You are on page 1of 9

Poder Judiciário

Justiça do Trabalho
Tribunal Superior do Trabalho

A C Ó R D Ã O
(SDI-2)
GMALB/grm/AB/jn
RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE
SEGURANÇA.
CAUTELAR
DE
ARRESTO.
DETERMINAÇÃO DE RETENÇÃO DE CRÉDITO DA
EXECUTADA JUNTO A TERCEIRO. AÇÃO DE
SEGURANÇA AJUIZADA PELA UNIÃO. AUSÊNCIA
DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. 1. Cuida-se
de mandado de segurança impetrado pela
União contra a ordem de transferência de
crédito referente a faturas que a então
reclamada teria a receber junto à
Secretaria de Comunicação Social da
Presidência da República – SECOM. O
Regional
concedeu
parcialmente
a
segurança, para restringir a ordem
judicial
à
reserva
do
montante
determinado. 2. Discorrendo sobre a
medida cautelar de arresto, leciona
Carlos Henrique Bezerra Leite que “a
finalidade do arresto é eliminar o
perigo de comprometer o sucesso de
futura execução.” 3. Conforme se
depreende da decisão impugnada, a
executada encontra-se inadimplente com
vários de seus credores, inclusive os
trabalhistas, enfrentando forte crise
financeira,
como
demonstram
os
documentos
juntados
aos
autos.
Busca-se, assim, com a medida, a
efetividade
da
execução
que
se
processa, de forma definitiva, na
reclamação trabalhista matriz. 4. Nesse
sentir, ao determinar a retenção de
crédito da executada junto a terceiro,
em cautelar de arresto, o magistrado age
com supedâneo no art. 813 do CPC e com
olhos
postos
na
efetividade
da
execução,
não
se
vislumbrando
arbitrariedade ou ilegalidade, segundo
os contornos dos autos. Precedentes
desta Subseção II. Recurso ordinário
conhecido e desprovido.
Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho, nos termos da
Lei nº 11.419/2006, que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira.

Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.tst.jus.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78.

PROCESSO Nº TST-RO-375-80.2012.5.10.0000

0000 Vistos. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www. A impetrante (União) interpõe recurso ordinário (fls.419/2006.jus. sustentando.2012.Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho PROCESSO Nº TST-RO-375-80.tst. Juiz da 18ª Vara do Trabalho de Brasília/DF.2012. em resumo. Ministério Público do Trabalho pelo conhecimento e desprovimento do apelo (sequencial n° 3). “a recair sobre as faturas porventura existentes em favor da Demandada perante a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República . fls.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78. art. A 2ª Seção Especializada do TRT da 10ª Região.SECOM”. 461/472).2012. Sem contrarrazões. 460 e 461). que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira.10. e isento do recolhimento de custas (CLT. o cabimento da ação mandamental.000.5. Recorridas MARIA EUGENIA VIEIRA DE SOUZA e MATISSE COMUNICAÇÃO DE MARKETING LTDA e Autoridade Coatora JUIZ TITULAR DA 18ª VARA DO TRABALHO DE BRASÍLIA. em que é Recorrente UNIÃO (PGU).10.0000. Renova os fundamentos lançados na petição inicial do writ.0018. Recebido o recurso pelo despacho de fl. até o limite de R$100. Suscita preliminar de incompetência da Justiça do Trabalho. I). conheço do recurso ordinário. nos termos da Lei nº 11.5. Presentes os requisitos extrínsecos de admissibilidade. V O T O I – CONHECIMENTO. 790-A. Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho.2 . pois tempestivo o apelo (fls. É o relatório. na forma da Súmula 436/TST. nos autos da ação cautelar de arresto n° 0422-97. Todas as folhas indicadas no voto acompanham a numeração do processo eletrônico.10. concedeu parcialmente a segurança impetrada pela União contra decisão proferida pelo MM. em que determinada a expedição de mandado de arresto de crédito presente e/ou futuro junto a terceiros.5. relatados e discutidos estes autos de Recurso Ordinário n° TST-RO-375-80.00 (cem mil reais). pelo acórdão de fls. regular a representação. Manifestação do d. 451/455. 474.

