Estamos mudando nossa consciência alimentar?

Geração “Healthy Food”
Nos dias de hoje, é comum observar uma intensa divulgação, principalmente via internet e
seus aplicativos, de pessoas que mudaram suas rotinas e seus hábitos alimentares.
Porém, é preciso analisar os aspectos sociais, econômicos e culturais que podem ter
influenciado tal mudança para, então, saber os fundamentos dessa nova realidade
É importante destacar, inicialmente, que nunca se falou tanto em vida saudável como nos
últimos anos. A popularização da internet e de outros meios de comunicação é uma das
principais causas dessa mudança. Aplicativos de celular que contam calorias; programas
de culinária que ensinam receitas com uso de produtos naturais e saudáveis; redes sociais
com informações sobre nutrição e exercícios e até pessoas que ficaram conhecidas pelas
mudanças no seu hábito de vida, como foi o caso da blogueira Gabriela Pugliesi.
Pode-se afirmar, por outro lado, que a influência da cultura do “corpo perfeito” é outro fator
que influenciou a nova postura da sociedade. É inegável que um corpo bonito sempre foi
idealizado por grande parte das pessoas. Contudo, a intensa propaganda, veiculada pela
mídia, sobre a necessidade em se ter um corpo atraente para ser bem visto fez a
população em geral, investir mais tempo e dinheiro na mudança de hábitos alimentares e
rotinas de treino – Inclusive, sob pena de marginalização para os que são imparciais a
nova cultura. Ademais, não se deve descartar os riscos psicológicos e físicos que essa
imposição promove. Doenças como bulimia e anorexia, estão associadas a esse tipo de
busca do “corpo perfeito”.
Convém ressaltar, ainda, que essa mudança alimentar também trouxe diversos benefícios
para a sociedade. Por exemplo, nos últimos anos, foi reduzida a quantidade de doenças
crônicas relacionadas a má alimentação, como obesidade, hipertensão, gastrite. Além
disso, o faturamento das redes de “fast food” diminuiu significativamente, sendo obrigada a
mudar junto com a população, passando a disponibilizar opções saudáveis em seu
cardápio.
Nesse sentido, para que as mudanças não sejam apenas um hábito passageiro, é preciso
que a população se atente aos reais benefícios de uma alimentação saudável. É
imprescindível a divulgação através de campanhas, veiculada pela mídia e redes sociais,
sobre a influência direta dos hábitos alimentares na expectativa de vida da população.
Além disso, o incentivo por parte das pessoas que mudaram seus hábitos, no sentido de
instigar a mudança não só pela aparência física, é fundamental para a concretização
desses valores. Dessa forma, será possível que as novas gerações passem a ser
reconhecidas pela sua alimentação saudável.