tradição policrômica

ian Montaiia.

amazônica.

Ph.D dissertation

Dé-

Dédalo, S. Paulo, 27:83-97,1989.

APLICAÇÃO DA FÓRMULA SOUTH
A SÍTIOS HISTÓRICOS
DO SÊCULO XIXI

Har-

70. Thames & Hudson, 1970.
ipical Lowland of South America. Reesso Internacional de Americanistas,

Tania Andrade Lima*
Marta Pereira Reis da Fonseca**
Ana Cristina de Oliveira Sampaio**
Andrea Fenzl-Nepomuceno**
Antonio Henrique Damásio Martins***

en revisited or a unitary model for the
gins of agriculture, Charles A. Reed,

tuations.

In Seminars

in Archaeology

Çummer Institute of Linguistics
1.

Publi-

,ca sudamericana, vol. I. Praga, 1935.
e Língua Tupi-guarani, 16, pp. 7-42.
104. São Paulo: Universidade de São

'kas, zumal Brasiliens. Vol. 1. Leipzig,

dios Arqueológicos: Ecuador, Antillas
rsidad Católica dei Ecuador, 1977.
:rica y Ias Antillas. J. Jennings, transl.
icas, vol. 258, n. 4. Santo Domingo:
South Americans.

Jesse D. Jennings,

LIMA,

T. A.; FONSECA, M. P. R.; SAMPAIO,
A. C. O.; FENZL-NEPOMUCENO, A. & MARTINS, A. H. D. Aplicação da fórmula South a sítios históricos do século XIX. Dédalo, S. Paulo, 27:83-97, 1989.

RESUMO: Este artigo trata de aplicações da fórmula da data
média para cerâmicas (South, 1972) a dois sítios históricos do século
XIX no Rio de Janeiro: a Casa dos Pilões, no Jardim Botânico e o
Sítio Major, numa pequena ilha em Angra dos Reis. A interpretação
do período de ocupação para os sítios e as datas obtidas são discutidas e comparadas com dados históricos e estratigráficos conhecidos. A freqüência de pratos parece ser um refinamento vantajoso
sobre a freqüência de cacos e os autores propõem um outro critério
para aumentar a confiabilidade estatística do método.

1s,I928.
o Museu Nacional do Rio de Janeiro,

UNITERMOS:
método.

Arqueologia

histórica

brasileira

-

teoria e

Paronaense 4:333-345. Curitiba, 1945.
of American Linguistics, 24:231-234,
e Antropologia

12 (1-2): 99-101. São

li. Revista de Antropologia,
15.

vol. 27/
(1) Comunicação apresentada à 40? Reunião Anual da SBPC, realizada
Paulo, entre 10 e 16 julho de 1988.
(*) Bolsista do CNPq/Pesquisador.
(**) A serviço da VI~ DR-SPHAN/FNpM.
(***) Faculdade de Arqueologia Estácio de Sá.

na Universidade

de São

83

FENZL-NEPOMUCENO. H. visando demonstrar a existência de uma alta correlação entre as datas de manufatura de louças recuperadas em assentamentos anglo-americanos do século XVIII. ao tentar ultrapassar o nível meramente descritivo na Arqueologia Histórica. baseada em informações históricas e em dados estratigráficos fornecidos por escavações sistemáticas. foi testada esta ferramenta metodológica em dois sítios arqueológicos do século XIX. FONSECA. D. O material utiliza (2) Dados mais pormenorizados sobi seca. It should also be kept in mind that additional types can be added by the archaeologist. desenvolveu uma metodologia de base quantitativa. coincidentes com os dados históricos. na ilha do mesmo nome. D. conforme sugestão do autor: "The chronological tool being constructed here might be extended through the nineteenth century by anyone interested in extending its temporal application.. propondo a construção de hipóteses e de novas ferramentas de trabalho. A Casa dos Pilões. por outro. no Rio de Janeiro: a Casa dos Pilões. em se tratando de material de superfície que aparece disperso em uma pequena praia. ai perrr uma oficina de compactaçã junto era formado então pOI dez unidades residenciais d. Apl Dédalo. nada se sabe.. M. FONSECA. em 1972. que promoveu ares existência de seis níveis est descritas. par Real Fábrica de Pólvora. e. Dédalo. no panorama atual. nos últimos anos. Assim sendo. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. e considerando a necessidade da introdução de estratégias de análise adequadas às especificidades da disciplina. Não obstante a sua aplicação a contextos norte-americanos bastante específicos. C. & MARTINS. foram considerados bastante positivos. por D. João VI. r mann. no Jardim Botânico. Paulo. P. A. e. e o período de ocupação desses sítios históricos. em 1937. S. Sampaio. cujo resultadc dados históricos mais gerais Stanley South. no município de Angra dos Reis. T. SAMPAIO. o prédio sofro resses do Imperial Instituto t de Carl Glasl. M. R MARTINS. A. Paulo. R. Os resultados obtidos através de testagens em dezenas de amostras. pela sua própria natureza. Diante do incremento da Arqueologia Histórica brasileira. nos EUA. a outros conjuntos. 1977: 213). A. 27:83-97. uma amostra 84 Os sítios analisados 2 a) A Casa dos Pilões. M. No primeiro caso há uma estimativa para o período de ocupação do sítio. A. LIMA. 1989. H. P. da sede da fazenda. com referências que podem confirmar as datas fornecidas pelo método.. o que vem atribuindo uma razoável confiabilidade ao método.19 Introdução sem controle.LIMA. Nepomuceno & til . totalmente descontextualizado em virtude de alterações promovidas no local para fins paisagísticos. finalmen As escavações arqueoló Ioga Marta Pereira Reis da FNpM. A. 27:83-97. No segundo. M. E. por um lado. uma amostra satisfatoriamente controlada. e o Sítio do Major. Seção de: Em 1864. A. no Jar. que tas. provided the manufacture dates for such types are known" (South.. temos. S. conforme defendido anteriormente (Andrade Lima. plantio de feijãc Entre 1831. data de d saiba exatamente qual a fUI significativas alterações na c ta Cadastral da Fazenda Ro do Rio de Janeiro. O. é passível de ser estendido. em 1932. já no sécu Campos Porto. 1985). T. À essa i seis arrendatários desenvolv brico de cal.

