a

o

8 SÉRIE 9 ANO
ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS
Caderno do Aluno
Volume 1

GEOGRAFIA
Ciências Humanas

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

MATERIAL DE APOIO AO
CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO
CADERNO DO ALUNO

GEOGRAFIA
ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS
8a SÉRIE/9o ANO
VOLUME 1

Nova edição
2014 - 2017

São Paulo

Governo do Estado de São Paulo
Governador
Geraldo Alckmin
Vice-Governador
Guilherme Afif Domingos
Secretário da Educação
Herman Voorwald
Secretário-Adjunto
João Cardoso Palma Filho
Chefe de Gabinete
Fernando Padula Novaes
Subsecretária de Articulação Regional
Rosania Morales Morroni
Coordenadora da Escola de Formação e
Aperfeiçoamento dos Professores – EFAP
Silvia Andrade da Cunha Galletta
Coordenadora de Gestão da
Educação Básica
Maria Elizabete da Costa
Coordenadora de Gestão de
Recursos Humanos
Cleide Bauab Eid Bochixio
Coordenadora de Informação,
Monitoramento e Avaliação
Educacional
Ione Cristina Ribeiro de Assunção
Coordenadora de Infraestrutura e
Serviços Escolares
Ana Leonor Sala Alonso
Coordenadora de Orçamento e
Finanças
Claudia Chiaroni Afuso
Presidente da Fundação para o
Desenvolvimento da Educação – FDE
Barjas Negri

Caro(a) aluno(a),
O ano que se inicia trará muitos desafios para você, pois deve ser o de conclusão do Ensino
Fundamental. Esse fato representa uma etapa muito importante da sua vida.
O conceito de globalização será retomado neste Caderno, sobretudo o estudo acerca das manifestações da globalização nas diferentes escalas geográficas. Você poderá ampliar os seus horizontes
e desvendar a realidade em que vive, plena de novas informações e que vai bem além da dimensão
do seu lugar, da sua região.
Ao longo do desenvolvimento das Situações de Aprendizagem, você será capaz de compreender
a complexidade dos fenômenos econômicos globais, suas interações e diferenças, além de entender
a produção do espaço geográfico global, considerando a organização política e a economia das sociedades contemporâneas e de suas principais instituições.
Portanto, aprender exige esforço e dedicação, mas também envolve curiosidade e criatividade,
que estimulam a troca de ideias e de conhecimentos. Por isso, sugerimos que você participe das aulas, fique atento às explicações do professor, faça anotações, exponha suas dúvidas, procure respostas
e dê sua opinião.
Se precisar, peça ajuda ao professor. Ele pode orientá-lo sobre o que mais estudar e pesquisar,
sobre como organizar os estudos e onde buscar mais informações a respeito de um assunto. Reserve
todos os dias um horário para fazer as tarefas e rever os conteúdos. E, principalmente, ajude e peça
ajuda aos colegas. A troca de ideias é fundamental para a construção do conhecimento.
Tenha um excelente estudo!
Equipe Curricular de Geografia
Área de Ciências Humanas
Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB
Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

.

] LINTON. Ralph. ed. Ɣ pesquise o significado das palavras e expressões em destaque. 5 .. Tira o pijama. ou de seda cujo emprego foi descoberto na China. São Paulo: Martins. e lava-se com sabão que foi inventado pelos antigos gauleses.. 1971.. 8. faz a barba que é um rito masoquista que parece provir dos sumerianos ou do antigo Egito. um e outro domesticados no Oriente Próximo.] O cidadão norte-americano desperta num leito construído segundo padrão originário do Oriente Próximo. [. agradecerá a uma divindade hebraica. [.] [. [.. ou de linho ou de lã de carneiro. Sai debaixo de cobertas feitas de algodão.. umas e outras recentes. antes de ser transmitido à América. 331-2. Todos esses materiais foram fiados e tecidos por processos inventados no Oriente Próximo. numa língua indo-europeia. que é vestuário inventado na Índia. o fato de ser cem por cento americano. cuja planta se tornou doméstica na Índia. mas modificado na Europa setentrional. impressas em caracteres inventados pelos antigos semitas. Ao inteirar-se das narrativas dos problemas estrangeiros. em material inventado na China e por um processo inventado na Alemanha.. Ɣ sintetize as ideias principais.. se for um bom cidadão conservador.. O homem: uma introdução à antropologia.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 RELAÇÕES ENTRE ESPAÇO GEOGRÁFICO E GLOBALIZAÇÃO Leia o texto a seguir considerando os seguintes procedimentos: Ɣ grife as ideias principais. p.] lê notícias do dia. Ao levantar da cama faz uso dos mocassins que foram inventados pelos índios das florestas do leste dos EUA e entra no quarto de banho cujos aparelhos são uma mistura de invenções europeias e norte-americanas.

Preencha os dados de sua pesquisa na tabela a seguir. Produtos Nome da empresa Alimentícios Higiene Limpeza Vestuário Calçados Eletrodomésticos Eletroeletrônicos 6 País de origem . Elabore uma lista considerando o tipo de produto e procure nas embalagens o nome da empresa e o país de origem desses produtos.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Realize uma pesquisa sobre a origem dos bens de consumo que você utiliza em sua casa.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1

Com base na coleta individual de dados realizada sobre a origem de objetos que usamos no dia a
dia, elaborem, em grupo, uma tabela única que será utilizada como banco de dados para a confecção
de um mapa de fluxos.

Tipo de produto

Origem

Com os dados da pesquisa organizados, construa um mapa de fluxos no mapa mudo da próxima
página. Para a sua montagem, considere as seguintes etapas:
Ɣ

crie uma legenda para cada tipo de produto usando a variável cor;

Ɣ

com o apoio de um atlas geográfico escolar, aponte no mapa mudo o país de origem de cada
tipo de produto e trace o sentido do fluxo dessa mercadoria até o destino (Brasil) usando setas
de acordo com a legenda elaborada para cada tipo de produto;

Ɣ

destaque no mapa os países nos quais estão situadas as sedes das empresas relacionadas na tabela;

Ɣ

crie um título para a produção cartográfica do grupo.
7

8
Projection J. Bertin, 1950

Planisphère, projection “Bertin1950”, 2011. Atelier de Cartographie de Sciences Po. Disponível em: <http://cartographie.sciences-po.fr/fr/planisph-re-projection-bertin1950-2011>. Acesso em: 21 out.
2013. Mapa original (base cartográfica com generalização; algumas feições do território não estão representadas em detalhe; sem escala; sem indicação de norte geográfico).

Título:

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1

1. Observe a imagem a seguir.
O encolhimento do mapa do mundo

Fonte: HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992. p. 220.

9

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1

a) Em sua opinião, o que a imagem representa?

b) Identifique a variação de tempo em cada um dos estágios apresentados na figura.

c) Quais hipóteses poderiam ser levantadas para explicar a relação entre tempo e espaço proposta
pelo autor? Por que ele escolheu esse título para a imagem? Dê exemplos representativos dessa
situação em seu cotidiano.

d) Com base na imagem, quais elementos podem ser considerados responsáveis pelo processo
de globalização? Justifique sua resposta.

10

maio de 2007 Fonte: Fundação Palmares/Agência Brasil. 11 .0 Brasil.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Leitura e análise de mapa 1. Mapa de quilombos no Brasil. Comunidades quilombolas no Brasil. Um exemplo pode ser observado no mapa a seguir. a) Identifique em quais Estados brasileiros há maior número de comunidades quilombolas reconhecidas. maio de 2007. b) Que fatores podem explicar a menor participação dessas comunidades no processo de globalização? Justifique. Licença Creative Commons Atribuição 3. Como você estudou. a globalização não atinge todos lugares e povos igualmente.

” Quantidade de internautas em todo o mundo 1.91 milhões 4.nua. Canadá e EUA 182. que pode atingir todos os lugares. pelo uso da internet.35 milhões Total mundial 605.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU? Analise a tabela apresentada e discuta a frase a seguir. Disponível em: <http://www.12 milhões 5.ie/surveys/how_many_online>.31 milhões 2.24 milhões 3.60 milhões Fonte: Nua Internet Surveys. “Um dos principais efeitos e causas da globalização é a instantaneidade da comunicação. 12 .67 milhões 6. Oriente Médio 5. Acesso em: 21 maio 2013. África 6. Europa 190. Ásia/Pacífico 187. América Latina 33.

a globalização reduz a capacidade de ação dos Estados nacionais. registrando-as em seu caderno. aumentando o desemprego. dos sindicatos e dos atores políticos clássicos em geral. trabalha-se para outros. dá a essas culturas a possibilidade de estilizar-se e difundir sua música. É difícil obter consenso popular para mudanças nas relações de produção. Essa distância equivale. mas não patrões ou chefes identificáveis. portanto. 13 . e a achatar os preços dos produtos locais. Globalizar-se ou defender a identidade: como escapar desta opção Quando escutamos as diversas vozes que falam da globalização.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2 DIFERENÇAS REGIONAIS NA ERA DA GLOBALIZAÇÃO 1. monta o produto em um quinto e tem os seus escritórios em outros dois ou três. surgem os problemas. Em relação à cultura. àquela que experimentamos ao receber mensagens pela televisão. e sim empresas transnacionais anônimas que ditam. elabore uma síntese das ideias principais do texto. Destrói ou enfraquece os produtores locais pouco eficientes. As relações estabelecidas entre cidadãos e entidades supranacionais são distantes. Ao mesmo tempo em que é concebida como expansão dos mercados e. Em uns poucos casos. vindas de lugares não identificáveis. a partir de lugares obscuros e também não identificáveis. suas festas e sua gastronomia por meio de empresas transnacionais. A pergunta que surge é se. Os governos nacionais ficam reduzidos a simples administradores de decisões alheias. pela internet. Leia o texto a seguir. grifando as ideias principais e as dúvidas. posteriormente. comércio e consumo que tendem a enfraquecer os vínculos das pessoas com o seu território nativo. Falar de globalização é falar de integração supranacional. às vezes. Cada vez mais. perante esses poderes anônimos ou translocalizados. mas enfraquece a segurança de se pertencer a uma nação. Um dos principais obstáculos para que os cidadãos acreditem nestes projetos de integração supranacional são os efeitos negativos dessas transformações nas sociedades nacionais e locais. e. A globalização estimula a concorrência internacional e desestrutura a produção local ou nacional. Os cidadãos se sentem impotentes quando a referência de poder é uma empresa transnacional que fabrica peças de um automóvel ou de um televisor em quatro países. pelo cinema. dos partidos. regras indiscutíveis e inapeláveis. pode haver sujeitos na produção e no consumo. porque as tarefas de decisão da política nacional parece que são transferidas para as empresas ou as corporações em uma economia mundializada. a suprimir postos de trabalho. Produz maior intercâmbio transnacional. ou os contrassensos. uma integração que não depende das barreiras ou das fronteiras nacionais. da potencialidade econômica das sociedades. favorece a expansão de indústrias culturais com capacidade de homogeneizar os gostos e os costumes. isto é.

14 .. que está sentada diante de seu painel eletrônico na Califórnia! Depois das 16h. os rituais de submissão. e as limitações impostas pelas fronteiras nacionais.) são produzidas por outros agentes distantes. responda às duas questões a seguir. Em seguida. A formação de uniões regionais de nações. Em segundo lugar. Exemplo de como isso acontece: são 21h10. para finalizar o estudo do texto. a adesão a uma ordem alheia que acaba sendo interiorizada para não perder o salário. Adaptado. por razões tão simples como inteligentes. Mas. a Sony não era japonesa? Que é que ela faz. Nova Iorque ou. produzindo os componentes de um mesmo produto em vários países. e o nome que as empresas sem rosto – com marca. quem sabe. A globalização imaginada. vocês devem elaborar um pequeno relatório do grupo sintetizando essa primeira discussão. no aeroporto berlinense de Tegel. hora local em Berlim. São Paulo: Iluminuras. transmitindo de Miami? GARCÍA CANCLINI. Refere-se a tudo que ultrapassa. telenovelas. na Cidade do México. as peças de entretenimento (programas de TV. redes essas estruturadas na escala mundial.] cujo título completo a maioria muitas vezes desconhece. Néstor.. p. No seu grupo. em Buenos Aires. são as condições de trabalho. isso ocorre apenas dentro dos países da União. como no caso da União Europeia. ali não é necessário pagar mais por serviços fora do horário comercial. 1. nesse sentido não são nacionais e sim transnacionais.. telenovelas. o trabalhador deve cumprir à risca os horários. esses ÀX[RVQmRHVWmRWRWDOPHQWHOLYUHVGDVUHJUDVTXHUHJXODPRFRPpUFLRLQWHUQDFLRQDOWUDGLFLRQDOHPERUDHVVDVHPSUHVDV WHQKDPFRQVHJXLGRPRGL¿FDUFDGDYH]PDLVHVVDUHJXODPHQWDomR Supranacional: o mesmo que transnacional. Em que lugar são produzidos esses thrillers. 2. Translocalização: diz-se de uma empresa localizada em diferentes países. videoclipes. A despeito dessa condição. individualmente. E. Os que estão de fora desse tipo de bloco regional encontrarão as restrições tradicionais para o ingresso de seus bens. então. a locução do aeroporto é feita na Califórnia. uma voz corriqueira e amável comunica aos exaustos passageiros que podem afinal embarcar com destino a Hamburgo. Na verdade. Depois. Agora. sobretudo alfandegárias. O poder dos sindicatos é cada vez mais limitado. os custos salariais para a mesma atividade são consideravelmente mais baixos na Califórnia do que na Alemanha. num estúdio disfarçado em certa baía dos Estados Unidos? Afinal. mais do que flexível. A voz pertence a Angelika B. você e seus colegas deverão formar grupos para a segunda etapa da atividade. na Europa e no Japão da pesquisa científica e das inovações em informação e entretenimento aumentam a distância entre o que se produz nos países desenvolvidos e a produção raquítica e desatualizada das nações periféricas. também sem nome. os intercâmbios transcendem as nações. 19-25. como as logomarcas [. Glossário Intercâmbio transnacional: são duas as condições que podem caracterizar algo que recebe essa denominação.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 A concentração nos Estados Unidos. ou transcende. noticiários e seriados? Em Los Angeles. De maneira semelhante. Esses bens circulam por vários países sem sair dos domínios dessas empresas. Nesse exemplo. são removidas. o trabalho é rígido porque é incerto. socializem com a classe as conclusões desse resumo. discutam as ideias principais contidas nas sínteses individuais registradas no caderno.. Em primeiro lugar. 2003. O comércio ou a troca de bens no interior das redes das corporações transnacionais. mas sem nome – dão a isso é “flexibilização da produção e do trabalho”. o conceito de nação.. o que se torna instável.

