You are on page 1of 7

Texto para a questão 72

Facebook é um site e serviço de rede social que foi lançada em 4 de fevereiro de 2004, operado e de propriedade privada da Facebook Inc. Em 4 de outubro de 2012 o Facebook atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos. Em média 316.455 pessoas se cadastram, por dia, no Facebook, desde sua criação em 4 de fevereiro de 2004. Os usuários devem se registrar antes de utilizar o site, após isso, podem criar um perfil pessoal, adicionar outros usuários como amigos e trocar mensagens, incluindo notificações automáticas quando atualizarem o seu perfil. Além disso, os usuários podem participar de grupos de interesse comum de outros utilizadores, organizados por escola, trabalho ou faculdade, ou outras características, e categorizar seus amigos em listas como "as pessoas do trabalho" ou "amigos íntimos". O nome do serviço decorre o nome coloquial para o livro dado aos alunos no início do ano letivo por algumas administrações universitárias nos Estados Unidos para ajudar os alunos a conhecerem uns aos outros. O Facebook permite que qualquer usuário que declare ter pelo menos 13 anos possa se tornar usuário registrados do site.

1) Segundo a definição de facebook, o mesmo foi criado a partir de uma necessidade de comunicação por algumas administrações universitárias. Assinale a alternativa depreendida da leitura quanto a por que esse site cria uma nova forma de interação comunicativa:

  • a) contribui para diminuir o analfabetismo digital, uma vez que possibilita a participação de diferentes faixas etárias.

  • b) interferem nas rotinas de encontros e comemorações porque priorizam a comunicação à distância.

  • c) possibilita o conhecimento de novas amizades a partir de interesses em comum pelos perfis e através dos amigos pela rede de contatos.

  • d) promove uma maior acepção de pessoas por ser possível classificar os contatos em grupos de interesses.

  • e) incentiva a constante checagem dos perfis de seu grupo para observar as atualizações já que essa notificação não é automática.

Texto para a questão 73

2) Ao fazer tal afirmação, Calvin parte do seguinte pressuposto: a) A falta de contato de

2) Ao fazer tal afirmação, Calvin parte do seguinte pressuposto:

  • a) A falta de contato de seres extraterrestres é o sinal de que não há outra forma de vida inteligente no universo.

  • b) Se há seres inteligentes fora da terra, eles ainda precisam criar meios de se comunicar.

  • c) A prova de existirem seres extraterrestres está relacionada à inteligência dos mesmos com tentativas de contato.

  • d) O fato de os extraterrestres não manterem contato é uma forma inteligente de preservar sua existência em segredo.

  • e) A prova da existência de vida inteligente fora da Terra é o desinteresse dos mesmos em manter contato com os humanos que destroem a próprio planeta.

Texto para as questões 74 e 75

Eu gosto tanto de você Que até prefiro esconder Deixo assim ficar Subentendido

Como uma ideia que existe na cabeça E não tem a menor obrigação de acontecer

Eu acho tão bonito isso De ser abstrato baby A beleza é mesmo tão fugaz

É uma ideia que existe na cabeça E não tem a menor pretensão de acontecer

Pode até parecer fraqueza Pois que seja fraqueza então,

A alegria que me dá Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso Caberá só a mim esquecer O que eu ganho, o que eu perco Ninguém precisa saber

Eu gosto tanto de você Que até prefiro esconder Deixo assim ficar Subentendido

Como uma ideia que existe na cabeça E não tem a menor pretensão de convencer

74. Através dos versos da canção não é possível subtender a seguinte informação:

  • a) Nos versos “Pode até parecer fraqueza, pois que seja fraqueza então”, observa-se que o autor está mais preocupado com a reação da amada em relação ao que ele sente do que expressar algo sobre si mesmo.

  • b) A primeira estrofe da canção o autor se coloca como centro da mensagem quando o mesmo expressa seus sentimentos e impressões.

  • c) O autor demonstra tanto gostar da amada com preocupação com os sentimentos através dos versos Se amanhã não for nada disso/Caberá só a mim esquecer.

  • d) Os versos É uma ideia que existe na cabeça/E não tem a menor pretensão de acontecer revelam como o autor pretende lidar com o que está sentindo.

  • e) Na afirmação A alegria que me dá/Isso vai sem eu dizer o autor revela que há contentamento para ele em apenas sentir sem a necessidade de declarar.

    • 75. Na primeira estrofe da canção, o autor já esclarece como pretende ser sua declaração de amor, o que se confirma pela última palavra da estrofe. A mesma opinião do autor se verifica nos versos:

      • a) Pela luz dos olhos teus Eu acho meu amor que só se pode achar Que a luz dos olhos meus precisa se casar (Vinícius de Moraes)

b) Mas se isto puder contar-lhe O que não lhe ouso contar, Já não terei que
  • b) Mas se isto puder contar-lhe O que não lhe ouso contar, Já não terei que falar-lhe Porque lhe estou a falar

...

(Fernando Pessoa)

  • c) Eu te amo e vou gritar Prá todo mundo ouvir Ter você é meu Desejo de viver (Roupa nova)

  • d) Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! (Mário Quintana)

  • e) Queria poder declarar ao mundo Este amor Não me falta vontade Não me falta desejo (Carlos Drummond de Andrade)

Texto para a questão 76

Sempre desconfiei

Sempre desconfiei de narrativas de sonhos. Se já nos é difícil recordar o que vimos

despertos e de olhos bem abertos, imagine-se o que não será das coisas que vimos dormindo

e de olhos fechados

Com esse pouco que nos resta, fazemos reconstituições suspeitamente

... lógicas e pomos enredo, sem querer, nas ocasionais variações de um calidoscópio. Me lembro de que, quando menino, minha gente acusava-me de inventar os sonhos. O que me deixava indignado.