funcionou como uma oficina de compactação de pólvora durante esse período. E. M. por outro. O. a Histórica brasileira. Paulo. como Museu Botânico. I. P.. instalada na Fazenda de Rodrigo de Freitas. passou sucessivamente pela reforma Campos Porto.ltados obtidos através de tesntes com os dados históricos. entretanto. e 1864. S. iltrapassar O nível meramente indo a construção de hipóteses envolveu uma metodologia de existência de uma alta correuças recuperadas em assentalI. H. foi I dois sítios arqueológicos do Pilões. que vem atribuindo uma ra:tos norte-americanos bastante Ia sua própria natureza. por um lado. e. nos úlda introdução de estratégias da disciplina. que promoveu a restauração do imóvel. plantio de feijão. e o período de . no prelo. no panorama ~ (Andrade Lima. de 1844" (Arquivo Cidade do Rio de Janeiro. O. 1989. Em 1864. LIMA... data de desativação da fábrica. cujo resultado pode ser contrastado apenas em relação aos dados históricos mais gerais de que se dispõe para a ocupação da área. além da sede da fazenda. sem controle. é prove- (2) Dados mais pormenorizados sobre os sítios estudados estão descritos em Andrade Lima. uma amostra Os sítios analisados 2 a) A Casa dos Pilões. A. sob a orientação de Carl Glasl.C. e. Nepomuceno & Martins. Seção de Iconografia M3 614 n? 8). ai permaneceu entre 1809 e 1831. por D. A.. & south a sítios históricos do século XIX. Dédalo. em 1937. fabrico de cal. a serviço da VI~ DR . FONSECA. processamento de madeiras. O material utilizado no presente trabalho. finalmente. parte integrante do Complexo de Oficinas da Real Fábrica de Pólvora. conforme pode ser verificado na "Planta Cadastral da Fazenda Rodrigo de Freitas. a ouitor: "The chronological tool i through the nineteenth cenemporal application. que. C. etc. A. permitiram constatar a existência de seis níveis estratigráficos. M. nos EUA. em 1932. João VI. com referências que podem ). 27:83·97. referentes às ocupações acima descritas. FENZL·NEPOMUCENO. Ã essa época havia ainda na área cerca de oitenta e seis arrendatários desenvolvendo atividades paralelas como olaria. no Jardim Botânico. em 1962. A. T. A. totallterações promovidas no local TI sendo. Sampaio. SAMPAIO. FENZL·NEPOMUCENO. Entre 1831. O conjunto era formado então por dezesseis prédios ocupados pelas oficinas e dez unidades residenciais destinadas aos funcionários da fábrica. no Jardim Botânico do Rio de Janeiro A Casa dos Pilões. já no século XX.SPHANI FNpM. 1985). pelo funcionamento como residência Kuhlmann. It should can be added by the archaeosuch types are known" (South. o prédio sofreu uma nova reforma para atender aos interesses do Imperial Instituto de Agricultura Fluminense. em se tratando de ma-rn uma pequena praia. e \ no município de Angra dos 'ara o período de ocupação do em dados estratigráficos forgundo. foram feitas significativas alterações na casa. As escavações arqueológicas efetuadas sob a orientação da arqueóloga Marta Pereira Reis da Fonseca. Fonseca. & MARTINS. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. D. 85 . temos. sem que se saiba exatamente qual a função do prédio nesse intervalo. R.