a manifestação do trabalho humano foi responsável por imprimir marcas e formas de ocupação próprias que as caracterizaram como únicas. o termo região apresenta significados muito próximos: expressa a noção de que. Nelas.” Você concorda com essa opinião do autor? Por quê? 2. as diferenças entre as regiões do planeta acentuaram-se de maneira notável. Para melhor compreendermos como esse processo se instalou. Além disso. é fundamental analisarmos os seguintes pontos: 15 . o que provocou profundas transformações nos modos de produção e nas formas de contato entre povos e nações. Essas diferenças resultam de processos históricos peculiares e podem ser mais bem percebidas quando se estudam as comunidades primitivas. responsáveis pela produção de artefatos sociais diferenciados. No decorrer da história humana. com o desenvolvimento do comércio e em função de processos migratórios muitas vezes impulsionados por condições naturais adversas. b) “A globalização estimula a concorrência internacional e desestrutura a produção local ou nacional.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 a) De que maneira a globalização reduz o poder dos Estados nacionais? Cite exemplos. registrando-as em seu caderno. Depois elabore uma síntese das ideias principais do texto. Esse processo fez que cada comunidade deixasse impressas na paisagem marcas e formas de apropriação próprias e singulares. desencadeado a partir do século XV. Região e a regionalização Tanto no senso comum quanto como conceito geográfico. Leia o texto a seguir. as singularidades ocorreram em função das formas de apropriação e descoberta das técnicas. na superfície terrestre. o contato entre distintas sociedades deixou aparente as marcas que as diferenciavam. Com o estabelecimento do sistema capitalista e principalmente em decorrência da intensificação do processo de globalização. grifando as ideias principais e as dúvidas. existem áreas que apresentam diferenças entre si.

responsáveis pelo atual estágio da globalização. de modo a definir o que. tanto do ponto de vista da sua estrutura interna como em função de alianças e posicionamentos ideológicos. Em seguida. associada às intencionalidades do capitalismo. assim como uma irregular distribuição das riquezas. c) As alterações políticas responsáveis pelo surgimento dos Estados-nações e a forma como os países se organizaram.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 a) A divisão territorial do trabalho. criou condições para que novas formas de relações de produção fossem incorporadas às sociedades modernas. foi responsável pela definição de modos de produção diferenciados em áreas diversificadas. 16 . intensificada após as Grandes Navegações. No seu grupo. Apresente exemplos de seu cotidiano nos quais seja possível constatar como as inovações tecnológicas. pela criação de áreas de produção manufatureira e. Elaborado por Jaime Tadeu Oliva especialmente para o São Paulo faz escola. foram responsáveis pelo encurtamento das distâncias e pelo maior contato entre povos e nações. A distinção dos papéis socioeconômicos entre metrópole e colônia foi responsável. Depois. de um lado. de outro. 1. você e seus colegas deverão formar grupos para a segunda etapa da atividade. elaborem um pequeno relatório do grupo sintetizando essa primeira discussão. d) Os enormes avanços no sistema de transportes e nos meios de comunicação. discutam as ideias principais contidas nas sínteses individuais. resultantes da incorporação de novas tecnologias. provocaram uma desigual ocupação espacial. como e onde produzir. interferem na vida das pessoas de sua comunidade. b) A expansão das técnicas e dos modos de produção capitalista. socializem com a classe as conclusões desse resumo. pela produção agroexportadora. Agora.

afirmou que há mais telefones na ilha de Manhattan. Além disso. é possível contar com a maior eficiência da rede de telecomunicações. O economista e Prêmio Nobel de Economia Paul Krugman. na atualidade. c) Em sua opinião.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2. exemplifica a globalização dos mercados ao analisar como se caracterizam as relações comerciais atuais entre alguns países africanos e seus parceiros da comunidade europeia. os voos realizados por velhos Boeing entre Zimbábue e Londres estão muito mais baratos. ex-presidente da África do Sul. essa relação comercial só se tornou possível após a aprovação de políticas de abertura dos mercados e da redução das tarifas de importação para o mercado inglês. essa atividade é possível porque. Para o autor. facilitando a relação comercial entre eles. localizada na cidade de Nova Iorque. Por fim. a realidade apontada pelo ex-presidente sul-africano também ocorre no Brasil? Justifique sua resposta. do que em toda a África ao sul do Saara. o que permite contato telefônico e via internet entre vendedores e compradores. a) Quais elementos citados pelo autor representam de forma concreta a globalização dos mercados? Justifique sua resposta. Thabo Mbeki. transformando-se nos atuais “navios cargueiros” do comércio mundial. em seu livro Globalização e Globobagens (1999). b) Em um de seus discursos sobre a globalização. Agricultores do Zimbábue fornecem hortaliças frescas para o mercado inglês valendo-se da disponibilização de voos noturnos que as transportam para esse país sem que ocorra perda da qualidade de seus produtos. 17 . Leia o texto a seguir. Isso impede a inserção da África subsaariana na globalização? Justifique. Elaborado especialmente para o São Paulo faz escola.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU? “A concentração nos Estados Unidos. na Europa e no Japão da pesquisa científica e das inovações em informação e entretenimento aumentam a distância entre o que se produz nos países desenvolvidos e a produção raquítica e desatualizada das nações periféricas. 18 . escreva um pequeno texto explicando as consequências disso para as chamadas nações periféricas.” Com base no trecho destacado de García Canclini.

levando em consideração as questões a seguir. b) Observe agora o mapa de fluxos produzido pelo grupo. Qual regionalização do mundo está representada nessa base cartográfica? Explique. a) Observe atentamente apenas a base cartográfica (com divisão de países) a partir da qual foi elaborado o mapa de fluxos. Analise o mapa da página 8. Quais continentes e países apresentam os maiores fluxos para o Brasil? 19 .Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3 AS POSSIBILIDADES DE REGIONALIZAÇÃO DO MUNDO CONTEMPORÂNEO Leitura e análise de mapa 1.

Observe o mapa da próxima página. por que isso acontece? b) Considerando o dinamismo das economias mundiais. identificadas na questão anterior. estão ocorrendo mudanças regionais significativas na Ásia? Qual país encontra-se em plena expansão econômica.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2. a) As regiões com maiores fluxos. 20 . transformando-se em possível liderança regional? E qual país localizado na mesma região é o mais ameaçado por essa liderança? Justifique sua resposta. relacionam-se a qual(ais) bloco(s) regional(ais) representado(s) no mapa? Na sua opinião.

SACU CEEAC CEMAC UEMOA CEN-SAD CEDEAO UMA UE CEMB EUR ASEC Integrações regionais com objetivo econômico. sem indicação de norte geográfico). situação em 1º de novembro de 2012 Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 . Mapa original (base cartográfica com generalização. algumas feições do território não estão representadas em detalhe. sem escala. situation au 1er novembre 2012. Japão e Coreia do Sul Comunidade Andina de Nações Comunidade do Caribe IOR-ARC CCG CEDEAO CEEAC CEMAC CEMB CEN-SAD COI COMESA IGAD COMESA COI EAC SAARC EAC EURASEC IGAD IOR-ARC MCCA MERCOSUL NAFTA OECO ASEAN Conselho de Cooperação do Golfo Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental Comunidade Econômica dos Estados da África Central Comunidade Econômica e Monetária da África Central Conselho dos Estados do Mar Báltico Comunidade dos Estados Sahelo-saarianos Comissão do Oceano Índico Mercado Comum da África Oriental e Austral CCG APEC C AN PIF SAARC SACU SADC UE UEMOA UMA UNASUL MCC A Comunidade da África Oriental Comunidade Econômica Eurasiática Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento Associação dos Países da Orla do Oceano Índico para a Cooperação Regional Mercado Comum Centro-americano Mercado Comum do Sul Tratado Norte-americano de Livre Comércio Organização dos Estados do Caribe Oriental PIF ASEAN + 3 AL ADI UNASUL MERCOSUL ALBA OECO C ARICOM AEC Fórum das Ilhas do Pacífico Associação Sul-asiática para a Cooperação Regional União Aduaneira da África Austral Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral União Europeia União Econômica e Monetária do Oeste Africano União do Magreb Árabe União de Nações Sul-americanas NAFTA Ateliê de Cartografia da Sciences Po. AEC ALADI ALBA APEC ASEAN ASEAN +3 CAN CARICOM Fonte: compilação dos sites oficiais das organizações. Atelier de Cartographie de Sciences Po.21 SADC Associação dos Estados do Caribe Associação Latino-americana de Integração Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico Associação de Nações do Sudeste Asiático Asean e China. 2012 Ensembles regionaux à vocation économique. Tradução: Benjamin Potet.

Disponível em: <http://cartographie. 2013. algumas feições do território não estão representadas em detalhe. Observe a forma de regionalização apresentada no mapa abaixo e preencha o quadro que o segue. Fronteiras “fechadas” como o Pacto de Varsóvia pela Guerra Fria Outros países ligados “Implante” do Estado ao bloco do Leste (em torno de 1980) Conflitos ou crises ligados Conflitos ligados à definição ao enfrentamento Leste-Oeste das identidades territoriais ou separatistas Nigéria 1970-75 Etiópia Somália Grandes Lagos anos 1960 e 1990 Projeção de J. GIMENO. A BIPOLARIDADE E A ORDEM WESTFALIANA . como a Otan Outros países ligados ao bloco do Oeste (1980) Países ligados à URSS Os territórios por um acordo militar. Atelier de Cartographie de Sciences Po. Bertin. R.1950-1980 Coreia. sem indicação de norte geográfico). GOIRAND. Sistema bipolar Países líderes Países aliados Outras alianças 22 .fr/fr/guerrefroide-1950-1980>. Vietnã 1945-75 A bipolaridade Países ligados aos EUA por um acordo militar. C.sciences-po. outubro de 1998 Sri Lanka La bipolarité et l’ordre westphalien (1950-1980). sem escala. Tradução: Renée Zicman.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Leitura e análise de mapa 1. Nicarágua 1979-90 Indochina. Acesso em: 21 out. 1950-53 Irlanda País Basco Ex-Iugoslávia Cuba 1962 Curdistão Saara Ocid. Mapa original (base cartográfica com generalização. 1950 Oficina de cartografia da Sciences Po.

Observe o mapa e responda: Atelier de Cartographie de Sciences Po. Acesso em: 21 out. 2013. Mapa original (base cartográfica com generalização. Disponível em: <http://cartographie.fr/fr/com-rcio-mundial-de-mercadorias-2010>. a) Além das setas há também círculos de diversos tamanhos.sciences-po. sem escala). mencione as áreas onde o comércio nessa escala é mais intenso. Depois. 23 . Observe a legenda e indique o que eles significam. algumas feições do território não estão representadas em detalhe.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2.

são os mais dinâmicos economicamente. nesse caso. 24 . assinale a alternativa correta: a) Os países da União Europeia. Esse é o caso da China. Note que. que de forma independente é uma potência comercial. Considerando as discussões já feitas. por que se pode considerar superada a regionalização bipolar do mundo? 4. Considerando os dois mapas anteriores. b) Não são somente os países que se organizam em blocos regionais que atuam no comércio em escala mundial. estamos nos referindo ao conjunto representado pelas setas. Maiores polos de comércio mundial Polos menores nas trocas mundiais 3. porque são os únicos a se organizar em blocos regionais. diferentemente dos Estados Unidos e do Japão.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 b) Por que as setas possuem espessuras distintas? c) Preencha o quadro indicando os maiores polos de comércio mundial de mercadorias e também as áreas de maior fragilidade nas trocas mundiais.

pagamento de royalties O que os países periféricos recebem dos países centrais 1. Pagamento de juros de dívidas.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 c) Com a constituição do Mercosul. autorização para uso de patentes Elaborado por Jaime Tadeu Oliva especialmente para o São Paulo faz escola. Investimentos de capitais. além da altamente especializada 3. 2010 (p. é correto falar em mundo multipolar. e) Considerando que os Estados Unidos têm a hegemonia do quadro mundial. Isso se dá inclusive na Europa. 25 . tecnologia. impacto das decisões políticas 4. Subordinação e dependência nas decisões 4. como explicar a contradição resultante da divisão do mundo entre centro e periferia? Ɣ Qual é a relação existente entre a fragilidade econômica e social de alguns países e sua condição periférica na ordem mundial? O que os países centrais recebem dos países periféricos 1. Mão de obra não qualificada ou semiqualificada. Decisões estratégicas. visto que essa organização restringe as relações com a escala mundial. 23) e o quadro a seguir. Matérias-primas e bens manufaturados simples 2. d) Os países que estão se organizando em blocos regionais veem diminuir os investimentos internacionais em seus territórios. Quadros técnicos especializados. Analise o mapa Comércio mundial de mercadorias. empréstimos. a América do Sul está se isolando do processo de globalização. Manufaturas de alto valor agregado. depois produza um relatório em seu caderno discutindo as seguintes questões: Ɣ Quais países do mundo podem ser considerados centrais? E quais são representativos da periferia? Ɣ Considerando que a atual ordem mundial é multipolar. turistas 3. serviços sofisticados 2.

