You are on page 1of 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS – UFT

DISCIPLINA: CONHECIMENTO E REALIDADE SOCIOAMBIENTAL
CURSO: LICENCIATURA EM BIOLOGIA

2º PERÍODO

DOCENTE: LARYANY FARIAS VIEIRA

RELATÓRIO DE BRUNDTLAND

MARIANA BORGES SODRÉ

JANEIRO, 2013
ARAGUAÍNA - TO

Laryany Farias Viera. ministrado pela professora Esp. 2013 ARAGUAÍNA – TO . JANEIRO.UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS – UFT MARIANA BORGES SODRÉ RELATÓRIO DE BRUNDTLAND Trabalho apresentado como requesito básico para obtenção de nota na disciplina Conhecimento e Realidade Socioambiental.

“A educação é um processo social.” John Dewey . é desenvolvimento. é a própria vida. Não é a preparação para a vida.

a fim de torná-lo menos intensivo em matérias primas e energia e mais equitativo em seu impacto. Vários movimentos populares ambientalistas começaram a surgir em diversos locais a fim de analisar o impacto socioeconômico que a intervenção do homem na natureza é capaz de causar. O relatório apresenta uma visão complexa das causas dos problemas socioeconômicos e ecológicos da sociedade e as interrelações entre a economia. desde os anos 1970. tecnologia. como parte de um pacote de medidas para manter a reserva de capital ecológico. sociedade e política. A comissão. que teve como presidentes Gro Harlem Brundtland e Mansour Khalid. compostas por ONGs e cientistas de diversas origens. Não existe um só conceito de desenvolvimento sustentável no relatório. Enfatizou-se que “o desenvolvimento sustentável é mais que crescimento. Tais medidas precisam ocorrer em todos os países. ele é insustentável. resultado do trabalho de uma comissão. Uma queda nos preços pode levar . Esse conceito possui quatro componentes chaves em que é reforçado continuamente no relatório. em 1983. O conceito de desenvolvimento sustentável mundialmente conhecido é “O desenvolvimento que satisfaz as necessidades da geração presente sem comprometer a capacidade de as gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades” (RELATÓRIO BRUNDTLAND 1991). Com a sua publicação dissemina-se o conceito de desenvolvimento sustentável. Uma seca pode obrigar os agricultores a sacrificarem animais que seriam necessários para manter a produção nos anos seguintes. “Se o desenvolvimento econômico aumenta a vulnerabilidade às crises. da Organização das Nações Unidas. o qual vinha. foi criada pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. O Relatório Brundtland foi apresentado em abril de 1987. melhorar a distribuição de renda e reduzir o grau de vulnerabilidade às crises econômicas.INTRODUÇÃO A questão ambiental ocupou o centro dos debates políticoeconômicos depois que sérios impactos ambientais atingiram o planeta na segunda metade do século passado. Ele exige uma mudança no teor de crescimento. sendo refinado.

. descreve o nível do consumo mínimo partindo das necessidades básicas.. Mas pode-se reduzir a vulnerabilidade usando tecnologias que diminuam os riscos de produção. 1991). no entanto é omisso na discussão sobre o nível máximo de consumo nos países industrializados. muitos dos quais vivem em áreas ecologicamente vulneráveis” (RELATÓRIO BRUNDTLAND. Também é preciso eliminar as limitações dos grupos menos favorecidos. pelo menos. os interesses econômicos dos países industrializados e em desenvolvimento não são afetados. sobretudo de alimentos e divisas. mas para isso propõe que a superação do subdesenvolvimento no hemisfério sul só é possível com o crescimento contínuo dos países industrializados.os agricultores e outros produtores a explorarem excessivamente os recursos naturais. Mas na basta ampliar a gama das variáveis econômicas a serem consideradas. é preciso uma visão das necessidades e do bem estar humano que incorpora variáveis não econômicas como educação e saúde.. água e ar puros e a proteção das belezas naturais. social e ambiental do atual padrão de desenvolvimento das sociedades contemporâneas. O Relatório Brundtland tem um aspecto importante que é divulgar e reconhecer a inadequação econômica. Com esta posição. dando preferência a opções institucionais que reduzam flutuações de mercado e acumulando reservas. por isso o relatório recebeu amplo apoio político. O relatório ainda define ou. Ainda enfatiza a necessidade de crescimento tanto nos países não industrializados quanto nos países industrializados. a fim de manter rendas. Para haver sustentabilidade.

desde os anos de 1970. caracterizada pela responsabilidade tanto entre as gerações quanto entre os membros da sociedade atual. A comissão foi composta por ONGs e cientistas do mundo inteiro. Esse relatório chamou a atenção para uma nova postura ética. Ele exigiu uma mudança no teor de crescimento. O relatório apontou para a incompatibilidade entre desenvolvimento sustentável e os padrões de produção e consumo vigentes na época. Tais medidas precisavam ocorrer em todos os países. melhorar a distribuição de renda e reduzir o grau de vulnerabilidade às crises econômicas (GODOY. . o qual vinha. para estudar o assunto. O conceito de desenvolvimento sustentável mundialmente conhecido é “O desenvolvimento que satisfaz a necessidade da geração presente sem comprometer a capacidade de as gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades” (RELATÓRIO DE BRUNDTLAND. Indicada pela entidade. Enfatizou-se que o desenvolvimento sustentável é mais que um crescimento. chefiou a Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. a ONU (Organização das Nações Unidas) retomou o debate das questões ambientais. e que ressaltavam os riscos do uso excessivo dos recursos naturais sem considerar a capacidade de suporte dos ecossistemas. sendo refinado. O documento final desses estudos chamou-se “Our Common Future” (Nosso Futuro Comum. como parte de um pacote de medidas para manter a reserva de capital ecológico. a fim de torná-lo menos intensivo em matérias-primas e energia e mais equitativo em seu impacto. 2008). Não existe um só conceito de desenvolvimento sustentável no relatório. a primeira ministra da Noruega. em português) ou Relatório Brundtland e foi apresentado em abril de 1987 (GODOY. Com a sua publicação disseminou-se o conceito de desenvolvimento sustentável. O Relatório Brundtland faz parte de uma série de iniciativas as quais reafirmaam uma visão crítica do modelo de desenvolvimento adotado pelos países industrializados e reproduzido pelas nações em desenvolvimento. Gro Harlem Brundtland. 2008).RELATÓRIO DE BRUNDTLAND “NOSSO FUTURO COMUM” A partir de 1980. 1991).

Diante disso. Mas não basta ampliar a gama das variáveis econômicas a serem consideradas. Uma queda nos preços pode levar os agricultores e outros produtores a explorarem excessivamente os recursos naturais. o segundo componente refletiu a importância crucial de se estabelecer políticas formuladas para a provisão das necessidades básicas com preocupação ambiental. . a ampla participação da sociedade civil organizada nas decisões e implementações é fundamental. a fim de manter rendas. como se pode ver (RELATÓRIO BRUNDTLAND. Uma seca pode obrigar os agricultores a sacrificarem animais que seriam necessários para manter a produção nos anos seguintes. visto que os pobres são levados a exaurir recursos para sobreviver.. Para haver sustentabilidade. Se o desenvolvimento econômico aumenta a vulnerabilidade às crises. O relatório. Um desses componentes destacou que o subdesenvolvimento e as economias instáveis não podem controlar a depredação e a poluição dos recursos naturais. ele é insustentável. Dada a relação observada entre a pobreza e a degradação ambiental. 1991). sobretudo de alimentos e dividas.. O último componente concluiu que para que esse conceito fosse implantado. que nortearam as políticas públicas no mundo inteiro sob a capa do desenvolvimento sustentável. reforçou os quatro componentes. o tempo todo. dando preferência a opções institucionais que reduzam flutuações de mercado e acumulando reservas. o primeiro determinante do desenvolvimento sustentável seria a construção de economias “saudáveis” baseada em tecnologias que minimizem os danos ao meio ambiente. Outro componente chave refletiu um conceito geral e fundamental. Mas pode-se reduzir a vulnerabilidade usando tecnologias que diminuam os riscos de produção. onde se disse que a sustentabilidade ambiental precisa ser implementada para prover as necessidades da presente geração sem depredar as condições de suprir as necessidades da futura geração. é preciso uma visão das necessidades e do bemestar humano que incorpora variáveis não econômicas como educação e saúde. água e ar puros e a proteção das belezas naturais.Esse conceito tem quatro componentes chaves.

ressaltaram que não existe apenas um limite mínimo para o bem-estar da sociedade. moradia) O Relatório Brundtland definiu também metas a serem realizadas no nível internacional. tecnologia. O relatório apresentou uma visão complexa das causas dos problemas sócio-econômicos e ecológicos da sociedade e as interrelações entre a economia. Segundo o Relatório de Brundtland uma série de medidas deviam ser tomadas pelos países para promover o desenvolvimento sustentável.   etc.   Limitação do crescimento populacional Garantia de recursos básicos (água.  Adoção da estratégia de desenvolvimento sustentável pelas organizações de desenvolvimento (órgãos e instituições internacionais  de financiamento) Proteção dos ecossistemas supranacionais como a Antártica. há também um limite máximo para a utilização dos recursos naturais. Controle da urbanização desordenada e integração entre campo e  cidades menores Atendimento das necessidades básicas (saúde.Também. 2008).. escola. alimentos. oceanos. . é preciso eliminar as limitações dos grupos menos favorecidos. de modo que sejam preservados. sociedade e política (GODOY. As relações homem-meio ambiente nesse relatório. tendo como agentes as diversas instituições internacionais. ele não defendeu a estratégia da auto-suficiência de um país nem nega a necessidade do crescimento econômico. Ele manteve sempre um tom diplomático. pela comunidade internacional Banimento das guerras Implantação de um programa de desenvolvimento sustentável pela Organização das Nações Unidas (ONU) Em comparação com as discussões dos anos 1970. energia) em longo   prazo Preservação da biodiversidade e dos ecossistemas Diminuição do consumo de energia e desenvolvimento de  tecnologias que admitem o uso de fontes energéticas renováveis Aumento da produção industrial nos países não industrializados  com base em tecnologias ecologicamente adaptadas. muitos dos quais vivem em áreas ecologicamente vulneráveis.

provavelmente uma das causas da sua grande aceitação depois de ser publicado. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .

pdf .br/coloquioeconomia/IIcoloquio/anais/trab_gest_econ_soc_amb /1.html RIO+20.blogspot. “Nosso Futuro Comum” Disponível em: http://www. Nova Iorque. 2007. “Agenda 21 e as Mudanças Socioambientais” Disponível em: http://www. Virtual Book. “Ecodesenvolvimento – evolução histórica”. “Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: o nosso futuro comum.org.doc GODOY.BRUNDTLAN.html GODOY. Universidade de Oxford.urca. Disponível em: http://amaliagodoy.com.info/BetCD/Bt14. Jair Paulino de.onu.blogspot. Disponível em: http://eubios.br/2008/08/relatori-brundtland.br/rio20/documentos/ SALES.com/2007/09/ecodesenvolvimento-histria. Comissão. Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. 1987. Amalia Maria Goldberg. “Economia e Meio Ambiente” Disponível em: http://amaliagodoy. Amalia Maria Goldberg.