com a abertura da linha férrea central do vale do Paraíba. entretanto. P. uma vez d média para um determinad sejam cronologicamente an O intervalo de vida de uma linha temporal. Paulo. & do século XIX. antes da qual é obv sítio arqueológico. o método quantitativo de South Segundo South. 01 I . com intenso movimento comercial.. Aplicação Déda/o. Em sua trajetória de vida. atribuída à antiga comarca de Angra dos Reis. M. Paulo. bem como junto às pedras situadas no limite com o mar. S. uma pn popularidade em seu consu terrompida a sua manufatu entre o início e o fim de f determinado tipo de louça. R. cuidando-se para qUI do último tipo presente. estimulados pela condição de segundo porto do Brasil meridional. sugerindo. até então uma das mais importantes da província. uma à direita e ou a metade das barras horizr ticais. MARTINS. ter existido no local. 1989.. niente de um aterro feito para a base da camada intermediária e a III. um cotidiano vibrante. M. a ocupação. beneficiando-se de um fluxo constante com a corte. no século passado. H. da fórmula south a sítios históricos A.. até o abandono do 1< Um tipo de louça apre cação. louças são produtos industriais padronizados. C. FONSECA. pela sua natureza eminentemente doméstica. pelo menos uma unidade residencial. à época. H. FENZL-NEPOMUCENO. A. graças a toda a sorte de naus e vapores que frequentavam as suas baías. A~ Déda/o. um tipo de louça concebido por um especialista começa a ser fabricado por um estabelecimento ceramista em uma data determinada. FONSECA. Importante ponto de escoamento de toda a produção de café do vale do Paraíba. Angra dos Reis Objetos históricos do século XIX aparecem dispersos por toda a superfície da única praia existente na Ilha do Major. D. alambiques e engenhos que aí se instalaram. na Baía da Ribeira. com períodos de produção conhecidos historicamente. T. D. bem como da aguardente produzida na própria área. T. O material analisado neste trabalho corresponde à coleção de superfície recolhida na Ilha do Major e pode ser tentativamente atribuída ao período de expansão de Angra dos Reis. SAMPAIO. etc. entre 1830 e 1880. 27:83-97. Tal efervescência cessou. As datas iniciais atuar mulação de um depósito.LIMA. S. quando as lavouras de cana estenderam-se até mesmo às ilhas. que condenou à morte o seu porto. que 86 LIMA. A. Em geral. como 1 equivalentes ao tempo de I determinada amostra. Ums gação é relativamente rápic longa distância. na década de oitenta. acumulada entre os anos de 1831 e 1864_ entre a I b) O Sítio do Major. porém. em meados do século XIX. a comarca viveu. Em toda a Baía da Ribeira podem ser vistas ruínas de antigas fazendas. A. esvaziando totalmente a região. 27:83-97. A. A. pod mitir uma leitura imediata U ma vez ordenado ess respondem os tipos pode sei verticais. assumindo-se q correspondem aos mais inte duziram. sendo logo Incorporado à vida cot correntes do uso e as suas p uma função da frequência descartado e transportado I onde junta-se a outros ob rando-se tipos mais antigo: mente. M. as inic minais. P. 1( pode ser recuperada atravé mentos pictóricos. I MARTINS.. O. M.

uma função da frequência desse uso. o intervalo de tempo ao qual correspondem os tipos pode ser reduzido. FENZL-NEPOMUCENO. à época. mada intermediária 864. da fórmula south a sítios históricos A. Paulo. Aplicação Dédalo . onde junta-se a outros objetos anteriormente postos de lado. passa a ser submetido a pressões decorrentes do uso e as suas probabilidades de quebra são. com a o Paraíba. A.al. uma vez disponíveis. quando então se extingue. O. MARTINS. pode ser recuperada através de documentos. M. O ponto médio entre o início e o fim de fabricação é a chamada data média de um determinado tipo de louça. Uma vez ordenado esse conjunto. assim. cuidando-se para que a barra à direita toque pelo menos o começo do último tipo presente. uma à direita e outra à esquerda. Incorporado à vida cotidiana. equivalentes ao tempo de produção dos vários tipos presentes em uma determinada amostra. quando as às ilhas. Importante ponto o vale do Paraíba. iuth a sítios históricos A. que LIMA. idustriais padronizados.stalaram. até então uma das ia rresponde à coleção de supertentativamente atribuída ao ntre 1830 e 1880. etc. até o abandono do local. em meados do ségundo porto do Brasil meria dos Reis. R. M. Para tanto colocam-se duas barras verticais. C. S.. as iniciais são mais facilmente obtidas que as terminais. 27:83-97. 87 . Em geral. Obtém-se. porém. portanto. beneficiando-se a toda a sorte de naus e va- década de oitenta. evidentemente. FONSECA. um novo intervalo de tempo. uma progressiva ascensão em direção a um pico de popularidade em seu consumo. possibilitando o cálculo da data média para um determinado conjunto de louças. assumindo-se que os tipos mais representados no registro correspondem aos mais intensamente utilizados pelas pessoas que o produziram. 1989. Uma vez quebrado.. A. seguindo-se uma diminuição. no século passado. As datas iniciais atuam como marcadores para o começo da acumulação de um depósito. misturando-se tipos mais antigos a outros mais recentes. Em sua trajetória de oecialista começa a ser fabriuma data determinada. um ) comercial. que condenou à a região. SAMPAIO. vistas ruínas de antigas fa. ainda que isto implique em transportes a longa distância. no ponto em que pelo menos a metade das barras horizontais pode ser toca da ou cortada pelas verticais. com mente. uma data de início de fabricação. T. D. Um tipo de louça apresenta. de modo a permitir uma leitura imediata da sua cronologia. sendo logo introduzido nos contextos domésticos. como uma barra. e assim sucessivamente. sua propagação é relativamente rápida. pode ser disposto graficamente. até ser interrompida a sua manufatura. & do século XIX. pelo . O. bem como junto às indo. FENZL-NEPOMUCENO. bem como comarca viveu. o conjunto de barras horizontais. pela sua natureza emi.. & do século XIX.. P.. as terminais fornecem os limites finais para a ocupação. antes da qual é obviamente impossível a sua deposição em um sítio arqueológico. Uma vez que entra na rede comercial. permitem que os tipos sejam cronologicamente arrumados. registros de patentes. H. O intervalo de vida de um tipo de louça pode ser representado por uma linha temporal. entre a I ngra dos Reis :cem dispersos por toda a su) Major. elementos pictóricos. o objeto é descartado e transportado para áreas destinadas ao acúmulo de dejetos. A.