2. Moeda adotada pela maioria dos países da União Europeia. Países ricos. Ordem mundial pós-Segunda Guerra Mundial. 12. 9. Capital da Alemanha. 7. 4. 3. EUA e México. Área de livre comércio entre Canadá. Área de livre comércio da Ásia/Pacífico. 5. 6 1 2 7 11 9 3 8 10 4 12 5 26 . Moeda japonesa. 6. Nova Ordem Mundial. Países periféricos. 11.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Palavras cruzadas 1. 8. Moeda dos EUA. Bloco regional sul-americano. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. 10.

28 out. responsáveis pelo empobrecimento de grandes extensões do planeta. “A globalização não aplainou o mundo. porque a insegurança político-militar do mundo contemporâneo inibe as relações comerciais e culturais entre as nações mais distantes. Sérgio. os saberes e os valores previstos. Rússia. E não é que deu tudo errado? O Estado de S. porque com a globalização temos a aproximação dos mercados. a distribuição da riqueza e o poderio político-militar encontram-se ainda altamente concentrados. d) correta. 2007). Argentina) disputam uma vaga no mundo multipolarizado. gerando a crise que levou à desintegração do império soviético. relacionada à chamada Nova Ordem Mundial que apresentaria os seguintes fenômenos dos novos blocos de poder. d) A multipolarização que muitos observam no mundo se deve aos novos núcleos de poder econômico que concorrem com os EUA. Paulo. e) Os países considerados emergentes (Brasil. não extinguiu todas as fronteiras. b) correta. tais como o Extremo Oriente (China. porque a revolução tecnológica permite uma melhor distribuição da riqueza e do acesso à informação. pode-se dizer que ela é: a) incorreta. c) incorreta. e) correta.” (AUGUSTO. que faz que os fluxos de mercadorias aconteçam em escala global. c) O rompimento com a bipolarização favoreceu o desenvolvimento do capitalismo de Estado. Índia. porque a globalização surge com a derrocada do socialismo e o fim da Guerra Fria. porque a aplicação de investimentos.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 1. a) No período da Guerra Fria. b) A Alemanha Ocidental aderiu ao capitalismo nos anos 1990. 27 . não internacionalizou as riquezas. Assinale a alternativa correta. Em relação a essa afirmação. 2. o poderio econômico e político era disputado pelos Estados Unidos e pela Alemanha. Japão e Coreia do Sul) e a União Europeia.

aconteceu na Holanda o encontro dessas nações para assinatura do Tratado de Maastrich. com o intuito de reorganizarem sua base industrial. e o fim da influência soviética no Leste Europeu. Com a assinatura do Tratado de Amsterdã. União Europeia A ideia de uma organização que congregasse as economias de vários países europeus se tornou mais forte com o final da Segunda Guerra Mundial. agora mais econômica e menos militarizada. Essa pode ser considerada a base inicial de uma nova organização. a nova conjuntura mundial atraiu mais três países para a organização: Suécia. Eslováquia. Na década de 1980. Em 2001. se fala em “zona do euro”. a assinatura do Tratado de Nice ampliou ainda mais o número de membros da União Europeia. 28 . estabeleceu-se uma área de livre circulação de mercadorias. seis países europeus uniram-se. No entanto. ingressaram Portugal. Espanha e Grécia. serviços e capitais. França e Itália. após o fim das ditaduras em seus países. NE de Netherlands (Holanda) e LUX de Luxemburgo. Alemanha Ocidental. entrando definitivamente em circulação em 2002. pois entraram nesse momento muitos dos antigos países socialistas que viviam sob a influência direta da URSS – Hungria. Em 1995. pelo Tratado de Paris. formando a “Europa dos 15”. Holanda. pelo Tratado de Roma. pessoas. República Tcheca. o Mercado Comum Europeu (MCE). mais três países solicitaram o ingresso na organização. os 12 países do MCE ampliaram seus objetivos com o claro intuito de fortalecer a Europa diante da Nova Ordem Mundial. e Reino Unido. formando outra entidade econômica denominada Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (Ceca). O Tratado de Roma pode ser considerado responsável pelo nascedouro da União Europeia. Em 1951. Irlanda e Dinamarca passaram a fazer parte do primeiro grande bloco de livre comércio do mundo. nascido em 1957. Em 1947. por isso. Em 1992. Com a desintegração da URSS. Surgiu naquele momento a “Europa dos 6”: Bélgica. Bélgica. Com isso. em decorrência da desestruturação econômica provocada pelo conflito. Luxemburgo. Luxemburgo e Holanda criaram uma área de livre comércio denominada Benelux – nome que reúne as iniciais de cada um dos países-membros: BE de Bélgica. pelo Tratado de Haia. Estônia. responsável pelo fim da Guerra Fria. em 1997. o euro – que começou a ser utilizado em 1999 somente em transações comerciais e financeiras. Finlândia e Áustria. os países da União Europeia instituíram o passaporte único e a moeda única. o uso do euro ainda não se generalizou na UE. Em 1973. ampliando as alianças econômicas e políticas entre os países-membros. por meio do qual foi criada a União Europeia. Polônia. Lituânia.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 OS PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS SUPRANACIONAIS Leia o texto a seguir e depois responda às questões propostas.

htm>. Referências Europa – União Europeia. De que assunto o texto trata? 2.eu/index_pt. Elaborado por Jaime Tadeu Oliva especialmente para o São Paulo faz escola. Que fatores levaram os primeiros países a formar uma área de livre comércio na Europa? 3. Paulo. Em 2007. em 2001? 29 . Disponível em: <http://europa. Acesso em: 21 maio 2013. VICENTE. ingressaram ainda Bulgária e Romênia. 1. O Tratado de Roma: nos cinquenta anos da Europa. formando a “Europa dos 27”. Como resultado desse tratado. além de Malta e Chipre. Por que países como a Polônia e a Eslovênia só ingressaram na União Europeia após a assinatura do Tratado de Nice. ainda serão necessários a consolidação de uma política militar comum e um maior empenho dos países-membros em relação às questões internacionais. Para fazer valer todos os compromissos assumidos em 1957 com o Tratado de Roma. em 2004 nascia a “Europa dos 25”.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Letônia e Eslovênia –.

Paris: Presses de Sciences Po. Sérvia Mont. octobre 2012. ** A Croácia será membro da UE em julho de 2013. a Islândia recusou-se a se tornar membro da União Europeia. Tcheca Ucrânia Eslováquia Hungria Eslovênia Croácia** Portugal Espanha Moldávia Áustria Suíça Bósnia-Herz.eu) e Toda a Europa (www. AMPLIAÇÕES SUCESSIVAS DA UNIÃO EUROPEIA. p. 2013. 30 . sem indicação de norte geográfico). Atlas de la mondialisation: comprendre l’espace mondial contemporain.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Leitura e análise de mapa Observe o mapa a seguir e depois responda às questões propostas. outubro de 2012 Ampliações sucessivas Islândia* CEE (1957) 1957 1973 1981 1986 UE (1992) Finlândia Noruega Dinamarca Irlanda Reino Unido Estônia 2007 Letônia 5 2 Lituânia Países candidatos Kaliningrado (Rússia) Países Baixos Países que a UE reconheceu com “vocação” para se tornarem membros Belarus (Bielorrússia) Alemanha Bélgica Luxemburgo 1995 2004 Suécia 1 1990 Países que se negaram a entrar na UE Polônia Rep. 2012 França Élargissements sucessifs de l’Union Européenne.fr) Ateliê de Cartografia da Sciences Po. 98. Kosovo Itália 4 Albânia 1 2 3 4 5 Irlanda (1° semestre de 2013) Lituânia (2° semestre de 2013) Grécia (1° semestre de 2014) Itália (2° semestre de 2014) Letônia (1° semestre de 2015) Malta Bulgária Macedônia 3 Presidência rotativa do Conselho da UE Rússia Romênia Turquia Grécia Chipre 500 km *Até 2008. algumas feições dos territórios não estão representadas em detalhe. In: DURAND. Fontes: Portais União Europeia (http://europa. Mapa original (base cartográfica com generalização. Marie-Françoise et al. Tradução: Renée Zicman. Dossier spécial États-Unis.touteleurope.

conforme a divisão tradicional dos continentes? 31 . ainda em andamento. de estruturação da União Europeia. Como podemos visualizar essas informações no mapa? 2. Agora propomos uma pequena pesquisa com dois itens: a) Por que os países do Leste Europeu estão sendo os últimos a serem incorporados na União Europeia (há os que foram incorporados recentemente e há os que desejam ser incorporados)? b) Todos os países que estão pleiteando nesse momento o ingresso na União Europeia são realmente europeus.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 1. Esse mapa da Europa representa o processo. Nele é possível identificar os países que originalmente formaram esse bloco. Considerando a representação do processo de estruturação da União Europeia. vale observar a geografia desse processo: a) Quais são as nações fundadoras e onde elas se localizam? b) Qual a geografia da expansão da União Europeia? 3. assim como os ingressantes posteriores e os que desejam entrar.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Com base no texto União Europeia. elabore um quadro-síntese com as principais ações de integração entre os países que vieram a constituir esse bloco. 32 .

as maiores economias são as do Brasil e da Argentina (juntas. Seguindo a tendência que vigorou como forma de reorganização econômica dos Estados pós-Guerra Fria. no qual atuam simultaneamente forças antagônicas. consolidando o livre comércio entre os quatro países com a eliminação completa das tarifas de importação.558 km²) do território da América do Sul. num clima de paz.789. tem como objetivo ampliar a capacidade dos países da região no trato dos desafios e oportunidades da globalização. assim. em Assunção. Somada. os elos do comércio e do investimento. o Mercosul responde por 71. do Uruguai. Mercosul O Mercosul passou a vigorar oficialmente em janeiro de 1991. A organização aprofundada da convivência no espaço sul-americano pode ampliar vantagens comparativas em um processo de inserção competitiva na economia mundial. a população do bloco chega a 275 milhões de habitantes.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 1. a partir de 1994. O Mercosul nasceu da aproximação geopolítica entre o Brasil e a Argentina e dos acordos prévios de integração econômica bilateral firmados entre os dois países. na medida em que os vetores logística/transporte e telecomunicação/energia forem desenvolvidos para adicionar valor e reduzir custos. o Mercosul. quando os presidentes do Brasil. propiciadora de oportunidades de cooperação. considerando o contexto econômico e geopolítico do continente sul-americano. O Mercosul. tanto se globaliza quanto se regionaliza. Brasil. Uruguai e Venezuela (Estados-membros). capital do Paraguai. estimulando. a América do Sul apresenta um novo potencial: o de aprofundar a cooperação em um projeto de integração voltado para organizar em outro patamar a convivência no espaço sul-americano.32 trilhões (dados de 2011) e ocuparia a posição de quinta economia mundial se fosse considerado como um único país. Dos quatro membros originais do bloco (ou seja. Paraguai. Leia o texto a seguir e identifique o papel de cada um dos membros do Mercosul. Após as mudanças políticas ocorridas nos dois países e a intensificação do processo de globalização. Hoje composto por Argentina. A precondição para a cooperação diplomática e econômica foi a redemocratização política: em meados da década de 1980. com exceção da Venezuela). definiu como metas a implantação de uma área de integração dos mercados. correspondem a 80% das transações do Mercosul). Também apresentam diferenciações quanto aos custos de produção e tipo de setores que recebem 33 .78% da população da região. Também propôs uma Tarifa Externa Comum (TEC). No mundo pós-Guerra Fria.8% (12. o empenho em transformar o rompimento com esses regimes autoritários em fronteiras comerciais abertas teve como ponto de partida o fato de a América do Sul constituir uma unidade física contínua. do Paraguai e da Argentina consolidaram as bases que deram origem ao Tratado de Constituição do Mercado Comum do Sul. por meio da qual produtos importados de países não pertencentes ao bloco só podem circular no interior destes se as normas tarifárias atenderem aos interesses de cada um dos países do bloco. ambos transitaram de ditaduras militares para regimes civis baseados em eleições livres. Possui um PIB nominal de US$ 3. 69. Portanto.

