________________________________________________ N.

O____

Ano letivo
2016/17

Agrupamento de Escolas de Cuba
Português – 8º ano
Teste de Avaliação

Nome

N.°

Avaliação

Turma

Data

Professor(a)

GRUPO I
Lê o texto. Se necessário, consulta o vocabulário.

Texto A
E vão 150 anos de Alice no País das Maravilhas

Foi há 150 anos, mas não desapareceu no tempo. Pelo
contrário, perpetuou-

-se1. A história que encantou o público infantil,

e não só, marcou uma mudança na sua época na forma como se
passava a mensagem.

Rebobinemos

até

1865.

Lewis

Carroll,

professor

matemático,

apresentava o livro Alice no País das Maravilhas. Conscientemente ou não
de que o iria fazer, marcou o início de uma nova era na escrita infantil. A
obra tornou-se intemporal: personagens como o chapeleiro louco, o coelho
branco e a rainha de copas fazem parte do imaginário de muitos leitores e
perdurarão no tempo. A história celebra este ano um século e meio de
existência.
O impacto desta história foi tão notório, que se criou o “dia de Alice”
1

com base no livro de Carroll. Rogério Puga. Puga reforça ainda a intemporalidade e o caráter revolucionário do livro relativamente ao que era feito até então “É um livro intemporal. É uma obra estranhíssima e ambígua3”. esta foi uma obra “que foi inovadora numa época em que os livros para crianças tinham uma voz moralizadora. na qual estavam presentes três irmãs. da lagarta. em Lisboa. uma delas de nome de Alice Lidell. do buraco da toca do coelho onde Alice cai e descobre um mundo de non sense2 e absurdo. A nove de outubro realiza-se na Biblioteca Nacional. De facto a obra continua a inspirar muitos artistas. Confessa o investigador de estudos anglo-portugueses. ambíguo porque esbate as classificações entre o que é literatura para crianças e para adultos. Na época até havia uma discussão entre o que era realidade e fantasia na literatura e diziam que a fantasia era má para crianças. Inicialmente o livro começou por se chamar Alice Adventures Under Group. da universidade Nova de Lisboa. E sobreviveu aos tempos”. Foi revolucionário porque fala de loucura e de sonho. como é o caso de Damon Albarn que se prepara para estrear no Reino Unido o musical Wonder Land. Começou a ser pensada a 4 de julho de 1862. O investigador acrescenta que esta é uma obra que tem sido amplamente estudada “É todo um imaginário cultural que sobrevive àquela obra: a figura do chapeleiro louco. saindo em julho de 1865.que ainda hoje é comemorado em todo o mundo. durante uma viagem de barco.” Esta data não passou despercebida em Portugal. Hoje é conhecido em todo o mundo por Alice no País das Maravilhas. uma conferência dedicada à obra e ao seu século e meio de existência. Contará com a presença da 2 .

mais tarde. versões. que deu corpo à figura de Alice. Na frase “Rebobinemos até 1865. Vocabulário 1 imortalizou-se. b) personificação. 1. Portugal não é exceção e estão disponíveis no mercado várias edições. 3 que tem mais de um sentido. b) inovadora. transmitiu-se por gerações sucessivas. o livro teve centenas de adaptações. que permite duas ou mais interpretações diferentes. desde ilustrações originais de John Tenniel.2. edição online de 3 de julho de 2015 (consultado em 10 de outubro de 2016). d) anáfora. 3 . para peças de teatro e musicais. Dora Batalim Sottomayor. Em 150 anos. c) enumeração. traduções e ilustrações. Segundo Rogério Puga (linhas 15-19). em cada item. A obra foi.” (linha 4) está presente uma a) metáfora.1.tradutora da obra Margarida Vale de Gato e as investigadoras Ana Margarida Ramos. da lebre de Março ou da tartaruga fingida. 1. 2 sem sentido. da universidade de Santiago de Compostela. Jornal Expresso. a alínea que completa cada frase de forma adequada. Seleciona. assim como Blanca-Ana Roig Rechou e Isabel Mociño González. 1. de acordo com o sentido do texto. eternizou-se. com uma vertente moralizadora. adaptada para cinema pela Disney e por Tim Burton. Sara Reis da Silva. do gato de Cheshire. Alice no País das Maravilhas é uma obra a) para crianças de caráter moralizador.