Sua correta apl sito. cit. uma data média aproximada para a amostra de louças de um sítio pode ser determinada através das datas médias de manufatura dos tipos de louças e da frequência desses tipos na amostra. Paulo. M. 27:83-97. S. utiliza-se a seguinte expressão matemática. M. P.1989. para cada tipo da amostra. um conhecimento sa lhores marcadores são os t L: x. 27:83-97. T. A. que equivale ao período de acumulação da amostra. be tando de um mesmo padr sim por diante. S. FONSECA. Fi = frequência de cada tipo. H. De acordo com o autor (op. o que resulta na data média da amostra. O.. R.. A. T. Embora à primeira vista este resultado não implique diretamente na datação de um determinado sítio histórico. mais restrito. 4) soma da coluna de frequência e a sua divisão pela soma da coluna de produtos. Paulo.: 207). n fi i=1 y n L: fi i=1 onde Xi = data média de manufatura cada tipo de louça. denominada "fórmula para datação média de louças" ("The Mean Ceramic Date Formula"): a que pode ser atribuída ocupação. de Para aplicá-Ia devem ser adotados os seguintes procedimentos: 1) contagem dos cacos e ordenação dos resultados em uma coluna. de ocupação do sítio. H. C. M. A. Para tanto. DédaJo.LIMA. que deve] ao tratamento de superfk profundidade e distribuiçã considerando-se a sua posi lidade e concentração do 1 dade na distribuição de ele aplicação de decalques. 2) cálculo da data média de fabricação para cada tipo da amostra e ordenação dos resultados em uma segunda coluna. por extensão. devem ser tas importantes nesse diag Atenção especial deve vocadas por fatores pós-de notáveis nos fragmentos c ambiente de deposição do Jeitos. D. com base nessas variáveis. 3) multiplicação da frequência de cacos pela data média de cada tipo e a ordenação desses produtos em uma terceira coluna. A DédaJo.. LIMA. algumas variáveis fl torná-lo o menos subjetive traços decisivos. D. FENZL-NEPOMUCENO. e. & MARTINS. n = número de tipos na amostra.. A ~ ser mais confiavelmente c: um outro critério que elin em lugar do número de cal Para se reconhecer de a partir dos seus fragment sadas. P. A. vem sendo constatada uma notável coincidência entre a data derivada do emprego da fórmula e 88 Possibilidades de aperfe o método proposto I perados um dos seus pila] este critério pode erronear cinquenta fragmentos que cacos que na verdade são sulta um cálculo de frequ data média distorcida. SAMPAIO. FONSECA. M. A. podem ocorrer mUI . A. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. MARTINS.