Uruguai e Paraguai. maior produção e salários mais baixos. Equador e Peru são Estados Associados ao Mercosul. apesar de a Argentina também ser considerada um global trader. o Mercosul é o destino de mais de um quarto das exportações argentinas e a origem de quase 30% de suas importações. ou seja. Elaborado por Angela Corrêa da Silva especialmente para o São Paulo faz escola. Colômbia. A economia brasileira funciona como um ímã. em 2003. em Caracas. o bloco do Cone Sul respondeu por mais de 16% da corrente de intercâmbio internacional brasileira. o país vizinho lidera a produção de grãos. Em junho de 2012. a Argentina tornou-se dependente do mercado brasileiro. De certa forma. nos primeiros anos de funcionamento do bloco. A Argentina. O processo de adesão foi iniciado com a assinatura. a República Bolivariana da Venezuela se tornou membro em 2012. Também em 2012 foi formalizado o protocolo de adesão da Bolívia. o Mercosul e a Unasul aprovaram a suspensão temporária do Paraguai por discordar da forma como foi conduzido o processo de impeachment do presidente do país. Dessa forma. Contudo. Isso ocorre porque. isoladamente. a crise financeira argentina abalou fortemente a estabilidade da integração econômica e. tornou-se. o Mercosul tem importância comercial maior para a Argentina do que para o Brasil. tendo a China se tornado o nosso segundo maior parceiro comercial. a integração regional entre esses dois países transformou o Mercosul num eixo prioritário do comércio exterior brasileiro. frutas e pecuária apresentando custos mais baixos que o brasileiro nesses setores. atrás apenas dos Estados Unidos. a sua situação de dependência com o Mercosul é muito maior do que a brasileira. Só para exemplificar. orientando os fluxos de intercâmbio externo de ambos no conjunto do Mercosul.4% do total de intercâmbio com o Brasil. do Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul. exibem forte dependência comercial em relação ao bloco do Cone Sul. em 1997. Chile. Anteriormente na categoria de Estado Associado. com cerca de 40 milhões de pessoas. com tecnologia avançada. Bolívia. que corresponde a mais de 190 milhões de consumidores. o segundo maior parceiro comercial do Brasil. Os dois vizinhos maiores são os principais parceiros comerciais dos dois países. possuir relações comerciais com a maioria dos países do mundo. e o país poderá estar integrado em um prazo de quatro anos ao bloco. o bloco representou apenas 9.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 os maiores investimentos. Enquanto o Brasil tem como benefício o acesso ao mercado argentino. em julho de 2006. no início do ano 2000. Como consequência. Em função do compromisso do bloco com a intensificação das relações com os demais países do continente. Enquanto o Brasil possui um parque industrial bem mais diversificado que o da Argentina. países com população e economia diminutas. 34 .

denominada “Iniciativa para as Américas”. Beneficiando-se dessa situação. novos eixos de poder econômico se instalaram no mundo. apresenta uma grande população. Se. denominadas “maquiladoras”. Ɣ nas restrições ao livre trânsito de trabalhadores entre os países. com a reestruturação econômica europeia e japonesa. porém necessita ampliar o seu mercado consumidor. Diante desse cenário. um reduto de mão de obra barata. participar do Nafta lhe permite escoar sua produção para um mercado de mais de 430 milhões de habitantes. em 1990. Como parte dessa estratégia. o governo dos EUA propôs. os EUA consolidaram-se como a principal potência mundial. colocando fim ao período da Guerra Fria. o então presidente dos EUA. Os princípios básicos que norteiam o Nafta baseiam-se: Ɣ na eliminação das tarifas alfandegárias de centenas de produtos. criando uma zona de livre comércio para a atuação das empresas.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2. Ao se analisar o papel de cada um dos membros que compõem o Nafta. empresas estadunidenses instalam suas filiais. tem sofrido graves problemas com relação à política de restrição à imigração. O Canadá. Entretanto. George Bush. diminuir as constantes migrações de mexicanos para dentro dos EUA. com o intuito de fixar a população em seu próprio país e. Canadá e México com o intuito de que esse bloco se transformasse no embrião de uma organização maior denominada Área de Livre Comércio das Américas (Alca). por um lado. cerca de 107 milhões de habitantes. situação que se configurou definitivamente após a desintegração da URSS em 1991. apresenta uma atividade econômica de grande desenvolvimento. também se beneficia da ampliação de mercados. propôs a criação de uma imensa área de livre comércio. Nafta Após a Segunda Guerra Mundial. portanto. Ɣ na livre circulação de mercadorias e dólares entre os países integrantes. por outro. apenas para montar produtos destinados aos países do bloco. Dessa forma. a partir da década de 1970. em cidades fronteiriças. o North American Free Trade Agreement (Acordo de Livre Comércio da América do Norte) – Nafta. com isso. que vivem muitas vezes em condições sociais precárias. que deveria abranger do “Alasca ao Cabo Horn”. sendo. Já o México enfrenta alguns problemas mais sérios. segunda maior área do mundo e com uma população de cerca de 35 milhões de habitantes. 35 . Leia o texto a seguir e depois responda às questões propostas. evidenciam-se os interesses que permeiam o bloco. Como é o país de menor desenvolvimento entre os integrantes do Nafta. país com 9 976 139 km2. O principal objetivo do Nafta foi promover a integração de mercados por meio da livre circulação de mercadorias entre EUA. No encerramento do evento. com exceção de Cuba. uma reunião entre as lideranças da América. em 1992 foi criada a zona de livre comércio da América do Norte.

ampliando. a) Destaque do texto os principais objetivos do Nafta. denominada Alca. além de ter acesso a uma farta mão de obra de custo baixo. o potencial de seu mercado. pois o México. Inicialmente incorpora ao seu mercado as populações consumidoras do Canadá. 36 . portanto. b) Descreva as vantagens e as desvantagens resultantes da adesão ao Nafta para cada um dos países-membros. Ao incorporar o México numa organização econômica de peso. a estratégia política estadunidense contribuiu para romper com a possibilidade de se criar um bloco unicamente latino-americano. os EUA têm sólidos interesses no Nafta.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Por outro lado. Diante das demandas individuais. o grande vitorioso são os EUA. Elaborado por Jaime Tadeu Oliva especialmente para o São Paulo faz escola. segunda maior população da América do Norte. ainda mais quando se imagina o Nafta como balão de ensaio para a consolidação de uma organização muito maior. e do México. com alto poder aquisitivo. importante liderança regional. não mais apresenta interesses em relação a seus pares latinos.

e principalmente para o Brasil.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 3. pois apresenta superávits de exportação somente com a América Latina. transformar a região de atuação do Mercosul em importante ponto geográfico de convergência de mercadorias globais. com um PIB conjunto que já supera 1 trilhão de dólares e tem efetuado parcerias de livre mercado com vizinhos. o Mercosul representa uma possibilidade ou uma tentativa de organização de países para enfrentar esses novos arranjos mundiais. e se pode constatar tal argumento ao analisar as diversas formas de intervenção estadunidense em países da América Latina. de certo modo. retardar sua efetivação. a balança comercial estadunidense é deficitária. Alca Ao analisar os resultados da balança comercial dos Estados Unidos nos últimos anos. para os países do Cone Sul. Para se ter uma ideia do gigantismo das cifras. Na América do Sul. Por outro lado. Em relação à concretização da Alca. a maior resistência vem do governo brasileiro. O crescimento do comércio regional pode ser explicado pelo fato de as empresas transnacionais que atuam especialmente no Brasil e na Argentina terem ampliado sua escala de produção. a) Com base nos textos sobre o Nafta e a Alca. Elaborado por Jaime Tadeu Oliva especialmente para o São Paulo faz escola. b) De acordo com o texto sobre a Alca. os países latino-americanos têm em geral certo receio quando se propõe uma integração continental porque é sabido que os interesses estadunidenses não são convergentes em relação às reais necessidades dos povos latino-americanos. no setor automobilístico a produção conjunta entre Brasil e Argentina é equivalente à da Alemanha. o mais industrializado deles. ampliando o seu poder na região. é fundamental garantir a consolidação do que se denomina hoje de “base Mercosul”. ganha sentido o interesse estadunidense em compor uma área de livre comércio com toda a América. Leia o texto a seguir e depois responda às questões propostas. atualmente o quatro maior bloco de mercado do mundo. Em relação a todos os outros continentes. Nesse sentido. ou seja. identifique os interesses dos EUA na concretização de uma área de livre comércio que envolva a totalidade dos países americanos. A posição brasileira vem em defesa do Mercosul. que não mediu esforços para. quais motivos levam governos dos países latino-americanos a recearem a efetivação da Alca? 37 .

. Essa situação força os EUA a apoderar-se da maior parte do mercado latino-americano.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 4. 2002. Enquanto os países latino-americanos devem eliminar todas as barreiras comerciais cumprindo as normas da doutrina de “livre comércio”.]. 109-19. 38 . está muito distante de uma “integração econômica”. Pelas normas do Mercosul. facilitaria a supremacia de suas corporações [. Ambos procuram construir mercados cativos para suas corporações transnacionais que deslocam suas fábricas para as regiões que oferecem. [. juros e royalties. [. seus países-membros não podem negociar acordos bilaterais de livre comércio com outros governos.. de seus recursos naturais e de suas empresas. dimensões territoriais e vocação democrática.] parece mais uma subordinação de colônias à potência imperial do que uma integração econômica.] sem uma prévia integração da América Latina através da ampliação do Mercosul ou outro projeto semelhante não haverá possibilidade de negociar em pé de igualdade com os EUA ou mesmo com a União Europeia. Em resumo.. além de mão de obra relativamente qualificada e barata. fluxos de capitais [.] RATTNER.. tal como proposta. afetando particularmente o Brasil.]. do sul para o norte. A Alca. A persistência da crise financeira-fiscal-cambial da Argentina leva-a a procurar negociar diretamente com os EUA um eventual acordo bilateral. os EUA se reservam o direito de manter os subsídios à sua agricultura. a legislação antidumping para proteger suas indústrias.]. p. A Alca é totalmente assimétrica – as corporações transnacionais com sede nos EUA acumulam ativos latino-americanos e determinam o fluxo unilateral de lucros. também condições infraestruturais adequadas [. [.. que implicaria intercâmbio mais ou menos equilibrado de produtos... relações e benefícios bastante simétricos. Leia o texto a seguir e depois responda à questão proposta...] Mas. Também o Uruguai está esboçando uma política para ampliar o comércio com os EUA. o projeto da Alca atende aos interesses econômicos e estratégicos dos Estados Unidos na América do Sul.. A proposta da Alca [.. Mercosul e Alca: o futuro incerto dos países sul-americanos... Mercosul × Alca: há conflito? A Alca. bilateralmente. por seu potencial econômico.] o aprofundamento da crise econômica nos EUA e a concorrência crescente com a Europa e o Japão [..] resulta em déficits enormes e insustentáveis.] e uma série de restrições “sanitárias” [. São Paulo: Edusp. segundo as regras do Mercosul.. [..... Henrique. os parceiros são obrigados a respeitar uma tarifa comum nas transações com o resto do mundo.. dando prioridade de acesso às empresas estadunidenses. população. cotas de importação para os setores em que não são competitivos [.]...

defendendo ou criticando o ingresso de seu país em blocos econômicos supranacionais.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Com base nos textos Mercosul. quais são os interesses regionais do Brasil ao defender a ampliação do Mercosul no contexto sul-americano? Com base nos textos e em seus conhecimentos de Geografia. redija uma carta para o presidente de algum país do continente americano. Considere em seu texto vantagens e desvantagens para a população local e a economia do país. Alca e Mercosul × Alca: há conflito?. 39 .

relacionando-os na sequência das maiores para as menores economias e assinale a alternativa correta: 2 4 1 Projection J. países do Extremo Oriente. 2013. União Europeia e Mercosul. Essa nova ordem se ergue no final da Guerra Fria (um dos marcos do fim da ordem bipolar). União Europeia e países do Extremo Oriente. sem escala. e) Nafta. países do Extremo Oriente e União Europeia. Nafta. Adaptado para fins didáticos. b) União Europeia. Atelier de Cartographie de Sciences Po. projection “Bertin1950”. 1950 3 Planisphère. com o crescimento dos núcleos econômicos tradicionais (Europa e EUA) e com a concorrência de novos núcleos que estão ascendendo no mercado mundial. principalmente. Mercosul e países do Extremo Oriente. o Extremo Oriente.fr/fr/planisphre-projection-bertin1950-2011>. Bertin. como a América do Sul e. identifique esses núcleos econômicos. d) Nafta. Baseado no mapa a seguir. Disponível em: <http://cartographie. Mercosul.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 A globalização da economia e da sociedade está levando ao desenvolvimento de um novo “desenho” de ordem mundial. Mercosul. Essa nova ordem assiste. 2011. a organização de blocos e uniões regionais em muitos desses núcleos. Acesso em: 21 out. algumas feições do território não estão representadas em detalhe. países do Extremo Oriente. sem indicação de norte geográfico). Nafta e Mercosul. 40 . a) Nafta. desse novo mundo multipolar. c) União Europeia.sciences-po. Mapa original (base cartográfica com generalização. também.

debatendo com toda a classe. 1. Pesquise em jornais. 41 . quais são os direitos básicos que deveriam estar garantidos para todas as pessoas? Você acredita que todas as pessoas têm esses direitos assegurados? Procure responder. registre suas conclusões no espaço a seguir. a essas questões. em revistas ou na internet imagens que contenham cenas de desrespeito aos direitos humanos listados pela classe. O que você sabe sobre isso? Em sua opinião.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5 A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Para começo de conversa Nas próximas aulas. Selecione quatro imagens. vamos abordar um tema muito importante: os direitos humanos. oralmente. descrevendo-as e explicando por que representam a violação de um direito humano básico. Depois. cole-as nas próximas páginas e faça uma legenda para cada uma delas.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Imagem 1 Legenda 42 .

