Prof. Denilson C.

Resende
resendedc@gmail.com
Na aula de hoje vamos estudar
 Resumo
 Equação da onda
 Vetor de Poynting
 Energia da onda eletromagnética
 Espectro eletromagnético
As equações de Maxwell na forma diferencial, estudadas na
aula anterior são:
c
p
= V E
 
.
0 . = VB
 
t
E
J B x
c
c
+ = V

  
cu u
t
B
E x
c
c
÷ = V

 
Lei de Gauss
Lei de Gauss
Lei de Faraday Lei de Ampère_Maxwell
Das equações de Maxwell podemos concluir que:
 Os campos elétricos criados por cargas elétricas são
divergentes ou convergentes;
 Os campos magnéticos são rotacionais, isto é, não existem
monopolos magnéticos;
 Os campos magnéticos variáveis no tempo geram campos
elétricos rotacionais;
 Campos elétricos variáveis no tempo geram campos
magnéticos rotacionais;
 Correntes elétricas ou cargas elétricas em mocimento geram
campos magnéticos.
Agora que as equações de Maxwell estão completas,
vamos ver se o campo eletromagnético pode ter
comportamento ondulatório.
•Precisamos deduzir a equação de uma onda a partir
das equações de Maxwell, seria interessante!
•As equações de Maxwell são de primeira ordem,
enquanto que a equação de onda é de segunda
ordem.
•Um caminho para tentar deduzir uma equação de
onda é derivar alguma das equações de Maxwell.
•Vamos calcular o rotacional da equação de Faraday:
•onde invertemos a ordem da derivada em t e do
rotacional
•Agora usamos a equação de Maxwell para eliminar B
do lado direito da equação acima e ficar com uma
equação só para E:
Consideremos a equação
Ou
Calculando o rot da equação acima, temos
Faraday) de (lei
t
H
D x
c
c
÷ = V

 
uc
t
B
E x
t
B
E x
c
c
÷ = V =
c
c
÷ = V

 

 
u
cu c
( )
( ) B x
t
E B x
t
E E
F F grad F x x
B x
t
E x x
      
    
    
V
c
c
= V ¬ V
c
c
÷ = V ÷ V V
V ÷ V ÷ V V
V
c
c
÷ = V V
2 2
2
.
.
mas ,
A equação
Então chegamos a:
t
E
B x
B x
t
E
c
c
÷ = V
V
c
c
= V
uc
 
  
mas ,
2
2
2
2
t
E
E
c
c
= V uc

+Que é a equação
da onda da onda
eletromagnética
para o campo
elétrico
•O mesmo procedimento acima pode ser usado para mostrar que
cada componente do campo magnético B obedece a uma equação
idêntica.
•O campo eletromagnético pode se manifestar na forma de ondas
que se propagam sem mudança na forma, com velocidade
constante (velocidade de luz).
•Isso significa, por exemplo, que sinais eletromagnéticos podem
ser transmitidos a longas distâncias, a uma velocidade altíssima
(vide o valor numérico encontrado no exercício acima), e
facilmente detectados
•Isso significa, que deve ser possível observar fenômenos de
interferência entre ondas eletromagnéticas.
•Vamos utilizar outra notação para descrever a onda harmônica:
+As equações de onda para os campos elétrico e magnético
unidimensional
Um dos resultados mais importantes advindo da formulação de
equações de Maxwell para o eletromagnetismo é a
existência de ondas eletromagnéticas. Mostraremos que as
equações de Maxwell são suficientes para descrever este
fenômeno.
Inicialmente substituiremos es expressões encontradas acima
para os campos elétricos e magnéticos na expressão da lei de
Faraday que se segue:
t
B
E E E
z y x
k j i
E x
z y x
c
c
÷ =
c
c
c
c
c
c
= V

 
ˆ
ˆ ˆ
Comisso
Substituindo as equações para os campos elétricos e magnéticos,
emuma direção arbitrária temos que
Comisso
Comisso encontramos
|
|
.
|

