You are on page 1of 38

UGF 100

INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS
UNIVERSITÁRIOS I
NORMAS PARA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ABNT

NORMAS PARA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ABNT

1.1.1. Normas para a referênciação bibliográfica
A norma UGF (BRAZIELLAS; ANÇÃ, 2005, p. 36) estabelece as “normas para referenciação
bibliográfica” nesta universidade, mas faz importante observação em relação às normas UGF: “esta
norma não se aplica às descrições usadas em bibliotecas na catalogação das obras do acervo e nem as
substitui”.
Logo na introdução daquela seção, a referida norma aponta onde devem ser levantados os
dados “correspondentes à referência bibliográfica”, indicando que estes materiais “devem ser coletados
na própria obra: na ficha catalográfica do livro ou, na sua falta, no verso da folha de rosto; no caso de
revistas, na página onde se localizam as informações técnicas sobre a publicação”. Acrescenta-se que
referências bibliográficas não são construídas somente com livros e revistas, mas por quaisquer dos
documentos enumerados na ABNT (NBR 6023, 2002).
ABNT (NBR 6023, 2002, P. 2) em seu item “3.9” conceitua “referência” como “conjunto
padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação
individual”.
A norma UGF remete o conceito a própria ABNT nas seguintes palavras: “referência
bibliográfica é o conjunto de elementos descritivos definidos e padronizados pela ABNT” que “é
suficiente para sua localização individual em bibliotecas, livrarias”, tais como aqueles “retirados de um
documento disponibilizado para consulta (monografias, dissertações, teses, relatórios de pesquisa)”.
O parágrafo seguinte, da referida norma oficial da UGF refere aos elementos que constituem
uma referência bibliográfica, ou seja, os elementos essenciais e os elementos complementares:
A referência bibliográfica é constituída por elementos essenciais, obrigatoriamente presentes:
autoria, título e subtítulo, se houver, edição quando se tratar de livro, dados da imprensa (nome
da cidade da publicação, editora e data). Os elementos complementares são: número total de
páginas em livros e similares, descrição física e, quando se tratar de material traduzido,
indicação de tradutor e título original. (BRAZIELLAS; ANÇÃ, 2005, p. 36).

ABNT (NBR 6023, 2002, p. 2) em seu item “4.1” conceitua os “elementos essenciais” assim:
“são as informações indispensáveis à identificação do documento. Os elementos essenciais estão
estritamente vinculados ao suporte documental e variam, portanto, conforme o tipo”.
A seguir, no item “4.2”, conceitua os “elementos complementares” dizendo que “são as
informações que, acrescentadas aos elementos essenciais, permitem melhor caracterizar os
documentos”.
Quanto aos elementos essenciais, a norma UGF (BRAZIELLAS; ANÇÃ, 2005, p. 36), ao
tratar de autoria no item “5.1.2.1”, faz uma classificação em três possíveis tipos: pessoa física, pessoa
jurídica e sem autoria. Considera para a primeira classificação “pessoa física: a obra pode ter um, dois,

três ou mais autores e, ainda, coordenador ou organizador”; para o segundo tipo, “pessoa jurídica: a
produção é de responsabilidade de entidades governamentais, empresas, associações” e para a última
possibilidade “sem autoria: obras sem autoria definida que, geralmente, são folclóricas”.
A ABNT (NBR 6023, 2002, p.2) em seu item “3.1” chama de autor(es) a “pessoa(s) física(s)
responsável(eis) pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de um documento” e no tópico “8.1.1”
ao tratar especificamente de autor pessoal, comenta que: “indica(m)-se o(s) autor(es), de modo geral,
pelo último sobrenome, em maiúsculas, seguido do(s) prenome(s) e outros sobrenomes, abreviado(s) ou
não” e ainda recomenda que devem ser usados “tanto quanto possível, o mesmo padrão para abreviação
de nomes e sobrenomes, usados na mesma lista de referências” e “os nomes devem ser separados por
ponto-e-vírgula, seguido de espaço”; no item “3.2”, intitula autor(es) entidade(s) como a(s)
“instituição(ões), organização(ões), empresa(s), comitê(s), comissão(ões), evento(s), entre outros,
responsável(eis) por publicações em que não se distingue autoria pessoal” e no item “8.1.2” esclarece
que a estes pertencem “as obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais, empresas,
associações, congressos, seminários etc.) têm entrada, de modo geral, pelo seu próprio nome, por
extenso”. No item “8.1.3” considera “autoria desconhecida” o que a norma UGF chama de “sem
autoria”, esclarecendo que “em caso de autoria desconhecida, a entrada é feita pelo título. O termo
anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido”.
Quanto ao “título” a ABNT em seu item “3.13” define como “palavra, expressão ou frase que
designa o assunto ou o conteúdo de um documento”. Já a “edição” é tratada no item “3.5”, referindo ser
Todos os exemplares produzidos a partir de um original ou matriz. Pertencem à mesma edição
de uma obra todas as suas impressões, reimpressões, tiragens etc., produzidas diretamente ou
por outros métodos, sem modificações, independentemente do período decorrido desde a
primeira publicação. (ABNT, NBR 6023, 2002, p. 2).

Ainda remete a “NBR 6032:1989 - Abreviação de títulos de periódicos e publicações seriadas
– Procedimento” para maiores esclarecimentos sobre o assunto em pauta.
A edição é definida pela ABNT no item “3.5” com a seguinte dicção:
Todos os exemplares produzidos a partir de um original ou matriz. Pertencem à mesma edição
de uma obra todas as suas impressões, reimpressões, tiragens etc., produzidas diretamente ou
por outros métodos, sem modificações, independentemente do período decorrido desde a
primeira publicação. (ABNT, NBR 6023, 2002, p. 2).

A norma UGF, tecendo comentário acerca de título e edição, chama a atenção para o seguinte
fato:
Título abrangente ou geral é separado do subtítulo por dois pontos (:). A edição é indicada
somente a partir da segunda e registrada com numeral cardinal, seguido de ponto e da
abreviatura da palavra edição (exemplo: 2. ed.); não cabe o uso da letra a em sobrescrito (2ª).
Indicam-se, ainda, emendas e acréscimos à edição de forma abreviada (exemplo: 2. ed. rev. e
ampl.). No caso de publicações em língua estrangeira estes registros são feitos no respectivo
idioma. (BRAZIELLAS; ANÇÃ, 2005, p. 37).

6” define editora como sendo a “casa publicadora.]. A segunda está citada abaixo: Quando houver duas editoras indicam-se ambas. p. pede a atenção para não se confundir editora “com a designação do editor. pessoa(s) ou instituição responsável pela produção editorial. se a editora tiver indicação de duas cidades. n. registra-se a primeira ou a que estiver em destaque. Em “nota”. gravadora (para registros sonoros). não aparece na posição da editora. A ABNT (NBR 6023.). para definir a sua localização. outras denominações são utilizadas: produtora (para imagens em movimento). 37) no caso de “a cidade não estiver registrada na obra. o nome é acompanhado da sigla do respectivo estado. enquanto a norma UGF (BRAZIELLAS. através da internet ou através de quaisquer referências contidas em outras obras. caso contrário. Olympio e não Livraria José Olympio Editora” e alerta para a possibilidade de se admitir “o uso da abreviatura da palavra editora quando se tratar de editoras das universidades (Ed. Conforme o suporte documental. l. No caso de a cidade e a editora não constarem da obra. ou que coordena ou organiza a preparação de coletâneas”. p. 37). com os respectivos locais. 37) prefere acrescentar e ressaltar que se registra “o nome da editora como aparece no documento. respeitando-se a pontuação entre os elementos”. usa-se a expressão sine nomine abreviada entre colchetes [s. Ed. utilizada para indicar o responsável intelectual ou científico que atua na reunião de artigos para uma revista. O elemento essencial “data” encontra-se referida na ABNT (NBR 6023. p. a ABNT (NBR 6023. quando o nome da editora corresponde ao de uma pessoa física. p. ANÇÃ. l. separando-as por (. 2005.6” nas seguintes palavras: “a data de publicação deve ser indicada em algarismos arábicos”. p. 37) acrescenta que “nos casos de cidades homônimas.Quanto ao “local”. a ABNT (NBR 6023. usa-se a expressão Sine loco (que significa sem local) entre colchetes [S.: s.]”. A norma UGF ainda chama a atenção para duas possibilidades quando houver duas editoras: “quando a editora é a mesma instituição ou pessoa responsável pela autoria e já tiver sido mencionada no início da referência.4” define como “o nome do local (cidade) de publicação”. 2002. como neste caso. Quando a editora não puder ser identificada. p. 2002. jornal etc. estes registros são feitos de forma associada [S. 2) em seu item “8. Importante observação consta da norma UGF (BRAZIELLAS. entre outras”. S/A). 2002. abreviam-se os prenomes”. 2005. da UGF. . p. da UnB)”. A norma UGF (BRAZIELLAS. p. por exemplo. observando que “deve ser indicado tal como figura no documento”. ANÇÃ. 2) em seu item “8. n. 2005. 2) também faz suas observações. 2002. ANÇÃ. registra-se o nome da primeira ou da mais destacada”. mas puder ser identificada”. da UFPR. (BRAZIELLAS. Se forem três. suprimindo-se a palavra editora e as indicações de natureza jurídica ou comercial (Ltda.]. Ed. ANÇÃ. deve-se registrar “o nome entre colchetes [ ]. 2) no tópico de numeração “3. fornecendo como exemplo a abreviatura “J. 2005.

L. SÃO PAULO (Estado). F. Novo dicionário Folha Webster’s: inglês/português. 15). subsidiariamente. 3). mês. (Série Manuais). dez. 2005. il. 16 p. São Paulo: Folha da Manhã. L. SP).1” inclui como “monografia no todo” a referência a “livro e/ou folheto (manual. ano”. sempre deve ser indicada uma data. dissertações. Edição exclusiva para o assinante da Folha de S.). BRASIL: roteiros turísticos. MG.]. Já no tópico “7. 2002. edição. DF. 319 p. 1998. INSTITUTO MOREIRA SALLES. matéria de jornal. (Roteiros turísticos Fiat). HOUAISS. NBR 6023. enciclopédia.). 1998. seja da publicação. “como se trata de elemento essencial para a referência.l. 137 p. 2002.. IBICT. 1994. . MUSEU DA IMIGRAÇÃO (São Paulo. São Paulo. 1997. F. 3) em seu item “7. São Paulo. 1996. título. São Paulo: Folha da Manhã. 131-132. PERFIL da administração pública paulista. 2005). (Coleção Antropologia e Ciência Política. 1997. F. O item “7. português/inglês. Co-editor Ismael Cardim. com exigência de informações relacionadas a dia. impressão.A norma UGF (BRAZIELLAS. distribuição. F. Poços de Caldas.1. Niterói: EdUFF. Monografia no todo ABNT (NBR 6023. guia. deve se registrar “o nome do mês abreviado. com a letra inicial minúscula seguida de ponto (jan. UFF. Bibliografia: p.1. 41 p. 21 cm. Novela e sociedade no Brasil. Inclui mapa rodoviário. editora e data de publicação” e dá o seguinte exemplo: GOMES. ANÇÃ. Secretaria do Meio Ambiente.. comentando que. ABNT registra várias possibilidades de referênciação bibliográfica. Niterói: Ed. p. 1989. com exceção de maio que é usado por extenso. 48 p. Paulo.” acrescenta os “elementos complementares à referência para melhor identificar o documento” e dá vários exemplos. p. entre outros)”. ISBN 85-228-0268-8. Casa de Cultura de Poços de Caldas. 2002) e. estude-se: GOMES. ed.) e trabalhos acadêmicos (teses. 6. colocar-se-á também os exemplos da norma UGF (BRAZIELLAS. 37) acrescenta. dicionário etc. ISBN 85-7285-026-0. 1 folder. Por isso.” estabelece que “os elementos essenciais são: autor(es). iniciar-se-á esse estudo pela leitura da ABNT (NBR 6023. classificando-as completamente. Inclui índice. Coordenadoria de Planejamento Ambiental. G. G. São Paulo de Vincenzo Pastore: fotografias: de 26 de abril a 3 de agosto de 1997. 1993. documentos coletados na internet. ed. apresentação ou do copyright”. São Paulo: FUNDAP. local. ANÇÃ. enquanto a norma UGF apenas trata dos “casos mais comuns de referenciação bibliográfica”. alerta para o caso de se precisar usar data completa “para referenciar artigos de revista. Novela e sociedade no Brasil. Paulo: catálogo. 2. catálogo. Estudo de impacto ambiental – EIA. além disso. Antonio (Ed. Manual de normas de editoração do IBICT. 317 p. 1995. Relatório de impacto ambiental – RIMA: manual de orientação. Brasília. Apoio Ministério da Cultura: Lei Federal de Incentivo à Cultura. abr. (ABNT.1. [S. p. Museu da Imigração – S. no idioma original da publicação”.2.