Disto resulta um cálculo de frequência equivocado. devem ser cuidadosamente comparadas. que podem determinar diferenças notáveis nos fragmentos de uma mesma louça. a que pode ser atribuída historicamente. H. Possibilidades de aperfeiçoamento do método o método proposto por South tem na frequência dos cacos recuperados um dos seus pilares. espessura do caco. C. vem sendo constatada ida do emprego da fórmula e j LIMA. etc. em nosso ponto de vista. P. Sua correta aplicação exige. . R. como pré-requisito. devem ser isoladas. O. Dependendo do microambiente de deposição dos cacos e das pressões às quais eles ficam suJeitos. que devem ser combinados aos elementos decorativos e ao tratamento de superfície. tipo de glasura utilizada. A... o não implique diretamente rico. A. uma data média distorcida. utiliza-se a se"fórmula para datação rnéorrnula"): f 1- a de guintes procedimentos: s resultados em uma coluna. maior ou menor apuro na aplicação de decalques.. consequentemente. M. bem como na confecção das matrizes. ua divisão pela soma da coia da amostra. podem ocorrer mudanças de tal ordem que tornam dificilmente 89 . este critério pode erroneamente atribuir um peso maior. A. SAMPAIO. 27:83-97. a partir dos seus fragmentos. e. no caso de louças históricas. S. maior ou menor regularidade na distribuição de elementos decorativos. Paulo. A efetiva popularidade de um tipo de louça pode ser mais confiavelmente calculada. Para se reconhecer de fato a quantidade de peças em uma amostra. FONSECA. por rma data média aproximada ser determinada através das mças e da frequência desses sas variáveis. M. A. e acuradamente analisadas. D. considerando-se a sua posição na peça (bordas. como profundidade e distribuição de incisões. um conhecimento satisfatório da manufatura de louças e os melhores marcadores são os tipos fabricados em curtos intervalos de tempo. FENZL-NEPOMUCENO. e. por exemplo. a cinquenta fragmentos que correspondem a um único prato. FENZL-NEPOMUCENO. de modo a torná-lo o menos subjetivo possível. por serem pistas importantes nesse diagnóstico. imulação da amostra. que a três cacos que na verdade são equivalentes a três diferentes peças.ao momento mais intenso da ocupação. entre outras. Características do relevo da louça. T. e assim por diante. A. Dédalo . os pela data média de cada terceira coluna.para cada tipo da amostra e :oluna. tipo. algumas variáveis fundamentais para esse julgamento. em se tratando de um mesmo padrão decorativo.). & uth a sítios históricos do século XIX. a partir de um outro critério que elimina essas possibilidades: o número de peças. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. Atenção especial deve ser dada às alterações físicas e químicas provocadas por fatores pós-deposicionais. fundos.. evidentemente. tonalidade e concentração do pigmento utilizado. Composição e textura da pasta são traços decisivos. Entretanto. em lugar do número de cacos.1989. & MARTINS.I · O.

MARTINS. Aplicação Dédalo. A. A. foi possível determinar o início e o término de fabricação dos seguintes padrões. Tais fenômenos exigem redobrado cuidado por parte do observador. Battie & Turner. M.. FONSECA. H. possibilitando uma maior acurácia na aplicação do método. reconhecíveis partes contíguas de uma única peça: remoção do esmalte. FONSECA. 1989. 1. R. T. S. cit.1. Aplicação do método às amostras estudadas Uma vez estudados os tipos presentes nas amostras recuperadas nos dois sítios (ver Andrade Lima et alii. Brancante... com base em Coysh & Wood. Aplicação da j TIPO DA Floral Blue/Green Edge Willow Policromo Borrão Azul Italian Scenery Milkmaid Wild Rose Beehive I 1. MARTINS. FENZL·NEPOMUCENO. em seguida. S. corrosão da pasta. P. Paulo. 1982-84. A. A. 27:83-97. 1983. Godden.LIMA. D. op. 1984. e. Jenkins. M. 1981. LIMA. 1983. Paulo. 90 Floral Blue/Green Edge Willow Policromo Borrão Azul Italian Scenery Milkmaid Wild Rose Beehive DAl . Les Poteries-faiences porcelaineseuropéennes: caracteristiques et marques.). da fórmula south a sítios históricos A. SAMPAIO. Com as devidas ressalvas. A.2 _ 13712/438 ( Aplicação da TIPO PADRÚES INÍCIO Blue /Green Edge Policromo Willow Milkmaid Italian Scenery Wild Rose Floral Beehive Borrão Azul Spatterware 1780 1790 1795 1814 1815 1830 1833 1834 1837 1840 TÉRMINO 1830 1845 1880 1842 1835 1850 1847 1854 1901 1880 DATA MÉDIA 1805 1818 1838 1828 1825 1840 1840 1844 1869 1860 Obtidas as datas médias. 1982. que deve evitar guiar-se por indicadores superficiais que facilmente induzem a erro. O. 27:83-97. utilizando-se em primeiro lugar o critério da frequência de cacos.. &o do século XIX. decomposição do pigmento. H. C. M. portanto.198 1) A amostra da Casa dos pi. R. P. T. 1981. impregnações. o número de cacos pode ser transformado em número de peças. Apli Dédalo. o de frequência de peças. M. a fórmula foi aplicada à amostra de cada sítio. 1983. The Knopf Collector Guide to American Antiquities. D. e assim por diante. Manuel de Ia Céramique Européenne.

Aplicação da fórmula com base na freqüência TIPO DATA MÉDIA N?DECACOS Floral Blue/Green Edge Willow Policromo Borrão Azul Italian Scenery Milkmaid Wild Rose Beehive O 5 O 2 5 O 7 4 1 O DATA MÉDIA 1805 1818 1838 1828 1825 1840 1840 1844 1869 1860 109 100 91 53 49 19 09 05 03 438 I 1. A. A. SAMPAIO.1. asta. D. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. A. FENZL-NEPOMUCENO. P. 27:83-97. M. e assim irado cuidado por parte do dicadores superficiais que Ia) número de cacos pode ser ilitando uma maior acurácia dadas Ias amostras recuperadas nos t. FENZL-NEPOMUCENO. impregnações. O. 1981..· O.1989. C. foi possível determinar o intes padrões. A. r .. M. Dédalo. FONSECA. S. T. Battie & aiences porcelaines européenmuel de Ia Céramique EuroIe to American Antiquities. r LIMA.. com base em Brancante.8 == 1827 li aplicada à amostra de cada tério da frequência de cacos.a peça: remoção do esmalte.30 == 1831 Aplicação da fórmula com bae na freqüêneia DATA MÉDIA TIPO INO 1840 1805 18381818 1869 1825 1828 1840 1844 de cacos: Floral Blue/Green Edge Willow Policromo Borrão Azul Italian Scenery Milkmaid Wild Rose Beehive 1840 1805 1838 1818 1869 1825 1828 1840 1844 N? DE PEÇAS de peças: PRODUTO 08 41 21 17 16 02 03 01 01 320 205 798 306 1104 50 84 40 44 110 2951 129511110 (+ 1800) = 1826.). H. "" iuth a sítios históricos do século XIX. 91 .2 _ PRODUTO 4360 500 3458 954 3381 475 252 200 132 13712 13712/438 (+ 18(0) = 1831. & MARTINS. Paulo. R.. I 1) A amostra da Casa dos pilões 1. A.

M. C.. S. H. M. Aplic Dédalo. Dédalo...LIMA. T. LIMA.. SAMPAIO.. Paulo... R. MARTINS. c:s t:l. 27:83-97.o tt1 I:Q 709 1800) = 1847. 1989. M. R..9 ~ 1841 2. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. O. ~ .. H.2 ~ 1847 o. T.. A. FONSECA. A. M. D. P.198< 2) A amostra do Sítio do Major 2.. A.. A. FENZL-NEPOMUCENO. D. <:ú 10 A projeção dos intervalos de produção de cada tipo em barras e a sua ordenação em sequências forneceu os seguintes resultados: In. Paulo.g'" <::í '" c3 <::í <::í •. A. A. 27:83-97.1 _ Aplicação da fórmula com base na frequência DATA MÉDIA TIPO 1818 1860 1869 1805 Policromo Spatterware Borrão Azul Blue/Green Edge de cacos: N?DECACOS PRODUTO 08 06 05 02 144 360 345 10 21 859 1859/21 (+ 1800) = 1840. & MARTINS. S. FONSECA. ----c:s 92 C' .CQ - f'- I ... P.2 _ Aplicação dafórmula com base na freqüência DATA MÉDIA TIPO Policromo Spatterware Borrão Azul Blue/Green Edge 1818 1860 1869 1805 N? DE PEÇAS PRODUTO 03 05 05 02 54 300 345 10 a: 15 1709/15(+ de peças: a.

1841 . FENZL-NEPOMUCENO. SAMPAIO.:.. na frequência IECACOS south a sítios históricos de cacos: - PRODUTO 08 06 05 02 144 360 345 10 21 859 I~ A. O.r' ia freqiiência de peças: II II E PEÇAS <~ PRODUTO 03 05 05 02 54 300 345 10 15 709 ~ ..-.r· C7" ct IX! mo t'- -D ~ l. da fórmula """I ~ m . A. . 27:83-97.. C. FENZL-NEPOMUCENO. Paulo.ru m . A. T. H. FONSECA. O. & do século XIX.i. MARTINS.. LIMA. 1989. D. M.. R. P. Aplicação Dédalo ..outh a sítios históricos A. .~:rn .. & do século XIX. S... M. l ~ 1847 ~ In~ ío de cada tipo em barras e a seguintes resultados: I-- C") N -'- A.

A.. LIMA.• IM ~ I-I.~ m .• m i.. S..1989.•-om •. funcionários e arrendatáric canias. A. M. p.• '" '"<>o u '" u '" 'P. Dédalo ..g '"' U-l C O O '" OJ) 'O N (""""). H. Paulo. SAMPAIO.(\J . H... pode ter a : dejetos existente nas vizin.. O. em n registros e mais adequada tanto. atendendo ao critéri data média em torno de 18 por volta de 1847. densidade demográfica da num período considerado i . descartavam toda Assim sendo. A.'" 0'0' -. FENZL-NEPOMUCENO.....: J-o :l ~ 1---.. D. Utilizando-se.• -9 .. M. conforme assinale piso par a segunda ocupaç.'" . 27:83-97...5 N -tl 94 . e ao consequente esv A ordenação das ban lação entre os anos de 18 parte.m m ... Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX.•...es. e. A ordenação « mulação da amostra entre mula. MARTINS. " '" '" '0'0 '" 'u '" 'u c C <v (V . 1 Considerações finais -~ ~~ ~ ~ -'... -.q- A amostra obtida nas provém... A. quanto aterro. T. D. perm 1830 e 1880. S. o oa -e ~ o -~ ~ . Para Angra dos Reis. A.. o período de mais ini consequente movimentaçãr mente com a desativação er A aplicação da fórmul utilizados por South. 27:83-97. R.. Paulo. P.~ lê ~ I I I I ~ ~ (::$ ""' - '" o N"' CIl '" •.~ m ... (... entretanto.... T. A Dédalo..• ~ Q) ª~~~ ~ .. M. C.. que o resultado for com os dados estratigráfico Quanto ao Sítio do M. pode ser prev tra anterior ao ano de 1831 lações do complexo para: Magé.. FONSECA. « dia baixa para 1827. '" '•. enco louças. 00 00 II II <~ llQ « -I- • ~ '<t m .. M. P..•r"""" ." ~~ •. por extensão. FONSECA. & MARTINS. mencionadas acima.. A.LIMA.