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Imagem 2 Legenda 43 .

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Imagem 3 Legenda 44 .

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Imagem 4 Legenda 45 .

produza um texto que sintetize as informações. para responder às seguintes questões: por que as imagens selecionadas representam a violação de um (ou vários) direito(s) humano(s) básico(s)? Que direito(s) é(são) esse(s)? O que pode ser feito para que esse(s) direito(s) seja(m) garantido(s)? 46 .Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2. Após o trabalho com as imagens.

sem distinção de qualquer espécie. a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.] Artigo I. [. O que você sabe sobre a época em que foi instituída essa Declaração? Qual foi a importância dessa Declaração naquele momento histórico? 2. tendo sempre em mente esta Declaração. Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração. se esforce. Todo ser humano tem direito à vida. sexo. com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade. seja de raça. Artigo II.. Ninguém será submetido à tortura nem a tratamento ou castigo cruel.. ou qualquer outra condição. à liberdade e à segurança pessoal.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948.] 47 ... Artigo IV. origem nacional ou social. religião.. por promover o respeito a esses direitos e liberdades. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade. Artigo V. [. através do ensino e da educação. nascimento. cor. Agora. 1..] A Assembleia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações.. opinião política ou de outra natureza. riqueza. [. Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. idioma. leia alguns artigos que compõem a Declaração Universal dos Direitos Humanos e faça as atividades propostas..] Artigo III. Ninguém será mantido em escravidão ou servidão. desumano ou degradante. 1. [.

1. Acesso em: 22 out. a) O que há de diferente entre a listagem de direitos feita pela classe e os direitos selecionados da Declaração Universal dos Direitos Humanos. inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas. Artigo XXIV.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Artigo XXIII. Disponível em: <http://unicrio. pelo menos nos graus elementares e fundamentais. sem qualquer distinção. inclusive alimentação. Toda pessoa tem direito à instrução. 2013. e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.org. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais. nascidas dentro ou fora do matrimônio. assim como à sua família. Todo ser humano. 2. e a que se acrescentarão. saúde e bem-estar. se necessário. Todo ser humano tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.. 1.br/img/DeclU_D_HumanosVersoInternet.] ONU. A instrução elementar será obrigatória.] 2. Todo ser humano tem direito a repouso e lazer. invalidez. que lhe assegure. cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis. Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar-lhe. e direito à segurança em caso de desemprego. 4. Declaração Universal dos Direitos Humanos. à livre escolha de emprego. [. Nova Iorque: ONU. A instrução será gratuita. Todo ser humano tem direito ao trabalho. [. 3. viuvez. Todo ser humano que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória. a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego. Todas as crianças. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. vestuário.. Artigo XXVI. apresentados no texto? 48 .. Artigo XXV. 1948. tem direito a igual remuneração por igual trabalho.pdf>.. gozarão da mesma proteção social. e à sua família. A instrução promoverá a compreensão. outros meios de proteção social. 1. doença. a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos. 2. velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle. uma existência compatível com a dignidade humana. habitação.

49 .Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 b) Quais são as principais estratégias indicadas para solucionar as situações de desrespeito aos direitos humanos? Justifique sua resposta. representem alguma situação na qual esse direito esteja sendo negado a uma pessoa ou a um grupo. Em todas as medidas relativas à infância será dada prioridade aos melhores interesses da criança. 1. Medidas imediatas devem ser tomadas para eliminar as piores formas de trabalho infantil. Todas as meninas e todos os meninos nascem livres e têm a mesma dignidade e os mesmos direitos. é necessário eliminar todas as formas de discriminação contra as crianças. pautada nos objetivos apresentados a seguir. Erradicar a pobreza: investir na infância. 2. unidos na convicção de que investir na infância e realizar os direitos da criança estão entre as formas mais efetivas de erradicar a pobreza. Depois. 3. Colocar as crianças em primeiro lugar. portanto. Esse trabalho pode ser feito em folhas de papel branco ou em cartolina. Reafirmamos nossa promessa de romper o ciclo da pobreza em uma só geração. O documento Um mundo para as crianças foi aprovado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em maio de 2002. Não abandonar nenhuma criança. Organizados em grupos. Trata-se de uma nova agenda para as crianças do mundo. selecionem dois artigos e procurem representá-los por meio de um desenho ou uma colagem.

unicef. Sua sobrevivência. sua beleza e seus recursos. Proteger a Terra para as crianças.org/brazil/pt/um_mundo. ONU. como base de um ensino fundamental completo. Proteger as crianças da guerra. Cuidar de cada criança. Acesso em: 22 out. Combater o HIV/Aids. 6. Educar todas as crianças. Disponível em: <http://www. p. Explique a sua escolha. 9. 2002. aprovada em 1948? Justifique sua resposta. É necessário proteger as crianças e suas famílias dos efeitos devastadores do HIV/Aids. exploração e discriminação.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 4. Devemos respeitar seus direitos de se expressar e de participar em todos os assuntos que lhes dizem respeito. sentir-se emocionalmente seguras e ser socialmente competentes e capazes de aprender. Escolha dois objetivos que você considere mais importantes. As crianças devem ser protegidas dos horrores dos conflitos armados. Será dada toda a assistência possível para proteger as crianças e reduzir ao mínimo os impactos nelas provocados pelos desastres naturais e pela degradação do meio ambiente. Nova Iorque: ONU. Proteger as crianças da violência e da exploração. Todas as meninas e todos os meninos devem ter acesso à educação primária obrigatória. de acordo com sua idade e maturidade. 2013. Ouvir as crianças e assegurar sua participação. 5. 1. 13-6. As crianças devem ter o melhor início de vida. Devemos defender nosso ambiente natural com sua diversidade biológica. proteção. crescimento e desenvolvimento com boa saúde e uma nutrição adequada são as bases fundamentais do desenvolvimento humano.pdf>. Esses objetivos seguem princípios comuns àqueles expressos na Declaração Universal dos Direitos Humanos. assim como de todas as formas de terrorismo e de serem mantidas como reféns. 2. estar mentalmente alertas. 8. combater as principais causas da desnutrição e criar as crianças em um meio seguro que lhes permita desfrutar de boa saúde. Faremos um esforço conjunto para lutar contra as doenças infecciosas. 10. Um mundo para as crianças. 7. As crianças devem ser protegidas de todo e qualquer ato de violência. Crianças que estão em território sob ocupação estrangeira também devem ser protegidas de acordo com as disposições do direito humanitário internacional. totalmente gratuita e de boa qualidade. maus-tratos. 50 . Devem eliminar-se as disparidades de gênero na educação primária e secundária. As crianças e os adolescentes são cidadãos valiosos que podem ajudar a criar um futuro melhor para todos. tudo aquilo que melhora a qualidade de vida para as gerações atuais e futuras.

aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948: Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. c) prisão arbitrária daqueles que fazem oposição aos governos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade. 51 . é noticiado pelos meios de comunicação com certa frequência. Você considera que a realização desses objetivos pode melhorar a vida das crianças e dos adolescentes brasileiros? De que forma? 4.. b) garantia de direitos. seja em nosso país ou em outros lugares do mundo. Será que as crianças estão efetivamente protegidas conforme o previsto no documento Um mundo para as crianças? Como podemos relacionar esse documento da ONU e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) no Brasil? Justifique sua resposta. sexo ou crença.] (Artigo 1o) Entende-se que o documento da ONU recomenda a todos os países a: a) manutenção da liberdade de comunicação e informação. [.. Encceja 2005 – O desrespeito aos direitos do homem. d) restrição à liberdade de pensamento e de ir e vir. O texto a seguir foi extraído da Declaração Universal dos Direitos Humanos. independentemente de cor.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 3.

Mapa original (base cartográfica com generalização. O bloco passou a ter 28 membros.rekacewicz@monde-diplomatique. 2004. 2006. sem escala. Cartografia de Philippe Rekacewicz (philippe. sem indicação de norte geográfico). Le Monde diplomatique. Aderiram ao bloco a Romênia e a Bulgária. L’Atlas du monde diplomatique. quando o mapa foi elaborado. 52 . a União Europeia contava com 25 integrantes. em 2007.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 6 A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU) Observe o mapa Quem financia a ONU?. Tradução: Renée Zicman. Nota da autora do Caderno: em 2004. algumas feições do território não estão representadas em detalhe. Paris: Armand Colin. Adaptado (acréscimo de cotas). e a Croácia. em 2013. que apresenta os países com atraso na contribuição para a ONU.fr). Quem financia a ONU? 25 países-membros da União Europeia 585 Canadá Estados Unidos 340 Noruega Rússia Suíça China Turquia México Argélia Venezuela Israel Líbia Arábia Saudita Irã Índia OCEANO PACÍFICO Tailândia Nigéria Colômbia Coreia Japão do Sul 300 Cingapura Malásia Brasil OCEANO PACÍFICO OCEANO ÍNDICO OCEANO ATLÂNTICO África do Sul Austrália Argentina Chile Insumos para o orçamento ordinário das Nações Unidas em 2003 País com contribuição superior a US$ 1 milhão Milhões de dólares 585 340 150 40 20 2 Fonte: Nações Unidas. Paris. que identifica a contribuição de cada país ou bloco econômico no financiamento das operações das Nações Unidas. e o gráfico Os atrasos na contribuição da ONU.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Milhões de dólares 600 A altura total da coluna representa o valor das contribuições dos países-membros não pagas em 31 de dezembro 500 400 Atrasos nos pagamentos dos Estados Unidos: dívida em 31 de dezembro de cada ano Atrasos nos pagamentos de todos os países-membros: dívida em 31 de dezembro de cada ano 300 200 100 0 1971 1973 1975 1977 1979 1981 1983 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 2001 2003 Fontes: Nações Unidas. Le Monde Diplomatique. Fórum de Política Global. No contexto da América do Sul. 2006. Com base no mapa e no gráfico anteriores. Por que isso ocorre? 53 Philippe Rekacewicz. Quais são os maiores financiadores dos programas e agências da ONU? Por que você acha que isso ocorre? 2. responda: 1. Os atrasos na contribuição da ONU . Paris. Paris: Armand Colin. o Brasil é o principal financiador da ONU. Fonte: L’Atlas du monde diplomatique.

5. identifique qual país se destaca como “mau pagador” de suas contribuições à ONU. No continente africano. apenas quatro países contribuem com somas anuais superiores a 1 milhão de dólares. A partir das informações contidas no gráfico Os atrasos na contribuição da ONU.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 3. Quais são as consequências prováveis desses atrasos para a comunidade internacional? 54 . Quais são esses países? Você saberia explicar por que isso ocorre? 4.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Desafio! © Patrick Robert/Sygma/Corbis/Latinstock A operação militar representada na foto pode ser usada como um exemplo de desrespeito ao Conselho de Segurança da ONU? Explique sua resposta. 55 . Tropas estadunidenses na invasão do Iraque. 2003.

Entretanto. pois não aceitam a liderança regional dos seus vizinhos. para eles e para mais dois países do continente africano a serem escolhidos posteriormente. 1. Em maio de 2005. que continuaria prerrogativa exclusiva dos cinco membros permanentes originais. Qual é a posição brasileira diante da reforma do Conselho de Segurança? 2. todos os atuais membros do CS. com exceção da França. Elaborado por Regina Araujo especialmente para o São Paulo faz escola. a Índia e o Japão apresentaram uma proposta de expansão do Conselho de Segurança (CS) da ONU. que passaram a ser conhecidos como G-4. reivindicavam assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. abrirem mão do direito de veto. Os Estados Unidos. quaisquer que sejam eles. Também a Argentina e o Paquistão se pronunciaram contra a candidatura do G-4. Esses quatro países.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Leia o texto a seguir. pronunciaram-se contra a proposta. por exemplo. Por que a Argentina e o Paquistão se posicionaram contra a candidatura do G-4? 56 . a Alemanha. defendem que a reforma do Conselho de Segurança só deve ocorrer se os novos membros. o Brasil.

1. Em sua opinião. Com base nele. e usando o planisfério político de um atlas geográfico escolar como referência de localização dos países e regiões do mundo. Qual é o significado estratégico e geopolítico do direito de veto no Conselho de Segurança da ONU? Leitura e análise de mapa Observe atentamente o mapa da próxima página. qual é a importância para um país como o Brasil integrar o Conselho de Segurança da ONU? 4.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 3. responda às questões. Quais regiões do mundo já cumpriram a meta de reduzir pela metade o número de pessoas extremamente pobres? 57 .

