra não se processou somente a nível político.Perda provisória da soberania alemã e sua divisão em quatro zonas de influências. ocupação e desnazificação da Áustria. Com o fim da guerra tornava-se essencial regularizar o comércio mundial. No último ano do conflito. . Assim. de uma área de influência impenetrável. evitando o círculo vicioso de desvalorizações monetárias e a instabilidade das taxas de câmbio dos anos 20 e 30. constituindo as democracias liberais. ligado ao intervencionismo) reuniu-se em Bretton Woods (EUA) a fim de prever e estruturar a situação monetária e financeira do período de paz. em moldes semelhantes aos estabelecidos para a Alemanha. isolada do ocidente por uma “cortina de ferro”1. 1 Expressão utilizada para a divisão em dois da Europa: Europa Ocidental e Europa Oriental. Este rápido processo de sovietização foi. Em julho de 1944. estes países encaminharam-se para o socialismo. para garantir a estabilidade das moedas criou-se um novo sistema monetário internacional: o dólar era a moeda-padrão e as restantes moedas tiveram sido convertidas em ouro ou dólar.Julgamento dos criminosos de guerra nazis.História A 12º Ano 17/fevereiro Conferência de Potsdam: . de imediato. na sua marcha vitoriosa até Berlim.

A ONU. Em 1947. Sob a tutela diplomática e militar da URSS. Os EUA em lembrança do seu próprio passado e em defesa dos seus interesses económicos sempre se mostraram adversos à manutenção do sistema colonial. criou-se. na Conferência Internacional de Genebra. por sua vez. A PRIMEIRA VAGA DE DESCOLONIZAÇÃO  Uma conjuntura favorável à descolonização A primeira vaga de descolonização deu-se logo a seguir à Segunda Guerra Mundial. tal como a Ásia. vistos como invencíveis. que apoiam os esforços de libertação dos povos colonizados. Até aí. Um ano passado sobre o alerta de Churchill. sendo que esta também tivera posto em evidência as fragilidades da Europa.Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BIRD) também conhecido como Banco Mundial. garantia o emprego. iniciando-se no continente asiático e no Médio Oriente e percorrendo ao Norte de África. A guerra tivera exigido pesados sacrifícios às colónias. O TEMPO DA GUERRA FRIA – A CONSOLIDAÇÃO DE UM MUNDO BIPOLAR UM MUNDO BIPOLAR  A rutura Quando em 1946. os partidos comunistas ganhavam forças e. os estados europeus mostraram-se incapazes de defender os seus territórios da invasão estrangeira. o processo de sovietização dos países de Leste era já irreversível. A URSS atua em nome da ideologia marxista – que prevê a revolta dos oprimidos pelos interesses económicos capitalistas e não desperdiça a possibilidade de estender. Churchill afirmou que uma “cortina de ferro” dividia a Europa. 3 . em 1947. o modelo soviético. progressivamente. o Kominform (Secretariado de Informação Comunista) que se tornou um importante organismo de controlo por parte da URSS. pois segundo a Carta os países tinham direito à autodeterminação.História A 12º Ano 17/fevereiro . 2 Esta posição inverte a tradicional postura de isolamentos dos EUA que olharam sempre com relutância a interferência direta na política internacional. defendia a descolonização. Aos efeitos demolidores da guerra juntaram-se as pressões exercidas pelas duas superpotências. tomavam o poder. permitia o crescimento da produção e do consumo e a expansão das trocas de mercadorias. os EUA assumem a liderança da oposição aos avanços do socialismo2. tornando-se mais eficiente. destinado a financiar projetos de fomento económico a longo prazo. nos países recém-formados. assina-se um Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT) onde 23 países se comprometeram a negociar a redução dos direitos alfandegários e outras restrições comerciais. Isto permitia melhorar as condições de vida. Para coordenar a sua atuação.