2002. Eliane Serrão Alves. 2002. esforço fiscal e gasto público no federalismo brasileiro. Originalmente apresentada como dissertação de mestrado. NBR 6023. Cidade: Editora. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 1987. facsim. Rio de Janeiro: BNDES. Disparidades econômicas internacionais. rev. Fazer universidade: uma proposta metodológica. Ed. MEY. Teoria do vínculo. ed. 10. p. h) sobrenomes ligados por hífen PICHON-RIVIÈRE. Pátria amada: o Brasil em poemas. 1986. 1991. LEHFELD. 1990. b) dois ou três autores BARROS. São Paulo: Cortez. Rio de Janeiro: Reluma-Dumará. 2000. ANÇÃ. h) sobrenomes ligados por hífen. 2002. DF: ABDF. E ainda os listados a seguir: f) autor de nome espanhol BLANCO COSSIO. 1995. São Paulo: Martins Fontes. ed. São Paulo: Cortez. São Paulo: Makron Books. e) autor com partícula de parentesco no sobrenome. 1998. São Paulo: Studioma: Arquivo do Estado. 22. (ABNT. Neide Aparecida de Souza. d) autor organizador ou coordenador. Contém iconografia e depoimentos sobre o autor. Número da edição.TORELLY. Petrópolis: Vozes. M. Fernando Andrés. O jornalismo como gênero literário. 3). Quando o brincar é dizer não: a experiência psicanalítica na infância. São Paulo: EDUSP. ed. São Paulo: Atlas. e ampl. . j) obra publicada sob pseudônimo e l) livro editado pelo autor (pessoa física ou instituição). Brasília. Metodologia científica na era da Informática. ed. Queiroz. Eliza. Tristão de. Catalogação e descrição bibliográfica: contribuições a uma teoria. 6. Cipriano Carlos et al. 2. c) mais de três autores. 38). A norma UGF faz menção a “livros usados como um todo”. i) sem autoria CONTROLE interno das empresas. Antônio Joaquim. capacidades de recursos tributários. (Coleção Almanaques do Barão de Itararé). Íris Barbosa (Org. Renato. ed. 1993. 2005. classificando-os em: a) autor único. (BRAZIELLAS. b) dois ou três autores. c) mais de três autores LUCKESI. Universidade de Brasília. Metodologia do trabalho científico. compreenda-se: a) autor único SOBRENOME. João Augusto. g) sobrenome composto. Almanaque para 1949: primeiro semestre ou Almanaque d‟A Manhã. São Paulo: Saraiva. ampl. Aidil Jesus Paes de. 1998. Nome do Autor. Enrique. São Paulo: T. i) sem autoria. 1998. e) autor com partícula de parentesco no sobrenome MÁTTAR NETO. Título do livro: subtítulo (se houver).). p. 13. d) autor organizador ou coordenador GOULART. j) obra publicada sob pseudônimo ATHAYDE. 2003. 1994. 2. g) sobrenome composto CASTELLO BRANCO. SANTA ROSA. SEVERINO. f) autor de nome em espanhol. A educação na perspectiva construtivista. ed. ano.

br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/ navionegreiro. dissertações. Marilda dos Santos. 2005. José Messias. Dissertação (Mestrado em Filosofia) .Programa de Pós-Graduação em Filosofia. 16:30:30.l. Rio de Janeiro. São Paulo: Delta: Estadão. CD-ROM. Filosofia da linguagem. O papel do professor na motivação no ensino aprendizagem. acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico” e lista como modelo a referência a seguir: KOOGAN. 1992.” inclui como “monografia no todo em meio eletrônico” a referência aos “livro e/ou folheto (manual. ANÇÃ. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. enciclopédia. NBR 6023. Enciclopédia e dicionário digital 98. 43). 2001. Direção geral de André Koogan Breikmam. afirmando que “também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico.1. Viçosa.” acrescenta que “as referências devem obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos no todo.2. p. 2000.Departamento de Educação.Faculdade de Educação. [S. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) . . on line etc).Coordenação de Pós-Graduação e Atividades Complementares. Acesso em: 10 jan. Sexualidade e subjetividade na ética de Michel Foucault. Nome do Autor. Universidade Gama Filho. p. 2002. MUSSI. guia. 1999. ANÇÃ. 38). Catálogo de graduação: 1994-1995. solução alternativa. 4) O item “7. Disponível em: <http://www. CARVALHO. (ABNT. Cidade. A formação do professor e do pesquisador em nível superior no Brasil. Antonio (Ed. Tese (Doutorado em Educação) . Categoria do trabalho (grau obtido) . HOUAISS.Instituição. Mais adiante.” faz uma observação para “quando se tratar de obras consultadas online”. JARDIM. Helen Silveira. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. 2002. Rio de Janeiro. data da defesa (se foi registrada data diferente na folha de aprovação). (BRAZIELLAS. Monografia no todo em meio eletrônico ABNT em seu item “7. faz sua classificação e fornece mais exemplos especificando serem modelos para teses. Severo. (ABNT. 5 CD-ROM. Rio de Janeiro. Universidade do Rio de Janeiro.com. 4). 2005.terra. Título do trabalho: subtítulo (se houver). 2002.]: Virtual Books. A gestão participativa de qualidade: delegação de poderes. HRYNIEWICZ.htm>. Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro. apresentado entre os sinais < >. 1998. NBR 6023.l) livro editado pelo autor (pessoa física ou instituição) UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. entre outros)” em meio eletrônico tais como disquetes.) e trabalhos acadêmicos (teses. p. André. 2002. conforme se observa a seguir: SOBRENOME. SANTOS. Janete M. Castro. Já no tópico “7. 1996. Ano. Universidade Gama Filho. Navio negreiro. ao tratar do assunto.2.2. MG. precedida da expressão Acesso em:” tal data.). Monografia (Curso de Pós-Graduação lato sensu em Administração Escolar) . dicionário etc. a norma UGF. p. minutos e segundos”. (BRAZIELLAS. catálogo. dissertações ou trabalhos acadêmicos.2. conforme exemplo a seguir: ALVES. Rio de Janeiro. 2003.

Sema Garrido. 2. b) o (ou um dos) coordenador(es) é o autor do capítulo destacado PIMENTA. (Org.” inclui como “parte de monografia” a referência ao “capítulo. . R.). In: LEVI.(inicial) . (BRAZIELLAS. SCHMIDT. 1o grau. p. Professor reflexivo: construindo uma crítica. fragmento e outras partes de uma obra. 4). cap.). ed. (ABNT. 2002. ed. G. 1994.3. p. São Paulo: Cortez. 2002. J. Imagens da juventude na era moderna. História do Amapá.). ou Coord. 2002. p.. O item “7.” estabelece que “os elementos essenciais são: autor(es). In: PIMENTA. p. p. classificando-os em: a) capítulo com autoria própria em livro com organizador ou coordenador. . João Augusto. In: LEVI. p. In: ______. F. Tendências investigativas na formação de professores. Metodologia científica na era da Informática. Título do livro: subtítulo (se houver). conforme exemplo a seguir: ROMANO. Macapá: Valcan. SANTOS. 2002. SANTOS. Evandro (Org. F. Imagens da juventude na era moderna. São Paulo: Companhia das Letras. cap. com autor(es) e/ou título próprios”. ed. 1996.). ano.1. 1o grau. e da referência completa da monografia no todo” e chama a atenção para que “no final da referência. História dos jovens 2: a época contemporânea. Giovanni.ABNT (NBR 6023. 3. título da parte. R. 2. 100-139. analise-se: a) capítulo com autoria própria em livro com organizador ou coordenador SOBRENOME. 81-87. NBR 6023. 1994. 2002. seguidos da expressão “In:”. 2005. Nome do Autor do capítulo. Macapá: Valcan. A norma UGF faz menção a “livros usados em parte ou capítulo destacado”. José Gimeno. O item “7.). dos.(final). In: ______. 4). ANÇÃ. 3. 1996.3. 2. 2002. Cidade: Editora. 17-52. p. dos.. SACRISTÁN. 15-24. NBR 6023. 7-16.ed. ed. p. Selma Garrido.. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. Título do capítulo.3. p. 39). e c) capítulo destacado de livro cujo(s) autor(es) responde(m) pela autoria do livro inteiro. Nome do Autor (Org. J. b) o (ou um dos) coordenador(es) é o autor do capítulo destacado. 2. Giovanni. volume. 4: p. In:______ . p. G. 4) alerta em nota que “não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes”. São Paulo: Saraiva. 4) em seu item “7. São Paulo: Companhia das Letras. 1. GHEDIN. São Paulo: Cortez. Parte da monografia ABNT (NBR 6023. A colonização da terra do Tucujús. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito.2. número do capítulo. SCHMIDT. 2002. p. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. 3. (ABNT.. Evandro (Org. GHEDIN.” explica que “Quando necessário. cap. In: SOBRENOME. In: ______. História dos jovens 2. deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada” e fornece os modelos abaixo: ROMANO. A sociedade da informação. cap. (Org. cap. 7-16. A colonização da terra do Tucujús. c) capítulo destacado de livro cujo(s) autor(es) responde(m) pela autoria do livro inteiro MÁTTAR NETO. História do Amapá.

1.). “artigo e/ou matéria de revista. Disponível em: <http://www.” considera publicação periódica como um todo “a referência de toda a coleção de um título de periódico” que “é utilizada em listas de referências e catálogos de obras preparados por livreiros. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente.1. reportagens etc. seções. 4). boletim etc. proceder-se-á conforme 7. 4) em seu item “7.5. minutos e segundos” . Em seu tópico “7. POLÍTICA. caderno etc.1. Publicação periódica como um todo A ABNT no seu tópico “7.)”. volume. SÃO PAULO (Estado). CD-ROM. “partes de revista. In: ENCICLOPÉDIA multimídia dos seres vivos. editoriais.(ABNT.br/sma/entendendo/atual. 1939. In: DICIONÁRIO da língua portuguesa.1.e lista como modelo as referências a seguir: MORFOLOGIA dos artrópodes. Quando se tratar de obras consultadas online. Rio de Janeiro: IBGE. fragmento e outras partes de uma obra.pt/dlDLPO>.”. volume ou fascículo de periódico (artigos científicos de revistas. 2002. Publicação periódica A ABNT (NBR 6023.org. p. 5).5.priberam.Parte da monografia em meio eletrônico ABNT (NBR 6023.4. 1999. 1999. Rio de Janeiro: IBGE.1.]: Planeta DeAgostini. Lisboa: Priberam Informática. Trimestral. p. número de jornal. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. em meio eletrônico”. conforme se vê a seguir: 1. apresentado entre os sinais < >. 1939. Índice acumulado.1. In: _____. Disponível em: <http://www. “artigo e/ou matéria de revista.2.2” .que “também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico. p. conforme o seguinte modelo: REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA.2. Acesso em: 8 mar.l. NBR 6023. 2002. c1998. boletim etc. NBR 6023. Entendendo o meio ambiente.bdt. “artigo e/ou matéria de jornal” e “artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico”.” acrescenta que “as referências devem obedecer aos padrões indicados para partes de monografias”. do IBGE. .”. Absorveu Boletim Geográfico.htm>. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento” e lista como modelo às referências a seguir: REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. na íntegra.” a ABNT escreve que “quando necessário. ou seja. bibliotecas ou editoras”. Acesso em: 8 mar. 1998. 1999. (ABNT. com autor(es) e/ou título próprios” sendo “acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. 4) no seu tópico “7. matérias jornalísticas. CD-ROM 9. fascículo ou número de revista. subdividindo em “publicação periódica como um todo”. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento.5. 1939-1983. 2002.” considera publicação periódica “a coleção como um todo.. online etc. e a matéria existente em um número. ISSN 0034-723X. [S. v. “capítulo. 1. p. precedida da expressão Acesso em:” tal data.1. Secretaria do Meio Ambiente. São Paulo. boletim etc. 2002.

editora. suplemento). 1. Três. Segundo Caderno. local de publicação. data ou intervalo de publicação e particularidades que identificam a parte (se houver)”. Rio de Janeiro. com título próprio).2. 28 jun. Suplemento. p.1. 38. Três. localização da matéria. resenhas e outros”. informações de períodos e datas de sua publicação” e em seguida mostra um padrão de referência. 9. entre outros. 1984.” trata dos elementos complementares. 28 jun. fascículo. 98 p. Edição especial. São Paulo: Associação Paulista de Medicina. v. Rio de Janeiro: IBGE. recensões. 41). 148. SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL. numeração do ano e/ou volume. título da parte. ANÇÃ. ISSN 0035-0362. Observação: no caso de a matéria estar publicada em parte destacada (caderno. A ABNT no seu tópico “7. números especiais e suplementos.BOLETIM GEOGRÁFICO. Espasmos da cultura. . set. veja o modelo proposto: SOBRENOME. NBR 6023. local de publicação. numeração do fascículo. boletim etc. comunicações.2. O Globo. MÃO-DE-OBRA e previdência. Trimestral.3.5.” inclui neste item “volume. 23 mar. entrevistas. artigo ou matéria.1. 1941. conforme pode ser estudado observando o modelo proposto e transcrito a seguir: AS 500 maiores empresas do Brasil. título da publicação. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. boletim etc.5. conforme veremos a seguir: DINHEIRO. 2000. fascículo ou número. 2002. 2005. Rio de Janeiro. reportagens. editorial. O item “7.2. 1.” referente ao “artigo e/ou matéria de revista. “quando necessário. Importante ficar atento para o que estabelece a norma UGF que recomenda colocar o nome do periódico em negrito.1” trata dos elementos essenciais. 23 mar. fascículos. Sinfonia do adeus. Já no item “7.5. enumerando-os assim: “título da publicação.1. dizendo que. 5).1.2. Adriana. 2001. n. Título da matéria. p. 27. 148. com exceção de maio). (ABNT. 2000. p. (ABNT.” trata dos elementos essenciais.. Leonel. NBR 6023. O Globo. PAVLOVA. 2002. 1.3. na sua referenciação a parte será nomeada com a página correspondente. p.2. São Paulo: Ed. 1943-1978. Rio de Janeiro. v. conforme exemplo abaixo: DINHEIRO: revista semanal de negócios. numeração correspondente ao volume e/ou ano. 5).1.3. Conjuntura Econômica.5. 2001. sem título próprio”. KAZ.1. (BRAZIELLAS. 5). (ABNT.5.” estabelece que “inclui partes de publicações periódicas (volumes. 1983. números especiais e suplementos. enumerando-os da seguinte forma: “autor(es). O item “7. Bimensal. boletim etc. São Paulo: Ed. Nome do Jornal. Partes de revista. p. 2002. Cidade. p. NBR 6023. Nome do Autor. Artigo e/ou matéria de revista. paginação inicial e final” e “quando se tratar de artigo ou matéria. Rio de Janeiro. n.1. A ABNT no seu tópico “7. n. 7. data (com nome do mês abreviado. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”.