Assegurar o Ensino Fundamental para todas as crianças do mundo: 3. Diminuir pela metade a quantidade de pessoas extremamente pobres. Le Monde diplomatique. Combater as principais doenças epidêmicas: 10. Promover a igualdade de empregos. 11. 2. 16. 5.Cartografia de Philippe Rekacewicz (philippe.           Objetivos e metas do milênio América Latina e Caribe Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 . set. 14.rekacewicz@monde-diplomatique. Reduzir pela metade a quantidade de pessoas sem acesso à água potável. Paris 58       Assegurar um meio ambiente sustentável: 13. 2006. Mapa original (base cartográfica com generalização. Melhorar as condições de vida nas zonas marginais (periferias). Frear o desmatamento. Objetivo em vias de ser alcançado Objetivo fora de alcance para 2015 Sem melhora ou com retrocesso Cada quadrado representa o avanço conquistado com relação a um objetivo do milênio Oriente Médio e Estados do Golfo África Subsaariana Melhorar a saúde materna: 9. Diminuir pela metade o percentual de pessoas que passam fome. Permitir que todas as crianças terminem o ciclo completo da educação básica. 15. Reduzir em dois terços a mortalidade de crianças menores de 5 anos. África do Norte (XURSD Oriental L’Atlas du monde diplomatique. Fazer retroceder a epidemia de tuberculose. PNUE/GRID-Arendal. Promover uma representação equitativa de mulheres nos Parlamentos nacionais. 6. algumas feições do território não estão representadas em detalhe. Reduzir a pobreza extrema e a fome: 1. Fazer retroceder a epidemia de malária. Eliminar as desvantagens das meninas no acesso à educação básica. sem indicação de norte geográfico). 12. Ásia Central Ásia do Sul Ásia Oriental Dados insuficientes Objetivo já alcançado ou perto de ser cumprido Sudeste da Ásia Oceania Fonte: ONU e Avaliação dos objetivos do milênio.fr). Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres: 4. Fazer retroceder a epidemia de AIDS. 8. Paris: Armand Colin. 2005. Noruega. Generalizar a vacinação contra o sarampo. Reduzir a mortalidade infantil: 7. Reduzir pela metade a quantidade de pessoas sem acesso a uma rede de saneamento. sem escala. Mapa editado por Hugo Alhenius. Reduzir em três quartos a mortalidade materna. Tradução: Renée Zicman.

Em quais regiões do mundo a situação da pobreza piorou ou permaneceu estagnada? Quais os prováveis motivos que justificam essa situação? 3. em qual região os resultados ficaram mais distantes dos objetivos predeterminados? 6. Em qual região do mundo a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio é mais dramática. Em quais regiões do mundo a situação do desmatamento piorou ou permaneceu estagnada? 4. ou seja. As demandas dos países ricos dificultaram a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no continente africano. Os dados da tabela reforçam ou contestam essa tese? Explique sua resposta. Em que região há melhor desempenho em relação aos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio? Leitura e análise de tabela 1. o que isso pode representar para essas regiões? 5. Quais regiões do mundo já conseguiram ou estão em vias de conseguir universalizar a oferta de Ensino Fundamental? Na sua opinião.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2. 59 .

Acesso em: 11 nov. Encceja 2006 O presidente americano Franklin D. Mas.br/pages/pdf/2005/mundo0505. A partir da análise dos textos acima.pdf>. ele enxergava a futura organização não como uma “liga da paz”.A. 60 . Roosevelt foi o idealizador da ONU. 2005. Boletim Mundo. set. 2013. p. desde 1943.] Em 2000 a ONU lançou os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – como um compromisso para diminuir a desigualdade e melhorar o desenvolvimento humano no mundo. Buenos Aires: Capital Intelectual S. p. b) os dois textos questionam a representatividade mundial da ONU. é correto afirmar que: a) os dois textos apontam a ONU como uma instituição internacional cujo objetivo é promover a paz e o desenvolvimento mundial. 1. Disponível em: <http://www.. 105. São Paulo: Clube Mundo – Geografia e Política Internacional. Fonte: El atlas de le monde diplomatique. 7. mas como um instrumento das grandes potências para conservar a paz pela força.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Para onde vai o dinheiro do mundo? (em bilhões de dólares) Gastos militares dos países ricos* Gastos mundiais em publicidade* Custo anual da Guerra do Iraque** Investimento necessário para que a África atinja todos os ODM em 2015 616 446 180 25 * Dados de 2003. ** Gastos dos Estados Unidos.. n. c) a atuação da ONU está restrita às negociações para impedir conflitos armados entre os países. 2006. [. Philippe Rekacewicz. Le Monde Diplomatique. fraca e impotente.com. d) os dois textos são contraditórios e retratam a atuação da ONU na promoção de intervenções militares.clubemundo.. Paris. 5.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 7 A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO Para começo de conversa 1. Quais são essas barreiras e como elas funcionam? 61 . 2. A maior parte dos países busca proteger seu mercado interno criando barreiras à importação de mercadorias. Explique por que a maior parte do comércio internacional ocorre entre os países ricos.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Leitura e análise de mapa 1.sciences-po. Observe o mapa e responda às questões a seguir. algumas feições do território não estão representadas em detalhe. Acesso em: 21 out. 2013. Mapa original (base cartográfica com generalização. sem escala). Disponível em: <http://cartographie. a) Quais são os eixos estruturantes do comércio mundial? 62 . Atelier de Cartographie de Sciences Po.fr/fr/com-rcio-mundial-de-mercadorias-2010>.

De acordo com o Comitê do Conselho Internacional do Algodão. A cultura do algodão é nosso bilhete de entrada para o mercado mundial. os subsídios ao algodão somaram cerca de 5.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 b) Como você avalia a participação das Américas do Sul e Central e da África no comércio internacional? Leia o texto a seguir. Com a criação da Nova Parceria Econômica para o Desenvolvimento Africano. a África precisa poder tomar seu destino em suas próprias mãos. Nada mais central para essa meta do que participar do comércio mundial. os líderes africanos assumiram o compromisso de seguir os princípios da boa governança e da economia de mercado. Apoio internacional – tanto financeiro como de outro tipo – certamente é necessário para ajudar no combate à pobreza extrema e doenças que afetam nossas nações. Sua produção é crucial para o desenvolvimento econômico da África Central e Ocidental. Mais do que isso. Esse setor econômico vital em nossos países está sendo seriamente ameaçado pelos subsídios agrícolas oferecidos pelos países ricos a seus produtores de algodão. assim como para a manutenção de suas áreas rurais. primeiro e mais importante. Os subsídios a seus produtores estão nos estrangulando Depois de muitos anos sendo empurrada para o segundo plano global. o algodão é de fundamental importância para a infraestrutura social da África. Mas. O algodão responde por até 40% das receitas de exportação e 10% do Produto Interno Bruto em nossos países. é encorajador ver a atenção do mundo focalizar em nosso continente. quase igualando a quantidade de algodão comercializado nesse mesmo período. Tais subsídios levam a um excedente de produção mundial 63 . em 2001. Como presidentes dos dois países menos desenvolvidos da África – Burkina Faso e Mali – estamos ansiosos para participar no sistema de comércio multilateral e assumir seus direitos e obrigações. assim como no Benin e no Chade. assim como para o sustento de milhões de pessoas na região.8 bilhões de dólares na produção dos anos de 2001 a 2002. Somente autoconfiança e crescimento e desenvolvimento econômicos permitirão que a África se torne um membro pleno da comunidade mundial.

para discutir questões agrícolas – que pede um fim aos subsídios injustos concedidos por países desenvolvidos para seus produtores de algodão. os 25 mil produtores de algodão da América receberam mais em subsídios – algo em torno de 3 bilhões de dólares – do que a totalidade da produção econômica de Burkina Faso. No período de 2001 a 2002. ele é o único produto agrícola que nossos países podem comercializar. submetemos uma proposta à Organização Mundial do Comércio – que se encontrará em Cancún. Além disso. do Mali e de Burkina Faso. o algodão de baixa qualidade é produzido em grandes unidades mecanizadas. 64 . É hora de traduzir esses princípios em ações em Cancún. 1. Juntamente com países do Benin e do Chade. Sabemos que o mundo não irá ignorar nosso apelo por um jogo leal. respectivamente. Em países mais ricos. Tradução: Maria do Carmo Martins Fontes-Davis. 11 jul. O algodão nesses países poderia ser substituído por outras culturas. Como medida intermediária. de empobrecer cerca de 10 milhões de pessoas pobres nas zonas rurais da África Ocidental e Central. de maior valor. o pagamento feito para aproximadamente 2 500 produtores relativamente ricos tem o efeito não intencional. O algodão não é apenas crucial para nossas economias. A Organização Mundial do Comércio vem afirmando que está comprometida a tratar dos problemas dos países em desenvolvimento.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 e distorcem os preços do algodão. Nosso pedido é simples: aplicação de regras justas de livre comércio não apenas para aqueles produtos que são do interesse dos ricos e poderosos. The New York Times. Apesar de o algodão africano ser da mais alta qualidade. explique a importância do algodão para as economias do Mali e de Burkina Faso. The NYTimes Syndicate. nossos custos de produção são cerca de 50% menores do que nos países desenvolvidos. gerando menos empregos e causando um impacto duvidoso no meio ambiente. em setembro. Assim. mas também para aqueles produtos nos quais os países mais pobres levam uma comprovada vantagem comparativa. Com base no texto. ainda que dependamos de trabalho manual. os subsídios dos Estados Unidos estão concentrados em apenas 10% dos seus produtores de algodão. porém não menos real. México. privando os países africanos da sua única vantagem comparativa no comércio internacional. Amadou Toumani Touré e Blaise Compaoré são os presidentes. Algo precisa ser feito. propusemos que os países menos desenvolvidos recebam compensação financeira por perdas nas receitas de exportação decorrentes desses subsídios. ao contrário. Os Estados Unidos nos convenceram de que uma economia de mercado fornece as melhores oportunidades para todos os membros da comunidade mundial. onde 2 milhões de pessoas dependem do algodão. 2003.

presidentes de dois países africanos. Qual é a principal crítica dos autores. Os produtores de algodão dos Estados Unidos recebem em subsídios um valor quase equivalente ao total gerado pelo comércio mundial de algodão.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 2. O que isso significa e quais são as consequências para o mercado desse produto? 3. à Organização Mundial do Comércio? Que propostas eles fazem para solucionar os problemas identificados? 65 .

66 . o que estimula os agricultores dos países subdesenvolvidos. Le Monde Diplomatique. Paris: Armand Colin. e) os subsídios aumentam as exportações dos produtos agrícolas. A respeito das consequências dessa política. b) os subsídios não impedem nem interferem nas condições competitivas do comércio da produção agrícola dos vários países do mundo. Paris. Philippe Rekacewicz.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 1. c) os países produtores que subsidiam seus agricultores não o fazem para torná-los mais competitivos em relação aos produtos agrícolas importados. é correto afirmar que: a) os subsídios incentivam o aumento da produção. 2. d) os subsídios ampliam o mercado internacional. Subsídios agrícolas na Europa e nos Estados Unidos. 1999-2004 a) Quais relações podem ser estabelecidas entre o gráfico e o domínio que os países ricos exercem sobre o mercado internacional de alimentos? b) Que relações podemos estabelecer entre a Renda Nacional Bruta do Mali e os montantes dos subsídios agrícolas na Europa e nos Estados Unidos? Fonte: L’Atlas du monde diplomatique. Uma das políticas mais importantes é a concessão de subsídios aos produtores agrícolas. o que acarreta a queda dos preços nos mercados internacionais. 2006. Os países desenvolvidos possuem políticas de proteção e incentivo à sua agricultura. Observe o gráfico a seguir. ampliando o acesso dos países pobres ao mercado internacional.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 67 .

Em janeiro de 2012 ocorreu uma edição do Fórum Social Mundial em Porto Alegre. Leitura e análise de imagem 1. na Tunísia. no Rio Grande do Sul. Você já ouviu falar do Fórum Social Mundial? Em caso positivo.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 ? ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 8 O FÓRUM SOCIAL MUNDIAL Para começo de conversa 1. Você sabe quais assuntos foram abordados nesse evento? Dê exemplos. 3. Observe as fotos apresentadas nas próximas páginas para responder às questões a seguir. 68 . Você sabe quais assuntos mereceram destaque nesse evento? Dê exemplos. a) Que tipos de reivindicação estão sendo representadas nas imagens? b) Quais temas as imagens têm em comum? Justifique. o que você acredita que ocorra em um evento com esse nome? 2. o que sabe a respeito? Em caso negativo. Em março de 2013 ocorreu uma edição do Fórum Social Mundial em Túnis.

na faixa lê-se “Outro mundo é possível”. defendendo que “Nosso mundo não está à venda”. c) Ativistas antiglobalização se manifestam pelas ruas de Mumbai. © Emmanuel Dunand/AFP/Getty Images A © Sebastian D’Souza/AFP/Getty Images B C Fórum Social Mundial. Com base na análise das imagens. Índia. a) Bailarinos indianos ensaiam uma tradicional dança na véspera da abertura do fórum. acendem “100 velas de liberdade” exigindo direitos em um país onde são considerados “intocáveis”. 69 .Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 © Emmanuel Dunand/AFP/Getty Images 2. janeiro/2004. produza em seu caderno um texto sobre as temáticas e as discussões que têm ocorrido em diferentes Fóruns Sociais Mundiais. a etnia indiana dalit. b) Membros da casta mais baixa hinduísta.

© Jean-Philippe Ksiazek/AFP/Getty Images Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 © Tony Karumba/AFP/Getty Images A © Valter Campanato/ABr B C Fórum Social Mundial. 70 . África. a) Cartaz denuncia o apoio da França às ditaduras. b) Ativistas antiglobalização contra os Acordos de Parceria Econômica (EPAs) europeus. os ativistas pediam a abolição dos EPAs. c) Fitas vermelhas em memória das 40 milhões de mortes decorrentes da Aids na África. janeiro/2007.

: A programação é inteiramente construída pelos próprios participantes. O Fórum foi criado por oito organizações brasileiras e conta hoje com um Conselho Internacional composto de mais de 150 entidades. a paz e a reinvenção da democracia devem prevalecer sobre os lucros. os anos 1980 e 1990 foram marcados pela ascensão de uma corrente ideológica chamada neoliberalismo. as relações sociais injustas do presente. Na virada do século. nas quais se debatem milhares de propostas: da proteção das florestas tropicais ao ensino do esperanto. editor do site do Le Monde Diplomatique – Brasil. no aumento das desigualdades – há. sempre que se reuniam instituições internacionais como a Organização Mundial do Comércio (OMC). Mas ele introduz um elemento novo. Em vez disso. certamente. Em cada edição do Fórum Social Mundial. O mundo passou a viver sob uma espécie de pensamento único. Não se limita a protestar: quer buscar alternativas.: Quem pode participar da organização? E das discussões? A. No Ocidente. E. convidamos o jornalista Antônio Martins. cada 71 . As consequências desastrosas desse tipo de lógica não demoraram a aparecer. do direito que temos a não reproduzir. em primeiro lugar. dos cinco continentes. Ou seja: ao contrário do que pregava o pensamento único. Mas nem os fundadores nem este conselho têm controle sobre o que se debaterá em cada edição do evento. Entre 1999 e 2002. esses valores se traduzem em centenas de atividades. Regina Araujo: Quais são os objetivos principais do Fórum Social Mundial? Antônio Martins: Eu diria que. O Fórum Social Mundial é fruto desse novo sentimento. afirmar a possibilidade de construirmos nosso futuro coletivo. a reinvenção da utopia. R. o fórum diz que o futuro pode e precisa ser construído por meio da consciência e do planejamento humanos – e que valores como os direitos humanos. Mas o ponto em comum é. do direito à diversidade sexual ao cancelamento da dívida dos países mais pobres.: De que forma o Fórum é organizado? A.M. R.A. Segundo essa corrente. o correto seria deixar que as relações entre os seres humanos fossem regidas pelos mecanismos de mercado. A inscrição é feita pela internet. elas resultaram. Ela tornou-se avassaladora quando a maior parte dos regimes burocráticos que se denominavam socialistas caiu. Se há trabalhadores dispostos a trabalhar 15 horas por dia por um prato de comida ou se há consumidores prontos a adquirir um carro novo a cada ano. então o Estado não deve interferir nessa relação. hoje. por exemplo. milhões de pobres e sem-teto nos próprios Estados Unidos –.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Leitura e análise de texto Para explicar o significado e a importância do Fórum Social Mundial (FSM). ao se registrar para o encontro. na destruição acelerada da natureza e no reaparecimento de grandes crises financeiras. o sentimento de crença no mercado foi substituído por inquietações e incertezas crescentes. entre 1989 e 1991. a desigualdade e o impulso dos países mais fortes para a guerra. as sociedades deveriam abandonar a tentativa de alcançar princípios como a distribuição de riquezas ou a justiça social. alguns meses antes de cada edição do fórum. em gigantescas manifestações de protesto (principalmente fortes entre a juventude).M.: O princípio essencial é a diversidade.A. Leia a seguir a entrevista que ele concedeu especialmente para o São Paulo faz escola. no futuro. a distribuição de riquezas.

O que possibilitou essa expansão? 2. já que não se propõem a unificar o conjunto de participantes em torno de propostas e lutas comuns. desde que respeitada a Carta de Princípios do FSM. que ocupam grande espaço na programação do FSM. A resposta a esse questionamento está na própria realidade. Além da ascensão. também têm se espalhado pelo mundo. 1. Esses princípios de autonomia e diversidade têm levado alguns críticos a afirmar que as edições do fórum são ineficazes. A batalha para transformar a água num bem público mundial. O autor também se refere a um certo fracasso social das ideias neoliberais e ao surgimento de vários protestos até chegar-se ao Fórum Mundial. hoje presente em dezenas de países. As redes de economia solidária e de comércio justo. pode organizar atividades. Um grêmio de uma escola. Como essas ocorrências se enquadram no processo de globalização? 72 . houve expansão dessas ideias pelo mundo.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 organização participante pode inscrever até quatro atividades – quaisquer que sejam elas. por exemplo. não privatizável. foi lançada no Fórum Social. O autor afirma que “os anos 1980 e 1990 foram marcados pela ascensão de uma corrente ideológica chamada neoliberalismo” e que o mundo passou a viver sob uma espécie de “pensamento único”. O papel dos organizadores é apenas assegurar condições (além de espaço e logística) para que todas as propostas se realizem.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 3. O texto faz referência ao “impulso dos países mais fortes para a guerra”. Quem determina a programação do FSM? 73 . Por que isso ocorre? 6. não privatizável. Algo que se relata sobre as discussões e reivindicações do Fórum Mundial é a batalha para transformar a água num “bem público mundial”. o que isso significa? 5. o FSM procura “afirmar a possibilidade de construirmos nosso futuro coletivo”. De acordo com o texto. Como é o acesso à água potável (as regras) em nossos dias? E o que significa tratar a água como “bem público mundial”? 4. Em sua opinião.

Feito isso. 74 . Ɣ Assumam a posição de participantes do Fórum Social e proponham uma lista de temas que vocês considerem pertinentes para ser debatidos em uma reunião dessa natureza. capital da Tunísia. se possível. explicando a importância de cada um deles. pesquisem em jornais. Faça uma redação com o título “O Fórum Social Mundial – Um outro mundo é possível”.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Em grupo. em 2013. revistas e. na internet sobre o Fórum Social Mundial realizado na cidade de Túnis. produzam um relatório coletivo que responda às questões seguintes. Ɣ Vocês consideram que esses temas possuem relação com a sua vida cotidiana? Justifiquem. Lembrem-se de que se trata de uma reunião da qual participam milhares de pessoas vindas de todas as partes do mundo. interessadas em trocar experiências e ideias sobre como promover a justiça e a inclusão social. Ɣ Quais temas estiveram em discussão no Fórum Social Mundial em 2013? Ɣ Vocês consideram que esses temas são de fato importantes? Por quê? Ɣ Qual dos temas o grupo acha mais importante? Justifiquem.

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 75 .

Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 76 .

14 anos. Direção: Larry Wachowski.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Filmes Ɣ Adeus. Ɣ Matrix (The Matrix). 121 min. União Europeia: história e geopolítica. uma socialista convicta. Globalização: Estado nacional e espaço mundial. 2001. A mãe do protagonista. Trata-se de um filme leve e divertido. ao chegar ao aeroporto de Nova Iorque. 136 min. São Paulo: Moderna. Estados Unidos. O autor percorre os antecedentes histórico-geográficos que deram sustentação à formação da União Europeia e analisa o atual cenário político e econômico responsável por sua ampliação e consolidação como bloco de maior coesão entre os existentes na atualidade. Ɣ MARCONDES FILHO. é impedido de ingressar nos Estados Unidos e também de voltar à sua terra natal. Ciro. Lênin! (Good Bye. e desenvolve uma reflexão sobre as diferentes percepções que se tem da atualidade. Considerado um dos mais importantes filmes da atualidade. São Paulo: Scipione. as influências resultantes da incorporação das novas tecnologias nos diferentes setores da vida em sociedade. Direção: Wolfgang Becker. Ela acorda oito meses depois e não pode sofrer nenhuma emoção forte. política. entra em coma quando o Muro de Berlim cai. considera. Matrix é o nome do programa de computador responsável pelas diferentes formas de aprisionamento às quais a humanidade está conectada. Livros Ɣ MAGNOLI. 77 . 2003. o autor delineia os principais eventos geopolíticos e econômicos da velha e da Nova Ordem Mundial e elabora uma síntese criativa acerca da globalização e das diferentes formas de regionalização do mundo na atualidade. Matrix se passa em 2200 e trata do embate dos seres humanos para se livrarem do aprisionamento causado pelas formas de inteligências artificiais. 12 anos. Conta a história de uma família que vive na Alemanha. O autor discorre sobre o significado da palavra crise nos mais diversos setores da vida social. Alemanha. 2004. filosofia e cultura. Andy Wachowski . Lenin!). São Paulo: Moderna. 1999. Ɣ O terminal (The terminal). Esse filme mostra as dificuldades de um cidadão da Europa Oriental que. tais como economia. Ɣ ______. Nessa obra. 2003. 128 min. Demétrio. Estados Unidos. por isso o filho tenta a todo custo esconder dela a nova situação do país. Direção: Steven Spielberg. Por intermédio de um texto ágil. também. na qual ocorreu um golpe de Estado. 14 anos. durante a queda do Muro de Berlim. Sociedade tecnológica. 2003.

Disponível em: <http://europa. Acesso em: 22 out. Disponível em: <http://fsmpoa.org.com. 2013. 2008.eu/index_pt. Ɣ Mercosul. O site apresenta um enorme acervo de documentos e relatórios produzidos pela ONU. O sonho europeu.br/comunidades/>. bem como sobre as estratégias e expectativas dos participantes do fórum. propõe mudanças na maneira como a política estadunidense lida com questões internas e externas.mercosul. além de destacar as ações da organização em território brasileiro. Jeremy. Com argumentação sólida. São Paulo: Makron Books. Disponível em: <http://www.org.Geografia – 8a série/9o ano – Volume 1 Ɣ RIFKIN.onu.br/>. Acesso em: 22 out. Página brasileira do Mercosul.gov. Ɣ Organização das Nações Unidas no Brasil. Ɣ SILVA. Ɣ Fórum Social Mundial Temático de Porto Alegre. 2006.br>. Disponível em: <http://www. Acesso em: 21 maio 2013. 2013. Site da Comissão Pró-Índio do Estado de São Paulo. Portal da União Europeia com histórico e dados importantes da organização. 2013. África explicada aos meus filhos. Alberto da Costa e. Sites Ɣ Comunidades quilombolas.htm>. Os sites sugeridos abrigam um rico material de análise sobre os movimentos sociais que atuam no mundo contemporâneo. 2013. 78 . Disponível em: <http://www. São Paulo: Agir.cpisp. Acesso em: 22 out. Ɣ Europa – União Europeia. Acesso em: 22 out.br>. Uma excelente introdução ao estudo da África que ajuda a esclarecer a posição subordinada do continente nos mercados internacionais. O consagrado economista estadunidense estabelece um paralelo entre os papéis desempenhados no cenário mundial pela União Europeia e pelos Estados Unidos da América. dedicado também à defesa dos direitos das comunidades quilombolas.