Pode-se considerar. por extensão. A. C.361 habitantes. & MARTINS. M. em 1848. que compreende. as referências disponíveis para a área e mencionadas acima. que o resultado forneceu uma correlação bastante satisfatória com os dados estratigráficos e históricos. Considerações finais II 11 <>::t:o I I I I A amostra obtida nas escavações arqueológicas da Casa dos Pilões provém.... Para Angra dos Reis. resultou em uma data média em torno de 1841. onde provavelmente as famílias dos funcionários e arrendatários do complexo de oficinas. R. H. & outh a sítios históricos do século XIX. Assim sendo. FENZL-NEPOMUCENO. num período considerado áureo para a economia da região. A. para a ocupação. A. fontes históricas assinalam que. por volta de 1847.. Dédalo. de acordo com a frequência de peças. descartavam toda a sorte de objetos e materiais imprestáveis. O. S. LIMA. P. que corresponde à transferência das instalações do complexo para a raiz da Serra da Estrela. realizada entre 1831 e 1864. no município de Magé. permitem prever uma ocupação entre os anos de 1830 e 1880_ A ordenação das barras forneceu um intervalo para a acumulação da amostra entre os anos de 1837 e 1847. entretanto. em sua maior parte. FENZL-NEPOMUCENO. A aplicação da fórmula. FONSECA. Utilizando-se. no caso de Pilões.'. atendendo ao critério da frequência de cacos.1989. portanto. arrefecido consideravelmente com a desativação em 1831. do aterro que preparou o piso par a segunda ocupação da casa. morando nas cercanias. T. a densidade demográfica da região alcançou a cifra de 61. seguindo o critério da frequência de cacos utilizados por South. a aplicação da fórmula. e ao consequente esvaziamento da área pelos seus ocupantes. Quanto ao Sítio do Major. A falta de 9S . justamente o ano de 1831. o período de mais intenso funcionamento da Fábrica de Pólvora e consequente movimentação de seus moradores. O. pode ter a sua origem atribuída a uma possível área de dejetos existente nas vizinhanças. SAMPAIO. M. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX. o critério de frequência de peças. Enquanto aterro. A ordenação das barras forneceu um intervalo para essa acumulação entre os anos de 1814 e 1842. 27:83-97. e. Paulo. A. e. A. a data média baixa para 1827. encontrou como data média para a amostra de louças. conforme assinalado anteriormente. pode ser previsto um período de acumulação para a amostra anterior ao ano de 1831. D. em nosso ponto de vista mais compatível com os registros e mais adequada às circunstâncias.

The Antique Coll GODDEN. A. H. 1989.LIMA.. Encyclopoedia of j dono 1984. G. 2~ ed . setembro de 1985 ANDRADE LIMA. SAMPAIO. R. O.. A sua insignificância estatística. M.. Paulo. M. M. P. T. H 1880. como um possível método de datação para os sítios históricos brasileiros do século XIX. R. A. Manuel de Ia Céramique EuroJ SOUTH. M. 27:83-97. FENZL-NEPOMUCENO. O Brasil e a ceri COYSH. S. & TURNER. The interpreted occupation period for the sites and the dates attained are discussed and compared with known historic and stratigraphic data. Evolution and Horizon as Conference on Historic Site A Anthropology. r. Essas duas tentativas iniciais. FENZL-NEPOMUCENO. FONSECA.. A. K. & WOOD. D. H. __ . 1972) applied to two 19th century historic sites in Rio de Janeiro: the House of Pilões. T. 1 Bibliografia ANDRADE LIMA. 1989.. Paulo. da fórmula south a sítios históricos A. torna necessária uma base numérica mais expressiva para a comprovação da sua eficácia. MARTINS. S. A. R. Ba: Method and Theory in Historic The Knopf Collector Guide te Knopf. UNITERMS: method 96 Brazilian Historical Archaeology - Theory and LIMA. SouthCa Republicado em R. Application of the mean ceramic date formula to 19th century historical sites in Rio de Janeiro. and the Major Site. Schuyl Theoretical Contributions. D. & do século XIX. FONSECA. W. M. The tique Collector's Club. 1983. Paris. 27:83-97. No prelo A Comunicação feita ao Serninái RJ/SPHAN. P. E tnologia da Universidade de ~ BATTIE. 27:83-97. Paulo.. A. A. H. C. D. Maior número de amostras deve ser testado. JENK1NS. & MARTINS. A tralha da pequena burguesia no RJ. F. MARTINS. não permite qualquer forma de controle sobre o resultado alcançado. Dédalo. em seu momento de expansão máxima. SAMPAIO. FONSECA. Entretanto. P. as datas obtidas encaixam-se perfeitamente no panorama sócioeconômico da então comarca de Angra dos Reis. Baron i BRANCANTE. A. Univ. Aplicação Dédalo. A. D. E. no sentido de se garantir mais confiabilidade aos resultados alcançados. T. encorajam novos investimentos na fórmula South. A. LIMA. S. A. Recebido para publicarão em junho a . T. FONSECA. L.. M. The frequency of dishes appears to have a refinement advantage over the frequency of sherds and the authors propose another criteria to improve the statistical confidence of the tool. in a small island in Angra dos Reis. Les Pot eries-Faiences Porcelai Tardy Lengellé. T. contudo. MARTINS. C. S. D. New York. H. dados estratigráficos aliada à ausência de informações históricas para uma unidade doméstica aparentemente simples e de proprietário desconhecido. 1983. The Womall'sDayl __ . A. AI Dédalo. A. sugerindo igualmente uma correlação satisfatória com os dados disponíveis. ABSTRACT: This paper deals with the Mean Ceramic Date Formula (South. O. D. in the Botanic Garden. consideradas como bem sucedidas. H...