instituição destinada a promover o desenvolvimento integrado dos países comunistas. mas acabou por 4 . À doutrina Truman opõe-se a doutrina Jdanov. O renascimento alemão tornou-se uma prioridade para os americanos. Este plano foi oferecido a toda a Europa. em junho de 1947. As perdas humanas e materiais tinham sido pesadíssimas e os EUA tiveram ajudado a Europa.  O primeiro conflito: a questão alemã Este clima de desentendimento e confrontação refletiu-se de imediato na gestão conjunta do território alemão. tal como a liderança das duas superpotências. em dois sistemas contrários: um. Foi no âmbito deste plano que se criou o COMECON (Conselho de Assistência Económica Mútua). A União Soviética protestou vivamente contra aquilo que considerava uma violação dos acordos estabelecidos. um plano de ajuda económica à Europa. não já como o inimigo vencido. a doutrina Truman deixava também clara a necessidade de ajudar a Europa a reerguer-se economicamente. imperialista e antidemocrático – liderado pelos EUA – e outro em que reina a democracia e a fraternidade entre os povos. correspondente ao mundo socialista – liderado pela URSS. A expansão do comunismo no primeiro ano da paz fez com que ingleses e americanos olhassem a Alemanha. Moscovo lança o plano Molotov. que segundo o dirigente soviético afirma que o mundo se divide. sob proteção da União Soviética.História A 12º Ano 17/fevereiro É neste contexto que o presidente Truman alarga a divisão europeia ao mundo que está dividido em dois sistemas antagónicos: um baseado na liberdade e outro na opressão. incluindo os países que se encontravam já sob influência soviética. mas como um aliado imprescindível à contenção do avanço soviético. que intensificaram os esforços para a criação de uma república federal constituída pelos territórios sob ocupação das três potências ocidentais – República Federal Alemã (RFA). Para além de formalizar a divisão do mundo em duas forças opostas. Em janeiro de 1959. que estabelece as estruturas de cooperação económica da Europa Oriental. Os países abrangidos pelo Plano Marshall e os países do COMECON funcionaram como áreas transnacionais. mas esta ténue tentativa de aproximação não teve êxito. de facto. Aos americanos cabe a liderança do mundo livre e a contenção do comunismo. coesas e distintas uma da outra. A divisão do mundo em dois blocos antagónicos consolidou-se. Moscovo classifica a ajuda americana de “manobra imperialista” e impede os países sob sua influência de a aceitaram. É neste contexto que o secretário de Estado americano Marshall anuncia. que na sequência da Conferência de Potsdam se encontrava dividido e ocupado pelas quatro potências vencedoras.

três anos passados sobre o fim da Segunda Guerra. a propaganda incutia nas populações a ideia da superioridade do seu sistema e a rejeição e o temor do lado contrário.História A 12º Ano 17/fevereiro desenvolver uma atuação semelhante na sua própria zona que conduziu à criação de um Estado paralelo. os EUA e a URSS intimidaram-se mutuamente gerando um clima de hostilidade e insegurança que deixou o mundo num permanente sobressalto. Canadá e dez nações europeias. pois permitiu a reconstrução da economia europeia em moldes capitalistas mas também estreitou os laços entre a Europa Ocidental e os seus “benfeitores” americanos. ao Tratado do Atlântico Norte. Nas décadas que se seguiram. O Plano Marshall foi o primeiro passo nesse sentido. quer em armamento como na ampliação das suas áreas de influência. o marxismo. ao qual se atribuíam as intenções mais sinistras e os planos mais diabólicos. Em termos político-militares. O Bloqueio de Berlim. A tensão provocada pelo bloqueio de Berlim acelerou as negociações que conduziram. A Guerra fria caracterizou-se por cada bloco se procurar superiorizar ao outro. Esta divisão fez com que houvessem discórdias quanto a Berlim. Estaline bloqueia aos três aliados todos os acessos terrestres à cidade. as relações internacionais refletiram esta instabilidade e impregnaram-se de um clima de forte tensão: foi o tempo da Guerra Fria. A 5 . vida económica e estruturação social: de um lado. sob a alçada soviética – República Democrática Alemã (RDA). a aliança entre os ocidentais não tardou a oficializar-se. que subordina o indivíduo ao interesse da coletividade. altura em que o bloco soviético mostrou os primeiros sinais de fraqueza. O MUNDO CAPITALISTA  A política de alianças dos EUA Uma vez enunciada a doutrina Truman. que se encontrava no território sob alçada soviética. o liberalismo assente sobre o princípio da liberdade individual. Durante este longo período. do outro. os antigos aliados tinham-se tornado rivais e a sua rivalidade dividia o mundo. foi o primeiro medir de forças entre as duas superpotências. os EUA empenharam-se por todos os meios na contenção do comunismo. em 1949. pondo em risco os esforços da paz. É este clima de tensão internacional que se designa por Guerra Fria. Enquanto isso.  A Guerra Fria O afrontamento entre as duas superpotências e os seus aliados prolongou-se até meados dos anos 80. uma vez que ainda lá estavam as forças militares das três potências ocidentais. Numa tentativa de forçar a retirada dessas forças. entre os EUA. As duas superpotências defendiam conceções opostas de organização política. que se prolongou de abril de 1948 a maio de 1949. Assim.

