Teoria do Processo II (P2

)
19/10/2016

1. O que você entende por intervenção de terceiros?

Resposta: É uma modalidade de um terceiro ingressar na relação jurídica processual já existente.
Temos as seguintes modalidades de intervenção de terceiros: a. Assistência; b. Chamamento ao processo; c.
Incidente de desconsideração da personalidade jurídica.

2. A oposição continua sendo regulamentada no título intervenção de terceiros?

Resposta: Não. O legislador passou a disciplina-la a partir do artigo 682 do NCPC, dentro dos
procedimentos especiais.

3. Explique a assistência simples.

Resposta: Sabemos que existem duas modalidades de assistência: a primeira é a simples e asegunda é
a listiconsorcial.
Na assistência simples verificamos que um terceiro tem interesse jurídico em ingressar na relação
jurídica processual formada pelo autor e pelo réu. Esta assistência é caracterizada pelo interesse jurídico deste
terceiro. Acha-se disciplinada no artigo 119 do NCPC.
Obs: Sublocatário tem interesse em ingressar na relação jurídica constituída anteriormente, em que
figurou o locador como autor, e como réu o locatário. Este sublocatário é um terceiro interessado em auxiliar o
locatário. O seu interesse jurídico está em que aquela ação seja julgada improcedente, para não ter que sair do
imóvel. É importante dizer que este terceiro não pode apresentar qualquer direito em face do locador. Na
verdade, existem duas relações: a primeira entre locador e locatário, e a segunda entre locatário e sublocatário.

Art. 119. Pendendo causa entre 2 (duas) ou mais pessoas, o terceiro juridicamente interessado em que a sentença
seja favorável a uma delas poderá intervir no processo para assisti-la.
Parágrafo único. A assistência será admitida em qualquer procedimento e em todos os graus de jurisdição,
recebendo o assistente o processo no estado em que se encontre.

4. A assistência, conforme parágrafo único do artigo 119 CPC, será admitida em qualquer

procedimento, contudo, o artigo 10 da lei 9099/95 (JEC), não permite esta modalidade de intervenção de
terceiro. Qual lei há de prevalecer?
Resposta: Pelo princípio da especialidade deve prevalecer a lei do JEC.

5. Qual é o procedimento para que este terceiro ingresse na nova relação jurídica que fora

constituída pelos litigantes?
Resposta: O procedimento está descrito no artigo 120 do CPC, ou seja, o assistente apresentará um
requerimento demonstrando o seu interesse jurídico em auxiliar uma das partes, as partes deverão manifestar-se
sobre este pedido, podendo o mesmo ser deferido ou rejeitado liminarmente pelo juiz, após ter lido a
impugnação de uma das partes.

Art. 120. Não havendo impugnação no prazo de 15 (quinze) dias, o pedido do assistente será deferido, salvo se for
caso de rejeição liminar.
Parágrafo único. Se qualquer parte alegar que falta ao requerente interesse jurídico para intervir, o juiz decidirá o
incidente, sem suspensão do processo.

Art. A assistência simples não obsta a que a parte principal reconheça a procedência do pedido. . desista da ação. Neste caso ele. além de um interesse jurídico. Parágrafo único. tem um direito que poderá opor ao adversário do assistido. omisso o assistido. dessa forma. ele tem direito de recebe-lo. Pedro. 121. O que você entende por assistência litisconsorcial? Resposta: O assistente litisconsorcial. neste caso. exercerá os mesmos poderes e sujeitar-se-á aos mesmos ônus processuais que o assistido. o assistente passa a ser substituto processual (artigo 18 e parágrafo único do artigo 121 CPC). consequentemente.  7. • • Art. Sendo revel ou. renuncie ao direito sobre o que se funda a ação ou transija sobre direitos controvertidos. havendo extinção do processo com ou sem resolução de mérito. O legado consta do testamento e. 6.: O herdeiro necessário promove uma ação de anulação de testamento feito pelo seu pai em face do testamenteiro (que é aquele que o testador nomeou no testamento possa dar cumprimento ao mesmo). O assistente simples atuará como auxiliar da parte principal. tomando conhecimento que existe esta ação e que ele faz jus a um legado (bem específico) resolve requerer o seu ingresso naquela ação. Daí porque o legislador. tem um direito que pode opor ao herdeiro necessário. ou seja. a assistente terá que se conformar. de qualquer outro modo. legatário. 122. a assistência simples não impede. daquele que já figura na relação jurídica processual em que o assistente quer ingressar. como a interposição de um recurso). legatário. herdeiro contemplado com um determinado bem (um carro) no testamento. além de ter um interesse jurídico. o assistente será considerado seu substituto processual. ou seja. Obs: Não confundir com a hipótese de revelia (ausência de contestação) ou então omissão (não praticou um ato processual. ao tratar da assistência litisconsorcial estabelece que este assistente pode opor-se ao adversário do assistido. Assistência simples pode impedir que a parte principal reconheça a parte procedente do pedido (atitude que pode ser tomada pelo réu) ou então desista da ação ou renuncie o direito que fundamenta a ação (atitudes tomadas pelo autor) ou então transija sobre direito controvertido (transigir é o mesmo que acordar)? Resposta: Pela leitura do artigo 122 do CPC. Ex. não obsta qualquer uma destas atitudes e.