por meio da qual o Exmo.SECOM”.2012. com pedido de liminar.00 (cem mil reais).0000 II . A União impetrou mandado de segurança. até o limite de R$100.3 PROCESSO Nº TST-RO-375-80.São Paulo: Malheiros Editores. 284/285. nos autos da ação cautelar de arresto n° 0422-97. Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho .10. MANDADO DE SEGURANÇA. 452/454): “Conforme já relatado. para ser amparável por mandado de segurança. 35/36). 2001.10. O Regional concedeu parcialmente a segurança impetrada. págs.5. há de vir expresso em norma legal e trazer em si todos os requisitos e condições de sua aplicação ao impetrante: se sua existência for duvidosa. direito líquido e certo ‘é o que se apresenta manifesta na sua existência.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78. Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. “a recair sobre as faturas porventura existentes em favor da Demandada perante a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República . embora possa ser defendido por outros meios judiciais’ (in Mandado de Segurança.2012. Juiz da 18ª Vara do Trabalho de Brasília/DF.MÉRITO. contra a decisão de fls. referentes a supostas faturas existentes em favor da MATISSE COMUNICAÇÃO DE MARKETING LTDA’. se seu exercício depender de situações e fatos ainda indeterminados.tst. o valor de R$ 100. nos termos da Lei nº 11. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www. pelos seguintes fundamentos (fls.10.000. 24ª ed atual por Arnold Wald e Gilmar Ferreira Mendes .00 (cem mil reais).fls. determinou a expedição de mandado de arresto de crédito presente e/ou futuro junto a terceiros. delimitado na sua extensão e apto a ser exercitado no momento da impetração’. CAUTELAR DE ARRESTO. Em seguida.2012. pretende a Impetrante a cassação da decisão proferida nos autos da Ação Cautelar de Arresto 0422-97.0018 que determinou que ‘a União transferisse para conta judicial à disposição do Juízo da 18ª Vara do Trabalho.419/2006. Conforme ensinamentos do saudoso mestre Hely Lopes Meirelles. o direito invocado. DETERMINAÇÃO DE RETENÇÃO DE CRÉDITO DA EXECUTADA JUNTO A TERCEIRO.5. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. se sua extensão ainda não estiver delimitada. sob pena de crime de responsabilidade. AÇÃO DE SEGURANÇA AJUIZADA PELA UNIÃO.jus.5.0018.000. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira. ressalta que ‘Por outras palavras. não rende ensejo à segurança.

fls. 331/332.0000 Assim. Observo. 592. observo. nos termos da Lei nº 11.fl. do CPC. uma vez que não há qualquer documento que comprove que o valor da condenação na Reclamação Trabalhista foi de R$30. por fim.00. contudo.jus.000. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira. Eventual ilegitimidade da Impetrante não altera a competência material desta Justiça Especializada para julgamento do feito. providência permitida à luz do contido no art. sob pena de crime de desobediência.10. que a própria Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República informou que a MATISSE ‘tem créditos a receber referentes a valores de fornecedores e veículos e de sua remuneração. Com efeito. uma vez que a ação visa garantir a efetividade da execução nos autos da Reclamação Trabalhista proposta por MARIA EUGÊNIA VIEIRA DE SOUZA em desfavor da empresa MATISSE COMUNICAÇÃO DE MARKETING LTDA. passo ao exame das questões suscitadas pela Impetrante. afasto a alegação de incompetência da Justiça do Trabalho para julgar a ação de arresto. Desse modo. concebido o instituto do Mandado de Segurança. não havia valor líquido.000. Acrescento. 591 do mesmo diploma legal. 310. 591 do CPC. na ordem de R$ 10. certo e exigível a ser transferido de imediato.000. considero que a ordem de transferência imediata dos valores para conta do Juízo. para o cumprimento de suas obrigações. Quanto à alegação de inexistência de créditos e faturas da empresa MATISSE. c/c art. Não tem maior relevância aqui a existência ou não de prestação de serviço da Reclamante em favor da UNIÃO. 310). O que gerou a ordem de bloqueio foi a existência de créditos da empresa MATISSE (empregadora) em poder da UNIÃO.2012.Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho PROCESSO Nº TST-RO-375-80. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78. sendo esse o caso dos autos. ofende Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. uma vez que as despesas ainda não tinham sido apresentadas para liquidação (fl.tst. à luz dos elementos de prova carreados aos autos.00 (dez milhões de reais)’ . que não restou comprovado nos autos a existência de excesso na ordem de bloqueio.419/2006. em decorrência do contrato de trabalho firmado entre as partes. conforme ressaltado pelo Juízo de origem em suas informações às fls. como alega a Impetrante. III. ‘o devedor responde. De início.5. a teor do que dispõe o art.4 . com todos os seus bens presentes e futuros’.