1. d) é muito fantasioso. (A) “A história que encantou o público”. d) intemporal. c) tanto pode ser lido por uma criança como por um adulto. (linha 21) Texto B Lê o texto. (linha 2) (B) “O impacto desta história foi tão notório. consulta o vocabulário.] esta foi uma obra que foi inovadora”. (linha 16) (D) “É todo um imaginário cultural que sobrevive àquela obra”.4. 1. 2. (linha 10) (C) “[. uma vez que retrata a época do seu autor. Identifica a única opção em que a palavra “que” é uma conjunção. Rogério Puga considera o livro de Lewis Carroll “ambíguo” (linha 25) porque a) o seu assunto é indefinido.3. Se necessário. que se criou o ‘dia da Alice’”.. d) no cinema. A Disney e Tim Burton apresentaram versões de Alice no País das Maravilhas a) no teatro e em musicais. 4 . b) trata um tema absurdo..c) que introduziu inovações na literatura infantil. c) no cinema e em musicais. b) no cinema e no teatro.

.William avançava há algum tempo pela Floresta dos Quatro Ventos. Na sua caminhada. que o levavam de um lado a outro sem o deixarem avançar. e outros de vegetação tão alta e cerrada que a escuridão era quase total. ele tinha de se agarrar a qualquer coisa para não ser empurrado para trás e desfazer o caminho que já estava feito. os quatro ventos. E também havia os ventos laterais. como a paisagem continuava a mudar. Era assim que o Grimm chamava às criaturas 5 . Era como se nunca se estivesse em lugar nenhum.. como um barco sem leme no meio de uma tempestade. William avançava a grande velocidade. E também viu passar por ele o Coelho Branco. conforme a paisagem. por ali. viu um corvo empoleirado num ramo a comer um queijo redondo como uma lua. bem alto. já que tudo mudava constantemente. Havia sítios inóspitos1. o rapaz voador. William acenou-lhe e gritou “Ei! Ei!” sem grande convicção. é claro. Seria possível? Era ali que ele existia realmente? Se também andavam ali o Coelho Branco da Alice no País das Maravilhas. os quatro ventos juntavam-se e erguiam-no. ele convenceu-se de que estava a avançar. No ar. E havia o vento. As coisas mudavam rapidamente. passou a voar um rapaz com um fato verde e um gorro na cabeça que lhe pareceu o Peter Pan. Tanto pisava uma terra vermelha e ressequida como pisava um fofo tapete de trevos. três metros do chão. de terra seca e vegetação rasteira onde o Sol lhe esturricava a cabeça. mas quando um outro soprava na direção contrária. Quando um deles lhe soprava pelas costas. o corvo da fábula e o Gato das Botas. sempre a olhar para um relógio de bolso que estava preso ao colete por uma corrente. Melhor. Às vezes. mas o Coelho Branco ia demasiado apressado para ouvir fosse o que fosse. e ele flutuava. O Povo das Histórias. Mesmo o céu mudava de cor. Ia muito apressado. Porém. a dois. quase sem tocar com os pés no chão. com um belo colete de lã.