o ente público denunciando o agente público tendo em vista o inciso II do art. Pode ocorrer que a parte prefira depois de terminada a primeira ação proposta promover uma ação regressiva em face do alienante. porque eu poderei cobrar em uma ação regressiva o prejuízo que sofri. 125 do CPC que se refere àquele que estiver obrigado à indenizar o vencido em ação regressiva. 37 §6º da CF estabelece que há dois critérios de responsabilidade civil. • • CF: Art. Não esquecer que o alienante é o vendedor. É admissível a denunciação da lide.  10. deverá pagar o prejuízo.  9. § 6º As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes. Obs: Evicção é a perda de um bem em virtude de uma sentença.ao alienante imediato. Na hipótese da ação ser julgada procedente. NCPC: Art. O ente público condenado poderá promover uma ação regressiva em face do funcionário que só responderá se tiver agido com culpa ou dolo (critério subjetivo da responsabilidade civil). O ente público ao ser acionado pela vítima responderá pelo critério da responsabilidade objetiva. promovida por qualquer das partes: I . a fim de que . O novo CPC não exige mais a sua obrigatoriedade. por esta razão recebe o nome de denunciado e se é aceito na relação jurídica já constituída passará a formar um litisconsórcio com o adquirente (denunciante). não caberá de forma alguma neste caso a denunciação da lide. causarem a terceiros. não se há de pesquisar se houve culpa ou não ou dolo do funcionário causador do atropelamento. Na hipótese definida em sala de aula devemos ter em conta que o alienante só pode transferir o que tem e será responsabilizado se vender algo que não tinha. Logo. Isto é.26/10/2016  8.  11. A denunciação da lide se presta à economia processual. O que você entende por denunciação da lide? Resposta: A denunciação da lide é uma modalidade de intervenção de terceiro. no processo relativo à coisa cujo domínio foi transferido ao denunciante. O art. 125. Este litisconsórcio é necessário? Resposta: Não. Qual é o fundamento da denunciação da lide? Resposta: É exatamente trazer o garantidor que irá indenizar aquele que perdeu a demanda. Este é o primeiro caso de cabimento da denunciação da lide. enquanto que a parte que o denuncia recebe o nome de denunciante. assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. nessa qualidade. É possível um ente público denunciar à lide o funcionário que causou o dano à vítima que atropelou quando estava prestando serviço? Resposta: Não. que é o terceiro que deve ser denunciado para integrar a lide anteriormente discutida em uma relação jurídica formada entre autor e réu. O denunciado é o garantidor da propriedade do bem que está sendo reivindicado na ação anteriormente proposta. Obs: O terceiro que pode ser o alienante ou a seguradora recebe o nome de denunciado. A seguradora também será garantidora do pagamento de quem perdeu a demanda. 37. O segundo caso é exatamente o da seguradora que deve indenizar o prejuízo de quem perdeu a demanda.

Não se admite mais a denunciação da lide per saltum. Com o chamamento ao processo. os outros que. A denunciação da lide só pode ocorrer em relação ao alienante (vendedor imediato)? Resposta: Sim. A sentença de procedência valerá como título executivo em favor do réu que satisfizer a dívida. ou. II . quando o réu chama ao processo os outros. em ação regressiva.possa exercer os direitos que da evicção lhe resultam. De acordo com o §2º do art. celeridade processual. . o denunciado poderá tão somente denunciar o seu antecessor imediato. por inteiro. Isto ocorre quando o autor promove uma ação em face de apenas uma pessoa. no exemplo dado no quadro. não podendo o denunciado sucessivo promover nova denunciação. 132. mais uma vez haverá economia e celeridade processuais. • Art. ou seja. Art. quando então formar-se-á um litisconsórcio não necessário. a sua quota. porque ele não é obrigatório. mas sim facultativo. quando na verdade há outras pessoas que devem figurar naquela relação jurídica em que se exige o cumprimento de uma obrigação. hipótese em que eventual direito de regresso será exercido por ação autônoma. devem também cumprir aquela obrigação pleiteada naquela demanda.  12. O que você entende por chamamento ao processo? Resposta: É uma modalidade de intervenção de terceiro que tem por finalidade trazer para a relação jurídica já constituída alguém que tem responsabilidade patrimonial com o fiador ou então os demais devedores solidários. Haverá economia processual. na proporção que lhes tocar. a Mariana. § 2º: Admite-se uma única denunciação sucessiva. a indenizar. Quem chama ao processo é aquele que está sozinho no polo passivo. • Art. a fim de que possa exigi-la. na verdade. denunciar-se toda a cadeia de alienantes (denunciados). o prejuízo de quem for vencido no processo. 125.  13.àquele que estiver obrigado. promovida pelo denunciado. A sentença do juiz atingirá a todos que integrarem o processo. contra seu antecessor imediato na cadeia dominial ou quem seja responsável por indenizá-lo. 125 do CPC. ou seja. de cada um dos codevedores. do devedor principal. ocorrerá um alargamento no polo passivo da relação jurídica processual. por lei ou pelo contrato. 132.