. os acordos de Bretton Woods4 e a criação de espaços económicos alargados (como a CEE) tiveram um papel semelhante.Sudoeste Asiático. 1948 a OEA (Organização dos Estados Americanos).História A 12º Ano 17/fevereiro operacionalização deste tratado deu origem à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN)3. Estes cerca 3 À OTAN opor-se-á o Pacto de Varsóvia. em certos setores. 1955 Pacto de Bagdade e 1957 CENTO (Organização do Tratado Central).  A prosperidade económica O crescimento económico do pós-guerra estruturou-se em bases sólidas. O capitalismo. sem períodos de crise. As taxas de crescimento. As economias cresceram de forma contínua. firmaram-se alianças multilaterais: . que começaram a referir-se-lhes como “milagre económico”. que na década de 30 parecera condenado pela Grande Depressão. multiplicou-se por dez. 6 . . Externamente.Estabeleceu-se pela 1º vez na europa o modelo do EstadoProvidência que contribuiu para a prosperidade económica que o Ocidente viveu nas três décadas que se seguiram à Segunda Guerra Mundial. 1954 a OTASE (Organização do Tratado da Ásia de Sudoeste). rentabilizar a ajuda Marshall e definir diretrizes futuras. Para além da OTAN. um pouco por todo o mundo. . harmonizando e fomentando as relações económicas internacionais. Os governos não só assumiram grandes responsabilidades económicas. Esta sensação de ameaça e vontade de consolidar a sua área de influência levaram os EUA a constituir várias alianças. a produção mundial mais do que triplicou e. aliança militar liderada pelos soviéticos. emergiu dos escombros da guerra e atingiu o seu auge. como a produção energética e a automóvel. como delinearam planos de desenvolvimento coerentes. Entre 1945 e 1973.Oceânia. 1951 a ANZUS (Austrália. França ou o Japão surpreenderam os analistas.América. especialmente altas de certos países como a RFA. Esta aliança apresentava-se como uma organização puramente defensiva.Médio Oriente. . Nova Zelândia e Estados Unidos). que permitiram estabelecer prioridades. 4 O dólar era a moeda-padrão e as restantes moedas tiveram sido convertidas em ouro ou dólar.

defendem que a gestão do Estado pertence. fez-se sobre a pressão direta da URSS. do qual não admitiu desvios. A URSS saiu. assim.Aumento da concentração industrial e do número de multinacionais. Entre os seus traços característicos podemos destacar: . em pouco tempo. económica e social destas regiões foi reorganizada em moldes semelhantes aos da União Soviética. o comunismo implanta-se na Europa Oriental. representa os seus interesses. com exceção da Jugoslávia. às classes trabalhadoras. somente. O pleno emprego. Em meados de 1948.História A 12º Ano 17/fevereiro de trinta anos de uma prosperidade material sem precedentes ficaram na História como os “Trinta Gloriosos”. do isolamento alargando a sua influência nos quatro continentes.Aumento significativo da população ativa Crescimento do setor terciário.Aceleração do progresso tecnológico. Em 1955. existiam no mundo apenas dois países comunistas: a URSS e a Mongólia. na Coreia do Norte e na China. O MUNDO COMUNISTA Em 1945.Recurso ao petróleo como matéria energética por excelência. quando o segundo conflito mundial terminou. supostamente. os laços entre as democracias populares foram reforçadas com a constituição do Pacto de Varsóvia. os salários altos e a produção maciça de bens a preços acessíveis conduziram à sociedade de consumo. Os novos países socialistas receberam a designação de democracias populares.. a vida política. É assim que. Estas constituem a maior. Entre 1945 e 1949. quando estalaram protestos e rebeliões contra o seu excessivo domínio.  O expansionismo soviético Após a Segunda Guerra Mundial. os partidos comunistas dos países de Leste tinham-se já assumido como partidos únicos e. a União Soviética impôs um modelo único e rígido. Considerando-se a “pátria do socialismo”. Europa: A primeira vaga de extensão do comunismo atingiu a Europa Oriental e. Na década de 70. o reforço da posição militar soviética e o desencadear do processo de descolonização criaram condições favoráveis quer à extensão do comunismo. quer ao estreitamento dos laços de amizade e cooperação entre Moscovo e os países recentemente emancipados. Moscovo não hesitou em utilizar a força para manter a 7 ...  A sociedade de consumo O efeito mais evidente dos “Trinta Gloriosos” foi a generalização do conforto material. Nos anos 50 e 60 continua o seu progresso na Ásia e em Cuba. aliança militar que previa a resposta conjunta a qualquer eventual agressão. que transformou os lares e o estilo de vida da maioria da população dos países capitalistas. difunde-se na África Negra. exercem o poder através do Partido Comunista que.