– Andas perdido? William também a reconheceu dos livros de histórias. ele não queria encontrar ninguém que pudesse atrapalhar a sua caminhada. Chamavam-lhes “Cabeças de Vento”. abriu a porta feita de rebuçado. O nariz guiou-o até uma pequena cabana de chocolate. Tinha sido avisado pelo Gato das Botas para os evitar. em pleno dia. Era uma bruxa. as cadeiras são de açúcar caramelizado e têm um delicioso 6 . Aliás. – Vou a caminho do Reino da Rosa. Também passou por dois castelos. Dissera ele que eram governados por criaturas que andavam ao sabor dos ventos e que estavam sempre a mudar de direção e de opinião. que ladeou cuidadosamente. apesar do oxigénio muito puro e da energia sempre renovada. Saía luz pelas janelas e. E continuou a avançar. – Devias fazer uma pausa para uma guloseima. Uma velha vestida de negro. que devia ser outro nome para a vida daquele lado. mas ainda tens muito caminho à tua frente – disse ela a falar cada vez mais alto. e negra. viva! – disse ela. E ele também estava no centro dessa confusão. de nariz adunco. Num momento pensavam uma coisa e no seguinte pensavam o contrário. chegavam ao nariz dele os mais deliciosos aromas: chocolate acabado de cozer.daquele lado. – Ora. pela chaminé. ou não vou? – Vais. não – disse ele sem parar de caminhar. um fumo que cheirava a açúcar caramelizado. Olha que a mesa da minha casa é feita de massa de amêndoa com pedacinhos de nougat2. Vou bem. À medida que se aproximava. Mas as histórias e as suas personagens misturavam-se de um modo inesperado. deixou-se guiar por uma luzinha que viu ao longe. mas foi ficando cansado. açúcar mentolado. geleia de framboesa. E quem mais poderia viver numa casinha feita de chocolate para atrair as crianças? – Não. Ao atravessar um bosque de vegetação cerrada em que se fez noite.

É tudo de comer. E. Porto. VOCABULÁRIO 1 inabitáveis. E não posso perder tempo. E. Edições ASA. – Espera! – gritou a bruxa com uma voz estridente que o arrepiou. Era como estar acordado dentro de um sonho. 3. não da realidade que ele conhecia. Ou de um livro. já vou atrasado – disse ele a apressar o passo. – A bruxa da casinha de chocolate! – murmurou ele. As frases abaixo apresentadas correspondem a afirmações sobre William. A bruxa. a tentar perceber onde estava. o Peter Pan. 7 . Até o poço é de melaço! Podes entrar e comer o que quiseres. C. a casinha de chocolate. Já conheço essa história. – Não. E. E assim saiu do bosque cerrado e chegou a um desfiladeiro de vegetação rasteira onde brilhava um Sol radioso. Avista várias personagens de diferentes histórias. Segue o conselho do Gato das Botas.recheio de avelãs. Ordena as frases de A. A. era tudo real. enquanto a bruxa resmungava e vociferava3. de acordo com a ordem pela qual essas informações aparecem no texto. o Coelho Branco. desapareceu dali. as coisas organizavam-se com a lógica dos sonhos. 2 bolo doce feito com nozes. O último Grimm. Recusa o sedutor convite para descansar. Encaminha-se apressado para o seu destino. amêndoas ou pinhões.. Um livro de histórias com todos os outros livros de histórias dentro. no entanto. Começa pela letra C. William correu sem olhar para trás. Sente-se desnorteado no meio da Floresta dos Quatro Ventos. Ali. 3 bradava. berrava. num instante. o Gato das Botas. D. Álvaro Magalhães. misturados com açúcar ou mel. 2007. obrigado. B. a G.

“Olha que a mesa da minha casa é feita de massa de amêndoa com pedacinhos de nougat. Justifica devidamente a tua resposta. Explicita. um sinónimo da palavra sublinhada. Atribui um título adequado ao texto que acabaste de ler. por palavras tuas. Acredita que está a progredir no caminho.” (linha 26) 1. “William avançava há algum tempo pela Floresta dos Quatro Ventos.1. 4. 6. do 7. Ressente-se da fadiga da viagem já longa. Transcreve. GRUPO II 1.º parágrafo (linhas 26-29).F. G. a razão pela qual o Gato das Botas avisou William para evitar os “Cabeças de Vento” (linhas 30-31). Aponta o destino da viagem de William. 7. 4. as cadeiras são de açúcar caramelizado e têm um delicioso recheio de avelãs. Indica dois obstáculos que William teve de enfrentar ao longo do percurso.2.1.” (linhas 50-52) 8 . Justifica o facto de William considerar que “confusão” devia ser “outro nome para a vida daquele lado” (linhas 28-29). “Era assim que o Grimm chamava às criaturas daquele lado. 5.” (linha 1) 4. 2.