Hoje creio que ambas as partes tínhamos razão.

Por outro lado, o que mais espantoso há nos sonhos é que não nos espantamos de nada. Sonhas, por exemplo, que estás a conversar com o tio Juca. De repente, te lembras de que ele já morreu. E daí? A conversa continua. Com toda a naturalidade. Já imaginaste que bom se pudesses manter essa imperturbável serenidade na vida propriamente dita?

(Mario Quintana, A vaca e o hipogrifo. São Paulo: Globo,1995)

76. Infere-se que a principal justificativa para a expressão contida no título e no primeiro período do texto é:

a)

Na reconstituição dos sonhos, a mente reorganiza de maneira coerente o que se consegue

lembrar.

b)

Habitualmente, os sonhos apenas refletem a incoerência dos fatos naturais da vida.

c)

Tal como na montagem de um quadro com peças soltas e sem sentido, os sonhos são

ilógicos.

d)

Os adultos não encaram com seriedade os sonhos das crianças, mesmo quando esses são

coerentes.

e)

Sendo incapaz de recordar os sonhos, a mente humana inventa histórias fantasiosas.

Texto para a questão 77

Abraham Lincoln levou pouco mais de dois minutos para pronunciar o discurso de Gettysburg (1863), às vezes considerado a maior peça de oratória em todos os tempos. Ninguém esperaria encontrar tamanho talento para a concisão no Supremo Tribunal Federal brasileiro, mas o contraste ressalta que falar muito não significa ter muito a dizer.

Os maus hábitos da linguagem empolada e da expressão prolixa continuam a prosperar no Judiciário; no Supremo, ainda mais em julgamento momentoso como o do mensalão, chegam ao apogeu. Nem mesmo certas vulgaridades, salpicadas por alguns dos advogados da defesa, alteraram a sensação do leigo de assistir a um espetáculo obscuro e bizantino.

Não há dúvida de que a Justiça deve examinar cada aspecto com cuidado, nem de que muitos aspectos são alvo de controvérsia. Ainda assim, será necessária ta manha verbosidade, reflexo, aliás, da extensão interminável dos autos, a versão escrita de cada processo?

(http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/ 61784-supremo-bla-bla-bla.shtml)

  • 77. No primeiro parágrafo, o autor optou por apresentar a ideia principal do texto,

    • a) aproximando-a por semelhança com um fato histórico.

    • b) intercalando-a com uma citação de Abraham Lincoln.

    • c) explorando uma relação de oposição.

    • d) apresentando um questionamento sobre o tema.

    • e) considerando perspectivas complementares sobre o mesmo tema.

      • 78. Leia o texto:

RECEITA de pão

é coisa muito antiga o ofício do pão primeiro misture o fermento com água morna açúcar e deixe crescer ao sol depois numa vasilha derrame a farinha e o sal óleo de girassol manjericão adicionado o fermento vá dando o ponto com calma água morna e farinha

mas o pão tem seus mistérios na sua feitura há que entrar um pouco da alma do que é etéreo então estique a massa enrole numa trança e deixe que descanse que o tempo faça a sua dança asse em forno forte até que o perfume do pão se espalhe pela casa e pela vida

(MURRAY, R. Receitas de olhar. São Paulo: FTD, 1999.)

Com base nos critérios para se denominar um gênero, é correto afirmar que o texto apresentado exemplifica o fenômeno da intergenericidade (relação entre gêneros textuais), posto que se observa

I. Transposição do suporte da receita culinária para o do poema.

II. Hibridização entre os gêneros, já que o poema assume a função da receita culinária.

III. Subversão do modelo canônico global dos gêneros receita culinária e poema.

IV. Estruturação do poema por meio de sequências injuntivas, características da receita culinária.

É correto apenas o que se afirma em:

  • a) c) II

I e II

  • b) d) III

III e IV

e) IV

79.

Viam-se de cima as casas acavaladas umas pelas outras, formando ruas, contornando

praças. As chaminés principiavam a fumar: deslizavam as carrocinhas multicores dos padeiros; as vacas de leite caminhavam com o seu passo vagaroso, parando à porta dos

fregueses, tilintando o chocalho; os quiosques vendiam café a homens de jaqueta e chapéu desabado: cruzavam-se na rua os libertinos retardios com os operários que se levantavam para a obrigação; ouvia-se o ruído estalado dos carros de água, o rodar monótono dos bondes.

 

(AZEVEDO. Aluisio de. Casa de Pensão. São Paulo: Martins, 1973.)

O trecho, retirado de romance escrito em 1884, descreve o cotidiano de uma cidade, no seguinte contexto:

a)

A

vida

urbana,

caracterizada

pelo

cotidiano

apresentado

no texto, ignora a

industrialização existente na época.

 

b)

A convivência entre elementos de uma economia agrária e os de uma economia industrial indica o

início da industrialização no Brasil, no século XIX.

 

c)

Desde o século XVIII, a principal atividade da economia brasileira era industrial,

como se observa no cotidiano descrito.

 

d)

Apesar de a industrialização ter-se iniciado no século XIX, ela continuou a ser uma

atividade pouco desenvolvida no Brasil.

 

e)

Apesar

da

industrialização,

muitos

operários

levantavam

cedo,

porque iam

diariamente para o campo desenvolver atividades rurais.

 

72.

c

 

73.

e

74.a

75.b

  • 76. a

  • 77. c

78.b

79.a