\
|
c
c
c
c
c
c
÷ =
|
|
.
|

\
|
c
c
÷
c
c
c
c
÷
c
c
c
c
÷
c
c
= V
t
B
t
B
t
B
y
E
x
E
x
E
z
E
z
E
y
E
E x
z
y
x x
y
z x
y
z
, , , ,
 
) ( e ) (
0 0
t kz sen B B t kz sen E E
x y
e e ÷ = ÷ =
t
t kz sen B
z
t kz sen E
t
B
z
E
x
y
c
÷ c
=
c
÷ c
c
c
=
c
c
) ( ) (
ou
0 0
e e

0
0
k B
E e
=
Procedendo de forma equivalente, substituímos os campos E e B
na lei de Ampère. Temos
sendo
calculando
Comisso encontramos
|
|
.
|

\
|
c
c
c
c
c
c
=
|
|
.
|

\
|
c
c
÷
c
c
c
c
÷
c
c
c
c
÷
c
c
= V
t
E
t
E
t
E
y
B
x
B
x
B
z
B
z
B
y
B
B x
z
y
x x
y
z x
y
z
, , , , uc
 
) ( e ) (
0 0
t kz sen B B t kz sen E E
x y
e e ÷ = ÷ =
t
t kz sen E
z
t kz sen B
t
E
z
B
y
x
c
÷ c
÷ =
c
÷ c
c
c
=
c
c
÷
) ( ) (
ou
0 0
e e
uc