em 1962. derruba o ditador próamericano Fulgêncio Batista. então. a sul. Mao Tsé-Tung e o ministro dos Negócios Estrangeiros. sustentada pelos Estados Unidos. que coloca a China na esfera soviética. conservadora. naturalmente. coloca o Mundo perante a eminência de uma guerra nuclear entre as duas superpotências. em outubro de 1949. um punhado de revolucionários. Felizmente. Por fim. na ilha. que. o único país em que a implantação do regime comunista que ficou a dever à intervenção direta da URSS foi a Coreia. Em 1959. As preocupações socializantes do novo regime cubano valem-lhe a hostilidade de Washington. à América Latina e à África (com a descolonização.História A 12º Ano 17/fevereiro coesão do seu bloco. um Tratado de Amizade. apoiada pela URSS.. sob o comando de Fidel Castro e do mítico Che Guevara. A permanência soviética em Cuba confirma-se quando. desencadeou uma violenta guerra (19501953). dividida em dois estados: a norte. Os dois casos mais graves ocorreram na Hungria. a crise acaba por resolver-se com 8 . América Latina e África: A influência soviética estende-se. a Coreia foi. a República Popular da Coreia. à construção do célebre muro de Berlim. nomeadamente Angola e Moçambique). ocupadas pelos tanques soviéticos. Fidel Castro aceita o apoio da URSS e Cuba transforma-se num bastião avançado do comunismo na América Central. nos anos 60 e 70. feita pelo presidente Kennedy. de mísseis russos de médio alcance. repôs-se a separação entre as duas Coreias. O ponto fulcral da expansão comunista na América Latina foi Cuba. que rapidamente se tornou no símbolo da Guerra Fria na Europa e no Mundo. a República Democrática da Coreia. não se entenderam quanto ao futuro regime político do país. capazes de atingir o território americano. em 1956. em 1968. Chou En Lai. Ocupada pelos Japoneses. libertada pela ação conjunta dos exércitos soviético e americano. Ásia: Fora da Europa. As ruas de Budapeste e de Praga viram-se. no fim da Segunda Guerra Mundial. Aliança e Assistência Mútua. poucos meses decorridos desde a formação do novo Governo. A exigência firme de retirada dos mísseis. por isso. e na Checoslováquia. com o objetivo de matar Fidel Castro). A China. Este desejo de manter intocada a hegemonia comunista na Europa Oriental conduziu também. A Coreia foi. com vista á reunificação do território sob a égide do socialismo. em Moscovo. onde. que se mantêm estados rivais ainda hoje. comunista. Mao Tsé-Tung proclamou a instauração de uma República Popular. em 1961. A posterior invasão da Coreia do Sul pela República Popular do norte. aviões americanos obtêm provas fotográficas da instalação. assinam. que apadrinha mesmo uma tentativa falhada de retoma do poder por exilados anticastristas (desembarque na Baía dos Porcos.

No entanto. que a industrialização fez crescer a um ritmo muito rápido. Os meios de produção são coletivizados e reorganizados em moldes idênticos aos da URSS. As jornadas de trabalho mantêm-se excessivas (cerca de 10 horas). . sem olhar à qualidade ou rentabilidade dos equipamentos e da mão de obra. Os bloqueios económicos Passado o primeiro impulso industrializador. Nas cidades. . os salários sobem a um ritmo muito lento e as carências de bens de toda a espécie mantêm-se. As longas filas de espera para adquirir bens essenciais tornam-se uma rotina diária. a URSS retomou o modelo de planificação económica: planos quinquenais e a partir de 1958 septenais.As empresas não gozam de autonomia na seleção das produções. enquanto os Estados Unidos se comprometem a não tentar derrubar. baseada na indústria pesada. Para ultrapassar os bloqueios económicos a URSS permite realizar reformas. dado que a agricultura não é prioridade. eram essencialmente agrícolas. sendo a prioridade absoluta a industrialização. 9 . mostrou-se bastante permeável à influência soviética. . de forma mais evidente.  Opções e realizações da economia de direção central Logo que a guerra terminou. Nos países de Leste. fixação de salários e preços ou na escola de fornecedores e clientes. as suas debilidades: . Nikita Krutchev vai alterar a planificação. a população amontoa-se em bairros periféricos.Bens de consumo escassos. recém-descolonizada. o nível de vida das populações não acompanha esta evolução económica. tendo em conta o que levou ao bloqueio. Imensos complexos siderúrgicos e centrais hidroelétricas fazem da União Soviética a segunda potência industrial do Mundo e garantem-lhe o poder militar necessário ao afrontamento dos tempos da Guerra Fria. trabalhadores.Poucos produtos agrícolas. sendo a primeira prioridade a indústria pesada.Gestão burocrática que se limita a cumprir as quantidades previstas no plano. equipamentos.História A 12º Ano 17/fevereiro cedências mútuas: Kruchtchev aceita retirar os mísseis. a proclamação das Repúblicas Populares implanta também o modelo económico soviético. a África. Tal como o continente asiático. as economias planificadas começam a mostrar. com exceção da Checoslováquia e da RDA. Os novos países socialistas europeus. novamente. industrializaram-se rapidamente. o regime cubano. superpovoados e doentias.