C. & do século XIX. T. São Paulo. & MARTINS. New York. The Knopf Collector Guide to American Antiquities . a South. SAMPAIO. C. outh a sítios históricos A. Litográfica Ipiranga. Paris. 1989. Comunicação feita ao Seminário de Arqueologia Histórica. H. Alfred A. 27:83-97. New Jersey. A. & WOOD. New York. P. Historical Archaeology: a Guide to Substantive and Theoretical Contributions . South Carolina. O Brasil e a cerâmica antiga. O. U niv. Baywood Publ.... R. D. T.tes attained are discussed ratigraphic data. Tardy LengeJlé. __ . New York. 1982-84. A. S. Encyclopaedia of Briusn Pottery and Porcelain Marks. T. ANDRADE LIMA. 1983. Baron Woodbridge. Cia. H. A. UFPe. & TURNER. M.. Schuyler (ed. 1984. FENZL-NEPOMUation of the mean ceramic date io de Janeiro. 2~ ed. Manuel de Ia Céramique Européene.. A. O. SAMPAIO. igualmente uma correlação iradas como bem sucedidas. G. F.. C. BRANCANTE. em seu . The Price Guide to 19th and 20th Century British Pottery . The interpreted . FONSECA. 6: 71-116. Suffolk. Suffolk. P. A tralha doméstica em meados do século XIX: reflexos da emergência da pequena burguesia no RJ.). Revista Clio. JENKINS. Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo.. S. Evolution and Horizon as revealed in Ceramic Analysis in Historical Archaeology. 1981. The Antique Collector's Club.. 1978: 68-82. Institue of Archaeology and Anthropology. A ser publicada pela. Maior núido de se garantir mais con- A. Bibliografia ANDRADE LIMA. K. I e 11. The Dictionary of Blue and White Printed Pottery: 17801880.. Republicado em R. M. D. como um possível brasileiros do século XIX_ A -na necessária uma base nuo da sua eficácia. Method and Theory in Historical Archaeology. L. Office du Livre. Barrie & Jenkins. Dédalo.1989. FENZL-NEPOMUCENO.. Publicações Avulsas n? 1. MARTINS. Co . M. London. D.a de Angra dos Reis. F. H. FONSECA. R. Columbia. realizado no Paço Imperial do RJ/SPHAN. 1987.. Paulo. H. W. The Antique Collector's Club. A. M. BATTIE. A. Vol. Citadel Press. No prelo Arqueologia Histórica: considerações teórico-metodológicas. O. GODDEN. A. Academic Press . the Mean Ceramic Date th century historic sites in ! Botanic Garden. A.. E.. A. D. Aplicação da fórmula south a sítios históricos do século XIX.:. 1983. O. __ . 1981. Fribourg. Recebido para publicação em junho de 1989. 1972. and the íos Reis. 1977. 1982. R. NEPOMUCENO. Theory and 97 . Dédalo. informações históricas para iples e de proprietário descoontrole sobre o resultado alcaixam-se perfeitamente no . S.pottery and porcelain . Les Poteries-Faiences Porcelaines Européennes: caracteristiques et marques. FENZL-NEPOMUCENO. SOUTH. The Conference on Historic Site Archaeology Papers. The Woman's Day Book of Antique Collectibles . COYSH. setembro de 1985. The freement advantage over the ase another criteria to im11 rchaeology - LIMA. Dédalo. Paulo. Knopf.