Defende que o valor de R$10. fato esse que não autoriza a transferência imediata de valores. Suscita preliminar de incompetência da Justiça do Trabalho.419/2006.000.5 .0018 foi proposta por Maria Eugênia Vieira de Souza. Ocorre que a cautelar de arresto n° 0422-97. fls. limita-se a defender que não foi parte na reclamação trabalhista n° 01325-72.10. 796 do CPC. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.2012. na forma da Súmula 331/TST. mas tão somente a penhora do crédito.restringir a ordem judicial atacada ‘à a reserva de créditos da empresa Matisse Comunicação de Marketing LTDA. Atesta que atualmente inexiste crédito ou fatura em favor da reclamada. Sobreleva mencionar que a União. porquanto tal verba ainda não pertencia à Empregadora.0017 e que não se trata de terceirização de serviços. até o valor de R$ 100. nos termos da Lei nº 11.2012. poderá se constituir em crédito. a impetrante interpõe recurso ordinário. Pelo exposto.00’. cabe-se perquirir acerca da incompetência da Justiça do Trabalho suscitada pela impetrante em suas razões recursais. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira.5.00 (dez milhões de reais).” (destaques no original) Irresignada. o processo cautelar pode ser instaurado antes ou no curso do processo principal e deste é sempre dependente. junto a SECOM-UNIÃO. Relatora originária .tst.000. Rejeita o valor do arresto e insiste na impenhorabilidade dos bens públicos. ora recorrente.10.Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho PROCESSO Nº TST-RO-375-80. estando a medida a ela vinculada.5.5.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78.2011. ainda mantendo a natureza de bem público.0017. sustentando o cabimento do mandado de segurança.5. em face de Matisse Comunicação de Marketing Ltda. Em primeiro lugar. então reclamante nos autos da ação n° 01325-72. Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. Na dicção do art.10.0000 direito líquido e certo da Impetrante. embora alegue a incompetência. À análise.2011.jus. concedo parcialmente a ordem requerida para confirmando a liminar deferida pela e.10.000.

114. ausenta-se ou tenta ausentar-se furtivamente (a). ou comete qualquer outro artifício fraudulento. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira.5. que tem por objeto a apreensão judicial dos bens integrantes do patrimônio do econômico do devedor. com supedâneo no art. ainda. Cuida-se de mandado de segurança impetrado pela União contra a ordem de transferência de crédito referente a faturas que a então reclamada teria a receber junto à Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República – SECOM. LTr. Busca-se com a medida a efetividade da execução que se processa. da Constituição Federal.419/2006. Rememore-se. inclusive os trabalhistas. 813 do CPC. assim se posiciona Carlos Henrique Bezerra Leite (in “Curso de Direito Processual do Trabalho”.tst. não lhe cabendo alegar Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. de natureza jurisdicional. O Regional concedeu parcialmente a segurança.10. para restringir a ordem judicial à reserva do montante determinado. aliena ou tenta alienar bens que possui. que a SECOM (União) não figura como parte na reclamação trabalhista principal. a fim de frustrar a execução ou lesar credores (b). A finalidade do arresto é eliminar o perigo de comprometer o sucesso de futura execução.0000 A situação dos presentes autos firma a competência desta Justiça Especializada. 1.. São Paulo.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78. a executada “encontra-se inadimplente com vários de seus credores. 2009. de forma definitiva. p.” Segundo o art. como demonstram os documentos juntados aos autos (fls. Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho . 7ª ed. I. 83/117)”. caindo em insolvência. Discorrendo sobre a medida cautelar de arresto.221): “É uma medida cautelar inominada ou específica. na reclamação trabalhista matriz.6 PROCESSO Nº TST-RO-375-80. contrai ou tenta contrair dívidas extraordinárias. com domicílio certo (II).jus. suficientes à garantia da dívida. a cautelar de arresto tem lugar: quando o devedor. põe ou tenta pôr os seus bens em nome de terceiros. Rejeito a preliminar. nos termos da Lei nº 11. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.fls. enfrentando forte crise financeira.2012. Conforme se depreende da decisão impugnada.