as faltas do sistema. Embora não podendo dissociar-se da crise económica que. Inultrapassáveis. A URSS colocou-se à cabeça da conquista do Espaço quando. que se foram agravando ao longo das décadas. as medidas não superaram as expectativas. No ano seguinte. De imediato. a burocracia reforça-se e o 9º e 10º plano voltam a dar grande prioridade ao complexo militarindustria. Em 1949. No mês seguinte. os Russos fizeram explodir a sua primeira bomba atómica. inicia-se um novo plano que reforça o investimento nas indústrias de consumo. No entanto. os cientistas incrementaram as pesquisas de uma arma mais destrutiva. afetou o mundo industrializado. de forma mais ou menos graves. movimentações de tropas e material de guerra faziam parte desta estratégia dissuasora que a natureza apocalíptica de um confronto nuclear torno eficaz. a confiança do Ocidente. Na década de 70. o Mundo viu também multiplicarem-se as armas ditas “convencionais”. sobretudo. Embora o caráter revolucionário deste novo rearmamento se encontre na produção de bombas atómicas e no desenvolvimento de mísseis de longo alcance para as lançar. lançou o Sputnik 2. no fim dos anos 80. O poder de destruição das novas armas introduziu na política mundial uma característica nova: a dissuasão. 10 . assim. testada em 1952 no Pacífico – a bomba de hidrogénio. a estagnação das economias de direção central reflete. os custos de exploração do território siberiano revelam-se excessivos e a economia soviética entra num período de estagnação. Cada um dos blocos procurava persuadir o outro de que usaria. Advertências.  O início da era espacial Cientes de que a superioridade tecnológica poderia ser decisiva. Porém.História A 12º Ano 17/fevereiro Em 1959. sem hesitar. o Sputnik 1. estes bloqueios económicos conduzirão à falência dos regimes comunistas europeus. após a Segunda Guerra Mundial só os EUA tinham a bomba atómica. o seu potencial atómico em caso de violação das respetivas áreas de influência. em todos os países satélite. na habitação e na agricultura. nas palavras de Churchill. As dificuldades soviéticas refletiram-se. já a URSS tinha a bomba de hidrogénio. sob a orientação de Brejnev. conseguiu colocar em órbita o primeiro satélite artificial da História. A ESCALADA ARMENTISTA E O INÍCIO DA ERA ESPACIAL  A escalada armamentista Em 1945. ameaças. O mundo tinha resvalado. desmoronando-se. em outubro de 1957. as duas superpotências dedicaram grande atenção aos ramos da Ciência relacionados com o equipamento militar. para o “equilíbrio instável do terror”. na década de 70.

Só no início de 1958. 11 . No entanto. a América efetivaria a sua entrada na corrida ao Espaço.História A 12º Ano 17/fevereiro levando a bordo a cadela Laika. Nos primeiros tempos. a proeza russa. Nos anos que se seguiram. coube aos americanos Neil Armstrong e Edwin Aldrin o feito de serem os primeiros homens a pisarem a Lua. no fim da década de 60. no mesmo ano. Os Americanos. na ânsia de igualarem. que se tornou o primeiro viajante espacial. os soviéticos mantiveram a liderança e. em 1961. com o lançamento de Explorer 1. anteciparam o lançamento do seu próprio satélite. a aventura espacial alimentou o orgulho nacional das duas nações. fizeram de Yuri Gagarin o primeiro ser humano a viajar na órbita terrestre. mas o foguetão que o impulsionava explodiu e a experiência foi um fiasco. Quando o Homem realizou o feito improvável de alcançar a Lua tornou-se evidente que essa mesma tecnologia estava a ser utilizada para a construção de armas capazes de aniquilarem toda a Humanidade.