1. Rio de Janeiro. SEKEFF. Nome da Revista. 1344. n. ano (civil). O item “7. n. V. 30-36. TOURINHO NETO. 15-21. ano 1. GURGEL. n.. p. São Paulo: Fiocruz. a) artigo ou matéria com autoria SOBRENOME.3. editorial. Cidade: editor. ANÇÃ. set. DF. O emprego dos sonhos. proceder-se-á conforme 7. La controversia entre universalismo y particularismo en la filosofia de la cultura. com título próprio). Reforma do Estado e segurança pública. C. boletim etc. Em Pauta. comunicações. Gisela. 3 fev. 2005.” referente ao “artigo e/ou matéria de revista. (Quando não constar o nome da editora usa-se vírgula após o nome da cidade). MANSILLA. set. REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA. F. 2. Política e Administração. 24. fascículos. recensões. Rio de Janeiro. “também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico. p. Local: editora. p. 2002. Revista Latinoamericana de Filosofia.3. C. 18-23.2. localização da matéria referenciada (p. número (n. Em Pauta: revista da Faculdade de Serviço Social da UERJ. p. “quando necessário. 3. H. 2. p.15-21. n. inicial . 131-148.5. primavera 1998. NBR 6023.). dizendo que. 1997. volume (v.2” trata dos elementos complementares. n. (BRAZIELLAS. 3. p. fev. 5). número (n. CD-ROM. p. Título do artigo ou matéria. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. V. 2002. F. Rio de Janeiro. incluindo o ano civil. período. 5. 12. apresentado entre os sinais < >. Transcrever-se-á aqui a organização da norma UGF para que o aluno possa confrontar o que diz a norma UGF e a da ABNT. mais as “informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes.4. faz sua própria classificação e fornece exemplos. entrevistas. Carlos.). C.5.) ou ano (informação correspondente a volume e ano correspondente ao tempo de publicação). em meio eletrônico Neste tópico. 5). A norma UGF ao tratar do assunto. Brasília. À margem da lei: o Programa Comunidade Solidária. Título do tema especial. Dano ambiental. 1998. n. ano 26. de acordo com” o item “7. conforme exemplo abaixo: COSTA. (ABNT.1. 1997.COSTA. v.) ou ano.1. 131-148. v. boletim etc. dez. Domingo. n. números especiais e suplementos. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao . v. na dicção da ABNT.”. p. Rio de Janeiro: FGV. GURGEL. Política e Administração.2. 1. À margem da lei. NBR 6023. reportagens. Artigo e/ou matéria de revista. 41). “as referências devem obedecer aos padrões indicados para artigo e/ou matéria de revista. ou seja.1. Consulex. 12. Educação e alimentação pré-escolar.). (ABNT. R. Reforma do Estado e Segurança Pública. p. 1981. R. Quando se tratar de obras consultadas online. boletim etc. época da publicação (mês ou meses separados por barra /). v. Nome do Autor.” que estabelece a inclusão das “partes de publicações periódicas (volumes. Rio de Janeiro.final). 2002. Buenos Aires. online etc. resenhas e outros”. 1997. 1998. indicação do volume (v. 2. b) número ou suplemento referenciado como um todo TÍTULO OU NOME DA REVISTA.

Disponível em: <http://www. NBR 6023. 1 CD-ROM.2.brazilnet.br/contexts/brasilrevistas. resenhas e outros”. “também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico.com. Disponível em: <http://www. 2002. 2002. o “7. n. LEAL.com. Aldus. 2002. inverno 1994. Lagos andinos dão banho de beleza.5. Dataveni@. Disponível em: <http://www. Caderno 8. Quando não houver seção. caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. online etc. Neo Interativa. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. Cássio Leite. caderno ou parte. SILVA. precedida da expressão Acesso em:” tal data. Quando se tratar de obras consultadas online.5. Enumera também os elementos essenciais: “autor(es) (se houver).). Acesso em: 10 set. ou seja. 1998. Crimes da era digital. 28 jun. 1998.” trata dos elementos complementares. ano 3.br/frame. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. n. WINDOWS 98: o melhor caminho para atualização.5. Rio de Janeiro.”. 1. proceder-se-á conforme 7. a paginação do artigo ou matéria precede a data”.3. N. S. Anabela. Pena de morte para o nascituro. M. Folha de S. 19 set.htm>. data de publicação. p. p. 5. RIBEIRO. minutos e segundos”. 8. n. São Paulo. 3. no item “7. São Paulo. precedida da expressão Acesso em:” tal data. como padrão a seguir: COSTURA x P. n. editorial. P. editorial. M. set. afirmando que “quando necessário. conforme exemplo a seguir: VIEIRA. Ives Gandra da. 18. seção. título.datavenia. NBR 6023. 1998. reportagens. resenhas e outros”. Disponível em: <http://www.”. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. 25 abr. NBR 6023. recensões. P. p. Artigo e/ou matéria de jornal Para a ABNT.2. 2002. reportagens. 2. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. local de publicação. Acesso em: 28 nov. nov.2”. Acesso em: 19 set.org/pena_morte_nascituro. Jornal do Brasil. entrevistas. Paulo.h tm>. (ABNT. p. minutos e segundos”.6. São Paulo. A queda do cometa. 75.idg. p. CD-ROM. .artig. 6).Net. Encarte técnico. São Paulo.U. 2. Jornal do Brasil.html >. Paulo. p.5.5. 1998. Rio de Janeiro. 13. L.inf.6. título do jornal.R. recensões. (ABNT. apresentado entre os sinais < >. nov. 1997. Folha Turismo.5. conforme se vê abaixo: SILVA.br/abre. conforme exemplo abaixo: PAIVA. 6). artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico Segundo a ABNT. L. inclui-se nesta classificação “comunicações. entrevistas.5.3. Conforme itens análogos. 1998. Adoção à brasileira: uma análise sociojurídica. p. PC World. 1998. 5. 1999.providafamilia. somadas “das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. Acesso em: 10 set. Marcelo.htm>. no tópico “7. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. MP fiscaliza com autonomia total. O Estado de S. inclui-se “comunicações. G. NAVES.5. 12 jan. Trincheira musical: músico dá lições de cidadania em forma de samba para crianças e adolescentes. . 5). São Paulo.2.2. 1999. LOPES. (ABNT. 1998.documento. ano 1. Seção Ponto de Vista. ago. 1998.

resultados. acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. Diário do Nordeste Online. Disponível em: <http//www. 41).. 1998. ANÇÃ.”. CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe. Conforme itens análogos.. que a referida norma assim os enumera: “nome do evento. Evento como um todo em meio eletrônico A ABNT refere “evento como um todo em meio eletrônico” no item “7.5. 2005.” e afirma que “as referências devem obedecer aos padrões indicados para evento como um todo. (ABNT. Disponível em: <http://www. numeração (se houver). 1997. NBR 6023. Anais eletrônicos . Acesso em: 21 jan. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química. 4.. Livro de resumos .). 1. Nov. (Anais ..1. . Disponível em:<http://www.. (ABNT. faz sua classificação e fornece exemplos. atas. 4.2. Electronic publishing at APS: its not just online journalism.propesq. APS News Online. Poços de Caldas. 1996. Los Angeles. 6). p. A norma UGF ao tratar do assunto.1 e 7. 1997. que compreende “o conjunto dos documentos reunidos num produto final do próprio evento (atas. NBR 6023.)”.” trata dos elementos complementares.2.br>.2”. 2002..6. 1996.. p. editora e data da publicação” conforme pode ser apreendido do modelo proposto e transcrito a seguir: IUFOST INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON CHEMICAL CHANGES DURING FOOD PROCESSING... como apreende-se do modelo a seguir: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. conforme modelo proposto a seguir: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA.propesq.htm >.com. Disponível em: <http://www. proceder-se-á conforme 7.ht ml>. Acesso em: 28 nov. Acesso em: 21 jan.6. seguido dos dados de local de publicação. indústria. Evento como um todo Professa a ABNT no item “7.1. 2002. 1984. Proceedings. data. 1984.).Br/anais.2. ARRANJO tributário.KELLY. 1997. anais. Valencia. ano e local (cidade) da realização. NBR 6023... Química: academia. Título do documento seguido de reticências .1.htm>. referente ao “evento como um todo”. 1998. 2002. 6). Em seguida. entre outras denominações)”. Recife Anais eletrônicos. 1997.. p. o “7.org/apsnews/1196/11965. 27 nov. 6).br/anais/anais.ufpe.6.. Fortaleza. Através da leitura do item “7. p.Valencia: Instituto de Agroquímica y Tecnología de Alimentos. 1996. proceedings.1. tópico temático etc. Acesso em: 25 nov.. NBR 6023. (BRAZIELLAS. afirmando que “quando necessário.6. 6). 1996.ufpe. R. alertando ainda que “quando se tratar de obras consultadas online. p. CD-ROM. extrai-se se tratar dos elementos essenciais. conforme observa-se a seguir: NOME DO EVENTO. Cidade: editora.”. 2002. 1998..6. Atas .Recife: UFPe. online etc.diariodonordeste.. ano e local (cidade) de realização..aps.. deve-se mencionar o título do documento (anais. numeração (se houver).. Recife: UFPe. sociedade: livro de resumos. (ABNT. 20.6. 1996. Recife. (ABNT. de acordo com 7.3.

Trabalho apresentado em evento Ensina a ABNT que no item “7.6. online etc. CD-ROM. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. SILVA. 1994. A. que a referida norma os enumera assim: “autor(es). Petrolina. inclui-se “trabalhos apresentados em evento (parte do evento)”. extrai-se se tratar dos elementos essenciais. p.. MIELNICZUK. seguido da expressão In:. Recife. Influência da correção e do preparo do solo sobre algumas propriedades químicas do solo cultivado com bananeiras. ref. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação. CPATSA. numeração do evento (se houver). OLIVEIRA. R. 1997. R. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS. referente ao “trabalho apresentado em evento em meio eletrônico” inclui-se “trabalhos apresentados em evento (parte do evento)”. “também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico. 1998. conforme modelo abaixo: GUNCHO. proceder-se-á conforme 7. Resumos. J. C. NBR 6023.” trata dos elementos complementares.). p.”. A educação à distância e a biblioteca universitária. 26. Conforme itens análogos.Recife: UFPe. Anais. 1994. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO. Anais eletrônicos. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. L.2”. A.. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe.. o “7. S. Globalização e saúde: impacto nos perfis epidemiológicos das populações. Quando se tratar de obras consultadas online. 7).2... 1997. A. p.. Acesso em: 21 jan.. São Paulo. Petrolina: EMBRAPA. B. L. p. 443. Anais. 4. Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico Leciona a ABNT que no item “7. SOUZA. (ABNT. Através da leitura do item “7.7”... ano e local (cidade) de realização. Rio de Janeiro.. 1997.” conforme pode ser apreendido do modelo proposto e transcrito a seguir: BRAYNER.. Fortaleza: Tec Treina. ufpe. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOGIA. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora.1. atas. R. somadas “das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. 2002. precedida da expressão Acesso em:” tal data. 10.br/anais/anais/educ/ce04. 1996. Rio de Janeiro.7. p. O. N. R. 9. data de publicação e página inicial e final da parte referenciada. J. 1996.7.. M. 1.. referente ao “trabalho apresentado em evento”. BORGES. afirmando que “quando necessário.. Alterações qualitativas da matéria orgânica e os fatores determinantes da sua estabilidade num solo podzólico vermelho-escuro em diferentes sistemas de manejo. título do trabalho apresentado. P. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. apresentado entre os sinais < >. título do documento (anais. 1998. C. Disponível em: <http://www. 2002.1. 1 CD-ROM. local.htm>. tópico temático etc. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS..1. Anais . Incorporação do tempo em SGBD orientado a objetos. In: SEMINÁRIO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS. MEDEIROS. propesq. Fortaleza. (ABNT. 1998. NBR 6023. 7). 4.1”.2. minutos e segundos”. ou seja. 3-4. conforme seguinte padrão proposto: MARTIN NETO.7. BAYER. Anais...).. 16-29. SABROZA. L.. São Paulo: USP. 1994. 6-141. editora.. REZENDE.. 1994. 21.. C. nome do evento.