REEXAME NECESSÁRIO. como se observa dos seguintes julgados: “I . Em mandado de segurança. seja de que categoria for e sejam quais forem as funções que exerça’. MANDADO DE SEGURANÇA. atualizado até 31. na ordem de R$10.345. somente cabe reexame necessário se. Incidência da Súmula nº 303. De acordo com o artigo 1º da Lei nº 12. por força do contrato firmado com a Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. subscrito pela Secretária Executiva da SECOM e dirigido à Procuradoria Regional da União. Não bastasse.000. mas. sempre que. na medida em tal valor não se configura Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. consta do item 19 a informação de que a Matisse. II .419/2006. Não se verifica qualquer ilegalidade no ato do Juízo da Vara do Trabalho que determina a retenção de numerário que seria destinado à empresa prestadora de serviços.8.2012. MANDADO DE SEGURANÇA. na relação processual. para satisfação de valor acordado em reclamação trabalhista. III.RECURSO ORDINÁRIO. Reexame necessário não conhecido. tão somente. observa-se que o cálculo homologado atinge o montante de R$389.2012.000. DIREITO LÍQUIDO E CERTO. Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho . nos termos da Lei nº 11. que entende a União ser “desarrazoado”.00.fls.5.00 (dez milhões de reais)”.016/2009. cumprir a determinação judicial. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www. por razão dos serviços contratados. INCIDÊNCIA. figurar pessoa jurídica de direito público como parte prejudicada pela concessão da ordem. NÃO CONFIGURAÇÃO. ‘conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo. 310/313).0000 nulidade do procedimento ou ilegalidade da ordem de arresto de crédito de terceiro. ilegalmente ou com abuso de poder.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78.7 PROCESSO Nº TST-RO-375-80. verifica-se que. Em consulta ao Sistema de Acompanhamento Processual do TRT 10ª Região (realizada em 12. ORDEM JUDICIAL DE RETENÇÃO DE CRÉDITO DA EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS PELA TOMADORA.jus.6. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira.30. do TST. III. não amparado por habeas corpus ou habeas data.2014). DO TST. SÚMULA Nº 303.10. qualquer pessoa física ou jurídica sofrer violação ou houver justo receio de sofrê-la por parte de autoridade.tst.000. então reclamada. A matéria não mais surpreende esta Subseção II. no Ofício n° 260/2012 (fls. “tem créditos a receber referentes a valores de fornecedores e veículos e de sua remuneração. Também cai por terra a insurgência no tocante ao valor do arresto de R$100.

Precedentes análogos da SBDI-2.tst. Relator Ministro Emmanoel Pereira.2012.” (ReeNec e RO . decorrente da concessão da ordem.106800-97. figurar pessoa jurídica de direito público como parte prejudicada pela concessão da ordem".fls.2010.0000 como verba pública.2010. "Em mandado de segurança. 813 do CPC e com olhos postos na efetividade da execução. para a pessoa jurídica de direito público. vez que não se trata de verba pública. 1. Considerado o entendimento consubstanciado nessa Súmula. nesse contexto.jus. para quitar as verbas rescisórias da reclamante reconhecidas em sentença. Relator Ministro Hugo Carlos Scheuermann. Dessa forma. DESCABIMENTO. ao determinar a retenção de crédito da executada junto a terceiro.113100-75. Inexistência de direito líquido e certo do impetrante. DETERMINAÇÃO DE RETENÇÃO DE CRÉDITO DA EX-EMPREGADORA PELA TOMADORA. 1. o numerário não é dinheiro público. Inexistência de qualquer abuso de poder pela autoridade dita coatora. NÃO CABIMENTO. Recurso ordinário conhecido e não provido. mas tão somente a retenção e correspondente depósito do numerário que seria destinado contratualmente à empresa prestadora. ex-empregadora. o magistrado age com supedâneo no art. 2. em prejuízo. ALEGAÇÃO DE NUMERÁRIO PÚBLICO. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO.03. por se referir a decisão em que denegada a segurança vindicada pelo ente público. DEJT 1º.0000. 2. mas crédito da prestadora de serviços.0000 . vez que como Juíza condutora do processo trabalhista. em cautelar de arresto. Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho . na relação processual. não determinou nenhuma constrição de verba pública.8 PROCESSO Nº TST-RO-375-80.2013) Nesse sentir.419/2006. nos moldes do referido Verbete. tem-se que a hipótese em exame não autoriza o cabimento da remessa necessária. Reexame necessário não conhecido. ITEM III. Recurso ordinário conhecido e não provido.5.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78.5. somente cabe remessa 'ex officio' se.5.5. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira. Não se constata nenhuma ilegalidade na decisão tomada pela Autoridade dita coatora.10. Encontra-se consagrada no item III da Súmula 303 deste Tribunal a compreensão de que. não havendo falar. nos termos da Lei nº 11. Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 303. que só fez cumprir a lei.2014) “REEXAME NECESSÁRIO.” (ReeNec e RO .03. DO TST. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA. DEJT 16.7.

419/2006) ALBERTO LUIZ BRESCIANI DE FONTAN PEREIRA Ministro Relator Firmado por assinatura digital em 05/08/2014 pelo sistema AssineJus da Justiça do Trabalho. 05 de agosto de 2014. negar-lhe provimento.419/2006. que instituiu a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira.0000 não se vislumbrando arbitrariedade ou ilegalidade. conhecer do recurso ordinário e. no mérito.tst.5. por unanimidade.2012. Este documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www. nego provimento ao recurso ordinário. Firmado por assinatura digital (Lei nº 11. Ante o exposto. nos termos da Lei nº 11.Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Superior do Trabalho PROCESSO Nº TST-RO-375-80. segundo os contornos dos autos. Brasília.jus. fls.br/validador sob código 1000B4CE9F8B777E78.9 .10. ISTO POSTO ACORDAM os Ministros da Subseção II Especializada em Dissídios Individuais do Tribunal Superior do Trabalho.