flexionando o adjetivo sublinhado no grau superlativo absoluto analítico. 3. 5. Reescreve a frase.1. chegavam ao nariz dele os mais deliciosos aromas: chocolate acabado de cozer.2. b. c. 9 . 5.2. Na frase… a. O nariz guiou-o até uma pequena cabana de chocolate. pela respetiva ordem. As classes de palavras que constituem a oração sublinhada são. as seguintes: a. o verbo “visitar” é transitivo indireto e o verbo “ficar” é auxiliar. o verbo “visitar” é intransitivo e o verbo “ficar” é transitivo direto. Classifica as palavras sublinhadas. 3. Alice visitou as ilhas e ficou espantado com os animais. O Coelho Branco vestia um belo colete de lã. conjunção – nome – verbo – preposição – determinante – adjetivo. Indica o grau em que se encontram. Transcreve os adjetivos da frase anterior.1.1. 5. 4. açúcar mentolado.1. 4.2. d. geleia de framboesa. o verbo “visitar” é transitivo direto e o verbo “ficar” é copulativo.” (linhas 38-41) 3. “À medida que se aproximava.Lê a seguinte frase e seleciona a opção que completa as afirmações abaixo de forma correta. o verbo “visitar” é transitivo direto e indireto e o verbo “ficar” é intransitivo.

b. 8.Indica o nome comum coletivo de “ilhas”.Retira da frase: a.Estabelece a correspondência entre o adjetivo (coluna A) e o nome a que se refere (coluna B). colocando o adjetivo nos graus indicados. conjunção – determinante – nome – preposição – verbo – adjetivo. Um nome próprio. Futuro do conjuntivo/Futuro do indicativo Se nós (saber) nadar bem.4. O temporal que se desencadeou foi (violento – superlativo relativo de superioridade) que se verificou nos últimos anos. 10 . (poder) fazer o trajeto de uma ilha para a outra.b. 5. d. conjunção – verbo – preposição – adjetivo – nome – determinante. conjunção – verbo – adjetivo – preposição – determinante – nome.Completa as frases seguintes. b. Um nome comum contável. c. 7. Todos os pássaros tinham uma plumagem (belo – superlativo absoluto analítico).Completa a frase seguinte com a forma do verbo apresentado entre parênteses no modo e tempo indicados. 5. a. 6.3.

hídrico Coluna B A. chuva 4. tempo Escreve uma palavra que corresponda a cada alínea. Nome a Verbo b Adjetivo c Advérbio provavelmente d abundância escassear g e h f i GRUPO III Escreve uma carta de apresentação. pluvial E.9- Coluna A 1. áureo B. intemporal D. ouro 2. 11 . na qual destaques as características mais relevantes para as qualificações solicitadas no anúncio de oferta de emprego que se segue. ígneo C. fogo 3. respeitando a classe de palavra indicada em cada coluna. água 5. com um mínimo de 180 e um máximo de 240 palavras.

com 12 . está a recrutar um Pasteleiro (M/F). criatividade. gosto pela profissão – Boas práticas de higiene e segurança alimentar – Motivação e empenho para trabalhar na área e para se superar – Sentido de responsabilidade Oferece-se: – Trabalho por turnos – Formação contínua na área – Remuneração de acordo a experiência demonstrada – Bom ambiente de trabalho Enviar Curriculum Vitae para o email: confeitaria_chocolatequente@hotmail. no centro do Porto.PASTELEIRO – TEMPO INTEIRO A confeitaria “Chocolate Quente”. Procura-se profissional com: – Formação na área de pastelaria – Experiência profissional de pastelaria – Espírito de equipa.