7-10. Através da leitura do item “7. como se constata no seguinte modelo: EMBRAPA.8”.titulo=VALOR+AGREGADO+NO+MUNDO>. 1996. 3.8”. Anais . em: KRZYZANOWSKI. resolução do Senado Federal)”. (ABNT. 7).eletrônicos.1.. BR n. no caso de se tratar de normas). 42). 1993. entre o nome da jurisdição e o título.abrasco. numeração. tendo como espécies as “jurisprudência” ou decisões judiciais e a “doutrina”. 2005. 7). 30 maio 1995.final) da parte referenciada. Disponível em: <http://www. ordem de serviço. título do documento (Anais. PI 8903105-9. Adiante. p. ano e local (cidade). além das “normas emanadas das entidades públicas e privadas (ato normativo. (BRAZIELLAS. decisão administrativa.br/cgibin/crics3/texto..7. disponibiliza um modelo de referência. enumera na seguinte ordem: “entidade responsável e/ou autor. comunicado. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO: um encontro entre humanismo e tecnologia.aqui considerada . 1999. Nome do Autor. entre outros)”.. além dessas em meio eletrônico. título.bire me. aviso. numeração do evento (se houver). 26 jun. data da publicação. (ABNT. F. out. além de fazer uma observação: para o “caso de Constituições e suas emendas. Atas) seguido de cidade: editora.9. da ABNT (NBR 6023. Rio de Janeiro. Pierre... apreendemos seus elementos essenciais. da ABNT. Valor agregado no mundo da informação: um meio de criar novos espaços competitivos a partir da tecnologia da informação e melhor satisfazer às necessidades dos clientes/usuários. Rio de Janeiro. número da patente e datas (do período de registro)”. 2002. instrução normativa. medida provisória. decreto em todas as suas formas. conforme se observa a seguir: SOBRENOME. NBR 6023. A interdisciplinaridade na educação. p.. 2002.1.br/epirio98/>. Legislação A ABNT no item “7. Interligações da tecnologia da informação: um elo futuro. 1993. Patente de invenção A “patente” está enumerada como documento referenciável no item “7.com. 1. resolução. título. acrescenta-se a palavra . ANÇÃ. Unidade de Apoio. p. portaria.“compreende a Constituição. In: NOME DO EVENTO. In: CONGRESSO REGIONAL DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE. Título do trabalho apresentado. 1989. Acesso em: 17 jan. data e dados da publicação”. Através da leitura deste item.2” apreende-se que seus elementos essenciais são enumerados na seguinte ordem: “jurisdição (ou cabeçalho da entidade. SP). 1999. Documento jurídico O “documento jurídico” está enumerado como um gênero de referência no item “7. p. as emendas constitucionais e os textos legais infraconstitucionais (lei complementar e ordinária. A norma UGF ao tratar do assunto. faz sua classificação e fornece exemplos. 1998.1. circular. p. 2002. Pesquisa e Desenvolvimento de Instrumentação Agropecuária (São Carlos. R. 7).1” diz que “legislação” . Rio de Janeiro: ABRASCO. Disponível <http://www.9. 1. Rio de Janeiro. Paulo Estevão Cruvinel. p. WEIL. (inicial . NBR 6023. Medidor digital multissensor de temperatura para solos. Mesa-redonda. Acesso em: 26 jan.1.

DF. Medida provisória nº 1. São Paulo. 59.9. Lex: legislação federal e marginália. 1999. 1966. BRASIL. Poder Executivo. 1998. do artigo 1o da Resolução no 72. maio/jun. BRASIL. através de revogação do parágrafo 2º. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil. 14 dez. 1997.2. v. ed. Dá nova redação ao art. DF. 62. 2002. 14/99.569-9. de 9 de novembro de 1995. out. e dá outras providências. 183. p. A norma UGF ao tratar do assunto. p. 7. Resolução no 17. Veja-se o exemplo abaixo: SÃO PAULO (Estado). Emenda constitucional nº 9. . São Paulo. Decreto nº 42. 27833-27841. 23 dez. Congresso. Senado. v.452. DF. 1998. Resolução nº 17. Decreto nº 42. Emenda constitucional nº 9. 1966. São Paulo: Saraiva. atual. p. 183. BRASIL. disponibiliza um modelo de referência como se verifica a seguir: SÃO PAULO (Estado). n. 46. de 20 de janeiro de 1998. de 11 de dezembro de 1997. de 20 de janeiro de 1998. Suplemento. p. e ampl. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. de 1 de maio de 1943. Seção 1. b) consulta a uma publicação comercial da lei ou decreto ESTATUTO da criança e do adolescente: Lei nº 80069. p. Brasília. 1991. 1997. Conforme itens análogos. 2002. de 1991. Suplemento. 3. São Paulo. Secretaria de Ensino Fundamental. São Paulo: Saraiva. de 11 de dezembro de 1997. BRASIL. Código civil. maio/jun. Lei nº 9394. Lex: coletânea de legislação: edição federal. Dispõe sobre a desativação de unidades administrativas de órgãos da administração direta e das autarquias do Estado e dá providências correlatas. Brasília. o “7. 14 dez. 1996. notas remissivas e índices por Juarez de Oliveira. v. v. de 1990. 3. 217-220. conforme se observa a seguir: a) consulta diretamente ao texto legal BRASIL. 8). 7. 1995. p. 29514. 177 da Constituição Federal. Lex: coletânea de legislação: edição federal. Decreto-lei nº 5. v. 1943. p. v. 1943. p. BRASIL. 46. 1995. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. seguida do ano de promulgação. Brasília. Lex: legislação federal e marginália. 29514. BRASIL. 14 set. v./dez.822. (ABNT. n. BRASIL. 62. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência. NBR 6023. Parecer n. Brasília. BRASIL. DF. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Aprova a consolidação das leis do trabalho. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. p. 12. Congresso. Brasília.Constituição.569-9. Ministério da Educação e Desportos. Constituição (1988). Poder Executivo. BRASIL. Adiante. 8)./dez. BRASIL.”. Seção 1. de 9 de novembro de 1995. de 1991. out. de 1 de maio de 1943.1. Autoriza o desbloqueio de Letras Financeiras do Tesouro do Estado do Rio Grande do Sul. DF. 217-220. NBR 6023. 1995. Diretrizes curriculares nacionais da educação indígena. 2002. 59. Senado. São Paulo.822. BRASIL. 1156-1157. de 20 de dezembro de 1996. São Paulo: Saraiva. Decreto-lei nº 5. 1156-1157. (ABNT. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil. v. São Paulo.452. Constituição (1988). Organização dos textos. DF. Código civil. Brasília. entre parênteses. Estabelece multa em operações de importação. alterando e inserindo parágrafos. p. p. Poder Executivo. ed. 1995. São Paulo. faz sua classificação e fornece mais exemplos. 1991.” trata dos elementos complementares. ed. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência. de 13 de julho de 1990. Seção 1. afirmando que “quando necessário. Medida provisória nº 1.

1998. ed. Região).LEI nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. p.270/91.1. Predominância da lei sobre a portaria. Constrangimento ilegal. partes envolvidas (se houver). São Paulo. acórdãos. 103. 558-562. Recife. Tribunal Regional Federal (5.1.1. v.9. em razão de idade. Supremo Tribunal Federal. 10. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais. Apelada: Escola Técnica Federal de Pernambuco. NBR 6023. In: PILETTI.” tem-se que seus elementos essenciais são os seguintes. enumerados nesta ordem: “jurisdição e órgão judiciário competente. artigos de periódicos. BRASIL. 1998.1. Processual Penal. BRASIL. enunciados. local. 236-240.1.441-PE (94. Veja-se os modelos a seguir: BRASIL. 103. inscrição em concurso para cargo público.441-PE (94.1. Novamente. dos elementos complementares. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. DF. 2005. 1998. afirmando que “quando necessário. 23. São Paulo. título (natureza da decisão ou ementa) e número.9. 103.05. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais. p. Estrutura e funcionamento do ensino fundamental.9. v. 6 de dezembro de 1994.9. NBR 6023. BRASIL. Administrativo. e exemplifica da seguinte forma: . São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil. São Paulo. Doutrina A ABNT no item “7. Súmulas. DF. Apelante: Edilemos Mamede dos Santos e outros. 1. sentenças e demais decisões judiciais”. 558-562. mar. p. Pela leitura do tópico “7. p. Apelada: Escola Técnica Federal de Pernambuco. 196-222.9. (ABNT.1. 2002. Habeas-corpus. Recife. Brasília. Súmula no 14. Não é admissível por ato administrativo restringir. 8). São Paulo: Ática. 1994.).05. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais.3. Relator: Juiz Nereu Santos. 236-240. 6 de dezembro de 1994. 1998.” diz o que se inclui no tópico referente a doutrina: “toda e qualquer discussão técnica sobre questões legais (monografias.01629-6). 4 de março de 1997. Habeas-corpus no 181.636-1. 1998. data e dados da publicação”. n. instituído pela Lei nº 8. Nelson. Supremo Tribunal Federal. Superior Tribunal de Justiça. 1. p. Pagamento de diferenças referente a enquadramento de servidor decorrente da implantação de Plano Único de Classificação e Distribuição de Cargos e Empregos. v. como poder-se-á constatar a seguir: BRASIL. relator. Súmula nº 14. p. Escola Técnica Federal. mar. (ABNT. Brasília. mar. In: ______.” trata da mesma forma que os ítens anteriores análogos. In: ______. Relator: Juiz Nereu Santos.16. Habeas-corpus nº 181. p. Apelante: Edilemos Mamede dos Santos e outros. mar. p.636-1. Apelação cível nº 42. n. 10.8. Região). 10. Tribunal Regional Federal (5. da 6a Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.1. v. (BRAZIELLAS. n. ANÇÃ. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais. 16. papers etc. Jurisprudência ou decisões judiciais A ABNT no item “7.2. 2002. Súmulas. p. BRASIL. p.” diz o que jurisprudência ou decisões judiciais compreende(em): “súmulas.016296).1. 10. São Paulo.2. Superior Tribunal de Justiça. da 6a Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. 8). 43). 1994. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil. 4 de março de 1997. n. o “7. Apelação cível nº 42. 103.

São Paulo: CERAVI. “quando se tratar de obras consultadas online”. São Paulo: CERAVI. p. imagem em movimento compreende: “filmes. em razão de idade. 1983. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. data e especificação do suporte em unidades físicas”.9. (ABNT.9. Brasília. Acesso em: 22 dez. 1999. 1983. Não é admissível. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. local.com. restringir. minutos e segundos”. inscrição em concurso para cargo público.2”. NBR 6023. afirmando que “quando necessário. conforme exemplo abaixo: OS PERIGOS do uso de tóxicos. BRASIL.BARROS. Lei no 9.). 9). de acordo com o exemplo a seguir: LEGISLAÇÃO brasileira: normas jurídicas federais. 9). ou seja. Raimundo Gomes de. diretor. bibliografia brasileira de Direito. 8 dez. Para o referido Fórum Nacional de Normatização. 2002. 1 CD-ROM. BRASIL. 53-72. 7.l. 9). Jurisprudência e Pareceres da Previdência e Assistência Social. assim como textos integrais de diversas normas. ed. p. Produção de Jorge Ramos de Andrade.gov. Documento jurídico em meio eletrônico ABNT em seu item “7. v. de 7 de dezembro de 1999.9. 1999. Ministério Público: sua legitimação frente ao Código do Consumidor. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil.html>. Brasília.br/mp_leis/leis_texto. DF. Supremo Tribunal Federal. mais as “informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. In: SISLEX: Sistema de Legislação. ou seja. 1 videocassete (30 min). 2002.asp. 1 videocassete. 1995. escolhidos conforme enquadramento em uma dessas classificações. videocassetes. p. [S.br/jurisnet/sumusSTF.3”.]: DATAPREV. 2002. Altera a legislação tributária federal. . os elementos essenciais são listados da seguinte forma: “título. apresentado entre os sinais < >.2. Revista Trimestral de Jurisprudência dos Estados. Quando se tratar de obras consultadas online. CD-ROM. n. São Paulo.” acrescenta que “as referências devem obedecer aos padrões indicados para documento jurídico. DVD. entre outros”. precedida da expressão Acesso em:” tal data. produtora. NBR 6023. de acordo com 7. son. como no modelo seguinte: OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. é obrigatório acrescentar os elementos essenciais relativos “as informações sobre o endereço eletrônico. ago.in. Inclui resumos padronizados das normas jurídicas editadas entre janeiro de 1946 e agosto de 1999. p. Regulamento dos benefícios da previdência social. Acesso em: 29 nov. produtor.. Disponível em: <http://www.truenetm. 1998.2”. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. color. 139. online etc. (ABNT.10. através do tópico “7. 1999. Outra vez refere.1 a 7. DF: Senado Federal. Imagem em movimento Nas palavras da ABNT. 19. o mesmo padrão usado nas referências de legislação. 1999. (ABNT. aos elementos complementares. Coordenação de Maria Izabel Azevedo. Disponível em: <http://www. VHS. jurisprudências e doutrina.4. conforme ítens anteriores análogos.ld=LEI%209887>.887. Súmula nº 14. proceder-se-á conforme 7. 1 CD-ROM. NBR 6023. por ato administrativo. BRASIL.

mono.. Produção: Martire de Clermont-Tonnerre e Arthur Cohn. Fotografia de Carmem Souza. N. 2002. 2002. R. widescreen. E. título (quando não existir. M. Hotel Porto do Sol São Paulo: ar condicionado e ventilação mecânica: fluxograma hidráulico. 1997. Direção: Walter Salles Júnior. 1996. Intérpretes: Fernanda Montenegro.35 horas. (ABNT. Rutger Hauer. Doença dos xavantes.]: Le Studio Canal. color. diafilme. 1 fotografia. entre colchetes). gravura. Caderno 2. 1980. FRAIPONT.” de Philip K. Edifício Columbus de propriedade de Lamberto Ramengoni à Rua da Paz. Sônia Lira. 1985. serigraf. 108 f. Dick. diapositivo. Los Angeles: Warner Brothers. Matheus Nachtergaele e outros. Vitória. Edward James Olmos e outros. Música: Vangelis. conforme o exemplo a seguir: KOBAYASHI. Amilcar II. 25 cm x 20 cm. color. Gravação de Marcos Lourenço. son. c1991. 10) Mais uma vez. transparência. (ABNT. 1 gravura. João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. material estereográfico.. + 1 cassete sonoro (15 min).10. 2002. a ABNT faz referência aos elementos complementares. p. [S. 1998. Riofilme. deve-se atribuir uma denominação ou a indicação Sem título. conforme ítens anteriores análogos. Vinicius de Oliveira. Produzido por Warner Video Home. O QUE acreditar em relação à maconha. desenho técnico. Plantas diversas. 1 original de arte. NBR 6023. diafilme. color. Desenhista: Pedro. Direção: Ridley Scott..CENTRAL do Brasil. da obra: 1744/96/Folha 10. MACT Productions. Coleção particular. NBR 6023. através do tópico “7. Doença dos xavantes. D2. óleo sobre tela. Coleção particular. MATTOS. 40 cm x 50 cm. Baseado na novela “Do androids dream of electric sheep. K. 1 fotografia. BLADE Runner. R. de acordo com os seguintes modelos: KOBAYASHI.. 1977. Roteiro: Marcos Bernstein. afirmando que “quando necessário. O Estado de S. Sean Young. 10). 15 jul. 1985. p. Visuais. D. 35 mm. Roteiro: Hampton Fancher e David Peoples. gravura. K. 1 fotografia. 46 cm x 63 cm. Documento iconográfico em meio eletrônico Segundo a ABNT. color. Intérpretes: Harrison Ford. Paulo. O referido Fórum lista os elementos essenciais da seguinte forma: “autor. LEVI. 18. 1930-33. transparência. O referido Fórum lista os elementos essenciais da seguinte forma: “autor. central de água gelada. material estereográfico. Marilia Pera. Originais em papel vegetal. color. 1980. ilustração.. Othon Bastos. 9). título (quando não . color. p. São Paulo: CERAVI. São Paulo: CERAVI. Projeto final. SAMÚ. ilustração. Paisagem-Quatro Barras. data e especificação do suporte”. Documento iconográfico Segundo a ABNT. 1 bobina cinematográfica (106 min). 1998. documento iconográfico compreende: “pintura..2”. esquina da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio: n. 22 transparências. cartaz entre outros”.l. DATUM CONSULTORIA E PROJETOS. 1987. O DESCOBRIMENTO do Brasil. cartaz entre outros”. NBR 6023. 1 DVD (117 min). fotografia. Foto apresentada no Projeto ABRA/Coca-cola. diapositivo. fotografia. Produção: Michael Deeley. desenho técnico. (ABNT. São Paulo. 30 nov. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. 31 diapositivos. p&b. p. documento iconográfico compreende: “pintura. 16 cm x 56 cm.

2001. gravura. cartaz entre outros”. Escala 1:600. fazendo referência aos elementos complementares. a orientação da ABNT. STOCKDALE. Anne. 2002. entre colchetes). GEDDES.12. 10). 3. Disponível em: <http://www. Altura: 1083 pixels.com/g/d2002/1-nw/20255. é obrigatório acrescentar os elementos essenciais relativos “as informações sobre o endereço eletrônico. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora.html>. SP). Escalas variam. Largura: 827 pixels. online etc. globo.2”. 1 fotografia. conforme poder-se-á constatar através dos exemplos abaixo: ATLAS Mirador Internacional. (ABNT. Disponível em: <C:\Carol\VASO. local. quando necessário”. 2000.”. Formato TIFF bitmap. fotografia. CD-ROM. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento.5 Mb.existir.TIFF>. desenho técnico. Largura: 376 pixels. [2002. afirmando que “quando necessário. (ABNT.2. que compreende os elementos “pintura.” acrescenta que “as referências devem obedecer aos padrões indicados para” documento iconográfico. 1999. mapa. 1981. Rio de Janeiro: Enciclopédia Britânica do Brasil. Documento cartográfico Para a ABNT. 1 disquete. 1994. Araraquara: Prefeitura do Município de Araraquara. fotografia aérea entre outros.] . editora. Memória fotográfica de Araraquara. “quando se tratar de obras consultadas online”. As referências devem obedecer aos padrões indicados para outros tipos de documentos. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”.TIFF. somados às “informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. 1 fotografia. When’s recess. conforme ítens anteriores semelhantes.3. proceder-se-á conforme 7. BRASIL e parte da América do Sul.). Quando se tratar de obras consultadas online. Eduardo Luiz Veiga. Acesso em: 13 jan. 1 atlas. 11). Os elementos essenciais são listados conforme transcrever-se-á a seguir: “autor(es). Geddes135. NBR 6023. Escala 1:2. Altura: 432 pixels. de acordo com os seguintes modelos: VASO.jpg. São Paulo: Michalany. 1 atlas.2. 1999. 51 Kb. designação específica e escala”. 5 ¼ pol. Formato JPEG. Repete. p. p.000. Paulista com locomotiva elétrica e linhas de bitola larga. INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (São Paulo. Observese os exemplos a seguir: . ou seja. apresentado entre os sinais < >. 300 dpi. 1999. data e especificação do suporte”. color. como exemplo a seguir: ABNT em seu item “7. ESTAÇÃO da Cia. Acesso em: 28 out. data de publicação. René. transparência. título. diafilme. deve-se atribuir uma denominação ou a indicação Sem título. diapositivo.000.webshots. 1981.11. In: LOPES. Compactado. 1 CD-ROM. através do tópico “7. São Paulo. p&b. ilustração. 1mapa. 32 BIT CMYK. documento cartográfico compreende: “atlas. precedida da expressão Acesso em:” tal data. minutos e segundos”. NBR 6023. Regiões de governo do Estado de São Paulo. 2002. material estereográfico.

rodoviário. 1999.000. NBR 6023. proceder-se-á conforme 7. apresentado entre os sinais < >. p. 11). Outros modelos ainda são colocados sobre este assunto na ABNT. GOES-08: SE. 4 e 5. que pode ser um CD-ROM. Escala 1:35. LANDSAT TM 5: imagem de satélite. online etc. 4 e composição colorida 3. podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora.2. escolar. turístico e regional. Documento cartográfico em meio eletrônico A ABNT estabelece que a referência de documento cartográfico em meio eletrônico compreende os elementos essenciais: “autor(es). n. título. 557 Kb. 1 fotografia aérea. ou seja. 1999071318. Escala 1:100. Fx 28. Projeto Lins Tupã: foto aérea. 1 mapa. 1987-1988. Canais 3. Rio de Janeiro. 15. 1 disquete. local. Quando se tratar de obras consultadas online. 1 fotografia aérea. inverno 1994. IR04. Neo Interativa. 11). data de publicação. National Oceanic and Atmospheric Administration. minutos e segundos”. SP). INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (São Paulo..GIF Título do arquivo Itajaí Local UNIVALI Instituição geradora 557 Kb Tamanho do arquivo GOES Denominação do Satélite 08 Número do satélite na série SE Localização geográfica 13 jul. 1920. . (ABNT. color.BRASIL e parte da América do Sul: mapa político.1999 Data da captação 17:45Z Horário zulu IR04 Banda (ABNT. editora.000. é obrigatório acrescentar os elementos essenciais relativos “as informações sobre o endereço eletrônico. São José dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. A referência bibliográfica de documentos cartográficos em meio eletrônico pode variar de acordo com a mídia.000. designação específica e escala”. estude-se e compare-se: NOTA – Informações do arquivo digital: 1999071318. 13 jul. São Paulo: Michalany. (ABNT.2”. 1 imagem de satélite. 2. Escala 1:600. 2002.GIF. NBR 6023. p. precedida da expressão Acesso em:” tal data. color. confira: PERCENTAGEM de imigrantes em São Paulo. mais às “informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes. uma homepage etc.). CD-ROM. 1 CD-ROM. 79 cm x 95 cm. Itajaí: UNIVALI.1986. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. 2002. 1981. “quando se tratar de obras consultadas online”. p. como no exemplo seguinte: ESTADOS UNIDOS. São Paulo. NBR 6023. 3 ½ pol. 11). n. 1999. 1 mapa. Escala indeterminável. 2002. Um segundo exemplo acerca deste mesmo tópico é referenciado com as informações de um arquivo digital em forma de tabela. 17:45Z.

SILVA. p1988. (ABNT. 1 disco sonoro. 33 1/3 rpm. Toque macio. 11). Rio de Janeiro: CBS. 1 mapa. p. 1 disco sonoro. São Paulo: RCA Victor. Jura secreta. p1988. estereo. A. mas veja-se os modelos: ALCIONE. documento sonoro em parte compreende: “partes e faixas de documentos sonoros”. [S. CD (compact disc). São Paulo: RCA Victor.l.jpg>.]: Emi-Odeon Brasil. Garcia. 40 min). cassete. Escala 1:40. entre outros”. Ouro e cobre. 12). Acesso em: 15 jan. NBR 6023. 1 CD. p. In: SIMONE.14.diba. Luiz Inácio Lula da. 2002. intérprete(s) da parte (ou faixa de gravação). (ABNT. MPB especial. 1988. faixa 1. FAGNER.13. 2002. No final da referência.. É redundante o tópico “7. seguidos da expressão In:.ufl. O item “7. GINO.000. local. NBR 6023. Face a face.2. Disponível em: <http://www. 1 cassete sonoro (60 min). Disponível em: <http://www. c1995. [S. Remasterizado em digital. afirmando que “quando necessário.l. Ouro e cobre. documento sonoro no todo compreende: “disco. e da referência do documento sonoro no todo. NBR 6023. p. que faz referência aos elementos complementares. data e especificação do suporte”. título. [2000. Faixa 7. 2 cassetes sonoros. p1977. S. 2002.]. Documento sonoro em parte Para a ABNT. (ABNT. 12 pol. Documento sonoro no todo Para a ABNT.. 2002.]: Emi-Odeon Brasil. 2002. Direção artística: Miguel Propschi. São Paulo: SENAI-SP. 1991. p1977. Lado A. afirmando que “quando necessário. MAPA de Ubicación: vista ampliada.flmnh. deve-se informar a faixa ou outra forma de individualizar a parte referenciada”. Revelação. Escala indeterminável. Acesso em: 13 jan. Os elementos essenciais são listados conforme transcrever-se-á a seguir: “compositor(es) ou intérprete(s). 2002. A. rolo. Ouro e cobre. conforme padrão apresentado: COSTA. 1 disco sonoro (45 min). SIMONE. 3 ¾ pps. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o .FLORIDA MUSEUM OF NATURAL HISTORY.” da ABNT faz referência aos elementos complementares.000. 1 CD (ca. conforme foi mencionado inúmeras vezes em ítens anteriores análogos. São Paulo: RCA Victor. Face a face. c2001. Gainesville. conforme poder-se-á verificar através do modelo seguinte: ALCIONE. color. 1991].org/turismo/hoteles/ushuaia/ ubicacion2. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”. título. Intérprete: Simone.” da ABNT. color. 1 mapa. [Rio de Janeiro]: Globo: Movieplay. Entrevistadores: V. In: ALCIONE. R.edu/fish/Sharks/statistics/Gattack/map/Br azil. SILVA. 12). p. Entrevista concedida ao Projeto Memória do SENAI-SP.htm>. (ABNT. NBR 6023. Buenos Aires: Dirección de Salud y Acción Social de la Armada. 12). Os elementos essenciais são listados na seguinte ordem: “compositor(es). Tremel e M. estereo. 1 CD. 1931-2000 Brazil’s confirmed unprovoked shark attacks. Intérprete: Alcione. gravadora (ou equivalente).2. Luiz Inácio Lula da Silva: depoimento [abr. p1988.

Béla. 1 partitura (23 p.documento”.2. Analise-se como fica: GINO. Acesso em: 5 jan. Wien: Universal. 1851. NBR 6023.” da ABNT.). esqueletos. como no exemplo a seguir: DUCHAMP. Luciano (Org. (ABNT. Canções populares brasileiras. O mandarim maravilhoso.br. Piano. data. 12). 1 partitura. Tiago. apresentado entre os sinais < >. 12). (ABNT. 1952. Marcel. Piano. p. Orquestra. objetos e suas representações (fósseis. p. 2002. objetos de museu. Disponível em: <http://openlink. acrescidos dos elementos complementares.. que partitura em meio eletrônico compreende os elementos essenciais listados na ordem a seguir: “autor(es). deve-se atribuir uma denominação ou a indicação Sem título. monumentos entre outros)”. 2002. designação específica e instrumento a que se destina”. MOCOTÓ. título. Marcos. 2002. NBR 6023. Béla. conforme o exemplo seguinte: OLIVA. O mandarim maravilhoso: op. Os elementos essenciais são listados na ordem a seguir: “autor(es). Toque macio. . designação específica e instrumento a que se destina”. 12). podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. Fervilhar: frevo. Os elementos essenciais são listados na ABNT. 33 1/3 rpm. 1 disco sonoro (45 min). 19. título (quando não existir. In: ALCIONE. além dos elementos essenciais relativos “as informações sobre o endereço eletrônico. Documento tridimencional Nas palavras da ABNT. A. cuja dicção do tópico “7. 12 pol. documento tridimencional compreende: “esculturas. local. 1952. Veja-se agora. título. quando for possível identificar o criador artístico do objeto. htm>. 1 partitura. compreende: “partituras impressas e em suporte ou meio eletrônico”. 1 escultura variável. Partituras impressas em suporte ou meio eletrônico Para a ABNT. NBR 6023. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”: BARTÓK. p1988. 2002. NBR 6023. Direção artística: Miguel Propschi. Escultura para viajar. GALLET. [19--. Ouro e cobre. 1918. data. data e especificação do objeto”. conforme transcrever-se-á a seguir: “autor(es). 12). Lado A. estereo.]. 1 partitura. entre colchetes). Partitura em meio eletrônico Estabelece a ABNT. editora. Rio de Janeiro: Carlos Wehns. local. estabelece que “quando necessário. p. editora. São Paulo: RCA Victor. de acordo com o exemplo abaixo: BARTÓK. minutos e segundos”. 2002. p.net/picolino/partitur. precedida da expressão Acesso em:” tal data. (ABNT.15. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. Orquestra. Intérprete: Alcione. como mencionado inúmeras vezes em tópicos anteriores semelhantes. (ABNT. Wien: Universal.inter. maquetes. animais empalhados. faixa 1 (4 min 3 s).).

CA. 1998. ALLIE‟S play house. p.2. título do serviço ou produto. 1 CD-ROM. p. Disponível em: <http://www. do tópico “7. Palo Alto.os elementos complementares: “para melhor identificar o documento”: MICROSOFT Project for Windows 95: project planning software. 1993. pegador de tampa em formato de fruto. “quando se tratar de obras consultadas on line”. ÁCAROS no Estado de São Paulo. minutos e segundos”. BULE de porcelana: família rosa. NBR 6023. com os elementos complementares. Biblioteca Central. Acesso em: 30 maio 2002. Palo Alto. 1 CD-ROM.1. 1993. . podendo ser “opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora. (ABNT.16. NBR 6023. 1995. p. 2002.2. 1 escultura variável. 1 bule. p. apresentado entre os sinais < >. [S. borracha colorida e cordel. o tópico “7.: MPC/ Opcode Interactive. Tradução de: Sculpture for travelling. Escultura para viajar.org. 1995. Coleção de Arturo Schwarz.]: Microsoft Corporation. Documento de acesso exclusivo em meio eletrônico ABNT em seu item “7. 13). Biblioteca Central. NBR 6023.doc. 13). decorado com buquês e guirlandas de flores sobre fundo branco. versão (se houver) e descrição física do meio eletrônico”. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Marcel. 18--].]: Microsoft Corporation. [S. Curitiba. listas de discussão. 2002. arquivos em disco rígido. AVES do Amapá: banco de dados. acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento”: DUCHAMP. precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento. Version 4. Version 4.17. Word for Windows 7. precedida da expressão Acesso em:” tal data. programas. Original destruído. 1918. 2002. além de “a respectiva extensão à denominação atribuída ao arquivo” e “as informações sobre o endereço eletrônico.l. Base de Dados Tropical.” afirma que documento de acesso exclusivo em meio eletrônico compreende: “bases de dados.doc: normas para apresentação de trabalhos.0. Curitiba.: MPC/ Opcode Interactive.1. Cópia por Richard Hamilton. ALLIE‟S play house. Da mesma forma que em outras referências. 1 CD-ROM. BBS (site). Windows 3. Disponível em: <http://www. 3 ½ pol. 13). ainda.fat. estabelecendo que “quando necessário. 5 disquetes. Os elementos essenciais são listados conforme transcrever-se-á a seguir: “autor(es).bdt.17. 1985. conjuntos de programas e mensagens eletrônicas entre outros”. Normas.1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ.BULE de porcelana. CA. Normas. conforme os seguintes padrões: MICROSOFT Project for Windows 95. NBR 6023. feita por ocasião da retrospectiva de Duchamp na Tate Gallery (Londres) em 1966. 13) (ABNT.bdt. 5 disquetes. In: FUNDAÇÃO TROPICAL DE PESQUISAS E TECNOLOGIA “ANDRÉ TOSELLO”. (ABNT. [China: Companhia das Índias. Acrescenta-se. Veja-se agora.” da ABNT. estabelece como devem ser inseridos – quando necessário .l. (ABNT. 1998. 1 CD-ROM. Acesso em: 30 maio 2002.org/bdt/avifauna/aves>.” da ABNT.br/acaro/sp/>. 2002.

o mesmo padrão para abreviação de nomes e sobrenomes. em maiúsculas. 2002. HENRIQUES. ainda. e continua: “mensagens trocadas por email têm caráter informal. Acesso em: 25 nov. p. Ciência criminal. e desaparecem rapidamente.br/galeria>. Fichas para MARC [mensagem pessoal]. Acesso em: 27 nov. S. interpessoal e efêmero. São Paulo: Scipione. GALERIA virtual de arte do Vale do Paraíba.br> em 12 jan. Marinho. Disponível em: <http//www. Acesso em: 27 nov.2.com. além de dever os nomes ser “separados por ponto-e-vírgula. Desenvolvido pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. CIVITAS. 1998. (ABNT.gcsnet. M. 1998. 1998. ao(s) “autor(es). seguido de espaço”.com. Disponível em: <lisserv@bdt. Considere-se os exemplos dados: ALVES.virtualvale. CHAVES. p. 1.br>. Curso de direito jurídico.. 1995. M. Disponível em: <http://www. Ainda há uma recomendação dada em nota pela ABNT que diz o seguinte: “as mensagens que circulam por intermédio do correio eletrônico devem ser referenciadas somente quando não se dispuser de nenhuma outra fonte para abordar o assunto em discussão”. não sendo recomendável seu uso como fonte científica ou técnica de pesquisa”. 1995-1998. PASSOS. 1998. São José dos Campos: Fundação Cultural Cassiano Ricardo. GALERIA virtual de arte do Vale do Paraíba. 14). P. Alegria de saber: matemática.BIONLINE Discussion List. 1998. segundo a ABNT em seu item “8. M. de modo geral.1. ALMEIDA. Antonio. usados na mesma lista de referências”. DAMIÃO. 1995. São Paulo: Atlas.br/oamis/civitas>.virtualvale. primeiro grau: livro do professor. Acesso em: 27 nov. A “seção 7” é a correspondente àquela denominada “normas para referenciação bibliográfica” e suas possibilidades de enquadramento. L. 1998. 136 p. NBR 6023. 2002. Disponível em: <http://www. São José dos Campos: Fundação Cultural Cassiano Ricardo.org.1.com. pessoais e/ou de entidades. 14) introduz sua seção correspondente a esta da seguinte maneira: “os padrões indicados nesta Norma para apresentação dos elementos que compõem as referências aplicam-se a todos os tipos de documentos (ver seção 7)”. p.”.1. Rio de Janeiro: Forense. Regina Toledo. Roque de Brito. 13). deve ser utilizado o Código de Catalogação Anglo-Americano vigente” e.com. FONSECA. 2002. Apresenta textos sobre urbanismo e desenvolvimento de cidades. .br/galeria>. Normas para transcrição dos elementos em referenciação bibliográfica A ABNT (NBR 6023.. A referida norma recomenda que “para indicação da forma correta de entrada de nomes. Mensagem recebida por <mtmendes@uol. List maintained by the Bases de Dados Tropical. 2. seguido do(s) prenome(s) e outros sobrenomes. 1995. (ABNT. abreviado(s) ou não”. 2002. segunda série. Apresenta reproduções virtuais de obras de artistas plásticos do Vale do Paraíba. Coordenação de Simão Pedro P. Apresenta reproduções virtuais de obras de artistas plásticos do Vale do Paraíba. NBR 6023. BDT in Brasil. M. pelo último sobrenome. Autoria em referências Compreende(em)-se. A. “tanto quanto possível.

2002. 2005.1. Número da edição. por extenso”. Metodologia do trabalho científico. 22. Curitiba. ampl. 1. empresas. pelo seu próprio nome. 2002. 2005. 14). Neide Aparecida de Souza. Fazer universidade: uma proposta metodológica. e ampl. ed. 467 p. 1979. Constituição de uma matriz de contabilidade social para o Brasil. apenas exemplificou: BARROS. 2005.1.”. Catálogo de teses da Universidade de São Paulo.1. Nome do Autor. aconselha que “quando existirem mais de três autores. 1. ANÇÃ. a norma. Curitiba: Associação Bibliotecária do Paraná. indicação de produção científica em relatórios para órgãos de financiamento etc. 38).1.2. NBR 6023.4. 10. 38). Aidil Jesus Paes de.1. em nota. Rio de Janeiro. São Paulo: Cortez.1. seminários etc. Anais. Autor único Neste ponto. estabelece que “as obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais. A. São Paulo: Cortez. 1994.. (BRAZIELLAS. CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO. p. Veja-se o exemplo fornecido pela norma UGF: LUCKESI. p.). 13. rev. (ABNT. 1979. p.1.) têm entrada. et al. a norma UGF. Os padrões de referência são fornecidos abaixo: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Mais de três autores A ABNT em seu item “8.”. 2003.2.1. Autor entidade A ABNT em seu item “8. ANÇÃ. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. (ABNT. a norma UGF (BRAZIELLAS. 2002. NBR 6023.1. 2005.3.2. LEHFELD. p. 2000. ano. é facultado indicar todos os nomes”. na espécie “livros usados como um todo” divide este tópico em dois: “autor único” e “dois ou três autores”..1. ed. indicase apenas o primeiro. associações. 2002.2. São Paulo. ed. ANÇÃ. Título do livro: subtítulo (se houver). 38).1. 38). congressos. 1. 1992. conforme esta subdivisão: 1. p. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. São Paulo: Makron Books. como ver-se-á adiante: SOBRENOME. (BRAZIELLAS.. Brasília. de modo geral. apenas fornece um modelo de referência. ANÇÃ. Cipriano Carlos et al. Cidade: Editora. 1993. nos quais a menção dos nomes for indispensável para certificar a autoria. SEVERINO. DF: IPEA.2. . acrescentando-se a expressão et al” e. observa que “em casos específicos (projetos de pesquisa científica. 15). 2. Antônio Joaquim. O modelo de referência pode ser visto a seguir: URANI.1.1. Dois ou três autores Conforme seção precedente. (BRAZIELLAS.2. 3 v. p.Aqui. tratando dos “casos mais comuns de referenciação bibliográfica”.

1994. entre parênteses”. 1. Outra recomendação é feita para “quando a entidade. Brasília. BIBLIOTECA NACIONAL (Portugal).6. João Augusto.1. conforme o modelo: MÁTTAR NETO. 2002. Metodologia científica na era da Informática. Pátria amada: o Brasil em poemas. Em caso de duplicidade de nomes. DF. como poder-se-á ver a seguir: CASTELLO BRANCO. 1.1. Quando o brincar é dizer não: a experiência psicanalítica na infância. 39).7.1. 2005. (BRAZIELLAS. São Paulo: Saraiva.8. Fernando Andrés.1. NBR 6023. Relatório da Diretoria-Geral: 1984. Rio de Janeiro: BNDES. ANÇÃ. ANÇÃ. 28 p. (ABNT. ainda. (BRAZIELLAS. vinculada a um órgão maior. 1995. SANTA ROSA. (BRAZIELLAS. (BRAZIELLAS. 2002.1. de acordo com o padrão seguinte: BLANCO COSSIO. O 24 de julho de 1833 e a guerra civil de 18291834.Observa. Renato. esforço fiscal e gasto público no federalismo brasileiro. Lisboa. Secretaria do Meio Ambiente. 1985. seu nome é precedido pelo nome do órgão superior. 2005. Petrópolis: Vozes. Ministério da Justiça. exemplificando da seguinte forma: BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). 38). 1. p. Rio de Janeiro. Queiroz. exemplificando assim: SÃO PAULO (Estado). 40 p. p. p.5. 2002). ANÇÃ. que “quando a entidade tem uma denominação genérica.2. 95 p. Íris Barbosa (Org. 15). A educação na perspectiva construtivista. Disparidades econômicas internacionais. 1993. ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence”. fornecendo o exemplo abaixo: GOULART. Diretrizes para a política ambiental do Estado de São Paulo. (ABNT. p.1. p. Eliza. São Paulo: T. ANÇÃ.). Autor de sobrenome composto Novamente a norma UGF acrescenta à ABNT (NBR 6023. 2002. Autor organizador ou coordenador Acrescenta a norma UGF a classificação “autor organizador ou coordenador”. capacidades de recursos tributários. ed. através da categoria “sobrenome composto”. Relatório de atividades.1.2.1. Autor organizador com partícula de parentesco no sobrenome Outra contribuição da norma UGF é a que exemplifica a classificação “autor com partícula de parentesco no sobrenome”. p. tem uma denominação específica que a identifica. . 15).2. Autor de nome espanhol Mais uma colaboração da norma UGF é a que estabelece a classificação “autor de nome espanhol”. 38). BRASIL.2. São Paulo. 2. esclarecendo. 1998. 1983. 35 p. a entrada é feita diretamente pelo seu nome. 38). NBR 6023. 1993. 1993. Rio de Janeiro: Reluma-Dumará. 2005. 1. 2005. deve-se acrescentar no final a unidade geográfica que identifica a jurisdição.

3. 1999. a visão da ABNT (NBR 6023. São Paulo: Atlas. 2005. 2005. 1990. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro. o modelo abaixo: PICHON-RIVIÈRE. 39). 2005. sob o título “autor entidade”. que estabelece. (BRAZIELLAS. ANÇÃ. associações. 6. (BRAZIELLAS.1. . O jornalismo como gênero literário. Viçosa. foi referido na seção “5. ao estabelecer a categoria “livro editado pelo autor (pessoa física ou instituição)”. Livro editado pelo autor (seja ele pessoa física ou instituição) A norma UGF amplia. 64 p. p. por extenso”.11. 15).”.10.12. para pessoa jurídica. 39). 2002. Neste trabalho. afirmando que “em caso de autoria desconhecida.4. para esse caso. 1998.) têm entrada. NBR 6023. (ABNT. (BRAZIELLAS. 1996.1.1. seminários etc. empresas. de modo geral. Tristão de.1. Filosofia da linguagem. 1998. MG. ed. HRYNIEWICZ.1. 1. ed.1. ANÇÃ. Teoria do vínculo. ANÇÃ.1. a entrada é feita pelo título.3. congressos. 2005.1. 2002.9. Autoria desconhecida A ABNT institui a presente categoria.1. Catálogo de graduação: 1994-1995. Severo. Autor(es) de sobrenomes ligados por hífen Outro esclarecimento da norma UGF é a categoria “sobrenomes ligados por hífen”. 39). pelo seu próprio nome. p.2. em seu item “8.2. Rio de Janeiro. através dessa categoria.2. conforme padrão a seguir: DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. compare-se: CONTROLE interno das empresas. O estabelecido acima é semelhante ao modelo proposto pela norma UGF para o tópico nomeado de “sem autoria”. p. São Paulo: EDUSP. nas seguintes palavras: “as obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais. 1993. O termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido”. 15) quanto à pessoa física: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. 1.1. 10. Como já visto anteriormente. ANÇÃ. (BRAZIELLAS. Enrique. p. existe a categorização por nome do “autor entidade”.2. p. conforme o padrão abaixo: ATHAYDE. Autoria de obra publicada sob pseudônimo Este tópico representa outro acréscimo e esclarecimento efetuado pela norma UGF ao estabelecer a categoria “obra publicada sob pseudônimo”.1.2. 1.”. São Paulo: Martins Fontes. 39). p.

mesmo que algum aspecto pareça estranho”. Uso de citação e normas de rodapé A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS estabeleceu a norma NBR 10520 para se fazer apresentação da citação de informação e documentação em documentos e trabalhos científicos. 3.3 citação direta: Transcrição textual de parte da obra do autor consultado. 1).5 notas de referência: Notas que indicam fontes consultadas ou remetem a outras partes da obra onde o assunto foi abordado. a desconstrução do logocentrismo não é uma psicanálise da filosofia [. tomo(s) ou seção (ões) da fonte consultada. p. 2002. podendo também aparecer na margem esquerda ou direita da mancha gráfica.]” (DERRIDA. p. que o(s) caracteriza.1. a expressão sic entre colchetes [sic] que significa assim mesmo ou segundo informações colhidas.7 notas explicativas: Notas usadas para comentários. como no exemplo a seguir: A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada. 1967. conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982). 3. para chamar a atenção do leitor”. observações ou aditamentos ao texto feitos pelo autor. “as chamadas pelo sobrenome do autor. de forma abreviada” e deixa de forma facultativa para as citações indiretas a indicação da(s) página(s) consultada(s). 3. podendo vir dentro do texto ou em nota de rodapé. 3.4 citação indireta: Texto baseado na obra do autor consultado. A ABNT informa que as citações não são sempre da mesma forma. p. Outro importante esclarecimento trazido através da ABNT é que se deve “especificar no texto a(s) página(s). tradutor ou editor. separado(s) por vírgula e precedido(s) pelo termo.”. (ABNT. 293).2 citação de citação: Citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original. pela instituição responsável ou título incluído na sentença devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e. é necessário registrar. NBR 10520. ANÇÃ. logo após o fato merecedor de correção. quando estiverem entre parênteses. 3. fornecendo os seguintes padrões: .3.6 notas de rodapé: Indicações. 2005. A partir de seu item “3. A norma UGF (BRAZIELLAS. volume(s). “Apesar das aparências. 47) bem observa que “fazer uma citação direta significa transcrever palavras de outrem. 2002. Quanto à apresentação. devem ser em letras maiúsculas” nas citações estabelecidas na ABNT.1 citação: Menção de uma informação extraída de outra fonte.. (ABNT. 2). esclarece a referida norma que “neste caso. que não possam ser incluídos no texto. No caso de haver uma palavra escrita de forma incorreta ou qualquer outro tipo de problema observado. p. 3. Este(s) deve(m) seguir a data. nas citações diretas. esclarecimentos ou explanações.1. NBR 10520. estabelece as definições seguintes: 3. com todas as características do texto original..

. 2002. O aluno deve ficar atento: colchetes com três pontinhos são usados para supressões. em 1928 (MUMFORD.] (ASSIS.. Oliveira e Leonardos (1943. . p. devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda. Se no interior de uma citação encontra-se uma citação de terceiros.." Meyer parte de uma passagem da crônica de “14 de maio”. p.. que a regente sancionou [. ou seja. sem colchetes indicativos de cortes. (ABNT. (ABNT.. p. 2).. telefone. 72). p.] ativos [. devem ser usadas as “aspas simples”. quando aparecem aspas no interior da citação. utilizando a companhia local de telefone. 181).] por meio da mesma „arte de conversação‟ que abrange tão extensa e significativa parte da nossa existência cotidiana [. uso da fonte 10 e espaço simples.]” (ABNT. com deslocamento de quatro centímetros a partir da margem do papel. deve-se observar apenas o recuo”. 2002.A produção de lítio começa em Searles Lake. e computador. Quanto às “supressões. sem aspas. (ABNT. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso da televisão. fornecendo os seguintes modelos: Barbour (1971. v. 1985. ênfase ou destaques”.2” estabelece que “devem estar contidas entre aspas duplas” e. acréscimos ou comentários: [ ] c) ênfase ou destaque: grifo ou negrito ou itálico.. 2002. NBR 10520. 1993.]” ou “Não se mova. acréscimos ou comentários e para dar ênfase ou destaque. as de maior extensão são transcritas em destaque. também chamadas citações curtas. BONNIN. 2).. como parte do texto produzido. colchetes vazios servem para as interpolações. NBR 10520.. 27): “[. 513).” (CLARAC. escolhese entre grifo ou negrito ou itálico. as aspas duplas no trecho correspondente são substituídas por aspas simples („ ‟). 48). em que o Senado votou a lei. ANÇÃ. no texto. p. Neste trabalho. opta-se pela segunda forma. faça de conta que está morta. Califórnia. 146) dizem que a "[. p. comentários. com mais de três linhas. naquele domingo de 1888. p.. 2005.. um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão. No caso de documentos datilografados. 583). Quanto às citações diretas no próprio texto.. 1949. interpolações. A norma UGF também trata desse conteúdo assim: As citações diretas de até três linhas são colocadas entre aspas duplas. Quanto às “citações diretas. o item “5. veja-se o modelo: A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. 35) descreve: “O estudo da morfologia dos terrenos [. 2002. p. 1994. p. a ABNT recomenda que devem ser feitas conforme modelo a seguir: a) supressões: [. Segundo Sá (1995.] b) interpolações. p. Através de áudio-conferência. (BRAZIELLAS. (NICHOLS. p. p. esse tipo também é conhecido por “citação longa”. 2). com letra menor que a do texto utilizado e sem as aspas. de A Semana: “Houve sol. NBR 10520.] relação da série São Roque com os granitos porfiróides pequenos é muito clara. 3. e grande sol. 2)... o texto vem entre aspas simples. NBR 10520.

colocada entre parênteses.” (SEVERINO. grifo pessoal). “As citações são os elementos retirados dos documentos pesquisados [. no original. em nota de rodapé”.. principalmente quando. a expressão informação verbal. “Também já existem no Brasil alguns repertórios bibliográficos de boa qualidade. vá até o menu “inserir” e depois “notas”. mas. em geral.] que se revelam úteis para corroborar as idéias desenvolvidas pelo autor no decorrer do seu raciocínio.] colocada entre aspas [quando não ultrapassar três linhas]. registrando a expressão: grifo pessoal após a referência da fonte bibliográfica de chamada da citação. 2002.. conforme a figura a seguir: Inserção de notas de rodapé Um bom exemplo dado pela ABNT é o de “quando se tratar de dados obtidos por informação verbal (palestras. “[.] a citação. ainda.] colocados na parte do texto onde ocorreram. p. entre parênteses. que devem “indicar. destacar alguma palavra ou expressão em texto citado. deve ser [.. grifo do autor). p. quando literal.” (SEVERINO. mas de presença necessária para facilitar a compreensão da mensagem.” O autor do trabalho acadêmico pode. pouco conhecidos e utilizados. p.. observe-se: O texto citado pode ser transcrito com supressão de partes. Se o destaque já fizer parte do texto transcrito usa-se a expressão grifo do autor. 2002. 106. Segundo Severino (2002. desde que o corte não lhe prejudique o sentido.. debates. ANÇÃ.. 107). Para inserção de notas de rodapé em um editor de texto deve-se seguir os seguintes passos: com o cursor do mouse na posição em que se quer inserir a nota de rodapé. acréscimos e comentários são registrados também entre colchetes [ ] no espaço adequado. (BRAZIELLAS.)”. bem como receber acréscimos esclarecedores da construção frasal. 47-48). 2005.. como pode-se estudar a seguir: . houver elementos ocultos reconhecíveis no contexto da leitura. 197. mencionando-se os dados disponíveis. Os cortes são indicados por reticências entre colchetes [. p..A norma UGF também trata desse assunto. comunicações etc.

Já a norma UGF explica que “como o texto acadêmico é redigido em língua portuguesa. [os textos transcritos] . em outubro de 2001. “[. 1962. da seguinte forma: “Ao fazê-lo pode estar envolto em culpa. após a chamada da citação. p. 2002. entre parênteses” e alerta que em se tratando de “casos especiais. grifo do autor). em nota de rodapé”. o item “5. p. séculos XIX e XX (em fase de elaboração)1. Smith no Congresso Internacional de Engenharia Genética. NBR 10520. v. 2002.. (ABNT. NBR 10520. após a chamada da citação. disponibilizando os modelos a seguir: “[.” (RAHNER.. estabelecendo que neste caso. grifo nosso). segue-se “a expressão tradução livre (sem negrito) após a indicação correta da fonte. indicando-se os dados disponíveis. p. a ser editado pela EDIPUCRS. fornecendo o seguinte exemplo: No texto: Os poetas selecionados contribuíram para a consolidação da poesia no Rio Grande do Sul. mas alerta que “este critério não se aplica a dados obtidos em pesquisa de campo.” (BRAZIELLAS. entre parênteses”. 2002. 46. 3). misérias. 463. p. perversão. tradução nossa). O item “5.7. a ABNT estabelece que “quando a citação incluir texto traduzido pelo autor. v.] b) desejo de criar uma literatura independente. p. diversa.” é especialmente esclarecedor para o aluno de graduação. 2002... p. 49). 1993. 3).. que diz: “na citação de trabalhos em fase de elaboração. No rodapé da página: _________________ 1 Notícia fornecida por John A. 1916. aparecendo o classicismo comomanifestação de passado colonial [. 2). debates entrevistas) para enriquecer os fundamentos teórico-práticos do trabalho” que se deve incluir “a titulação ou cargo acadêmico do entrevistado ou palestrante”. 2. deve-se destacá-los indicando esta alteração com a expressão grifo nosso entre parênteses. as citações que forem transcritas de material publicado em língua estrangeira devem ser traduzidas”. 2005. 12. a expressão tradução nossa.” afirma: “para enfatizar trechos da citação. No rodapé da página: _________________ 1 Poetas rio-grandenses. p. É muito comum em monografias do aluno traduzir um texto estrangeiro.]” (CANDIDO.” (SOUTO. (ABNT. 4. quer physicos quer moraes. NBR 10520. Ainda quanto à ênfase. NBR 10520..] para que não tenha lugar a producção de degenerados. de autoria de Elvo Clemente. em Londres. ódio de si mesmo [. (ABNT.. 3). Para esse propósito.. ou grifo do autor. verdadeiras ameaças à sociedade. A norma UGF acrescenta para o caso “de o aluno precisar fazer alusão a dados obtidos por informação verbal (palestras.6.O novo medicamento estará disponível até o final deste semestre (informação verbal)1. 2002. deve ser mencionado o fato. (ABNT. caso o destaque já faça parte da obra consultada”.] pode julgar-se pecador e identificar-se com seu pecado. ANÇÃ. deve-se incluir. p. de vez que.

. p. p. p. seguindo-se as demais informações”. como nos estudos lingüísticos especializados” e “[. bem como uma evolução no seu próprio processo de formação profissional científico. acrescida da(s) página(s). 2002. 3). 100). são os cépticos).] quando a versão original tenha algum particular interesse. 48). observe-se: Em qualquer tipo de citação é exigida a indicação da fonte de onde foi retirado o material transcrito. 2002) define o sistema autor-data (sobrenome do autor. deve ser seguido consistentemente ao longo de todo o trabalho. LEHFELD. um. indica-se a data. 2005. não aparecer na sentença será colocado dentro dos parênteses. podendo ser espontânea (falta de estudo pró e contra) refletida (resulta de estudo do que é contra e a favor). 3). entre parênteses.. usando o método) e universal (considera tudo como errado. Sistema de chamada A norma UGF é perfeita ao comentar esse assunto. A norma UGF bem observa que “isto significa registrar. 32) assinala "[. 2002. A ABNT prevê duas possibilidades para a indicação da fonte que fora retirado o material citado. 2002. “Os debates sobre os caminhos utilizados para a investigação favorecem um aprendizado. p. número da página) para o registro das fontes bibliográficas das citações e o sistema numérico para registro das notas explicativas de rodapé. ANÇÃ. p. dois ou três sobrenomes.. propondo que “as citações devem ser indicadas no texto por um sistema de chamada: numérico ou autor-data”. 2005. mas “qualquer que seja o método adotado.. (BRAZIELLAS. (BRAZIELLAS. Apreenda-se o modelo dado: Em Teatro Aberto (1963) relata-se a emergência do teatro do absurdo.” (NBR 10520. 108)”.podem ser mantidos no original. registrar apenas o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão et al” e “se o sobrenome do autor. Segundo Morais (1955. de modo geral. ano da publicação da fonte. NBR 10520. A norma UGF e a ABNT concordam que “quando o(s) nome(s) do(s) autor(es). 48-49). permitindo sua correlação na lista de referências ou em notas de rodapé”. metódica (dúvida sobre o que é tido como certo. sugere-se a expressão online em substituição ao número da página. se a citação for direta. a norma UGF recomenda que seja suprimido o(s) número(s) de página(s): . p. No caso de transcrição de material retirado de texto disponibilizado pela internet. grafado com todas as letras maiúsculas. p.] a presença de concreções de bauxita no Rio Cricon. ou correspondente. 41) afirma: A dúvida significa um produto de equilíbrio entre afirmar e negar. conforme o caso. ela pode muito bem figurar em nota de rodapé. p. ANÇÃ." (ABNT.‟ (SEVERINO. fornecendo os seguintes exemplos: Santos (2000. A ABNT (NBR 10520. 2000. Quanto às citações indiretas. instituição(ões) responsável(eis) estiver(em) incluído(s) na sentença.”(BARROS. quando se tratar de mais de três.

C. 1959) (BARBOSA. como no exemplo: De acordo com Reeside (1927a) (REESIDE. como no modelo seguinte: (DREYFUSS. permitindo sua correlação na lista de referências ou em notas de rodapé”. PAIVA. 1998. 2002. O. 1999). (ABNT. o que contraria a tese preconceituosa segundo a qual crianças de classes populares não são capazes de aprendê-lo.4” trata das “citações indiretas de diversos documentos da mesma autoria.. NBR 10520. p. 2002. p. 1995) (CRUZ.1. O item “6. Trata-se de coincidência de prenomes de autores: “quando houver coincidência de sobrenomes de autores. COSTA. sob a forma de “demanda coletiva”. propondo que “as citações devem ser indicadas no texto por um sistema de chamada: numérico ou autor-data”. 1991. podendo ainda ter sido “publicados num mesmo ano”. em ordem alfabética”. 1927b) (ABNT. Outra regra imposta pela norma é que “as citações indiretas de diversos documentos de vários autores. 1991). em ordem alfabética. 1989. p. mencionados simultaneamente. A escola tem como objetivo ensinar o português padrão. conforme a lista de referências”. Outro caso particular diz respeito a se ter “diversos documentos do mesmo autor” para citação. se mesmo assim existir coincidência. (BRAZIELLAS. deve ser seguido consistentemente ao longo de todo o trabalho.1. Considere-se os exemplos dados: (BARBOSA. ANÇÃ. NBR 10520. p.Na citação indireta exclui-se o número da página. 3).1. Cássio. acrescentam-se as iniciais de seus prenomes. a ABNT prevê duas possibilidades para a indicação da fonte que fora retirado o material citado. conforme o padrão de referência a seguir: Ela polariza e encaminha. 1984. p. Se o sobrenome do autor não aparecer no texto. sugerindo a referida norma que sejam “distinguidas pelo acréscimo de letras minúsculas. Um caso particular interessante é relatado na ABNT. 1997. 49). Diversos autores salientam a importância do “acontecimento desencadeador” no início de um processo de aprendizagem (CROSS.. após a data e sem espacejamento. 1999. NBR 10520. 2000) (ABNT. 4). 1965) (ABNT. 3).3. 3). 2002. devem ser separadas por ponto-e-vírgula. 2005. colocando-se o ponto final após o fechamento do mesmo. publicados em anos diferentes e mencionados simultaneamente. Sistema numérico . 2002. CORREA. a referência fica inclusa no mesmo. 1965) (BARBOSA. Estas regras são tão importantes que serão objeto das próximas subseções: 1. entre parênteses. 1958) (BARBOSA. 1997). mas “qualquer que seja o método adotado. Segundo Possenti (1999) a escola tem como objetivo ensinar o português padrão. têm as suas datas separadas por vírgula”.1. 1986. MEZIROW. KNOX. SILVA. NBR 10520. o que contraria a tese preconceituosa segundo a qual crianças de classes populares não são capazes de aprendê-lo (POSSENTI. Celso. as necessidades de todos (FONSECA. Conforme já se disse anteriormente. colocam-se os prenomes por extenso”. 1997.

2002. (ABNT. Agora o segundo: No texto: Bobbio (1995. alinhada ao texto. 4). p. seguido(s) da data de publicação do documento e da(s) página(s) da citação” e “no caso de citação direta. São Paulo: Ícone. ou situada pouco acima da linha do texto em expoente à linha do mesmo. semelhante equacionamento do problema conteria o risco de se considerar a literatura meramente como uma fonte a mais de conteúdos já previamente disponíveis. 2002.1. em outros lugares.3. 30) com muita propriedade nos lembra. conforme os exemplos seguintes: Diz Rui Barbosa: "Tudo é viver. até porque. Norberto. p. 4). A ABNT fornece seis exemplos comparativos entre seu uso no texto e em lista de referência. O positivismo jurídico: lições de Filosofia do Direito. NBR 10520. para a teologia (JOSSUA. São Paulo: Max Limonad. remetendo à lista de referências ao final do trabalho. separados por vírgula e entre parênteses”. . 1976."15 (ABNT. p. O Direito na História. Nas palavras da ABNT. p.” (15) Diz Rui Barbosa: "Tudo é viver. (ABNT. previvendo. 1. “a indicação da numeração pode ser feita entre parênteses. 4).1. Não confunda sistema numérico com nota de rodapé. ao comentar esta situação. em algarismos arábicos. NBR 10520. do capítulo ou da parte.” (LOPES.2. que os “juristas medievais justificaram formalmente a validade do direito romano ponderando que este era o direito do Império Romano que tinha sido reconstituído por Carlos Magno com o nome de Sacro Império Romano. a saber: Primeira possibilidade: “a) pelo sobrenome de cada autor ou pelo nome de cada entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação. previvendo. 2002. NBR 10520. p. Observe o terceiro: No texto: De fato. 225). 2000.Nesse sistema. Na lista de referências: LOPES. METZ. Veja-se o primeiro exemplo: No texto: A chamada “pandectística havia sido a forma particular pela qual o direito romano fora integrado no século XIX na Alemanha em particular.” Na lista de referências: BOBBIO. José Reinaldo de Lima. 2000. a ABNT esclarece que “a indicação da fonte é feita por uma numeração única e consecutiva. p. Sistema autor-data É o sistema que a indicação da fonte pode ser feita por um dos três (3) modos. após a pontuação que fecha a citação”. 3). na mesma ordem em que aparecem no texto” e “não se inicia a numeração das citações a cada página”. 1995. a própria ABNT prevê que “o sistema numérico não deve ser utilizado quando há notas de rodapé”.

CAFFARELLA. S. METZ. Na lista de referências: BRASIL. NBR 10520. 1992. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. NBR 10520. Concilium. 5. 34). 2002. (ABNT. Luxemburgo: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Européias. DF.Na lista de referências: JOSSUA. p. 1987. 13. Petrópolis.. Constate-se o primeiro modelo proposto. A união européia. 2-5.. 4). (ABNT. 2002. Segunda possibilidade: “b) pela primeira palavra do título seguida de reticências. seguida da data de publicação do documento e da(s) página(s) da citação” e “no caso de citação direta. v. (ABNT. 4). pelas moedas dos outros Estados-membros. (ABNT. Vejase o exemplo fornecido pela ABNT: No texto: “As IES implementarão mecanismos democráticos. 2002. NBR 10520. legítimos e transparentes de avaliação sistemática das suas atividades. 1991. abaixo: . Terceira possibilidade: “c) se o título iniciar por artigo (definido ou indefinido). Learning in adulthood: a comprehensive guide. 1992. p. 5). NBR 10520.” (ANTEPROJETO. 2002. Estudos e Debates. 4). n. 1987. p. sem quaisquer restrições estatais. 1976. que conduziria à captação de recursos privados como forma de reduzir os investimentos públicos no ensino superior (BRASIL. 1995. 55). p. NBR 10520. O quarto: No texto: Merriam e Caffarella (1991) observam que a localização de recursos tem um papel crucial no processo de aprendizagem autodirigida.. Na lista de referências: ANTEPROJETO de lei. p. 4). levando em conta seus objetivos institucionais e seus compromissos para com a sociedade. 4). (ABNT. O quinto: No texto: “Comunidade tem que poder ser intercambiada em qualquer circunstância. n. 2002. DF. no caso das obras sem indicação de autoria ou responsabilidade. ou monossílabo. 51-60. p. p. p. San Francisco: Jossey-Bass. p. Johann Baptist. jan. separados por vírgula e entre parênteses”. 2002. Jean Pierre. este deve ser incluído na indicação da fonte”. 1995). Brasília. 115. Editorial: Teologia e Literatura. Na lista de referências: MERRIAM. Na lista de referências: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPÉIAS.” (COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPÉIAS. (ABNT. O sexto: No texto: O mecanismo proposto para viabilizar esta concepção é o chamado Contrato de Gestão.. NBR 10520. Plano diretor da reforma do aparelho do Estado. R. Brasília. p.

12). não pela fraternidade. José Eduardo (Org. 4). p. devendo ter numeração única e consecutiva para cada capítulo ou parte”. Na lista de referências: NOS CANAVIAIS. em nota de rodapé. Na lista de referências: A FLOR Prometida. São Paulo. NBR 10520. Exemplo: __________________ . abaixo da primeira letra da primeira palavra. as crianças são levadas às lavouras a partir dos 5 anos. 5). 2 abr. mutilação em vez de lazer e escola. direitos sociais e justiça. São Paulo: Malheiros. Direitos humanos.). Agora o segundo exemplo disponibilizado. Notas de rodapé Conforme visto na seção precedente.. a partir da segunda linha da mesma nota. a seguir: No texto: “Em Nova Londrina (PR). não se podendo iniciar “a numeração a cada página” e “a primeira citação de uma obra.. 5).. 1995. (ABNT. (A FLOR. p. 1995. Primeira: a)Idem – mesmo autor – Id.” (NOS CANAVIAIS. e soubemos que era assim que chamavam a ordem absurda em que dinheiro é a única pátria à qual se serve e as fronteiras se diluem. de forma subseqüente. 12.3. de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas e com fonte menor”.1. Quando se precisa citar a mesma obra mais de uma vez. p. O País. 2002. conforme o exemplo a seguir: No rodapé da página: __________________ 8 FARIA. mas pelo sangramento que engorda poderosos sem nacionalidade. deve ter sua referência completa”. p.. Paulo. O Globo. p.. (ABNT. 5). NBR 10520. abreviadas quando for o caso”. p.. as notas de rodapé podem ser divididas em notas de referência e notas explicativas. Da transcrição da ABNT. 2002. devendo “ser alinhadas. 2002. (ABNT.3. tem-se que “a numeração das notas de referência é feita por algarismos arábicos. 1995. Folha de S. Veja-se as várias possibilidades. Veja-se as duas possibilidades nas seções seguintes: 1. Rio de Janeiro. utilizando as seguintes expressões.No texto: E eles disseram “globalização”. NBR 10520. 1994. 16 jul.1. Notas de referência A ABNT sugere que “deve-se utilizar o sistema autor-data para as citações no texto e o numérico para notas explicativas” quando no formato de nota de rodapé. p.. 1995. estas “podem ser referenciadas de forma abreviada. 4.

passim. 9. p. Segunda: b)Ibidem – na mesma obra – Ibid.. Exemplo: __________________ 3 DURKHEIM. 1989. Terceira: c) Opus citatum. (ABNT.. p. p. 40. (ABNT. 2002. 176. 9 GARLAND.. NBR 10520. 42-43. p. 1990. Exemplo: __________________ 8 ADORNO. 1996. Quarta: d)Passim – aqui e ali. 10 ADORNO.. Exemplo: __________________ 4 TOMASELLI. 33-46. 1997. p. cit. NBR 10520. op. Exemplo: __________________ 5 RIBEIRO. p. 19. (ABNT. 2002. p. 5). NBR 10520. opere citato – obra citada – op. 38. PORTER.. 6). 4 Ibid. 6). Quinta: e)Loco citato – no lugar citado – loc. 1925. (ABNT. 6). cit.8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. p. NBR 10520. p. 2002. 9 Id. cit. 1992. 2000. . 190. p. 2002. p. p. em diversas passagens – passim..