Gisele Nanini Mathias. Sandra Raquel Scassola Dias. Edney Couto de Souza. Regina Célia Batista. Fábio Bresighello Beig. Juliana Pavani de Paula Bueno e Rodrigo Ponce. Renata Cristina de Andrade Oliveira e Tatiana Souza da Luz Stroeymeyte. João Mário Santana. Área de Ciências da Natureza Biologia: Aparecida Kida Sanches. Warigoda. Ivan Castilho. Eliane Cristina Gonçalves Ramos. Ester Galesi Gryga. Kátia Vitorian Gellers. Neide Ferreira Gaspar e Sílvia Cristina Gomes Nogueira. Ellen Claudia Cardoso Doretto. Elizandra C. Fabiana Hernandes M. Priscila Lourenço. Ana Paula Vieira Costa. Karina Xavier. João dos Santos. Laura C. Claudia Elisabete Silva. Celso Francisco do Ó. Maria Márcia Zamprônio Pedroso. de Barros L. Patrícia Fernanda Morande Roveri. Área de Ciências Humanas Filosofia: Emerson Costa. Língua Estrangeira Moderna (Inglês e Espanhol): Ana Paula de Oliveira Lopes. A. Marceline de Lima. Fabio Augusto Trevisan. PROFESSORES COORDENADORES DO NÚCLEO PEDAGÓGICO Área de Linguagens Educação Física: Ana Lucia Steidle. Karin Sant’Ana Kossling. Liliane Renata Tank Gullo. Célio Batista da Silva. Área de Matemática Matemática: Carlos Tadeu da Graça Barros. Juliana Munhoz dos Santos. Evaristo Glória. Viviani. Ensino Médio e Educação Profissional – CEFAF Valéria Tarantello de Georgel Coordenadora Geral do Programa São Paulo faz escola Valéria Tarantello de Georgel Coordenação Técnica Roberto Canossa Roberto Liberato Smelq Cristina de 9lbmimerime :oeÅe EQUIPES CURRICULARES Área de Linguagens Arte: Ana Cristina dos Santos Siqueira. Sociologia: Anselmo Luis Fernandes Gonçalves. Renata Motta Chicoli Belchior. Silvana Alves Muniz. Lopes. Marina Tsunokawa Shimabukuro. Márcia Regina Xavier Gardenal. Rosimeire da Cunha e Wilson Luís Prati. Graciana B. Fernanda Rezende Pedroza. Marta Ferreira Mafra. Isabel Cristina dos Santos Dias. Letícia M. Sandra Maira Zen Zacarias e Vanderley Aparecido Cornatione. Mônica Estevan. Paulo Roberto Orlandi Valdastri. João Batista Santos Junior e Natalina de Fátima Mateus. Evandro Rodrigues Vargas Silvério. Sílvia H. Anderson Luiz Pereira. Tânia Gonçalves e Teônia de Abreu Ferreira. Silvia Ignês Peruquetti Bortolatto e Zilda Meira de Aguiar Gomes. Kátia Regina Pessoa. M. Luciana de Paula Diniz. Ednéa Boso. Delizabeth Evanir Malavazzi. Nascimento. Carla Flaitt Valentini. Berti e Willian G. Mônica Antonia Cucatto da Silva. Língua Estrangeira Moderna (Inglês): Célia Regina Teixeira da Costa. Jesus. Elizabeth Reymi Rodrigues. Rosana Jorge Monteiro. . Geografia: Andréia Cristina Barroso Cardoso. Ferreira. Claricia Akemi Eguti. Sandra Pereira Mendes. História: Cynthia Moreira Marcucci. Katia Mendes e Silva. Edivaldo Bezerra Viana. Rafael Plana Simões e Rui Buosi. Isabel Cristina Albergoni. Mauro Celso de Souza. Rodrigo Soares de Sá. Claudio Nitsch Medeiros e José Aparecido Vidal. Luciana Moraes Funada. Regina Maria Lopes. S. Cristiane Gislene Bezerra. Eduardo Granado Garcia. Rosana Jorge Monteiro. História: Aparecida de Fátima dos Santos Pereira. Viveiros. Regiani Braguim Chioderoli e Rosimara Santana da Silva Alves. Daniel B. Kátia Lucila Bueno e Roseli Ventrela. Sebastiana Gonçalves Ferreira Viscardi. Eliane Graciela dos Santos Santana. Ciências: Eleuza Vania Maria Lagos Guazzelli. Língua Portuguesa e Literatura: Angela Maria Baltieri Souza. Mário José Pagotto. Cátia Lunardi. Ciências: Davi Andrade Pacheco. Massuko S. Mercia Albertina de Lima Camargo. Edison Luiz Barbosa de Souza. Everaldo José Machado de Lima. Maria Margarete dos Santos e Walter Nicolas Otheguy Fernandez. Rosângela Aparecida de Paiva e Sergio Roberto Silveira. Garcia. Otavio Yoshio Yamanaka. Maria Elisa Kobs Zacarias. Lindomar Alves de Oliveira. Lídia Maria Batista BomÅm. Química: Ana Joaquina Simões S. Edilene Bachega R. Marcia Magali Rodrigues dos Santos. Silva. Impressão e acabamento Plural Indústria GráÅca Ltda. Física: Ana Claudia Cossini Martins. Mirna Leia Violin Brandt. Roseli Soares Jacomini. Rodrigo Soares de Sá. Ronaldo Cesar Alexandre Formici. Márcio Luiz Verni. Patrícia Helena Passos. Marcia Aparecida Ferrari Salgado de Barros. Marcos Antônio Gimenes. Marcio Bortoletto Fessel. Mara Lúcia David. Luciana Vanessa de Almeida Buranello. Roza K. Elana Simone Schiavo Caramano. Valdir P. Jeronimo da Silva Barbosa Filho. Rosângela Teodoro Gonçalves. André Henrique GhelÅ RuÅno. C. Área de Ciências Humanas Filosofia: Álex Roberto Genelhu Soares.CONCEPÇÃO E COORDENAÇÃO GERAL NOVA EDIÇÃO 2014-2017 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA – CGEB Coordenadora Maria Elizabete da Costa Diretor do Departamento de Desenvolvimento Curricular de Gestão da Educação Básica João Freitas da Silva Diretora do Centro de Ensino Fundamental dos Anos Finais. Liamara P. Lucila Conceição Pereira e Tânia Fetchir. Cleide Antunes Silva. Educação Física: Marcelo Ortega Amorim. Língua Portuguesa: Andrea Righeto. Herbert Gomes da Silva e Maria da Graça de Jesus Mendes. Franklin Julio de Melo. Milton Paulo dos Santos. Sandra Maria Fodra e Walter Garcia de Carvalho Vilas Boas. de Matos Carvalho. Carlos Fernando de Almeida e Tony Shigueki Nakatani. Cristina de Lima Cardoso Leme. Paulo Garcez Fernandes. Maria José de Miranda Nascimento. Área de Matemática Matemática: Carlos Alexandre Emídio. Idê Moraes dos Santos. Rogerio Sicchieri. Maria Cristina Cunha Riondet Costa. Morikawa. Eliana Cristine Budisk de Lima. Robson Rossi. Carlos Eduardo Povinha. Romano. Neusa A. Fabiola Maciel Saldão. Roseli Cordeiro Cardoso e Rozeli Frasca Bueno Alves. Cirila Tacconi. Idma A. Patrícia Pinto Santiago. Selma Marli Trivellato e Sonia Maria M. Área de Ciências da Natureza Biologia: Aureli Martins Sartori de Toledo. Rocha da Silva. Inês Chiarelli Dias. Jucimeire de Souza Bispo. Química: Armenak Bolean. Fernandes. Rosinei Aparecida Ribeiro Libório. Clóvis Antonio de Lima. José Maria Sales Júnior. Selma Rodrigues e Sílvia Regina Peres. Edinei Pereira de Sousa. Débora Regina Aversan e Sérgio Luiz Damiati. Elisabeth Pacheco Lomba Kozokoski. Xavier. Rita de Cássia Araujo. Sociologia: Alan Vitor Corrêa. Renato José de Souza. Leandro dos Reis Marques. Regina Helena de Oliveira Rodrigues. Física: Carolina dos Santos Batista. Ivan Castilho. Gerson N. Abrunhosa Tápias. Marcos Rodrigues Ferreira. Lúcia Aparecida Arantes. Sandra Regina Teixeira Batista de Campos e Silmara Santade Masiero. Elizete Buranello Perez. Cristiane Gonçalves de Campos. Fabiana Oliveira da Silva. Geografia: Ana Helena Veneziani Vitor. Apoio: Fundação para o Desenvolvimento da Educação . Ignacio Cunha. Paula Pereira Guanais. Anderson Gomes de Paiva.FDE CTP.

CONCEPÇÃO Guiomar Namo de Mello. Ivã Gurgel. Tatiana F. Margareth dos Santos e Neide T. Carla de Meira Leite. Ciências da Natureza Coordenador de área: Luis Carlos de Menezes. Luciane Hiromi Akahoshi. LEM – Espanhol: Ana Maria López Ramírez. José Luiz Pastore Mello. José Carlos Augusto. Carolina Pedro Soares. Maria Inês Fini coordenadora! e Ruy Berger em memória!. Maria Augusta Querubim Rodrigues Pereira. Renata Alves Ribeiro. Isabel Gretel María Eres Fernández. Maria Aparecida Acunzo Forli. Priscila Mayumi Hayama e Sueli Salles Fidalgo. Regina Araujo e Sérgio Adas. Diego López Silva. Michelangelo Russo. Luiz Sanches Neto. * Constituem “direitos autorais protegidos” todas e quaisquer obras de terceiros reproduzidas no material da SEE-SP que não estejam em domínio público nos termos do artigo 41 da Lei de Direitos Autorais. Carla Fernanda Nascimento. Juliana Prado da Silva. Língua Portuguesa: Alice Vieira. Isis Valença de Sousa Santos. Moreira. Renata Elsa Stark e Sérgio Roberto Silveira. Érika Domingues do Nascimento. Denilse Morais Zambom. Raul Borges Guimarães.610/98. Luiza Christov. Paulo Rogério Miranda Correia. Caderno do Gestor Lino de Macedo. Glaydson José da Silva. Sonia Salem e Yassuko Hosoume. Maria Fernanda Penteado Lamas e Yvone Mussa Esperidião. Química: Maria Eunice Ribeiro Marcondes. Ciências: Ghisleine Trigo Silveira. Cristina Leite. Cíntia Leitão. Mauro Betti. Educação Física: Adalberto dos Santos Souza. Maria Eliza Fini e Zuleika de Felice Murrie. No entanto. José Luís Marques López Landeira e João Henrique Nogueira Mateos. Eloiza Lopes. Matemática: Nílson José Machado. Mônica Lungov Bugelli e Raquel dos Santos Funari. Érica Marques. Fabíola Bovo Mendonça. Geraldo de Oliveira Suzigan.GESTÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO EDITORIAL 2014-2017 CONCEPÇÃO DO PROGRAMA E ELABORAÇÃO DOS CONTEÚDOS ORIGINAIS FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI COORDENAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DOS CADERNOS DOS PROFESSORES E DOS CADERNOS DOS ALUNOS Ghisleine Trigo Silveira Presidente da Diretoria Executiva Antonio Rafael Namur Muscat Vice-presidente da Diretoria Executiva Alberto Wunderler Ramos GESTÃO DE TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Direção da Área Guilherme Ary Plonski Coordenação Executiva do Projeto Angela Sprenger e Beatriz Scavazza Gestão Editorial Denise Blanes Equipe de Produção Editorial: Amarilis L. Marina Murphy. Regiane Monteiro Pimentel Barboza. Priscila Risso. Física: Luis Carlos de Menezes. Souza e Tiago Jonas de Almeida. Maurício Pietrocola Pinto de Oliveira. Matemática Coordenador de área: Nílson José Machado. Carina Carvalho. Rosana dos Santos Jordão. Carolina H. Maria Magalhães de Alencastro e Vanessa Leite Rios. Mestriner. Olivia Frade Zambone. Maia González. Olga Aguilar Santana. Ruy César Pietropaolo e Walter Spinelli. Arte: Gisa Picosque. Maíra Batistoni e Silva. . Paulo Roberto da Cunha. Karinna Alessandra Carvalho Taddeo. Bruno Reis. AUTORES Linguagens Coordenador de área: Alice Vieira. Rogério Ferreira da Fonseca. como fonte de consulta dos conteúdos apresentados e como referências bibliográficas. Marcus Ecclissi. Melissa de Mattos Pimenta e Stella Christina Schrijnemaekers. Luis Carlos de Menezes. Ricardo Rechi Aguiar. Mainã Greeb Vicente. Rodrigo Venturoso Mendes da Silveira e Solange Soares de Camargo. Marcelo Santos Masset Lacombe. João Carlos Miguel Tomaz Micheletti Neto. Filosofia: Paulo Miceli. Hebe Ribeiro da Cruz Peixoto. Maria Augusta Querubim Rodrigues Pereira. legenda e rosa dos ventos). Gisele Manoel. Leandro Calbente Câmara. Paula Felix Palma. Jocimar Daolio. Julio Cézar Foschini Lisbôa. a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo não garante que os sites indicados permaneçam acessíveis ou inalterados. Fabio Luiz de Souza. Stella Assumpção Mendes Mesquita. Luciana Venâncio. Maxwell Roger da PuriÅcação Siqueira. Jean Xavier. Simone Jaconetti Ydi e Yassuko Hosoume. Edição e Produção editorial: R2 Editorial. Sociologia: Heloisa Helena Teixeira de Souza Martins. Angélica dos Santos Angelo. * Nos Cadernos do Programa São Paulo faz escola são indicados sites para o aprofundamento de conhecimentos. Marcelo de Carvalho Bonetti. Guilherme Brockington. Mirian Celeste Martins. Jairo Souza Design GráÅco e Occy Design projeto gráÅco!. Lívia de Araújo Donnini Rodrigues. Luís Paulo de Carvalho Piassi. Bóris Fatigati da Silva. no que diz respeito à grafia adotada e à inclusão e composição dos elementos cartográficos (escala. Direitos autorais e iconografia: Beatriz Fonseca Micsik. Estevam Rouxinol. Débora Mallet Pezarim de Angelo. Adilton Luís Martins e Renê José Trentin Silveira. Natália S. Roberto Perides Moisés. Lucilene Aparecida Esperante Limp. Lino de Macedo. A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo autoriza a reprodução do conteúdo do material de sua titularidade pelas demais secretarias de educação do país. História: Paulo Miceli. Ivan Rodrigues Martin. Ciências Humanas Coordenador de área: Paulo Miceli. Alzira da Silva Shimoura. sob pena de infração aos artigos da Lei no 9. Eliane Aparecida de Aguiar. Carlos Eduardo de Souza Campos Granja. Lucilene Aparecida Esperante Limp. Jéssica Mami Makino e Sayonara Pereira. desde que mantida a integridade da obra e dos créditos. Jaime Tadeu Oliva. LEM – Inglês: Adriana Ranelli Weigel Borges. Maciel. * Os mapas reproduzidos no material são de autoria de terceiros e mantêm as características dos originais. Flávia Medeiros. ressaltando que direitos autorais protegidos*deverão ser diretamente negociados com seus próprios titulares. Leslie Sandes. Felipe Bandoni de Oliveira. Biologia: Ghisleine Trigo Silveira. Geografia: Angela Corrêa da Silva. Todos esses endereços eletrônicos foram checados. Rodolfo Marinho. como a internet é um meio dinâmico e sujeito a mudanças.