0
0
uce
k
B
E
=
Igualando os resultados, temos
Como
Substituindo
uc
e e
uce
1

2
2
= ¬ =
k k
k
uc
uc
1 1
2
= ¬ = v v
v
k
f k = ¬ = =
e
t e
ì
t
2 ,
2
Que é a velocidade de
propagação da onda em
um meio.
Comisso temos
Nesta seção discutiremos alguns conceitos e relações associados
ao transporte de energia em ondas eletromagnéticas. Este
fenômeno é de grande importância e tem sido usado em
diferentes aplicações tecnológicas, como o transporte de
informações e de energia de um ponto para o outro. O Sol, em
particular, é uma grande fonte de ondas eletromagnéticas e sua
importância é indiscutível em nosso dia a dia.
Introduziremos, a seguir, a idéia de densidade de energia
armazenada em campos elétricos e magnéticos. Para isto,
voltaremos às análises feitas para o capacitor e indutor, em
aulas anteriores.
Sabemos que os capacitores e indutores são elementos em um
circuito que têm a propriedade de armazenar campo elétrico e
magnético. Isto significa que existe no interior do capacitor e do
indutor energias armazenadas eletromagnéticas.
Encontraremos, em seguida, as expressões que correlacionam
as densidades volumétricas de energia armazenadas nestes dois
elementos.
Sabemos que a energia U
C
, em um capacitor pode ser escrita em
função da capacitância C e da diferença de potencial entre as
placas. Isto é,
No caso de capacitores de placas paralelas, cujas dimensões sejam
muito maiores que sua separação, temos que o campo elétrico
no seu interior é uniforme e está relacionado com a diferença de
potencial entre as placas por V = Ed, sendo d a distância entre a
placas. Por outro lado, temos que a capacitância pode ser
expressa em função das características geométricas do
capacitor, isto é, C = Î
o
A/d.
Substituindo estes resultados na equação para a energia temos
que,
Levando em conta que Ad é o volume do capacitor, podemos
calcular a densidade de energia por unidade de volume (u
E
), no
interior do capacitor ,dividindo ambos lados da equação acima
pelo volume Ad,
Procedendo de forma semelhante, podemos calcular a energia
magnética armazenada em um indutor em função do campo
magnético associado. Sabemos também, de aulas anteriores,
que a energia magnética emumcapacitor tema forma:
temos ainda que a indutância pode ser expressas em termos das
propriedades geométricas do indutor, isto é, L = m
o
N
2
A/d. No
caso solenóide, o campo magnético em seu interior é igual a, B
= m
o
Ni/d.
Substituindo estes dados na equação para a
energia magnética temos,
Consequentemente, a energia magnética por unidade de volume
pode ser calculada dividindo ambos os lados da equação acima
pelo volume do indutor (Ad). Assim
Podemos generalizar os resultados acima e dizer que as energias,
por unidades de volume, armazenadas em campos elétricos e
magnéticos são proporcionais ao quadrado das amplitudes dos
campos E e B, isto é.
Então, para qualquer volume dado, a energia total armazenada em
forma de campo elétrico e magnético é igual a integral das
densidades de energias emtodo volume,
 Uma conseqüência importante das equação Maxwell é o
fenômeno relacionado à propagação de ondas
eletromagnéticos. Das seções precedentes, vimos que a criação
de campos elétricos e/ou magnéticos no espaço implicam no
surgimento de energias armazenadas emforma de E e B.
 Como as ondas eletromagnéticas se propagam pelo espaço
arrastando os campos elétricos e magnéticos, então as energias
associadas a estes campos devem se propagar pelo espaço de
forma semelhante. Partindo deste pressuposto, podemos
analisar o fluxo de energia eletromagnética, transportado
através de um volume qualquer, definido por uma superfície
gaussiana fechada. Isto é,
Pelo teorema de Gauss, temos que uma dada integral de volume
está sempre associada a uma integral superfície fechada. Isto é,
Quando a energia do campo está presente em forma de ondas
eletromagnéticas, ela pode ser carregada para dentro ou para
fora da fronteira delimitada por um volume. Este transporte é
representado pelo vetor de Poynting, S, cujo módulo é igual a
energia propagada por unidade de área na unidade de tempo. O
sentido do vetor S estabelece o sentido da propagação energia
irradiada.
A seguir determinaremos, explicitamente, a energia que é
propagada pela onda por unidade de área e unidade de tempo.
Imaginemos para isto que uma onda está atravessando uma
áreaA perpendicular ao eixo x, como mostra a abaixo.
Em um tempo dt curto, a onda se move para a direita em uma
distância dx = c dt.
A energia transportada nesse elemento de volume é dada por,
Sabemos que as amplitudes dos campos E e B estão relacionadas
por, E = cB. Substituindo este resultado na equação anterior
temos que,
Como ε
0
μ
0
c
2
= 1, a equação acima pode ser escrita por,
Essa é a quantidade de energia que atravessa a área a por unidade
de tempo. Segue-se que o fluxo de energia por unidade de área
e por unidade de tempo é igual a
Como e E e B são vetores, podemos reescrever o produto EB em
sua forma vetorial,
Este vetor é exatamente o vetor de Poynting. O qual tem as
seguintes propriedades:
- Direção de S é a direção de propagação da onda
eletromagnética,
- O módulo de S é proporcional a energia transportada pela
onda.
Assumindo que os campos elétricos e magnéticos têm a forma;
podemos calcular o valor médio do vetor de Poynting ou da
energia média transportada, por:
Espectro Eletromagnético é classificado normalmente
pelo comprimento da onda, como as ondas de rádio,
as microondas, a radiação infravermelha, a luz visível,
os raios ultravioleta, os raios X, até a radiação gama.
O comportamento da onda eletromagnética depende do
seu comprimento de onda. Freqüências altas são
curtas, e freqüências baixas são longas. Quando uma
onda interage com uma única partícula ou molécula,
seu comportamento depende da quantidade de fótons
por ela carregada.
Através da técnica denominada Espectroscopia óptica, é possível
obter-se informações sobre uma faixa visível mais larga do que a
visão normal. Um laboratório comum possui um espectroscópio
pode detectar comprimentos de onde de 2 nm a 2500 nm. Essas
informações detalhadas podem informar propriedades físicas
dos objetos, gases e até mesmo estrelas.
Por exemplo, um átomo de hidrogênio emite ondas em
comprimentos de 21,12 cm. A luz propriamente dita
corresponde à faixa que é detectada pelo olho humano, entre
400 nm a 700 nm (um nanômetro vale 1,0×10
−9
metros). [As
ondas de rádio] são formadas de uma combinação de
amplitude, freqüência e fase da onda com a banda da
freqüência.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful